Você está na página 1de 6

Fundamentos do Treinamento Desportivo

Aula 1

Treinamento do Exercício Físico na Infância e Adolescência Princípios Científicos do Treinamento Desportivo Capacidade Motora: Flexibilidade

Treinamento do exercício físico na infância e adolescência

do exercício físico na infância e adolescência Fonte:

Fonte:

http://esportes.universoef.com.br/container/gerenciador_de_arquivos

/imagens/270/handebol‐escolar1.jpg

 

Faixa etária e consequências para a prática esportiva

O entusiasmo das crianças pelo esporte também deve ser aproveitado

O entusiasmo das crianças pelo esporte também deve ser aproveitado

a partir de atividades motoras motivadoras, acompanhado de muitas

experiências bem‐sucedidas.

carga e a capacidade de crianças e adolescentes de suportar carga não pode ser otimizada

carga e a capacidade de crianças e adolescentes de suportar carga não pode ser otimizada exclusivamente por meio de uma redução

A

quantitativa da estrutura de cargas dos adultos.

É

É

 

necessário compreender que cada faixa etária tem suas tarefas didáticas especiais, bem como particularidades específicas do desenvolvimento.

Prof. Marcio Teixeira

Doutor em Educação Física

O professor de Educação Física, ou dependendo do caso, técnicos ou responsáveis pelo treinamento, devem considerar que “a criança não ou dependendo do caso, técnicos ou responsáveis pelo treinamento, devem considerar que “a criança não é uma miniatura do adulto e sua mentalidade não é só quantitativa, mas também qualitativamente diferente da do adulto, de modo que a criança não é só menor, mas também diferente” (WEINECK, 1991).

Para se diferenciar o treinamento de crianças e adolescentes do de adultos é dado pelo fato de que essas ainda se encontram na fase de crescimento, momento em que surgem inúmeras alterações e particularidades físicas, psicológicas e psicossociais, que provocam consequências para a atividade corporal, ou esportiva, e, portanto, para a capacidade de suportar determinadas cargas.diferente da do adulto, de modo que a criança não é só menor, mas também diferente”

Princípios científicos do treinamento desportivo

Os princípios científicos são pré‐requisitos na seleção e elaboração dos conteúdos que serão programados na organização de sua aula pré‐requisitos na seleção e elaboração dos conteúdos que serão programados na organização de sua aula de Educação Física.

Para Gomes e Araújo Filho (1995), os princípios científicos do treinamento desportivo são regras gerais extraídas de várias ciências , em especial das científicos do treinamento desportivo são regras gerais extraídas de várias ciências, em especial das ciências biológicas e pedagógicas.

Princípio da individualidade biológica ou das diferenças individuais

Cada um nasce com uma carga genética (genótipo) que determinará fatores, tais como composição corporal, somatotipo, aptidão, al tura, entre outras coisas, que, somados à experiência de vida posição corporal, somatotipo, aptidão, altura, entre outras coisas, que, somados à experiência de vida após o nascimento (fenótipo), determinarão a real potencialidade de cada um.

Portanto, nos programas de uma aula de educação física devemos respeitar este princípio.(fenótipo), determinarão a real potencialidade de cada um. Fonte:

de educação física devemos respeitar este princípio. Fonte:

Fonte:

http://br.guiainfantil.com/uploads/Esportes_e_artes/bene

fcios‐do‐basquete‐para‐as‐crianas_A.jpg

Como adaptar em nossas aulas de Educação Física crianças com suas diferenças individuais, diante dos objetivos da aula?

Princípio da adaptação

Esse é mais que um princípio de treino, já que vale para a vida. de treino, já que vale para a vida.

O ser humano é capaz de se adaptar a diversas situações. diversas situações.

Nas aulas, isso vale, por exemplo, quando um aluno sedentário começa a praticar esportes e, nos primeiros dias, sente dores. exemplo, quando um aluno sedentário começa a praticar esportes e, nos primeiros dias, sente dores.

