Você está na página 1de 11

Um Estilo de Vida Verde de Ser (THE GREEN LIFESTYLE)

by Paulo Rocha

A luta ecológica não está nem à direita nem à esquerda, mas à frente.
(Fernando Gabeira)

Artigo 225 da Constituição Federal de 1988,


todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado,
bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade, impondo-se
ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo
para as presentes e futuras gerações.

SEJA VERDE em suas atitudes

- a moda agora é ser verde - “It’s cool to be green” -


- seja por consciência ecológica, seja por convicção política, não importa,
contribua para que o meio ambiente seja poupado;
- as conseqüências de seus atos moram no futuro e é bom cuidar dele
porque é pra lá que você vai;
- afinal, é nas decisões do dia-a-dia que se define o futuro do nosso planeta;
- as escolhas que fazemos são importantes e servem de exemplo para que
outros ao nosso redor sigam as mesmas atitudes e, logo, começaremos
a ver a diferença;

“consumismo e comportamento, juntos, podem definir o que nós


mesmos desejamos atingir no esforço verde”.

How GREEN is your LIFESTYLE?

- reduza as emissões e a energia consumida em casa (evite luzes ou equipamentos


ligados quando não necessário);
- pense na eficiência energética ao escolher a iluminação (substitua as lâmpadas
incandescentes por lâmpadas econômicas - dão à mesma luz, mas poupam 80%
da energia elétrica utilizada e ainda duram mais);
- prefira aparelhos domésticos de eficiência energética mais alta (verifique a etique-
ta de consumo de energia e o selo do PROCEL);
- os aparelhos em modo “stand-by” continuam consumindo energia (desligue os
equipamentos da tomada, ao invés de desligar apenas no comando);
- não jogue pilhas e baterias no lixo normal e, sim, em recipientes apropriados;
- cuide do isolamento térmico, e resfrie ou aqueça sua casa com eficiência;
- caminhe, ande de bicicleta, faça rodízio de carros ou use o transporte público
sempre que possível;
- ao comprar seu próximo carro, pense na eficiência;
- dirija com mais inteligência;
- a economia de combustível diminui de forma acentuada quando se dirige
a mais de 90 km/h;
- precisamos reduzir as emissões de CO2 dos carros e outros meios
de transporte - pregue o uso de combustíveis não-poluentes;

“aprenda mais sobre as mudanças climáticas”.


1
CONSUMIR implica responsabilidade

- ser um consumidor responsável sai mais caro? Sim e não;


- a forma de consumir afeta o bolso, a saúde e o mundo - por isso,
não dá para desassociar as finanças pessoais das preocupações
políticas e ecológicas;
- podemos conscientemente influenciar a sociedade em que vivemos
como consumidor (quem vai querer comprar um produto barato à custa
do trabalho escravo ou infantil);

- podemos evitar a barbárie consumista (participando de uma campanha,


sabotando uma conduta ou mesmo ajudando a financiar uma causa);
- consome-se energia na fabricação e transporte de tudo que compramos;
- compre produtos locais, contribuindo com o desenvolvimento da região e
ajudando o meio ambiente;
- escolha objetos, roupas e móveis de baixo impacto ambiental;

“ter de trocar nosso estilo de vida para uma versão mais verde
requer muito mais que comportamento, – exige conscientização real”.

SEJA UM CATALIZADOR da mudança

- reduza a quantidade de sacolas plásticas nas suas compras,


utilizando sacola de pano ou caixas plásticas reutilizáveis para compras maiores;
- avalie a embalagem; é exagerada? é reciclável?
- prefira as retornáveis e diga não as descartáveis;
- pratique uma alimentação mais saudável - compre produtos orgânicos;
- os produtos sustentáveis mesmo que custem um pouco mais caro,
trazem benefícios extras para a saúde;
- contribua e participe no desenvolvimento da agricultura bio-dinâmica,
gerando novos empregos e desenvolvimento, ao ser um consumidor diário.
- consuma menos carne vermelha - podemos reduzir as emissões de CO2
e economizar vastas quantidades de água e outros recursos naturais preciosos;

- relatório das Nações Unidas publicado em 2006 revela que a produção de carne
emite 18% dos gases do efeito estufa, mais até que o transporte com 13%,
além de ser em grande parte, responsável pelo desmatamento e pela escassez
de água no planeta;

- cobre dos supermercados que frequente, um sistema de rastreamento


que garanta que a carne que compramos não venha de uma área
de desmatamento na Amazônia Legal;
- pressione as empresas das marcas que você consome para que criem
alternativas, para que nós consumidores, possamos mudar de forma mais
significativa nossos hábitos de consumo;

“muitas vezes um produto ecologicamente correto,


é bem mais barato que o convencional ou o similar popular”.

