Você está na página 1de 3
Rev net Hahnemanniane do Brasil (1): 45-47, 1982. O tratamento do absces: Jean Meuris! pos serem estudados nos mimeros anteriores 0s remédios mais impor: tantes do estagio da monoartrite infecciosa € do estagio congestivo, abordaremos agora o estagio supurativo. O remédio mais freqtiente é Hepar Sulfur (que corresponde a este estagio), indicado normalmente num individuo de boa satde habitual ou proximo da boa satide, ¢ que conseqiientemente reage vigorosamente a infeccdo que se manifesta num ponto da sua economia. Hepar Sulfur é, por execeléncia, 0 remé- dio das supuracdes francas. “Pode-se dizer, escreve Lathoud, que a tendéncia piogénica do remédio constitui a sua especialidade. Tambem deve-se considerd-lo como um dos melhores medicamentos da piogenia, mas na condi¢ao de que o pus seja de formacao recente, bastante denso, de cor branco- amarelada e desprovido de qualquer agao irritate”. E mais adiante ele acrescenta: “Ele é mui- to titil no periodo da supuracdo das inflama- goes locais: se dado numa diluicao muito alta antes que 0 pus nao esteja formado e se nao for repetido muito cedo, ele pode preve- nir e encerrar 0 processo supurativo; se 0 pus ja estiver formado, Hepar Sulfur acele- rara a abertura do abscesso, esvaziard mais rapido e ativara a circulacao: neste caso, é preciso dé-lo numa diluicao baixa”. Resul- tando as regras de emprego de Hepar Sulfur. A evolucao do abscesso dentario € rapida: freqiientemenie apés uma curta fase liga- ‘Tradugio da Revue Trimestriele Internationale Dentarka Acta, 1973, n° 4, pelo Dr. Francisco José de Freitas - Profes- sor Auxiliar de Terapeutica Homeopatica da Universidade do Rio de Janetro: Coordenador do Curso de Formagio de Espe- cialistas em Homeopatia do Instituto Hahnemanniano do Brasil opoxtorocia | so dentario III mentar (Ammonium carbonicum) os_sinais celulares aparecem com as indicagées de Belladonna, que é substituida no fim de al- gumas horas pelos sinais de Hepar Sulfur. Belladonna ressente algumas pontadas, mas principalmente uma dor latejante em sincronia com os batimentos cardiacos, dor que é melhorada localmente por aplicacées frias. Em Hepar Sulfur os batimentos se ate- nuam e so as pontadas que dominam o quadro, pontadas picantes como miltiplas agulhadas na regiao, que se encontra exces- sivamente dolorida e sensivel ao menor con- tato e principalmente 4 menor corrente de ar. Freqtientemente, nés vemos este doente chegar de manha em nosso consultdrio, apos uma péssima noite que 0 levou a decidir esta visita. Ele envolveu a regiao com um pano para evilar qualquer corrente de ar, mas 0 colocou de uma maneira tal para ndo tocar a tumefacdo, porque ele também teme muito 0 contato S6 em vé-lo, nds ja sabemos que sera Hepar Sulfur que ira alivid-lo. és teremos as maiores dificuldades para palpar esta volumosa tumefacdo e freqiien- temente ele reage manifestando uma extre- ma irritabilidade. Se conseguirmos palpar uma massa flutuante que assinale 0 inicio da colecao supurada, nos nao hesitaremos em prescrever Hepar Sulfur 4 CH: dissolver dois gldbulos de hora em hora, que atenuara consideravel e rapidamente as dores, aca- bando por amadurer esta colecao, que esta- ra pronla A noite para sofrer uma incisao. Observamos que esta palpacao foi consegui- da quando ja existia 0 inicio da colecao de pus €, conseqiientemente, as dores j4 sao menos violentas. Mas se nao podemos obje- tiva-la, nao é razao para podermos afirmar que ele nao exista. Felizmente Hepar Sulfur 7 CH € capaz de resolver por si s6 a situacao: Fovietado Institute Hahnomannianodo Bras Vol.1 NF1 1992 0 45 tomado a tempo, ele asseguraré 0 aborto da supuragao, enquanto que tomado muito tar- de ele encerrara a coletanea de pus. E con- veniente dar uma s6 vez, dissolvides dois glébulos, e nds obteremos 0 resultado, de um jeito ou de outro, algumas horas mais tarde. E preciso rever o doente a noite, onde muitas vezes a tumefagao j desapareceu € as vezes esta coletada. Neste iiltimo caso, se estimar- mos que a colegdo esteja incompleta, passa- se ao Hepar Sulfur 4 CH, dois glébulos de hora em hora. ‘Se a tomada de Hepar Sulfur 7 CH ndo nos assegura nem um nem outro resultado, nao se deve insistir, pois 0 remédio nao é 0 cor- reto, porque, neste caso, nds temos barreira devido ao terreno do doente, 0 qual ¢ conve- niente remové-la. Numerosos remédios do terreno