Porém, depois de acostumado àqueles estímulos, deixa de sofrer com esses incômodos. àqueles estímulos, deixa de sofrer com esses incômodos.

Vídeo

Educação física para crianças especiais e com autismo:

conhecendo o trabalho do Prof. Rodrigo Brivio

e com autismo: conhecendo o trabalho do Prof. Rodrigo Brivio Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=yOzRLX5DAz8&fea

Fonte:

https://www.youtube.com/watch?v=yOzRLX5DAz8&fea

ture=youtu.be

Princípio da sobrecarga

Princípio que estipula que as mudanças funcionais no corpo somente ocorrem quando o estímulo é suficiente para causar uma s mudanças funcionais no corpo somente ocorrem quando o estímulo é suficiente para causar uma ativação considerável de energia.

para causar uma ativação considerável de energia. Fonte: http://blogs.odiario.com/odiarionaescola/wp‐

Fonte: http://blogs.odiario.com/odiarionaescola/wp‐

content/uploads/sites/35/2015/12/Foto‐Abre1‐

1024x768.jpg

Princípio da conscientização

Este princípio parte do pressuposto de que a atividade ssuposto de que a atividade

a ser realizada na aula de educação física, quando

realizada conscientemente, ou seja, sabendo o porquê

e para quê de sua realização, obtém‐se mais benefícios na medida em que o executante procura “canalizar” esforços para seu real objetivo.

procura “canalizar” esforços para seu real objetivo. Fonte: http://3.bp.blogspot.com/‐

Fonte: http://3.bp.blogspot.com/‐

60qi0ICnhUY/TvoNj7VXV8I/AAAAAAAADB8/bU1UtP1w_7s/s1

600/DSC05495.JPG

Princípio da multilateralidade

Este princípio tem como objetivo principal o desenvolvimento múltiplo de lateralidade, que deve ser aplicado ao aluno principalmente nas fases sensíveis de desenvolvimento múltiplo de lateralidade, que deve ser aplicado ao aluno principalmente nas fases sensíveis de preparação.

A multilateralidade está direcionada a atividades com movimentação em todas as direções possíveis, do mais simples ao mais complexo. com movimentação em todas as direções possíveis, do mais simples ao mais complexo.

Qual a importância da multilateralidade desenvolvida em nossas aulas de Educação Física?

Flexibilidade (Achour Junior 1998)

Define como amplitude máxima de movimento voluntário em uma ou mais articulações sem lesiona‐las.Flexibilidade (Achour Junior 1998) Bouchard (1990) afirma que é "a qualidade que permite a um segmento

Bouchard (1990) afirma que é "a qualidade que permite a um segmento deslocar‐se com a amplitude máxima" ou por outras palavras que a flexibilidade pressupõe “, a capacidade do músculo ou grupo muscular, tanto em palavras que a flexibilidade pressupõe “, a capacidade do músculo ou grupo muscular, tanto em encurtamento como em alongamento máximo, e ainda permitir a exploração máxima da articulação“.

Vídeo

Ponte de Bambolês

Vídeo Ponte de Bambolês Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=K_yYefV1J10

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=K_yYefV1J10

Flexibilidade e Alongamento

Flexibilidade e Alongamento
Articulações e o tecido conjuntivo

Articulações e o tecido conjuntivo

Articulações e o tecido conjuntivo

Métodos de flexibilidade

ALONGAMENTO ‐ exercícios físicos para manter ou desenvolver a flexibilidade. desenvolver a flexibilidade.

