Procedimento para elabora¸c˜ orio da 1a.

Aula Pr´
ao do relat´ atica
Decremento Logar´ıtmico e Lineariza¸c˜ao da Envolt´oria
EMA006 turma N[1,2,3,4]

Introdu¸ c˜ao
A determina¸c˜ ao exata de amortecimento em sistema mecˆanicos n˜ao ´e uma tarefa trivial. Exis-
tem diferentes t´ecnicas para situa¸c˜
oes diversas, neste ensaio, ser˜ao utilizadas a t´ecnica do de-
cremento logar´ıtmico, consecutivo e alternado, e o da lineariza¸c˜ao da envolt´oria determinando
experimentalmente o fator de amortecimento. O procedimento emprega dados extraidos das
curvas de resposta no tempo, como amplitude e frequˆencia natural amortecida. Estas t´ecnicas
s˜ao efetivas apenas para primeiro modo, ou primeira frequˆencia natural do espectro, e se as
outras frequˆencias n˜
ao estiverem presentes ou n˜ao interferirem, significativamente, nos valores
das amplitudes.

Descri¸ c˜
ao do ensaio
Ser´a usado um analisador de espectro em frequˆencia, um transdutor de acelera¸c˜ao ou ace-
lerˆometro. O acelerˆometro ´e afixado `
a extremidade livre de uma viga, engastada-livre. Se-
lecionado o tipo de an´alise e introduzidos os parˆametros como sensibilidade do transdutor,
tempo de captura, m´etodo de in´ıcio do processo de medi¸c˜ao etc, passa-se as medidas e ajustes
do tempo, se for o caso.
Deslocando e soltando a extremidade livre da viga, a acelera¸c˜ao do movimento peri´odico ge-
rado ´e captada pelo analisador de espectro que gera a curva de acelera¸c˜ao no tempo. Com
as curvas de resposta determina-se as amplitudes m´aximas amortecidas, o decremento, as
frequˆencias naturais amortecidas e o fator de amortecimento para cada um dos sistemas.

Para os dados obtidos:
a - Plotar os gr´ aficos a partir dos dados obtidos (Diret´orio Praticas no Moodle);
b - Determinar o per´ıodo m´edio e a frequˆencia natural amortecida dos sistemas.
c - Estimar experimentalmente os valores do fator de amortecimento, t´ecnica do decremento
logar´ıtmico considerando: picos consecutivos e picos alternados. Tabelar resultados. H´a
alguma dificuldade na aplica¸c˜ ao da t´ecnica aos casos estudados?
d - Usando os dados dos picos fazer a lineariza¸c˜ao da equa¸c˜ao da envolt´oria (ver explica¸c˜ao
anexa). Comparar resultados. Era de se esperar? Porque? A frequˆencia natural ´e igual a
frequˆencia natural amortecida, e para qual dos casos esta aproxima¸c˜ao seria v´alida?
e - Quais as poss´ıveis fontes de erro no experimento e nos c´alculos efetuados? Qual dos
procedimentos ´e o mais preciso?
f - Os dados obtidos experimentalmente s˜ao para acelera¸c˜ao, no entanto, toda a dedu¸c˜ao
te´orica foi feita para deslocamento, explique por que isto pode ser feito.
g - As t´ecnicas se adaptam melhor a qual dos casos analisados e porque.

arquivo com os valores de acelera¸c˜ao (g=9. Acesse a p´ agina do Scilab http://www.org/products/scilab/download para ’baixar’ o programa adequado ao seu sistema operacional. muito parecido com o matlab.8066 m/s2 ) para a viga de a¸co.ARQUIVOS DE DADOS DISPON´ IVEIS : Arquivos Os arquivos dispon´ıveis para a elabora¸c˜ao do relat´orio s˜ao: Decr-Lin Envol.scilab. O Scilab ser´ a preferido por ser um programa livre.scilab.pdf . o FreeMat que ´e muito simples e leve. como o octave.introdu¸c˜ ao ao SciLab em portuguˆes (um pouco desatualizado. usando a linha de comando em um sistema operacional UBUNTU. Mas nenhum deles ´e t˜ao bom. Existem ou- tros programas de uso livre n˜ ao propriet´arios em que vocˆe n˜ao incorre em crime de pirataria ou viola¸c˜ao de direitos autorais. sciport.X . arquivo com os valores de acelera¸c˜ao em ’g’ (g=9. USANDO O SCILAB PARA LER DADOS Ser´a usado aqui o programa Scilab. em portuguˆes. arquivo com os valores de tempo para a viga de a¸co.nota sobre a t´ecnica do Decremento Logar´ıtmo e lineariza¸c˜ao da envolt´oria.org/Tutorials#Other_Languages Depois de ter instalado e iniciado o Scilab mude para o diret´orio onde est˜ao os arquivos com os dados da pr´ atica a serem lidos. como o do matlab que pode pagar e tem uma equipe capacitada. A documenta¸c˜ao ’online’ facilita o uso do programa e pode ser encontrado no link O manual sciport.3. P.X .TXT . A. bastante completo e dispon´ıvel para outros sistemas operacionais. http://wiki. e necess´arias em algumas pr´ aticas do curso. mas os dados podem tamb´em ser processados em- pregando o matlab. arquivo com os valores de tempo para a viga de pol´ımero. est´a defasado. que ´e uma distribui¸c˜ ao Linux digite: .3 Consortium Scilab (DIGITEO) Copyright (c) 1989-2011 (INRIA) Copyright (c) 1989-2007 (ENPC) ___________________________________________ Startup execution: loading initial environment --> Para mudar o diret´ orio.pdf . principalmente a interface e outros recursos gr´ aficos e variedade de fun¸c˜oes e aplicativos espec´ıficos para diferentes ´areas (toolbox). P. ___________________________________________ scilab-5.pdf.8066 m/s2 ) para a viga de pol´ımero. propriet´ario mas de c´odigo aberto. Arquivos de Dados A.TXT . S˜ ao programas similares que empregam as mesmas rotinas. mas resu- mido). de uso livre. mas ajuda para os que tˆem alguma dificuldade com o inglˆes da documenta¸c˜ao ’online’.

