Você está na página 1de 101

Aula 03

Português p/ AFRFB - 2017 (Com videoaulas) Professor: Décio Terror

78309166249 - Diego Assis Cruz

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Aula 3:

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Aula 3: Sintaxe da oração, do período composto por subordinação substantiva e adjetiva. (Pontuação).

SUMÁRIO

PÁGINA

1.

Período composto por subordinação adverbial (pontuação)

2.

Período composto por subordinação substantiva (pontuação)

3.

Período composto por subordinação adjetiva (pontuação)

4.

O

que devo tomar nota como mais importante

5.

1

32

40

74

75

Lista das questões apresentadas

6. Gabarito

100

Olá, pessoal, como estamos?

orações

coordenadas. Agora, vamos falar das orações subordinadas. Elas se dividem em adverbiais, substantivas e adjetivas. Vamos ao primeiro assunto!

Vimos

nas

aulas

anteriores

os

termos

da

oração

e

as

Estrutura subordinada adverbial

Vimos anteriormente que, se no enunciado há apenas um verbo, naturalmente temos apenas uma oração (oração absoluta = período simples); porém, se houver outro verbo dentro deste enunciado, teremos duas orações (período composto).

Na aula de sintaxe da oração, vimos que o adjunto adverbial solto pode receber vírgula quando se encontra após a estrutura principal (sujeitosverbosobjeto: S V O). Quando antecipado ou intercalado, recebe virgula(s) obrigatoriamente. Se você não se lembra disso, é interessante voltar àquela aula e relembrar.

78309166249

Veja a oração absoluta abaixo:

vírgula facultativa
vírgula
facultativa

O candidato

devido ao seu esforço no estudo.

passou

no concurso,

sujeito

VTI

objeto indireto

adjunto adverbial de causa

predicado verbal

período simples

A oração acima possui a estrutura básica S V O: “O candidato passou no

concurso”. A estrutura “devido ao seu esforço no estudo” é o adjunto adverbial de causa. Esse adjunto adverbial é chamado por nós de solto, porque não

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

1 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 houve exigência

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

houve exigência do verbo. Por isso, podemos inserir a vírgula facultativamente. Esta estrutura não foi obrigatória, ela foi inserida para que haja mais clareza e situe melhor o leitor sobre a circunstância que levou o candidato à aprovação. Mas veja que esta expressão é dependente da estrutura básica da oração.

Se disséssemos somente:

“Devido ao seu esforço no estudo” Logicamente, ninguém entenderia, concorda?

Por isso, dizemos que esta estrutura é dependente da estrutura S V O, isto é: ela é subordinada à principal:

O candidato passou no concurso, devido ao seu esforço no estudo.
O candidato
passou
no concurso,
devido ao seu esforço no estudo.

Estrutura básica (principal)

Estrutura adverbial (subordinada)

Quando esse adjunto adverbial recebe um verbo, observamos que passaremos a ter duas orações: a principal e a subordinada adverbial causal.

vírgula facultativa
vírgula
facultativa

O candidato

porque se esforçou no estudo.

passou

no concurso,

sujeito

VTI

objeto indireto

VTI

+

objeto indireto

 

predicado verbal

predicado verbal

oração principal

oração subordinada adverbial causal

período composto

Oração principal? Por quê?

78309166249

Diferentemente das orações coordenadas que são independentes umas das outras e por isso o nome da primeira é oração inicial, a oração principal é a base para que a oração subordinada possa se apoiar nela, para se ter o entendimento.

Oração subordinada? Por quê?

A oração subordinada é aquela que depende da principal para ter sentido, assim como aconteceu com o adjunto adverbial, no exemplo acima. Oração adverbial? Por quê? Porque foi gerada de um adjunto adverbial. Veja, bastou inserir o verbo “esforçou”, para que houvesse a oração adverbial.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

2 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Tanto o

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Tanto o adjunto adverbial quanto a oração adverbial podem deslocar-se para o início ou para o meio da estrutura principal. E, com isso, a vírgula será empregada conforme foi visto nos adjuntos adverbiais de grande extensão da aula de sintaxe da oração. Assim, via de regra, a oração subordinada adverbial, quando posposta à oração principal, será iniciada por vírgula facultativamente. Mas, se for antecipada ou intercalada, receberá vírgula ou vírgulas obrigatoriamente.

Antecipando a estrutura adverbial

vírgula obrigatória Devido ao seu esforço no estudo, o candidato passou no concurso adjunto adverbial
vírgula
obrigatória
Devido ao seu esforço no estudo,
o candidato
passou
no concurso
adjunto adverbial de causa
VTI
objeto indireto
sujeito
predicado verbal
período simples
vírgula
obrigatória
Porque se esforçou no estudo,
o candidato
passou
no concurso
VTI
+
objeto indireto
VTI
predicado verbal
sujeito
objeto indireto
predicado verbal
oração subordinada adverbial causal
oração principal
período composto

Agora, intercalando

vírgulas obrigatórias 78309166249 O candidato, devido ao seu esforço no estudo, passou no concurso. adjunto
vírgulas obrigatórias
78309166249
O
candidato,
devido ao seu esforço no estudo,
passou
no concurso.
adjunto adverbial de causa
VTI
objeto indireto
sujeito
predicado verbal
período simples
vírgulas obrigatórias
O
candidato,
porque se esforçou no estudo,
passou
no concurso
VTI
+
objeto indireto
VTI
sujeito
predicado verbal
oração subordinada adverbial causal
objeto indireto
predicado verbal
oração principal
período composto

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

3 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 As orações

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

As orações subordinadas podem ser divididas também em dois tipos:

desenvolvidas (aquelas que possuem conjunção e verbos conjugados em modos e tempos verbais);

O candidato passou no concurso,
O candidato
passou
no concurso,

oração principal

porque se esforçou no estudo.

concurso, oração principal porque se esforçou no estudo. oração subordinada adverbial causal (desenvolvida)

oração subordinada adverbial causal (desenvolvida)

reduzidas (aquelas que perdem a conjunção e por isso os verbos passam a uma das formas nominais: gerúndio, infinitivo e particípio).

O candidato passou no concurso,
O candidato
passou
no concurso,

oração principal

Por que é chamada de reduzida?

por se esforçar no estudo.

Por que é chamada de reduzida? por se esforçar no estudo. oração subordinada adverbial causal (reduzida

oração subordinada adverbial causal (reduzida de infinitivo)

Porque, ao perder uma conjunção, reduz-se a quantidade de vocábulos daquela oração.

Por que tenho que saber as orações reduzidas?

Muitas vezes a banca ESAF pede para desenvolver a oração reduzida, inserindo a conjunção adequada à sua circunstância (valor semântico), por isso veremos os valores das orações adverbiais.

Elas basicamente se dividem em 9. Mas antes de vermos os valores semânticos, vamos praticar a pontuação:

Questão 1: ANAC 2016 Técnico Administrativo (banca ESAF)

Se você é um passageiro frequente, certamente já passou por uma turbulência. A pior da minha vida foi no meio do nada, sobrevoando o Atlântico, e durou uma boa hora. Já que estou aqui escrevendo esse artigo, sobrevivi. A turbulência significa que o avião vai cair? Ok, sabemos que não. Apesar de também sabermos que o avião é a forma mais segura de viagem, não é tão fácil lembrar disso em meio a uma turbulência. Então, não custa lembrar que, mesmo quando o ar está "violento", é impossível que ele "arremesse" o avião para o chão.

78309166249

<http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2015/07/

turbulencia-dos-avioes-e-perigosa.html> Acesso em: 15/12/2015 (com adaptações).

Sobre as vírgulas e as aspas empregadas no texto é correto afirmar que

a) a primeira vírgula separa duas orações coordenadas.

b) a vírgula antes do “e” (w. 3) ocorre porque o verbo da oração “e durou uma boa hora” é diferente do verbo da oração anterior.

c) a vírgula antes de “sobrevivi” (w. 4) marca a diferença entre os tempos verbais de “estou escrevendo” e “sobrevivi”.

d) a vírgula que ocorre depois do “que” (w. 7) e a que ocorre depois de “violento” (w.7) estão isolando oração intercalada.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

4 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 e) as

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

e) as aspas nas palavras “violento” (w.7) e “arremesse” (w.8) se justificam porque tais palavras pertencem ao vocabulário técnico da aviação.

Comentário: A alternativa (A) está errada, pois a vírgula ocorre por separar oração subordinada adverbial antecipada (“Se você é um passageiro frequente”) de sua principal.

A

alternativa (B) está errada, pois não ocorre simplesmente uma vírgula

antes da conjunção “e”, mas uma dupla vírgula separando a oração subordinada adverbial intercalada e reduzida de gerúndio “sobrevoando o Atlântico”.

A

alternativa (C) está errada, pois a vírgula separa a oração subordinada

adverbial antecipada “Já que estou aqui escrevendo esse artigo”. A alternativa (D) é a correta, pois realmente a oração subordinada adverbial “mesmo quando o ar está violento” encontra-se intercalada na oração principal, por isso se encontra entre duas vírgulas. A alternativa (E) está errada, pois as palavras “violento” e “arremesse” não são próprias da linguagem técnica de aviação, mas simplesmente o autor quis destacar o uso figurativo de tais palavras neste contexto.

Gabarito: D

1. Causais: exprimem causa, motivo, razão. Esta oração faz parte da estrutura causa-consequência, em que a origem ocorre temporalmente antes. E a consequência, por ser o resultado, ocorre depois. As principais conjunções causais são: porque, pois, que, como (quando a oração adverbial estiver antecipada), já que, visto que, desde que, uma vez que, porquanto, na medida em que, que, etc:

Estudo porque necessito. Como fazia frio, fechou as janelas. Já que estou cansado, vou descansar. Uma vez que estudou muito, foi aprovado.

Observações:

I - A conjunção se também pode transmitir valor de causa a orações que funcionam como base ou ponto de partida de um raciocínio, em construções como:

Se o estudo é o princípio do concurseiro, é imprescindível a organização de seu material didático. II - Vimos anteriormente que as conjunções porque, porquanto e pois podem ser coordenativas explicativas. Agora, percebemos que elas também podem ser causais. A banca ESAF não pergunta qual é a diferença entre elas, apenas pede a troca das conjunções. Isso é correto.

78309166249

Questão 2: ANAC 2016 Técnico Administrativo (banca ESAF)

Fragmento do texto: Se você é um passageiro frequente, certamente já passou por uma turbulência. A pior da minha vida foi no meio do nada, sobrevoando o Atlântico, e durou uma boa hora. Já que estou aqui escrevendo esse artigo, sobrevivi.