2
SEJA UM CONSUMIDOR responsável

- prefira produtos que tenham “selos” relacionados a aspectos sociais e ambientais;


- os de produção orgânica: IBD (Instituto BioDinâmico),
ECOCERT e AAO (Associação de Agricultura Orgânica);
- os de manejo florestal: FSC e CERFLOR;
- os do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica:
PROCEL e CONPET (melhor desempenho energético e menor impacto
ambiental);

“solicite aos supermercados, restaurantes e fornecedores de alimentos


e insumos domésticos que disponibilizem produtos orgânicos ou com
certificação de origem ou qualidade de gestão ambiental”.

VISTA UM PRODUTO ecologicamente correto

- não compre produtos que fazem testes em bichos;


- seja terminantemente contra o extermínio de animais para a fabricação
de peças de vestuários;
- antes de comprar, tente saber mais sobre o fabricante;
- não compre roupas que usam acessórios metálicos, plásticos e sintéticos;
- compre roupas em lojas que estimulem o trabalho feito em “cooperativas verdes”
(o rendimento traz melhorias para elas e para as comunidades da região);

“os materiais utilizados na moda ecológica são produtos cujos processos


são mais limpos e eficientes, fazendo parte da manutenção do meio ambiente”.

SER VERDE nunca foi tão erótico


(dez regras para um sexo amigável com o meio ambiente)

1. apague as luzes;
2. frutas da paixão (livre de agrotóxicos) - certifique-se que ao consumir
guaraná, amoras, framboesas, cerejas ou outros frutos afrodisíacos,
que esses sejam orgânicos;
3. amor a qualquer preço? apóiem projetos sustentáveis de comunidades
produtoras de óleos e sabonetes biodegradáveis com aromas que
enlouquecem a paixão, no lugar de consumir com a mesma finalidade
ostras e mariscos que estão desaparecendo dos oceanos;
4. amor reciclado - que sugere usar embalagens usadas para guardar
preservativos e outros acessórios no quarto;
5. use ecolubrificantes - produtos à base de água, e não de petróleo;
a saliva é o melhor lubrificante natural;
6. escravo da paixão, não do petróleo - não use brinquedos fabricados
com PVC, um material que gera alguns dos produtos químicos mais
tóxicos que existem: dioxinas e furanos;
7. salvar a água com um amigo - amantes compartilhem o banho;
8. cama sustentável - certifiquem que a base seja feita de madeira legal;
9. sexo verde - use de óleo para massagem e roupas íntimas orgânicas;

e o último, mas não menos importante, diz: faça amor, não a guerra.
3
SEJA UM TURISTA amigo da natureza

- ao fazer as malas, reduza a quantidade de embalagens descartáveis,


se possível nem levar;
- procure hospedar-se em estabelecimentos que sigam um código de ética
e conduta ambiental, compatíveis com as necessidades atuais de sustentabilidade;
- no aluguel de veículos, considerar a opção por carros menores,
híbridos ou movidos a biodiesel já ajuda;
- utilizar produtos de higiene biodegradáveis em acampamentos e cruzeiros
Marítimos, é uma opção para diminuir a contaminação de mares e rios;

- de todos os meios de transporte, o avião é o mais poluente;


- na prática, uma viagem de ida e volta entre São Paulo e Paris
emite 1730 kg de gás carbônico na atmosfera, por passageiro da classe
econômica, segundo a Air France;
- um único voo transatlântico de Londres a Nova York gasta 60 mil litros
de combustível, o equivalente ao uso de um automóvel por 50 anos;
- voos sem escala e sem classe executiva são menos poluentes;
- voos diurnos também são menos poluentes, ao passo que os noturnos,
contribuem 60% pelos danos climáticos causados pelos aviões;
- dar descarga em um avião que esteja a 9.144m do solo consome combustível
para um automóvel rodar por 10km;
- não usar o banheiro do avião (em trechos curtos, claro) ajuda na sustentabilidade
do planeta;

“o ecoturismo utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural,


incentiva a sua conservação e busca a formação de uma consciência
ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem estar
das populações envolvidas”.

