Você está na página 1de 43

Sílvio Ávila

Caminhos
iluminados
Se a cana-de-açúcar figura entre formação da segunda maior compa- como reforçar a produção nacional,
as culturas mais antigas do planeta, é nhia mundial de energia renovável a o presidente da União da Indústria
verdade também que a idade não lhe partir da cana, a LDC-SEV, fruto da de Cana-de-Açúcar (Unica), Marcos
tirou o vigor de continuar se expan- união entre LDC Bioenergia e Sante- Sawaya Jank, atentou para o potencial
dindo. Mais do que isso, a gramínea al- lisa Vale. Outras fusões podem estar a de geração de energia desperdiçado
cançou o século 21 como alternativa caminho e, independente do resultado atualmente. Em artigo publicado na
importante para a demanda mundial de negociações, é certo que a evolu- imprensa, o dirigente aponta que to-
por energia limpa. Esse fator não só ção não vai parar. E nem pode, pois a das as 434 usinas sucroalcooleiras do
ajuda a garantir o futuro da atividade demanda continuará em alta. País são autossuficientes em energia e
como aponta caminhos que precisam Para fornecer a matéria-prima ne- apenas 20% comercializam o exceden-
ser desbravados ainda mais. Nesse sen- cessária, a expansão das terras cultiva- te, principalmente por falta de leilões
tido, muitas pesquisas tendem a evoluir, das não é a única possibilidade. A tec- regulares e específicos para essa fonte
inclusive agregando outras matérias- nologia avança para permitir a obten- e por problemas de conexão.
primas à produção de etanol, e o Brasil ção de mais produto em um mesmo Além de permitir a geração des-
seguirá fazendo escola mundo afora. espaço e novas cultivares chegam aos centralizada e próxima dos centros
A experiência e o conhecimento canavicultores com esse intuito. São de consumo, a estimativa é de que, se
adquiridos no setor são levados por elas que ajudarão a desbravar novos fosse aproveitado todo o potencial de
técnicos e empresários a outras na- territórios de plantio canavieiro apon- biomassa dos canaviais, seria possível
ções interessadas em usufruir das tados no tão esperado Zoneamento exportar à rede elétrica 10.000 MW
vantagens de produzir etanol da ca- Agroecológico da Cana-de-Açúcar, médios até a safra 2017/18, volume
na-de-açúcar. O País conquistou uma divulgado em 2009 pelo governo fe- equivalente a uma usina do porte de
posição tão singular que se encontra deral. Mais do que visar à expansão do Itaipu, no Paraná. Essa proposta é mais
sem concorrentes na comercialização plantio, o estudo aponta como seguir um exemplo de que, com o passar dos
internacional do combustível. esse caminho de maneira sustentável anos, a canavicultura só ganha impor-
Amostra da força do Brasil está e sem agredir áreas de conservação. tância e extrapola as finalidades agrí-
na capacidade industrial. A cada ano E quando se pensava que apagão colas para se posicionar como peça-
novas usinas entram em operação — elétrico era coisa do passado, um chave do setor energético, tanto bra-
mais de 20 acionaram máquinas em novo episódio trouxe a discussão sileiro como mundial. É sinal de que os
2009, período marcado também pela à tona. Diante dos debates sobre desafios estão longe de terminar.

8
cenário
Sílvio Ávila

• Dados da safra
brasileira de cana

• Destinação da cana
para açúcar e etanol

• Produção mundial
de cana e de açúcar

scenario
• Overview of the
Brazilian Sugarcane crop

• Destination of sugarcane
for sugar and ethanol

• Global production
of sugarcane
12 13
Sem parar
Crescimento médio de 10% na produção
a cada safra apresenta-se como uma
tendência para a canavicultura brasileira
O desempenho da canavicultura brasileira na temporada ria e Abastecimento (Mapa), Alexandre Strapasson, a cana
2009/10 deve comprovar uma tendência que vem sendo notada tem tudo para se firmar como uma importante fonte de
nos últimos três a quatros anos: a de crescimento de 10% a 15% energia. “Com as tecnologias em desenvolvimento, o ba-
na produção nacional a cada novo ciclo. Essa é a avaliação do téc- gaço e a palha poderão ser melhor aproveitados, gerando
nico da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) Ângelo mais energia na forma de etanol e eletricidade”.
Bressan frente ao incremento de 10% estimado para o período Outro exemplo da diversidade da cultura é o espaço que o
atual em relação ao anterior. Com isso, a colheita deve atingir 629 bioplástico está conquistando. Recentemente duas importan-
milhões de toneladas, conforme previsão da entidade. tes empresas multinacionais anunciaram o início da produção
O principal fator responsável por assegurar esse per- de embalagens com material obtido a partir da cana. Uma
centual a cada safra é a elevação do consumo de álcool no delas é a Johnson & Johnson, que fechou parceria com a pe-
mercado interno, impulsionado pela frota em ascensão de troquímica brasileira Braskem para atender à linha regular de
carros flex. “O setor tem tido uma dinâmica muito forte protetores e bloqueadores solares e aos bronzeadores Sun-
de crescimento e isso é uma coisa boa para o País, pois down Gold. A Coca-cola, por sua vez, desenvolverá uma gar-
aumenta o emprego e a renda”, afirma. rafa pet com 30% da base do material proveniente da cana.
Um estudo realizado em 2008 pela Empresa de Pesquisa Esses são apenas alguns caminhos do infinito mercado reno-
Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia, vável que a planta está conquistando.Apesar disso, mesmo com
projeta que a demanda de etanol no País crescerá 150% essas oportunidades paralelas, o açúcar não deixa de ter sua
em 10 anos. Conforme a pesquisa, a frota de veículos leves representatividade. O produto, que está associado à história do
passará de 23,2 milhões, em 2008, para 37,5 milhões em Brasil desde o período colonial, deverá alcançar, na atual safra, o
2017. Em igual período, a parcela do flex aumentará de 29,6% patamar de 36,7 milhões de toneladas. O resultado, conforme
para 73,6%. Para que o Brasil dê conta dessa demanda, o Strapasson, representa cerca de 23% da produção mundial.
documento prevê a necessidade de expandir a capacidade
industrial em 246 usinas nos próximos 10 anos. INCREMENTO CONSTANTE NA FROTA DE
Na opinião do diretor do Departamento da Cana-de- CARROS FLEX É O PRINCIPAL FATOR DA
Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuá- ELEVAÇÃO NA DEMANDA POR ETANOL

DIFERENCIAL
mulação de políticas públicas visando de lançamento do estudo, “o Brasil
O etanol brasileiro ganhou este ano à expansão e à produção sustentável produzirá, a partir do Zoneamento
mais uma distinção.Agora, além de o País da cultura no território nacional. Os Agroecológico da Cana-de-Açúcar, um
dominar a técnica de produzi-lo com principais indicadores considerados combustível 100% verde”. As estima-
cana-de-açúcar, também é o pioneiro na elaboração foram a vulnerabilidade tivas do levantamento apontam para
em planejar a sua expansão, por meio do das terras, o risco climático, o poten- 64,7 milhões de hectares de áreas ap-
Zoneamento Agroecológico da Cana-de- cial de produção agrícola sustentável tas à expansão. Atualmente a cultura
Açúcar, lançado em setembro de 2009. e a legislação ambiental vigente. está presente em aproximadamente
O documento tem por objetivo Conforme frisou o ministro do Meio 8 milhões de hectares, representando
fornecer subsídios técnicos para a for- Ambiente, Carlos Minc, na cerimônia menos de 1% do território nacional.

14
Dança da chuva tacam apresentando elevação na colheita. O Rio Grande
do Norte liderou o ciclo 2008/09 com 3,2 milhões de
toneladas e apresenta perspectiva de acréscimo de 7,3%,
alcançando 3,5 milhões na nova temporada. A Bahia pro-
duziu 2,6 milhões de toneladas na safra anterior e, na atu-
relação ao ciclo passado, quando as lavouras ocuparam
900 mil hectares. Goiás lidera o ranking com 548,5 mil
hectares, 36,5% a mais que na etapa 2008/09. No panora-
ma nacional, o Estado de São Paulo se mantém no pódio,
com área de 4,192 milhões de hectares, alta de 8,85%
Apesar do registro de precipitações acima do al, deve atingir 2,8 milhões, 7,5% a mais. O Piauí projeta na comparação com o período anterior, quando cultivou

normal, colheita brasileira de cana-de-açúcar incremento de 9,4%, com produção de 985 mil toneladas,
ante as 900 mil colhidas na etapa 2008/09.
3,851 milhões de hectares.
No total, a área nacional de cana-de-açúcar na safra
pode atingir 629 milhões de toneladas As 25 novas usinas instaladas no Centro-Oeste tam-
bém impulsionaram o aumento da área cultivada, que to-
2009/10 é de 7,741 milhões de hectares. Conforme dados
da Conab, o resultado é 9,5% superior ao ciclo 2008/09,
taliza 1,093 milhão de hectares, crescimento de 21,4% em quando foram cultivados 7,070 milhões de hectares.
A lavoura brasileira de cana-de-açúcar enfrentou um ini- produção com perspectiva de processar 364,1 milhões de
migo natural na temporada 2009/10. Ao contrário de algu- toneladas, 6,2% a mais que na safra passada. A Conab des-
mas perspectivas, não é o reflexo da crise financeira que taca ainda o acréscimo na colheita de Goiás, equivalente O AMIGO INIMIGO colaborou para o aumento de 0,50% Além das boas condições climáticas
vai influenciar no resultado final do setor, mas o excesso de a 54,8%, Mato Grosso do Sul, com 30,1% a mais, Paraná, na produtividade nacional. na época do desenvolvimento das plan-
chuva, principalmente em setembro e outubro. 21,4% maior, e Minas Gerais, cuja elevação é de 16,1%. O A chuva, que é apontada como Na safra 2008/09, o rendimento tas, o Brasil desfruta de outras vanta-
Nesse período ocorre o pico da colheita na região Cen- principal motivo do bom desempenho está relacionado ao vilã, atrapalhando a moagem da ca- brasileiro foi de 80,8 mil kg/ha, en- gens que o destacam na produtividade
tro-Sul do País, que inclui os estados do Sudeste, do Sul trabalho de 25 novas usinas, inauguradas em 2009. na-de-açúcar, por outro lado foi res- quanto a expectativa para a nova tem- mundial. Entre elas estão o uso de no-
e do Centro-Oeste, respondendo por 90% da produção No Nordeste, o levantamento aponta para desempenho de ponsável pelo bom desempenho das porada é de 81,2 mil kg/ha. A região vas variedades, resultado da dedicação
nacional. Conforme levantamento da Companhia Nacional 61,9 milhões de toneladas, queda de 3,9% em relação à tempo- lavouras brasileiras. Segundo a Com- Sul lidera o ranking nacional com 86 e do estudo de pesquisadores; o avan-
de Abastecimento (Conab), o volume total será de apro- rada 2008/09, quando foram registradas 64,4 milhões de tone- panhia Nacional de Abastecimento mil kg/ha, seguida pelo Sudeste, cujo ço tecnológico e a visão empreende-
ximadamente 629 milhões de toneladas, 10% superior ao ladas. O motivo do decréscimo está relacionado às chuvas, que (Conab), as condições climáticas rendimento é de 85,4 mil kg/ha; e pelo dora do setor sucroalcooleiro, além de
ciclo anterior, que registrou 571,8 milhões de toneladas. atrapalharam a moagem no mês de agosto. favoreceram o desenvolvimento da Centro-Oeste, que deverá apresentar um programa governamental que guia
No cenário nacional, o estado de São Paulo lidera a Apesar do decréscimo regional, três estados se des- cultura. A intensidade das chuvas desempenho de 80,8 mil kg/ha. o País na liderança mundial do etanol.
Sílvio Ávila

18 19
Sílvio Ávila

SK&C
VERDES CAMPOS • LUSH FIELDS
Cana-de-açúcar - Comparativo de área, produtividade e produção - Safras 2008/09 e 2009/10
Área (Em mil ha) Produtividade (Em kg/ha) Produção (Em mil t)
Região
2008/09 2009/10 Var. % 2008/09 2009/10 Var. % 2008/09 2009/10 Var. %
Norte 22,5 23,1 2,60 65.258 67.354 3,20 1.468,3 1.555,2 5,90
RO 1,9 1,9 - 63.000 63.000 - 119,7 119,7 -
AM 3,9 3,9 - 80.500 80.720 0,30 314,0 314,8 0,30
PA 11,0 11,0 - 68.146 68.146 - 749,6 749,6 -
TO 5,7 6,3 10,30 50.000 59.000 18,00 285,0 371,1 30,20
Nordeste 1.052,6 1.043,9 (0,80) 61.197 59.304 (3,10) 64.416,8 61.904,4 (3,90)
MA 38,9 40,4 3,90 61.311 56.090 (8,50) 2.385,0 2.267,2 (4,90)
PI 13,1 13,2 0,76 68.718 74.600 8,60 900,9 985,5 9,40
CE 1,8 1,8 - 68.889 66.000 (4,20) 124,7 119,5 (4,20) INFORMAÇÕES SEGURAS, O TEMPO TODO,
RN 59,5 65,2 9,54 55.406 54.247 (2,10) 3.296,7 3.535,8 7,30
PB
PE
112,5
321,4
115,3
305,3
2,5
(5,00)
54.373
59.489
54.373
56.700
-
(4,70)
6.117,0
19.119,8
6.269,8
17.312,2
2,50
(9,50)
PARA O MERCADO DA CANA-DE-AÇÚCAR
AL 432,0 423,4 (2,00) 63.426 61.780 (2,60) 27.400,0 26.155,2 (4,50) Se o seu negócio é a cana-de-açúcar, a Agência Estado possui o maior e mais
SE 36,0 39,0 8,40 66.111 60.588 (8,40) 2.380,0 2.364,1 (0,70) confiável serviço de informações do País. Notícias das principais commodities
BA 37,4 40,2 7,50 71.997 72.000 - 2.692,7 2.895,1 7,50 mundiais (açúcar & álcool, soja, milho, café, boi, etc.), análises e cenários do
Centro-Oeste 900,8 1.093,4 21,40 73.834 80.888 9,60 66.510,1 88.442,5 33,00 mercado, política agrícola, créditos, acompanhamento do clima, previsão
MT 223,2 223,2 - 72.177 69.700 (3,40) 16.109,9 15.557,0 (3,40)
de safras, informações dos mercados: físico e de futuros (BM&F, NYBoT,
MS 275,8 321,7 16,65 75.251 83.900 11,50 20.755,0 26.993,1 30,10
CME, CBoT e Euronext / Liffe) e, o melhor de tudo, com a qualidade
GO 401,8 548,5 36,50 73.781 83.675 13,40 29.645,2 45.892,4 54,80
das informações que só o Grupo Estado pode oferecer.
Sudeste 4.568,3 4.956,0 8,5 86.486 85.423 (1,20) 395.094,5 423.353,5 7,20
MG 601,9 648,0 7,65 73.448 79.206 7,80 44.208,4 51.321,5 16,10 Para avaliar, antecipadamente, o que acontece
ES 65,2 66,0 1,20 67.776 65.829 (2,90) 4.419,0 4.343,4 (1,70)
no mercado da cana, assine AE Agronegócios,
RJ 50,0 50,0 - 71.126 71.126 - 3.556,3 3.556,3 -
a sua melhor safra de informações.
SP 3.851,2 4.192,0 8,85 89.040 86.863 (2,40) 342.910,8 364.132,3 6,20
Sul 526,6 624,7 18,60 84.163 86.065 2,30 44.320,1 53.768,5 21,30
PR 524,5 622,3 18,65 84.271 86.218 2,30 44.200,1 53.655,2 21,40
RS 2,1 2,4 15,20 57.150 46.826 (18,10) 120,0 113,3 (5,60)
Norte/Nordeste 1.075,1 1.066,9 (0,80) 61.282 59.478 (2,90) 65.885,1 63.459,6 (3,70)
Centro-Sul 5.995,7 6.674,1 11,30 84.381 84.740 0,40 505.924,7 565.564,5 11,8
Brasil 7.070,8 7.741,0 9,50 80.869 81.258 0,50 571.809,8 629.024,1 10,00
ENTRE EM CONTATO AGORA MESMO: Grande São Paulo (11) 3856-3500
Fonte: Conab - 2º Levantamento de Cana-de-Açúcar - Setembro 2009 Outras localidades 0800 011 3000 - atende.ae@grupoestado.com.br - www.ae.com.br

22
Sílvio Ávila

VANTAJOSA: Excelentes preços


do açúcar no mercado internacional
impulsionaram a produção no Brasil

SE EM 2009 O PREÇO
INTERNACIONAL DO
AÇÚCAR FOI O MAIOR
EM 30 ANOS, A QUEDA
NAS COTAÇÕES DEVE
COMEÇAR EM 2011

Espremendo
o álcool
Produção de açúcar deve aumentar 16%
O QUE É DOCE DURA POUCO

No início do segundo semestre de


2009, conforme o diretor do Depar-
dos atuais US$ 480/t para US$ 390/t;
no refinado, a cotação deverá passar
de US$ 540/t para US$ 490/t.”
A vantagem do setor sucroalcoo-
produção de álcool, conforme o levan-
tamento da Companhia Nacional de
Abastecimento (Conab), não deve inti-
midar os que apostam no combustível.
tamento da Cana-de-Açúcar e Agro- leiro brasileiro é que grande parte das Como principal fonte de consumo, os
nesta safra; porém, o álcool ainda demanda energia do Ministério da Agricultura, usinas são do tipo mista, permitindo automóveis bicombustíveis representam
Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ale- a produção tanto de álcool quanto 30% da frota nacional. “Temos cerca de
mais da metade da cana-de-açúcar brasileira xandre Strapasson, foram observados de açúcar conforme a melhor remu- 8,5 milhões de veículos flex em circula-
Historicamente, o álcool tem superado a produção de preços da commodity no mercado internacional. os maiores preços do açúcar no mer- neração. A longo prazo, no entender ção. Como o mercado externo do álcool
açúcar no Brasil. Mas na safra 2009/10, de acordo com a No entender do diretor do Departamento da Cana- cado internacional em quase 30 anos. de Strapasson, a cana tem tudo para ainda é incipiente e irregular, o fator que
Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a diferen- de-Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura, No entanto, há tendência de ocorrer se firmar como uma importante fon- deve continuar determinando o aumento
ça entre os dois principais produtos derivados da cana-de- Pecuária e Abastecimento (Mapa), Alexandre Strapasson, queda gradativa em 2011.“No caso do te de energia para o País. da produção doméstica é essa crescente
açúcar deve ser estreita. Na temporada 2008/09 foram 325,9 o mercado mundial de açúcar está enfrentando um ano açúcar bruto, o preço deverá passar O crescimento de apenas 4,79% na frota flex”, observa Strapasson.
milhões de toneladas de cana destinadas ao combustível, en- de déficit entre o consumo e a produção, mesmo tendo
quanto 241,5 milhões foram transformadas em açúcar. ocorrido avanço menos expressivo no consumo mun- USINAS EM VISTA culos flex-fuel e a competitividade em relação à gasolina.
Os números indicam que, no ciclo atual, o montante reser- dial por conta da crise global. Outro dado importante refere-se às exportações, que
vado ao álcool pode chegar a 348,5 milhões de toneladas, 55,5% Ele explica que, para o final de 2010, é projetado déficit O estudo “Perspectivas para o etanol no Brasil”, divulgado nos próximos anos devem passar do patamar atual, de
do total da planta processada, resultando em 27,8 milhões de da ordem de 8 milhões de toneladas, levando-se em conta em 2008 pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), institui- cerca de 4,2 bilhões de litros, para 8,3 bilhões em 2017.
litros. Para a obtenção do açúcar poderão ser utilizadas 280,4 a produção mundial de 167 milhões de toneladas e consu- ção do Ministério de Minas e Energia, estima que a demanda Para atender a toda essa demanda, interna e externa, a
milhões de toneladas de cana, 44,6% do total esmagado, renden- mo de 159 milhões. “Nos três últimos anos houve redução de etanol no País crescerá 150% nos próximos 10 anos. Em publicação projeta que será necessário expandir a capaci-
do 36,7 milhões de toneladas do produto. O resultado indica significativa dos estoques mundiais para compensar o dé- 2017, representará cerca de 80% do volume total de combus- dade industrial brasileira em 246 usinas nos próximos 10
aumento de 16% na produção brasileira de açúcar em relação ficit e isso deve manter o preço no mercado internacional tíveis líquidos consumidos nos veículos leves que não usam anos, sendo que, desse total, 44% estão implantadas ou se
ao período anterior, fato que está relacionado aos excelentes elevado”, destaca Strapasson. diesel, mantida a tendência de participação das vendas de veí- encontram em fase de construção.