A expressão sublinhada em “Já que estou escrevendo esse artigo, sobrevivi” tem sentido de

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

5 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 a) conformidade.

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

a) conformidade.

b) conclusão.

c) causa.

d) dedução.

e) condição.

Comentário: A locução conjuntiva “já que” transmite valor adverbial causal. Por isso, a alternativa (C) é a correta.

Gabarito: C

Questão 3: CVM 2010 Agente Executivo (banca ESAF)

Fragmento do texto: Assim, onde há mais corrupção em vários níveis do Estado e onde os negócios públicos são mais obscuros, envolvendo setores

privados, todo bom jornalista corre mais risco, porque ele é o último recurso

da voz pública, do cidadão, da esperança.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O termo “porque”(w.3) confere ao período a noção de condição.

Comentário: A conjunção “porque” nunca transmitirá valor de condição. Neste contexto, ela transmite valor adverbial causal. Por isso, a afirmação está errada.

Gabarito: E

Questão 4: Analista de Finanças e Controle - CGU 2008 (banca ESAF)

Fragmento do texto: O favoritismo do Partido Democrata também é citado por alguns exportadores como um fator que pode dificultar as exportações brasileiras, pois os democratas são considerados mais conservadores do que seus rivais republicanos em matéria de comércio exterior o que, ressalve-se, nem sempre foi comprovado na prática.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O termo “pois”(w.3) pode, sem prejuízo para a correção gramatical, ser substituído por porque, porquanto ou conquanto.

Comentário: A conjunção “pois” inicia uma causa, a qual é confirmada pelas conjunções “porque” e “porquanto”, mas a conjunção “conquanto” tem valor adverbial de concessão, a qual veremos adiante. Assim, a questão está errada.

78309166249

Gabarito: E

Questão 5: Auditor-Fiscal da Receita Federal 2012 (banca ESAF)

Assinale o segmento que dá sequência ao texto, respeitando a coerência entre

as

ideias e a correção gramatical.

Quando a maré sobe, ergue todos os barcos, diz o velho adágio. Nos anos de crescimento acelerado e excesso de capitais financeiros na economia mundial, mesmo as embarcações de casco avariado tiraram proveito da maré favorável.

O

Brasil, como grande exportador de matérias-primas e um dos principais

destinos dos dólares investidos internacionalmente, foi um dos países mais beneficiados. Os efeitos foram ainda mais sentidos

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

6 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3   (Ana

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

 

(Ana Luiza Daltro e Érico Oyama, “As razões do pibinho”. Veja, 13/06/2012, p. 76/77)

a) por causa das reformas econômicas levadas a efeito na década passada.

b) devido a ótima fase de comercialização de nossas matérias-primas.

c) a despeito dos acertos internos na condução de reformas econômicas.

d) enquanto se aguarda o aumento na taxa de investimento.

e) graças à onerosa carga tributária sobre o setor produtivo.

Comentário: Note que o contexto exige uma causa para a expressão “Os efeitos foram ainda mais sentidos. Assim, a alternativa (A) é a correta, pois a expressão “por causa das reformas econômicas levadas a efeito na década passada” é uma estrutura de valor adverbial causal.

A

alternativa (B) está errada. Ela também tem valor causal, porém a

locução prepositiva “devido a” termina com a preposição “a” e se junta ao artigo “a”, que é exigido pelo substantivo “fase”, tendo em vista estar determinado pelo adjetivo “ótima”. Assim, deve haver crase.

A

alternativa (C) está errada, pois a locução prepositiva “a despeito de

tem valor concessivo, o que transmite valor contrastante e é incoerente com os argumentos do texto. A alternativa (D) está errada, pois a conjunção “enquanto” tem valor temporal, o que é incoerente com os argumentos do texto. A alternativa (E) está errada. A locução prepositiva “graças a” tem valor causal, como pede o texto, porém a expressão “onerosa carga tributária sobre o setor produtivo” não transmite uma base, uma causa, para que os efeitos sejam ainda mais sentidos. É natural que uma carga tributária onerosa dificulte o crescimento econômico, e não o facilite, como abordou a alternativa.

Gabarito: A

2. Consecutivas: Na relação causa-consequência, o processo verbal da consequência ocorre após o da causa, e suas conjunções exprimem um efeito, um resultado e aparecem de duas formas:

I - conjunção que precedida de tal, tão, tanto, tamanho:

Trabalharam tanto que suas mãos ficaram inchadas. Tal foi o problema na empresa que todos foram demitidos.

78309166249

Nesta estrutura, os intensificadores tal, tamanho, tão, tanto podem ficar subentendidos.

Bebia que caía pelas ruas. (bebia tanto )

II locuções conjuntivas de maneira que, de jeito que, de ordem que, de

sorte que, de modo que, etc:

Motivamos a classe empresarial, de sorte que o Brasil aumentou o nível de empregos regulares. “As notícias de casa eram boas, de maneira que pude prolongar minha viagem.” (Domingos Paschoal Cegalla)

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

7 de 100

III – locução conjuntiva sem que, negação. Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof.

III locução conjuntiva sem que, negação.

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

e a conjunção que, seguida

de

Lúcia não pode ver uma roupa bonita na vitrine sem que a queira comprar. Lúcia não pode ver uma roupa bonita na vitrine, que não a queira comprar.

Perceba que, na primeira estrutura, a preposição sem tem valor de negação; na segunda, sua ausência é substituída pelo advérbio de negação não”.

3. Condicionais: Nesta relação de condição, hipótese, é muito cobrada a correlação de modo e tempo verbal. Veja:

verbo no futuro do subjuntivo

verbo no futuro do presente do indicativo

Se o candidato estudar bastante, passará no concurso.

Se o candidato estudar bastante, passará no concurso. condição no futuro oração subordinada adverbial

condição no futuro oração subordinada adverbial condicional

resultado provável no futuro oração principal

verbo no pretérito imperfeito do subjuntivo

verbo no futuro do pretérito do indicativo

Se o candidato estudasse bastante, passaria no concurso.

Se o candidato estudasse bastante, passaria no concurso. condição no passado oração subordinada adverbial

condição no passado oração subordinada adverbial condicional

verbo no presente do subjuntivo

resultado improvável no futuro oração principal verbo no futuro do presente do indicativo

Caso o candidato estude bastante,

passará no concurso.

Caso o candidato estude bastante, passará no concurso. condição no presente oração subordinada adverbial

condição no presente oração subordinada adverbial condicional

resultado provável no futuro oração principal

Se uma condição é expressa no futuro ou presente, há condições de cumpri-la; por isso o resultado expresso na oração principal é provável. Não há certeza de o candidato ser aprovado, mas há grande possibilidade.

Já numa condição expressa no passado, não há condições de cumpri-la; por isso o resultado expresso na oração principal é pouco provável, ou mesmo improvável. A banca ESAF normalmente pede para substituir as conjunções ou os verbos.

Algumas vezes, por motivo de ênfase e reforço motivacional, o autor do texto troca o tempo verbal da oração principal de futuro do presente para presente do indicativo e futuro do pretérito para pretérito imperfeito do indicativo. Veja a diferença:

Se o candidato estudar, passa no concurso. Se o candidato estudasse, passava no concurso. Não há erro nestas substituições, há apenas ênfase. Além das conjunções condicionais se e caso, há também as locuções conjuntivas contanto que, desde que, salvo se, sem que (=se não), a não ser que, a menos que, dado que, uma vez que (com verbo no subjuntivo).

78309166249

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

8 de 100

78309166249 - Diego Assis Cruz

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Caminharei com

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Caminharei com você desde que não chova. Não terminará a matéria, sem que se dedique muito. Poderão ganhar o campeonato, salvo se acontecer algum imprevisto. “A carinha podia ser de chinesa, fossem os olhos mais enviesados.” (Raquel de Queirós)

Note a última construção. A conjunção condicional fica subentendida, e com isso é imprescindível entender a correlação verbal para que não haja dúvida neste valor semântico.

As locuções conjuntivas condicionais desde que, dado que, uma vez que podem ser confundidas com as causais. Para não ficar com dúvida, verifique que os verbos nas orações condicionais ficam no modo subjuntivo, enquanto os das orações causais ficam no modo indicativo. Compare esses exemplos com verbos no subjuntivo com os das orações causais.

É encontrada também a forma reduzida:

Conhecendo os alunos, o professor não os teria punido. (reduzida de gerúndio)

Questão 6: Ministério da Integração Nacional 2012 (banca ESAF)

1

A

teoria econômica evoluiu muito desde 1776, quando Adam Smith, em

célebre obra investigou as causas das riquezas das nações. A teoria mostrou como funcionam os mercados, o papel da produtividade, as formas de aumentá-la e a função das instituições. Contribuiu, assim, para

5

formulação das políticas que trouxeram mais desenvolvimento e bem- estar. No Brasil, os economistas também contribuem para o

a

desenvolvimento. Acontece que, se defenderem reformas em favor das maiorias, que causam perdas a minorias, os economistas serão rotulados de socialmente insensíveis. Quando um médico prescreve um tratamento,

10

o

objetivo é o bem-estar do paciente. Ninguém dirá que ele planeja o

sofrimento. Mas, se os economistas sugerem medidas de austeridade para resolver desequilíbrios e restabelecer o crescimento sustentável, diz-se que eles propugnam ações para promover a recessão, o desemprego e a destruição de conquistas sociais. O receituário do médico incorpora

78309166249

esperança e simpatia, pois se sabe que o objetivo dele é a cura da doença. Sua ação é mais percebida por todos. A expectativa maior é de êxito. O diagnóstico é mais preciso, especialmente com os avanços da tecnologia.

O

economista não tem essas vantagens. No tratamento de crises, lida com

incertezas, complexidades e situações inéditas. Os economistas tendem a errar mais que os médicos, mas seu foco jamais será a recessão pela recessão ou a austeridade sem propósito. (Adaptado de Maílson da Nóbrega, A recessão é uma política ou o efeito? Veja, 14 de dezembro, 2011)

Preserva-se a coerência entre os argumentos do texto, bem como sua correção gramatical, ao a) empregar um conectivo de valor condicional, como Se, em lugar de “Quando” (w.9).

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

9 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 b) substituir

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

b) substituir a conjunção condicional “se” (w.7) pelo conectivo caso.

c) explicitar o valor explicativo da oração, inserindo a conjunção pois para

ligar a oração iniciada por “Sua ação” (w.16) com a anterior, mudando para minúscula a letra inicial de “Sua”.

