Você está na página 1de 257
APRENDENDO A Tas COM OS MAIORES MESTRES INTERNACIONAIS volume | MAS BE _ 250 Pate EES micinsean Rea Ce aa Ca BS Uy APRENDENDO A DESENHAR COM OS MAIORES MESTRES INTERNACIONAIS volume | (Pani comes) CAPA (ARTE) CAPA (COR) QUARTA CAPA Frank Cho Brett Evans Matt Halley, Jim Lee, Greg Horn ——_-Helolo de Carvalho e Otavio Almeida 4 | INTRODUGAD por Joc aucsasa 6 | CAPITULO UM: As FERREMENTAS DO OFicIO 7 | MATERIAIS BASICOS peta equipe da revista Wizard {1 | CAPITULO DOIS: DESENHO BASICO {2 | CONSTRUGAO DA FIGURA HUMANA por Jim Calafiore {6 | PERSPECTIVA BASICA por Bart sears {8 | PERSPECTIVA AVANGADA por Jim Calatiore 22 | USANDO PERSPECTIVA por Jim calafiore 26 | SOMBREAMENTO por Martin Wagner 30 | CAPITULO TRES: ANATOMIA 31 | ESTRUTURA por Kevin Maguire 35 | CABECAE TRONCO por Kevin Maguire —{?- 39 | EXPRESSOES FACIAIS por Kevin Maguire 43 | MAQS por Gary Frank 47 | PERNAS por Bart soars 50 | PES por Darick Robertson 54 | MULHERES por Joseph Michael Linsner 58 | MULHERES VOLUPTUOSAS por adam Hughes 62 | MULHERES REALISTAS por Terry Moore 66 | SEX APPEAL por Miche! Tumer 70 | ADOLESCENTES E CRIANCAS por Tom Grummett ay 76 | PROPORGGES por Date Keown “2 80 | CAPITULO QUATRO: FIGURAS EM ACAG 81 | LINGUAGEM CORPORAL por wart Haley 85 | AGAO E MOVIMENTO por Bart soars 89 | ESCORCO DINAMICD por Matt Haley 93 | MOVIMENTAGAO DE PERSONAGENS por Mike Wie ringo 97 | CENAS DE ACAD por Jim Lee 103 | VOO por Phit Jimenez Cesena a APRENDENDO A DESENHAR (08 | CAPITULO CINCO: CRIE SEU MUNDO 29 | REFERENCIAS por Joe Kubert | | REFERENCIAS FOTOGRAFICAS por Greg Land 119 | CENARIOS por Phil uimenez 3 | AMBIENTACAD por vim catatiore 27 | TEXTURA por Art Adams | SUPERFICIES METALICAS por Jim catatiore | VEICULGS por Sean chen (39 | CAPITULO SEIS: NARRATIVA (40 | FUNDAMENTOS DA NARRATIVA por Joe Kubert 145 | NARRATIVA por Mike Wieringo 48 | PLANEJANDO UMA PAGINA por Norm Breyiogte 52 | DISPOSICAD DOS QUADRGS por Torry Dodson {55 | TENSAO DRAMATICA por Jim Catatiore RITMO por Jim Calatine CAPITULO SETE: TECNICAS AVANCADAS ‘64 | DESENHANDD GRUPOS po: George Pérez {70 | CRIANDO PERSONAGENS por Joe Kubert 75 |MONSTROS por Doug Mahnke 2 |ROBBS po: Par Lee 7 | EFEITOS ESPECIAIS por Phit Jimenez )| | EFEITOS SONOROS por Watt simonson 97 |LUSTRAGAO DE PAGINA INTEIRA po- iin Catafore | | CAPAS por Frank cho 206 | ARTE-FINAL por Joc Kubert | ARTE-FINAL DE IMPACTO por Steve Lieber 215 | LUZ E SOMBRA por Jim Calatiore 2 | ESPACO NEGATIVO por Grog Horn 4 | SILHUETAS por Eduardo Risso & | CLIMA por Ketiey Jones a DA PAGINA EM BRANCO A PAGINA FINAL por Tom Raney & 238 |COLORIZAGAO por christian Lichiner & Aron Lusen 2 |EXEMPLOS DE ROTEIRO por Brian Michael Bendis 250 | ENTRANDO NO MERCADO jo: sean T. collins 4 | INDICE INTRODUCAO_ JOE QUESADA Mire sora pouada luetragae Maderna, os arnictas qua se ceandidatavam a dosonhor tinham quo tor tum nive! téenice tao alt, que apenas oe realmente excelentes conseguiam trihar x ‘uma carreira centavel Naquela época, tudo, desde livros @ capas de revistas até a primeira pagina dos jornais e pésteres de filmes, roqueria ag habllidades artistioas dos melhores ilustradores {do mundo, Era comum andar polas ruac © ver as mai betas artes em outdoors, anuncies de carros ¢ até mesmo de comida cenlatada. E esses artistas sentiam un grande orgulho de saber ‘que padiam desenhar qualquer coisa, ualquer coisa mesmo, ‘que fosse requistada. Elestinham que; era o sau trabalho, Hojo, com os adventos da forogratla e das artes cigtals, ha quom diga quo a gloricea era dos grandes iluetradores passou .ou sera que nao? Eu diria que, enquanto todas as oportunidades do passado para grandes lustracées praticamente secaram, ainda existe ‘uma que, ao meu ver, 60 dime baste para os grandes ilustradores se expressarem e rapetidarnente exibirem suas habilidades. Aquilo que o mercado de lustraco publica perdou, a indistria dos quaérinhes ganhout Muitos Ja comentaram sobre como, ao longo de mais ou menos 20 anos, @ arte dos quadrinhos se sofisticou. Isso porque em nenhum outro luger do planeta, em nenhuma outta indistria, 6 possivel encontrar o brlhantismo que hoje existe no universo das HOs. Estou falando de Grandes Mestres na arte da llustraglo e, ainda mais importante, da narrativa visual. Essee grandes artistas, que om tampos mais simplos estariam trabalhando om outros ramos, hoje podem chamar 98 quadrinhos de lar. 0 lugar onde roalmento € possivel pegar um lapis e usar seus dons divinos. Esso nos remete a este momento! Posso sentra palma de suas mos comegando a suar e seu corpo tremer de agitacio. ut sel ot sel. voo8 mal pode esperar para passar por esta introdugdo 0 iret a0 Cerne oo che ed a APRENDENDO A DESENHAR que se revela nas piginas seguintes. Mas me aturem s6 mais um ou dois segundos, porque 0 gentil pessoal da Wizard me pecs para transmit algumas informagiies antes de comecarmos. Como editor-chefe da Marval, artistas sempre me Porguntam 0 que procuramos nos novos talentos. Seria algum estilo ou técnica ospectal,algum dinamismo maluco u anatomia perteita? “Em que outro lugar do planeta Terra vocé encontraria ligoes tao minuciosas para ajuda-lo acomegar sua jornada nesta estrada rumo ao sucesso?” Nao, néo ¢ nada disso. — _ saber fazer isso e, ainda por cima, fazer bem feito? (O que nos leva ao titulo deste live. Sy : i i Em que outro ugar do planeta Terra voe® oncontraria ligéee _oncaixarperfeitamente, Voeé no pode se concentrar apenas em "io minuciosas para ajudé-lo a comagar sus jomada nesta ‘anatomia ou narratwa Visusl sem estudar perspeativaprimeico, ‘estrada rumo ao eucesso, para desenvolver ahablidade 2 ace no pode aprimorar suas fontes del Cconhecimonta que poderdo torné-lo um artista pratssional cm canjunto com a narrativa vis {de quatirinhos? E onde mais vooe encontraria essas ligses uma meema coisa: 0 aprendizado na arto da Ikistragio Clissica. ensinadas por Grandes Mestras como Art Adams, Jim Bom, 60 que eu tina a dizer. Com certeza, espero fever numa ore, Sean Chan, Frank Cho, Gary Frank, Tom Grummett, das incriveis convengaee da revista Wizarcom seu nove portalia "Matt Haley, Scot Hanna, Greg Hom, Phil Jimanez, Dale com mags, € quom sabe, talvaz um dia voce rd se tornar um dos Keown, George Pére2, Tom Raney, Eduardo Risso, Darick hoss0s artists superstars. Qu ainda ~o edtor-chefe da Marvel. Robertson, Bart Sears, Michaol Turner, Martin Wagner & i! Cuidado com esas idéias, hein! Mike Wieringo? Isso mesmo: exatamionte aqui. Neste pequeno ‘compéndi saber como udo faz parte de ‘as melhores aulas de deseno elabora Te vejo nos quadrinhos. para areveta Ward voc erconvardo port do partda pl ab Chogar ao ope doe auaginho tudo ee vedo do care tue eeriona ron do ara, os mohores oroeionas do Y Hosa ucidadn Param est nocomande dah honenhes Som acer. naofelsoogunprecsetfres mss, Eat hot a Mara am cortez, garde pate Tov ver com Ci eel que primera vit gwnar dan cob ad mostadac poem parecer des =cono pareceram para odos nds no comeco -, mae ret inagre Soneau pager mu cup rabecand” cu preonagan favor todos eter indo uote pr br, cura Dae abocen guna cosa. Eu no congo pensar um 03 rl Os desenhos incriveis de Joe Quesada embalezaram as paginas das revistas Demolidor e X-Factor da Marvol caminho, no ple as Kgbes e tudo vai so CAPITULO UM: aa DO OFICIO CAPITULO! MATERIAIS BASICOS ':2:22!2:2)..0 1é mesmo Jack Kirby precisava de ume horrache. comprar uma rocha com proprisdades magnéticas numa oja Ace aoenasborrachas quevecs'val precearpara_| esotrca~ tudo erkexran evoc® nla conhecre toe 0 ternar 6 préximo Jim Loo ou Alex Rass. orsanoces- | do papel ou 08 pinesio que dove usar. sirios os lino, pincéise esquados coretos para ganhar tempo | Este captul valinfermar voc8 do bisico~ grafts, borracs, ‘evita afrustragzo de usar materials ruins, prejucicando, com | nanguins ete. ~e lhe dar algumas dicas sobre as forramentas ee, © resultado do trabalho. O problema é que entrarem uma | queosprofiesionais usamem sous trabalhos, Agora, pode quo- loja de materiais artisticos pela primeira vez pode ser como | _brar seu cofrinho eir comprar materials de verdade! GRAFITE Os lapis esto disponiveis nas mais variadas den- sidades, do 2H (0 mais duro) ao 6B (c mais macio). Grafite “duro” ~ como é geralmente chamado ~ tem vida maic longa © doixa menos material para se apagar nas paginas, Com grafite macio, sobra mais residuo no papel, ele acaba mais, ddoprosea @ vacé val notar que é mais diffi! arte-finalizar sobre ele, pois as particulas de nanquim tendem a deslizar para fora de sua superficie. LAPISEIRAS Esse tipo especial de “lapis” (\),alapiseira, ‘std disponivel em varias densidades de gratite © tom ‘uma grande vantagem sobre os lapis: voc® nunca precisa aponté-ta. "Eu uso uma laplscira 0.5 para todo 0 meu ‘trabatho de quadrinhes, grafites de H a B”, diz o dese~ nhista de QsVingadores, Steve McNiven. “Existem outras laplseiras (2), malores, que basieamente portam grafites malores © mais grossos, que precicam ser apontados.” GRAFITE-AZUL Muits artistas, como George Pérez, de Liga da Jusica & Vingadores, usam lapis do grafte azul (3) para fazer oob0¢oe © dopo inalizé-ioe com grafitepreto. 0 grafteezul nermalmente nao aparece quando escaneado na forma de bitmap ou quando xerocado, eas lnhas definitvas so mais facimontedestacadas do esbogo no api inal. O grafitea7ul odo sor achad em forma do liso lapisoiras. PINCEIS ‘TIPOS DE PINCEIS: Provavelmente vocé vai achar mais utlidades para pineéis na crlagao de Quadrinhos do que para pintar sua sala, por Iss0, 6 {importante fazer uso dos pincéis corretos. Pincéis argos e.com ccetdas achatades sZo bons para fazer linhas grossas, linhas répidas e para preencher grandes areas de preto, enquanto os finos e arredondados sao usados para detalhes. 0 comprimento ] ‘e tamanho do cabo também afetam 0 resultado \WINSOR & NEWTON SERIE 7 & PINCEIS KOLINSKY ‘Asérie 7 WAN 6 usada por varios profissionais de quadrinhos, incluindo John Cassaday, da série Surpreendentes X-Men. O arte-finalista de Batman, Tom Nguyen, concorda: “Nao se contente com material barato. Pessoalmente, eu uso a série 7 da WAN. Se cuidar bem deles, esses pincéis vao durar para sempre". C conjunto importado chega a 300 délares, e individualmente o mais caro pode atingir 200 délares! Porém, para ‘quem deseja se tornar profissional, compré-los ¢ um investimento que talvez valha a pena, [No Brasil a série Kolinsky,fabri- cada pela Tigre, é mais facilmente encontrada, A marca Tigre é usada por varios profissionais brasileiros, como o desenhista «© arte-finalista Marcelo Campos de Action Comics, que dtz: “S&o pincéls muito bons. Uso somente esta marca. Os Kolinsky fabricados no Brasil so bem mais barates, chegando a custar entre 2 © 20 reais". Nota doTradutor]. ESCOLHAS MAIS BARATAS E clero que existem opgées mais acessiveis ao artista iniciante. Voc8 pode sempre edquirir pincéis de marcas variadas ¢ fazer testes para habltuar-se 20 uso dessa ferramenta, Mas ha um deralhe: eles ndo duram tanto quanto os pincéis mais ‘caros e de melhor qualidade, AS FERRAMENTAS bo OFIcIO MATERIAIS BASICOS CANETAS & BICOS-DE-PENA i . 2 4 5 Outra opedo para arte-final so as canetas © bicos-de-pena, que quando usados cor- etamente sao excepcionais. Assim como acontace com os pincdls, voct praciea esco- ther a ferramenia mate adequada para trabalho a sor felt, MARCADORES ‘As canetas.com ponta defeltrooferecem um seguro fluxo de tinta, geralmente no so caras.e sin descartéveis. O problema équea. tinta delas tende a desbotar com o tempo. As Pontas grossas (I) s20 indicadas para areas ‘Brandes de preto, enquanto as finas (2 & 3) so mais indicadas para tragos precisos e delicados. CANETAS TECNICAS Diferonte doe marcadores, as canetas técnicas (5) canservam a arte aianquim por anos, Essas cantas.usam a prépria tifa nanquim, fo recarrogives e prochizem tragos consistentes com espessura precisa (linha unvforme). Além disso, a carga de nanquim delas bem grande, o que penmite seu uso por muito mai tempo. “Em termos de canetas ténicas, eu uso as Koh--Noor norms, diz 0 ddesentista John Cassady Elas vir nas mais variadas eepessuras, por is, 0 mais indicado € comprar um conjunto. BBICOS-DE-PENA Canetas técnicas t6m certos inconveniontes: alguns artistas as consideram termperamentais ¢ chatas de se limper, além de Produzirem linhas precisas demais e aficutarem a variagdo do peso do trago. Se vocé quer uma linha de espessura variada (Como a maioria dos artietae de quadrinhos). é melhor user bico-de-pena (4). Existe uma grande varledade de tamanhos © modelos para ajudé-1o @ obtero efeito desejacio. 