Você está na página 1de 18
REFLEXOS DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL NA ATIVIDADE NOTARIAL E REGISTRAL Professora Ana Beatriz

REFLEXOS DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL NA ATIVIDADE NOTARIAL E REGISTRAL

Professora Ana Beatriz Ávila

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Regra de competência para danos causados por notários e registradores

Art. 100, V, a, CPC 1973:

“ (

)competência

do lugar do fato ou ato.”

Art. 53, III, f, NCPC:

) será competente para o julgamento o foro da sede da serventia notarial ou de registro”

“(

Art. 53, III, f, NCPC: ) será competente para o julgamento o foro da sede da
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Regra de competência para danos causados por notários e registradores

Art. 100, V, a, CPC 1973:

“ (

)competência

do lugar do fato ou ato.”

Art. 53, III, f, NCPC:

) será competente para o julgamento o foro da sede da serventia notarial ou de registro”

“(

Art. 53, III, f, NCPC: ) será competente para o julgamento o foro da sede da
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

OBS: Distribuição dinânica do ônus da prova no novo CPC:

Na sistemática do novo CPC a juiz pode distribuir o ônus de provar de acordo com a potencialidade de cada parte para produzir a prova. No caso do notário/registrador, por essa norma, poderá haver atribuição de produzir a prova, ainda que não seja o autor da ação.

por essa norma, poderá haver atribuição de produzir a prova, ainda que não seja o autor
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

4)Possibilidade de revogação da gratuidade a pedido do notário e registrador:

O notário ou registrador, havendo dúvidas quanto ao preenchimento dos requisitos da gratuidade de justiça no momento da lavratura da escritura e/ou do registro, pode requerer ao juízo competente a revogação total ou parcial do registro.

da lavratura da escritura e/ou do registro, pode requerer ao juízo competente a revogação total ou
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Possibilidade de revogação da gratuidade a pedido do notário e registrador:

Art. 98. “A pessoa natural ou jurídica, brasileira ou estrangeira, com insuficiência de recursos para pagar as custas, as despesas processuais e os honorários advocatícios tem direito à gratuidade da justiça, na forma da lei.” § 1 o A gratuidade da justiça compreende: ( IX - os emolumentos devidos a notários ou registradores em decorrência da prática de registro, averbação ou qualquer outro ato notarial necessário à efetivação de decisão judicial ou à continuidade de processo judicial no qual o benefício tenha sido concedido.

)

à efetivação de decisão judicial ou à continuidade de processo judicial no qual o benefício tenha
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Possibilidade de revogação da gratuidade a pedido do notário e registrador:

“§ 8 o Na hipótese do § 1 o , inciso IX, havendo dúvida fundada quanto ao preenchimento atual dos pressupostos para a concessão de gratuidade, o notário ou registrador, após praticar o ato, pode requerer, ao juízo competente para decidir questões notariais ou registrais, a revogação total ou parcial do benefício ou a sua substituição pelo parcelamento de que trata o § 6 o deste artigo, caso em que o beneficiário será citado para, em 15 (quinze) dias, manifestar-se sobre esse requerimento.”

artigo, caso em que o beneficiário será citado para, em 15 (quinze) dias, manifestar-se sobre esse
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Possibilidade de revogação da gratuidade a pedido do notário e registrador:

OBS - Questão polêmica:

O legislador atribui competência ao juiz corregedor para revisar questão já decidida pelo juiz de direito.

polêmica : O legislador atribui competência ao juiz corregedor para revisar questão já decidida pelo juiz
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

5) Registro da prova por ata notarial.

Art. 384. “A existência e o modo de existir de algum fato podem ser atestados ou documentados, a requerimento do interessado, mediante ata lavrada por tabelião.” Parágrafo único. “Dados representados por imagem ou som gravados em arquivos eletrônicos poderão constar da ata notarial.”

único . “Dados representados por imagem ou som gravados em arquivos eletrônicos poderão constar da ata
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Registro da prova por ata notarial. OBS:Trata-se de uma regra que amplia a oportunidade de produção de provas extrajudiciais pelas partes e que foi influenciada pelo sistema de common law norte-americano.

de produção de provas extrajudiciais pelas partes e que foi influenciada pelo sistema de common law
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

6)Protesto de sentença:

Lei de Protesto: Colocou não apenas os títulos cambiais como objeto de protesto, mas também “outros documentos de dívida”. “Outros documentos de Dívida”:

Expressão vaga que carece de esforço do intérprete para delimitar o seu alcance.

. “ Outros documentos de Dívida”: Expressão vaga que carece de esforço do intérprete para delimitar
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

Em interpretação sistemática da lei de protesto e dos princípios e regras que regem as atividades notariais, concluiu-se que os documentos protestáveis devem prever:

1)

Obrigação em dinheiro;

2) Líquida;
2) Líquida;
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

3) Dotada de exigibilidade.

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Protesto de sentença: 3) Dotada de exigibilidade.
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

e …

a sentença?

Tem liquidez? Tem certeza? Tem exigibilidade? A repostas a todas as perguntas é afirmativa.

sentença: e … a sentença? Tem liquidez? Tem certeza? Tem exigibilidade? A repostas a todas as
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

Poderia então a sentença ser protestada?

No Código de Processo Civil de 1973 (Código Buzaid) não havia nenhum dispositivo normativo que tratasse da prossibilidade do protesto de sentença…

1973 (Código Buzaid) não havia nenhum dispositivo normativo que tratasse da prossibilidade do protesto de sentença…
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

Poderia então a sentença ser protestada?

…mas também não havia nenhuma vedação expressa. Assim o STJ, no Resp 750.804/RS, estabeleceu ser possível o protesto de sentença condenatória com trânsito em julgado.

o STJ, no Resp 750.804/RS , estabeleceu ser possível o protesto de sentença condenatória com trânsito
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Protesto de sentença:

Diante da norma jurisprudencial, o Art. 517 do NCPC passou a prever expressamente essa possibilidade.

Mas afinal, por que Protestar uma sentença? Segundo o STJ o protesto causa um efeito negativo na vida do devedor, porque a publicidade específica, que causa a restrição ao crédito, leva o devedor a adimplir a obrigação tão logo quanto possível, para se livrar da restrição creditícia.

crédito, leva o devedor a adimplir a obrigação tão logo quanto possível, para se livrar da
“O conteúdo dos slides bem como as colocações feitas durante as aulas são de responsabilidade

“O conteúdo dos slides bem como as colocações feitas durante as aulas são de responsabilidade exclusiva dos professores”