A HOTELARIA e a Sustentabilidade

- todos os cômodos têm calefação ou condicionadores de ar, mas quem opera


não é o hóspede - os níveis são determinados pela direção e a central operadora
não permanece ligada o tempo todo;
- as luzes dos ambientes inabitados ficam desligadas;
- o consumo de água deve ser racional, com combate ao desperdício;
- a direção medi periodicamente o consumo de água para evitar e detectar
vazamentos e o desperdício desnecessário;
- nos chuveiros e torneiras, há temporizadores;
- usam-se válvulas de descarga econômicas;
- o papel higiênico é hidrossolúvel (pode ser depositado na privada,
pois se dilui na água e segue para a rede de esgoto);
- os produtos de limpeza são biodegradáveis;
- na lavagem dos utensílios de cozinha, a esponja fica numa vasilha com
água morna, os objetos são lavados e reservados em uma das cubas da
pia - a torneira só é aberta na hora de enxaguar;
- os estabelecimentos possuem composteiras, por isso, o lixo orgânico é
usado na horta e jardins - as flores que decoram o ambiente são colhidas
do próprio jardim e algumas ervas, sem agrotóxicos, são cultivadas,
4
o restante encaminhado para os criadores de animais;
- a água da chuva é recolhida para regar as plantas;
- na escolha de fornecedores, prioriza o produtor biodinâmico –
isso valoriza e movimenta a economia verde da região, além de contribuir
enormemente com a economia de combustível e a diminuição na emissão
de gás carbônico na atmosfera;

“os hóspedes também são orientados e convidados a participar,


separando o lixo nos apartamentos e moderando o seu consumo
de água e energia”.

EMPRESAS investem na CONTRUÇÃO Verde

- algumas medidas que devem ser adotadas na construção civil para criar
um empreendimento verde e reduzir o impacto sobre o meio ambiente:

- respeitar as características de clima e local;


- o empreendimento deve contribuir para a preservação da biodiversidade
e na redução da poluição;
- criar paisagismo;
- tintas com baixa emissão de VOC;
- uso de materiais reciclados e de origem ambientalmente correta;
- uso de materiais de construção de demolição;

- uso energético de fontes renováveis - os empreendimentos devem ter


baixo consumo de energia com automação, lâmpadas mais econômicas
e iluminação natural;
- isolamento acústico e climático das paredes (em países com altas
temperaturas, como o Brasil, é possível economizar até 30% de energia
elétrica - o material isolante mantém a refrigeração inicial por quatro
ou cinco horas);
- uso de válvulas de descarga econômicas e torneiras com sensores;
- sistemas de captação da água da chuva e reuso;
- o tratamento biológico e químico do esgoto do estabelecimento
ou moradia para ser usado nas descargas sanitárias;
- implantar sistema de resíduos;
- o uso de madeira proveniente de reflorestamento ou certificada;

- as construções verdes são atestadas com base no critério “Leed”


(Leadership in Energy & Environmental Design), que é concedido pelo
US Green Building Council (USGBC) - avaliam-se não só as vantagens
para a empresa, como também o impacto ambiental e os reflexos sociais
da iniciativa;

“e se o Governo Federal decidisse investir em construções sustentáveis


para as moradias populares que fazem parte do pacote habitacional
lançado no dia 24 de março de 2009?”

5
VOCÊ pode SER VERDE no seu trabalho

- implante a coleta seletiva na sua empresa;


- a criação de documentos eletrônicos e notas fiscais na internet
contribuíram para a economia de papel;
- evite imprimir;
- se não tiver opção, configure sua impressora para trabalhar
no modo econômico;
- ao imprimir um documento com várias páginas,
utilize os dois lados da folha;
- utilize cartuchos recondicionados;
- procure utilizar papéis com o selo de certificação FSC;
- faça uma caixinha de papel rascunho e coloque as folhas
que podem ser reutilizadas;

“conscientize seus colegas de trabalho sobre a importância


de ter atitudes verdes, e dê o exemplo”.