86 tenha em mente que o reservatério de tinta 6 limitado & propria pena ©, por isso, acaba muito répido. A pena tem que ser molhada diversas vezes © e6 dave ser ueade pera linhas relativament ccurtas (ou mavimentos curtos e répidos, como hachurss). NANQUIM i Scimuarccweeses “Aprender como e por que Si yee recenee: Seveieati iud Trvanmcmeeeres #8 COISAS Tuncionam ajuda Gomtean etree ste imincomorrenmeccrvase @ Personalizar sua arte ea mesmo nanquim so iguais". Feizmente, hé uma boa variedade de marcas para voc® escolher. d t Tt b Ih x” ‘Algune dca: pncilsfulonam melhor com estacar seu trabalho. nanguim mals eoneatonto, como & case do SOHN cABeAnA Vein anc Koot-Noor Vo pode mitra com umn mals tao, até achar a textura al Se for user bis: de-pona.o mals indieado & um nanquln al, te fua coi ana flied wo papel. Canetas teenies podem ter dfcae do impar, portant & mmathor usar ope de tint eto ‘epoatioamente para cas € claro que vocd val cometer rvon no process Ge atta, posits, em nt erendl no pod fatar guacho branco Eo ajeda a tornor 0 prete acinzentada (além de ser usado para efeitos eopecais) 0 ébom als oletva # confdvel que os conhocidos ‘cometves [Ey wrrenvenv0 « vesennar (SEE ESK ETE: BORRACHAS LIMPA-TIPOS (() ~ espécie de borracha é ideal para apagar facilmente tra a deli depois que desenho a ore frezato Eis pedensermouaisese =» QU funcionam diferentes formatos para limpar éreas grandes e pequonas, endo flcam eaturedaa deeuora. Eunmatrlbarateopedecerencartadoemvares paras en PAA Mim podem diversos tamanhos. 5 i SORRACHAPOROSAC)-catnacanerstrincontacine eotyode «MAO funncionar borracha trata a superficie do desenho mais delicadamente do que as borrach: a _ fe ii, Pata bri cobs lon Son Gor ancl pss cea otros ob para voce. As: i Sion naire neces : : BORRACHA oe (8) ~ essa 6 a borracha escolar, tradicional, que conhe- sim senda, faga K peduetep centr it anda lictneei Since Dicsamunee ee uma pesquisa BORRAGHABRANCADEVINIL(#)-essaéa foramen decoreyiomaceas «ANS de ir até x ser anal lated boractanFundona tobe or maaan oe A Nanasdtenkunaisioswiuuee uma loja de ma- ALMOFADA SECANTE (5) ~ ¢30 poquonae almofadas de algodio com perticulas i ” ctrahderetitacmmicmewrdtemtmce neds tFiais de arte. usadas para evitar borrées nas paginas. Sua superficie poroea deixa as particulas STEVE MCNIVEN, Os Vingadores ‘do borracha vazarem para fra, Assim, caso vocé esteje usando réguas, gabarits, et, eles podem desizar sobre as paticuas ¢ rio atranhar a pagina oa a sos > FERRAMENTAS | % DE DESENHO ; r Sosinirinamorapaiiainaae’ |p a ‘vocé vai precisar de ajuda para dese- ie = J Ihara ota eos pertoe, Por isso, seu arsenal deve ter uma ‘régua-té ()), esquadros (2), gabaritos, davéaaatomes ctananhcs (com ‘passo (4), uma esponja comum (5) e ‘um pedago de pano qualquer (6) para. arora ngs F PAPEIS i Agora que |a sabe com 0 que desenhar, onde voc8 vai desenhar? Quase todos os rofissionais usam pranchas do papel americano Bristol, que é encontrado om dois modelos: liso, perfeito par trabathos com grafite. No Brasil, os AIEEE AS FERRAMENTAS DO OFi og rise iz SEE eG SEU LUGAR DE TRABALHO Quando criar seu proprio estudio, ai sim vocé vai se sentir um verdadeiro artista. Primeiro sera necessario uma rancheta ajustavel. O prego varia dependendo da marca e dos acessé- rigs que acompanham os modelos. Além de uma contortavel cadeira, ‘também sera preciso uma luminavia O lendario artista do Homem-Aranha, ‘John Romita Sr., lz: “Recomendo uma lumindria que tenha dois tivos de lim pads ~ ineandesconte e uorescente, ‘A claridade que elas omitom imita a luz natural 6 néo danifica sua vista’. ‘Voce também pode ter um espelho para ajudar no desenho de expresedee faciais. Decore seu espaco de trabalho ‘com tude que possa inspiré-lo ~ desde ppOstores e bonecos de sous persona- gens favoritas até arte original que voc8 tenha adquirido ~ ¢ esta pronto para comecart RE PRE AS MELHORES REFERENCIAS ‘Aqui damos uma pequena amostra de alguns dos melhores livros de referéncia quando ¢e esté aprendendo a desenhar pro- fissionalmente. Se voc8 perceber que precisa de ajuda em alguma coisa especifica, procure mais referéncias para melhorar ‘suas habilidades. ANATOMIA & DESENHO DA FIGURA HUMANA + Anaromia Dindmica, Desenho da Figura Humana, Cabeces Dinamnicas ¢ Méos, todos de Burn Hogarth, artista que delxou ‘ua marca nes quadrinhos desenhando as tiras de Tarzan nos anos 30 e 40. Esses livros ensinam vocé a construir ana- tomias e explica como o corpo humano funciona no desenho. ‘+ George Brigman's Complete Guido to Drawing From Life um livro que traz centenas de poses dinamicas, Essa vers: Fetine a cole¢ao antiga, apresentada em dois volumes. + Human Anatomy for Artists, de Eliot Goldfinger, um livro um tanto cato, mas bem explicativo. ‘TEORIA DOS QUADRINHOS: * Quadrinhos & Arte Seqizencial, de Wil Elsner: ‘o artista e criador de Spirit ensina o passo-a- 0s Quadrinhas, de Scott McCloud: ambos 03 livros trazem idéias novas, conselhos e diferentes pontos de vista sobre a arte dos ‘quadrinhos. ‘OBRAS-PRIMAS EM QUADRINHOS + Watchmen, de Alan Moore & Davo Gibbons: ‘um entendimento revolucionarie sobre o mundo dos super-herdis. + Batman: Ano Um, de Frank Miller & David Mazzuecholl!: um oxemplo deslumbrante da utilizagao de luzes e sombras, + The Deadman Collection, de Neal Adame: uma ‘amostra da inovadora e dinémica arte de Adame ‘om seu apogeu, nes anos 60. Cw) PINES CAPITULO DOIS: DESENHO BASICO Be UL) a | + PERSPECTIVA AVANCADA SL gait ath.) Ta Ua CAPITULO DOIS: PARTE | FIGU RA H U MANA POR JIM CALAFIORE s métodos de construcéo da figura humana jodem ser ta especificosa um desenhista ‘quanto 0 seu estilo. Tudo é questao de ‘encontrar um processo dedeseriho confortavel, que ‘também seja eficiente em termos de tempa (ainda mais quando se trabalha em um titulo mensal). ‘Antes de comecarmos: esta néo é uma liggo de aa Usando a altura da cabeca humana como unidade de medida, ‘uma pessoa normal mede corca de sete a oito cabegas da altura, Mas nés nao estaremcs desenhando pessoas reais. Todos ja vimos uma enorme variedade de proporgées huma- ‘nas nos gibis, dependendo do artista: desde hiper-realismo @igantes totalmente distorcidos, Cabe a vooé decidir qual ‘ipo funcionara melhor dentro de seu estilo, mas e vezes 0 reallsmo simplesmente niio funciona. ‘Veja Hulk, por exemplo: se for desenhado com ae propor ‘anatomia. Aqui nao temos espaco suficiente para sequer comegar a explicar isso. Recomendo que voe® compre livros especificos sobre 0 assunto. E se alguma escola de artes der aulas com modoios vivos, faga 0 curso sem pestanejar. Por qué? Por- ‘que vocé precisa dominar 0 basico, entender a cestrutura antes de comopar a cistoreé-la, 52s de um ser humano real, no vai funeionar, no impor- ta quantos misculos sejam dosonhados nole. E 0 tamanho ‘menor de sua cabega, comparado com o resto de corpo, qua 44 a0 gigante verde sou tamanho descomunal (tudo no +Hulic tem que ser maior, ¢ eu costumo aumantar auae maios também). 0 Ther, da mesma forma, nao pareceria correto so ‘sous ombros nao foscem mais largos que o normal, Cheear as proporedes pode ajudar a criar uma idantidade ppara.o personagem. i e CABECAS Quando desenho qualquor figura, normalmente comego pela cabeca. Acho mais facil colocar 0 tronco numa cabega jé desenhada do que 0 contrério, O diagrama abaixo mostra os quatro passos basices para se construir uma cabega: 2 3 4 ‘Como pode ver, estou esbogando os planos bésicos do rosto ‘de uma forma muito bésica (no quarto exemplo, vocé também poder ver como ver as sombrae faciitam o trabalho). Este é ‘0 “esqueleto" bisico de todas at caboras quo desonho, © cu ‘simplesmente ajusto a estrutura para condizer com 0 oso¢o ‘que fiz. Na figura esquerda, vocé pode ver como detalha| ‘mais a cabege, partindo de uma estrutura bésica. ‘Quando comego a desenhar uma posigge [ricura A] cespecifica, fago isso com um “boneco de palitinhos’. A’manos que o parsonagem csteia de pé. parado, eu normalmente tonto girar um pouco sua estrutura, dan <0 male dinamism & posigso. Na FIGURA A, dosenhelinhas horizontais através da eaboza, ombos @ cntura ~ 08 {res maires ebos independentes do corpo humane. Na pose de cescanso as inhas ficam paraleles. Na figura segane, voce pode ver as rages de cdl xo. Mas cil ado, voc® pode torcer as figuras somente ‘até 0 ponto em que elas comecem a ficar “ostranhas”, Qualquer grande porgéo do corpo raramente consegue ficar perpend= ‘ular & outra, Tent gar 2 cabega 6 vera ‘que s0u quetxo nfo consegue chogar até o ‘ombxo perfttameonte..m, no sam muita or e ume fururs visita a um maseagita. 0 ‘mesmo vale para 0 tronco e os quadris. / ‘As vezes, desenho primero as linhas “torcidas' para ver como val flear a ten ‘8c na figure. BeReene ERE E DTS DESENHO BASICO FIGURA HUMANA ossos EXPOSTOS ‘Agora vamos para o desenho mals acabado na Figure 8, Parece que estou fazendo outro boneco de pa- itos, mas desta vez, no entanto,e3- ‘ou trabalhando com os palites que correspondem 20 esqueleto huma- 10 (bem, na verdade eomante al- {guns deles e de modo simalificadc). Isso ajuda a trabalhar os tamanhos 2a visualizar as juntas de corp. Vos? vai percebor a linha mais 17020a, que indica a cepinna. Nesse eatise, acho que aluda muito deso- har a eapinha logo depois de fazer a cabega: failta manter a propor- co, fazendo a cabeca, otronco 908 quads flearom Go tamanho ideal. A partir da coluna, eu desenho « cai- xa toricica e marco a area péhica. Destes pontos, es membros so adi- ‘Sonados naturaimente. Note que outra vez ou desenhoi a6 linhas "torcidas” atravessando a cabega, 0 tronca ea érea pélvica ESBOCANDO ‘Nesta figura, eu esbocei as formas bésicas do corpo hu- ‘mano ~ peito, barriga, bracos, pernas, etc. Ainda no estou ‘sendo muito especifico aqui; apenas tento me certificar de ‘que as proporgdes ostio corretas. Eu uso formas simplee ‘como esteras, cilindros ¢ blocos para construir a figura. O ‘eonhecimonto de anatomia ajuda a dar forma ao desenho. ‘Vocé também vai notar que em alguns lugares, como o pelt, ‘comecei a delinear planos especificos, da mesma forma que fiz com a cabega, no inicio do capitulo. Du ee nd tudo. Assim, voo8 poderd nérios convincentes, doixando suas figur DU aan Pil rconctecestceeenere ‘Agora vamos comagar a colocar grupos de misculos eepectios (Figur C). De novo, no possoir muitoa {undo sobre anatomia, por ceo, cugiro que consulte livros especializados no assunto, Acho que revistas ‘do musculagéo ¢ fitness podem ajudar bastante, ‘desde aue 03 masculos sejam bem delineados e 0 modo como funcionam bem defindo. Miisculos nfo ‘agem independentes uns dos outros: eles sofrem uma "reago om cade". edo ou tarde vocé vai descobrir seu prépriojeito de desenhi-los. EENTAO... Coloque um uniforme, todas os superaderecos © esta pronto! Agora, vocé pode dizer que a figurana ‘seg0 “ESBOGANDO” nao parecia que se transfor ‘maria em um Wolverine... la estava t20 magrinhal Essa é exatamente a ligio. 0 esquema basico para a construglo das figuras é 0 mesmo tanto ara uma pessoal normal como para um baixinho ‘bombado, invocaco e com palitos de dontes sain- do das mos! e HE... ele no me osoutou dizer isso... escutou? Ant Bom, tenho que it. Valou! = O talento de Jim Calafiore tem agraciaco as paginas de 3 - viirias séries, incluinde Aquamen, da DO, eExilados, da Marvel. DESENHO BASICO perspectiva foi absorvido de varias fontes, ‘em diferentes momentos de minha vida, Uma {dessas fontes foi um livo que mais tarde descobri ser ‘o melhor sobre dasonho de perspectiva: On The Spot Guides: Perspective Drawing de Mark Way (publicado ‘em 1989 pela Outline Press, Londres, Inglaterra). Tudo ‘que vocé quer saber est all, explicado de mode relati- Sa= Muito do que sei sobre PERSPECTIVA BASICA +s: ‘vamente simples e strado. E um verdadeiro tesouro, sobre o conhecimento de perspectiva. De acordo com 0 Dicionério Webster, “perspectiva” 6:"I. Arte de representar objetos em um plano, de forma a mostrar trés dimensées ¢ indicar a distancia do observador. 2. Proporgao, intor-rolagao, eccale, 3, Aparéncia em termos de distancia”. Eu nao sol eo poderia explicar melhor. TERMINOLOGIA DA PERSPECTIVA |. Lina de Visio: uma linha imaginaria que sai do ponto de vista do observader # vai até o horizonte, 2.Linha do Horizonte: uma linha desenhada horizontalmente atraves do plano do desenho até 0 ponto de intersecco com a Linha de Vieat ‘8. Ponto de Fuga: ponto onde virias linhas paralolas parecem cconvergir na Linha da Horizonte. 4.Ponto de Visa: ponte no chiio de onde 0 espectador esta olhando. ‘5 Plano do Desenho: plano vertical imaginario através do qual [id APRENDENDO A DESENHAR ‘espectador esté vendo a cena, Cada quadro de uma histé- ria em quadtinhos € considerado um plano imagintt. 