24 25
campo de força
CANA REPARTIDA • DOUBLE PURPOSE SUGARCANE
Estimativa de produção e destinação da cana-de-açúcar - Safra 2009 (Em mil toneladas)
Região/UF Total Açúcar (%) Álcool (%)
Norte 1.555,2 478,9 30,8 1.076,3 69,2
RO 119,7 - 0,0 119,7 100,0
AM 314,8 157,3 50,0 157,5 50,0
PA 749,6 321,6 42,9 428,0 57,1
TO 371,1 - 0,0 371,1 100,0
Nordeste 61.904,4 34.715,1 56,1 27.189,3 43,9
MA 2.267,2 174,1 7,7 2.093,1 92,3
PI 985,5 591,3 60,0 394,2 40,0 O que o Brasil tem
CE
RN
119,5
3.535,8
-
1.996,6
0,0
56,5
119,5
1.539,8
100,0
43,6
de melhor aparece aqui
PB 6.269,8 1.809,5 28,9 4.460,3 71,1

ANUÁRIOS BRASILEIROS
PE 17.312,2 11.211,4 64,8 6.100,8 35,2
AL 26.155,2 17.288,6 66,1 8.866,6 33,9

DE AGRONEGÓCIO
SE 2.364,1 992,9 42,0 1.371,2 58,0
BA 2.895,1 651,4 22,5 2.243,7 77,5
Centro-Oeste 88.442,5 25.062,6 28,3 63.379,9 71,7
MT 15.557,0 3.794,4 24,4 11.762,6 75,6
MS 26.993,1 8.367,9 31,0 18.625,2 69,0
GO 45.892,5 12.900,4 28,1 32.992,0 71,9
Sudeste 423.353,5 194.424,2 45,9 228.929,3 54,1
MG 51.321,5 21.709,0 42,3 29.612,5 57,7
ES 4.343,4 734,0 16,9 3.609,4 83,1
RJ 3.556,3 2.222,7 62,5 1.333,6 37,5
SP 364.132,3 169.758,5 46,6 194.373,8 53,4
Sul 53.768,5 25.781,3 47,9 27.987,2 52,1
PR 53.655,2 25.781,3 48,1 27.873,9 52,0
RS 113,3 - 0,0 113,3 100,0
Norte/Nordeste 63.459,6 35.194,0 55,5 28.265,6 44,5
Centro-Sul 565.564,5 245.268,1 43,4 320.296,4 56,6
Brasil 629.024,1 280.462,1 44,6 348.562,0 55,4
Fonte: Conab - 2º Levantamento de Cana-de-Açúcar - Setembro de 2009
Sílvio Ávila

28
51. 3715-7904 anuarios.com.br
Sílvio Ávila

AVANTE: Quebra de safra na Índia não


impediu que oferta mundial de açúcar
superasse resultado do período anterior
MAKING PROGRESS: Decline in the
sugarcane crop in India did not prevent global sugar
offers from outdoing the previous year’s results

previsto em 305 milhões de toneladas de cana.


No que se refere à China, o departamento americano
prevê o processamento de 14,5 milhões de toneladas de
açúcar, sendo que a área de cana colhida pode alcançar a
1,62 milhão de hectares. Outro destaque do país asiático

Quatro pilares
é o consumo de açúcar natural, que no período 2009/10
deverá aumentar em 5%, impulsionado pelo crescimento
do mercado de bebidas e alimentos processados.
A Tailândia é o quarto país em destaque na projeção do
USDA. Em 2008, colheu 67 milhões de toneladas de cana,
6 milhões inferior ao total esperado, em virtude, principal-
ficando em 31,2 milhões de toneladas. mente, do menor uso de fertilizantes. No entanto, para o
Brasil, Índia, China e Tailândia representam 50% Nesse cenário destacam-se Brasil, Índia,Tailândia e China.
Juntos, os quatro países representam 50% da oferta mundial
período atual, os tailandeses apostam em recuperação, po-
dendo alcançar 7,5 milhões de toneladas de açúcar.
da produção mundial de açúcar, que deve atingir de açúcar e 59% das exportações. O Brasil aparece como O alerta do USDA fica por conta dos preços do pro-
maior produtor, com previsão de moer 605 milhões de to- duto. Por causa da queda no desempenho indiano, desde
159,9 milhões de toneladas na safra 2009/10 neladas de cana na safra 2009/10, o que deve resultar em janeiro os valores registram valorização. Ainda conforme
36,9 milhões de toneladas de açúcar, 23% do total mundial. a entidade, no período de um ano, aquele país deixou de
A faixa tropical do planeta concentra a maior parte da dial de açúcar equivalente a 159,9 milhões de toneladas, O USDA também destaca o continente asiático como ser um exportador líquido de 5,8 milhões de toneladas
produção mundial de cana-de-açúcar, que está estimada em com incremento de 11,2 milhões de toneladas frente ao responsável por 37% da produção mundial de açúcar. A para se tornar um importador, somando 1,8 milhão de
aproximadamente 1,5 bilhão de toneladas por safra, confor- ciclo 2008/09. O volume atual é praticamente o mesmo Índia, em segundo lugar no ranking global, deverá produ- toneladas adquiridas de outros países.
me a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). Os pa- previsto para o consumo, que deve ser de 159 milhões de zir 20,8 milhões de toneladas do produto, mesmo com os
CONTINENTE ASIÁTICO É RESPONSÁVEL
íses em desenvolvimento da América Latina, da África e do toneladas, um acréscimo de 1,5 milhão de toneladas em problemas climáticos enfrentados. Por consequência da
POR 37% DO AÇÚCAR PROCESSADO
Sudeste Asiático são os principais campos dessa cultura. relação ao ciclo 2008/09. As exportações estão previstas ausência de chuvas no período de inverno (dezembro e
NO MUNDO, ENQUANTO O BRASIL
Para o período 2009/10, o Departamento de Agricul- para movimentar 51,3 milhões de toneladas, sendo que janeiro), durante o estágio de maturação da gramínea nos
RESPONDE POR 23% DO VOLUME TOTAL
tura dos Estados Unidos (USDA) projeta produção mun- os estoques finais tiveram redução de 800 mil toneladas, principais estados produtores, o rendimento da moagem é

30 31
Sílvio Ávila

perfil
• Zoneamento
Agroecológico da
Cana-de-Açúcar

• Estados brasileiros
produtores de cana

• Ações em prol
do meio ambiente

profile
• Sugarcane Agro-
Ecological Zoning

• Brazilian sugarcane
producing states

• Environment-
oriented initiatives
34 35
Planejamento
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). vieira foram encaminhadas ao Congresso Nacional em for-
O zoneamento abrangeu, total ou parcialmente, 21 unida- ma de projeto de lei. Em 26 de novembro, a Instrução Nor-
des da federação. Ficaram de fora Acre,Amazonas, Rondônia, mativa nº 57, publicada no Diário Oficial da União, incluiu no

que sustenta
Roraima, Pará e Amapá, que pertencem ao bioma Amazônia, zoneamento 134 municípios de Alagoas, Bahia, Paraná, Rio
assim como partes do território dos estados de Mato Gros- Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe.
so, Maranhão, Tocantins e Goiás, por estarem incluídos nos A medida mostra-se relevante ao se considerar que na
biomas Amazônia e Pantanal e na Bacia do Alto Paraguai. reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), realizada
A decisão de proibir a expansão nessas regiões, no en- em novembro, ficou estabelecido que a concessão de crédito
tender do governo federal, é para garantir a produção de agroindustrial e rural a produtores e cooperativas de cana,
combustível 100% verde, sem desmatamento, queimadas voltado à expansão da produção e da industrialização, está
Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar seleciona e poluição. E por falar em queimadas, o trabalho consi- condicionada ao zoneamento. Da mesma forma, o recurso é

terras potenciais para expansão da cultura no Brasil derou o prazo até 2017 para o fim da prática. A proposta
permitirá a redução da emissão de gases do efeito estufa
vedado aos biomas onde a expansão do plantio é proibida.
Até 2017 o Brasil pretende passar de 7,741 milhões de
em medida equivalente a 6 milhões de toneladas de CO2, hectares cultivados com cana para 14 milhões de ha. O zo-
Com o objetivo de fornecer subsídios técnicos para a de hectares como de alto potencial produtivo; 41,2 milhões estimativa comparada ao emitido durante o ano de 2008. neamento terá papel importante na garantia de aceitação
formulação de políticas públicas visando à expansão e à como de médio; e 4,3 milhões como de baixo potencial.A ati- Entre os destaques do levantamento estão ainda a opção do etanol brasileiro no mercado internacional, servindo
produção sustentável da cana-de-açúcar no território na- vidade ocupa, atualmente, menos de 8 milhões de hectares. por áreas que não necessitam de irrigação plena e economi- como diferencial para o produto.
cional, o governo brasileiro divulgou, no mês de setembro, O estudo foi solicitado pelo presidente Luiz Inácio Lula da zam recursos, como água e energia; a adoção de terras com
BRASIL TEM 64,7 MILHÕES DE HECTARES
o Zoneamento Agroecológico para a cultura. Silva e coordenado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agro- declividade igual ou inferior a 12%, que permitem mecaniza-
APTOS À AMPLIAÇÃO DO CULTIVO DA
A iniciativa, inédita no mundo, mostra que o País dispõe pecuária (Embrapa). Contou ainda com a participação de ou- ção; e o estímulo à utilização de regiões degradadas ou de
CANA-DE-AÇÚCAR, HOJE PRESENTE EM
de 64,7 milhões de hectares de áreas aptas à expansão do tras instituições, como Companhia Nacional de Abastecimen- pastagens para implantação de novos projetos.
MENOS DE 8 MILHÕES DE HECTARES
cultivo da planta. Desse total, foram classificados 19,3 milhões to (Conab), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e As novas regras para a expansão da agroindústria cana-
Sílvio Ávila

DE FORA: Amazônia, Pantanal, Bacia do


Alto Paraguai e áreas com cobertura vegetal
estão proibidas de receber a canavicultura

36 37
Fora de área
NA BRIGA Juara - MT, conduzida por sua equipe. de alimentos, fibras e energia.”
Os dados do estudo mostram lavouras Conforme Vitti, para a expansão da
O primeiro passo do setor sucroal- de cana em Juara com produtividade de cana não há necessidade de ocupação
cooleiro mato-grossense na busca por 150 mil kg/ha no primeiro corte, equiva- de locais de preservação ambiental. “Só
modificações no Zoneamento Agro- lente a uma produção de cerca de 22 na região de Juara são 107 mil hectares
ecológico foi dado com a realização mil quilos de açúcar ou 14 mil litros de de áreas de pastagens disponíveis para a
de uma audiência pública, no início de álcool por hectare. Chama a atenção agricultura. Não é preciso derrubar uma
Delimitação das regiões para a expansão outubro, na Assembleia Legislativa de ainda o rendimento por área no Estado, única árvore”, destaca. Além disso, há
Mato Grosso, em Cuiabá. O evento equivalente a 91 mil kg/ha, acima dos 80 excelentes condições agronômicas de
da cana-de-açúcar gerou reclamações contou com a presença do cientista mil kg/ha registrados em São Paulo e cultivo, como solos profundos, com boa
de solo e professor da Escola Superior dos 73 mil kg/ha da média nacional. No retenção de água, e planos, viabilizando
por parte do setor produtivo atingido de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/ entender de Vitti, o potencial da cana operações mecanizadas. Soma-se a isso
USP) Godofredo Vitti, que na ocasião no Estado não pode ser anulado. “É um o clima propício, em termos de tempe-
A proibição de expandir a cultura da cana-de-açúcar apresentou o resultado da pesquisa absurdo o que estão fazendo, pois o ratura e luminosidade, e precipitações
na Amazônia, no Pantanal e na Bacia do Alto Paraguai não Comportamento de variedades de cana- Mato Grosso é o Estado mais promissor pluviais de aproximadamente 2.500 mm
alegrou o setor produtivo dessas regiões. Em Mato Gros- de-açúcar no Vale do Sangue, município de do Brasil do ponto de vista de produção (o dobro da exigência da cultura).
so, um dos estados mais restringidos pelo Zoneamento
Agroecológico, 115 municípios desenvolvem a atividade

Sílvio Ávila
canavieira, gerando 16,7 mil empregos diretos e 66,8 mil
indiretos, conforme estimativa do Sindicato das Indústrias
Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindálcool).
Para o diretor executivo da entidade, Jorge dos San-
tos, uma perda imediata para o Estado pode ser a do
investimento, já anunciado, na região de Tangará da Serra.
“São quase R$ 3 bilhões, em três unidades, para as quais
só falta a aprovação”, ressalta. Ele também acredita que
as usinas em funcionamento serão extremamente preju-
dicadas. “Além de não poder expandir a área, serão ta-
xadas por estarem produzindo em local proibido. Dessa
forma, não terão um produto competitivo.”
A tendência prevista com o zoneamento é de que no-
vos investimentos migrem para Goiás. De acordo com
levantamento da Companhia Nacional de Abastecimen-
to (Conab), na atual safra esse Estado deve apresentar
acréscimo de 54,8% na produção.
Conforme Santos, os produtores de Mato Gosso de-
fendem a preservação por meio de determinações cientí-
ficas. “Vamos tentar alterar esse projeto com argumentos
científicos. Estamos nessa região há 26 anos e nunca houve
um incidente ambiental. Não entendemos por que a ativi-
dade foi proibida do dia para a noite.” Ele ainda frisa que o
Estado é uma espécie de prêmio ambiental para o Brasil.
“Tem ficado claro que o Mato Grosso está sendo um tro-
féu na área de meio ambiente. Temos que preservar, mas
com decisões científicas e não com atos de força.”

ATIVIDADE CANAVIEIRA GERA 16,7


MIL EMPREGOS DIRETOS E 66,8 MIL
INDIRETOS EM MATO GROSSO

40 41
Sílvio Ávila

Centralized
Brazilian Center-South A FATIA DE CADA UM • EVERYONE’S SHARE
Ranking dos 10 principais produtores
region is responsible for nacionais de cana-de-açúcar - Safra 2009
Estado Área (Em mil ha) Produção (Em mil t)
90 percent of the entire São Paulo 4.192,0 364.132,3
Paraná 622,3 53.655,2
national sugarcane production Minas Gerais 648,0 51.321,5
Goiás 548,5 45.892,4
Mato Grosso do Sul 321,7 26.993,1
According to surveys by the National Supply Com-
pany (Conab), the Center-South region is by far the Alagoas 423,4 26.155,2
biggest producer of sugarcane in the 2009/10 crop. The Pernambuco 305,3 17.312,2
565.5 million tons processed represent 90 percent of Mato Grosso 223,2 15.557,0
the entire national volumes, a mark not to be out- Paraíba 115,3 6.269,8
SEM NOVIDADE: São Paulo segue sendo o stripped by any other region. The survey reveals a rise Espírito Santo 66,0 4.343,4

Concentrado
Estado líder na produção canavieira do Brasil of 11.8 percent in volume from the previous year. Fonte: Conab - Levantamento realizado em setembro de 2009

The following states are the leading producers in


Brazil: São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso
do Sul, Paraná and Minas Gerais. São Paulo is in the
lead, with the perspective to process 364 million tons.
Goiás, on the other hand, shows the biggest progress,
some 54.8 percent, jumping from 29.6 million tons in
Região Centro-Sul brasileira é responsável por 2008 to about 45.8 million in 2009.
In the Northeast, from Conab data, the forecast is
90% da colheita nacional de cana-de-açúcar for a reduction in volume, down 3.7 percent from 2008,
mainly due to a reduction of 0.8 percent in planted
A liderança brasileira na produ- Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pa- redução de 0,8% na área a ser colhida, area, along with 2.9-percent lower productivity rates.
ção de cana-de-açúcar segue com a raná e Minas Gerais. A liderança é ocu- acompanhada da queda da produtivi- The reasons for the retraction, according to the com-
região Centro-Sul na safra 2009/10, pada por São Paulo, cuja perspectiva é dade no campo, de 2,9%. Os motivos pany, are related to the financial difficulties now faced
conforme levantamento da Com- de processar aproximadamente 364 mi- da retração, no entender da compa- by some units and poor cultural practices, particularly
panhia Nacional de Abastecimen- lhões de toneladas. Goiás, por sua vez, nhia, estão relacionados às dificuldades in the regions of independent growers.
to (Conab). Tendo em vista que as apresenta o maior crescimento, com financeiras pelas quais estão passando
565,5 milhões de toneladas pro- cerca de 54,8%, passando das 29,6 mi- algumas unidades e as consequências,
cessadas representam 90% da pro- lhões de toneladas produzidas em 2008 sobre os canaviais, dos tratos culturais FINANCIAL DIFFICULTIES AND POOR
dução nacional, pode-se dizer que para 45,8 milhões de t em 2009. insuficientes, especialmente naqueles CULTURAL PRACTICES HAVE LED
é uma marca difícil de ser vencida No Nordeste, segundo dados da de produtores independentes. TO AREA AND PRODUCTIVITY
por outra região. A análise revela Conab, a estimativa é REDUCTIONS IN THE NORTHEAST
DIFICULDADES FINANCEIRAS E
aumento de 11,8% no volume em de recuo na produção.

Sílvio Ávila
TRATOS CULTURAIS INSUFICIENTES
relação ao período anterior. A região deverá pro-
LEVARAM À REDUÇÃO NA ÁREA E NA AS USUAL: São Paulo is still the leading
No ranking dos principais estados duzir 3,7% a menos
PRODUTIVIDADE DO NORDESTE sugarcane producer in Brazil, while the state
produtores estão São Paulo, Goiás, que em 2008 devido à
of Goiás has made the biggest advances

44 45
Quando a cana VALIOSA A expansão do plantio de
cana-de-açúcar em Goiás refletiu-se
em investimentos para o Estado. O
ranhão, com duas; e o Grupo Ipojuca,
com uma. O Grupo Japungu, da Paraí-
ba, instalou outras duas empresas.
participação de novos players, como
a British Petroleum (BP), em socie-
dade com o Grupo Maeda e a San-

redescobre Goiás
presidente executivo do Sifaeg, André A segunda fase, entre 2003 e 2005, telisaVale, a Companhia Nacional
Rocha, aponta dados que mostram o caracterizou-se pela chegada de gru- de Açúcar e Álcool (CNAA), a ETH
avanço do setor nos últimos 10 anos. pos tradicionais de São Paulo, como Bioenergia e a Brenco — Compa-
“Tínhamos 12 empresas em 1999, 17 São João, São Martinho, Cerradinho, nhia Brasileira de Energia Renovável,
em 2007, e hoje temos 33 unidades Cosan e SantelisaVale (atual LDC- além de projetos anunciados pela
produzindo em nosso Estado.” Ele SEV), esta em parceria com o Maeda. Petrobras Biocombustíveis. “O setor
Levantamento da Conab indica aumento acrescenta que, em um primeiro mo-
mento, a partir de 1999, aportaram na
A esse período seguiu-se o da amplia-
ção e o de novas iniciativas de grupos
sucroenergético foi o que mais in-
vestiu nos últimos cinco anos no Es-
equivalente a 54,8% na produção goiana região empresas que produziam no estabelecidos em Goiás, como o Vale tado e deve ser o que mais investirá
Nordeste do País. De Pernambuco do Verdão, hoje com três unidades. nos próximos três anos. Pelo menos
de cana-de-açúcar na safra 2009/10 vieram o Grupo Farias, com a instala- A terceira onda, conforme Rocha, quatro empresas  entrarão em ope-
ção de quatro unidades; o Grupo Ma- está ocorrendo atualmente com a ração em dois anos”, adianta.

O mapa dos canaviais no Brasil não sofre grandes alte- tornamos o segundo maior produtor de etanol do País, com
rações há muito tempo. A cultura, que chegou ao País ainda produção de mais de 2,1 bilhões de litros”, destaca. UM BOM LUGAR o maior fator de competitividade que o Estado apresenta
no período colonial, logo conquistou a graça dos fazendei- Outro fator que pode definir a expansão da cultura em para apoiar a instalação de indústrias em áreas de expan-
ros e se alastrou, principalmente pelo interior do Estado Goiás é o Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar, Entre os motivos que tornam Goiás atraente para in- são econômica”, observa o secretário.
de São Paulo, atualmente principal produtor nacional. No anunciado em setembro de 2009 pelo governo federal. O vestimentos, de acordo com o presidente executivo do Entre as novidades ele destaca a parceria entre a Fede-
entanto, a safra 2009/10 reserva algumas surpresas para a estudo proíbe o plantio na Amazônia, no Pantanal e em Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado ração das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), a Federação
história da canavicultura brasileira. áreas destinadas à preservação ambiental. Em função disso, de Goiás (Sifaeg), André Rocha, estão as terras planas e da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e a Seagro, que
Conforme levantamento da Companhia Nacional de na opinião do secretário da Agricultura, Pecuária e Abas- mais baratas que as de São Paulo, o clima adequado e os caminha para a instalação do Conselho Deliberativo da
Abastecimento (Conab), o grande destaque no desempe- tecimento do Estado de Goiás, Leonardo Veloso, resta aos incentivos fiscais. “Isso dá competitividade ao setor devido Cana-de-Açúcar (Consecana), que propiciará condições de
nho fica com Goiás, que deverá apresentar crescimento investidores migrarem para o Centro-Oeste. “A região aos custos para o escoamento da produção”. acompanhamento de todos os assuntos relacionados ao
na produção equivalente a 54,8%. Com esse percentual, o possui a maior extensão de Cerrado com grande área de Quem compartilha a opinião é o secretário da Agricul- setor, dando segurança em termos de preços de mercado.
Estado passa das 29,6 mil toneladas produzidas em 2008 pastagens degradadas, propícias ao plantio e com infraes- tura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Goiás, Le- “O Consecana é um conselho composto por representan-
para 45,8 mil toneladas em 2009. trutura extremamente adequada ao escoamento, mas de- onardo Veloso, explicando que o Programa Produzir per- tes dos produtores rurais de cana-de-açúcar e da indústria.
No entender do presidente executivo do Sindicato da In- pendendo da viabilização do alcoolduto para exportação”. mite às indústrias sucroalcooleiras reter 27% do Imposto O seu principal objetivo é estabelecer e divulgar valores de
dústria de Fabricação de Álcool do Estado de Goiás (Sifaeg), sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços referência para a livre comercialização da matéria-prima
RESTRIÇÕES DO ZONEAMENTO (ICMS) gerado pela produção a título de capital de giro. “É entre os produtores rurais e a indústria”, explica Veloso.
André Rocha, a estimativa da instituição é de aumento de
AGROECOLÓGICO PARA O PLANTIO DE
35% no montante colhido. “A antecipação do período chu-
CANA TORNA O CENTRO-OESTE UMA ATRAENTE: Disponibilidade de terras e
voso e o atraso na entrada em operacão de algumas unida-
BOA OPÇÃO DE INVESTIMENTO incentivos fiscais ajudaram a elevar de 12 para 33
des não permitiram um crescimento maior. Nesta safra, nos
o número de usinas no Estado em 10 anos

Sílvio Ávila
46 47
Baixou a fumaça An end to
Adesão ao Protocolo Agroambiental, que acelera o
processo de colheita crua em São Paulo, é de 80% das
field burning
Adhesion to Agro-Environmental Protocol, which speeds up
usinas e 100% das associações de fornecedores de cana the green sugar cane harvesting process in São Paulo, reach-
Com a perspectiva de processar 364,1 milhões de to-
neladas de cana-de-açúcar, o Estado de São Paulo lidera a
referindo-se ao processo de colheita crua nos canaviais pau-
listas. Conforme dados do programa Etanol Verde, do qual
es 80 percent of the mills and 100 percent of the suppliers
produção brasileira. Mas não é só nesse quesito que os pau- Viegas é gerente, a evolução da colheita crua no Estado pas- Expecting to process 364.1 million tons of sugarcane, to the green sugarcane harvest process in São Paulo.According
listas se destacam. No que se refere a cuidados com o meio sou de 34,2%, na safra 2006/07, para 49,1% no ciclo 2008/09. the state of São Paulo is Brazil’s biggest producer. None- to data released by the Green Ethanol program, coordinated by
ambiente eles também têm bons exemplos. A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) reforça a theless, São Paulo does not only stand out for its produc- Viegas, green sugarcane harvesting evolved from 34.2 percent
Uma das principais preocupações do setor sucroalcooleiro, as afirmação acrescentando que, na temporada 2008/09, do tion volumes, but also for its concern with the environ- in the 2006/07 crop to 49.1 percent in 2008/09.The Sugarcane
queimadas têm prazo definido para acabar em São Paulo: 2014 total de 3,9 milhões de hectares de área colhida, a mecaniza- ment, where it sets good examples. Industry Union (Unica) reinforces this affirmation and adds that,
nas áreas mecanizáveis e 2017 naquelas que não comportam ção avançou em 157 mil hectares se comparada ao período Sugarcane field burnings, a major concern of the sugar and in the 2008/09 crop, of the total 3.9 million hectares, mechani-
maquinário. Por meio do Protocolo Agroambiental, firmado em 2007/08, correspondendo a mais de 2 milhões de hectares. alcohol sector, have a deadline stipulated by law to end: 2014 in zation advanced 157 thousand hectares from the 2007/08 sea-
junho de 2007 entre a Organização de Plantadores de Cana da No entanto, não é apenas a redução das queimadas que ale- the mechanized areas and 2017 in areas where the use of ma- son, corresponding to more than 2 million hectares.
Região Centro-Sul do Brasil (Orplana) e o governo estadual, as gra Viegas. Para aderir ao Protocolo Agroambiental, os interes- chinery is unviable. Through the Agro-Environmental Protocol, Furthermore, it is not only a reduction in field burnings
datas de 2021 (áreas mecanizáveis) e 2031 (não mecanizáveis), sados devem seguir uma conduta agroambiental, sendo uma das signed in June 2007 between the South-Central Brazil Sugar- that makes Viegas rejoice. To adhere to the Agro-Environ-
definidas pela lei estadual 11.241/2002, foram antecipadas. funções do Etanol Verde fiscalizar e acompanhar periodicamen- cane Growers Association (Orplana) and the state government, mental Protocol, an agro-environmental conduct is required,
“Queimada é coisa do passado”, resume o diretor do De- te o cumprimento das diretivas.“Atualmente, a adesão abrange the deadlines 2021 (mechanized areas) and 2031 (non-mecha- and compliance with the directives is regularly monitored
partamento de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria 80% das usinas e 100% de associações de fornecedores; ou seja, nized), stipulated by State Law 11.241/2002, were anticipated. by the Green Ethanol program.“Currently, adhesion reaches
do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Ricardo Viegas, 95% da moagem de São Paulo está no protocolo”, destaca. “Burnings now belong to the past”, comments Ricardo Vie- 80% of the mills and 100% of the supplier associations, that
gas, director of the Sustainable Development Department, a di- is to say, 95% of all sugarcane processing in São Paulo re-
BEM CUIDADO Outras metas do planos de ação. “As unidades agroindus- Verde estão a elaboração do Atlas vision of the São Paulo State Environment Secretariat, referring mains under the umbrella of the protocol”, he stresses.
Etanol Verde são a demarcação e a re- triais certificadas pelo Protocolo Agro- Ambiental do Zoneamento Agroam-
cuperação de 300 mil hectares de mata ambiental comprometeram-se com a biental e a renovação dos certificados WELL CARED FOR Another target verified at field level. “The agroindustrial 2009 and 2010, include an Environmental
ciliar nas lavouras canavieiras. O gerente recuperação de 175.640 hectares de de licença dos que aderiram e cumpri- by Green Ethanol is the demarcation complexes certified by the Agro-Envi- Atlas of the Agro-Environmental Zoning
do projeto, Ricardo Viegas, conta que mata ciliar e os fornecedores de cana- ram as metas. Faz parte do trabalho and recovery of 300 thousand hectares ronmental Protocol have undertaken to program and the renewal of the license
atualmente é feito acompanhamento, de-açúcar, com 51.310 hectares.” ainda a atuação nas diretivas, como o of streamside forests in the sugarcane recover 175,640 hectares of streamside certificates of those who adhered and
análise e verificação em campo do cum- Na lista das ações previstas para programa de redução de água e con- fields. The manager of the project, Ri- forests, while the sugarcane suppliers are complied with the targets. Also part of
primento das diretivas estabelecidas nos 2009 e 2010 no programa Etanol taminação por vinhaça. cardo Viegas, mentions that at present supposed to recover 51,310 hectares.” the work is the enforcement of the direc-
the compliance with the directives and The list of the Green Ethanol pro- tives, like the water reduction program
action plans is monitored, checked and gram initiatives to be carried out over and molasses-induced contamination.
Inor /Ag. Assmann

50 51
Renewed future
Sílvio Ávila

Sugarcane sector launches project intended


to qualify 7 thousand workers a year
The deadline for the end of sugarcane field burning and the
soaring mechanization trend in Brazil brought about a concern
in the sector: to relocate thousands of workers. Responsible
for 800 thousand direct jobs throughout the Country, in 2009
the production chain is launching the biggest training and re- ALTERNATIVA: Formação treinará cortadores de cana
qualification project ever implemented in the world. em atividades mais especializadas e de maior valor agregado
The target of the Renewal Project is to train and qualify ALTERNATIVE: Training is for qualifying sugar-
seven thousand workers and community members for ac- cane cutters in specialized and value added activities
tivities in the mills and other sectors. The courses available

Futuro renovado
include the positions of sugarcane driver, harvester opera-
tor, harvester electrician, mechanics for tractors and weld-
ers. The re-qualification options include such alternatives
as reforestation, bee keeping, vegetable gardens, craftsman-
ship, computer science, hotel services and sewing.
An executive committee, integrated by representatives

Setor canavieiro lança projeto com objetivo from entities and partnership companies is in charge of
coordinating the program, which is sponsored by Case IH,
de qualificar 7 mil trabalhadores por ano Syngenta and John Deere, and support comes from the
Inter-American Development Bank (IDB).
O prazo para o fim das queimadas das alternativas são apicultura e reflo- maior valor agregado. Assim, estamos One of the first activities of the project consisted in
e a crescente mecanização das lavou- restamento, horticultura, artesanato, trabalhando para que essas pessoas auctioning a Magnum 305 tractor, donated by Case IH.
ras de cana-de-açúcar no Brasil trou- computação, hotelaria e costura. possam ter atividades mais especializa- The proceeds are for starting the courses. Ari Kempenich,
xeram à tona uma preocupação para o Um comitê executivo, integrado por das, com maior possibilidade de cresci- marketing manager of the company, considers it a great
setor: a recolocação da mão-de-obra. representantes de entidades e empresas mento profissional”, destaca. honor to take part in such a project. “The interest owes
Responsável pelo emprego direto de parceiras, coordena o programa. O pa- Em relação às expectativas do pro- its origin to the chance of training sugarcane cutters in
aproximadamente 800 mil pessoas no trocínio é de Case IH, Syngenta e John jeto, ele frisa que é a oportunidade areas of higher added value. We are therefore working to
País, a cadeia produtiva lança em 2009 Deere e o apoio é do Banco Interame- de dar uma vida melhor aos antigos give these people specialized activities, where professional
o maior programa de treinamento e ricano de Desenvolvimento (BID). cortadores nos mais diversos setores progress is at hand”, he stresses. With regard to the proj-
qualificação já implantado no mundo. Uma das primeiras atividades do da economia e ao mesmo tempo pre- ect’s expectations, he insists it is the chance to provide
O Projeto Renovação tem por ob- projeto foi a realização do leilão de um pará-los para utilizar máquinas agríco- better living conditions for the former sugarcane cutters
jetivo treinar e requalificar, por ano, trator Magnum 305, doado pela Case las, aumentando a produtividade. “O in different sectors of the economy, while preparing them
7 mil trabalhadores e integrantes das IH. Com a renda será possível iniciar os projeto é bom para os profissionais, to deal with agricultural machinery, boosting the produc-
comunidades para atividades dentro cursos. Para o gerente de marketing da para as empresas e para a produtivida- tivity rates. “The project is good for the professionals, for
das usinas e em outros setores. En- empresa, Ari Kempenich, é uma grande de da cana-de-açúcar, do etanol e do the companies and for increasing the productivity levels of
tre os cursos oferecidos estão os de honra partipar de tal projeto. “O inte- açúcar”, observa Kempenich. sugarcane, ethanol and sugar”, Kempenich observes.

Sílvio Ávila
motorista canavieiro, operador de co- resse surgiu da pos-
CADEIA PRODUTIVA DA CANA-DE- SUGARCANE CHAIN EMPLOYS
lheitadeira, eletricista de colheitadei- sibilidade de treinar
AÇÚCAR EMPREGA DIRETAMENTE DIRECTLY AROUND 800 THOUSAND
ra, mecânico de tratores e soldadores. cortadores de cana
CERCA DE 800 MIL PESSOAS NO BRASIL PEOPLE IN BRAZIL
Na opção de requalificação, algumas em atividades com

52 53
Forças aliadas Joining efforts

Sílvio Ávila
Catorze entidades brasileiras, entre elas Fourteen Brazilian entities, including
algumas do setor sucroalcooleiro, unem-se some of the sugar and alcohol sector,
em prol do combate às mudanças climáticas join efforts to fight climate changes

Com o objetivo de contribuir com propostas para as meio de estudos e dados, a realidade do País. With the objective towards the bids Orplana, Ismael Perina Júnior, the target of renewable sources that represent ap-
negociações ligadas à Convenção Quadro das Nações Uni- Atualmente, o foco do grupo é a agenda que o governo fede- for negotiations linked to the United of the alliance is to lend support to the proximately 28% of the entire national
das sobre Mudanças Climáticas, 14 entidades brasileiras do ral está defendendo nas negociações globais e que culminarão Nations Framework Convention on Brazilian government in environmental energy matrix. The group’s stances are
agronegócio, de florestas plantadas e de bioenergia forma- na 15ª Conferência das Partes da Convenção (COP 15), agen- Climate Change, fourteen Brazilian debates. “Brazil has been accepting ev- presented in two different ways – one
ram a Aliança Brasileira pelo Clima. dada para dezembro de 2009 em Copenhague, na Dinamarca. entities of the sectors of agribusiness, erything in these debates because the that includes recommendations linked
Entre elas estão as ligadas ao setor sucroalcooleiro, A contribuição dos setores que formam a aliança é traduzida planted forests and bioenergy set up Country’s delegates often travel totally with the international standards, which is
como Associação de Produtores de Álcool e Açúcar do no potencial de fontes de energia renovável que representam – the Brazilian Climate Alliance. unprepared, lacking technical informa- to be defined by the negotiations in the
Estado do Paraná (Alcopar), Associação dos Produtores de aproximadamente 28% de toda a matriz energética nacional. Among them there are entities of the tion”. For this reason, a group of people scope of the Climate Convention, and
Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Organização Os posicionamentos do grupo são apresentados por duas sugar and alcohol sector, like the Asso- are to go with those representatives on the other comprises recommendations
dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil vias — uma de recomendações ligadas ao regime internacional, ciation of Sugar and Alcohol Producers their travels in order to depict the Brazil- for internal actions in Brazil.According to
(Orplana), Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool que deverá ser definida pelas negociações no âmbito da Con- of the State of Paraná (Alcopar), the As- ian reality through studies and data. the director of Unica’s Corporate Com-
no Estado de Minas Gerais (Siamig), Sindicato da Indús- venção do Clima, e outra de recomendações para ações no sociation of Energy Producers of Mato Nowadays the group is focused on the munication, Adhemar Altiere, all works
tria de Fabricação de Álcool do Estado de Goiás (Sifaeg) e plano interno brasileiro. Conforme o diretor de Comunicação Grosso do Sul (Biosul), Organizaation agenda the Brazilian government is pro- with the Brazilian government started in
União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). Corporativa da Unica, Adhemar Altiere, os trabalhos junto ao of the Sugarcane Producers in Brazil’s posing for the global negotiations, which October at a meeting where nine studies
Conforme explica o presidente da Orplana, Ismael Peri- governo federal iniciaram-se em outubro, com um encontro Center-South Region (Orplana), Alco- will reach their peak at the 15th Confer- of the sugarcane sector were presented.
na Júnior, a aliança tem como meta dar suporte ao governo de apresentação de nove estudos do setor canavieiro. hol Manufacturing Industry Union of the ence of the Parties (COP 15),
SECTORS COMPRISED BY THE
brasileiro nas discussões ambientais. “O que tem aconte- State of Minas Gerais (Siamig), Alcohol scheduled for Copenhagen,
SETORES QUE FORMAM A ALIANÇA BRAZILIAN CLIMATE ALLIANCE
cido é que o Brasil está aceitando tudo nessas discussões Manufacturing Industry Union of the Denmark, in December 2009.
BRASILEIRA PELO CLIMA REPRESENTAM REPRESENT 28 PERCENT OF
porque muitas vezes viaja despreparado, sem informações State of Goiás (Sifaeg) and the Sugarcane The contribution of the sec-
28% DA MATRIZ ENERGÉTICA NACIONAL THE NATIONAL RENEWABLE
técnicas”. Por esse motivo, um grupo deve acompanhar re- Industry Union (Unica). tors that make up the alliance
DE FONTES RENOVÁVEIS RESOURCES ENERGY MATRIX
presentantes governamentais em viagens para mostrar, por According to the president of the is translated into the potential

54 55
Carbon credits
Sílvio Ávila

According to a survey of the sugar and energy sector, Brazil


ranks third on the list of the countries that trade credit carbons
The Brazilian study Mapping and Quantification of the Sugar dace) and from the Sugarcane Union Industry (Unica).
and Energy Sector reveals important facts about the carbon According to the study, Brazil’s involvement in the carbon
market. Published in September 2009, the paper maintains credits market is through the Clean Development Mechanism
that in 2008 Brazil ranked third on the list of carbon traders, (CDM), once it is the only mechanism of the Kyoto Protocol
with a 3 percent share of global trading, coming only after which allows for the volunteer participation of developing
China and India, which, occupied the first and second posi- countries. According to the data, of the 68 Brazilian projects
tions, with 84 and 4 percent of all global sales, respectively. registered by the United Nations Framework Convention on
Total amounts negotiated in 2008 are estimated at 389 million Climate Change (UNFCCC), 24 come from the sugar and
tCO2e, equivalent to US$ 6.519 million. energy sector, which generate an estimated annual reduction
The survey was conducted by Marcos Fava Neves, coordinator of 473.94 thousand tCO2e, worth US$ 3.48 million in 2008.
of the Research and Projects Center on Marketing and Strategy
CLEAN DEVELOPMENT MECHANISM
(Marketstrat), and byVinícius Gustavo Trobin and Matheus Alberto

Créditos ao carbono
(CDM), CREATED BY THE KYOTO
Consoli, both researchers at the center. Besides the Marketstrat,
PROTOCOL, ALLOWS BRAZIL TO
the work also received support from the Foundation for Research
JOIN THE CARBON MARKET
and Administration,Accounting and Economic Development (Fun-

Levantamento sobre o setor sucroenergético


aponta o Brasil como o terceiro país na lista
dos que comercializam créditos de carbono
O estudo brasileiro Mapeamento Marcos Fava Neves, coordenador do Mecanismo de Desenvolvimento Lim-
e Quantificação do Setor Sucroenergéti- Centro de Pesquisa e Projetos em Ma- po (MDL), por ser o único mecanismo
co revela dados importantes sobre o rketing e Estratégia (Markestrat), de do Protocolo de Quioto que permite
mercado de carbono. Publicado em Vinícius Gustavo Trombin e de Matheus a participação voluntária de países em
setembro de 2009, o trabalho afirma Alberto Consoli, ambos pesquisadores desenvolvimento. Conforme os dados,
que o Brasil, em 2008, ocupava o ter- do centro. Além do Markestrat, o traba- dos 68 projetos brasileiros registrados
ceiro lugar na lista de países vende- lho também contou com apoio da Fun- pela United Nations Framework Conven-
dores de créditos de carbono, com a dação para Pesquisa e Desenvolvimento tion on Climate Change (UNFCCC), 24
parcela de 3% desse comércio mun- da Administração, Contabilidade e Eco- são do setor sucroenergético, os quais
dial. Ficava atrás apenas da China e da nomia (Fundace) e da União da Indús- geram uma redução anual estimada em
Índia que, respectivamente, ocupavam tria de Cana-de-açúcar (Unica). 473,94 mil tCO2e, avaliadas em US$
o primeiro e o segundo lugares com Conforme o estudo, a atuação do 3,48 milhões em 2008.
84% e 4% das vendas globais. O mon- Brasil no mer-
tante total negociado em 2008 é es- cado de Cré- MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO
timado em 389 milhões de tCO2e, o ditos de Car- LIMPO (MDL), ESTABELECIDO PELO
equivalente a US$ 6,519 milhões. bono ocorre PROTOCOLO DE QUIOTO, PERMITE AO BRASIL
O levantamento é de autoria de por meio do PARTICIPAR DO MERCADO DE CARBONO