COLABORE com o uso Social da ÁGUA

- alguns cuidados básicos que parecem tão simples


mas podem fazer toda a diferença:

. reduza o uso de água quente;


. reduza o tempo no banho - poupa água e ajuda a diminuir
o consumo de energia;
. dê preferência a banhos frios;
. durante o banho, procure fechar o chuveiro enquanto se ensaboa;
. mantenha a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba;
. evite vazamento em torneiras, descargas, chuveiros, bóias de caixa d'água
e tubulações;
. reaproveite a água de outras origens como a da chuva, do enxágüe da
máquina de lavar, para fins domésticos (na limpeza de quintal e calçada,
por exemplo);
. se for lavar o carro deixe a mangueira de lado;

- a água faz parte do patrimônio do planeta;


- cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade,
cada cidadão é plenamente responsável pela água da terra;
- a escassez de água no mundo é agravada em virtude da desigualdade
social e da falta de manejo e usos sustentáveis dos recursos naturais;

- as principais causas de deteriorização dos rios, lagos e dos oceanos são:


poluição e contaminação por poluentes e esgotos;
- o ser humano tem causado todo este prejuízo à natureza, através dos lixos,
esgotos, dejetos químicos industriais e mineração sem controle;
- segundo a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância),
menos da metade da população mundial tem acesso à água potável;

6
- um bilhão e 200 milhões de pessoas (35% da população mundial)
não têm acesso a água tratada;
- um bilhão e 800 milhões de pessoas (43% da população mundial)
não contam com serviços adequados de saneamento básico;
- dados da ONU de 2006 revelam que até 2050 mais de 45%
da população mundial não terá acesso à água potável;

- no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),


22 milhões de pessoas não dispõem de água potável, sendo obrigadas
a consumirem água de baixa qualidade expondo-se ao risco de contrair
doenças e ter ser seu desenvolvimento social e econômico prejudicado;

- a gestão eficiente dos recursos hídricos do planeta é fundamental


para o futuro da humanidade;
- a escassez de água potável poderá gerar conflitos em um futuro próximo;

“a economia e o uso racional da água deve estar presente nas atitudes


diárias de cada cidadão”.

A QUESTÃO é : O QUE FAZER com tanto LIXO?

- enquanto a água pode nos faltar, o lixo sobra;


- é lixo demais e ele sempre aumenta, - aumenta tanto que nem sabemos
onde colocá-lo;
- assim, nos restam as alternativas:
evitar produzir lixo, reaproveitar o que for possível e reciclar ao máximo;

- "Reduzir, Reutilizar e Reciclar" são as palavras da hora;

- tecnicamente, é possível recuperar e reutilizar a maior parte dos materiais


que na rotina do dia-a-dia é jogada fora;
- separe os resíduos orgânicos dos recicláveis (plásticos, vidros, latas, papéis),
e os encaminhe para a reciclagem;
- se tiver espaço no quintal construa uma composteira para produzir adubo
como lixo orgânico;
- a coleta seletiva de lixo viabiliza a reciclagem;
- do ponto de vista ecológico, a reciclagem é o processo mais eficiente
e ecologicamente responsável no trato de plástico, vidro, metal,
papel e papelão;
- o sistema de “coleta seletiva de lixo” deve ser implantado em bairros,
escolas, escritórios, postos de combustíveis, centros comerciais e outros
locais que facilitem a coleta de materiais recicláveis;
- pressionar as prefeituras para adotarem a coleta seletiva como alternativa
é hoje um dever cívico antes mesmo de ser uma atitude coerente e sábia;
- a maior parte das cidades brasileiras ainda não dispõe de políticas de
incentivo à reciclagem ou tampouco adotam a coleta seletiva;
- uma das grandes vantagens da reciclagem é a redução da degradação
do meio ambiente, já que toneladas de resíduos que antes iam para aterros
sanitários e lixões retornam para o ciclo produtivo, além de reduzir a
exploração de recursos naturais;
7
- o tratamento do lixo doméstico no Brasil é realmente uma tragédia:
setenta e seis por cento (76%) dos 70 milhões de quilos de lixo produzidos
por dia são lançados a céu aberto, dez por cento (10%) em lixões
controlados, nove por cento (9%) para aterros sanitários e apenas 2% é reciclado;
- a situação torna-se pior quando constatamos que na maioria das cidades
brasileiras o lixo é despejado em terrenos baldios ou nos “famosos”
e inadequados lixões;
- a sujeira acumulada no ambiente aumentou a poluição do solo, das águas,
piorou as condições de saúde das populações em todo o mundo,
especialmente nas regiões menos desenvolvidas;

“um dos maiores problemas do lixo é que grande parte das pessoas pensa
que basta jogar o lixo na lata e o problema da sujeira vai estar resolvido”.