6.Linha do Chao: uma linha horizontal desenhada para represen tar alinterseogéo do Pano do Desento com 0 Plano do Chi. 7.Plano do Chao: plano horizontal no qual o especiador esté prado. No prociea ser 0 chao do desenho om si. 8.Porspectiva de um Ponto de Fuga: a forma mais simples de como a Terra ~ entto essa linha é 0 ‘nosso horizonte. Mas, no precisa se. Ela também pode ser chamada de Linha ‘da Visio, Seja la como quer chamé-la, ela esta em paralelo a camera. 18, pessoal! Aqui é Jim Calatiore de novo. | ‘treinos como este, queséaminha | propria técnica nao é 0 bastante. Quando se | inciac criar ailuséo | de profundidade ¢ preciso saber perspective. ‘Assim, devo acrescentar que aqui nao € possivel falar sobre TODOS os aspectos sutis da perspec nem nesta ligéo e nem na préxima: “Usando Perspectiva’, da pagina 22. Como em qualquer autra técnica em que voce esteja interessado, sugiro que | procure livros especial ados no assunto. Bom, varios LINHA D0 HOALZONTE I: APRENDENDO A DESENHAR BRINCADEIRA DE CRIANCA {A perepectiva de um Ponto do Fuga lida somente com 2 profundicade do ‘uma dimenéo, Na Figura C,a profun- ‘didade da sala ¢ orientada até 0 ponto de fuga. AS outras duas dimenstes, altura © largura, permanecem parale- Jas a0 plano da camera, ‘A perspectiva pode ser manipulada ‘para mudar o elma da sala alterando- se 0 Zngulo da cdmera. Na Figura 0, nnés descemos a cémora até a altura dde uma erianga. Perceba como a Li- nha do Horizonte nfo’ inudou, apenas ‘nossa relagSo com ela. ‘Mas no vamos nos liitara formas geo métrcas. Toda profundidade depende da perspectiva, specialmonte as formas organicas. Aqui vemos doic angulos extromos do Thor (Figuras E & F). 0 ~ tercoire desenho, @ figura menor, sera nosso guia (Figura). As linhas cortando ‘© desenho nos mostram 0 que sabemos ‘20bre.0 posicionamento relative das dife- Fontes partes do corp: largura de seus ‘mires comparada com o posicionamen- to dos pes, 0 comprimento de sua capa em relaglo a0s pése ombros,e assim por dante. Traduzindo isso para linhas que ¢ originam em um Ponta de Fuga, nés ‘conseguimes uma proporgae quase exata a figura nas Figuras E & Vocé também pode usar a perspectiva para estabelecer uma relaedo entre a tamanno dos personagens. Todos sabemos que Ciclopo 6 ‘menor que Colossus, mas so ole estivor m préximo de nés pareceré maior na tla dos pe sonagens. Siga a linha da perspectiva o ver que a caboga de Ciclope bato quase na altu- ra do ombro do Colossus. Além de manter a3 vas alturas dos personagens consis- 4 perspectiva também os mantém con- 5 com 0 conério, Em uma cena na rue, isso ajuda a no fazor um porconagem maior {do que um posto, pesemontees Dl MEXA-SE! Tudo estd em persnectiva, desde objetos simples, como uma arma, até objetos bem ‘mais complexos, como um carro. N&o 86 ‘conseguimos uma boa representagio de ‘um carro om movimento, como também o fizemos vindo em nossa diregao, adicio~ ‘nando drama e dinamismo ao desenho. Linhas de perspective também podem ‘ser usadas como “linhas de ago". Igno- rand as linhas que usel para conetrult © ‘objeto, as outras que sobraram dao movi- mento a0 carro, As inhas de ago usam © Ponto de Fuga do carro, mesmo estande ‘om algum lugar fora da pagina. A SOMEEA SABE ‘que nio envelve proporgée. do mesmo. (Para objetos ou partes de objetos que estelam eae wie oe fora do chéo, como fiz com o joelho do Homem-Formiga © s ‘Mas, atengio:comaesta ri ¢ uma perspective de dois Pon- ‘go abaixo: um na fonte de luz @ outro diretamente abaixo, tos de Fuga, nfo & preciso se preceupar com as Linhas do Hori ‘artindo do cho. A interseeeao das linhes irradiando na di--_zonte. Aquino estamos usando.a perspective como nos outros tecdo ¢ através de um objeto nos da a posicéo das sombras _exemplos, esim como meio de ajudar voc8 com as sombras. Pdi] APRENDENDO A DESENHAR DESENHO BASICO ‘na diagonal ndo estojam T CAPITULO DOIS: PARTE 4 USANDO PERSPECTIVA we:.::::::0 ‘em, agora que ja vimos a perspectiva de um Ponto | ‘de Fuga, estamos prontos para encarar a de dois. ‘ede trés pontos. De certa forma, se conseguimos fazer vocé entender o basico, com as outras sera apenas questo de somar perspectivas adicionais. Nao vamos | alterar os conceitos aqui, apenas a maneira de aplicé-los, APONTANDO Enquanto perspectiva de um ponto lida somente com 2 manipulac3o de uma das dimensBes de um objeto, a de dois pontos lida com duas dimensbes (voe8s a tinham percebido, certo?).As- sim como em qualquer tipo de perspec- tiva, nds temos uma Linha do Horizonte (ou linha de visio) em peralelo com 0 plano da camera. Desta vez, como es- tammoe lidando com duas dimensies em Derspectiva, temos dois Pontos de Fuge distintos na Linha do Horizonte, de ‘onde partirdo as linhas que se eruzam (Figura A). Esbogar primeito as formas basicas do desenho ajudara a localizar (08 Pontos de Fuga que irdo gerar 0 res- tante dos objetos na cena, Na Figura B estamos enxergando uma fesquina com prédios simplificados. A largura e profundidade nao esto paraielas ao plano da cémera (somente tura esta), mostrando assim o efcito distorgaio da perspective. Por outro lado, nem tudo é assim tio simples. Perspectivas, de dois e trés pontos apresentam problemas bem peculiares, mas, quando executades de forma correta, 0 resultado final ‘mostra bem a diferenga entre um desenho comum © um «grande desenho. ‘Bom, chega de perder terngo. Vamos comegat Nonzowre Powrove ruck are FESTA EM CASA E aqui esta nossa sala de novo, alinhada de forma similar (Figura ©). Note que com int. ores ~ a ndo ser que voce estela deliberada- mente distorcendo a realidade - apenas duas pparedes da sala sao visiveis na tomada com dois Pontos de Fuga. Na Figura D, adicionet ‘alguns objetos a sala, que tém suas or6prias perspectivas. O cubo no chiéo ¢ orientado pola Linha do Horizonte da sala, mss rota: cionado de forma que sua profuncidede © largura precisem do Pontos de Fuga préprias. ‘Occubo flutuanta preciea de eua propria Linha ‘do Horizonte, mas agora imaginéria. ‘Aqui, eu nao cria) nenhuma re Apenas usei a perspectiva de dois Pontos ‘de Fuga mais de uma vez. Com qualquer tipo de perspectiva, miltiplos objetos requerem miltiplas Linhas de Horizonte, dependenda de seus posicionamentos. FA perenvenvo a DESENHAR RES iL GATS a ASW I STL CT \Voeé também pode usar a perspectiva de dois Pontos de Fuga para ajudar a distorcer um objeto. O cubo na Figura E parece ‘bam normal. Porém, aproximando mais o¢ pontos, sua parte ‘rontal vai ficar mals perto da cémera, dando o efeito de distor- (¢80 chemado “olho-de-poixe". PERSPECTIVA FANTASTICA ‘Bom, ja cheza de cubos! Vamos para as coisas divertidas. Vacé vai usar perspec- tiva em formas basicamente geométricas, como prédios, eiré perceber que com dois Pontos de Fuga asinhas que formam o edficlo do Quartato Fantastico levam ‘Pontos de Fuga e a uma Linha do Horizonte quo ¢e encontram fora da pagina, ‘Se isso acantecer quando estiver desonhando, cole pedagas de papel nas bordas do s0u desenho de modo a estender sua superficie de trabalho, deixanda seus Pontos de Fuga fora do desenho. Assim que tiver terminado, elimine 08 papéie. MATT DESENHO BASICO ‘23 JOGO DE PALAVRAS Uma répida dica sobre terminologia: a maioria dos 1ex- 108 sobre perspectiva tenta fear longe de termos como “iargura’,“profundidade” e“altura’. Mas eu acho esse ‘© método maie facil do Idontiiear as trés dimensdos. Estou falando somente sobre as dimensbes relacio- cam rizonte de “profundidade” e “largura”. e a dimenséo perpendicular & Lina do Horizonte de “altura. Se um prédio esta deitado com um de seus lados no chao, 0 {que antes ora.a altura’, passa a sera “largura’. Agora, ‘80 a Linha de Horizonte ect um pouco inclinada verti- ‘calmento, eu ainda chamo essa dimonsao de “altura”, TRES PONTOS (Ok. Sentindo-so confiante com a pers~ ppectiva de dois Pontos de Fuga? Otimo. Entao, vamos para a do trés pontos. Esse tipo de perspectiva ¢ usado quan- do nonhuma das trés dimensées est paralela 20 plano da cémera; ou seja, agora, a altura requer distoreao. A téc- nica é um pouce diferente, pois o tercei- 10 Ponto de Fuga nao est na Linha do Horizonte, mas em um ponto perpendi- ‘cular a ola (Figura G). Na Figura H nés temos um prédio feito ‘com dois Pontos de Fuga, que parece bem distorcido. Na realidade, as laterals de um edificio 1&0 alto nfo permanece- ‘lam paralelas umas &s outras. Para isso or corrigido, seria necessério 0 uso de um tercelre Ponto de Fuga. SS T TWN \\\ WRAL 24 Ne Seam LAR Finalmente, aqui osté a aplicagao de tudo isoo, como Aranha cima da cidade. Uma tomada alta e aberta do Cabeca-de-Tei sm ago sempro traz dinamieme e gran- 4deza a uma cena, Geralmente, com uma perspectiva de trés Pontos de Fuga, como é visto aqui, todos os pontos fieam fora da area do desenho. (E claro que ou poderia ter usado uma foto aérea da cidade na mesa de luz, mas, se fizes LET PERSPECTIVA PRATICA sso, ual seria a graca?). Ah, mais uma cies: em grandes lvrarias ¢ possivel encon- trar livros com grades de perspectiva prontas, que vacé pode usar sobrepondo a elas afolha de desenho em cima de uma mesa do luz. Embora esse gaboritos nao possam aludé-1o a saber quando, onde e como usar a perspectiva, vocé no teré que desenhar suas grades manualmente toda vez. —- UN My A PERSPECTIVA DE TRES PONTOS DE FUGA ¢ onde oncerramos este assunto. E a menos que voce seja um Picasso, niio ‘oxiste porspectiva com quatro Pontos de Fuga. Sei que todas essas informagSes devom ter sido eansativas ¢ chatas, mas va devagar. Nava disso 6 muito uificil. $6 procure manter as colsas em perspectiva (Cesculpe... ou nao resist). Bom, agora da 0 fora.e mos & obra! Valeu! LTE DESENHO BASico [4] CAPITULO DOIS: PARTE 5 so M BREAM ENTO POR MARTIN WAGNER MUITO BEM, MEUS: QUERIDOS E JOVENS KiRBYS... APONTEM SEUS LAPIS! EU SOU ERICA, DOS HEPCATS, E HOVE, UUNTO D2 MEU CRIADOR MARTIN WAGNER, VAMOS DISCUTIR UM INGREDIENTE ESSENCIAL EM QUALQUER BOM DESENHO: LUZ & SOMBRA! ouso CORRETO DA Loz & N&O SERVIRA SO PARA INDICAR O QUKO CLARO OU ESCURO SEU DESENHO €. MAS TAMBEM PARA DARA ELE UMA CARGA DE EMOGAO. & AINDA FAZER COM QUE PARECA TRIDIMENSIONAL! QUESTOES LEGAIS: HURTIN Die: ERIN ESTA CERTA,PESSOM! BASICAMENTE, QUANDO VOCE FA2. Urt DESENHO, EXSTEM DOIS TPUS DE MOAN QUE RIO AF ETIRO SOMBRENAENTO. 1- FONTE DE W2 (ov LU2 PRINCIPAL): OBUMMENTE E DELA QUE SUA W2 ESTAVIN- DY. PUDE SER DU SUL, DE YHA LAMPADA, ETC. W2 MABENTE (ou REFLET DA: E4W2 REFLETIOA PELAS PAREDES 00 OVTROS OBJETOS QUE ESTEJ4 HO SUADRU, SENDU REFLETIDAS DE VOLTA AO ELEHENTO PRIVGPAL DU DESENHO. yore. OUINTO MENDS CUISKS HOVER PA. REFLETRALW2.. | — = E QUINTO MMS FORTE 4 We" HAMS ESCURIS 1S SOMBRIS SEI EXEMPLOS: (sta bem bésicos, mas.) FUM ORANODESERTO, —— @y ‘iba cvavortreor & Guuonerros ~UH S04 CEMITE ~ SOMBRAS BEH FORTES. Me SUJEITO NUH QUARTO TODO HOBILADO. ~ W2VMDADUTETO E DO ABKIUR NO CRUDO-UDO = HOITA 2 REFLETIDS $OUA POUCA OU QUASE NENHUHA SOMBRA, COMO SOMBREAR. UMA OLHADA GER: VOce POE sovaREIR A 4i0, USANDU HACHURAS, HAS ISSO DEPENDE DE PRATUAE SOMENTE Fh LEGHLUSINDO UH 80-DE-PENA CE MEW QUE UH SACU TAMBEM) VOCE PODE USHR RETICVLAS OU FILMES, OS CHAAIDUS “2P-ATONE™, HAS 1850 QUASE WHO EXISTE HS. HOJE EU USO 0 FORMATT. OBS: NI USE BSO SE VOCE OE Gesture rizenDoun cai fone COLOR RO. OU ENTIO, NGUNS QUIDRNHOS HOIE EH DI, OHO O WFTWAFFE 1246 USA PROGRAMAS (OHO 0 PHUTUSHOP PARK ERAR SUKS SOMBRAS, EXPERIENTE COM DIFERENTES. ‘TECNHAS E DESCUBRAO QUE FUNCIUNA MELHOR PRAVOCE! “OR, ISSO E LEGAL E TUDO MAIS, HAS COMO BOTAR EH PRATICN NiO TEHIM, MENINOS! NAS PROXIMES DUES PAGINAS, ERICA UM AJUDE-LOS, PASSO & PASSO! pal DESENHO BASICO SONBTEATEALHAC SY HUITO BEM, VAHOS PRATICR NUM OBJETO SIMPLES, COMO UM CUBO. PEGUEHM SUAS CAETAS E. aa DEEM UMA ULHADA NUS TPUS DE HACHURAMENTO QUE VOCES PUDEM FAZER, OHMHURMENTO E COMPOSTO’ POR CONJUNTOS DE LNHAS CRUZADAS EM ANGULOS DE 90 GRWISY es GBA WUE 9c 4 DEM $ALAEY RARE ae Be BEM, AQUI ESTA NOSSO CUBO! | Sit, 50 COM CERTEZAUH CUO. VAMOS CO- MECAR DECIDINDU DE QUE DIREGIOVRA, WOSsA, 2 ' _— (SSO SIGNIFICAQUE Vi80S OM BREMR ESTE LADY, AGORA MMOS, FAZER A HESHA CUSA, HAS USMNDO RETICULAS RECORTADAS (MUSTRAMOS COMO RECORTALAS 114 PAGINA SEGUINTE). VIRAM? USAMOS UM TOM MAS CLARO NO CUBO. FACIL PTE EES, SAAD ARES i © | ronrre DE we. que TH SE ELAVEER, wa is wae a: NOS QUEREHOS QUE 4 SOMBRANO CUBO SEJA MAES CLARA DO QUE 4 SCHBRAPRO HM. POR QUE? DEV DU ATUDA A LUZ REFLETIDA DU AMBIENTE, CEMERIA-SE? ENT HO: = 2UNHAS CRUZADAS HO COBO! = W LMAS CRUZADAS WO CHO! DEWAR OA alto DEAS! ISTO ESTA ERRADO! Por out? 12.08 TWPUS DE HACHURAS SHO 0S MESHO NO CUBU EMO CHO. 0 DESENHO PARECE SEI VOLUME. 