56
Sílvio Ávila
açúcar
sugar

Doce como açúcar SACAS CHEIAS • FULL SACKS


Estimativa de produção de açúcar

Produto ganhou espaço na safra 2009/10, aumentando de Região/UF


Cana-de-açúcar destinada ao açúcar (Em mil t)
Safra 2008 Safra 2009 Var. (%)
Açúcar (Em mil t)
Safra 2008 Safra 2009 Var. (%)
40,6% para 43,4% a sua participação no destino da cana NORTE 494,3 478,9 (3,12) 53,3 51,5 (3,31)
AM 172,7 157,3 (8,91) 16,5 14,8 (10,52)
A situação climática adversa durante os meses com lhões de toneladas, 9,7% superior ao período anterior, PA 321,6 321,6 (0,01) 36,8 36,8 (0,8)
maior volume de moagem da cana-de-açúcar – entre mas menor que a projeção inicial da entidade, que era NORDESTE 35.248,4 34.715,1 (1,51) 4.494,6 4.486,8 (0,17)
julho e outubro – não foi suficiente para prejudicar a de 31,2 milhões de toneladas. MA 186,0 174,1 (6,39) 24,8 22,3 (10,8)
produção de açúcar. Mesmo não sendo conclusivo, o re- O analista da consultoria Safras & Mercado Mi- PI 540,5 591,3 9,40 69,0 75,5 9,42
latório da Companhia Nacional de Abastecimento (Co- guel Biegai Júnior entende que o açúcar foi o produto RN 1.919,3 1.996,0 3,99 243,0 252,8 4,01
nab), de setembro de 2009, aponta que há tendência de que “salvou” as finanças de muitas empresas na safra PB 1.627,1 1.809,5 11,21 190,8 212,2 11,22
aumento na destinação do caldo de cana para fabricação 2009/10. “Enquanto o etanol remunerou abaixo dos cus- PE 12.045,5 11.211,4 (6,92) 1.521,9 1,431,8 (5,92)
do produto, em detrimento ao etanol. tos em boa parte do ano, os preços médios do açúcar
AL 17.015,4 17.288,6 1,61 2.204,9 2.282,7 3,53
No total processado de cana na safra 2009/10, 43,4% foram mais firmes”, explica. Ele acredita que a produção
SE 942,5 992,9 5,35 118,4 127,9 8,05
deverá ser transformado em açúcar, contra 40,6% do pe- só não foi maior porque muitas usinas são planejadas
BA 972,1 651,4 (32,99) 121,8 81,6 (32,97)
ríodo anterior. A produção estimada do produto no País é exclusivamente para etanol. “Já as chamadas flexíveis
CENTRO-OESTE 19.798,1 25.062,6 25,59 2.615,7 3.344,1 27,85
de 36,7 milhões de toneladas, com crescimento de 16,1%. têm limitações para processar açúcar, sendo necessário
Na safra anterior, foram produzidas 31,6 milhões de tone- produzir etanol também, inclusive por questões de fluxo MT 3.818,0 3.794,4 (0,62) 506,3 498,9 (1,46)
ladas. Levando em conta apenas o Centro-Sul, principal re- de caixa de giro rápido”, enfatiza. MS 7.679,4 8.367,9 8,97 1.006,1 1.115,2 10,84
gião canavieira do Brasil, o incremento na produção deverá Quanto ao consumo interno de açúcar, o analista des- GO 8.300,7 12.900,4 55,41 1.103,3 1.730,0 56,80
ser ainda mais expressivo, chegando a 18,9%. No Norte e taca que tem aumentado em ritmo estável, pois historica- SUDESTE 167.208,4 194.424,2 16,28 22.079,3 25.547,8 15,71
no Nordeste está prevista diminuição de 0,2%. mente não é um produto que varia muito em vendas. “O MG 20.114,8 21.709,0 7,93 2.639,2 2.839,0 7,57
Ainda em setembro, a União da Indústria de Cana-de- consumo cresce moderadamente à medida que aumenta a ES 848,4 734,0 (13,48) 109,7 94,9 (13,46)
Açúcar (Unica) divulgou revisão da safra 2009/10 para a população economicamente ativa”, enfatiza. Segundo ele, RJ 2.222,7 2.222,7 (0,00) 263,7 263,7 (0,01)
região Centro-Sul. Conforme os dados apresentados, a a oscilação no mercado interno ocorre quando o preço SP 144.022,5 169.758,5 17,87 19.066,7 22.350,2 17,22
colheita deve fechar em 529,5 milhões de toneladas da ao consumidor está muito alto ou o poder de compra das SUL 18.829,2 25.781,3 36,92 2.379,5 3.295,9 38,51
planta. Para o açúcar, o volume esperado é de 29,3 mi- pessoas apresenta queda acentuada. PR 18.829,2 25.781,3 36,92 2.379,5 3.295,9 38,51
NORTE/NORDESTE 35.742,7 35.194,0 (1,54) 4.547,9 4.538,3 (0,21)
PASSADO DESFAVORÁVEL Se nada ao etanol. No ciclo 2008/09, o xa na temporada passada, a demanda
CENTRO-SUL 205.835,7 245.268,1 19,16 27.074,5 32.187,8 18,89
na safra 2009/10 o açúcar teve des- processamento de açúcar chegou a por biocombustíveis, em função dos
BRASIL 241.578,4 280.462,1 16,10 31.622,4 36.726,2 16,14
taque no setor sucroalcooleiro, o 31,6 milhões de toneladas. O analista carros flex, e o volume em alta das Fonte: Conab - 2º Levantamento de Cana-de-Açúcar - Setembro de 2009
mesmo não ocorreu no período an- Miguel Biegai Júnior explica que, além exportações de etanol contribuíram
terior, quando a produção foi direcio- de o preço do produto estar em bai- para o direcionamento da safra.

58 59
Sílvio Ávila

Brasil afora
País deve bater em 2009 o recorde nas exportações
de açúcar. Em boa parte da safra, cotações
ultrapassaram os US$ 20 cents por libra peso
O Brasil se prepara para fechar o ano de 2009 com tradicionalmente, Rússia, Nigéria, Arábia Saudita, Egito,
recorde nas exportações de açúcar. Pelo menos é o que Argélia, Canadá, Emirados Árabes e Irã.
sugerem os números auferidos pela Secretaria de Comér- De acordo o analista, as cotações para os mercados in-
cio Exterior (Secex), órgão do Ministério do Desenvolvi- terno e externo, na temporada 2009/10, podem ser con-
mento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). De janeiro a sideradas boas, principalmente no segundo semestre de
outubro foram embarcadas 19,5 milhões de toneladas do 2009. Ele lembra que boa parte da safra foi negociada a
produto, 98,4% do total de todo o ano anterior. Em termos preços menores, mas, principalmente no segundo semestre
de receita, o faturamento com as transações internacionais do ano, os valores ficaram acima de US$ 20 cents por libra
ultrapassou em 15,8% o obtido em 2008, chegando a US$ peso. “Considerando um custo de US$ 12 a US$ 12,50
6,3 bilhões em 10 meses de 2009. cents por libra peso, a rentabilidade é boa, até mesmo para
Para o analista da consultoria Safras & Mercado Mi- as usinas menos eficientes”, enfatiza.
guel Biegai Júnior, o Brasil vive um momento histórico
VENDAS EXTERNAS DE AÇÚCAR
nas exportações do produto em 2009. Ele estima que,
NACIONAL RENDERAM US$ 6,3 BILHÕES
seguindo esse ritmo, as vendas externas devem chegar
EM 10 MESES DE 2009, FATURAMENTO
a 21 milhões de toneladas, atingindo receita entre US$
15,8% MAIOR QUE O OBTIDO EM 2008
6,5 bilhões a US$ 7 bilhões. Os principais clientes são,

NOVO DESTINO A previsão para produção mundial e é uma das gran- car. Biegai Júnior explica que o Brasil
esta e para a próxima safra brasileira des consumidoras e exportadoras do possui o menor custo de produção,
é de que o País conquistará um im- produto. Com a queda nos resultados enquanto o país asiático detém mais
portante cliente. “A Índia entrará no indianos, a oferta global diminuiu e as vantagem na logística. “A Índia pode
grupo dos grandes compradores do cotações dispararam. O país teve que demorar um pouco para se recupe-
açúcar brasileiro, em função da severa importar açúcar, ganhando o Brasil rar da estiagem enfrentada nesta sa-
estiagem que assolou aquele país”, en- mais essa fatia de comércio. fra. No entanto, outros países terão
fatiza o analista Miguel Biegai Júnior. A Esse cenário criou situação con- produção interna incentivada com os
situação vivenciada pela Índia mexeu troversa, pois justamente a Índia vem fortes preços observados e a oferta
em todo o mercado internacional. A a ser o principal concorrente brasilei- deve aumentar em termos mundiais,
nação responde pela segunda maior ro no mercado internacional de açú- a médio prazo”, conclui.

62 63
Sílvio Ávila
etanol
ethanol

Descompensada
ALCOOLICA • ALCOHOL PRODUCTION
Estimativa de produção de álcool total
Cana-de-açúcar destinada ao álcool (Em mil t) Álcool total (Em mil litros)
Região/UF
Safra 2008 Safra 2009 Var. (%) Safra 2008 Safra 2009 Var. (%)
NORTE 926,1 1.076,3 16,22 65.874,5 75.128,5 14,05
RO 71,8 119,7 66,67 5.308,0 8.846,7 66,67
Altas cotações do açúcar e redução da safra AM 141,3 157,5 11,46 8.648,0 8.323,5 (3,75)

canavieira, por causa das chuvas, prejudicaram PA


TO
428,0
285,0
428,0 -
371,1 30,21
29.754,8
22.163,5
29.099,0
28.859,3
(2,20)
30,21
o desempenho da produção de etanol NORDESTE 28.690,0 27.189,3 (5,23) 2.288.547,1 2.064.737,0 (9,78)
MA 2.199,0 2.093,1 (4,82) 176.990,8 161.523,9 (8,74)
A produção brasileira de etanol na safra 2009/10 não Para o etanol, a entidade estima produção, no Centro- PI 360,4 394,2 9,39 28.737,5 30.244,9 5,25
deve repetir o desempenho do período anterior, quando Sul, de 23,7 bilhões de litros, o que daria redução de CE 111,5 119,5 7,19 7.803,7 8.242,4 5,62
o combustível dominou o esmagamento de cana-de-açú- 5,4% em relação a igual período anterior e de quase RN 1.480,7 1.539,8 3,99 118.676,0 118.907,6 0,20
car. Desta vez a vedete é o açúcar, cujas cotações dispa- 10% sobre a expectativa inicial. PB 4.489,9 4.460,3 (0,66) 323.424,1 294.071,0 (9,08)
raram no decorrer do ano. Também o excesso de chuvas Segundo o analista da consultoria Safras & Mercado Mi- PE 6.691,9 6.100,8 (8,83) 542.902,6 461.912,2 (14,92)
nas regiões produtoras, em plena colheita, deve prejudi- guel Biegai Júnior, ocorreu excesso de oferta de etanol, de AL 10.275,0 8.866,6 (13,71) 851.741,1 712.903,9 (16,30)
car o resultado final do processamento. março a agosto, em função dos baixos volumes exportados SE 1.363,7 1.371,2 0,55 106.050,9 106.583,6 0,50
O relatório da Companhia Nacional de Abastecimento e do aquecimento do mercado de açúcar. Em consequên- BA 1.717,9 2.243,7 30,60 132.220,3 170.347,6 28,84
(Conab), de setembro de 2009, estima que a produção de cia, as cotações ficaram abaixo do valor do custo de pro- CENTRO-OESTE 46.712,0 63.379,9 35,68 3.825.539,1 5.177.264,1 35,33
álcool total deverá ser de 27,8 bilhões de litros, 4,22% maior dução nesse período. A estabilização do mercado ocorreu MT 12.291,9 11.762,6 (4,31) 1.002.867,8 942.794,6 (5,99)
que na safra 2008/09. Esse levantamento, no entanto, ainda de setembro em diante. “Os preços ficaram mais firmes, MS 13.075,7 18.635,2 42,44 1.064.044,2 1.516.034,6 42,48
não traz o reflexo das chuvas no Centro-Sul no segundo se- muito mais por causa das chuvas e da redução de oferta
GO 21.344,5 32.992,0 54,57 1.758.627,1 2.718.435,0 54,58
mestre, que prejudicaram o ritmo de moagem da cana, bem do que devido à demanda”, destaca o analista.
SUDESTE 225.397,2 228.929,3 1,57 18.577.538,8 18.299.453,8 (1,50)
como o teor de sacarose, fatores que devem influenciar na O mercado interno, enfatiza Biegai Júnior, é o grande
MG 24.005,2 29.612,5 23,36 1.970.646,1 2.378.361,4 20,69
redução dos volumes processados de açúcar e de etanol. Em foco do setor de etanol.“As exportações representam ele-
ES 3.570,6 3 .609,4 1,09 281.517,1 282.743,1 0,44
dezembro a estatal divulgaria uma nova estimativa. mento muito importante para o longo prazo, mas a grande
Os dados apresentados pela Conab indicam ainda cres- verdade é que as usinas podem confiar unicamente na de- RJ 1.333,6 1.333,6 - 101.767,7 97.064,4 (4,62)
cimento do álcool hidratado (combustível) em detrimento manda doméstica em seus projetos”, observa. Conforme SP 196.487,9 194.373,8 (1,08) 16.223.608,0 15.541.284,9 (4,21)
ao anidro, usado na mistura com a gasolina. Isso ocorre em o analista, o consumo interno na região Centro-Sul saltou SUL 24.209,1 27.987,2 15,61 1.924.401,3 2.192.066,3 13,91
função do aumento da frota de veículos bicombustíveis, cuja de 12,8 bilhões de litros na safra 2006/07 para quase 21 PR 24.089,1 27.873,9 15,71 1.915.397,6 2.183.565,3 14,00
venda mensal ultrapassa 90% do total comercializado no País. bilhões de litros no ciclo 2009/10. Enquanto isso, as vendas RS 120,0 113,3 (5,58) 9.003,7 8.501,0 (5,58)
A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) externas têm sido instáveis nos últimos quatro anos, osci- NORTE/NORDESTE 29.616,1 28.265,6 (4,56) 2.354.421,5 2.139.865,5 (9,11)
apresentou, em setembro, uma revisão da safra 2009/10 lando entre 3 e 4,2 bilhões de litros, e podendo fechar o ci- CENTRO-SUL 296.318,3 320.296,4 8,09 24.327.479,2 25.668.784,2 5,51
prevendo retração na colheita por questões climáticas. clo 2009/10 com apenas 2,8 bilhões de litros embarcados. BRASIL 325.934,5 348.562,0 6,94 26.681.900,8 27.808.649,7 4,22
Fonte: Conab - 2º Levantamento de Cana-de-Açúcar - Setembro de 2009

66 67
REBATIZADO

Durante mais de 30 anos, motoristas


de 2009. O texto autorizava a utilização
do termo “etanol combustível” por re-
vendedores varejistas. No entanto, em 11
mundialmente usado para designar o
biocombustível. “É a consolidação da
agenda internacional para transformar
Discompensated
brasileiros se acostumaram a abaste-
cer seus carros com álcool. Em 2009, o
de dezembro de 2009, foi publicada no
DOU a resolução 39, também da ANP,
o álcool em uma commodity”, enfatiza
o diretor da ANP, Allan Kardec Duaili-
High sugar prices and rain-induced lower sugarcane
combustível ganhou nova nomenclatura: obrigando a substituição do nome álcool be. A legislação não sepulta a denomi- crop jeopardized the performance of ethanol
etanol. A mudança foi sacramentada por em todas as bombas, painéis e peças visu- nação “álcool etílico combustível”. No
meio da portaria número 9, da Agência ais em postos de combustíveis. Estes têm caso de atos normativos da ANP, fica Brazilian ethanol production vol- lease a new estimate in December. market in the domestic scene. As a re-
Nacional do Petróleo, Gás Natural e Bio- nove meses para se adequar. obrigatória a adoção das duas for- umes in the 2009/10 crop year are not The Conab survey points to a rise sult, prices remained below production
combustíveis (ANP), publicada no Diário A principal justificativa para a alte- mas, deixando claro que ambas se expected to repeat the performance of in hydrated alcohol (fuel) to the detri- costs during this period. Market stabili-
Oficial da União (DOU) em 2 de abril ração é o fato de etanol ser o nome referem ao mesmo produto. the previous season, when this fuel was ment of anhydrous alcohol, which is zation occurred as of September.“Prices
the destination of a major portion of mixed with gasoline. This derives from got steadily back on track, much more
REBAPTIZED replace the word alcohol in all pumps, banners and visual ads in the sugarcane crop. This time, the star the soaring fleet of vehicles powered by because of high precipitation levels and
gas stations.They are allowed nine months to comply. is sugar, whose prices skyrocketed over biofuel, accounting for more than 90% retraction in offer than because of de-
For more than 30 years, Brazilian drivers have refueled their The main justification for the change lies in the fact the year. Excessive precipitation levels of all cars sold in the Country. mand”, the analyst explains.
cars with alcohol. In 2009, the fuel gained a new name: ethanol. that the word ethanol is worldwide used to designate this at harvest time in the leading produc- In September, the Sugarcane Indus- The domestic market, Biegai Júnior
The change came into force through government act 9, of the fuel. “It is the consolidation of the international agenda to ing regions should also jeopardize the try Union (Unica) came up with a revi- emphasizes, is the major focus of the
National Agency of Petroleum, Biogas and Biofuels (ANP), pub- transform alcohol into a commodity”, says ANP director final processing results. sion of the 2009/10 crop figures, es- ethanol sector.“Exports represent a very
lished in the Government Gazette on 2nd April, 2009. The text Allan Kardec Duailibe. The new legislation does not super- The report by the National Supply timating a reduction in harvested vol- important element for the long run, but
allowed for the use of the term “fuel ethanol” by retail sellers. sede the denomination “ethyl alcohol”. In the case of ANP Company (Conab), of September 2009, umes due to climatic factors. Accord- the truth is that the mills can rely only on
However, on 11th December 2009, the Government Gazette normative acts, the use of both phrases is mandatory, leav- estimates the total production of alcohol ing to the entity, ethanol volumes in demand at home for their projects”, he
published resolution 39, also of ANP, making it mandatory to ing it clear that both refer to the same product. at 27.8 billion liters, up 4.22 percent from the Center-South region are estimated observes. According to the analyst, do-
the 2008/09 crop. This survey, neverthe- to reach 23.7 billion liters, represent- mestic consumption in the Center-South
less, was conducted prior to the exces- ing a reduction of 5.4% compared to jumped from 12.8 billion litters in the
sive rainfalls in the Center-South in the the previous year and a drop of almost 2006/07 crop year to almost 21 billion
second half of the year, which ill affected 10% from the initial forecast. in 2009/10. Meanwhile, foreign sales have
the sugarcane processing rhythm, as well According to Miguel Biegai Júnior, been unstable over the past four years,
as the sucrose levels, factors that should analyst with Safras & Mercado, what ranging from 3 to 4.2 billion liters, and
exert an influence on the reduction of happened was a surplus of ethanol from chances are for shipments of only
processed volumes of sugar and ethanol. March to August, by virtue of the low 2.8 billion liters in the
The state corporation is supposed to re- volumes exported and a soaring sugar 2009/10 season.
Sílvio Ávila

68 69
Gangorra
O Brasil produz o etanol mais barato do mundo e prati- bilhões de litros de etanol, totalizando US$ 1,1 bilhão. Em 2008,
camente não tem concorrentes no mercado externo. Mas as vendas externas chegaram a 5,1 bilhões de litros com fatura-
isso não tem sido suficiente para que o País consiga se mento de US$ 4,5 bilhões. O analista Wellington Silva Teixeira,
impor como principal fornecedor do combustível. O de- da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), lembra
sempenho do setor nas vendas em 2009 demonstram bem que metade do volume exportado em 2008 teve como destino

Com vendas concentradas para o mercado americano, essa realidade. De janeiro a outubro, o total embarcado
chegou a 55% de todo o ano anterior, enquanto o fatura-
os Estados Unidos. Porém, com a turbulência econômica mun-
dial, deflagrada no segundo semestre do ano, os americanos
exportações de etanol brasileiro despencaram em mento atingiu apenas um quarto da receita de 2008.
Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Se-
reduziram drasticamente as importações.
O analista da consultoria Safras & Mercado Miguel Biegai Jú-
2009 devido à crise econômica mundial cex), órgão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Co- nior acrescenta que, no segundo semestre de 2008, exatamen-
mércio Exterior (MDIC), em 10 meses foram exportados 2,8 te no período em que as vendas antecipadas para exportação
deveriam ocorrer, os preços do petróleo desabaram no mer-
cado internacional. “Assim os consumidores do combustível
brasileiro ficaram receosos em se comprometer com compras
de etanol para recebimento ao longo de 2009.”
As exportações brasileiras de etanol, na opinião do analista,
“patinam” por conta de barreiras tarifárias, que dificultam um
acesso mais contundente ao mercado, principalmente da Euro-
pa, dos Estados Unidos e do Japão. Ele acredita que o Brasil não
terá concorrentes, em termos de custo de produção, a curto
e médio prazos. “Os Estados Unidos, maior produtor mundial
de etanol, têm custos mais altos porque utilizam milho, cuja
produtividade é menor”, explica.
Para Biegai Júnior, é difícil o Brasil perder essa condição
competitiva, a não ser que outros países consigam baratear os
gastos com a produção, com inovações em termos de etanol
celulósico, obtido a partir de resíduos da cana-de-açúcar ou de
outros produtos vegetais.“Até nisso o Brasil teria ganhos, uma
vez que dispõe de grande quantidade de biomassa, de baixo
custo, para produção de etanol celulósico”, acredita.
Outra possibilidade de uso do produto é na indústria alcool-
química, que fabrica eteno a partir do etanol. O eteno, igualmente
conhecido como etileno, é usado na fabricação de resinas de po-
lietileno, matéria-prima de plásticos, geralmente obtida do petró-
leo e utilizada em vários setores, como o automotivo. Segundo
o analista da Safras & Mercado, existe tendência de aumento da
demanda para essa finalidade, nos próximos anos, em função da
elevação dos preços do petróleo e de seus derivados.
Inor /Ag. Assmann