(w.18) e “No tratamento”

(w.18), em um mesmo período sintático, retirando o ponto final e mudando para minúscula a letra inicial maiúscula de “No”.

e) inserir a conjunção Embora no início do último período sintático do texto, mudando para minúscula a letra inicial de “Os” (w.19).

d) ligar as orações iniciadas por “O economista

Comentário: A alternativa (A) é a correta. Note que a conjunção “Quandotem valor adverbial temporal, mas este contexto admite a substituição pela conjunção adverbial condicional “Se”. Compare:

Quando um médico prescreve um tratamento, o objetivo é o bem-estar do paciente.”

Se um médico prescreve um tratamento, o objetivo é o bem-estar do paciente.”

A alternativa (B) está errada, pois a conjunção “se” transmite uma condição no futuro, por isso o verbo “defenderem” está flexionado no futuro do subjuntivo. A substituição pela conjunção “caso” força o verbo a se flexionar no presente do subjuntivo (defendam), mas isso não foi informado na alternativa. Veja:

Acontece que, se defenderem reformas em favor das maiorias, que causam perdas a minorias, os economistas serão rotulados de socialmente insensíveis.” “Acontece que, caso defendam reformas em favor das maiorias, que causam perdas a minorias, os economistas serão rotulados de socialmente insensíveis.” A alternativa (C) está errada. Não cabe a conjunção “pois”, já que o período “Sua ação é mais percebida por todos.” não transmite explicação da informação anterior. Além disso, o trecho original possui um ponto final e em seguida não pode haver palavra com letra minúscula, como sugere a alternativa. A alternativa (D) está errada. No trecho original, a expressão “No tratamento de crises” é um adjunto adverbial e se subordina à informação de que o economista “lida com incertezas, complexidades e situações inéditas”. Com a modificação sugerida, tal estrutura adverbial passa a se subordinar à informação anterior, o que implica incoerência. Confronte e confirme:

78309166249

que implica incoerência. Confronte e confirme: 78309166249 “ O economista não tem essas vantagens. No tratamento

O economista não tem essas vantagens. No tratamento de crises, lida com incertezas, complexidades e situações inéditas.”

com incertezas, complexidades e situações inéditas .” “ O economista não tem essas vantagens no tratamento

O economista não tem essas vantagens no tratamento de crises, lida com incertezas, complexidades e situações inéditas.”

A alternativa (E) está errada, pois a inserção da conjunção “Embora” força o verbo “tendem” a se flexionar no presente do subjuntivo (“tendam”).

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

10 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Além disso,

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Além disso, a conjunção “mas” já transmite o valor de oposição e o acúmulo de ambas as conjunções incorrerá em erro gramatical e incoerência. Para que haja coerência e correção gramatical, deve-se trocar o verbo e excluir a conjunção “mas”:

No tratamento de crises, lida com incertezas, complexidades e situações inéditas. Embora os economistas tendam a errar mais que os médicos, seu foco jamais será a recessão pela recessão ou a austeridade sem propósito.”

Gabarito: A

Questão 7: Auditor-Fiscal do Trabalho 2003 (banca ESAF)

 

Fragmento do texto: O próprio conceito de liberdade redefine-se através dos séculos, de acordo com as circunstâncias históricas e o desenvolvimento das forças econômicas. E a liberdade, no mundo atual, só existirá de fato quando assentada na segurança e em função da igualdade.

 

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

 

A função condicional da conjunção “quando” (w. 3) será preservada se substituída por se, mas a correção gramatical do período só será preservada se o verbo que a precede for empregado no presente: existe.

Comentário: A conjunção “quando” normalmente tem valor adverbial de tempo, o qual será visto adiante; mas também pode expressar condição em tempo futuro, como ocorreu neste contexto. Note que a oração “quando assentada na segurança e em função da igualdade” possui o verbo “estiver” subentendido, também no futuro, para combinar com o verbo “existirá”, que precede tal oração:

E

a liberdade, no mundo atual, só existirá de fato quando (estiver) assentada

na segurança e em função da igualdade.

 
 

A

substituição

da

conjunção

quando

por

se

preserva

o

valor

condicional.

 

E

a liberdade, no mundo atual, só existirá de fato se (estiver) assentada na

segurança e em função da igualdade.

 

O erro na questão foi afirmar a obrigatoriedade da substituição do verbo no futuro “existirá” pelo presente “existe”. De acordo com o contexto, essa substituição é possível, mas não obrigatória. Veja:

78309166249

E a liberdade, no mundo atual, só existe de fato se (está) assentada na segurança e em função da igualdade.

Gabarito: E

 

4. Concessivas: exprimem um fato que se concede, que se admite, em oposição, contraste, ressalva ao da oração principal. As conjunções são:

embora, conquanto, que, ainda que, mesmo que, ainda quando, mesmo quando, posto que, por mais que, por muito que, por menos que, se bem que, em que (pese), nem que, dado que, sem que (=embora não).

Gostava de Matemática, embora tivesse dificuldades com cálculos. Por incrível que pareça, eles não conheciam ‘pen-drive’.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

11 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Em que

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Em que pese à autoridade deste cientista, não podemos aceitar suas afirmações. (Domingos Paschoal Cegalla) Dado que soubesse, não dirigia à noite. Por mais que gritasse, não me ouviram. Nem que a gente quisesse, conseguiria esquecer. (Otto Lara Resende)

Deve-se tomar muito cuidado quando a banca pedir a substituição de conjunção ou locução conjuntiva por preposição ou locução prepositiva. Veja:

Embora chegasse cedo, não conseguiu lugar para sentar-se.

Ao se substituir a conjunção embora pela preposição mesmo, o verbo é obrigado a sair da forma conjugada em modo e tempo verbal para a forma nominal gerúndio. Isso fará com que esta oração seja reduzida de gerúndio:

Mesmo chegando cedo, não conseguiu lugar para sentar-se.

Se fosse substituída pela locução prepositiva “apesar de”, a oração seria reduzida de infinitivo:

Apesar de chegar cedo, não conseguiu lugar para sentar-se.

Algumas vezes a banca utiliza a locução prepositiva a despeito de”, a qual possui o mesmo valor de concessão. Veja:

A despeito de chegar cedo, não conseguiu lugar para sentar-se.

Assim, cuidado com as substituições pedidas na prova.

Questão 8: ANAC 2016 Técnico Administrativo (banca ESAF)

A frase sublinhada em “Apesar de também sabermos que o avião é a forma mais segura de viagem, não é tão fácil lembrar disso em meio a uma turbulência” mantém tanto seu sentido original quanto sua correção gramatical na alternativa:

a)

Embora também sabemos …

b) Dado também saibamos …

c) Pelo motivo o qual também sabemos …

d) Em virtude de também sabermos …

78309166249

e) Conquanto saibamos …

Comentário: A oração “Apesar de também sabermos” é subordinada adverbial concessiva e reduzida de infinitivo.

 

A

alternativa (A) está errada, pois a conjunção “embora”, apesar de ser

também adverbial concessiva, exige verbo no modo subjuntivo. Assim, o

correto seria:

 

Embora também saibamos que o avião é a forma mais segura de viagem

As alternativas (B), (C) e (D) estão erradas, pois denotam valor diferente, por possuírem expressões de valor adverbial causal, como “Dado”, “Pelo motivo”, “Em virtude de”.

 

A

alternativa (E) é a correta, pois conquanto” é uma conjunção de valor

adverbial concessivo e o verbo está corretamente flexionado no modo subjuntivo.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

12 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Gabarito: E

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Gabarito: E

Questão 9: FUNAI 2016 Nível superior (banca ESAF)

Indique o conector que corretamente pode ocupar a posição inicial do período

abaixo, assinalada por [

].

[

]

as principais investidas contra a identidade dos índios e a integridade do

Parque Indígena do Xingu surgem na forma de projetos de hidrelétricas e de leis que preveem mineração nas reservas e demarcação de terras indígenas,

os

xinguanos mantêm intensa mobilização política para defender seus direitos

e

fazer a sociedade atual reconhecer as contribuições que eles podem

oferecer-lhe.

 

a) Conquanto

b) Porquanto

c) Como

d) Embora

e) Por mais que

Comentário: A primeira coisa a se observar para matar a questão é que os conectivos adverbiais concessivos “Conquanto”, “Embora” e “Por mais que” exigem emprego de verbo no modo subjuntivo. Note que a oração subordinada apresenta o verbo “surgem”, que se encontra no presente do indicativo. Assim, eliminamos as alternativas (A), (D) e (E). Sobram as conjunções causais “Como” e “Porquanto” e realmente o contexto nos revela uma ideia de causa (as principais investidas contra a

identidade dos índios e a integridade do Parque Indígena do Xingu surgem na forma de projetos de hidrelétricas e de leis que preveem mineração nas reservas e demarcação de terras indígenas) e consequência (os xinguanos mantêm intensa mobilização política para defender seus direitos e fazer a sociedade atual reconhecer as contribuições que eles podem oferecer-lhe).

Estilisticamente, a conjunção “Porquanto” não deve iniciar período, mas a conjunção “Como” só pode ter valor adverbial de causa se a oração adverbial causal estiver antecipada. Assim, a alternativa correta é a (C). Confirme:

78309166249

Como as principais investidas contra a identidade dos índios e a integridade do Parque Indígena do Xingu surgem na forma de projetos de hidrelétricas e de leis que preveem mineração nas reservas e demarcação de terras indígenas, os xinguanos mantêm intensa mobilização política para defender seus direitos e fazer a sociedade atual reconhecer as contribuições que eles podem oferecer-lhe.

Gabarito: C

 

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

13 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Questão 10:

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Questão 10: Ministério da Fazenda 2014 Assistente Técnico (banca ESAF)

Assinale a opção que completa corretamente as duas lacunas de conectivos no texto.

Constantemente você precisa provar e comprovar que é quem diz ser.

(1)

pareça, essa não é uma questão filosófica. A tarefa é prática e

corriqueira: RG, CIC, habilitação, cartões de crédito e crachás corporativos, que engordam a carteira de todo cidadão, são requisitos para identificar uma pessoa no mundo físico. No ambiente virtual, combinações de usuário e senha funcionam para dar acesso a e-mail, celular, sistemas corporativos, redes

sociais e cadastros em lojas on-line. É

(2)

lidamos com tantas

combinações desse tipo que já se fala de uma nova categoria de estresse: a

“fadiga de senhas”.