2 AFORHA DA SOMBKANIO LOM BWUA COM 0 FORMATO DO CUBO. E DE ONDE ESTAVINDO Awa! QUE BAGUNGK Reins Sos ERaNM APRENDENDO A DESENHAR SUES NE eo EURO FETIEUILAS.. eae (STO AQUE BEM FICIL DE SER USKDO (HAS TEM ALGUHAS DESUANTAGENS). HSE ¢ c coloque a falha do filme corte fora 0 escessoe cuidadosamente em esfregue bem para areticula cima do desenho... se far no desenhe! Lh wees se scvmt mae DE Zo rere o excesso we rite RETICULA QUE RAUSAR (DICK SF GRUDIDU NO SEU ESTUETE. TWER UMAMESA DE LUZ, SERA BEH HAS FAC). USANDO OM ESTILETE, CUIDADOSHMENTE RECORTE 0 FUME ERETRE- ODA FOLWATRAUSPARENT E, COLUCANDO-O SOBRE AIRES UE QUER SOMBRERR, 13 DESUITNGENS Do USODERETIUUS: + ELAS SO CARAS! se couseavmen ENLONTERR, PREGO PODE UARUR ENTRE 10 F JO REAS POR FULH 1 A MORIA DAS (OLAS DE METERUS AETISTICOS NR UENDE Hass 0" -¢ voce Hib DEVE USAR ITE TER UH Bort Dosti MANUAL DE 2.4 SOP18RA NADA E PUR DO QUE UPtA PAA SULA DE RETICUCAS AMONTOADAS! LEABRE-SE! SE/A QUAL FOR 2 OMETODO QUE ESCULHER PRATIUE BASTANTE ATE DESCOBRR O WE FUNCIOMA MELHOR NO SEU DESENMO! ATE MNS! (0 trabalho de Martin Wagner podo gor visto om sue sévio independente Hepeats. DESENHO BASICO CAPITULO TRES: ANATOMIA | * CABECAE TRONCO Ba uasuay early Oy mai) ty 3) 123 SA a ea yb SH ao Ve Cy 9011) 7.1 8 + ADOLESCENTES & CRIANCAS Stati tHi) 35 i i CAPITULO TRES: PARTE | ESTRUTU RA POR KEVIN MAGUIRE audagdes, jovens artistas © espectadores ‘curiosos! Bem-vindas aula da revista Wizard intitulada “Estrutura Passo a Passo". Eu serel seu protessor hoje... e vocés podem me chamar do tio Kevin! Talvez conhegam meu trabalho na minissérie a ENTRANDO EM FORMA! Jé Fomos a Liga da Justica, ou quem sabe meu neve trabalho para a Marvel, em Os Defensores, mas isso ‘dc importa neste momento. Vocés esto aqui para aprender. E agora que os cumprimentos ja foram tro- ceados, tems um bocad de colsas pra discutir. Todo artista tom seu préprio método para desenhar a figura humana € aqui esto dois dos mais usados: 0 método das formas geométricas, onde empregamos blocos basicos, esferas, cilindros e ‘cones para crlar as formas ~ 0 que nao & muito diferente de usar bonequinhos de madeira. Essa ‘éenica ¢ oti, mas, ao meu ver, as figuras ficam um pouco duras.E boa para iniclantos, quo proci- ‘sam dominar 0 senco de proporgao, ‘Ométodo que eu prefiro &esbocar as formas (figura do meio), ro qual vocévairabiscando até {que 08 rabiscasfiquem parecidos com um ser huano. Coisa de proguigos0? Com cortezat Mas ‘te leva aonde voc® precisa ir, da figura fluideze... poxa, 6 divertido! ESTRUTURA SAR TRE SPL RVI ORT i ESTRUTURA _ FLUINDO ‘Agora vamos para 6 estéglo final. Famiiarize-se com a an: tomia. Saba a diferenga entre um quadriceps ¢ um triceps. Entre o omboe.. hi. 08 quads. Eu costumo olhar vevis- tas de musculagl0, o que ajuda bastante, mas alo se limite iso. Ficar preso neles pode causarrgidez nas figuras (nos casos mais graves procure um médico). Uso revistas de artos ‘marci, esportes, danga fitness, Esto famiiar'zado.com 0 corpo om movimento. fuidez...6 uma coia linda, OG AMOR ESTA NO AR ‘A figura ndo ¢ somente uma figura, mas uma pessoa. E tam sentimentos. Voce pode ajudar uma histéria a fluir ‘apenas com a postura dos personagens. Som ver rostos nem ler o bala com dialogos 6 possivel fazor com quo o leitor saiba como 0 personagem se sente. Ele esta bravo? Como pode ver, eu tenho a tendéncia de fazer as mulheres: ‘mais magras do que es homens, verdadelras ginastas russas, ‘Agora, que acabamos com a figura humana bésica, 0 que fazemos com ela? Duas colsas pra vocé ter em mente, Quando estiver desenhando uma eeqiiéncia de apo, ac rogras ~ assim ‘como as figuras - 630 mais floxivoie. Tonte oe divertir com o ‘exagero ¢ a distorgo. Um punho aproximando-se do seu ros ‘o-vai parscer bem maior que 0 resto do corpo. Pode apostar. CCansado? Sontindo-se rejetado? Legal, no? Bom, caros alunos, meus parabéns! Vocés conseguiram 29 formar om Estrutura Paso a Paaso, Mes néo pensem aue no tem mais nada pra aprender. Duvidam? Olhem a Dréxioa pagina! ~ ‘Kevin Maguire 6 melhor conhecide por sua fase na cléssica Liga da Justica Imemacional, da DC. sR EST NET END TERT APRENDENDO A DESENHAR CAPITULO TRES: PARTE 2 CABECA & TRONCO POR KEVIN MAGUIRE ‘em-vindos, jovens pupilos, a0 préximo capitulo _prefiro esbogar minhas figuras, em vez de usar o método drinhos. Nesta lio vamos nos concentrar em — focar em completar a forma toda. No entanto, antes de CABECA ‘Vamos comegar com a cabega, neste caso, uma com chifres. Como s- ‘rado acima, voc8 pode ver onde os elementos basicos se alinham em ‘propor uns com os outros. Olhos no meio, o neriz um paues abaixo a boca mais abaixo. Mas tenho certeza de que voc8 no precisa ler ‘nenhuma instrugao pra perceber isso, Tenha em mente que o formato da ccabega e suas partes sao diferentes de pescoa para pessoa, ou todos nés ‘soriamos iguais (¢, com muita sorte, parecides com o Brad Pitt). ‘Agora que jé tem uma nogae da cabeca humana, famiiarize-se com a, ono somonto na posigao fren ‘tal, mas emvarias angulos:debaixo para cima, de cima para baixo, em frés quartos... pois, com certeza, vocé vai precisar desenha-la em todas as posigBes, Nio 66 Iso, as cabegas nao vao estar sempre te olhando com expressio de brava. Se estiver fazende a coisa certa, Seus personagens estarao vivos Eles vio ser exprossivos, 0 que eturalmente modifica a forma da Cabeca. Esteja aberto para essas mudancas. 3 i i i i i a _CABECA & TRONCO CABECA DE Ovo 0 formato tradicional da cabega ‘humana é oval (lembra um avo), ‘mas voce pode brincar com isso, usando elementos de outros formaros, como um tridngulo, um circulo, um quadrado. Brinque... Experimente...Vejaoque consegue fazer com um octégono! SUPER-HEROICO Qual a diferenca entre uma pessos normal eum super-heréi? Va~ ‘mos dizer que abrimes uma audi¢&o pra super-heréi eapareceram 128 dois abaixo, O primeiro cara parece estar em boa forms. Ele dove mainer, proveveimente tem colesterol baixo. Agora, se voce ‘stiversendo atacedo por um bando de hooligans. com certeze va ‘querer a ajuda do niémero dois. Devido a0 ramanho dele. Apesar | de sompre incentivar a variago dos tipos tisitos, quando go trata de super-heréia(¢ vile). faga-os grandes! Bee EE STEP ABDOMINAIS ‘Ja que nossos personagens no vo estar sempre ‘em pé, sera necessério mover o trance deles, quem ‘melhor pra demonstrar isso do que o velho Aranha? Dobre,torga.o tronco, mas lembre-se:h limites a ‘onde voeé pode ir, e esse um fato que eu enfrento fem toda aula de ioga de que participa coors eID) eee ath = A eae | SEXDUCACAO : ‘Quai as ciferengas entre o tronco feminino e masculine? Bom, ‘elizments eros Shanna, A Mulher-Deménio, eKazar emereindo ‘de um refrescante mergulhe para lustrar essa diferenca. Com ‘43 mulheres, eu uso 0 classico formato ampulheta, e com os ‘homens una forma que parece mais herdica, o“V". Nas mulheres, ‘pracuroempregarlinhas mais les, sem colocer muita definig&0 ‘nolas. Quanto mais simples, melhor. Nos homens, tento moetrar omaximo de musculos possivel. i i | ALTA DEFINICAO | comameereceaws para a finalizagao do tronco, Como ja foi dito, familiarize-se_ | See | sao ere ‘como a relagao de cous tamanhos c... Voila! Voce jd pede ‘desonhar 0 seu proprio Demolidor! E j APRENDENDO A DESENHAR pags apa i i CAPITULO TRES: PARTE 3 EXPRESSO ES FACIAIS POR KEVIN MAGUIRE ads qu comecel note rama ex penton conors Dreier ee sce ts ers facia ome peru Guo mv toon Eom pester ou rerpena Chuck ores Sa vot munca visu do dasomos clesios da Warner Berd rl ne des eaivae desires dc arte ace Cook do Pareigit DS sce oa coe a artsy Ooo aka eidoel bares see OE CRIANDO VIDA Uma vez tie a idéta de fazer um gibi quo contava a vida do uma pedra. T4,jéestouaté ouvindo voces: A histériade uma, pedra? Quem quer saber". Claro, intelectualmente podemos. aprender algo sobre geologia, mas, emocionalmente, voc esta certo. Quem quer saber? Nc hd com oque serelacionar, ‘esse 6 precisamente 0 meu argumento. MOMENTO KODAK Muito bom, voe8 recebo um rotoiro onde 0 Gavide Arquoi- 0 @ 0 Capito América esto conversando com duas mu- Iheres. 0 Gavio esté falando, Digamos que 0 didlogo dele 0}, meninas. Vocds esto lindas. Eu sou o famoso Ga- vido Arqueiro dos Vingadores ¢ este é meu ajudante, 0 Capitdo América! ‘A oxpressio interessante aqui pertence ao Capito. Um segundo no tempo, No exato momento om que 0 Gaviao © a expresso de confianga no rosto dele. Nao ha necessidade de dialogo. Entao veja como algo vai dar terrivelmente errado no plano dele. Para mim, a parte mais engragada nao é quando 0 Colote ¢ achatado por uma podra, mas cim a exproseao patética ‘dole segundos antec, quando percobo quo se forrou, ‘Saber exatamente que expresso colocar no rosto de seu persanagem ena hora apropriada é uma habilidade importante. Assim sendo, pegue seu lépis e vamos nos emocionar juntas! apresenta. ‘Agora, ha varias direedes a seguir coma expresso dele, ‘como firia intensa ou surpresa. Eu escolhi esse momen- 10 porque ¢ 0 mais interessante. Passa-se durante uma transigo emocional, entre estar alegre e ser insuitado. E uma reacdo tinica e propria desse exato momento, di- ferente de mostrar 0 Capito puramente insultado, que ode acontecer em qualauer outro lugar (especialmente tendo amigos como o Gaviao).. INTERPRETANDO Se es es Ses bem peculic ‘outras expressdes pra ver « Ema foi Pag va canada Dombe'de Gabe Sod Somsopun fi! APRENDENDO A DESENHAR ETE LE Certo, voc8 esta desenhandé os X- Men ¢ seu roteiro diz duas palavras: “Wolverine sorrindo". Mas um sortiso no € apenas mostrar os denies. Per~ ‘unte-se 0 que mais esta envolvido nesse processo. Como o personagem ‘se sente? Por que ele estd sorrindo? Gada uma das trés figuras ao lado 6 exatamente a mesma, com excegaio dos olhos (bom, a testa e sobrance- thas). Fazer coisas diferentes com os ‘thos muda dramaticamente o senti- ddo do sorrso. Na primeira ikustragao, Wolverine parece sincero, quase charmoso, Na segunda, parece melo ‘bobo. Mas, na tercsira, 0 Wolverine ‘que todos conhecemos € amamos. Esse é 0 sorriso que diz: “Vou matar ‘alguém e curtr iss0 pra carambal”. (0s othos fazem toda aciferenga. Eles no so chamados de ‘as janelas da, ala” por nada. \ MAIS SOBRE OS OLHOS Eu adelo desenhar personagens que ndo tom pupilas. Agente olhada nestes desenhes do Wolverine de méscara. A gente porde uma valiosa ferramonta sem elas. Os especialistas em tem uma melhor nogao do que ele esta pensando quando vé artes marciais sugeram que voce olhe nos olhos do oponente seus olhos. Com certeza, no mostrar-cs olhas do persona~ a perceber quando ele vai atacar (ou serd que eu ouv/ isso gem numa batalha é uma vantagem., mas pense no que voce ‘em algum filme do Jackie Chan?)