A SUSTENTABILIDADE é aqui e agora

- o que vemos é uma colisão colossal, sem precedentes, entre a nossa


civilização e o planeta Terra;
- a humanidade já possui os conhecimentos fundamentais, tanto científicos
como técnicos e industriais, para resolver os problemas dos gases-estufa
e do clima nos próximos 50 anos; – por exemplo:
. redução da poluição através da captura e do armazenamento do excesso
de carbono emitido pelas usinas elétricas e atividades industriais;
. planejar as cidades, tanto grandes como pequenas, com melhores
sistemas de transporte público, e fabricar veículos pesados com maior
eficiência de combustível;
. a fabricação de carros que consuma menos gasolina, colocando nas
ruas mais carros híbridos e movidos a células de combustível;
. redução de energia, em virtude da maior dependência de tecnologias
já existentes de energia renovável, tais como a solar, eólica, e os bio-
combustíveis;
. o emprego e uso de tecnologias “limpas” para reduzir o consumo de energia
na construção de novas edificações residenciais, comerciais e industriais;
. o uso mais eficiente de eletricidade em sistemas de aquecimento e refrigeração,
iluminação, aparelhos domésticos e equipamentos eletrônicos;

- pressione o governo para que o cumprimento de políticas públicas que promovam


a mitigação (diminuição das causas) e a adaptação aos impactos irreversíveis às
mudanças climáticas nos diferentes setores, como: energia, transporte, florestas,
saneamento, produção agrícola e pecuária;

“de acordo com a maioria dos ativistas ambientais a redução do aquecimento


global e outras ameaças ambientais a níveis sustentáveis não é apenas uma
questão técnica, mas está fortemente associada à questão de reduzir ou
reverter o crescimento econômico”.

A QUESTÃO ENERGÉTICA é fundamental

- dentre os gases produzidos por combustão, o CO2 é o mais danoso ao


clima terrestre e um dos principais responsáveis pelo efeito estufa;
8
- um terço da emissão de CO2 é causada por usinas termoelétricas movidas
a combustíveis fósseis (nenhuma tecnologia é capaz de produzir queima
limpa de carvão);
- usina nuclear: não! - alto custo de construção, em razão da tecnologia
e segurança empregadas;
- há sempre o risco do reator vazar ou explodir, liberando radioatividade
na atmosfera e nas terras próximas, num raio de quilômetros;
- não existem soluções eficientes para tratamento do lixo radioativo,
que atualmente é depositado em desertos, fundo de oceanos ou dentro
de montanhas;
- à medida que os recursos, como o petróleo, se forem tornando menos
disponíveis e mais caros, o homem terá de optar cada vez mais pelos
recursos energéticos alternativos e renováveis, como a água, o vento,
as ondas do mar, a energia solar, recursos estes inesgotáveis;

- a energia solar e eólica estão entre as fontes energéticas de mais rápido


crescimento, tanto nos EUA , Japão como na Europa (na Alemanha já gerou
mais de meio milhão de novos empregos);
- 1/4 da eletricidade gerada na Dinamarca é extraída dos ventos;
- até 2025 a cidade de Copenhague quer se tornar a primeira capital mundial
com zero de emissão de carbono;
- cada vez mais pessoas estão preferindo usar energia gerada por fontes
renováveis, o cidadão pode assim não apenas reduzir suas emissões de
carbono, como também fornecer energia limpa para a rede elétrica pública;

- no Brasil, principalmente no nordeste, o aproveitamento de apenas 20% do


potencial já identificado na região seria capaz de torná-lo independente em
termos energéticos, além de transformá-lo em exportador de energia para
as regiões vizinhas (no Rio Grande do Norte, o desenvolvimento do potencial
da geração eólica, praticamente se iguala ao da geração hidroelétrica);

“nós sabemos que o país que desenvolver uma energia limpa,


renovável, vai liderar o século 21”. (Barack Obama)

A ECONOMIA e o MEIO AMBIENTE

- se você investe, deve considerar o impacto dos seus investimentos sobre


a mudança climática;
- aplique seu dinheiro em empresas, produtos e projetos que lidam de
maneira responsável com o meio ambiente e com outros desafios da
sustentabilidade;
- ao comprar créditos de carbono, você acaba financiando algum projeto que
reduz as emissões de gases-estufa em outros lugares – por exemplo:
. aumentando a eficiência energética;
. desenvolvendo energias renováveis;
. restaurando as florestas e implantando o seqüestro de carbono pelo solo;

- o verde da ecologia traz o verde do dinheiro, estamos em um período


em que a melhora ambiental levará à lucratividade;