podem, portanto, ser indicados: € importante, po- rem, destacar Mercurius € Silicea, que co- brem uma grande parte dos casos onde a nocao de cronicidade aparece. Acrescentan- do, também, Causticum e Natrum sulfurt- cum, que possuem tais manilestacdes, ape- sar de menos freqtientes. E essencial compreender que, n0 caso do abscesso dentario, nés prescreveremos He- par Sulfur somente em fungao das maniles- tagdes locais e porque o remédio apresenia, mais do que qualquer outro, a caracteristica de franca supuracdo num individuo com boa satide, cujo organismo é capaz de se livrar vigorosa e rapidamente do corpo estranho que Ihe atrapalha. A saida de materiais pii- tridos, que tém origem no abscesso, é nesta circunstancia 0 corpo estranho. A posologia nao responde mais as regras de: sinais locais, baixas diluicées: sinais locais + gerais, médias dilulgées; sinais lo- cais + gerais + psiquicos, altas diluigoes. Neste caso, sao outras consideragoes que nos guiam, por exemplo: 0 momento evoluti- vo do quadro, Hepar Sulfur centrifugo em baixas dinamizacées e centripeto em altas dinamizacdes, apesar de que as médias po- dem agir num sentido ou no outro. Desta maneira, varia em fungao da lei de Amdt Schulz, onde Hepar Sulfur ¢ uma substancia em que 0 momento da inversao da sua acéo se situa a nivel da 7 CH. 48 1 Ravistado Instituto Hannemanniane de Brasil Vol.1 Nr 1982 Esta caracteristica @ devida a presenca do enxofre na sua formula quimica, pois Sulfur apresenta as mesmas caracteristicas. Isto ndo significa que nés nao veremos aparecer os sinais psiquicos discrelos de Hepar Sulfur. Muitas vezes esto presentes, © podemos nos servir deles para fazer 0 diagnéstico medicamentoso, principalmen- te se conlecermos 0 doente, 0 qual normal- mente € uma pessoa correta, bem-educada e expansiva; agora nés 0 encontramos impaci- ente, rispido € pronto a se enfurecer. Atitude que sera ainda mais caracterizada durante 0 periodo onde a regressao pode ainda ser obtida através da indicagao de uma alta di- namizacao do remédio para procurar este resultado. A partir do instante em que se ultrapassa este momento, a colegao se forma 0 doente sofre menos, melhorando também © seu psiquismo: € preciso agora uma baixa diluigao. Mas nao é através da apreciacdo desscs fendmenos psiquicos que nds podemos es- colher a diluicdo, eles so muito sutis e rela- tivos. Se nos a mencionamos ¢ para frisar 0 quanto a afirmacao de Hahnemann ainda é justificada: “O estado moral do doente é sempre, dentro da selecio do remédio ho- meopatico, 0 elemento mais determinante, porque ele constitui uma das manifestaces mais caracterislicas e essenciais entre todas elas, sendo estas tllimas as que devem es- capar menos ao médico habiluado a fazer observagées exatas” Pyrogenium é um remédio complementar indispensavel Aqueles que ja foram estuda- dos no tratamento do abscesso dentario. Ele é um potente abortivo da supuragao; por- tanto, podemos sempre acrescenté-lo 4 nos- sa presericao, desde que a reabsorcdo seja possivel, mas, se nao for possivel, ele nunca podera ser dado: os dois remédios se opo- riam. Ele esta indicado tanto para o estagio da monoartrite quanto para o estagio congesti- vo, endo no estagio de supuracao, a no ser que tenhamos certeza de poder reabsorver os sintomas e se pudermos afirmar que nao existe nenhum indicio objetivo da colecdo. E reencontra sua indicacio a partir do mo- mento em que o pus saia: ele sera um exce- lente mefo para secar esta secrecdo. A diluicdo mais convenientemente indica- da € quase sempre a 5 CH, dois glébulos ao acordar e as 17 horas. As dinamizagdes mais elevadas estarao indicadas quando 0 estado geral for o mais atingido. Conclusio Hepar sulphur @ 0 remédio da colegao supurada de origem dentaria no homem sadio, ou pelo menos proximo da satide, onde as capacidades de defesa organica nao esto diminuidas. Nés encontraremos a sua indicagao & medida que 0 individuo seja jo- vem e forte. E sobretudo na menopausa e andropausa que veremos se inverter as indicagdes. Scrao os sinais locais ¢ gerais que estabelecerao a sua prescrigéo. Outros remédios de abscesso estardo indicados mais raramente, mas, para escolhé-los, de- veremos levar em conta geralmente a nogéo de uma barreira, devida ao terreno, que ne- cessilara de uma individualizacao mais pre- cisa. RRovistado Instituto Hahnamanniano do Brasil Vol. N°1 1992 47

Você também pode gostar