BARREIRAS TARIFÁRIAS SÃO O


PRINCIPAL EMPECILHO À ELEVAÇÃO
DOS EMBARQUES DO ETANOL
BRASILEIRO A OUTROS PAÍSES

PROMESSA: Uso do etanol para fabricação


de eteno, empregado na indústria alcoolquímica,
deve aumentar nos próximos anos

70 71
Sílvio Ávila
energia
energy

Eletrizante Exciting
With investments of up to R$ 45 billion, sugar
Com investimento de até R$ 45 bilhões, setor and alcohol sector hopes to give an 11-percent
sucroenergético espera responder por 11% contribution to Brazil’s energy complex by 2015/16
da matriz energética brasileira em 2015/16 The sugar and alcohol sector is ity accounted for only 2 percent of São Paulo, the producers assumed the
betting on non-interrupted growth the R$ 40 billion raked in by the commitment to reduce by 70 percent
O setor sucroalcooleiro aposta em crescimento con- “Em 2009, não ocorreu nenhum leilão dedicado à bioeletri- in electric energy generation from sector. The expectation is for up the field burning practice in areas suit-
tínuo da geração de energia elétrica a partir do bagaço cidade e, no ano anterior, teve um de reserva. Isso prejudica sugar cane bagasse and straw. In to 16 percent of the revenue in able for the introduction of mechanized
e da palha da cana-de-açúcar. Em 2008, das 434 usinas do a atração de novos investimentos”, analisa Souza. 2008, of the 434 mills across the the 2015/16 crop. To achieve this harvesting methods, by 2010, while
País, 88 registraram venda da energia que lhes sobrou Ele destaca que a oferta de biomassa para a cogeração de- Country, 88 recorded sales of en- performance, some hurdles will total elimination of this method has
para o mercado interno. Atualmente, a bioeletricidade verá aumentar expressivamente com a redução gradativa da ergy surpluses to the domestic have to be defeated, like regular been set for 2014”, Souza explains.This
representa cerca de 3% da matriz energética brasileira, prática da queima da cana. “Em São Paulo, os produtores as- market. Currently, bioelectricity ac- auctions, once the Regulated Con- deadline extends through to 2017 in
com produção de 1.800 MW médios. Porém, o objetivo sumiram o compromisso de reduzir o modelo da queima em counts for 3 percent of the Brazilian traction Environment is the main areas not appropriate for mechanized
da cadeia produtiva é alcançar, na safra 2015/16, parti- 70% das áreas suscetíveis de colheita mecanizável até 2010 e energy complex, with a production market. “So far this year, no auction harvesting methods.A study concluded
cipação de 11% ou o equivalente a 8.156 MW médios. eliminá-la totalmente até 2014”, relata Souza. Esse prazo vai of 1,800 median MW. However, the dedicated to bioelectricity has been that, if 70 percent of the straw is used
Para isso, segundo o especialista em Bioeletricidade da até 2017 para que as áreas inadequadas também sejam colhi- objective of the production chain held and, last year, there was even a for the generation of bioelectricity, the
União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Zilmar das com máquinas. Estudo aponta que, se 70% da palha for is to achieve a share of 11 percent, spare auction. This jeopardizes new sugar and alcohol sector will add 6,757
José de Souza, são projetados investimentos de aproxi- aproveitada para a geração de excedente de bioeletricidade, equivalent to 8,156 median MW, by investments”, Souza analyzes. median MW to the national electric
madamente R$ 45 bilhões até 2015. o setor sucroenergético será capaz de agregar 6.757 MW the 2015/20 crop year. To this end, He stresses that biomass for co- energy complex, by 2015/16.
Na safra 2007/08, a bioeletricidade resultou em apenas médios ao sistema elétrico até o biênio 2015/16. according to Zilmar José de Souza, generation should
REVENUE FROM THE GENERATION OF
2% dos R$ 40 bilhões faturados pelo setor. A expectativa é specialist in Bioelectricity with the soar considerably
FATURAMENTO COM BIOELETRICIDADE BIOELECTRICITY ACCOUNTED FOR 2
alcançar até 16% do rendimento financeiro na temporada Sugarcane Industry Union (Unica), in amount with
RESPONDEU POR 2% DO TOTAL OBTIDO PERCENT OF THE TOTAL OBTAINED BY
2015/16. Para atingir esse patamar, será preciso superar al- investments of approximately R$ the gradual reduc-
PELO SETOR SUCROALCOOLEIRO THE SUGAR AND ALCOHOL SECTOR
guns entraves, como a realização de leilões regulares, pois o 45 billion are projected until 2015. tion in sugarcane
NA SAFRA 2007/08 IN THE 2007/08 CROP YEAR
Ambiente de Contratação Regulado é o principal mercado. In the 2007/08 crop, bioelectric- field burning. “In

74 75
Sílvio Ávila
cachaça
cachaça

A cachaça é daqui! Cachaça made


Produtores têm como meta obter reconhecimento
da cachaça como bebida típica brasileira nos
in Brazil
Estados Unidos e na Comunidade Europeia Producers’ target is to have cachaça recognized as typical
O Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac) não poupa Atualmente, em torno de 180 empresas exportam cacha- Brazilian beverage in the United States and European Union
esforço, com o apoio do governo brasileiro, para conse- ça para mais de 55 mercados. Em 2008, foram embarcados
guir o reconhecimento do produto nacional no mercado 11,09 milhões de litros, gerando receita de US$ 16,41 mi- Brazil’ Cachaça Insitute (Ibrac), is sparing not effort, Currently, approximately 180 companies export cacha-
externo como típico e exclusivo do Brasil. Os principais lhões, resultado 18% maior em valor e 20% superior em vo- with the support from the Brazilian government, to have ça to more than 55 markets. In 2008, shipments reached
alvos são Estados Unidos e Comunidade Europeia. Uma lume em relação à 2007. Dentre os países de destino figuram the national beverage recognized in the international 11.09 million liters, generating US$ 16.41 million in reve-
boa justifica para tanto empenho é que hoje se exporta Alemanha, Estados Unidos e França. O diretor executivo do market as typical and exclusive to Brazil. The major tar- nue, up 18 percent from the shipments in 2007. Main des-
menos de 1% da produção anual. Ibrac, Carlos Lima, avalia que o mercado deve encerrar 2009 gets are the United States and the European Union. What tinations include Germany, the United States and France.
A capacidade instalada para a obtenção da bebida perma- estável, com leve tendência de crescimento. justifies such an effort is the fact that nowadays less than Ibrac’s chief executive officer Carlos Lima maintains that
nece em 1,2 bilhão de litros e está localizada, principalmente, 1% of the annual production is exported. the market should come to year’s end in a stable situa-
PRODUÇÃO ANUAL DE CACHAÇA É
em Minas Gerais, Ceará, Paraíba, São Paulo e Pernambuco. The installed production capacity remains at 1.2 bil- tion, maybe on a slightly soaring trend.
DE 1,2 BILHÃO DE LITROS NO BRASIL,
Entre os principais consumidores pode-se incluir ainda Rio de lion liters and is mostly located in the states of Minas
ENVOLVENDO 40 MIL PRODUTORES E ANNUAL CACHAÇA PRODUCTION IN
Janeiro e Bahia. O setor envolve cerca de 40 mil produtores e Gerais, Ceará, Paraíba, São Paulo and Pernambuco. Ma-
GERANDO 600 MIL EMPREGOS BRAZIL REACHES 1.2 BILLION LITTERS,
gera mais de 600 mil empregos, entre diretos e indiretos. jor consumers are Rio de Janeiro and Bahia. The sec-
INVOLVING 40 THOUSAND PRODUCERS
tor involves 40 thousand producers and generates 600
AND GENERATING 600 THOUSAND JOBS
thousand jobs, both direct and indirect.
FALTA POUCO da Cachaça, Vicente Bastos Ribeiro, ropeia para reconhecer a cachaça
acredita que o reconhecimento po- como exclusiva do Brasil. ALMOST THERE Council president of the Cachaça Pro- ropean Union to acknowledge cachaça
O decreto presidencial de 2001, derá ocorrer no segundo semestre O padrão de identidade e qualida- duction Chain, believes that the much is an exclusive Brazilian beverage.
que certificou a cachaça como be- de 2010. Ele ainda prevê que Estados de das bebidas nacionais foi atualizado Government Act in 2001 that certi- sought after recognition could take place The identity and quality standard of all
bida tipicamente brasileira, só tem Unidos se destaque como o maior por meio da publicação do Decreto fied cachaça as a typical Brazilian bev- in the second half of 2010. He also views national beverages was updated by Gov-
força dentro do País. Nos Estados importador até fim do mesmo ano. nº 6.871, em junho de 2009. O regu- erage is only valid within the borders the United States as the leading importer ernment Act n° 6.871, in July 2009. The
Unidos, segundo maior consumidor Na Europa, o processo é diferen- lamento detalha e disciplina questões of the Country. In the United States, by the end of the same year. Regulatory Act details and disciplines
internacional do destilado do Bra- te, pois algumas empresas utilizam o referentes a produção, registro, fisca- second biggest consumer of the Brazil- In Europe, the process is different, as matters related to production, regis-
sil, depois da Alemanha, o produto nome cachaça para rotularem produ- lização, importação e exportação de ian distilled beverage, coming only after some companies use the name cachaça ter, inspection and beverage imports
é rotulado desde 2000 como rum tos que nada têm a ver com a bebida bebidas. Estipula, por exemplo, como Germany, since the year 2000, the prod- on labels of products that differ greatly and exports. For example, it stipulates
brasileiro. Otimista, o presidente da brasileira. O Ibrac prevê apresentar devem ser feitas e quais matérias- uct has been selling as Brazilian rum.Very from the Brazilian beverage. Ibrac is how the beverages should be made and
Câmara Setorial da Cadeia Produtiva um pleito formal à Comunidade Eu- primas utilizar na fabricação. optimistic,Vicente Bastos Ribeiro, Sector considering a formal request to the Eu- which raw materials to utilize.

76 77
pesquisa e
Sílvio Ávila

tecnologia
• Novas variedades de
cana-de-açúcar

• Pragas, doenças e
invasoras que afetam
a lavoura

• Etanol de
segunda geração

research and
technology
• New sugarcane varieties

• Pests, diseases and weeds


that infest the fields

• Second-generation
ethanol
82 83
Sílvio Ávila

Adaptadas à Adapted
realidade
Entre as variedades de cana-de-açúcar a serem
to reality
The sugarcane varieties to be launched
lançadas em 2010 estão as direcionadas à in 2010 include the ones directed towards
expansão da fronteira agrícola da lavoura expanding the agricultural frontier of the crop

O melhoramento genético tem colaborado decisiva- Em dois anos o IAC deve disponibilizar variedade vol- Genetic enhancement works have decisively contribut- In two years time, the organ is supposed to deliver
mente para o aumento do rendimento das lavouras de tada a Goiás. Para a Bahia há um estudo pioneiro em an- ed towards improving the performance of the sugarcane material specific for Goiás. For Bahia, there is a pioneer
cana-de-açúcar. Com o avanço da cultura para além das damento, em parceria com a Fundação de Apoio à Pesqui- fields. With the crop expanding beyond the Center-South study underway, jointly with the Western Bahia Devel-
fronteiras do Centro-Sul, a pesquisa de novas variedades sa e Desenvolvimento do Oeste da Bahia (Fundação BA). frontiers, research on new varieties is being directed to- opment and Research Support Foundation (Bahia Foun-
está sendo direcionada para suprir as necessidades dos Desde 2007 o instituto promove pesquisas focadas nas wards the needs of the producers of regions where sug- dation). Since 2007, the institute has been conducting
produtores de regiões cujo plantio canavieiro é mais re- lavouras de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Tocantins, arcane was introduced more recently. Traditional institu- research focused on the fields of Minas Gerais, Mato
cente. Tradicionais instituições trabalham nessa linha. Maranhão e Pará. O órgão também realiza trabalhos no tions have been working within this context. Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão and Pará. The organ
O Instituto Agronômico de Campinas (IAC), vinculado exterior — no México, cujo histórico é de baixa produti- The Agronomic Institute (IAC), linked with the Depart- also carries out work abroad – in Mexico, with a history
à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de vidade na cultura, e em Angola, que está em processo de ment of Agriculture and Supply of the State of São Paulo, is of low sugarcane productivity, and in Angola, now under-
São Paulo, promete lançar no segundo semestre de 2010 reconstrução depois da guerra civil. determined to launch specific varieties for the Cerrado, in the going a recovery process after the civil war.
cultivares específicas para o Cerrado. Conforme o coorde- As quatro variedades mais recentes de cana-de-açúcar second half of 2010. According to the institution’s Sugarcane The four most recent sugarcane varieties were launched by
nador do Centro de Cana da instituição, pesquisador Mar- foram lançadas pelo IAC em 2007.As cultivares IAC91-1099, Center coordinator, researcher Marcos Landell, the organ IAC in 2007.The main characteristics of the cultivars IAC91-
cos Landell, o órgão possui seis materiais adaptados para IACSP93-2060, IACSP95-3028 e IACSP95-5000 têm como boasts six varieties adapted to this biome, although not spe- 1099, IACSP93-2060, IACSP95-3028 and IACSP95-5000 in-
esse bioma, mas não específicos. Já no primeiro semestre, principais características o alto potencial agroindustrial, a cific. In the first half of the year, the institute is going to deliver clude high agroindustrial potential, ideal sucrose levels in dif-
o instituto vai disponibilizar três novas cultivares, para uso adaptabilidade à colheita mecanizada e a obtenção do nível three new materials, appropriate for all regions. ferent periods and mechanized harvesting.
em todas as regiões produtoras do País. de sacarose ideal para o corte em diferentes períodos.
IN DETAILS plants; genetic enhancement and va- 21 years. During this period, genetic
EM DETALHES história; plantas; melhoramento genético e intensificação nos programas de melho- rietal management; production envi- enhancement programs were inten-
manejo varietal; ambientes de produção; ramento genético. Em meados da déca- The sugar and alcohol sector was ronments; nutrition and fertilization; sified. In the mid 1980s, for example,
O setor sucroalcooleiro foi brindado nutrição e adubação; fitossanidade; tec- da de 1980, por exemplo, os produto- lucky enough to be granted an updat- phytosanity; production technology; the producers planted just one variety.
com a mais atualizada publicação sobre a nologia de produção; cana-de-açúcar para res utilizavam apenas uma variedade. A ed publication on the activity in Bra- sugarcane for various purposes; sta- Outbreaks of the sugarcane yellow
atividade no Brasil. O livro Cana-de-Açúcar, fins diversos; estatística e experimentação; ocorrência do amarelinho da cana-de- zil. The book Sugarcane, launched in tistics and experimentation; econom- leaf virus, which almost put an end to
lançado no fim de 2008, foi editado pelo e aspectos econômicos e ambientais. açúcar, que quase acabou com a cultu- late 2008, was published by the Agro- ic and environmental features. the entire crop, encouraged research
Instituto Agronômico de Campinas (IAC), A publicação anterior a abordar a ra, estimulou as pesquisas em busca de nomic Institute (IAC), linked with the The previous publication that ad- work into new varieties. Over the
vinculado à Secretaria de Agricultura e cultura de forma completa é de 1987. novas cultivares. Nos últimos 12 anos Agriculture and Supply Department dresses all facets of the crop dates past 12 years, approximately 60 new
Abastecimento do Estado de São Paulo.A A atualização das informações levou em foram colocadas no mercado em torno of São Paulo. The 882 page publica- back to 1987. Information updating varieties of sugarcane were launched
obra, com 882 páginas, é dividida em 41 conta as transformações ocorridas no de 60 variedades de cana, das quais 25% tion is split into 41 chapters, which took into consideration all transfor- into the market, of which, 25 percent
capítulos, que abordam 10 áreas temáticas: setor em 21 anos. Nesse período, houve foram desenvolvidas no IAC. address 10 thematic areas: history; mations of the sector over the past were developed at the IAC.

84 85
Mais e melhor More and better
New varieties from the
Sugarcane Technology
Center ensure higher
yields and sucrose levels

Sílvio Ávila
The Sugarcane Technology Center (CTC) is one more rel-
evant research institution that presents novelties to the grow-
Sílvio Ávila

ers. Based in Piracicaba (SP), the leading sugarcane producing


region in Brazil, in November 2008, the organ launched com-
mercially its fifth generation of varieties: CTC19 and CTC20.
To make these varieties known to the public, events were
staged in seven municipalities, comprising the states of São
Paulo, Paraná, Goiás and Mato Grosso do Sul.

Novas variedades do Centro de Tecnologia Canavieira According to Nilson Zaramella Boeta, superintendent
of the centre, the new varieties stand out for their su-
prometem maior produtividade e melhor teor de sacarose crose levels and high productivity, besides being tolerant to
most major diseases. Another facet is their adaptation to
O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) é mais uma im- variedades foram desenvolvidas considerando-se combi- mechanized harvesting. The varieties were developed tak-
portante instituição de pesquisa a apresentar novidades aos nações de clima e solo, encontradas nos diferentes am- ing into consideration a combination of climate and soil
produtores. Localizado em Piracicaba (SP), na região de prin- bientes de produção cultivados no Brasil. characteristics, present in the various environments where
cipal plantio de cana-de-açúcar no Brasil, o órgão lançou co- Além de disponibilizar novos materiais para plantio, sugarcane is cultivated across Brazil.
mercialmente, em novembro de 2009, a sua quinta geração de o CTC também criou uma ferramenta de internet com Besides providing for new planting materials, the CTC
variedades: CTC19 e CTC20. Para divulgação dos materiais recomendações sobre as variedades de cana-de-açúcar. also created a tool in the internet featuring recommen-
foram realizados eventos em sete municípios, abrangendo os O diretor de pesquisa e desenvolvimento do centro, Ta- dations on the sugarcane varieties. The research and de-
estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás. deu Andrade, informa que a área de Tecnologia da In- velopment director of the center, Tadeu Andrade, informs
Segundo o diretor superintendente do centro, Nilson formação da instituição fornecerá uma senha para que that the Information and Technology department of the
Zaramella Boeta, as novas cultivares se destacam em teor cada unidade produtora associada possa ter acesso às institution will furnish a password so that each associated
de sacarose e na produtividade, além de apresentarem informações. Os produtores poderão saber as cultivares producing unit has access to information. The growers will
resistência às principais doenças. Outra característica é mais recomendadas, o melhor ambiente para plantio e a learn about the most recommended cultivars, best planting
a boa adaptação ao método de colheita mecanizada. As época mais propícia para a colheita. environments and recommended harvest time.

LAVOURA VIRTUAL Os sete de cada unidade. “Com a utilização do unidades produtivas de açúcar, etanol e VIRTUAL FIELD The seven unit. “Through the CTCLog we can duction units, serving some 12 thou-
eventos realizados pelo CTC ser- CTCLog podemos dimensionar frotas, energia, atendendo em torno de 12 mil events held by the CTC also gave dimension fleets, work shifts, type of sand suppliers, representing about
viram também para a divulgação de turnos de trabalho, escolha do tipo fornecedores, o que representa apro- publicity to another novelty. The transport and the impact of mecha- 60% of all sugarcane processed in the
outra novidade. O CTCLog é um pro- de transporte e o impacto do corte ximadamente 60% da cana-de-açúcar CTCLog is a computer program that nized sugarcane cutting on logistics”, Country. The center employs 300
grama de computador que simula os mecanizado na logística”, enfatiza o moída no País. O centro possui 300 fun- simulates the best cutting scenarios, stresses market and opportunities people and relies on regional units,
melhores cenários de corte, carrega- diretor de mercados e oportunidades, cionários e conta com unidades regio- loading and transport systems, in a director Osmar Figueiredo Filho. based in strategic locations through-
mento e transporte, em um ambiente Osmar Figueiredo Filho. nais em pontos estratégicos das regiões virtual environment, in accordance The CTC is maintained by about out the Center-West, Northeast,
virtual, conforme o modelo produtivo O CTC é mantido por cerca de 180 Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e Sul. with the productive model of every 180 sugar, ethanol and energy pro- Southeast and South.

86 87
Todo cuidado A incidência de pragas, doenças e
invasoras é uma preocupação cons-
departamento técnico da Associação
dos Produtores de Cana-de-Açúcar
até chegarem à fase adulta. “A grande
quantidade de chuva ocorrida desde

é pouco
tante na canavicultura. A maioria das do Oeste do Estado de São Paulo agosto favoreceu a proliferação da ci-
doenças podem ser controladas com (Canaoeste), Gustavo Nogueira, é a garrinha”, avalia Nogueira.
o plantio de variedades resistentes. cigarrinha-das-raízes, cuja incidência Após levantamento para verificar
Porém, ao não usar mudas de qualida- aumentou com o corte mecanizado o avanço da praga na plantação, o
de, o produtor facilita a disseminação nas lavouras de São Paulo. As ninfas da combate é feito com produto quí-
desses males e contribui para o exter- praga (Mahanarva fimbriolata) produ- mico ou controle biológico, a partir
mínio de determinada variedade, que zem uma espuma na base dos colmos, da aplicação do fungo Metarhuzium
Controle de pragas, doenças e invasoras leva anos para ser desenvolvida. nas raízes superficiais, onde se alimen- anisopliae, quando forem encontra-

demanda atenção exclusiva do setor canavieiro Um dos incômodos atuais, apon-


tado pelo agrônomo e gerente do
tam e se mantêm protegidas embaixo
da palha da cana colhida sem queimar
das populações acima de três ninfas
nas áreas amostradas.