9
- é importante a descoberta de caminhos que permitam conciliar
o crescimento econômico, indispensável num país em que 40 milhões
de pessoas dependem da assitência do Estado para fugir da linha da pobreza,
com os cuidados ambientais;
- a gente sempre ouviu dizer que “não se pode deter a marcha do progresso” –
o que não pode é a tal marcha gerar destruição ambiental;
- a economia e a ecologia nunca estiveram tão próximas;
- o país que descobrir como gerar energia limpa barata, será no futuro a nação
economicamente mais poderosa do planeta; (Barack Obama)
- a ecologia é a economia do século XXI – a terceira revolução industrial
já começou, é o Brasil não pode ficar atrás;

“precisamos de um modelo de desenvolvimento no Brasil com uma economia


de baixo carbono; - destruindo a natureza, você está inviabilizando a própria
dinâmica do desenvolvimento”. (Marina Silva)

A POLITIZAÇÃO DO AQUECIMENTO GLOBAL

- o aquecimento global é uma questão política! a crise climática é para muitos,


uma verdade inconveniente, pois significa que precisaremos mudar nossa
maneira de viver – para muitos inconcebível e sem cabimento;
(Al Gore, ambientalista e ex-vice-presidente dos USA)
- a grande questão do século 21 é saber como lidar com o aquecimento
global - somos 6 bilhões de indivíduos, mas quem realmente aquece o
planeta são os 600 milhões mais ricos (as 365 pessoas mais ricas do
mundo concentram 50% da riqueza mundial - só nos Estados Unidos,
1% da população concentra 73%);
- esperamos diminuir bastante nossas incertezas nas próximas décadas,
mas, se esperarmos até lá para reduzir as emissões de carbono,
pode ser tarde demais para frear os efeitos do aquecimento global;
- é necessário mudar os hábitos de consumo - se o ritmo de exploração
da Terra continuar nos níveis atuais, não haverá mais fontes de água
ou de energia, nem mesmo terras para plantação que seja suficiente
para preservar a vida;
- a atual crise climática talvez dê a impressão de ocorrer lentamente,
mas na verdade, ela está acontecendo muito depressa, e já se tornou
uma verdadeira emergência planetária;
- e é isto que está em jogo: nossa capacidade de viver no planeta Terra,
de ter um futuro como civilização;

- o Brasil pode chegar a 2020 como um dos líderes em iniciativas


de combate as emissões de CO2;
- um importante passo para a conquista dessa credibilidade foi a adoção,
em dezembro de 2008, de metas específicas contra o desmatamento na
região, o plano prevê uma redução de 70% nas derrubadas até 2017 e o
fim do desmatamento até 2040;
- apesar disso, o crescente desmatamento da floresta amazônica em virtude
das queimadas indiscriminadas, das derrubadas, da criação de gado e
10
plantação de grãos, induz a pensarmos que o aquecimento global está
cada vez mais perto de se tornar uma realidade ainda mais cruel;

- os impactos de não se fazer nada para conter o aquecimento global


gerariam gastos equivalentes a 20% do PIB mundial, enquanto medidas
preventivas demandariam de 1 a 2% do montante;
- desde então, tornou-se impossível pensar em desenvolvimento sem levar
em conta as alterações do clima; (economista britânico Nicholas Stern)

- estamos indo em direção a uma população mundial de 9, 10 bilhões


de pessoas na metade do século;
- nenhuma forma de capitalismo pode preencher a necessidade desse número
de pessoas de uma forma justa e sustentável - é por isso que temos que destruir
parte do sistema capitalista que temos agora para criar condições para que uma
nova sociedade possa evoluir (John Elkington) - diretor da SustainAbility -
(uma das ONGs mais atuantes mundialmente nas questões de responsabilidade
socioambiental);

- o desenvolvimento sustentável é algo colocado de forma definitiva


na sociedade, e tem que ser instituído por meio de políticas públicas
dentro do conceito da democracia e do debate;
- todos nós contribuímos para as mudanças climáticas por meio das
escolhas que fazemos na nossa vida diária:
desde a energia que usamos em casa até os carros e outros veículos
que dirigimos, desde os produtos e serviços que consumimos até o rastro
de desperdício e refugo que deixamos para trás - cada um de nós pode
se tornar parte da solução;

“chegou a hora de colocar o desenvolvimento sustentável, e não apenas


econômico, no centro da agenda mundial - para tanto é preciso reunir as
diversas forças da sociedade em uma nova aliança política entre trabalha-
dores, ambientalistas, empresários e governos, entre a sociedade civil orga-
nizada e academia, indústria, agricultura e o setor de geração de serviços”.
(Greenpeace BR) - O Novo Acordo Verde (Green New Deal) -

11