..De qualquer jeito, dé uma _esté perdendo em termes de narrativa visual. EERE ANATOMIA [Ei] LINHAS FORTES Eu aprendi que quando vocé esta desenhance Quadrinhos precisa de linhes fortes ¢ expressivas. Em muitos casos isso é ‘verdade, mas nio precisa ser uma regra universal, HA certoe ‘momentos nos quais os personagens ngio tm quo sor fortes, Elos eo humanes. Sentem uma grande variedade de emoges. Dé uma olhada no Reed Richards. Ele acaba de receber noticias devastadoras. A primeira ilustrago mostra uma reagio tipica de super-heréi. Sim, indicando choque, mas ‘Ao desenhar pessoas jovens, especialmente mulhoras, é preciso tomar cuidado. Nao ‘evagere nas rugas e marcas de ‘expressio. Olhe os exemplos & direita. € claro que Kitty Pryde parece brava no segundo ‘senho, mas todas as marcas de ‘expresso fazem com que ela fique uns dez anos mais velha G0 quo realmente 6. Portanto, ‘seja cuidadoso: 0 equilibrio & ‘bem delicado. ‘a segunda iustracéo mostra sentimentos bem mals fortes. Ele esta completamente surpreso o vulneravel. Numa oo- ala de filmes de agao, 0 primeira desenho esta no nivel do interpretagdo do Je ‘que, no segundo, esta mais pra um Harrison For Perce ‘be? Por isso, nfo tenha medo de usar diferentes tipos 4 linhas para eolocar mais profundidade ¢ emogae no rosto de um personagem. ‘SABE, eu poderia continuer por paginas e mais paginas mostrando como desenhar rastos braves, ou expresses lascivas, ou ainda caras tristes, mas nao é essa minha intencdo. Expresso facial é uma das ferramentas que voce tem que aprender a usar. [Nao se irata de desenhar um rosto cartunesco ou um close interessante, Entre nos personagens. como eles se sentem de quadro para cuadro, Use um espelho, se ajudar. E se uma imagem realmente vale mais do que mil palavras, entio a expresso ‘facial correta vale mais do que mil balges. Divirta-se! A gente se vi nos gibis! Eig APRENDENDO A DESENHAR = jromente, am noticia: as mos 830 canazes /de assumir uma complexidade e variedade de ‘matos tio grande quanto todas as outras ‘partes do corpo humano combsnadas. Assim sendo, aidé2 ‘de que voes poder aprander a desenha-las em pouces paginas 6 um pouco otimista, para cizer 0 minima, bésices. O melhor jeito de realmente aprender a desi ‘shar mios & (como com a maioria das coisas) praticar usando referéneias. E exiotom toneladas de referencias isponiveis... he a0 seu redor. Na TV. Nos filmes. Nas revistas. Voc pode usara si mesmo como modelo. Ail de contas, todas as pessoas quo quorem soguiracarreira de dosenhista devem ter pelo menas uma mio, certo? ‘Quanto’ bos noticia, eu vou mostrar algumas diretriz08 Quando for comegar, voce deve ter em mente aligu- ‘mas idéias fundamentals. Todas as mos possuem uma estrutura bésica. A Figura A mostra de forma ‘bem simples 0 formato da mao, no qual vacé pode ver a estrutura basica, Essas sio as estruturas Injeiais da mao, 08 “blocos bésicos” - eles esto sempre presentes, no importa em que posigio a ‘mio é desenhaca. Os quatro dedos superiores mo- vvem-se dentro de um plano rolativamentoimitado, © ‘© eopago que os separa do dedo contere ao mesmo um movimento opasto (Figura 8). Uma das coisas boas de se usar blocos € que eles fazem voce lembrar que esta lidando com uma estrutura tridimensional. Contudo, apesar de estar praticando com essas formas, vocé deve prestar atengo aos reals, Se deixar oste importante 1pa0s0 pera depois, vocd criaré péssimos hhabitos ‘mecdnicos" e regras que sero dificeis de ser conciliadas com imagem vordadeira da mao, Nao tenho idéia de ‘quantas maos jé desenhei ao longo esses ‘anos, mas eu ainda me surpreendo com a forma que elas assumem quando est&o realizando certas tarefas (Figura C).. anatomia [EX] MAOS _ OBJETOS MANUAIS ‘Agora, ocd esté pronto para o préximo | _pamso Tene segurar~ ou pega para agus | fazer isso dforentos objtesedocenne ac mmfo> olnando pera laa, Um eepelh aka muito a conseguir angules diferentes. Note como 08 ossose articulagdesflcam mals § Protuberantes quando a pele esta esticada (Figura). E68 eo fear um poueo chato, ‘tipo ligdo de escola, entdo deixe pra lé. Estou {alando séro, Faga do sou toe voce pode aséconsegui trabalho. Mas entiaem mente {que vocb no apenas no eerd muito bom Dara doconhar mos, como tambémvalcehar isso Gificil e desagradavel. Com um pouco de beciéciae reine, desenhar as poses manur aismals ilfcts~ como uma mio segurando ima srmaouuma magi ouduasmaos|untas tornara bastante natural, por isso, tente. Dai sora divertido quando vocs tver que desenar aio com irs dedos do Nota, ou a mo pedregosa do Coisa. ed TRAE ET ZA y ie Se a ~~ + [po a seit name ~~ TS SO A pior coisa que voes pode fazer neste estagio 6 copiar maos dos dese- Inhos de outros artistas. Sua intencao 6 criar uma mo, néo reproduzi ‘o estilo de outra pessoa. Copiar 0 estilo dos outros s6 vai levar voce ‘a imagens sem vida e nada convincentés. Além disso, cada voz que / copia um estilo que nio 6 sou, voce ndo ectd apenas roproduzindo ‘ 08 defettos dele, mas adicionando os seus também. : some Pol reseccca cermin RTA ESR ETTORE IPE REE NOSSA, QUE MAOS GRANDES VOCE TEM... ANATOMIA ‘As mos também podem ajudar a methorar a nartativa visual, acentuando as expressdee. Um bom ator usa a ex- ‘presse corporal para passar ao piblico um sem-numero de sentimentos ¢ idéias. Um artista de Quadrinhos deve fazer 0 mesmo. Olhe 0 efeito que produz a adicao de mios no super-heréi abaixo. Na Figura H, no dé para dizer se ele esté pensativa, bravo ou confuso, Colocando uma tinioa ‘mo voc8 percabe, na hora, quo ele esté pondorando sobre algo. Isso no & bem melhor do quo um baldo dizondo: “Hummmm...” 2 fo Omeemo acontece com a garota que /—fezuma pereunta na ula de Histérie, Ele néo parece muito confiante, m: € preciso uma Unica mao (Figura para dar a ela um aspecto ingénuo (bom, ¢ claro que ela pode estar ape- nas se fingindo de boba), Lembre-ce: linguagom corporal. V NO FIM DAS contas estamos tentando criar personagons nos quale 0 lelter paces ‘acreiditar © com os quals possa se idemtificar. Usar mos o linguagem corporal 6 um melo sutl (sim, isso quer dizer que vor’ no vai receber muitos aplausos par isso) de ‘conseguir eredibiidado Bom, torminamos. Moe. Eat no 280 face, mas quando usadas corretamente podem mothorar, © muito, uma hstéria,Além do mais, quase todos os personagenstém pelo mancs uma, portant, vocé realmente arecisa aprender a desenhar as danades. Boa sorte! (w)) O trabalho de Gary Frank podeser visto em séries como Poder Supreme @0 Incrivel Hulk, da Marvel, em Supergir|, da DC, © ern Midnight Nation, da Top Com. APRENDENDO A DESENHAR CAPITULO TRES: PARTE 5 PERNAS .......::s:0: Jem-vindos a mais uma aula, Dasta vez, vamos falar | ages de um personagem vem das suas pernas edaenergia que sobre porns. As pernas, assim como qualquer outra elas criam, e todas os artistas procisamn aprender os concoitos: ‘ooisa que voce desenhar, séo detalhes importantas @ basicos para desenhé-las. Ent&o, sem mais delongas, vamos integrantes de uma figura forte e bem feita. Grande parte das | sacudir as pernas e comecar! PERNAS PRA QUE TE QUERO Pernas nie so s6 um amontoado de formas desconexas que ficam pondura- {das no corpo de um personagom, mas ‘sim membros fortes, sdlidos e vibrantes, {que server como um motor para propelir nosso grande heré! a volocidades alu- cinantes para cruzar abismos mortais, ‘alm de se transformarem em poderosas ‘armas, que quando usadas, podem dor- Fubar 0 mais poderoso vilio. 0 sentido dessa conversa toda é simples: as pernas io importantes, nil as subestime. E procico se lombrar quo ae pemnas 20 ‘a base de um herd. Todos os gnlpes iner- veis, legais © poderosos que ele pode dar ‘86 so possive's porque as pernas dele lestdo bom firmes no chao. Todo © corpo se retorce desde os ps, girando e acum lando forga, até esta ser liberada contra a ‘mandibula de algum vildo. Pernas fortes grossas (4 direita) do ao personagem ‘um aspecto de poder e forga ~ @ até sobe- ‘ania ~ que pernas finas © pequenas nao Cconseguitiam. Pernas musculasas e ber ddelineadas dao peso ao personagem, Elas ‘mostram que ele std firme no chao © 6 ‘capaz de todas aquelas loucuras atléticas ‘ue inevitavelmente vai fazer. DB a aten- ‘¢do quo alas merecem, Dee ‘ capacidade de ver os préarios err con eee ens tone tee een ANATontn SENTIDO! D5 uma olhada na construgao cilindrica da perna & esquerda. Repare como a proporeao geral foi dividida nas meci ddas de uma cabega. Porceba o afunil mento da coxa no joetho e 0 modo como 2 parte interna é reta @ a extema 6 curvada. Veja a curva da panturrilha. Eu prefiro usar esse formato em arco nas ppermas; acho que uma pera perfeita- mente reta no tem o balango ou aquola sensagio de forga acumulada que uma perma leverente curva pode passat. ‘Agora nés podemos olhar paraz masea na frente da perna a diroita. Note como ‘0s musculos da parte interna tendem a ‘eomegar perto da estrutura no topo @ ir fengrossando conforms deecom, dopois aprosentando um corte abrupto de velta estrutura, quase formando uma linha horizontal. Perceba como os misoulos nna parte de fora da coxa comegam a ‘engrossar bem no alto na pema © vao descendo delicadamente ao longo da cestrutura, Veja também como os mus- ‘cules na parte externa da coxa se acu- mulam mais no alto da perma do que (5 da parte interna, que tendem a ficar para baixo. MEIA-VOLTA! ‘Aqui nés temos a estruture de uma ppetna vista por tris. Tados os comen- ‘arias de antes se aplicam. Lembre que esta éa mesma pera, a da direi- 4, por isso, a coxa intema est do lado esquerdo ¢ assim por dante Dé uma olhada na massa nas cos- tas da pema. Obviamente, 0 que fol dito sobre a parte da frente ainda vale para a de iris. Esses so basica- mente os biceps da perna, Veja como ‘0s miisculos ainda esto om cima nna parte de fora ¢ mais para bao nna parte de dentro. Noto 2 masca ‘bulbosa do principal misculo ¢a pan- ‘urritha Iss0 6 importante porque dé ‘cla um preenchimente artedondado ‘que parece muito saudavel e atlétice (6 fica bom nas muthores também). Compare © contraste esta imagem ‘com a visto de frente © comece @ ‘construir ume estrutura mental BRACOS E PERNAS One com atengdo para a perma ¢ 0 brago desenhados: ‘abaixo. Perceba todas as similaridades entre as estrutu- +a8.@ 08 mUsculae @ use um pouce de anatomia compara- dda, Em ee8éncia, os mascules so 03 mesmos, jé que nos dois membros realizam as mesmas fungées. Eles variam do proporgao © comprimento, em grande parte devido as tarefas eapecificas que cada um desempenha, 0 pulso, or exemple, precisa se curvar para frente e para tras, além de girar em diversos angulos, enquanto 0 pé nao pode girar © por isso os mésculos para este tipo de movi- ‘mento néo se desenvolvem tanto. Esta é uma explicagao ‘bem simplista. Hé muito mais para se dizer, e eu poderia ‘me aprofundar bastante, mas, por ora, o mais importante @ saber 0 basico e comegar a estudar por conta prépria. | — « PERFIL ‘Aqui nés temos uma visio lateral da parte exterior ‘do uma perma. Compare este angulo com os outros. 4 eatudedos © grave tudo na cabeca. Lembre-se: ‘ter uma boa escultura mental deste tipo de ele- ‘mento é muito importante. t fateral, @ curva da frente Seen rata a curva da panturrilha. Estude assimile. Dé ume olhada na massa de misculos a direita. ‘Veja o preenchimento carnudo na frente da coxa e na parte de tras da panturritha, Percebaa extensdo ddos misculos na parte de trés da coxa e arigidez nna frente da panturritha. Preste atengo em como ‘as massas de misculos se curvam ao longo da pperna. Construa uma imagem mental, Agora, usan- do 0 que vocé acabou de aprender, trace a estrutu- ra da parte interna da perna, adicione os misculos, « depois finalize o desenho de uma perna. LEMBRE compre que cada porsonagem que vocd nha 6 diferente, portanto 2s pernas devem sor ferentes. Nem todo mundo tam pernas grandes e ‘musculosas ~ alguns personagens 230 mais pesados, ‘menores, etc. As proporgdes, os misculoe, tudo dove ‘mudar. A variedade, por muitas razéos, 6 um podoroso tompero nas histrias em quacrinhos. Ga) (Como o velho canadense da Marvel, Wolverinc), @ revista Wizardachou que seria legal ou mostrar pra voce as idas e vindas de se desenhar pée. Entao, ‘vamos ld. 6s, Guase todos os personagens tém dois, deles, mas nem todo mundo sabe desenha- los. Como eu ja me acostumei a lidar com tipos que gostam de andar descalcos 0 tempo todo | | Isto € UM Pe. CHEGA MAIS PERTO. MAIS PERTO. SENTIU O AROMA? D4 UMA CHEIRADA! IsT0 € GUE & OM PE PE pe GRANDE, OE NERONZE! peqUENO, PELUDO, MACIO OU PE DE ALIENS, TANTO FAZ. FAZER PES REALISTAS OB CREDIBILIDADE AO SEU PERSONAGEM. ‘mais detalhadas e limpas com grafite normal. (Pessoalmente uso um lapis Bere! turquesa HB, ‘mas use o que funciona melhor pra voce.) Figura 8: Pés vistos de perfil im um formato triangular, Figura C: Um pé visto de frente tem a forma de um ‘como uma rampa. Use um circulo pra indicar a posigdo do cone, A parte inferior sie duas elipsos: 0 peito do pé ‘tomozelo ¢ pense tridimensionalmente. Sempre leve em ¢ 0 calcanhar. Prestar ateneio nas elipses vai one onsideragio 0 que vocé nio sth vendo por trés do sou voc$ acolocar aus figura om perspectiva firme desenho final. |sso vai poupar tempo e¢ ajudar a criar um See ae maa ddesenho mais realista, : i i i i i i i ' i i APRENDENDO A DESENHAR capturar os pequenos detalnes (um dos quadros de Van Gogh, de 1885, trazia um simples par de sapatos). Nos _super-herdis, 0 contomo basico do pé forma uma bots, ‘como no Superman ou no Demolidor (pés de mulheres ‘costumam ser menores e mais esgulcs). ANATOMIA [Ej] MATANDO NO PEITO Qs pés soguem um mesmo padrio de movimento do cal- ‘canhar até 08 dedos, seja numa ‘corrida ou numa caminhada. O \ ‘pe80 do corpo cai sobre 0 peito ‘do pé no meio de um passo, por 4090 @ pé que eta mais a frente ‘devo estar tipicamente apoiedo tno caloanhar, enauanto 0 de ‘is 8¢ ania no peite do né. PODOLATRIA Criar pés folos ¢ muito tdci diverido, Coma simples adigdo ‘de pélos, cascas de ferida ov unhas grotescas vocd pode dar ‘muito mais personalidade aos seus personagens. Nao da pra NA PONTA DOS PES "om Os dedos dos pés so quase iguais aos das mos. As unhas e os ossos tm uma estrutura ts ctr fe cima num formato ‘espago onde a unha se encaiva. Dica: normalmente, 0 segundo dedo é um ‘pouce mais comprido do que o dedo. Perceba também como os trés outros dedos seguintes formam uma linha curva (Figura F), Néo come- ta. erro de