 
 

(Adaptado de Você é sua senha, Planeta, fevereiro 2014)

(1)

(2)

a) Embora

porque

b) Apesar de

já que

c) Todavia

por que

d) Mesmo que

assim

e) Entretanto pois

 

Comentário: Na lacuna 1, note que os segmentos “pareça” e “não é uma questão filosófica” apresentam valor contrastante. Além disso, há de se notar o verbo “pareça” no presente do subjuntivo. Assim, não cabem as conjunções coordenativas adversativas “Todavia” e “Entretanto”, as quais exigem verbo no modo indicativo. Portanto, eliminamos as alternativas (C) e (E). Além disso, não cabe a locução prepositiva “Apesar de”, pois esta exige verbo no infinitivo (parecer). Dessa forma, eliminamos a alternativa (B). Tal verbo no modo subjuntivo e o sentido contrastante admitem os conectivos adverbiais concessivos “Embora” e “Mesmo que”. Na lacuna 2, devemos inserir uma conjunção de valor causal. Normalmente, esse valor semântico admite as conjunções “porque” ou “pois”. Porém, vimos, nas orações coordenadas conclusivas, que a conjunção “pois”, quando se encontra após um verbo, transmite valor conclusivo, o que não cabe neste contexto. Assim, eliminamos a alternativa (E), sobrando a (A) como correta.

78309166249

Gabarito: A

Questão 11: DNIT 2013 Analista de Infraestrutura (banca ESAF)

Julgue a afirmação a respeito do período “Tem um personagem de Voltaire que um dia descobre, encantado, que falou em prosa toda a sua vida, sem saber.” A última oração, caso fosse empregado um conector para introduzi-la, seria estruturada da seguinte forma: porquanto não soubesse.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Comentário: A questão faz referência à oração “sem saber”. Note que se subentende o conectivo “mesmo” antes dessa oração:

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

14 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 “ Tem

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Tem um personagem de Voltaire que um dia descobre, encantado, que falou em prosa toda a sua vida, mesmo sem saber.”

Assim, fica fácil perceber que a oração sublinhada acima é subordinada adverbial concessiva, por isso não admite a conjunção causal ou explicativa “porquanto”. A banca queria que você confundisse com a conjunção concessiva “conquanto”. Veja:

Tem um personagem de Voltaire que um dia descobre, encantado, que falou em prosa toda a sua vida, conquanto não soubesse.”

Também se admite “posto que” ou “embora”:

Tem um personagem de Voltaire que um dia descobre, encantado, que falou em prosa toda a sua vida, posto que não soubesse.”

Tem um personagem de Voltaire que um dia descobre, encantado, que falou em prosa toda a sua vida, embora não soubesse.”

Observação: Apesar de as três últimas construções acima estarem corretas gramaticalmente, a oração reduzida “mesmo sem saber”, ou simplesmente “sem saber”, soa mais agradável.

Gabarito: E

Questão 12: DNIT 2013 Analista de Infraestrutura (banca ESAF)

Fragmento do texto: Em cidades mais antigas, em toda parte, o problema de preparar o povo para o lazer e de oferecer-lhe oportunidades de diversões criativas diversificadas está sendo cuidadosamente estudado por sociólogos, higienistas e urbanistas. Entretanto, na cidade inteiramente nova de Brasília, que se supõe esteja sendo construída para durar séculos, o problema foi, completamente, esquecido.

A relação de oposição de ideias e a correção gramatical do período seriam preservadas, caso o conector “Entretanto” (linha 4) fosse substituído pela conjunção “Embora”.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Comentário: Sabemos que tanto as orações coordenadas quanto as subordinadas adverbiais concessivas possuem um valor de contraste. Porém, não podemos confundir as estruturas de cada uma das orações. As orações coordenadas adversativas são precedidas das conjunções “mas, porém, contudo, entretanto, no entanto, todavia” etc. Já as orações subordinadas adverbiais concessivas são normalmente iniciadas pelas conjunções ou locuções conjuntivas “embora”, “conquanto”, “posto que”, “mesmo que”, “apesar de que” etc. Além disso, as orações concessivas necessitam de verbos no modo subjuntivo. Assim, não podemos simplesmente substituir a conjunção coordenativa adversativa “Entretanto” pela conjunção subordinativa adverbial concessiva “Embora”. Isso só poderia ocorrer se houvesse um ajuste no modo verbal e na estrutura sintática compare:

78309166249

Em cidades mais antigas, em toda parte, o problema de preparar o povo para o lazer e de oferecer-lhe oportunidades de diversões criativas diversificadas

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

15 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 está sendo

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

está sendo cuidadosamente estudado por sociólogos, higienistas e urbanistas. Entretanto, na cidade inteiramente nova de Brasília, que se supõe esteja

sendo

construída

para

durar

séculos,

o

problema

foi,

completamente,

esquecido. Embora, em cidades mais antigas, em toda parte, o problema de preparar o povo para o lazer e de oferecer-lhe oportunidades de diversões criativas diversificadas esteja sendo cuidadosamente estudado por sociólogos, higienistas e urbanistas, na cidade inteiramente nova de Brasília, que se supõe esteja sendo construída para durar séculos, o problema foi, completamente, esquecido.

Gabarito: E

 

Questão 13: Analista-Tributário da Receita Federal 2012 (banca ESAF)

 

Assinale a opção que, ao preencher a lacuna do parágrafo, provoca erro

gramatical e/ou incoerência na argumentação do texto. A inflação, que deveria voltar a ser um problema só no ano que vem, vai

, uma vez a taxa vai ficar acima do centro, ainda que permaneça dentro da margem de segurança. A alta foi pequena, mas dá uma ideia do pessimismo que anda dominando os mercados. (Adaptado de Correio Braziliense, de 7 de agosto de 2012)

causar preocupação no curto prazo

mais

a) A serem confirmadas as expectativas do mercado.

 

b) Apesar de confirmá-las as expectativas do mercado.

c) Se a expectativa do mercado se confirmar.

d) Confirmando-se as expectativas do mercado.

e) Caso sejam confirmadas as expectativas de mercado.

Comentário: Note que a alternativa (B) é a única de valor diferente das demais, pois a locução prepositiva “Apesar de” inicia uma oração subordinada adverbial concessiva reduzida de infinitivo. As demais têm valor condicional. Assim, esta deve ser a incorreta. Perceba que os argumentos do texto nos levam a uma ideia de condição. Assim, a oração “A serem confirmadas as expectativas do mercado” é subordinada adverbial condicional reduzida de infinitivo; a oração “Se a expectativa do mercado se confirmar” é subordinada adverbial condicional e está desenvolvida; a oração “Confirmando-se as expectativas do mercado” é subordinada adverbial condicional reduzida de gerúndio e a oração “Caso sejam confirmadas as expectativas de mercado” é subordinada adverbial condicional e está desenvolvida.

78309166249

Gabarito: B

Questão 14: Secretaria Municipal de Fazenda Rio 2010 (banca ESAF)

Fragmento do texto: A desigualdade persistente entre o que chamavam o primeiro e o terceiro mundo mantém com relativa vigência alguns de seus postulados. Mas ainda que as decisões e benefícios dos intercâmbios se concentrem nas burguesias das metrópoles, novos processos tornam mais complexa a assimetria: a descentralização das empresas, a simultaneidade

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

16 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 planetária da

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

planetária da informação e a adequação de certos saberes e imagens internacionais aos conhecimentos e hábitos de cada povo.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Preservam-se as relações de coerência entre os argumentos e a correção gramatical do texto ao se substituir “ainda que”(w.3) por apesar de, mantendo a ideia de concessão.

Comentário: A locução conjuntiva “Ainda que” inicia oração desenvolvida e “apesar de” inicia oração reduzida de infinitivo. Esse é o motivo do erro. Veja que, para esta substituição ficar correta, há necessidade de ajuste do verbo, o que não foi afirmado na questão:

Mas apesar de as decisões e benefícios dos intercâmbios se concentrarem nas burguesias das metrópoles

Gabarito: E

Questão 15: SUSEP ふ 2006 ふ Agente Executivo (banca ESAF)

Fragmento do texto: Para esses pensadores, o Estado seria o apogeu do desenvolvimento moral, substituiria a família, e com o direito produzido, racional, imparcial e justo, substituiria a consciência ética dos indivíduos, que, embora retificadora da ação humana, se revelaria, na prática, inviável, por ser incoercível.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O termo “embora”(w.4) pode, sem prejuízo para a correção gramatical do período, ser substituído por conquanto.

Comentário: A conjunção “conquanto” tem valor adverbial concessivo, assim como a conjunção “embora”. Portanto, a afirmativa está correta.

Gabarito: C

5. Comparativas: representam o segundo termo de uma comparação e se expressam de três formas, com as conjunções como, (tal) qual, tal e qual, assim como, (tal) como, (tão ou tanto) como, (mais) que ou do que, (menos) que ou do que, tanto quanto, que nem, feito (=como, do mesmo modo que), o mesmo que (=como):

78309166249

I com verbo expresso:

A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o ferro.

Como a flor se abre ao sol, assim minha alma se abriu à luz

daquele olhar.

A praia é tal qual você descreveu. (tal como)

II com o predicado ou verbo subentendido:

A

luz é mais veloz do que o som. (do que o som é)

O

leopardo é tão ágil quanto a onça. (quanto a onça é)

Ele corre feito uma gazela. Nas estruturas comparativas de superioridade e inferioridade (com verbos expressos ou não), a palavra “do” é opcional.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

17 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Cantava mais

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Cantava mais do que trabalhava.

Cantava mais que trabalhava. Os mais magros correm mais do que os mais cheinhos. Os mais magros correm mais que os mais cheinhos. III como comparação hipotética (uso da conjunção se):

O homem parou perplexo, como se esperasse um guia.

se ): O homem parou perplexo, como se esperasse um guia . Com verbo expresso. Verbo

Com verbo expresso.

perplexo, como se esperasse um guia . Com verbo expresso. Verbo subentendido Questão 16: Ministério do

Verbo

subentendido

Questão 16: Ministério do Turismo 2014 Contador (banca ESAF)

Fragmento do texto: O sorteio dos grupos marcou a aceleração do calendário. As vendas dos ingressos foram reabertas, e o entusiasmo dos brasileiros não deixou de ser percebido. Apesar de casos pontuais, como a trágica construção do estádio de abertura em São Paulo, os palcos estão montados. O evento tem tudo para ser um sucesso, com a adesão maciça do público, tanto presencialmente quanto pela TV. Assim como outros eventos esportivos de porte global, a Copa é uma oportunidade fantástica para a cidadania dar um salto no seu grau de exigência, com a reinvenção dos serviços prestados à coletividade postos na vitrine da mídia mundial.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O termo “Assim como” (w. 7) introduz uma ideia de comparação entre Copa e outros eventos não especificados no texto.

Comentário: A locução conjuntiva “Assim como” transmite uma comparação entre “outros eventos esportivos de porte global” e “a Copa”, os quais estão sublinhados abaixo. Vale lembrar que esses eventos de porte global não foram exemplificados ou especificados no texto. Veja:

Assim como outros eventos esportivos de porte global, a Copa é uma oportunidade fantástica para a cidadania dar um salto no seu grau de exigência, com a reinvenção dos serviços prestados à coletividade postos na vitrine da mídia mundial.

Gabarito: C

78309166249

Questão 17: Auditor-Fiscal do Trabalho 2003 (banca ESAF)

Fragmento do texto: Como os sacerdotes de antigamente, economistas têm a missão de explicar o inexplicável como o dinheiro é tudo e nada ao mesmo tempo, por que falta dinheiro se dinheiro é papel impresso, ou se a quantidade de santinhos muda o tamanho do milagre.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Desrespeita

a

coerência

ou

“Como”(w.1) por Qual.

correção

gramatical

trocar

a

conjunção

Comentário: O conectivo “Qual” tem o mesmo valor de “Tal qual” ou “Como”, por terem valor adverbial comparativo. Por isso, podemos realizar a substituição sem prejuízo da coerência ou da correção gramatical.

Gabarito: E

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

18 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Questão 18:

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Questão 18: SUSEP 2006 Agente Executivo (banca ESAF)

Fragmento do texto: A concepção moderna de Estado tem raízes no pensamento ético de Kant e de Hegel e o apresenta como uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como a substância ética consciente de si mesma, para o segundo.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

A inserção de sendo após “como”(w.2) mantém a correção gramatical do período.

Comentário: A expressão “como uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como a substância ética consciente de si mesma, para o segundotem valor adverbial de modo. Assim, temos o adjunto adverbial de modo. Esse valor de modo tem uma aproximação semântica com a comparação. A Norma Gramatical Brasileira não admite a oração adverbial de modo, somente o adjunto adverbial com esse valor. Assim, ao inserir o verbo no gerúndio “sendo”, passamos a ter uma oração subordinada adverbial comparativa reduzida de gerúndio. Veja:

“como sendo uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como a substância ética consciente de si mesma, para o segundo”. Esta oração subordinada adverbial comparativa tem o sentido de hipótese que especificamos anteriormente no item III. Veja, agora, na forma desenvolvida:

“como se fosse uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como a substância ética consciente de si mesma, para o segundo”.

A segunda conjunção “como” passa a ter subentendida a mesma expressão:

“como se fosse uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como (se fosse) a substância ética consciente de si mesma, para o segundo”.

O mesmo ocorre com a reduzida:

“como sendo uma realização da ideia moral, para o primeiro, ou como (sendo) a substância ética consciente de si mesma, para o segundo”.

Por isso, a questão está correta.

78309166249

Gabarito: C

6. Conformativas: exprimem acordo ou conformidade de um fato com outro. Suas conjunções são: como, conforme, segundo, consoante. Geralmente é usada para reforçar argumento. A oração principal é a declaração feita pelo autor e a oração subordinada adverbial conformativa é a base de sustentação do argumento, muito marcado por leis, regulamentos, fala de especialistas, etc. Esse valor adverbial é vastamente explorado como argumento de autoridade:

Como disse o prefeito, o IPTU vai subir 5% este ano. “Digo essas coisas por alto, segundo as ouvi contar.” (Machado de

Assis)

Conforme prevê o artigo 37 da CF, o serviço público é impessoal. Consoante opinam alguns, a história se repete.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

19 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 7. Proporcionais

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

7. Proporcionais: iniciam ideia de proporção, com as locuções conjuntivas à proporção que, à medida que, ao passo que, quanto mais

tanto menos,

quanto menos

tanto

Os alunos respondiam, à medida que eram chamados. À proporção que subiam a montanha, o ar ia ficando rarefeito. O valor do salário, ao passo que os preços sobem, vai diminuindo. Tanto gostava de um quanto aborrecia o outro. Não são corretas as locuções à medida em que, na medida que, a medida que, com valor de proporção, cabendo apenas à medida que. Outro detalhe, não há crase em locuções conjuntivas de outro valor, somente há nas proporcionais: “à medida que” e “à proporção que”. Vimos que a locução conjuntiva “na medida em que” é causal. Ela pode também fazer parte de estrutura oracional adjetiva. Compare todas:

menos,

tanto mais, quanto mais

tanto menos, quanto menos

tanto mais, quanto mais

mais, quanto menos

quanto (como).

À medida que os anos passam, as minhas possibilidades diminuem.”

oração subordinada adverbial proporcional +

oração principal

"O Brasil exportou mais na medida em que a indústria e a pecuária estão fortalecidas."

oração principal

“A expansão

da

+

lavoura

oração subordinada adverbial causal

algodoeira

não

pôde

produzir-se

em

São

Paulo na mesma medida em que se produziu noutras terras.”

oração principal

+

oração subordinada adjetiva restritiva

Observação: A locução conjuntiva ao passo que deve receber especial atenção, pois pode agregar três valores semânticos distintos. Ela possui valor de tempo concomitante e se estende à proporção (que também possui a concomitância temporal) e à oposição (pois também pode agregar, além do valor de tempo concomitante, o de adversidade):

78309166249

Subordinada adverbial proporcional:

Pequenos cogumelos, ao passo que devoram os tecidos dos insetos, semeiam os seus esporos mortais.” (= à proporção que)

Subordinada adverbial temporal:

Ela dormia, ao passo que o professor dissertava. (= enquanto)

Coordenada adversativa:

É feia, ao passo que a irmã é bonita. (= mas)

Deve-se entender, antes de tudo, que esta locução conjuntiva transmite tempo concomitante e, dependendo do contexto, transmite os outros dois valores semânticos. Perceba que a proporção se dá com uma ideia de evolução

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

20 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 temporal, os

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

temporal, os processos verbais vão se acumulando, progredindo temporalmente, de forma diferente dos outros valores semânticos.

8. Finais: indicam finalidade, objetivo, com as locuções conjuntivas:

para que, a fim de que, que (= para que), porque (= para que):

Afastou-se depressa, para que não o víssemos. Viemos aqui a fim de que realizássemos um acordo. “Fiz-lhe sinal que se calasse.” (Machado de Assis) “Fez tudo porque eu não obtivesse bons resultados.”

Muito utilizada é a forma reduzida de infinitivo:

Suportou todo tipo de humilhação para obter o visto americano.

Questão 19: Ministério da Fazenda 2014 Assistente Técnico (banca ESAF)

Fragmento do texto: Isso inclui tanto a oferta de treinamento adequado, quanto uma maior interação entre órgãos de controle: Controladoria-Geral, Tribunal de Contas, Ministério Público e o restante da administração pública. Outra ideia para motivar os servidores públicos de carreira é a regulamentação da possibilidade de ascensão funcional, das atividades de nível médio para outras de nível superior, por meio de concursos internos.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

As duas ocorrências de “para” (w. 4 e 5) têm a mesma função sintática nos períodos em que são empregadas.

Comentário: Na oração subordinada adverbial “para motivar os servidores públicos de carreira”, a preposição “para” tem valor de finalidade. Já, na expressão “das atividades de nível médio para outras de nível superior”, há a preposição “de”, a qual transmite origem, e a preposição “para” que transmite destino. Assim, realmente as preposições “para”, neste contexto, não apresentam a mesma função.

Gabarito: E

Questão 20: Ministério da Fazenda 2014 Assistente Técnico (banca ESAF)

Assinale a opção que corresponde a erro gramatical ou de grafia de palavra na transcrição do texto.

78309166249

A eficiência no uso dos recursos públicos é, cada vez mais, uma exigência da sociedade. Esta espera que a prestação de serviços governamentais ocorra (1) com qualidade, utilizando racionalmente os recursos dos contribuintes. Nesse sentido, diversos estudos têm (2) surgido afim de (3) discutir a qualidade das administrações públicas. O que se nota é que o maior controle está associado à (4) maior rigidez institucional, o que, se por um lado, pode coibir o comportamento corrupto do gestor público, por outro lado pode também reduzir seu incentivo em adotar comportamento inovador por temer que a inovação seja (5) considerada ilegal, comprometendo sua carreira.

(Adaptado de http://www.brasil-economia-governo.org.br/2012/11/21/ gestao-publica-mais-eficiente/)

a) (1)

b) (2)

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

21 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 c) (3)

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

c) (3)

d) (4)

e) (5)

Comentário: Esta questão explora a grafia da locução prepositiva “a fim de(palavras separadas), a qual inicia uma oração subordinada adverbial final. Assim, seguramente é a alternativa (C) a errada. Note que as demais alternativas não oferecem dúvidas!

Gabarito: C

Questão 21: Auditor do Tribunal de Contas Paraná 2003 (banca ESAF)

Assinale a opção incorreta para preencher as lacunas do texto abaixo.

O

Tribunal

1

intensificar

a

cooperação

e

o

intercâmbio de informações com órgãos e entidades nacionais, em especial os

de

controle

de

despesas

públicas,

 

2

aprimorar

técnicas

e

, Contas dos Estados e dos Municípios, com o intuito de desenvolver ações conjuntas de auditoria.

procedimentos de fiscalização,

no caso dos Tribunais de

3

www.tcu.gov.br - Relatório de atividades do tcu /97

1

2

3

a) tem procurado

b) vem procurando

c) está procurando

d) procura

a fim de afim de com o objetivo de com o fim de

como também mas também e também mas também bem como

e) busca

para

Comentário: Este tipo de questão deve ser preenchido, eliminando-se as expressões comprovadamente erradas. A primeira lacuna admite qualquer dos verbos das alternativas.

A lacuna 2 deve ser preenchida por conectivo adverbial de finalidade. A única alternativa errada é a (B), pois “afim” deve ficar separado (“a fim”). A palavra “afim” tem relação com o substantivo “afinidade”: uma atitude educada é afim com uma atitude cidadã, isto é, uma tem afinidade com outra. Esse sentido não está no texto, cabendo somente a finalidade.

78309166249

Por

isso, a alternativa incorreta é a (B).

 

Veja que a lacuna 3 será corretamente preenchida por qualquer das

alternativas.