ALONGAMENTO ESTÁTICO ‐ move‐se o grupo muscular‐articular, mantendo‐se um postura com tensão muscular. muscular‐articular, mantendo‐se um postura com tensão muscular.

mantendo‐se um postura com tensão muscular. Fonte: http://marianakalil.com.br/wp‐

Fonte: http://marianakalil.com.br/wp‐

content/uploads/2015/11/Alongamento‐01.jpg

Fonte: http://clubdofitness.com.br/wp‐ content/uploads/2012/06/ALONGAMENTOS.jpg Fonte:

Fonte: http://clubdofitness.com.br/wp‐

content/uploads/2012/06/ALONGAMENTOS.jpg

content/uploads/2012/06/ALONGAMENTOS.jpg Fonte: https://talitaluana.files.wordpress

Fonte:

https://talitaluana.files.wordpress

.com/2011/05/449.gif

 

Vantagens do alongamento estático

 

Alongamento passivo

Pouco risco de lesões;É realizado com a ajuda de forças externas

Pouco risco de lesões; É realizado com a ajuda de forças externas

É

realizado com a ajuda de forças externas

Comodidade da técnica do movimento; 

 

Facilidade na aprendizagem das posições de alongamento.DESVANTAGENS DO ALONGAMENTO ESTÁTICO

DESVANTAGENS DO ALONGAMENTO ESTÁTICOFacilidade na aprendizagem das posições de alongamento.

(aparelhos, companheiros) estando o praticante passivo, isto é, com descontração muscular.

estando o praticante passivo, isto é, com descontração muscular. Fonte: http://www.turmadapostura.com.br/wp‐

Fonte: http://www.turmadapostura.com.br/wp‐

Não reflete a técnica dos movimentos dinâmicosmuscular. Fonte: http://www.turmadapostura.com.br/wp‐ content/uploads/2015/05/Alongamento‐dupla‐1.jpg  

content/uploads/2015/05/Alongamento‐dupla‐1.jpg

 

Vantagem do alongamento passivo

 

Alongamento ativo

Permite ajustar o membro corporal numa ótima posição para desenvolver a flexibilidade, particularmente em amplitudes extremas de movimentos. posição para desenvolver a flexibilidade, particularmente em amplitudes extremas de movimentos.

a flexibilidade, particularmente em amplitudes extremas de movimentos. É determinado pelo maior alcance do movimento

É

determinado pelo maior alcance do movimento

voluntário, utilizando‐se a força dos músculos

agonistas e do relaxamento dos músculos antagonistas.

DESVANTAGENS DO ALONGAMENTO PASSIVO  Fonte: http://marianakalil.com.br/wp‐

 
Fonte: http://marianakalil.com.br/wp‐

Fonte: http://marianakalil.com.br/wp‐

O

executante depende do companheiro que saiba as

técnicas dos exercícios de alongamento;

Precisa além disso confiar no profissional para relaxar‐se antes

e

durante o alongamento.

 

content/uploads/2015/11/Alongamento‐01.jpg

 

Vantagens do alongamento ativo

É benéfico para o aporte san guíneo na região exercitada;

É

benéfico para o aporte sanguíneo na região exercitada;

importante nas modalidades des portivas pois reflete a técnica de algumas habilidades atléticas; É

importante nas modalidades desportivas pois reflete a técnica de algumas habilidades atléticas;

É

É importante para a independência do movimento em idosos

É

importante para a independência do movimento em idosos

(com levíssima tensão na fase final do movimento);

importante no ambiente escolar pelas possibilidades de movimentação; É

importante no ambiente escolar pelas possibilidades de movimentação;

É

Contribui para o aquecimento específico no desempenho atlético.

Contribui para o aquecimento específico no desempenho atlético.

DESVANTAGENS?

DESVANTAGENS?

Fonte: http://www.turmadapostura.com .br/wp‐ content/uploads/2015/05/Alonga mento‐dupla‐1.jpg

Fonte:

http://www.turmadapostura.com

.br/wp‐

content/uploads/2015/05/Alonga

mento‐dupla‐1.jpg

 

Flexibilidade aplicada ao desempenho esportivo

A flexibilidade é importante para o atleta melhorar

A

flexibilidade é importante para o atleta melhorar

qualidade do movimento, para realizar as habilidades atléticas com grandes amplitudes de movimento e reduzir os riscos de lesões músculos‐articulares.

a

e reduzir os riscos de lesões músculos‐articulares. a Fonte: http://www.wellnesstraining.com.br/wp‐

Fonte: http://www.wellnesstraining.com.br/wp‐

content/uploads/2016/01/capa‐flavia‐saraiva‐conquista‐o‐

ouro‐nos‐jogos‐olimpicos‐da‐juventude.jpg

 

Treinamento para a flexibilidade ‐ O alongamento estático

Há menor chance de lesões;

Há menor chance de lesões;

Há menor chance de dor muscular;

Há menor chance de dor muscular;

O treinamento de 30‐40 min., duas vezes por semana aumentam a

O

treinamento de 30‐40 min., duas vezes por semana aumentam a

flexibilidade em cinco semanas;

O tempo de execução pode variar de 10‐60 segundos, dependendo

O

tempo de execução pode variar de 10‐60 segundos, dependendo

do objetivo;

Cada posição de alongamento deve ser repetida de 3‐5 vezes;

Cada posição de alongamento deve ser repetida de 3‐5 vezes;

A sobrecarga é aplicada aumentando‐se

A

sobrecarga é aplicada aumentando‐se

amplitude do movimento durante o alongamento e aumentando‐se tempo de manutenção da posição de alongamento.

Vídeo

Alongamento lúdico

Vídeo Alongamento lúdico Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=n4Wo4al6SuM

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=n4Wo4al6SuM

Fatores determinantes da flexibilidade

Idade – Gênero –Fatores determinantes da flexibilidade Elasticidade dos Músculos – Tensão Psíquica Hora do Dia – Temperatura

Elasticidade dos MúsculosFatores determinantes da flexibilidade Idade – Gênero – – Tensão Psíquica Hora do Dia – Temperatura

– Tensão PsíquicaIdade – Gênero – Elasticidade dos Músculos Hora do Dia – Temperatura Externa Aquecimento – Cansaço

Hora do Dia – Temperatura ExternaGênero – Elasticidade dos Músculos – Tensão Psíquica Aquecimento – Cansaço Treinamento Fonte:

Aquecimento – Cansaço– Tensão Psíquica Hora do Dia – Temperatura Externa Treinamento Fonte: http://passofundo.notredame.org.br/wp‐

TreinamentoHora do Dia – Temperatura Externa Aquecimento – Cansaço Fonte: http://passofundo.notredame.org.br/wp‐

– Temperatura Externa Aquecimento – Cansaço Treinamento Fonte: http://passofundo.notredame.org.br/wp‐

Fonte: http://passofundo.notredame.org.br/wp‐

content/uploads/2015/05/Notre‐Dame‐215.jpg

Desenvolvimento da flexibilidade CRIANÇAS E ADOLESCENTES  Alguns estudos mostram que dos 9 aos 14
Desenvolvimento da flexibilidade
CRIANÇAS E ADOLESCENTES
 Alguns estudos mostram que dos 9 aos 14 anos é o melhor
momento para o desenvolvimento da flexibilidade.
HOMENS e MULHERES
 Em geral a mulher é mais flexível do que o homem, talvez
pelas atividades que exigem maior uso da flexibilidade, e os
fatores hormonais (estrógeno), responsável para um maior
acumulo de água, minimizando o atrito entre as
fibras musculares.

Os principais grupos musculares

Os principais grupos musculares Fonte: http://www.sobiologia.com.br/figuras/C orpo/sistemamuscular2.jpg
Os principais grupos musculares Fonte: http://www.sobiologia.com.br/figuras/C orpo/sistemamuscular2.jpg

Fonte:

http://www.sobiologia.com.br/figuras/C

orpo/sistemamuscular2.jpg

Perguntas

Fonte: http://passofundo.notredame.org.br/w p‐content/uploads/2015/05/Notre‐ Dame‐215.jpg

Fonte:

http://passofundo.notredame.org.br/w

p‐content/uploads/2015/05/Notre‐

Dame‐215.jpg