deixar a ponta do pé em linha reta fazendo todos os dedos com o mesmo tamanho, ‘comprimento ¢ formato! APRENDENDO A DESENHAR TAMANHOS & FORMATOS ‘Agora que vocé jé aprendou o basico, é hora de dar uma olhad: ‘eu reuni alguns exemplos pra mostrar a variedade entre eles. ja nos diferentes tipos de tamanho e toxtura. Logo abaixo Figura G: este é 0 pé de um adulto comum, Podemos con- Cluir isso pelo formato, tamanho um pouco de pélos nas pernas. Figura H: este é 0 pé do Hulk. Usando as mesmas rogras. bbésicas de anatomia, mas deixando tudo maior & mais -z0rdo, ele ficou bem convincente. Leve em conta o tama- ‘nho da criatura que 0 pé vai suportar. Quanto maior ola ‘or, maior deve ser 0 pe. Se o dedao de um pé normal tem © tamanho de uma moeda, 0 dedio do Hulk deve ser do ‘amanho de uma lata de refrigerante. Figura k Este 6 0 pé do Coisa. Eu posso dizer isso pela pele rochooa ¢ 0 dedinho quase grudado ao quarto dedo, dando 1 impressao de que ele tem 96 quatro dedos. Mais uma ver, usar a anatomia correta e depois adicionar o padrao ‘rechoso deixou a pé do Coisa tdo convincente quanto o de uma criatura de verdade. E importante indicar onde 0 pé se dobra e se mexe, Eu desenhei pedrinhas menores nas dobras pra passar a idéia de um moyimento regular. NUNCA E DEMAIS RESSALTAR quo 0 melhor lugar pra 52 aprender, ASSIM como pra todas a¢ colsas, 6a viéa real reine deserhando pés interessantes que vor’ encontrar em revistas. Lembre que seu estilo deve surgir de vocé e da sua interpretagao do mundo real através da sua imaginagao e arte « nao ¢a cépia do trabalho de outros. Quanto mais teiner, ‘mothor voos vai fica! Tehaut » Darick Robertson botou 0 pé na porta da DC/Verigo com a revis- ta Transmetropolitan, mas também /4 deivou pegadas imporran- tes na Marvel com seus desenhos do Wolverine e Noturno, Figura J: 0 pé de um bebé quase nao mostra nenhum osso. Os pés © as maos de um bebs séo bem pequenos e pouco deeenvoividos, e devem parecer macios e ainda nao desen- volvides. Iss0 pode ser feito desenhando menos sombras, 01 linhas de sombreamento mais suaves. Figura or titimo, aqui esta o pé de uma mulher adulta ‘comum, Uma boa maneira de indicar um pé feminino é dese- ‘nha-lo mais estreito do que um pé masculino e dar uma tex- ‘tura mais macia. Quando se trata de colocar linhas, menos ‘6 mais. Como as mulheres depilam as pernas @ pintam as tunhas, estes também so detalhes que podem ser usados. CAPITULO TRES: PARTE 7 M ULH ERES POR JOSEPH MICHAEL LINSNER | }omo eu desenho mulheres? Bom, em geral ‘eu uso uma caneta esferogratica azul (odeio ‘desenhar a lapis). Mas como chego naquele estilo de calendétio, bem sensual? Bom, como dizia © Ben Kenobi, eu uso a Force. Ou seja, sigo os meus Instintos, Eu 66 decenho 0 que gosto. Se alguma cutra, ARTISTAS DE PEITO ‘Seguindo os passos do meu colega Adam Hughos (va a pagina 56), vamos examinar a definicdo da pelavra sensuak que agrada ou saisfaz os sentidos, voluptuoso, librico, lasciv. Pois ¢ exatamente isso o que eu penso sobre a arte da beleza feminina. 0 trabalho de Vincent Van Gogh nos ensina que a “arte” ¢ a “belez sao termos bem relativos.O pobre pintor no vondeu quase nenfwma des suas obras durante a vida, mas agora, muitos anos depois de sua more, suas pintures esto fontre ae mois famosas © cobigedas pelos coleionadores do ‘mundo into, Antes de colccar 9eu lapis no peeel,lembre:se ¢leco! Quace todos 0s vordadoiree giao atisticos da histria pessoa curtre achar que fou interessante, Jame sinto. ‘no ucro. No da pra garantir que uma mesma coisa seja ‘sexy pra mim e pra voc8. O melhor que posso fazer & ‘mostrar 0 que eu pessoalmente considero sensual © pedir pra que todos vocés, artistas aspirantes e devoros: dda forma feminina, explorem suas préprias visbes. passaram peas doorosaschamae do ridicule, O mundo em eral sempre resist anovas isos, No tanto, nocasodoum artist, ‘exatamente isso que o mundo ospere dee: ma nova vido Ames de qualquer coe, vamos suport a fnagiooaas pel ‘tos. Tente descobrir 0 que, além das gléndulas mamérias, faz | ‘queuma mulher seja uma MULHER, Meninas sie cferontes do meninos. Elas sao cheias de curvas e mistérios, E além do mais, ‘hoje em dia “peitos” podem ser comprados ~ e todas as almas_ lluminadas sabem que qualquer coisa que venha com uma stiqueta de prego é, no fundo, algo superficial €impossivel ‘comprar sensualdade... ‘Sem brincadeira, ou ouvi um trogiodita dizer exatamente as seguintes palavras numa convengao de quadrinhes do verdo passado: | 54 APRENDENDO A DESENHAR AMEACATRIPLA Pense um pouco sobre as mulheres. Garotas. Encamnagées da Deusa. Qual a fonte e a origem daquela faisca especial que a6 clas possuem? Essa feminiidade é uma colea misterioes, € todo mundo tom a sua prépria \efinigdo pra ea. Qualquer um que se sin atraido por uma imagem fomi- nina deve se perguntar: O que me excita? O qua o sexo oposto tem que me ‘tinge feito um rao e detona o meu autocontrole®. Eu estou, é claro, escre- ‘vendo is90 do ponte de vista de um heterossexuel. Para todas as desenhis- tas que esto lendo isto, se vooés esto esperando alguma revelago cée- mica, 0 melhor que eu poss dizer é: “Boa sorte”. Nao me perguntem sobre © mistério entre homens e mulheres. Nao me perguntem por que diabos & “alta’e magra” 6 considerada atraente por alguns e grotesca por outros. Eu ‘etou tao perdide quanto qualquer um, ¢ 66 sigo meus insintos. Existem alguns clichés de beleza - elementos bdsicos aceites por quace todo mundo. Nos Estados Unidos, 08 homens ‘em geral so bem simples e dividem as suas preferéncias em tr€3 grupos bésicos. De ‘acordo com Joe Lunchpail, o que nés temos no cardio 6: Dieta bem saudavel, no? Senhoras ¢ senhores, eu sou um cara comum, um americano de carne e ‘0880, Vérlas foram ao vezes em que sai com a minha namorada e alguma ‘outra mulher, que passava por perto, me deixou de queixo caido. Quando ‘minha namorada percebia a minha reacdo, falava: “Nossa, que rosto horn vel ela & td0 fei”. E eu responcia: “Eu sel, mas voeé viu (opgSes A, 8 ou C) dela? Té bom, té bor, eu se: 08 homens so todos uns porcas (caras ‘eepertes nunca discutem isso), Tudo o que eu posse dizer é que homens & ‘muthores vom o mundo de forma diferent. Entdo...Nbs temos que focar om A, B ‘ou G pra poder desenhar alguma coisa lasciva no papel? Ei, se esse for 0 ‘seu lance, por favor, vé em frente. ‘Uma répida olhada no material do ‘Serpieri (Oruuna) mostra que o negécio dele & 2 opcio B.. © é essa a coisa legal que define 0 trabalho dele @ que marca 0 seu ‘estilo nico, _ COISA FINA i t : LD LEDS DS TIE TEA EET Pessoalmente, eu sou um cara que curte restos. Se a mulher tiver um ‘osto bonito, eu vira um cachorrinho nas més dela. ‘Voc quer a minha alma? Aqui, pode pegar ~ la é toda sua. $6 me da um beij, por favor". Eu também adoro os outros atributos fisicos como qualquer um, mas: ‘0 coisas mencs dbvias e mais sutis que chamam a minha atengao em primoiro lugar: ) MAos 2) LABIOS ‘OLHOS ‘Sio com esses elementos que as pessoas se expressam. Charlatos ‘que fingem ter poderes paranormals sabem muito bem disso. No meu trabalho, procure sempre capturar alguma coisa que esté além do verbal ~ coleas quo no podem sor postas om palavras. Tonho certeza de que 6 exatamente por ioco quo muita gonte nde entendou ‘© que eu fiz na personagem Dawn. A pessoa certa com os gestos certos pode destruir universos e erguer impérios. O sortiso certo, de canto de boca, como se pego numa tea de quase negagdo. Um toque leve como uma pluma no ombro,oferecendo o consentimente de uma ‘amante e convidando pra muitas coisas... NOS OLHOS DE QUEM VE ‘Uma vez ew estava num bar @ presenciei a chegada da garota ‘mais linda da cidade. A multido se abriu, @a princesa olhou ‘20 redor, procurando alguém que estivesse a sua altura. ‘Mas nao encontrou ninguém; ela sabia que no encontra- ria, Olhando nes olhos dela eu fiquei surpreso com 0 trio desdém, o duro julgamento e a gélida distancia que estavam ali. Esteticamente falando, era de fato a garota mais bonita dda cidade ~ um corpo perfeito, um narizinho bonito © 0 peso. ‘deal. Mas, pra mim, ela era horrivel. Feia como 0 diab por- ‘que sua alma era feia. [No meu trabalho tento expressar exatamente o oposto disso, APRENDENDO A DESENHAR JOGO DE CINTURA ‘Além de um rostinho bonito, existe alguma outra parte da anatomia {feminina que REALMENTE me delza com os joelhos bambos? Pods ‘apostar; Pre mim, os quadris definem toda a forga da feminiidade. Saas senile Feb ie oe ae ism hi eee destroem. Mas ou se! que nem tedes oo homens compartiham dessa bea, Pexa, 0 meu uitimo eindico dou uma olhada numa iketragao "enquadrada da minha amaca personage Dawn, pondurada na paro- de, ¢ tudo 0 que ele conseguiu dizer fol: Ela tem a forma duma péra”. Bom... Gosto ni se discute. OLHE AO SEU REDOR! EU NAO QUERO de jeito nenhum dizer a vocés, artistas aspirant ‘quo 2e deve ¢ 0 que néo se deve desenhar, tipo: “Faca pernas lon ® groteae, sobrancelhas bem delineadas, ¢ isso val fcar sexy. Endo s8¢ esquaga do peitos grandes © rligos”, Debee isso pra depois. Se vocé quor desonher ou pintar mulheres, ‘meu tinico consetho &: OLHE pra olas © estudo suse formas. NAO ‘OLHE nos livros ou nas revstas. Olhe pela sua janele © no meio da tua, As mulheres eatio em todos os lugares, e beleza delas nfo tom limites. Eu j estudoi muito material ~ de alta ¢ baixa categoria - e 1posso dizer, sem medo, que hé um infnito ospoctra da beleza femini- na implorando pra ser explorado colecado no papa. Va além das regras. Va além do que a mia (e isso incl este lvro) diz quo ¢ bonito, crie os seus préprios conceitos,visdes e idéias de beleza. Tenha coragom pra dofinr e mergulhar no que a sua alma realmente diz que é sensual, Porque, nocts mundo dominado por pop stars pré-abricadas e modelos sliconadas, née precieamos mesmo de novas visdes ~ desesperadamente w) Joseph Michael Linsner, criador da lindissima Dawn, também faz belas capas para ae ravietae do Conan, publicadas pela Dark Horse Comics ANATOMIA [EXé CAPITULO TRES PARTE 3 ansai ai LEAS MULHERES SENSUAIS. 0002120000 # RR 22 MANDA, VER, WANDA? Is! Estou vendo um jovem artista aspirante! | Meu dinico pedido & que vocé use o que apren- Voce acha que tem talento? Que tem aquela | der aqui de forma sabia. Recelo que existam ‘habitidade mutante capaz de tomar as suas | mais artistas interessados em agradar as massas }oroinas bem eensuais? Eu sou a Wanda, e | do que aqueles que querem criar personagens esta é minha amiga Janet. Si aiguém que | femininas realmente belas © a0 mesmo tempo | pode ajudar voeé a encontrar essa resposta somos | tridimensionais, convincentes, para as histérias ‘nés! Nao vai dar para ensinar tudo, mas talvez dé | em quadrinhos. Lembre-se: com grandes poderes ppara abrir uma porta ou duas e langé-1o na gua pré- | vém grandes responsabilidades! Acho que li isso Priajomada pessoal a um univeree mute maior. | em algum lugar. LRH LG AT TR LLL ES DEFINICGES Vamos ver... 0 dicionério aqui da Manso dos Vingadores diz que sensual & “algo relative aos, ‘revs dos sentidos’. Bom, a segunda definiglo & “Que agrada ou satisfaz 65 sentidos, voluptuoso, Idbrico, lascivo’. Agora, sim! ‘Acho que era isso o que os caras da Wizard nos ped- ‘ram para discutir. Nao ¢ mesmo? et roan TERME RE ‘NGHEI QUE LES QUERIAM eR SABE 0 QUE TEM 14 CM DE COMPRIMENTO, 6 DE LARGURA & ME DEIXA COMPLETAMENTE Louca? DINHEIRO! iw © problema ¢ que, assim como na arte ou na misica, tudo & ‘mute subjetivo, corto? 0 que voed acha sensual provavelmente ‘io deve ter nada a ver com o que eu acho. Aoesto que nenhum {de vocts considera andrdidesarraentes, no 6 vorésde? Pra mim, o aspecto mais importante da sensualidade que posse dividir com vooés ~ antes de passar para aigumas icas univorsaie ~ 6 0 fato de que nao tem nada a ver com 2 ‘paréncia fsioa da cua pereonagom Pode acrecitar.Ofisico ‘de uma mulher, em geral, 6 0 ingrediente menos importen- te cozinhando no seu caldeico magico de sensualidade. ‘Sensualidade ¢ uma caracteristica da personagem. Fla vem de dentro, E um aapecto da personalidade e nao da apa- réncia, Se a sua porsonagem néo tiver uma alma sensual, BONITO E om, ATRAENTE. DE CARA LIMPA ‘Tente nao carregar muito no desenho dos restos. Linhas {demais vo detvar 0 desenho ca cua garota meio contuso © clas podem até ser confundidas com rugas, ‘Acentue elementos como sobrancalhas, clos ¢ kébios, ¢ dé ‘menos énfase aos pontos que fazem a mulher parecer muito, ‘bruta - como boshechas e nariz. Sobrancelhas grossas ebem dofinidas podem dor um étimo toque de senaualidade, espe- oe PTT Seat VOCE N&O ESTA batons decores nunca vo resol \_AUUOANDO. ver 0 problema. An, faga 0 favor de no desenhar todes as suas perso- ‘nagens femininas como deusas sensuais. Eu sei que ¢ algo ‘muito tentedor, mas se todas as garotas da sua histéria {orem gostosas o apalxonantes, nenhuma vai se sobressair. ‘mente todo mundo, cialmente com um formato levemente arqueado, Desenhar {a pélpebra cobrindo a parte de cima do olho pode aumentar ainda mais a seneualidade de uma expresso. ‘Uma coisa que no ajuda muito na continuidade entre os qua- drinbos, mas que funciona perteitamonto om eapas, é 0 contato visual, Quando um lator sente que a personagem na revista est, ‘olhando para ele e mais ningudm dentro da banca, ¢ fantastico! STS = a LABIOS DE MEL Existem varias maneiras de se desenhar labios, mas uma forma bem conhecida para criar um aspecto mais sensual é desenha-los em preto © com pequenes brithos. Isso deixa a ‘boca com uma aparéncia camuda e umedecida, e, pelo que ‘me disseram, isso 6 bem sensual! ‘Obrigado, Janet, por socar altima gota do austeridade do ‘protocolo. & bom lombrar, no entanto, que nao se deve exa- APRENDENDO A DESENHAR g2rar no desenho das expressées sensuals. Mesmo que 04 desenhista preferido faga isso, eu altamente recomendo «que voré no sobrecarregueo rosto das suas personagens, Voce no vai aprendor maie dosonhando um mesmo rosto ‘durante horas; tonte passar esee tempo desenhondo. maior rnimero de restos possivel. Lembre-se: vocé vai precisar crrar algumas vezes antes de comecar a acertar. (Q cabelo também é uma parte importante na equa~ ‘go da sensvalidade. Nao importa se a sua perso~ ‘hagem tem cabelos longos e sedosos, ou curtos estilizados — eles podem ser usados para criar ‘curvas sensuais que realcam os atrativos dela. Uma coisa importante para se lembrar sobre ‘cabelos: tente no exagerar nos fios individuals. Primeiro, pense no formato goral do cabelo, © ‘entio esootha 08 lugares onde ficardo 0s brilhos, ‘As froas onde vocé decidir colocar brilhos ¢ som- bras sao aquelas que atrairao os olfics do leitor. LINGUAGEM CORPORAL Se vooé treinar bas tante, vai perceber que quase todos 08 tragos. usados ra desenhar uma ‘mulher so suaves, macios ¢ curilingos. Procure evitar ngulos mals duros, seja no rosto, noe cabelos ou nas ses. Ao desenhar mulhores, use linhae leveronto ccurvas, como a etra“S" ou "C". Tene. No 6 todo mundo ‘ue consegue. E vocé? Falando em poses, acho que agente deveria polo menos ‘carne assunto, mesmo sabendo que o nosso espa js estéacabando, "Nao exagere nasposes. Como cujécisse, asensuaidade {6 um trago de personalidad; se a ua heroina for aturaimente sensual, oa ro val procisarfezer nenhuma pose para mostrar esea nafureza. Treine desénher ‘mulheres sensuais om repousa, ao invée do pooturas forgadas. Lembre-se: uma garota sexy de verde val oar sempre sexy, mesmo que ringuém estoa lhando para ea. ‘Asensualidade nunca deve ser uma agi. MULHER DE PEITO Para terminar, acho que chegou a hora de falar doe... ahem, “dotes" de uma mulher. Muitos de vocés podom até me achar um ‘pouco hipécrita quancia digo que o tamanho do peito de uma mulher ‘tem muito pouco a ver com a sua sensualidade, mas essa 6 a coica ‘mais verdadeira que eu posso te dizer. Se maior fosse “melhor”. ENTAO essa GAROTA AQUI ‘SERIA LINDA, (CeeezroP TAVANHO NAO 6 Docu- MENTO! Hum... Dito isso, acho que 6 hora da gonto cc des- Pedir, Eu sinceramento ‘espero que voc® soja um dos poucos que realmente ldo crescer como artis- ta, € que algum dia faga alguma magica acontecer ; Janet... Quem foi que ote S686 ge A Foitccra Escalate e a Vespa sio mulheres poderosas do Universo Braveod?) Marvel. Adam Hughes, 0 desonkista responsive! por capas de revistas 2 como Tomb Raider, da Top Cow, ¢ Mulher-Maravilha, da DC, nao reve ‘nada a vor com isto. £ eério! anatown Ed CAPITULO TRES: PARTE 9 MULHERES REALISTAS 21. iO SEIS M Mesmo sendo um cartunista, muitas | Acho que esses sios 0s principios basicos que devem pessoas dizem que as personagens da | guiar todo artista quando ele se senta pra desenhar. minha revista Estranhos no Paraiso | Alex Raymond, Mike Allced, Paul Smith, Paul Pope, arecom mulheres de verdade. Por que ser? Com | Jeff Smith... Todos trabalham em escalas retativas, erteza nao tem nada.aver com o meu usc habilideso | com um uso dindmico da inguagem corporal eexpres~ do luz © sombra,tintas © texturas ou detelhamenta | s6es facias pra fazer sues hstérias ganharem vida. | anatémico, porque. Bom, eu no fago isso. | Assim sendo, vamos olharessas técnicas um pouco Ex tento desenhar minhas personagens na escala | mais de perto. E, jd que minhas histdrias sio sobre era, usando linguagom corporal cexpressées facials. | mulheres, meu foco seré a forma feminina PLETE % D MAIOR QUE AREALIDADE \Varnos comegar pelo ébvio. As super~ heroinas podem parecer muito inte- Tessantos no papel, mas suas formas so intencionaimento oxagoradas om busca de um resultado maie dindmico. AAté ai tudo bem; acontece a mesma colsa com 0 misculos nos homens. Mas com as mulheres, certas vez isso extrapola alguns limites. Se vocé egar uma mulher comum e colocar {a0 lada de uma tipica heroina moder- na, as diferengas seréo dbvias. Pos m: mult eee eens ea eee ear Tr nei que acabaria usando essa expert Cae eee ee eee) eee ee cs Fed aracnoenco a pesennan FITA METRICA ‘Tente imaginar a altura que suas personagone devem tor. No dovonhe {todas elas com o mesmo tamanho, porque ndo é assim na vida real. Vario a altura das personagens e vocé vai ver que iso ajuda voo8, eo lito, a se relacionar melhor com elas. ‘Db uma olhada na figura ao lado, por exemplo. Voce pode ver que o David ‘tem |,80m, enquanto a Francine tem mais ou menos I,75m, © a Katchoo, por algum motivo qualquer, mede mais ou menos i,6Om. Procure rer som- pre em mente essa relacio entre as proporcbes quando estiver desenhan- dos 1rés juntos, além de levar em conta o tipo de sapato que cada um eeté usando. Detalhes como estes so muito importantes. SS DLE LE LN TIT IS APRENDENDO 4 F ALAR Depols de criar 9 formato bésico dos meus personagens, 0s misculos eo uniforms. Por qué? Porque isso serve como ‘8u voito ae minhas téonicae de cartuniata e animador pra guia pra colocar esses elementos. dasenhar as poses. 189 porque, nestes dois campos, a Estude os excmplos que eu fiz. Perceba como eles evocam 0 Naguagem corporal é a maior proridade, Um cartunista no momento 6a emogio dos personagens ~ devastagio, sedugio, recisa se proocupar com realiemo enatémico ~ ele quer timidez, ralva, etc. - e quase sem nenhum detalhe. Essa é a que @ pose tenha VOZ. Até mesmo o desenho de cuper- importéncia da linguagem corporal. Eu fiz metade das minhas horéis geralmente comopa com um trago male cartunesco, figuras 86 com alguns tragos bem répidos. Isso ajuda muito ra ostilzar a linguagom corporal, antes que sojam feites quando vocé tem que fazer 60 ziles de paginas por dia! SRE Tere ce RRR RT NITRATE anatomia EE] EMBUSCA DO CORPOIDEAL Pode até parocer besteire, mae ¢e vood quer que as suas mulheres paregam reais, entio precisa ssenfiar mulheres reais. Nio faca sé 0 contor~ ro: pense em detalhes como oss0s e musculos. E como se vooé fosse um escultor, entalhando vas figuras no papel. Olne pra ilustrago destas tres mulheres. A figura da esquerda 6 uma super-heroina tipica. A-do moio & mais parecida com 0 que ela pro- Veveiments seria na vida real. Afinal, se urna mulher consegue levantar tanques de guerra © ddemolir prdios com as préprias mios, ela deve ‘er um pouco mais camuda, certo? Mas repare nna figure da direita, Esta seria uma mulher comum usando 0 mesmo uniforme que as outras (@ pode apostar que ela no esté nem um pouco ccontonte de usé-lo! Sinto muito, Francine!) BELEZA INTERIOR A figura & eequerda mostra uma pose de super-heroina muito comum e, a0 mesmo tempo, muita criticada. Por qué? Bom, deixando de lado 0 jeitao de dangarina exética, fica Sbvio que ‘as leis naturals da fisiea ndo so aplicam a cote corpo — 20 ‘contrério da figura a direita, que mostra a massa muscular, ‘0 espago pros érgos internos, uma espinha dorsal e os efe- +108 da gravidade. Sejamos reallstas; assim que essa heroina levantar 09 bragos @ se endioitar, vai acabar passando por ey | LEI DA GRAVIDADE 5 Gravidade. Este é um ponto crucial pro desenhista e pra forma feminina. Quero te mostrar 0 quanto a gravidade 6 importante pra sua figura. Observe: © tronco & esquerda ¢ da nossa heroina, enquanto o do meio & de uma muther mais realista usan- iniforme, ¢ logo ao lado nds temos a mesma ‘tipo de roupa. 0 corpo de uma mulher assim. Os seios so macios e reagem a [3 APRENDENDO A DESENHAR smentos como a gravidade ou roupas justes. E muito como isso funciona e incorporar bém tem esse conhecimento. Detalhes assim fazem toda a diferenca pro realismo da sua personagem. Lombre-s0: a figura de uma mulher no 6 como a de um garoto magrelo com bolas de ténis debaixo da camiseta, portanto, ndo desenhe ela assim. SOIT ~ aims BS ea ds i = EXPRESSAOFACIAL Depois de definir a pose da sua personagem, & hora de fazer os ‘etalhes, comecando pelo rosto. Mas antes de talar sobre as ‘oxprossées faciais, acho legal mencionar um erro muito comum, ‘que eu mesmo comsto todos os dias. Vocé comega com um olho, faz o¢ detalhes, passa pro outro olho, dai coloca o nariz e a boca & orcobe que o olho esquerdo ficou meio estranho. Entéo voc8 perde 20 minutos refazendo 0 olho esquerdo, mas ele nao fica perfeito © voc tenta mudar 0 direta, até que acaba desistindo e desenhando toda a cabepa numa posigde diferente. Se é passou por isso, aposto que até jd sabe 0 que eu vou dizer, mas infelizmente ¢ necesséric: NAO COMECE A DETALHAR UM ROSTO ATE QUE ELE ESTEJA ‘TODO ESBOCADO! Essa é a rogra que vai melhorar as suas figuras © também 08 sous rostes, Uma expresso pode sor capturada com algumas linha répides, ‘assim como a linguagem corporal Dé uma olhada nos exempios acima, ood riéo precisa da eabopa, das orethas, de cabelo ou do corpo pra criar uma expressio, Esté tudo nos olhos, nartz © boca, core? Alm disso, reparou na variedade de movimento destae partes do rosto? No tenha med de esticar a cara do sau perconagem até conseguir a ‘expresso que deseja. E assim que a natureza faza coisa. ‘Se vocé tentar desonhar um rosto finalzando um detathe apés 0 outro, o resultado provavel- ‘mente serd uminfame rostoassimérrico, come © acima (@ esquerda). Nao parece nada pro- fissional, certo? Mas, por que? Claro, ele tem todas as técnicas apropriadas no detalhamen- to, mas o desenho em si é ruim. Os elementos esto desalinhados, e 0 resto ficou sem per= sonelidade © expresso. Fu estava ocupado demais tentando acertar o sombreamenta dos clos e dos cabelos. Compare isso com a cabe- (a direita, que foi feita bem rapidamente. Eu 6 uscialgumes linhas, mas 0 desenho ficou muito melhor. 