Gabarito: B

Questão 22: SUSEP 2006 Analista Técnico (banca ESAF)

Fragmento do texto: Ou seja, depois de afligir as classes mais baixas, a crise agora bateu às portas da classe média e média alta. Há vários motivos para que isso esteja acontecendo. Para começo de conversa, hoje há mais pessoas qualificadas no mercado 14,6% dos empregados do país têm diploma.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Julgue a reescrita de trecho do texto quanto à preservação de sua correção gramatical e coerência textual:

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

22 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 “ para

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

para

que

isso

esteja

acontecendo”(w.2,3)

/

para

tal

crise

estar

acontecendo

 

Comentário: A questão apenas cobrou o conhecimento de transformação de uma oração subordinada adverbial de finalidade desenvolvida (“para que isso esteja acontecendo”) em reduzida de infinitivo (“para tal crise estar acontecendo”). Para isso, bastou retirar da locução conjuntiva “para que” a conjunção “que”, o que resultou na substituição do verbo conjugado no presente do subjuntivo (“esteja”) pelo infinitivo (“estar”). Além disso, note que “isso” e “tal” têm o mesmo sentido. Por tudo isso, a questão está correta.

Gabarito: C

 

Questão 23: SUSEP 2006 Analista Técnico (banca ESAF)

Fragmento do texto: A concorrência constitui ingrediente fundamental do crescimento. Sem concorrência não há inovação, e sem inovação não há crescimento sustentado. O Brasil acordou na questão da concorrência. Agora é preciso dotá-la de recursos adequados e implementá-la de acordo com as especificidades do país. Na defesa da concorrência, como de resto em várias áreas da política pública, é preciso copiar um clichê do mundo corporativo multinacional: manter a visão global sem perder o enfoque local.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Julgue a alteração proposta para o texto que resulta em incoerência da argumentação ou incorreção gramatical. Desconsidere os necessários ajustes nas letras maiúsculas e minúsculas:

Inserção de Embora antes de “Na defesa”(w.5).

Comentário: A conjunção “embora” é adverbial concessiva, mas o contexto

não transmite esse valor. Perceba que se entende que é preciso copiar um

para se defender a concorrência. Assim, a expressão “Na defesa da

concorrência, como de resto em várias áreas da política pública” é um adjunto adverbial de finalidade, e não uma oração adverbial concessiva. Como a questão afirmou que haveria incoerência, está correta.

clichê (

)

Gabarito: C

78309166249

9. Temporais: indicam o tempo em que se realiza o fato expresso na oração principal, podendo ser um tempo geral, concomitante, antes ou depois de um referente. Suas conjunções: quando, enquanto, logo que, mal (= logo que), sempre que, assim que, desde que, antes que, depois que, até que, agora que, ao mesmo tempo que, toda vez que. Não fale enquanto come. Mal você saiu, ela chegou. Só voltou a jogar quando se sentiu bem. Assim que chegou, foi para a cozinha.

A forma reduzida também é muito utilizada:

Terminada a festa, todos foram embora.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

23 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Questão 24:

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Questão 24: ACE/MDIC-2012 - Analista de Comércio Exterior (banca ESAF)

Fragmento do texto: A explicação de como nosso sistema evoluiu da fase dos problemas para a estabilidade atual deixa raízes, num primeiro momento, numa forte concentração dos estabelecimentos, que, reunindo recursos importantes e desenvolvendo toda uma engenharia para atrair mais recursos, puderam atravessar diversas fases delicadas. O papel do Banco Central foi decisivo.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

As vírgulas após “que”(w.3) e após “recursos”(w.4) isolam oração subordinada de gerúndio.

Comentário: A afirmativa está correta, pois as orações “reunindo recursos importantese “desenvolvendo toda uma engenharia para atrair mais recursos” são subordinadas adverbiais temporais e reduzidas de gerúndio. Elas estão intercaladas à oração principal, por isso estão separadas por dupla vírgula.

Gabarito: C

Questão 25: FUNAI 2016 Nível superior (banca ESAF)

Enquanto os 26 mil km2 do Parque Indígena do Xingu permanecem preservados, sucessivas degradações têm marcado seu entorno, que sofreu com a derrubada de árvores por madeireiros, passando grande parte dos campos desmatados a ser ocupados pela pecuária extensiva e pelo garimpo. Nos últimos 15 anos, cada vez mais plantações de soja e cidades em crescimento cercam o parque. Em 1980, havia apenas três municípios na região; hoje, são dez. Os índios chamam essa situação de “abraço de morte”, porque chegam de fora os problemas ambientais enfrentados no parque, como o assoreamento do leito dos rios, a contaminação das águas, a invasão de porcos selvagens, as mudanças nos marcadores do tempo.

(Adaptado de Planeta/abr.2016, p.19.)

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Mantém o sentido e a correção do texto a substituição de “Enquanto” (w.1) por “À medida que”.

78309166249

Comentário: A conjunção “enquanto” é subordinativa adverbial temporal, a qual transmite simultaneidade, já a locução conjuntiva “à medida que” só pode ter valor adverbial proporcional. Assim, a afirmação está errada.

Gabarito: E

A Norma Gramatical Brasileira (NGB) não admite a classificação de uma oração subordinada adverbial de modo, porém podemos encontrá-la em alguns contextos, como se observa na questão abaixo. Veja:

Questão 26: Receita Federal 2014 Auditor-Fiscal (banca ESAF)

Fragmento do texto: A despeito das suas imperfeições, a Lei da Transparência Tributária representa um notável avanço institucional. A conscientização da população brasileira é fundamental para a construção de

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

24 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 uma República

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

uma República efetivamente democrática, em que os eleitores tenham plena ciência da repercussão das decisões tomadas pelos seus representantes. Somente assim poderão exigir a construção de um sistema tributário simples, coerente e justo, que não onere os cidadãos carentes e não seja regressivo, gravando os contribuintes menos abastados de modo (proporcionalmente) mais severo que os mais favorecidos economicamente.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O uso do gerúndio em “gravando” (w. 8) imprime à oração uma ideia do modo de funcionamento do sistema tributário.

Comentário: Entendemos do contexto que o modo de funcionamento do sistema tributário simples, coerente e justo, que não onere os cidadãos carentes e não seja regressivo, seria com a gravação dos contribuintes menos abastados de forma (proporcionalmente) mais severa que os mais favorecidos economicamente. Assim, a afirmativa está correta.

Gabarito: C

Comentário do autor (orações intercaladas)

Além das orações coordenadas, também são estruturas independentes as orações intercaladas. Elas não fazem parte do grupo de orações coordenadas, pois são inserções feitas pelo autor, com desprendimento sintático, por isso podem ser separadas por vírgula, travessão ou parênteses. Essa estrutura é também chamada de expressão parentética ou comentário do autor e transmite certos valores semânticos:

a) advertência: esclarece um ponto que o falante julga necessário:

Em 1945 isto aconteceu no dia do meu aniversário conheci um dos meus melhores amigos.

b) opinião: o falante aproveita a ocasião para opinar:

D. Benta (malvada que era) dizia que brincadeira da garotada. (Machado de Assis)

desejo: o falante aproveita a ocasião para exprimir um desejo, bom

ou mau:

José Deus o conserve assim! conquistou o primeiro lugar da classe.

sua doença impedia a

a

c)

78309166249

d) escusa: o falante se desculpa:

“Pouco depois retirou-se: eu fui vê-la descer as escadas, e não sei por que fenômenos de ventriloquismo cerebral (perdoem-me os filósofos essa

frase bárbara) murmurei comigo

(Machado de Assis)

e) permissão: o falante solicita algo:

Meu espírito (permita-me aqui uma comparação de criança), meu espírito era naquela ocasião uma espécie de peteca.” (Machado de Assis)

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

25 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 um enunciado:

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

um

enunciado:

Ele, que eu saiba, nunca veio aqui. “Cobiça de cátedras e borlas que, diga-se de passagem, Jesus Cristo repreendeu severamente aos fariseus.” (Camilo Castelo Branco) Os livros, pode-se bem dizer, são o alimento do espírito.

uma

f)

ressalva:

o

falante

faz

limitação

à

generalidade

de

g) esclarecimento, síntese ou conclusão do que foi enunciado:

A razão é clara: achava a sua conversação menos insossa que a dos outros homens.” (Machado de Assis) “Não era desgosto: era cansaço e vergonha(Cochat Osório) Eu em sua igreja não mando: só assisto e apoio” (S. de Mello Breyner Andressen)

Esses comentários do autor, ao longo do texto, são muito vistos em diversos gêneros (jornalísticos, protocolares, técnicos etc). A banca não quer que você decore os valores semânticos, mas apenas perceba que houve uma inserção do autor, a fim de completar a informação, chamar a atenção do leitor, dar mais subsídios extras para melhor compreensão do texto, etc.

Às vezes, podemos encontrar um dos valores coordenados ou subordinados adverbiais, em um comentário do autor, e isso ficará bem marcado, pois o autor vai enfatizá-lo por meio de vírgula(s), parênteses, dois- pontos ou travessões, como vimos nos exemplos anteriores.

Questão 27: MPOG 2015 Analista de Planejamento e Orçamento (banca ESAF)

Fragmento do texto: Disputam o noticiário as degolas de civis por outro bando de radicais, o Estado Islâmico, e, ainda, os rescaldos do atentado ao semanário francês Charlie Hebdo, com a rejeição generalizada aos que professam o islamismo, a religião maometana que não prega o ódio muito menos a matança.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

O travessão, antes da expressão “muito menos a matança” (w. 8), serve para enfatizar essa expressão e pode ser substituído por vírgula sem causar erro gramatical.

78309166249

Comentário: O travessão inicia um comentário à parte do autor e naturalmente o enfatiza. Tal comentário pode ser separado por travessão ou vírgula, por isso a afirmação está correta.

Gabarito: C

Questão 28: MPOG 2015 Analista de Planejamento e Orçamento (banca ESAF)

Fragmento do texto: O homem é um animal. Porém, não é “apenas mais um animal”. Ele é único. Só o homem, entre todas as espécies, tem uma capacidade a que chamaremos, por falta de melhor termo, capacidade de simbolizar.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

A expressão “por falta de melhor termo” (w. 3) pode ser encerrada entre travessões ou parênteses.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

26 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Comentário :

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Comentário: Primeiramente, veja que o autor emprega a expressão capacidade de simbolizare chama a atenção do leitor quanto à falta de um termo mais apropriado. Assim, ele fez um comentário à parte, uma justificativa sobre a falta de melhor termo. Dessa forma, podemos entender a expressão “por falta de melhor termo” como oração parentética ou comentário do autor, por isso pode ser separada por vírgulas, travessões ou parênteses. Veja:

Só o homem, entre todas as espécies, tem uma capacidade a que chamaremos, por falta de melhor termo, capacidade de simbolizar.