X Nos comandos abaixo o nome do arquivo. Tamb´em ´e poss´ıvel a op¸c˜ao COPY TO CLIPBOARD. que abrir´ a uma ’janela’ permitindo ’navegar’ pelos diret´orios e sub-diret´orios.X F. tomadas no tempo.TXT. e o segundo n´ umero. Para gerar um gr´ afico mostrando a vibra¸c˜ao amortecida da barra de madeira ´e usada a fun¸c˜ao plot2d. F.org/ Tutorials#Other_Languages. O formato default do Scilab para figuras ´e a de extens˜ ao scg. ’1’.1). estes arquivos contˆem apenas uma coluna. est˜ ao entre aspas. --> [temp]=read(’F. --> [ac]=read(’F.TXT A..’ ´e para evitar que os valores lidos pelo programa e armazenados nas vari´aveis ou vetores ’ac’ e ’temp’ sejam apresentados na tela.X.-1. sciport.xgrid. t´ıtulo da figura etc) se vocˆe desejar. Documenta¸c˜ao mais recente ou em outra l´ıngua pode ser encontrada na p´ agina de documenta¸c˜ao do site do Scilab http://wiki.X’..1). Tamb´em ´e poss´ıvel mudar a espessura da linha. o j´a citado tutorial em portuguˆes. mas como os gr´aficos s˜ao em preto e branco com poucas linhas este provavelmente n˜ao ser´a um grande problema.-1. Caso haja interesse ou desejo em aprofundar ou usar outras fun¸c˜oes do programa.plot2d(temp.ac). Normalmente esta u ´ltima op¸c˜ao gera figuras muito pesadas. H´a tamb´em o comando help para gerar um arquivo iterativo de suporte ou j´a apresentando as defini¸c˜oes e op¸c˜ oes da fun¸c˜ao ou comando chamado: help(’plot2d’) ou help plot2d. O conte´ udo destes arquivos ser´a armazenado nas vari´arveis ’ac’ e ’temp’ respectivamente. Para estes casos o diret´orio pode ser alterado.) e xgrid gera um grade de linhas verticais e horizontais que facilitam a leitura e identifica¸c˜ao dos pontos.TXT’.-->cd ’/home/Op/Documentos/Praticas/P1’ ans = /home/Op/Documentos/Praticas/P1 verificando o diret´ orio -->pwd ans = /home/Op/Documentos/Praticas/P1 Em outros sistemas operacionais a barra de separa¸c˜ao entre diret´orios pode ter que ser in- vertida. No comando read a op¸c˜ao ’-1’ indica que todas as linhas do in´ıcio at´e a u´ltima do arquivo devem ser lidas.TXT F.scilab. de acelera¸c˜ao da viga. J´ a no diret´ orio com os arquivos de dados. usando o menu File− > Open a File.pdf. indica o n´umero de colunas a serem lidas. scf(n) vai gerar o gr´ afico identificado pelo n´ umero n (n=1. incluir t´ıtulo da figura e o nome das vari´aveis nos eixos X e Y usando o editor do pr´oprio Scilab Graphic.2. . verifique o conte´ udo: -->dir ans = A. uma vez no clipboard vocˆe pode usar o comando ’paste’ em um outro editor de imagens de sua preferˆencia e editar a figura (texto da abscissa e ordenada. arquivo F. O ponto e v´ırgula ’. Caso prefira trabalhar com outro formato selecione a op¸c˜ao EXPORT ao inv´es de SAVE.3. --> scf(1).. Para salvar a figura ´e s´ o baixar o menu do ’file’ e selecionar SAVE. de forma tradicional. ´e recomendado..

Para fazer regress˜ ao usar o comando [b. Use o help para o comando. 1.Xmax) sendo t o vetor de tempos onde ocorrem os m´ aximos e Xmax o vetor com os m´aximos. O seletor de ´ area do ZOOM pode ter aparˆencia um pouco diferente dependo do sistema operacional. 2 e Fig.a]=reglin(t. . Sele¸c˜ao do ZOOM As Fig. 3 mostram a sequˆencia de passos necess´arios `a obten¸c˜ao dos m´aximos locais. Para determinar os pontos de m´ aximo ´e poss´ıvel empregar o Zoom da pr´opria figura. uma rotina com alguns comandos. Em anexo uma sequˆencia de comandos. Figura 1: Grafico gerado pelo Scilab com dados de deslocamento no tempo. Fig. Outra op¸c˜ao ´e programar.

Figura 2: Escolhido o ZOOM na barra de ferramentas. dessa forma os valores de m´aximo podem ser determinados com maior precis˜ao. . com o cursor do “mouse” selecione a ´area a ser ampliada Aciona-se o Zoom e delimita-se a regi˜ao a ser ampliada com o cursor. O Zoom ´e recursivo e pode ser aplicado sobre regi˜ao j´a ampliada previamente. Figura 3: Area selecionada ampliada ap´os acionamento do bot˜ao direito do “mouse”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful