Você está na página 1de 1

DIREITO PE

AL I

ELEME TOS DE APOIO

DISTI O E TRE OMISSO PURA E OMISSO IMPURA

OMISSES PURAS OMISSES IMPURAS

Encontram-se expressamente previstas como Resultam da regra geral de equiparao da


conduta tpica a omisso a conduta tpica, a aco omisso art. 10. n. 2 CP. A
violao de um dever legal de agir. Ex: 138., construo do crime obriga conjugao com
200. e 284. um tipo da parte especial. Ex. 131. mais 10.

Fundam-se num dever geral de solidariedade Fundam-se na existncia de um dever que


ou auxlio mtuo, aplicvel a todos ns; pessoalmente obrigue o agente a evitar o
resultado dever de garante;

Trata-se de crimes de perigo (abstracto ou Trata-se de crimes de dano (e de resultado). O


concreto) cuja violao compreende apenas a agente tem posio de garante, i.e., dever de
no execuo da aco devida (crimes de mera evitar o resultado danoso. A omisso da aco
actividade) ou um eventual resultado de devida e possvel implica a imputao do
perigo, sem que ao agente seja imputado o resultado ao agente;
resultado danoso, mesmo que este venha a
ocorrer;

Trata-se de crimes comuns, que podem ser Trata-se de crimes especficos prprios s
praticados por qualquer agente; podem ser praticados por quem tenha posio
de garante face ao bem jurdico em questo;

As omisses puras bastam-se com a As omisses impuras exigem:


demonstrao de:
i) Omisso da aco devida e imposta por
i) Omisso da aco devida e imposta por lei;
lei;
ii) Capacidade de aco por parte do agente;
ii) Capacidade de aco por parte do agente;
iii) Existncia de uma posio de garante;
iii) Relao entre a omisso e a criao ou
iv) Existncia de uma aco devida
manuteno de um perigo.
susceptvel de evitar o resultado danoso;
v) Imputao objectiva do resultado
omisso: i.e. demonstrao de que o
resultado podia ter sido eficazmente
evitado pela prtica de uma aco pelo
agente, e que esta aco podia ter sido
levada a cabo pelo agente.

TEMA 6 TEORIA GERAL DA I FRACO: OS CO EITOS DE ACO E OMISSO