Só o homem, entre todas as espécies, tem uma capacidade a que chamaremos por falta de melhor termo capacidade de simbolizar.

Só o homem, entre todas as espécies, tem uma capacidade a que chamaremos (por falta de melhor termo) capacidade de simbolizar.

Gabarito: C

Questão 29: Receita Federal 2014 Auditor-Fiscal (banca ESAF)

Fragmento do texto: A despeito das suas imperfeições, a Lei da Transparência Tributária representa um notável avanço institucional. A conscientização da população brasileira é fundamental para a construção de uma República efetivamente democrática, em que os eleitores tenham plena ciência da repercussão das decisões tomadas pelos seus representantes. Somente assim poderão exigir a construção de um sistema tributário simples, coerente e justo, que não onere os cidadãos carentes e não seja regressivo, gravando os contribuintes menos abastados de modo (proporcionalmente) mais severo que os mais favorecidos economicamente.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

A retirada dos sinais de parênteses não prejudica sintaticamente a oração, mas sua presença diminui a relevância da ideia expressa por “proporcionalmente” (w. 8).

Comentário: O uso dos parênteses é um destaque que o autor dá ao advérbio “proporcionalmente”. Assim, podemos entendê-lo como um comentário à parte do autor. Note que um advérbio normalmente não ficaria entre parênteses, e isso só foi possível por ênfase, destaque. Assim, a retirada de tal pontuação livra tal vocábulo da ênfase, do comentário do autor, passando a fazer parte da sintaxe da oração.

78309166249

Gabarito: C

Questão 30: Auditor-Fiscal da Receita Federal 2012 (banca ESAF)

Fragmento do texto: No momento, o ministro das Comunicações trabalha em medidas para reduzir custos na telefonia e nas telecomunicações. Ele usa o conhecido e correto argumento de que o corte de impostos, ao reduzir o custo final para o usuário, aumenta o consumo; logo, o faturamento das empresas.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

27 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Julgue esta

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Prejudica-se a correção gramatical do período ao se substituir os travessões (w.3) por vírgulas.

Comentário: A expressão “e correto” é um comentário do autor, o qual pode ficar separado por dupla vírgula, duplo travessão ou duplo parêntese. Como se afirmou que tal substituição prejudicaria a correção gramatical, a questão está errada.

Gabarito: E

Questão 31: CGU 2012 Analista de Finanças e Controle (banca ESAF)

1

O Brasil vive uma situação intrigante: enquanto a economia alterna altos e baixos, a taxa de desemprego cai de forma consistente. Uma das possíveis causas é a redução do crescimento demográfico, que desacelera a expansão da população apta a trabalhar. Com menos pessoas buscando

5

uma ocupação, a taxa de desemprego pode cair mesmo com o baixo crescimento. Isso é bom? Depende. Por um lado, a escassez de mão de obra reduz o número de desempregados e aumenta a renda. Por outro, eleva os custos e reduz a competitividade das empresas, o que pode levá- las a demitir para reequilibrar as contas. É uma bomba-relógio que só

10

pode ser desarmada com o aumento da produtividade para manter o emprego, os trabalhadores precisarão ser treinados para produzir mais. (Adaptado de Ernesto Yoshida, Outro ângulo. Exame, ano 46, n.

 

7,18/4/2012)

Desconsiderando os necessários ajustes nas letras iniciais maiúsculas e minúsculas, provoca-se erro gramatical e/ou incoerência textual ao

a) retirar o sinal de dois pontos depois de “intrigante” (w.1) e, ao mesmo tempo, substituir a vírgula depois de “baixos”(w.2) pelo sinal de dois pontos.

b) substituir o sinal de interrogação depois de “bom”(w.6) por um sinal de ponto e vírgula.

c) inserir uma vírgula depois de “cair”(w.5).

 

d) substituir o ponto depois de “Depende”(w.6) pelo sinal de dois pontos e, ao mesmo tempo, substituir o ponto depois de “renda”(w.7) por ponto e vírgula.

78309166249

e) substituir o travessão depois de “produtividade”(w.10) pelo sinal de dois pontos.

Comentário: A alternativa (A) está correta. No texto original, a situação intrigante é a relação temporal entre a economia alternar altos e baixos e a taxa de desemprego cair de forma consistente. Na reescrita, a situação intrigante passa a ser a taxa de desemprego cair de forma consistente, havendo uma relação temporal entre o Brasil viver essa situação intrigante e a economia alternar altos e baixos. Naturalmente, houve mudança de sentido, porém se manteve a correção gramatical e os argumentos continuam sustentando a linha argumentativa do texto. Assim, não há incoerência. Confronte:

O Brasil vive uma situação intrigante: enquanto a economia alterna altos e baixos, a taxa de desemprego cai de forma consistente.”

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

28 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 O Brasil

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

O

Brasil vive uma situação intrigante enquanto a economia alterna altos e

baixos: a taxa de desemprego cai de forma consistente.

 

A

alternativa (B) é a errada, pois há uma frase interrogativa que foi

respondida pela frase “Depende”. Com a substituição do ponto de interrogação

pelo sinal de ponto e vírgula, o verbo “Depende” perde coerência, pois necessita da pergunta, sendo ele a resposta.

 

A

alternativa (C) está correta, porque o adjunto adverbial de concessão

mesmo com o baixo crescimento” está em final de período e a vírgula é facultativa.

 

A

alternativa (D) está correta, pois os dois períodos posteriores são um

desenvolvimento explicativo. Com tal substituição, os três períodos se transformam em apenas um. Com o sinal de dois pontos mantém-se a relação explicativa e o sinal de ponto e vírgula é utilizado por já haver divisões internas dentro das orações. Compare:

Depende. Por um lado, a escassez de mão de obra reduz o número de desempregados e aumenta a renda. Por outro, eleva os custos e reduz a competitividade das empresas, o que pode levá-las a demitir para reequilibrar as contas.”

Depende: por um lado, a escassez de mão de obra reduz o número de desempregados e aumenta a renda; por outro, eleva os custos e reduz a competitividade das empresas, o que pode levá-las a demitir para reequilibrar as contas.”

 

A

alternativa (E) está correta, pois o travessão inicia um comentário do

autor, também chamado de estrutura parentética. Assim, podemos substituir esse travessão por parênteses ou pelo sinal de dois pontos, conforme pede a alternativa. Veja:

É uma bomba-relógio que só pode ser desarmada com o aumento da produtividade para manter o emprego, os trabalhadores precisarão ser treinados para produzir mais.”

É uma bomba-relógio que só pode ser desarmada com o aumento da produtividade (para manter o emprego, os trabalhadores precisarão ser treinados para produzir mais).”

78309166249

É uma bomba-relógio que só pode ser desarmada com o aumento da produtividade: para manter o emprego, os trabalhadores precisarão ser treinados para produzir mais.”

Gabarito: B

 

Questão 32: Analista de Finanças e Controle - CGU 2008 (banca ESAF)

Fragmento do texto: É preciso que sejam adotadas medidas indispensáveis para dar continuidade ao crescimento, entre elas os investimentos necessários

à nossa infraestrutura (energia elétrica, portos, rodovias e ferrovias), a

melhoria no nível da educação, aprovação das reformas tributária, sindical,

previdenciária e trabalhista e a desburocratização dos serviços públicos.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

29 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 A substituição

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

A substituição dos parênteses (w. 3) por travessões prejudicaria a correção gramatical do período.

Comentário: Veja que a expressão entre parênteses é uma inserção do autor que enumera elementos que exemplificam infraestrutura. Isso torna o texto mais claro. A substituição dos parênteses por travessões mantêm a correção gramatical. Como a questão afirmou que haveria prejuízo gramatical, está errada.

Gabarito: E

Questão 33: ANEEL - Analista 2006 (banca ESAF)

Fragmento do Texto: Tratava-se de uma família musical: o pai, Leopold, era exímio violinista, a irmã, mais velha, Nannerl, tocava cravo. Mas talentoso era mesmo Wolfgang, e talento precoce. Aos quatro anos, também tocava cravo, e depois órgão, piano e violino.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

A vírgula antes do “e”, no período “Mas talentoso era mesmo Wolfgang, e

talento precoce”, é facultativa, uma vez que tem seu emprego justificado por razões estilísticas.

Comentário: Veja que a expressão aditiva “e talento precoce” é uma consideração à parte do autor, é o seu comentário a respeito de Wolfgang. Por ser uma estrutura extratexto, isto é, uma inserção a mais do autor, sem enquadramento sintático, a vírgula não pode ser retirada.

Gabarito: E

Questão 34: Auditor do Tribunal de Contas 2003 (banca ESAF)

Fragmento do texto: Monteiro Lobato, ao afirmar que "um país se faz com homens e livros", por certo indicou o caminho das pedras àqueles que, descuidadamente, promovem a história sem a preocupação de seu registro e que, por consequência, legam ao pó do esquecimento tudo o que foi feito certo ou errado ou deixado de fazer.

Julgue esta afirmativa como CERTA (C) ou ERRADA (E)

Se os travessões (w.5) forem substituídos por vírgulas, o período permanece gramaticalmente correto.

78309166249

Comentário: Note que a expressão “certo ou errado” é uma inserção do autor, seu comentário. Assim, os travessões podem ser substituídos por vírgulas.

Gabarito: C

Questão 35: Auditor-Fiscal da Receita Federal 2005 (banca ESAF)

No texto abaixo foram substituídos sinais de pontuação por números. Assinale

a

sequência de sinais de pontuação que devem ser inseridos nos espaços

indicados para que o texto se torne coerente e gramaticalmente correto. Desconsidere a necessidade de transformar letras minúsculas em maiúsculas. Os seres humanos sofrem sempre conflitos de interesse com os ressentimentos, facções, coalizões e instáveis alianças que os acompanham(1)

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

30 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 no entanto,

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

no entanto, o que mais interessa nesses fenômenos conflituosos não é o quanto eles nos separam, mas quão frequentemente eles são neutralizados, perdoados e desculpados. Nos seres humanos(2) com seu extraordinário dom narrativo, uma das principais formas de manutenção da paz é o dom humano de apresentar(3) dramatizar e explicar as circunstâncias atenuantes em torno de violações que ameaçam introduzir conflito na habitualidade da vida(4) o objetivo de tal narrativa não é reconciliar, não é legitimar, nem mesmo desculpar, mas antes(5) explicar. (Jerome Bruner. Atos de significação, com adaptações)

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

a) ;

,

.