FAZENDO BICO Outra figura que dá dor de cabeça é o


bicudo-da-cana (Sphenophorus levis), primeiramente concen-
trado na região de Piracicaba (SP) e que se espalhou pelo
Estado. O besouro na fase larval causa danos nos colmos em
desenvolvimento escavando galerias. Ele afeta o estande da
cultura e a produtividade. Um modo de prevenção, segundo
o agrônomo da Canaoeste Gustavo Nogueira, é utilizar mu-
das isentas da praga e originárias de áreas não infestadas.
A broca-da-cana (Diatraea saccharalis), encontrada em
todo o território nacional, tem aumentado nos últimos
anos. A infestação reduz a produção de açúcar e de etanol.
Conforme Nogueira, novos plantios ocorridos em Minas
Gerais e Goiás, por exemplo, facilitaram o seu desenvolvi-
mento. O controle pode ser realizado de maneira eficiente
com a liberação de parasitoides, como a Cotesia flavipes.

FÁCIL COMBATE

Entre as doenças mais significativas figuram a ferru-


gem-laranja, ainda sem registro no Brasil; a ferrugem-
marrom e o carvão. A ferrugem-marrom, causada pelo
fungo Puccinia malanocephala, manifesta-se com facilidade
em ambientes com alta umidade e temperatura amena,
mas é controlada com o uso de variedades resistentes.
O gerente do departamento técnico da Associação dos
Produtores de Cana-de-Açúcar do Oeste do Estado de São
Paulo (Canaoeste), Gustavo Nogueira, conta que percebeu,
ultimamente, o aumento da incidência do carvão, causado
pelo fungo Ustilago scitaminea, em viveiros de cana-de-açúcar.
A falta de cuidado com o uso de mudas saudáveis e contro-
ladas poderá possibilitar o surgimento dessa doença, que
gerou sérios problemas no passado. Outra constatação é
que, com o corte à máquina, a lavoura tornou-se atrativa
para ervas daninhas com folhas largas ou cipós.“Hoje, temos
Sílvio Ávila

herbicidas para esse tipo de invasora”, destaca Nogueira.

88 89
Reaching giant
proportions
Sílvio Ávila

Northeast is the Brazilian region most affected by


the giant sugarcane borer, where its dissemination
spreads through 320 thousand hectares
Damages caused by the giant borer (Telchin licus) to Bra-
DEFESA: Pesquisadores apostam na identificação
zilian sugarcane fields are enormous. Present in 14 states de inimigos naturais e no desenvolvimento de
throughout Brazil, it is in the Northeast that it causes serious variedade resistente para combater o mal
damages to the crop, says entomologist Elio Cesar Guzzo, re-

Agigantando-se
DEFENSE: Researchers bet on the identification
searcher with the Coastal Plains division of the Brazilian Ag- of natural enemies and in the development of
ricultural Research Corporation (Embrapa), based in Aracaju resistant varieties to fight the scourge
(SE).The pest has spread across 320 thousand hectares in the

Inor /Ag. Assmann


region, with a seven-percent degree of infestation, resulting
into annual sugarcane losses of R$ 34.5 million. Dissemina-
tion has been soaring in the Southeast, too. In the state of São
Nordeste é região brasileira que mais sofre com efeitos da Paulo it was detected in 2007, on a farm in Limeira.
The larvae of the giant borer bore into the stem, and con-
broca-gigante, onde sua disseminação chega a 320 mil hectares sume the internal tissues, and usually destroy the rhizomes of
new plants completely. Borer attacks reduce the vegetative
Os prejuízos que a broca-gigante (Telchin licus) da ca- de tecnológica da cana como matéria-prima. power and kill the apical stems, a symptom known as “dead
na-de-açúcar provoca nos canaviais brasileiros são gran- O controle tem sido feito pela catação manual de la- heart”. The result, according to Guzzo, is a reduction in field
des. Presente em 14 estados brasileiros, no Nordeste é gartas e adultos da broca, pois não há inseticida químico productivity and quality losses of sugarcane as raw material.
considerada a praga mais prejudicial da cultura, confor- registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abaste- Control has been done manually, by catching the larvae
me o entomologista Elio Cesar Guzzo, pesquisador da cimento (Mapa) para uso contra a praga. Outra opção é a and adult borers, once there is no chemical insecticide reg-
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) destruição mecânica das lagartas no interior dos colmos, istered with the Ministry of Agriculture, Livestock and Food
Tabuleiros Costeiros, de Aracaju (SE). Ela ocupa cerca introduzindo-se um espeto metálico para esmagá-las, logo Supply (Mapa), against this pest. Another option consists in
de 320 mil hectares na região, com níveis de infestação após a colheita. “Como medidas auxiliares, preconiza-se mechanically destroying the larvae in the stems, crushing them
em torno de 7%, gerando perda anual de cana equivalen- renovação dos talhões mais infestados, preparação de solo with a sharp metal tool, immediately after harvest. “Auxiliary
te a R$ 34,5 milhões. A disseminação tem crescido no bem feita e uso de material propagativo sadio e idôneo”, recommendations include the renewal of the infested rows,
Sudeste. No Estado de São Paulo, ela foi detectada em aconselha o pesquisador da Embrapa Elio Cesar Guzzo. careful soil preparation and the use of healthy and certified
2007, em uma propriedade de Limeira. Ele destaca que ainda não existem alternativas para o con- seedlings”, says Embrapa researcher Elio Cesar Guzzo.
As lagartas da broca-gigante constroem uma galeria no trole biológico, mas são feitas ações como testes de pato- He insists there are no biological control alternatives, but
colmo, consumindo os tecidos internos, e podem destruir genicidade de fungos. O mais promissor é o fungo Beauveria fungal pathogenicity tests are underway.The most promising is
totalmente o rizoma das plantas jovens. O ataque reduz bassiana, cuja aplicação é feita simultaneamente à colheita. A the fungus Beauveria bassiana, whose application occurs side by
o poder vegetativo e leva a gema apical à morte, sintoma Embrapa Tabuleiros Costeiros, em parceria com outras insti- side with harvest procedures. Embrapa Coastal Plains, jointly
conhecido como “coração morto”. O resultado, de acordo tuições, tenta encontrar inimigos naturais e realiza avaliações with other institutions, is trying to find natural enemies and is
com Guzzo, é diminuição da produção e perdas na qualida- de resistência de genótipos de cana-de-açúcar T. licus. conducting T. licus sugarcane genotype resistance assessments.

92 93
Presença non grata Undesired presence
Pesquisadores brasileiros estudam medidas Brazilian researchers are trying to come up with
para enfrentar, caso se instale aqui, praga que measures to fight the pest that caused 87% losses in
causou prejuízos de até 87% na Austrália Australia, should outbreaks of the disease occur here
Uma série de medidas são adotadas no Brasil para Em julho de 2007, surgiu no continente americano, ini- Brazil is bracing for possible outbreaks of the orange Florida, United States. Two months later, it was detected in
combater os danos que a possível entrada da ferrugem- cialmente na Flórida, nos Estados Unidos. Dois meses rust, which normally takes a heavy toll on sugarcane fields. Guatemala and neighboring countries.
laranja poderá provocar nos canaviais nacionais. A doença, depois, apareceu na Guatemala e em países vizinhos. The disease caused by the fungus Puccinia Kuehnii butler, Its dissemination runs out of control because the fungal
provocada pelo fungo Puccinia kuehnii butler, devastou la- Sua disseminação foge ao controle, pois o esporo do devastated sugarcane fields in many countries. “For the spores are carried by wind. According to Éder Giglioli, re-
vouras de outros países produtores. “Por enquanto, ainda fungo é transportado pelo vento. De acordo com o pes- time being, we are still free from the scourge, but its arrival searcher with Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI),
estamos livres do mal, mas sua chegada é uma questão de quisador Éder Giglioli, das Faculdades Adamantinenses In- is just a matter of time”, says Marcelo Aguiar, researcher the arrival in Brazil might occur from Africa to the North-
tempo”, relata o pesquisador Marcelo Aguiar, da Embrapa tegradas (FAI), a chegada ao País pode ocorrer da África with Embrapa Coastal Plains, in Aracaju (SE). east or from Central America to Colombia, from where it
Tabuleiros Costeiros, de Aracaju (SE). para o Nordeste brasileiro ou da América Central para a The great concern lies in the fear that the pest might could reach São Paulo or Paraná.
A grande preocupação, segundo ele, é que a praga Colômbia, de onde seguiria para São Paulo ou Paraná. cause the same impact of its first outbreak, in Australia,
tenha, no País, o mesmo impacto do primeiro surto IN 2007, ORANGE RUST OUTBREAKS
from 2000 to 2002, where production losses ranged from
ocorrido na Austrália, entre 2000 e 2002, onde ocasio- EM 2007, FOCOS DA FERRUGEM- OCCURRED IN THE UNITED
67% to 87%, equivalent to approximately 210 million Aus-
nou perdas de 67% a 87% na produção. Os prejuízos LARANJA FORAM VERIFICADOS STATES, GUATEMALA AND
tralian dollars – R$ 331 million. In July 2007, the disease
foram de aproximadamente 210 milhões de dólares NOS ESTADOS UNIDOS, NA NEIGHBORING COUNTRIES
worked its way into the American continent, initially to
australianos, o equivalente a cerca de R$ 331 milhões. GUATEMALA E EM PAÍSES VIZINHOS

CAÇADA Desde janeiro de 2009, Conforme André Peralta, diretor gada, pois a legislação depende de três HUNTING Since January 2009, According to interim director see the problem before it arrives,
o pesquisador Éder Giglioli trabalha substituto do Departamento de Sani- órgãos: Agricultura, Meio Ambiente e researcher Éder Giglioli, has been of Mapa’s Vegetable Sanity Depart- once legislation depends on three
com o pesquisador Marcelo Camperi, dade Vegetal do Mapa, o propósito é Saúde”, observa Peralta. working jointly with Londrina State ment, André Peralta, the purpose is organs: Agriculture, the Environment
da Universidade Estadual de Londrina traçar, junto com os pesquisadores, um O uso de variedades resistentes University researcher Marcelo Cam- to delineate, along with the team of and Health”, Peralta observes.
(UEL), no projeto “Mapeamento de plano de contingência para estabelecer é a maneira mais econômica para peri on the project “Mapping the researchers, a contingency plan to The use of more resistant varieties
Riscos e Monitoramento da Ferrugem- a linha de ação a ser adotada quando a controlar o problema. Algumas cul- Risks and Monitoring the Sugarcane define the action line to be followed is the most economically viable solu-
Laranja (P. kuehnii) da Cana-de-açúcar”. praga for detectada no Brasil. Além de tivares brasileiras foram testadas na Orange Rust (P. kuehnii)”. The study is should the pest be detected in Bra- tion to the problem. Some Brazilian
O estudo é financiado pelo Conselho estimular a pesquisa de uma variedade Austrália e a RB72454 apresentou sponsored by the National Council of zil. Besides stimulating research work cultivars were tested in Australia and
Nacional de Desenvolvimento Cien- resistente à ferrugem, o Mapa preci- suscetibilidade à ferrugem-laranja. Scientific and Technol ogical Develop- into rust resistant varieties, the Mapa the BR72454 proved susceptible to
tífico e Tecnológico (CNPq), com re- sa viabilizar o registro do agrotóxico Por esse motivo, o recomendado é ment (CNPq), with financial resources has to speed up the register of the orange rust. For this reason, farmers
cursos do Ministério da Agricultura, para o controle da praga. “Precisamos plantar no máximo 15% da lavoura from the Ministry of Agriculture, Live- agrochemical to be applied for con- are advised not to plant more than
Pecuária e Abastecimento (Mapa). antever o problema antes de sua che- com uma única espécie. stock and Food Supply (Mapa). trolling the disease. “We must fore- 15% of the same variety.
Inor /Ag. Assmann

94 95
Unaffected by
Inor /Ag. Assmann

drought conditions
Brazilian and Japanese researchers are working
jointly to come up with a transgenic sugarcane
variety unaffected by drought conditions

À prova de seca
Predictions about rising temperatures and drought con- Besides Embrapa Agronenergy, researchers of Embrapa
ditions are cause for concern to Brazilian and global agri- Genetics and Biotechnology, based in Brasilia, also work on
culture. They way out has consisted in betting on research the project. They also count on the support of students on
work to come up with solutions to cushion the impacts likely scholarship programs sponsored by partner universities and
to be brought about by the erratic climate conditions from on financial grants from the National Council for Scientific
now on. The Brazilian Agricultural Research Corporation and Technological Development (CNPq) and from Embrapa.
(Embrapa), based in Brasília, has since 2008 been engaged in
Pesquisadores brasileiros e japoneses a study that seeks to develop a drought-tolerant transgenic

Sílvio Ávila
sugarcane variety. From a technical point of view, more than
unem esforços para desenvolver variedade six years are required for the variety to reach the market.
The first step consisted in isolating the gene of anoth-
transgênica de cana-de-açúcar tolerante à seca er plant, a kind of weed (Arabidopsis thaliana), which was
donated by the Japan International Research Center for
As previsões de que o clima será cada inseri-la em uma variedade comercial terial transgênico. No restante do pe- Agricultural Sciences (Jircas) and inserted into a commer-
vez mais quente e seco são preocupan- de cana-de-açúcar, como relata o pes- ríodo (seis anos) são realizados todos cial sugarcane variety, says Embrapa researcher and work
tes para a produção agrícola no Brasil e quisador da Embrapa e coordenador os testes necessários para que a nova coordinator Hugo Molinari. Currently, genetically modified
no mundo. A saída tem sido apostar na do trabalho, Hugo Molinari. No mo- espécie seja aprovada. O gene utiliza- plants are developed in laboratories.
pesquisa para encontrar soluções que mento, as plantas geneticamente modi- do foi validado pelo Jircas, empresa The expectation is for the first events of the new variety
amenizem os impactos que as mudanças ficadas são obtidas em laboratório. de pesquisa vinculada ao governo ja- to be available by early 2011. From then on, the presence
climáticas poderão acarretar ainda mais A expectativa é que, no início de ponês. O uso da tecnologia foi viabili- of the original characteristics of the inserted transgene will
daqui para a frente. A Empresa Brasilei- 2011, estejam disponíveis os primeiros zado por intermédio de um contrato be checked. After this, the plants will be tested in green-
ra de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) eventos da nova variedade. A partir de cooperação técnica firmado para a houses and in the field. It is where the agronomic, physi-
Agroenergia, de Brasília (DF), atua, des- disso, serão verificadas a presença e a cana-de-açúcar. Existem, inclusive, vali- ological and biosafety traits are analyzed. “These measures
de agosto de 2008, no estudo que busca característica original do transgene in- dações com esse material em outras ensure the equivalence of the modified variety with the
desenvolver uma variedade transgênica serido. Depois as plantas serão levadas culturas, como trigo, arroz e tabaco. plant that gave origin to it”, Molinari observes.
de cana-de-açúcar tolerante à seca. São para testes em casa de vegetação e a Além da Embrapa Agroenergia, atu- The researcher explains that a year is needed to gen-
necessários, conforme perspectiva téc- campo. Nessas etapas serão analisadas am no projeto pesquisadores da Em- erate the transgenic material. Over the remaining period
nica, mais seis anos para o setor sucroal- as características agronômicas, fisioló- brapa Recursos Genéticos e Biotec- (six years) all the tests required for the plant to get its
cooleiro contar com a nova variedade. gicas e de biossegurança. “São medidas nologia, de Brasília. Contam ainda com approval are carried out. The gene used was validated by
O primeiro passo foi isolar o gene que garantem a equivalência da varie- o apoio de bolsistas de universidades the Jircas, a research company under the umbrella of the
de outra planta, uma espécie de erva dade modificada com a planta da qual parceiras e com recursos financeiros Japanese government.The use of the technology was made
daninha (Arabidopsis thaliana), cedida se originou”, observa Molinari. do Conselho Nacional de Desen- possible through a technical cooperation contract specific
pelo Japan International Research Cen- O pesquisador explica que é preci- volvimento Científico e Tecnológico for sugarcane. There are also validations with this material
ter for Agricultural Sciences (Jircas), e so cerca de um ano para gerar o ma- (CNPq) e da própria Embrapa. in other crops, like wheat, rice and tobacco.

96 97
Biomassa alcoolizada
Produção de etanol à base de matérias-primas lignocelu-
Alcoholic biomass
Production of ethanol from lignocellulosic raw materials is
lósicas é foco de pesquisas no Brasil e no mundo now undergoing intense research work in Brazil and abroad
A tendência de aumento do consumo de etanol, em fun- lular das plantas, composta por polissacarídeos. Estes têm The trend for soaring ethanol con- with several studies underway. However, the production of second
ção da busca cada vez mais acentuada por energias limpas, faz na celulose o elemento mais abundante. “Esta apresenta-se sumption, in view of an ever-increasing According to Embrapa Agroenergy generation ethanol requires mill adap-
com que o mundo se volte para a chamada segunda geração como candidata natural para produção de etanol de segunda search for clean energy, makes the world researcher Hugo Molinari, second gen- tations. According to the Embrapa re-
do combustível. E o Brasil, que foi o pioneiro na produção do geração, sendo disponível tanto no bagaço e na palha da cana look into the so-called second genera- eration ethanol is intended to boost searcher, all lignocellulosic raw mate-
álcool de cana-de-açúcar, também pesquisa alternativas. Por quanto na forma de resíduos, como os florestais”, observa. tion fuels. And Brazil, a pioneer in the production volumes from sugars of rials require pre-treatment, normally
ser assunto estratégico para o País, o governo federal criou, Mas a produção do etanol de segunda geração requer production of alcohol from sugarcane, is plant cell wall, composed of polysaccha- done by means of caustic soda or sul-
há dois anos, um centro temático da Empresa Brasileira de adaptações nas usinas. Conforme o pesquisador da Embrapa, also doing research into alternatives. As rides, whose most abundant element is furic acid. The procedure results into
Pesquisa Agropecuária (Embrapa) voltada à agroenergia, situa- as matérias-primas lignocelulósicas necessitam de um pré- this is a strategic matter for the Country, cellulose. “It comes as a natural candi- a “swelling process” of the biomass
do em Brasília (DF), que tem vários estudos em andamento. tratamento, geralmente realizado com soda ou ácido sulfú- two years ago, the federal government date for the production of second gen- and facilitates the access to cellu-
Segundo o pesquisador Hugo Molinari, da Embrapa Agro- rico. O procedimento causa um “inchamento” na biomassa created a theme center at the Brazilian eration ethanol, and is present both in lose. Once this phase has elapsed,
energia, o etanol de segunda geração visa ao aumento da e facilita o acesso à celulose. Passada essa fase, o processo Agricultural Research Corporation (Em- sugarcane bagasse and straw, and also in the process follows the normal fer-
produção a partir da utilização dos açúcares da parede ce- segue a via de fermentação e de destilação normal. brapa), in Brasília, focused on agroenergy, forest residues”, he observes. mentation and distillation course.
Sílvio Ávila

PEDRAS DO CAMINHO Um dos que, do ponto de vista tecnológico, há vá- produção regional do combustível. STONES ON THE WAY A major hurdle in the pro- nology will allow the alcohol and sugar sector to make sig-
principais entraves para a produção do rias rotas de hidrólise testadas, mas com O consultor de emissões e tecnolo- duction of second generation ethanol is the high cost of nificant profits from the production of ethanol, in environ-
etanol de segunda geração é justamente rendimentos e investimentos que não gia da União da Indústria de Cana-de- the raw material to be treated. For this reason, Embrapa mental and financial terms. Another positive point, Molinari
o custo com o tratamento da matéria- viabilizam economicamente a operação. Açúcar (Unica), Alfred Szwarc, salienta Agroenergy researcher Hugo Molinari insists that it is dif- points out, is the decentralization of the process, once it will
prima a ser utilizada. Por esse motivo, o Para o pesquisador, uma vez amadu- que o Brasil apresenta grande vantagem ficult to know when consumers will have access to it. provide for the chance to produce fuel for regional needs.
pesquisador Hugo Molinari, da Embrapa recida, essa tecnologia permitirá ao setor competitiva em relação a outros países: “Some American companies predict its arrival in the mar- Alfred Szwarc, emissions and technology consultant with
Agroenergia, enfatiza que é difícil saber sucroalcooleiro um ganho significativo na baixo custo e disponibilidade de grandes ket by 2020”, he stresses. He recalls that, from a techno- the Sugarcane Industry Union (Unica), stresses Brazil’s huge
quando ele estará disponível aos consu- produção de etanol em termos financei- quantidades de matéria-prima. “Com a logical point of view, several hydrolysis courses have been competitive edge compared to other countries: low cost
midores. “Algumas empresas americanas ros e ambientais. Outro ponto positivo, gradual eliminação da queima da palha da tested, but with performances and investments that make and availability of huge amounts of raw material. “With the
preveem sua chegada ao mercado em ressalta Molinari, é a descentralização do cana, esse material poderá ser utilizado the operation economically unviable. gradual elimination of sugarcane straw burning methods, this
meados de 2020”, destaca. Ele lembra processo, pois existirá a possibilidade da nos novos processos”, entende. In the researcher’s view, once reaching maturity, this tech- material will fit into the new processes”, he understands.

