Você está na página 1de 4

[Escolher a

OUVIDO HUMANO
data]

Ouvido Humano

O ouvido humano constitudo por trs partes ouvido externo, ouvido mdio e ouvido
interno.
Cada uma dessas partes tem uma funo especfica na interpretao dos sons.
Para compreender a funo de cada rgo, fundamental perceber como se processa a
informao sonora.

O ouvido externo recolhe os sons e envia-os pelo canal auditivo at ao ouvido mdio.
Neste momento, os sons fazem vibrar o tmpano. Aquando a vibrao do tmpano, os
ossculos (os trs ossos mais pequenos do corpo humano denominados martelo, bigorna
e estribo) entram em movimento, transportando a informao por aco mecnica at ao
ouvido interno.
No ouvido interno esto situados a cclea, os canais semicirculares e o nervo auditivo.
O fluido nos ductos da cclea move-se em resposta energia mecnica enviada pelos
ossculos. De seguida, pequenos capilares da cclea convertem a energia mecnica em
impulsos elctricos transmitidos pelos neurnios ao longo do nervo auditivo at ao
crebro.
A trompa de eustquio um canal que permite que a cavidade do tmpano fique cheia
de ar, equilibrando desta forma a presso atmosfrica no ouvido mdio.
O martelo est ligado bigorna atravs de pequenos ligamentos, que faz com que a
[Escolher a
OUVIDO HUMANO
data]

bigorna se mova sempre que o martelo se mover, agindo assim como uma alavanca. A
outra extremidade da bigorna est ligada ao cabo do estribo e a platina do estribo ligada
extremidade da cclea.

Nem todas as vibraes que atingem os nossos ouvidos so por estes percepcionadas. O
conjunto de todas as frequncias possveis para as ondas sonoras denominado espectro

sonoro.

Mas h seres vivos que detectam alguns dos sons que para ns, humanos, so
inaudiveis.
[Escolher a
OUVIDO HUMANO
data]

Escala decibel e audiograma


A escala decibel permite medir o nvel sonoro, em decibis. O nvel sonoro avalia a
intensidade dos sons.

Os audiogramas so grficos onde se representa o limiar da audibilidade em funo da


frequncia e do nvel de intensidade sonora.
[Escolher a
OUVIDO HUMANO
data]