:

,

b) ;

-

;

.

;

c) ,

;

-

;

:

d) .

,

;

;

:

e) .

,

,

.

,

Comentário: Note que a questão informou que devemos desconsiderar as letras iniciais maiúsculas e minúsculas. Isso é muito importante. Como a lacuna 1 marca o início de uma oração coordenada adversativa, pode ser preenchida por ponto e vírgula, vírgula ou ponto final. Na lacuna 2, a expressão “Nos seres humanos” é um adjunto adverbial que se encontra antecipado. Assim, não deve ser separado por travessão, nem por ponto e vírgula, apenas pela vírgula. Por isso, podemos eliminar as alternativas (B) e (C). Na lacuna 3, os verbos “apresentar”, “dramatizar” e “explicar” estão enumerados. Assim, os dois primeiros não devem ser separados por travessão, nem por ponto final, nem por ponto e vírgula, apenas pela vírgula, pois há enumeração sem divisão interna. Por isso, podemos eliminar as alternativas (A) e (D), pois a (B) e (C) já haviam sido, sobrando a (E) como correta. Basta, agora, acompanhar a pontuação sugerida por esta alternativa para confirmação. A lacuna 4 inicia novo período. Por isso, deve ser preenchida pelo ponto

final.

 

78309166249

A lacuna 5 separa a expressão “mas antes” por meio de vírgula.

Gabarito: E

 

Você percebeu que não temos que ficar decorando todos os termos da oração. Temos que entender a funcionalidade. Nas próximas aulas, trabalharemos concordância, regência e crase. Naturalmente, vamos aprofundar um pouco mais neste conteúdo.

Agora vamos mudar de assunto. Entraremos no tópico período composto por subordinação substantiva. Para isso, lembre-se do seguinte:

uma oração, os quais não podem ser

separados por vírgula, além do aposto e do vocativo, que são termos acessórios e, na prova, basicamente se cobra o uso da vírgula.

Vimos os termos básicos de

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

31 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Também vimos

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Também vimos nas aulas anteriores que, se no enunciado há apenas um verbo, naturalmente temos apenas uma oração; porém, se inserirmos mais um verbo, obviamente teremos duas orações.

Devemos perceber que os termos sujeito, objeto direto, objeto indireto e complemento nominal são eminentemente substantivos. Isso quer dizer que seus núcleos devem ser substantivos ou palavras de valor substantivo. Os termos predicativo e aposto podem ter núcleos substantivos ou adjetivos, mas cabe agora falarmos apenas de seu valor substantivo.

Por exemplo, “isso” é um pronome. Por possuir valor substantivo, pode ocupar as funções sintáticas faladas anteriormente. Veja:

Isso é lindo. (Isso = sujeito)

Vi isso.

(isso = OD)

Sei disso.

(disso = OI)

Sou obediente a isso.

Ela é isso.

Só quero uma coisa: isso.

(a isso = CN)

(isso = predicativo)

(isso = aposto)

Um macete para sabermos se a palavra tem valor substantivo é trocá-la pelo pronome demonstrativo substantivo “ISSO”. Não é sempre que dá certo com o aposto, mas ele tem uma estrutura bem característica.

E por que isso é importante?

Quando os termos sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, predicativo e aposto (de valor substantivo) recebem um verbo, transformam-se numa oração subordinada substantiva. Período composto por subordinação substantiva Com base nas frases abaixo, observe os termos em negrito e suas funções sintáticas. Quando o termo recebe um verbo, vira uma oração. Veja:

1

Era indispensável

teu regresso.

VL

+

predicativo

(sujeito simples)

período simples (oração absoluta)

78309166249

2

Era indispensável

que tu regressasses.

VL

+

predicativo

Suj

+

VI

 

oração principal

oração subordinada substantiva subjetiva

período composto

3

Era indispensável

tu regressares.

VL

+

predicativo

Suj

+

VI

 

oração principal

oração subordinada substantiva subjetiva (reduzida de infinitivo)

período composto

Na frase 1, temos apenas uma oração (período simples), pois há apenas um verbo: “Era”. Esse verbo é de ligação, seguido do predicativo “indispensável” e o sujeito “teu regresso”.

Na frase 2, o então sujeito “teu regresso” recebeu um verbo e foi modificado para “que tu regressasses”. Assim, há duas orações (período composto). Note que esta oração recentemente formada não produz sentido

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

32 de 100

78309166249 - Diego Assis Cruz

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 sozinha; por

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

sozinha; por isso a chamamos de subordinada. Ela é considerada substantiva por ter sido gerada de um termo substantivo. Para se reforçar isso, podemos trocá-la pelo pronome “isso”. Veja: Isso era indispensável. O pronome “isso” continua na função de sujeito, então a oração sublinhada terá a função de sujeito da oração principal.

Note que a oração subordinada substantiva será sempre o termo que falta na oração principal. Confirme isso na frase 2: na oração principal só há verbo de ligação e predicativo, falta o sujeito, que é toda a oração posterior. Esta oração é chamada de desenvolvida, pois possui conjunção (integrante que”) e o verbo está conjugado em tempo e modo verbal (regressasses).

Na frase 3, a oração sublinhada perdeu a conjunção integrante “que” e isso fez com que reduzíssemos a quantidade de vocábulos da oração. Assim, o verbo que se encontrava conjugado passou a uma forma infinitiva. Por esse motivo, dizemos que a oração sublinhada na frase é reduzida de infinitivo.

Essa denominação completa você não precisa decorar, basta entender o processo, a estrutura. A banca ESAF não pergunta o nome, mas quer saber o emprego disso.

Seguem agora outras estruturas em que o termo, ao receber o verbo, passa a ser uma oração subordinada substantiva.

Veja:

Na ata da reunião constava a presença deles. (Isso constava na ata da reunião)

adjunto adverbial de lugar + VI +

sujeito

Na ata da reunião constava que eles estavam presentes. (Isso constava

oração principal

+ oração subordinada substantiva subjetiva

Na ata da reunião constava eles estarem presentes. (Isso constava

)

oração principal

+ oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo

)

Foi anunciado o debate deles. (Isso foi anunciado)

locução verbal +

sujeito

Foi anunciado que eles debateriam. (Isso foi anunciado)

oração principal + oração subordinada substantiva subjetiva

78309166249

Foi anunciado eles debaterem. (Isso foi anunciado)

oração principal + oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo

As orações subordinadas substantivas subjetivas são também denominadas de sujeito oracional. Vale lembrar que o verbo da oração principal que tem como sujeito a oração subordinada substantiva subjetiva deve ficar sempre na terceira pessoa do singular. Assim, mesmo que haja vocábulos no plural no sujeito oracional, a oração principal permanecerá com o verbo no singular. Veja que os verbos constava” e “Foi anunciadonão se flexionaram no plural, mesmo o sujeito oracional possuindo vocábulos no plural.

Agora veremos o complemento verbal direto. Perceba a seguir que, nas orações principais, os verbos possuem sujeito, são transitivos diretos e necessitam de um complemento, o qual será toda a oração posterior.

Prof. Décio Terror

www.estrategiaconcursos.com.br

78309166249 - Diego Assis Cruz

33 de 100

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3 Economistas previram

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

Economistas previram um aumento no desemprego. (Economistas previram isso.)

sujeito

+

VTD +

objeto direto

Economistas previram que o desemprego aumentaria. (Economistas previram isso.)

oração principal

+ oração subordinada substantiva objetiva direta

Economistas previram aumentar o desemprego. (Economistas previram isso.)

oração principal

+

oração subordinada substantiva objetiva direta reduzida de infinitivo

Mas cabe uma peculiaridade da oração subordinada substantiva objetiva direta. Nas frases interrogativas indiretas, as orações subordinadas substantivas objetivas diretas podem ser introduzidas pela conjunção subordinada integrante “se” e por pronomes ou advérbios interrogativos:

Ninguém sabe se ela aceitará a proposta. Ninguém sabe como ela aceitará a proposta. Ninguém sabe quando ela aceitará a proposta. Ninguém sabe onde ela aceitará a proposta. Ninguém sabe qual é a proposta. Ninguém sabe quanto é a proposta.

Com os verbos deixar, mandar, fazer (chamados auxiliares causativos) e ver, sentir, ouvir, perceber (chamados auxiliares sensitivos) ocorre uma forma peculiar de oração subordinada substantiva objetiva direta reduzida de infinitivo:

Deixe-me repousar.

Mandei-os sair.

Ouvi-o gritar.

Nesses três últimos casos, as orações destacadas são todas objetivas diretas reduzidas de infinitivo e, o que é mais interessante, os pronomes oblíquos átonos atuam todos como sujeitos dos infinitivos verbais e são conhecidos por sujeito acusativo. Essa é a única situação da língua portuguesa em que um pronome oblíquo pode atuar como sujeito. Para perceber melhor o que ocorre, convém transformar as orações reduzidas em desenvolvidas:

Deixe que eu repouse. Mandei que eles saíssem. Ouvi que ele gritava.

78309166249

É bom esclarecer que os verbos causativos e sensitivos não formam locução verbal, pois fazem parte de um período composto.

Agora, passemos às orações com função de objeto indireto e complemento nominal. Se o objeto indireto e o complemento nominal (os quais são termos iniciados por preposição) recebem o verbo, naturalmente vão continuar com a preposição antecedendo-os.

Teus amigos confiam em tua vitória. (Teus amigos confiam nisso.)

sujeito

+

VTI

+

objeto indireto

Teus amigos confiam em que tu vencerás. (Teus amigos confiam nisso.)

oração principal

+

oração subordinada substantiva objetiva indireta

Teus amigos confiam em venceres. (Teus amigos confiam nisso.)

oração principal +

Prof. Décio Terror

oração subordinada substantiva objetiva indireta reduzida de infinitivo

www.estrategiaconcursos.com.br

34 de 100

78309166249 - Diego Assis Cruz

Perceba que, na complemento, é o nome. completiva nominal, não é Português para AFRFB Teoria

Perceba que, na complemento, é o nome.

completiva nominal, não é

Português para AFRFB Teoria e questões comentadas Prof. Décio Terror - Aula 3

o

verbo que

exige

o

Teus pais

sujeito +

estavam

certos

de tua volta.

(Teus pais estavam certos disso.)

VL

+ predicativo + complemento nominal

Teus pais estavam certos de que tu voltarias. (Teus pais estavam certos disso.)