98 99
ETANOL PETROLÍFERO Desde 2006, quando a BP criou uma divisão específica para
biocombustíveis, o grupo investiu US$ 1,5 bilhão em produ-
Uma das gigantes do setor petrolífero está entrando no ção de etanol e em pesquisas para desenvolvimento do com-
mercado dos biocombustíveis. A British Petroleum (BP), da bustível de segunda geração. Nessa área, a companhia atua em
Inglaterra, começa a construir em 2010, nos Estados Uni- duas frentes. O biobutanol é obtido a partir da fermentação
dos, a sua primeira planta com escala industrial de etanol de uma matéria-prima vegetal, sendo diferente do etanol por
de segunda geração. A previsão é que a unidade entre em possuir dois carbonos a mais em sua molécula. O processo
operação em 2012 e na safra 2013/14 a tecnologia esteja de lignocelulose é outra vertente pesquisada pela petrolífera,
presente nas usinas mantidas pela companhia no Brasil. com o uso de fontes vegetais da família da cana-de-açúcar.

PETROLEUM-DERIVED States. The complex is supposed to company acts on two fronts. Biobutha-
ETHANOL start operating by 2012, while in the nol is obtained from the fermentation
2013/14 crop the technology is ex- of vegetable raw material, and it dif-
A giant of the petroleum segment is pected to have arrived in Brazil. fers from ethanol in that it has two
now entering the biofuels market. Brit- Since 2006, when BP created a di- additional carbons in its molecule. The
ish Petroleum (BP), from Britain, has vision specific for biofuels, the group lignocellulosic process is one more
scheduled for 2010 the construction invested US$ 1.5 billion in the pro- source being examined by the oil
of its first industrial complex for sec- duction of ethanol and in research on company, through the use of vegetable
ond generation ethanol, in the United second generation fuel. In this area, the sources from the sugarcane family.

REFORÇO TECNOLÓGICO fica em Itápolis (SP), próxima às usinas sucroalcooleiras.


A estrutura deve entrar em operação no começo de
A multinacional Syngenta amplia o leque de investimen- 2011. O potencial de mercado identificado é de US$ 300
tos ao anunciar, em 2009, a destinação de US$ 100 milhões milhões por ano até 2015. Segundo o diretor de Novas
para pesquisa em cana-de-açúcar no Brasil. Parte do re- Tecnologias para Cana-de-Açúcar da Syngenta, Marco Bo-
curso, cerca de US$ 26 milhões, viabilizará a construção chi, a inovação poderá aumentar a produtividade entre 5
da primeira fábrica voltada ao desenvolvimento de nova e 15 toneladas por hectare, com redução de custos de
tecnologia em plantio de cana, chamada Plene. A unidade plantio em torno de 15% em igual área.

TECHNOLOGICAL SUPPORT construction of the first Brazilian market potential of US$ 300 million
factory geared towards the devel- a year through 2015. According to
In 2009, Syngenta, a multinational opment of a new sugarcane plant- the director of Syngenta’s New Sug-
corporation, expands its investment ing technology, known as Plene. The arcane Technologies division, Marco
portfolio and announces a US$ 100 plant is based in Itápolis (SP), close Bochi, the innovation could raise
million grant for research into sug- to the sugar and alcohol mills. yields by 5 to 15 tons per hectare,
arcane in Brazil. Part of this amount, The structure is scheduled to with production cost reductions of
US$ 26 million, will be used in the start operating in 2011. There is a 15% in the same area.

100
Sílvio Ávila
Conhecimento
tipo exportação Export-type
Com mais de 30 anos tendo o etanol como
combustível alternativo, o Brasil é visto
como referência no setor pelo mundo afora
knowledge
For some thirty years now Brazil has used ethanol
as alternative fuel, and has therefore become a
reference in the sector throughout the world
Brazil’s successful experience in the pro- prevail. But the country could strengthen
duction of ethanol from sugarcane has turned cooperative links and improve productivity
the Country into an exporter of knowledge. rates”, he argues. In addition to producing
In early October 2009, a delegation of tech- ethanol, Mexico has also shown interest in
nicians and entrepreneurs, led by the Sugar- generating energy from sugarcane bagasse.
cane Industry Union (Unica), went to Mexico In Souza’s view, Mexico boasts every
to come up with ways to cooperate in the condition to produce fuel from sugarcane.
A experiência bem-sucedida em obter etanol a partir da modelo fundiário com propriedades pequenas. Mas o país tem production of alcohol in that country. The in- “This consultation with Brazil marks an
cana-de-açúcar faz do Brasil um exportador de conhecimento. condições de fortalecer o cooperativismo e ganhar em produ- vitation came from the president of Mexico, important step in public policies aimed at
No início de outubro de 2009, uma comissão formada por téc- tividade”, argumenta. Além de produzir etanol, o México ainda Felipe Calderon, who visited Brazil in August. ensuring a promising market”, he believes.
nicos e empresários, liderada pela União da Indústria de Cana- tem interesse em gerar energia a partir do bagaço. According to the chief executive di- Besides meeting the domestic needs, the
de-Açúcar (Unica), foi ao México com a tarefa de avaliar formas Para Sousa, o México possui plenas condições de obter o rector of Unica, Eduardo Leão de Souza, country keeps an eye towards the alcohol
de cooperação para intensificar a produção de álcool naquele combustível a partir da cana.“Essa consulta ao Brasil é um pas- Mexico has decided to develop a well needs of the neighboring United States.
país. O convite partiu do próprio presidente mexicano, Felipe so importante de política pública para assegurar um promis- structured program to encourage the use “In a way, Mexico will reap economic and
Calderón, que visitou o Brasil em agosto. sor mercado”, acredita.Além do abastecimento interno, o país of sugarcane-based ethanol as fuel, and environmental gains, as sugarcane ethanol
Segundo o diretor executivo da Unica, Eduardo Leão está de olho no fornecimento de álcool ao vizinho Estados wants to become competitive in this area. seems to be more sustainable than corn-
de Sousa, o México quer desenvolver um programa mais Unidos. “De uma certa maneira, terão ganhos econômicos e The government of this North-American based ethanol”, he stresses.
estruturado de estímulo ao uso do etanol de cana como também ambientais, pois o etanol de cana é considerado mais country confirmed the 2-percent mixture Mexico’s interest in the Brazilian technol-
combustível e se tornar competitivo nessa área. O go- sustentável que o de milho”, enfatiza. of alcohol to gasoline, starting in the prov- ogy is poised to generate hefty profits to the
verno do país norte-americano confirmou que até 2011 O interesse mexicano na tecnologia brasileira deve gerar ince of Guadalajara, by 2011. sugar and alcohol entrepreneurs. According
pretende adotar a mistura de 2% de álcool à gasolina, bons frutos também aos empresários do setor sucroalcoo- Currently, Mexico’s sugarcane produc- to the Unica director, investments in mills
começando pela província de Guadalajara. leiro. De acordo com o diretor da Unica, devem surgir inves- tion reaches some 5 million tons a year. and industrial technology are likely to take
Atualmente, o México produz pouco mais de 5 milhões de timentos em usinas, em tecnologia industrial, com o repasse The intention, says Unica director, is to ex- place, whilst model contracts between grow-
toneladas da gramínea.A intenção, destaca o diretor da Unica, é de experiências de modelos de contrato entre produtores e pand plantings. “Mexico’s sugarcane variet- ers and industries and sustainable practices
ampliar o plantio.“Eles possuem variedades pouco produtivas e indústrias, e em práticas sustentáveis. ies are little productive, and small holdings are to be passed down to that country.

102 103
Sílvio Ávila

investimentos
• Mapa das usinas no Brasil

• Crédito para aquisição


de maquinário

• Novidades em equipa-
mentos para a lavoura

investments
• Map of sugarcane
mills in Brazil

• Credit line for


machinery acquisition

• New field equipment


104 105
Horizonte favorável dação da cana como importante fonte energética para o
País, além de defender que a cadeia produtiva tem tudo
para seguir como grande exportadora de açúcar e álcool.
“Contamos com o zoneamento para guiar o crescimento
tranquiliza parcialmente alguns investidores”, explica.
Ele lembra, contudo, que muitos investimentos que
estavam programados para ocorrer ao longo de 2009,
2010 e até 2011 eram focados, em parte, na construção

Expectativa do setor sucroalcooleiro é da cultura de forma equilibrada. Além disso, a cana deverá
continuar sendo matéria-prima extremamente competiti-
de usinas direcionadas à produção exclusiva de etanol,
na confiança de um panorama favorável para a produ-
de futuro promissor, com investimentos e va, mesmo na segunda geração de biocombustíveis”.
No entender do consultor da Safras & Mercado Miguel
ção de biocombustíveis a longo prazo. “Muitos ainda
acreditam nessa tendência, mas é fato que as usinas
manutenção das boas cotações do açúcar Biegai Júnior, os investimentos estão voltando moderada- com possibilidade de flexibilizar sua produção entre
mente.“As cotações do açúcar têm quadro de preços possi- etanol e açúcar foram as que tiveram melhores retor-
velmente bem firmes para boa parte do ano de 2010, o que nos em 2009 e provavelmente o terão em 2010”.
Mesmo com dificuldades para enfrentar na safra (Orplana), Ismael Perina Júnior, acredita numa retomada na
2009/10, reflexo da crise financeira mundial e da redução safra 2010/11. “A melhora neste setor é lenta, deve levar
na oferta de crédito em alguns setores, a Companhia Na- em torno de meio ano. Nos seis meses que se passaram NO MAPA DO BRASIL Açúcar e Agroenergia. Desse montante, São justamente esses estados, acompa-
cional de Abastecimento (Conab) aponta a entrada de 25 da safra 2009/10, tivemos preço razoável do açúcar, mas 251 unidades são mistas, 16 são exclusivas nhados de Mato Grosso do Sul, que deve-
novas usinas no sistema produtivo da região Centro-Sul muito ruim do álcool. Esperamos que melhore”, avalia. Levantamento do Ministério da Agri- para açúcar e 167 destinam-se à produção rão receber novas plantas. Ao menos é o
em 2009. Para integrantes do setor, o futuro do segmento A aposta do diretor do Departamento da Cana-de-Açú- cultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de etanol. No ranking nacional, o Estado que indica o Zoneamento Agroecológico
sucroalcooleiro é positivo. O presidente da Organização car e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e aponta que o Brasil tem 434 usinas ca- de São Paulo tem a maior concentração, da Cana-de-Açúcar, que buscou, nessa de-
dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil Abastecimento (Mapa), Alexandre Strapasson, é a consoli- dastradas no Departamento da Cana-de- seguido por Minas Gerais, Goiás e Paraná. limitação, ocupar áreas degradadas.

AJUSTE DE CONTAS alíquota de 18% de Imposto sobre Circulação de Mercado-


rias e Serviços (ICMS) ao entrar na usina. O valor é reco-
Com o intuito de reduzir a inadimplência de usinas de açúcar lhido pela usina, que poderá requerer regime especial para
e de álcool e resgatar a concorrência leal entre participantes da isentá-la do pagamento da taxa. Para o produtor de cana-de-
atividade, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo publi- açúcar não há encargos. Tanto usinas quanto distribuidoras
cou o Decreto nº 54.976, em 29 de outubro de 2009, que visa a devem requerer credenciamento para não recolher o ICMS
aumentar o controle fiscal do setor em âmbito estadual. Os efei- relativo à saída do álcool hidratado. Conforme o diretor
tos da medida passaram a ser produzidos em 1º de dezembro técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica),
do mesmo ano. A legislação institui a obrigatoriedade de usinas e Antonio de Padua Rodrigues, como o nível de sonegação
distribuidoras de etanol de se credenciarem na secretaria. por parte das 180 usinas instaladas no Estado é baixo, 95%
Outra mudança refere-se à cana em caule, que passa a ter delas deve atender às alterações na legislação.
Sílvio Ávila

106 107
Empurrãozinho PODIA SER MELHOR Para o
presidente da Organização dos Plan-
tadores de Cana da Região Centro-
Sul do Brasil (Orplana), Ismael Perina
Júnior, o Programa de Sustentação do
dade para aquisição de equipamentos
utilizados na colheita, a exemplo de
colheitadeiras, transbordos e tratores
para tracionar o transbordo.
“A linha deveria ter crédito condi-
avalia Perina Júnior. O dirigente acredita,
contudo, que a necessidade de ampliar a
mecanização tenha levado os produto-
res a adquirir colheitadeiras e tratores.
A expectativa da Orplana para a
Cadeia produtiva da cana-de-açúcar conta, na safra 2009/10, com Investimento (PSI) não atende a todas zente com o benefício ambiental que safra 2009/10 é de que mais de 50%
as expectativas. Ele defende a criação traz. Os juros não são o que poderiam da colheita de São Paulo seja feita por
facilidades para financiar a aquisição de máquinas e equipamentos de linhas específicas para projetos que ser, pois a Selic (Sistema Especial de Li- meio de máquinas, enquanto que em
diminuam mais rapidamente o uso de quidação e Custódia) baixou e as taxas Minas Gerais a tecnologia deve ser em-
Taxas de juros baixas e prazo estendido para pagar as do PSI para o segmento somavam R$ 42,9 milhões.Até o fim queimadas nas lavouras, como facili- não reduziram na mesma proporção”, pregada em menos da metade da área.
dívidas são vantagens que todos desejam ao fechar um do período do crédito, o montante deve se multiplicar.
negócio. Uma ajuda nesse sentido foi dada pelo governo “Com o PSI, o setor está adiantando investimentos que
federal com a liberação de R$ 43 bilhões para o Programa só seriam feitos em 2010”, observa o chefe do Departa-
de Sustentação do Investimento (PSI) do Banco Nacional mento de Credenciamento e Financiamento a Máquinas e COLHEITA MANUAL passou por três anos de crise e a expectativa é de melhora
de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Equipamentos do BNDES, Paulo Sodré. Ele diz que a soja é devido ao bom momento atual dos preços do açúcar.
O recurso, oferecido desde julho de 2009, beneficia todos o carro-chefe dos financiamentos, mas que a cana-de-açú- No Nordeste do País, os terrenos com canaviais são aci- É também graças às cotações do produto que Paulo So-
os setores que buscam financiamento para a aquisição de ma- car também está requerendo recursos. Do início de 2009 dentados e tornam necessária a colheita manual em quase dré, chefe do Departamento de Credenciamento e Finan-
quinário e veículos novos.Até 31 de dezembro do mesmo ano, até 16 de setembro, o segmento sucroalcooleiro havia 100% da área. Por essa razão, o presidente da União Nordesti- ciamento a Máquinas e Equipamentos do Banco Nacional
tanto pequenos produtores quanto grandes empresas podem contratado, somando todos os programas do BNDES, R$ na dos Produtores de Cana (Unida),Alexandre Andrade Lima, de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), projeta
aproveitar juros de 4,5% a 7% ao ano para a compra de máqui- 479 milhões para compra de máquinas e equipamentos. destaca que a facilidade de financiamento dos equipamentos uma retomada do setor. “Está tudo aliado. Um bom crédito
nas agrícolas, equipamentos, caminhões e ônibus, por exemplo. Quanto à ampliação das linhas de crédito para o setor não surtiu impacto nas lavouras. Como um dos problemas com boa perspectiva futura leva a crer num novo cresci-
A proposta é um incentivo para ampliar a mecanização canavieiro, Sodré não vê perspectivas. Ele acredita que da região é a inadimplência do setor, poucos produtores usu- mento.” A expectativa é de que haja maior recuperação das
dos canaviais e, já nos primeiros meses, a cadeia está bem atendida com as opções disponíveis. fruem de linhas de crédito. Lima destaca que a canavicultura vendas de máquinas nos últimos meses de 2009.

Sílvio Ávila
registrou contratos para a área su- Quem utilizar os recursos do PSI, ofertados por meio das
croalcooleira. Conforme dados linhas Finame, Finame Leasing e Finame Agrícola, tem ca-
do BNDES, de julho a 16 de rência de até 24 meses para iniciar o pagamento. Quanto
setembro, as aprovações à dívida, ela pode ser parcelada em até 120 meses.

110 111
Motorizado Motorized
Ritmo das vendas de máquinas foi mais lento no primeiro Machinery sales lagged a little behind over the first half of
semestre de 2009, mas não abalou o otimismo do setor 2009, a fact that did not affect the enthusiasm of the sector
Apesar das perspectivas negativas geradas pela crise global, que tivemos no início do ano, 2009 deve ter um mercado Despite the negative perspec- the sales of 46,525 farm and caterpillar arcane harvesters every year.
cujos reflexos foram sentidos mais fortemente na safra 2009/10, maior que o de 2008. Em 2010, esperamos ainda mais cresci- tives stemming from the global cri- tractors, motorized cultivators and har- The same opinion is strength-
o setor de máquinas e equipamentos agrícolas chega ao fim do mento”, avalia Ari Kempenich, gerente de marketing da Case sis, whose effects were strongly felt vesters to all segments of agriculture, ened by Valtra’s general sales man-
ano com otimismo. Isso porque a demanda melhorou nos últi- IH. A indústria é responsável por comercializar anualmente in the 2008/09 crop, the machinery up 0.9 percent from the sales of 46,956 ager Paulo Beraldi, and by José Luiz
mos meses com a valorização das cotações do açúcar e com o entre 500 e 700 colheitadeiras de cana. sector comes to year end with great units in the same period in 2008. Coelho, Latin American Strategic
apoio financeiro do governo por meio da oferta de crédito. A mesma opinião é compartilhada pelo gerente-geral de optimism. This is happening because “The present scenario is very op- Marketing manager at John Deere.
De janeiro até novembro de 2009, a Associação Nacional vendas da Valtra, Paulo Beraldi, e pelo gerente de marketing es- demand has soared over the final timistic. In spite of the crisis we went He estimates a 20-percent fall in the
dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) contabili- tratégico para América Latina no segmento canavieiro da John months of the year, with sugar prices through at the beginning of the year, commercialization of machines for
zou a venda nacional de 46.525 tratores de rodas e esteiras, Deere, José Luís Coelho. Ele estima em apenas 20% a queda highly valued and government support 2009 should outstrip the 2008 mar- the crop, not relevant, particularly
cultivadores motorizados e colheitadeiras para todos os seg- no comércio de máquinas para a cultura, volume que consi- through readily available credit lines. ket. We expect even further growth because the 2008 crop took advan-
mentos da agricultura. Em igual período de 2008, foram comer- dera baixo especialmente se for levado em conta que a safra January through November 2009, the in 2010”, argues Case IH market tage of readily available credit lines
cializadas 46.956 unidades, volume 0,9% superior. de 2008 se desenvolveu com crédito farto e sem os efeitos da National Association of Automotive Ve- manager Ari Kempenich. The industry and was not afflicted by the effects
“O cenário atual é muito bom. Mesmo diante da crise turbulência na economia mundial. hicle Manufacturers (Anfavea) registered commercializes from 500 to 700 sug- of the global turbulence.
Sílvio Ávila

PROMISSOR A Massey Ferguson para o Plano Safra 2009/10 e a pers- setor está vivendo um momento de PROMISING In Massey Ferguson’s projections, 2010 will Soaring sales keep pace with the technological evolu-
projeta para 2010 um ano ainda me- pectiva do fenômeno  El Niño, com transição. “Onde sempre se buscou outstrip 2009 in sales, says Fábio Piltcher, marketing direc- tion of the machines. In the opinion of product specialist
lhor, segundo o diretor de marketing chuvas abundantes no verão, são bons muita simplicidade nos equipamentos, tor of the company. “Rural producers envisage a positive at New Holland, Giancarlo Fasolin, the sector is now go-
da empresa,  Fábio Piltcher. “Há uma indicadores”, observa Piltcher. hoje se nota a demanda por mais tec- perspective for 2010, with commodity prices on the rise, ing through a transition period. “Where equipment sim-
perspectiva positiva do produtor ru- O avanço nas vendas é acompanhado nologia aplicada, visando não somente à high productivity rates and favorable climate factors. More plicity used to be the leading trait, now it is applied tech-
ral para 2010, com bons preços das pela evolução tecnológica das máquinas. produtividade e à redução do consumo, resources for the 2009/10 Crop Plan and the perspective nology, not only aimed at productivity and consumption
commodities, alta produtividade e fato- Na opinião do especialista de produto mas também à ergonomia e ao confor- of the el Niño phenomenon, with abundant rainfalls in the reduction, but also with an eye towards ergonomics and
res climáticos positivos. Mais recursos da New Holland, Giancarlo Fasolin, o to dos operadores”, destaca. summer, are attractive indicators”, Piltcher observes. operator comfort”, he remarks.

114 115
A escolher Plenty to
Com novas opções a cada safra,
canavicultor tem à disposição máquinas
choose from
cada vez mais econômicas e eficientes With new options every year, sugarcane growers can
choose from ever more efficient and economical machines
Se por um lado a utilização da queima para a colheita colheitadeira 3522, que permite o trabalho em dois talhões
de cana-de-açúcar nas lavouras brasileiras está com os dias simultaneamente em plantios com espaçamento de 1 a 1,1 If sugarcane field burning has its days counted, it is also harvester, which allows operations on two rows simulta-
contados, por outro o setor pode contar com opções cada metro. Ela é indicada para o mercado do Nordeste e regiões true that the Brazilian growers now have an option for an neously in plantations of 1 to 1.1 meter row spacing. It
vez mais modernas em termos de mecanização. Alguns lan- de solo arenoso de São Paulo e noroeste do Paraná. array of modern mechanization tools. Some of the follow- is recommended for the Northeast, for regions of sandy
çamentos, apresentados a seguir, foram introduzidos no Outra iniciativa da indústria é o desenvolvimento de ing new tools were introduced in the market in early 2009 soils, São Paulo and northwestern Paraná.
mercado no início de 2009 e puderam ser aproveitados uma máquina para plantio de microtoletes de cana-de- and were put to use in the current crop. Another initiative of the industry is the development of a ma-
pelos agricultores na safra em andamento. açúcar utilizando a tecnologia Plene, da Syngenta. O novo With the target to lower costs, boost yields and cause chine for planting sugar cane microstems, based on Syngenta’s Plene
Com a meta de proporcionar custos mais baixos, rendi- sistema, semelhante ao dos grãos, proporcionará redução less damage to the fields, companies like John Deere, even technology.The new system,similar to the grain system,is to reduce
mento superior e menos prejuízos às plantações, empresas no custo, pois requer apenas 1,5 tonelada de mudas por go so far as to invest US$ 2 million a day in the develop- costs, as it requires just one ton of seedlings per hectare, compared
como a John Deere chegam a investir, em suas operações hectare, contra as 15 toneladas do modelo convencional. ment of technology in their international operations, in- to the 15 tons of the conventional model.The planter, now in its
mundiais, até US$ 2 milhões por dia no desenvolvimento de A plantadeira, que está em fase de protótipo, trabalhará a cluding products for all segments. prototype phase, will operate at a speed of 5 to 6 kilometers per
tecnologia, aplicada nos produtos de todos os segmentos. uma velocidade de 5 a 6 quilômetros por hora e oferecerá A novelty of the brand for the 2010/11 crop is the 3522 hour and will provide more operational precision.
Uma das novidades da marca para a safra 2010/11 é a maior precisão na aplicação.
IN OPERATION John Deere’s inno- harvester, associated with one of the row spacing of 1.4 to 1.5 meters. The
vations are not restricted to the future. three new models of the sugarcane equipment reduces soil compaction by
EM OPERAÇÃO As inovações da América Latina no segmento cana- In the 2009/10 crop the growers put tractor line, requires just one liter of 50 percent and prevents the stumps
John Deere, contudo, não se restrin- vieiro, José Luís Coelho. “É uma tec- to use equipment launched in March fuel per ton, the most economical in from being compacted, thus positively
gem ao futuro. Na safra 2009/10, os nologia que se paga. O investimento by the Catalão factory (GO). The 3520 the market, says strategic marketing impacting on yields and sugar cane lon-
agricultores contaram com equipa- retorna em aumento de produtivi- sugarcane harvester, equipped with the manager for Latin America in the sugar- gevity. Baler 568, manufactured by John
mentos lançados em março na fábri- dade e redução de custo”, ressalta. Field Cruise technology, consumes less cane segment, José Luís Coelho. “It is a Deere, is recommended for growers
ca de Catalão (GO). A colheitadeira Também compõe o conjunto de fuel, as it electronically adjusts the injec- technology that pays off.The investment willing to take advantage of the straw in
de cana 3520, equipada com a tecno- novidades deste ano o eixo esten- tion of diesel in accordance with the translates into higher yields and lower energy cogeneration schemes. The ma-
logia Field Cruise, oferece redução dido de 2,8 a 3 metros, que pode productivity of the area. Other positive costs”, he emphasizes. chine collects the straw and prepares
no consumo de combustível, pois ser usado nos novos tratores 7715 traits of the product consist in smaller The package of novelties does not bales in variable diameters, free from
permite ajuste eletrônico da injeção e 7815 em lavouras com espaçamen- losses – inferior to 2 percent – and a stop there. The 2.8 to 3 meter ex- foreign matter like soil particles or im-
de diesel conforme a produtividade tos de 1,4 e 1,5 metro. O equipa- harvest performance up to 15 percent tended axle support is ideally used with purities, simplifying and turning the pro-
da área. Outras qualidades do pro- mento reduz em 50% a compacta- above the 3510 model. The use of the 7715 and 7815 tractors on fields with cess more economical.
duto são menor índice de perda — ção do solo e não pisoteia a soquei-
inferior a 2% — e rendimento até ra, o que reduz a produtividade e a
15% superior na colheita se compa- longevidade do canavial. A enfarda-
rado ao modelo 3510. dora 568 da marca é indicada para
O uso da colheitadeira, associa- o produtor que quiser aproveitar o
do a um dos três novos modelos da palhiço em cogeração de energia. A

Sílvio Ávila
linha de tratores canavieiros, gera máquina recolhe a palha e prepara
consumo de um litro de diesel por fardos em diâmetros variáveis com
tonelada colhida, o mais econômico presença mínima de terra e demais
do mercado, de acordo com o ge- impurezas, simplificando e tornando
rente de marketing estratégico para o processo mais econômico.

116 117
Recém-chegadas de alta produtividade, com espaça-
mento convencional. Entre as inova-
ções das colheitadeiras estão as duas
opções de motor — Scania DC9 e
a comunicação com o software de
agricultura de precisão da Case IH
Advanced Farmming Systems (AFS).
De acordo com o gerente de marke-
cional devido aos ajustes eletrônicos,
ao controle de patinagem e ao siste-
ma hidráulico, que permite realizar o
trabalho em mais hectares, no mes-
De diferentes portes e potências, colheitadeiras e Case IH C9 — e o picador Extreme ting da empresa, Ari Kempenich, os mo período e com menor consumo
Chopper, que permite maior veloci- canavicultores estão aumentando o de combustível por área.
tratores ajudam a acelerar o trabalho dos canavicultores dade de colheita mesmo em áreas de grau de mecanização em grande ve- São também opções de tratores
produtividade elevada. Em relação à locidade e exigem produtos com ca- para a lavoura de cana-de-açúcar os
Desde setembro no mercado, paçamento a partir de um metro e vidade. “A nova A4000 será a porta série A7000, a potência dos novos pacidade maior de colheita e menor modelos das séries TS e TM, da New
as colheitadeiras A4000 e a série de média ou baixa produtividade, de acesso à mecanização de peque- modelos é 39% superior e com con- consumo de combustível. Holland. Eles apresentam potência de
A8000 são as apostas da Case IH plantio mais comum no Nordeste, nos e médios fornecedores de cana”, sumo de combustível inferior. Um exemplo é o novo trator Mag- 111cv a 180cv e realizam operações
para suprir as demandas do setor onde o emprego de mecanização é ressalta o especialista de produto da Outro destaque dos equipamen- num 305, equipado com motor Cum- desde o plantio até a colheita e o trans-
canavieiro. A primeira destaca-se baixo. A máquina pode ser utilizada empresa, Roberto Biasotto. tos é o computador de bordo Data mins de 305cv. Além da potência, ele porte. Da produção total da indústria,
por ser opção em lavouras com es- em terrenos com até 7,5% de decli- A linha A8000 é voltada às áreas Logger como item de série, que faz apresenta maior rendimento opera- 20% é destinado ao setor canavieiro.

VALTRA DESENVOLVE LINHA


DE TRATORES PARA ATENDER
ÀS LAVOURAS DE PEQUENOS
E MÉDIOS PRODUTORES

BIOTURBINADO
Sílvio Ávila

Com potências de motor entre 140cv e 180cv, os qua-


tro tratores da série MF 7100 da Massey Ferguson podem
ser abastecidos com 100% de biodiesel. As máquinas são
equipadas com motor AGCO Sisu Power de seis cilindros,
que proporciona força e velocidade com baixo consumo de
combustível. Outro benefício dos modelos é a caixa sincro-
nizada powertrain ZF, cujo escalonamento de marchas foi
projetado especialmente para atividades nos canaviais.
Voltada aos médios e pequenos produtores, foi lançada
em 2009 a Série A, da Valtra, com tratores da linha leve de
78cv a 95cv. São três modelos desenvolvidos para aten-
der à faixa de mercado do Programa Mais Alimentos do
Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O setor
canavieiro é responsável por 15% da produção de tratores
da empresa, que em 2009 deve chegar a 10 mil unidades,
conforme o gerente-geral de vendas, Paulo Beraldi.
Em 2011, a AGCO, detentora das marcasValtra e Massey
Ferguson, espera ingressar no segmento de colheitadeiras
de cana, quando deve começar a produzir a máquina atu-
almente em teste. O produto deverá ser fabricado em São
Paulo e integrará o mix da Valtra. Com isso, a empresa quer
reforçar a participação no mercado da América do Sul.

118 119
Twice as
much energy
Merger between LDC Bioenergia and SantelisaVale
gives origin to the second biggest sugarcane-based
renewable energy complex in the world

Energia dobrada Sílvio Ávila


The sugar and alcohol sector attracted a strong part-
ner in 2009. Negotiations closed last October led to the
creation of the second biggest sugarcane-based renewable
energy company in the world - LDC-SEV. The company
results from the merger of LDC Bioenergia, subsidiary of
FOCUS ON THE STOCK EXCHANGE The expan-
sion plans of LDC-SEV, controlled by the LDCommodities
group, include an initial Public Offering (IPO). The initiative
is intended to raise the necessary capital to keep the op-
erations running. The new company was granted a capital
Louis Dreyfus Commodities (LDC), and the traditional of R$ 800 million from the group and finance investors, in
Fusão entre LDC Bioenergia e SantelisaVale dá Brazilian group SantelisaVale, with 70 years of experience addition to converting debts into net assets.
in the sugar and alcohol market and in clean, renewable
origem à segunda maior companhia mundial de

Sílvio Ávila
energy solutions. As part of the transaction, LDC-SEV now

energia renovável a partir de cana-de-açúcar controls Crystalsev, which boasts logistic assets and a share
in one terminal at Porto de Santos (SP).
The structure of the new company comprises 13 in-
O setor sucroalcooleiro ganhou um reforço de peso em aproximadamente 1,5 milhão de metros cúbicos de etanol.
dustrial units, scattered across the main sugarcane pro-
2009. Negociações finalizadas em outubro levaram à forma- Outro destaque é o potencial de geração de energia elétri-
ducing regions in Brazil, which have a capacity to process
ção da segunda maior companhia mundial de energia reno- ca, calculado em 1 GWH/ano, capaz de suprir o consumo
40 million tons of sugarcane a year. This leads to the pro-
vável a partir da cana-de-açúcar — a LDC-SEV. A empresa de uma cidade de 3,5 milhões de habitantes. A previsão da
duction of 2.7 million tons of sugar and approximately
resulta da união entre a LDC Bioenergia, subsidiária da Louis companhia é alcançar a geração de 1,6 GWH/ano.
1.5 cubic meters of ethanol. The complex also stands out
Dreyfus Commodities (LDC), e o tradicional grupo brasilei- “A associação com a SantelisaVale é um marco positivo
for its potential to produce 1 GWH of electric energy a
ro SantelisaVale, com 70 anos de experiência no mercado na consolidação do setor. A LDCommodities acredita forte-
year, enough to supply the consumption needs of a 3.5
sucroalcooleiro e na oferta de soluções em energia limpa mente no futuro do mercado de energia renovável e o Brasil
million people town. The projections of the company are
e renovável. Como parte da transação, a LDC-SEV passa a é definitivamente uma região promissora nesse segmento”,
for the production of 1.6 GWH/year.
ter o controle da Crystalsev, que tem ativos de logística e afirma o chairman e CEO da LDCommodities, Serge Schoen.
“The merger with SantelisaVale is a positive mark in
participação em um terminal no Porto de Santos (SP). Esta atua no País desde 1940 nos segmentos de produção,
the consolidation of the sector. LDCommodities strong-
A estrutura da nova empresa é formada por 13 unidades armazenagem, transporte e comercialização de soja, algodão,
ly believes in the future of the renewable energy mar-
industriais, distribuídas nas principais regiões produtoras de café, frutas cítricas, açúcar, álcool, milho e grãos.Também está
ket, and Brazil is definitely a promising region for this
cana-de-açúcar do Brasil, que dispõem de capacidade para presente nas principais regiões produtoras e consumidoras
segment”, says Serge Schoen, chairman and CEO at LD-
processar 40 milhões de toneladas de cana ao ano. Isso per- de açúcar no mundo, como Índia, China, Tailândia, Leste da
Commodities. The company has been operating in Brazil
mite a produção de 2,7 milhões de toneladas de açúcar e de África, Oeste da Europa e América do Norte.
since 1940 in the segments of production, warehousing,
transport and commercialization of soybean, cotton, cof-
FOCO NA BOLSA Entre os pla- na sigla em inglês) em breve. A ini- cebeu injeção de capital de R$ 800 fee, citrus fruits, sugar, alcohol, corn and other grains. It
nos de expansão da LDC-SEV, con- ciativa permitirá acessar o capital ne- milhões do grupo e de investidores also runs operations in the major sugar consumer re-
trolada pelo grupo LDCommodities, cessário para manter o crescimento financeiros, além de ter convertido gions in the world, like India, China, Thailand, East Africa,
está a oferta pública de ações (IPO das operações. A nova companhia re- dívidas em patrimônio líquido. Western Europe and North America.

122 123
eventos

Sílvio Ávila
events

Prontos para UM CANAVIAL DE


OPORTUNIDADES
da Cana-de-Açúcar (Fenasucro & Agro-
cana). O Fórum Internacional Fenasu-
expositores. O evento destaca-se pelo
público direcionado e pela apresenta-

o debate
cro & Agrocana marcará a abertura do ção de novos produtos e tecnologias.
É no segundo semestre de 2010 que encontro, cuja realização é do Centro Na edição anterior, as feiras movimen-
ocorre um dos maiores eventos do se- Nacional das Indústrias do Setor Sucro- taram R$ 2,2 bilhões em negócios e
tor sucroenergético. De 31 de agosto alcooleiro e Energético (Ceise-BR) e do atraíram visitantes de 25 países, além
a 3 de setembro, Sertãozinho (SP), um Sindicato Rural de Sertãozinho. do Brasil. Paralelamente à Fenasucro &
dos polos da produção canavieira nacio- A estimativa para esta edição é de Agrocana serão realizados o 12º Fórum

Em eventos programados durante o ano todo, nal, sedia mais uma edição da 18ª Feira
Internacional da Indústria Sucroalcoo-
receber 30 mil pessoas, entre profissio-
nais e técnicos do setor, que poderão
Internacional sobre o Futuro do Álcool,
o 10º Brasil Cana Show e o 14º Simpó-
integrantes do setor canavieiro encontram-se leira e 8ª Feira de Negócios e Tecnologia conferir os estandes de cerca de 420 sio Agroindustrial Internacional da Stab.

para apresentar tecnologias e planejar o futuro


Não faltará assunto para a cadeia sucroalcooleira abor- Na ocasião, os resultados obtidos superaram as expecta- PARA PROVAR E APROVAR

Sílvio Ávila
dar nos eventos agendados para 2010. Retomada de preços tivas. Apenas no último dia, as negociações somaram cerca
do açúcar e aumento na produção, efeitos do Zoneamento de R$ 1 bilhão. “Notamos que havia um público de nível
Quem busca fechar negócios no segmento da cachaça arte-
Agroecológico da Cana-de-Açúcar, e crescimento da co- mais técnico e elevado, e são essas pessoas, ligadas a grandes
lheita são alguns dos fatos que marcam a safra 2009/10 e grupos sucroalcooleiros, que fizeram os negócios girarem sanal tem encontro agendado para os dias 27, 28 e 29 de abril
que muitos debates devem gerar. durante o evento”, afirma o diretor da Safra, Flávio Nasser. de 2010. No período ocorre a 7ª Feira Internacional da Cachaça
A programação do setor inicia-se em março, quan- O sucesso da programação levou à criação da Feicana (Brasil Cachaça), no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). O
do ocorre a oitava edição da Feira de Negócios do FeiBio Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, que terá a
evento oportuniza a aproximação de mais de 100 pequenos e
Setor de Energia (Feicana FeiBio), nos dias 9, 10 e 11. primeira edição de 17 a 19 de agosto, no Pavilhão de Even-
médios produtores brasileiros com integrantes dos segmentos
Realizada no Recinto de Exposições Clibas de Almeida tos Albano Franco. No período a cidade também sediará o
Prado, em Araçatuba (SP), congrega feira e seminários 4º Congresso de Tecnologia na Cadeia Produtiva da Cana- atacadista e varejista, que contam com horário diferenciado para
e abrange os setores comercial, industrial e agrícola. de-Açúcar em Mato Grosso do Sul (Canasul 2010). Organi- acompanhar a programação. O primeiro dia é destinado apenas a
Em 2009, a Safra Eventos, organizadora do encontro, zado pela Opec Eventos, será nos dias 16 e 17 de agosto, no profissionais do setor, assim como o horário das 14h às 19h nos
contabilizou a visita de 20 mil pessoas. Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. dois dias seguintes. A visitação geral é aberta das 19h às 22h.
“As empresas que participam buscam novas possibilidades
ENERGIZADA Com mais de 5 mil Biocombustíveis. A mostra é uma ação ocorre junto à Feira de Fornecedores e
visitantes em 2009, a Mostra Sucroe- conjunta da Sociedade dos Técnicos Atualização Tecnológica da Indústria da de negócios”, afirma o diretor comercial da feira, Leandro
nergética Nordeste 2010 está agenda- Açucareiros e Alcooleiros do Brasil — Alimentação (FFATIA). O momento é Lara. Ele destaca que a previsão é ampliar em 10% o público
da para ocorrer entre 13 e 15 de abril, Stab Regional Setentrional e da Multi- propício para debater a cultura canaviei- do evento, que em 2009 atraiu mais de 17 mil pessoas, e
no Centro de Convenções de Pernam- plus Eventos. Paralelamente está pro- ra no Estado, onde está em expansão e chegar a 120 expositores. Quem for até o local terá a opor-
buco, em Olinda.A atividade contempla gramado para ocorrer o 14º Seminário deve ser impulsionada pelas indicações
tunidade de degustar o produto genuinamente brasileiro,
simpósio e feira de produtos, serviços Regional sobre Cana-de-Açúcar. do Zoneamento Agroecológico. As ati-
participar de palestras sobre o tema e também visitar a 14ª
e tecnologia voltados à agroindústria Em Goiânia (GO), o setor vai se en- vidades serão promovidas no Centro
sucroalcooleira. A abertura oficial será contrar de 19 a 22 de outubro na Mos- de Convenções de Goiânia e são orga- Expovinis Brasil, realizada simultaneamente no local. Ambas
com o Fórum Latino-Americano sobre tra Sucroenergética Centro-Oeste, que nizadas pela Multiplus Eventos. atividades são promovidas pela Exponor Brasil.

124 125
PROGRAME-SE • get scheduled

O QUE QUANDO ONDE CONTATO


WHAT WHEN WHERE CONTACT

Feicana FeiBio 9 a 11/3/10 Araçatuba (SP) www.feicana.com.br


18 3624-9655

Mostra Sucroenergética 3 a 15/4/10 Olinda (PE) www.mostrasucroenergetica.com.br


Nordeste 16 2132-8936

Agrishow 2010 26/4 a 1°/5/10 Ribeirão Preto (SP) www.agrishow.com.br

Brasil Cachaça 2010 27 a 29/4/10 São Paulo (SP) www.exponor.com.br


11 3141-9444

Simpósio Internacional 13 a 16/7/10 Piracicaba (SP) www.simtec.com.br


e Mostra de Tecnologia da 19 3417-8604
Agroindústria Sucroalcolra
(Simtec 2010)

Canasul 2010 - 4º Congresso 16 e 17/8/10 Campo Grande (MS) 67 3341-6900


de Tecnologia na Cadeia
Produtiva da Cana-de-Açúcar
em Mato Grosso do Sul

Feicana FeiBio 17 a 19/8/10 Campo Grande (MS) www.feicana.com.br


18 3624-9655

Fenasucro & Agrocana 31/8 a 3/9/10 Sertãozinho (SP) www.fenasucroeagrocana.com.br


16 2132-8936

Mostra Sucroenergética 19 a 22/10/10 Goiânia (GO) www.multipluseventos.com.br


Centro-Oeste 16 2132-8936
Sílvio Ávila

Interesses relacionados