0 rosto foi disposto da forma correta 0 « expressao foi acertada antes que eu perdesse tempo detalhando (ou melhor, arte-finalizando) um deserho rim, Entio 6 is80, pessoal. Acho que 0 segre- do pra deeenher mulheres realistas é saber como so as mulheres de verdade. Se este for 0 sou objetivo artistico, entao a sua ligao de casa é muito simples: vé eetudar algumas mulheres reais. E nao ospera que ninguém sinta pena de voce! Mas, aga © que fizer, por favor nie tonto aprender nada conoultando ravistas tipo Playboy. Mulheres normais nao 80 daquale Jato e, além do mais, quem vai querer desonhar uma personagem feita de botox e scone? = Terry Moore desenha duas das mais fortes personagens femininas des quadrinhos ~ Francine e Katchoo de série Estranhos no Paraiso, da quel ¢ criador, b , F CAPITULO TRES: PARTE (0 ‘ima SEX APPEAL POR a TURNE! bem empolgado pra falar com vocds sobre 0 que me vem & monte 6 a palavra senouslidads, Né ‘uma das minhas palavras de quatro letras verdado, ou proto ver seo mais como “apolo sonsual breferidas...arte! Mais especticamente, quero mostrar do que sexual, Pra mim, a seneualidade pode ser muito BQ 2 voces como usar melhor o seu desenho pra chegara mais elegante e ajuda a imprimir um malor sex appeal ‘um outro assunto que eu adoro: 0 apelo sexual Apelo nos seus trabalhos. Vamos eomegar com alguns esbo- ‘sexual pode ser encontrado em quase todos os.aspec- cose au te mosiro 0 que quero dizer! i Oo: pessoal! Aqui & Michael Tumer, e estou _ tos da vida, mas quando eu penéo nessa axpressio, TRACOS INICIAIS Um bom esbogo é o fator mais importante na preparagao da sua pagina de desenho. Em termas de apelo sexual, fazer varias esbages ajuda a visualizer como vocé quer a arte € o que pretende passar pro leitor. Neste primeiro esbogo (Figura A), € @ posicionamento do corpo que deixa a figura tao atraente, Os membros dobrados, as curvas do corpo Postura relaxada sao mais convidatives e evitam que a figura fique ‘exagerada 04 muito dura. Mentendo 0 foce na forma feminina em si, ¢ ‘no apenaé nes atrativos de uma mulher, voe8 pode eriar um desenho bastante sensual, sexy. ‘Aquilo que nio vemos pode, as vozes, se tornar sinda mais excitante, Dalxando @ coisa por conta da imaginagao, o velho ditado “menos é mais” pode entrar om jogo. Agors, ow nao estou falando s6 sobre ence roupas, por favor (embora ocasionalmonte isco ja tenha funcionado ‘comigo antes!), mas que elas sojam menos roveladoras om exibir © ‘corpo em si. Como a Figura B llusira, ao curvar levemente ac costas fe deixar a maior parte das pernas submersas, vocé ¢ obrigado @ fiear Jimaginando 0 que pode estar debaixo o'agua! 2 i i A postura de uma mulher pode criar ou Cesiruir uma pose sensual. Aqui nés temoe tum esbogo retratando a garota de uma forma mais ousada e agressive. Os ombros esto inclinades pro lado oposto co dos uadri, mas som oxagerar na énfase das curvas de sou corpe. Nao importa ee vooe etd tentanco fazer uma pose de ago ou de ‘uma foto da Playboy, renre sempre manter 08 gestos e a linguagem corporal de acorda com o clima da histria, LRT aA TOT DANDO AS CARAS Do que adianta um étimo corpo sem um rosto bonito? As expressées so a chave pra comunicagao e pra pasar a sua mensagem ao leitor. AAs garotas ndo precisam parecer muito agtessivas ou bravas pra serem sexy. Uma felglo meiga também pode ser sexy porque exala uma atitude mais brinealhona e uma leve vulherabilidade (Figura C). Esta 6a minha pose “acabel de acordar o estou feliz em te ver” (Figura 1). O other por cima do ombro, os olhos macios, osorrisa manhoso.ea posture relaxada, tudo ajuda a compor uma emoeaa, Adicione alguns fige de cabelo na frente do rosto e vocé criou uma figura que exale ‘pelo sexual naturalmente, anaTomia [EZ Fazer-se de dificil também pode ser sexy. Aqui, cla esté com uma. expresso tipo ‘nem sempre ‘océ pode ter o que quer”. Tentar alcangar algo ‘que parece inatingivel pode definitamente exalar ‘muito apelo sexual. As vezes os desenhistas fazer garotas tipo “bad girls” fumando. Pra mim, isso n’io, € nada atraente e bem pouco sexy. E sé a minha ‘opinido. Fumar néo é algo que eu uso pra me ajudar 2 fazer mulheres sensuais. OLHOS ATENTOS (2 ethos podem sera janela da alma, mas eles também ajudam muito de mulheres bear enesrtas de cima é 0 desenho mais comum 0 @ brilhante, mas néo toda mut um pouco mais ee de mistério. Mude ‘sobran mente @ 08 cilios ¢ vocé cria um ‘pelo sexual Cie Ui) APRENDENDO A DESENHAR ‘Aqui estdo algumas verses diferentes de labios pra servir fica perfeito, Tome culdado também com cores fururistas ‘como azul, porque elas podem dar uma apardncia fia @ sem vida, Existem varios formatas de labios eeneuaie, mas, na ‘minha opiniao, quanto mals carnudes, mathor! cS ee J MOLHADINHA 4 1 | ANJO AZUL ‘Até uma mulher completamente azul ¢ com o corpo coberto de espinhos pode ser ‘sonsual. Mistica 6 uma das minhas personagens preferidas porque sua forma nat Tal 6 muito atrasnte. Mesmo com todas as cenas de aga que ela teve nos filmes doe X-Men, nunca houve uma cena vulgar exibindo o corpo dela de forma gratuita. male, Mistioa tem uma presenga feminina muito poderosa; la forte e confiante, Esse tipo de personalidade exala mais apelo sexual do que quase qualquer outro. NAO ACHE que voce tem que desenhar uma cena de bunda em cada pagina pra ‘conseguir retratar apelo sexual. Tente deixar as coisas mais sutis concentrando-s2 ‘nos diferentes aspectes do corpo todo. Mantenha a confianga. Essa uma qualidade ‘mufto sensual que pode fazer maravilhas nos seus desenhos @ afastar as indesejadas ‘eagd0e gratuitas demais. E também tente sempre treinar,treinar e ento treinar mais lum pouco, Até a gente se ver de novo, e fique na boa! @ Michae! Turner (dosenhista de Superman&Batman da OC # criador da série Soultire) nunca apareceu nas paginas da Playboy, mas nds ainda achamos que ole esbanja ‘sensuaildade. Além de nao fumar. ‘Sto as sutilozae dosto decenho que © tornam sensual, Como a garo- ta no esta olhando pra cémer voc’ pode ver que a cabeca dela esta virada, deixando seu pescoco exposto, 0 que eu acho bem sexy. Também tem a curva do corpo, mas ele no esta to contorcido a ponto de parecer desproporcional.O corpo tem uma curvatura mais natural @ tealista. Ainda por cima, ola esta parcialmente coberta pola queda dégua, o que faz a sua imaginagio ‘trabalhar mais uma vez! Cree ee POR ed aetna Pe ey eter ees ete CO eres eet eens) Ce een Ree ea CAPITULO TRES: PARTE |! JOVENS & CRIANCAS. «5.0.00: Ju soube que muitos de vocds esto interos~ ssados em desenhar jovens e criangas, e ful jconvidado para compartithar alguns truques € técicas que costumo usar. Agora, para ser brutal= ‘mente honesto, eu nda sou nenhum expertno assunto ~ muitas das técnicas que emprego foram desenvot- vidas por tentativa © orro, observagao © toncladas do troino. Como qualquer artista dria, o estudo da arte © do desenho é um proceso de aprendizado que nunca JOVENS SAO MAGROS Para lustrar 0 contraste entre a figura horédica © a adoloset te, vamos dar uma olhada no Capito América e no Bucky. Como voc8 pode ver, 0 Capito, como a maioria das figu- ras herdicas, tem mais ou menos oito cabecas @ mela de altura. Em comparagio, Bucky tem sete caberas. Isso no ‘quer dizor simplosmente que elo 6 menor do que © Capito = proporeionalmente, eu fiz a cabega do Bucky maior em rolagZo 20 reeto do seu corpo, 0 que nés procuramoe aqui é sinalizar ao leitor visualmente que nosso personagem ado- lescente & mais jovem e, portanto, menos desenvolvide do termina. Mas 0 que eu espero fazer, neste espaco limitedo, 8 passar para vocés uma abordagom bésica ‘sobre como dasenhar jovens © eriangas o ajuda-los a ‘evita algumas armadilhas a0 longo do caminho, Vou bresumir que vocés jé estejam familiarizados com 0 ‘costas arqueadas, Isso dé a ee impressaode derrota, dost ‘nimo e depressio, Sniff! ‘Alogro-se, Justiceiro - ouvi ‘zor que aumentaram 0 ssalério minima... uma garota apabionada. Suas x Se ios eobre um doe omiroo, = a cabecainclinadana oire- "gio do objeto de sua ate | $0 © um pé curvado para cD ‘DOR Nt casio pntar on melhor exemplo de dor do que o réprio Capita Kirk, Repare que a 0 peceiel = cotovelos quase que para onde se localiza a dor. € uma reagao naturale instintiva ‘dor, como se para tentar cobrir ou proteger a area afetada (slém de ficar 6tima na frente das cémeras!. IMPACIENCIA Aqui nés ‘tomos uma tion pooo de. / ‘mpactonela. ~ bragos: / ‘eruzados, pé batendo / [SURPRESA Surprosa? Essa é sim- Desdiear ace oe ples, corto? Nad disso. E £0 0 sou eee versonagem estiver usando. uma ae mascara, como 0 Homem-Aranha? L ~ [ aro, vocb poderia trapacearo fazer © s buraco dos olhos bam abertos, mas vamos dizer que eles estejam cos- turados na mascara ¢ nao possam se mover. Voce va ar que usar lingua- sem corporal para contara hist FIGURAS EM AGAO LINGUAGEM CORPORAL GAROTAS Elvi ACAO ‘0k, prestem atengo porque 9u 66 vou dizer isto uma tinica vez! (Aham) AS MULHERES TEM ESPINHAS DORSAIS! Isso mesmo. ‘Como as pessoas de verdade! Elas quase nunca ficam (ou melhor, ‘lutuam) como a Mary Jane Watson aqui (Figura E). Cara, a pose parece dolorida....e om que diahos ola esta se apoiando? Sei que ‘quorom fazer suas personagens femininas atraentes, pessoal, mas indo € s6 porque o seu artista preferide desenha a personagem feminina dele sempre com a mesma pose de destile de biquini, ‘esteja ela lutando contra deménios ou fazendo uma torrada, que ‘Yoo8 precisa fazer a mesma coisa! ‘Com uma heroina tipo a Mulher-Hulk (Figura F), por exemplo, vacé ‘deve desenhar uma figura forte, corajosa, capaz e, é claro, mito bonita. A postura = equilbrada,fme e com uma leve incinagdo do | 4 ‘eabeca enquanto ela olha para nés por cima dos ombros ~ dizmuito _ mais sobre a personagem do que uma camiseta rasgada conseguiria —_/ {€ este exemplo também mostra como fazer uma mulher parecer atraente sem mostrar o peito dela!). Lembsre-se de tratar suas porso- rnagens femininas como pessoas de verdade, om vez de modelos de Catalogo de biquinis, e olas eerao muito mais memordveis! EU PODERIA CONTINUAR POR VARIAS PAGINAS falando sobre as diferentes emogdes que a linguagem corporal consegue expressar, mas infelizmente nao renho mais espago. Ent, ndo se osquoea do que, no final das contas, as melhores poses vom da vida roal ~ obsorve outras pessoas e esboce-as! Para uma perspectiva sobre o uso da linguagem corporal por mestres, procure o livro Quadrinhos e Arte Seadiencia. do Will Eisner, ou qualquer trabalho de Alex Toth e Jack Kirby (Toth sendo mais sutile Kirby ultradinamico), Nao importa se desenhar seu ganha-po ou seu hobby ~ colocar uma linguagem corporal con- vincente nos seus personagens fara a diferenca entre uma ilustragéo comum e uma ineequccivel obra de arte! @ Matt Haley fala aos fs com linguagem corporal em Aves de Rapin. de American Express do comediante Jerry Seinfeld, ‘da DC. e no Superman que pode ser visto nes antineios Pel ceencesns Seecennen CAPITULO QUATRO: PARTE 2 ACAO & MOVIMENTO........« 0 a! Nos vamos falar sobre como criar a sensagaede | e efeitos, mas com movimontos verdadeiros desenhados Vida nes seus desenhos ompregando agao emovi- | nas pessoas (ou qualquer outra coisa) que vaca esteja mento. Voce deve se lembrar que mesmo quando | ilustrando, Assim sendo, tenha paciéneia. Existem algumas alguém ou alguma coisa esta em repouso (parada), ela | regrase guias relativamente simples que podem ajudar voce continua viva ¢ em movimento. Voce precisa soprar vida nae | a aprender © capturar o movimento em desenhos estaticos coisas que desenha, @ no apenas com linhas do volocidade | ¢ bidimensionais, ENTRE NALINHA! ‘A maneira mais simples para comegar a criar movi- : ‘mento em figuras, ou o que quer que esteja se moven- do, € trabalhar com a linha de centro. Ela 6 a linha desenhada através do centro da figura, seguindo a g ‘coluna vertebral, © descreve a ago geral dessa figu- +a, Dé uma olhada nas linhes de centro ~ que a partir de agora podem também podem ser chamadas de linhas de a¢o - quo eu desenhol direita, Voja como ‘uma linha desenhaca paralelamente a lateral da folha, ‘ou a parte de baixo da pagina, cria uma sensacao de igidez ou falta de movimento. Perceba que inclinando ‘essa linha para frente ou para trés, mesmo quo leve- ‘mente, voe® comega a eriar movimento. Agora olhe para as ultima linhas de ago desenhadas abaixo. PARADO PARA FRENTE ‘A que esta com 0 nome de CURVA Este tipo de linha ‘de contro, cozinha o em conjunto com suas rolagoes, ‘6 responsivel pela maioria, se no todas, aquelas ' ‘emocionantes cenas de luta que todo mundo adora ‘ver nos seus quadrinhos preferides. Linhas de ago f ‘curvas sio as mals porcoptivele © fécoie do fazer, Porque as a¢6es que elas geralmente descrevem 80 de um tipo mais exagerada. Assim como na atuagao e artistica (pelo menos, eu acho), é sempre mais facil dosenhar (ou interpretar) personagens exagerados ‘do que personagens com movimentos © maneirismos. de natureza mais suti. Portanto, vamos comecar com as linhas de ago curvas e grandes. papareis: ounvA Na ilustragéo a esquerda, pperceba coma a linha de contro, lovemento inclina- {da para tras, cria a sensa- ‘cao de que a personagem festa afastando a cabeca do ‘alguma coisa ou reagindo ' igo. As linhas de centro sho a hase da ago. PGURAS EMAGAG' EEE ACAOS. MOVIMENTO HEROIS Elvi ACAO ‘Agora que ja demos’ uma olhada nas tinhas do contre, vamos ver come olas co traduzem nas figuras. Aqui estio dues linhas de ago cur- ‘ae e, a0 lado delas, duae figures dosenhades usando as linhas de agao como linhes de centro (estas duas palavras s80 virualmente inter- cambiéveis), DE ume boa olhada nas figuras Obviamente, ha mais coisas acontecendo com clas do que uma simples linha de centro, sobre 0 que falaremos em breve, mas perceba como 0 fluxo des figuras combina com o fluxo das linhas de ago correspondentes. Como qualquee uta colea no dosenho do boas histérias em quadtinhos, agéo e movimento so construidos 1am ostagios, Cada estagio dove cor feito corre- tamente antes de passar pera 0 préximo ou 0 trabalho final tera problemas, que comogaram Com o primeiro erro e contiquaram presentes em cada estilo sucessivo. Aborde 0 seu trabetho o forma intligente, nonce bem nas coisas & tente nao correr enquanto estiver aprondend Invista 0 aou tempo agora o mais tarde as coisas 0 encoixaro meisfacimente, Seu trabalho sera ‘melhor © mais ber-sueodido por causa disso, ‘Ao desenhar sobre um linhe de centr, cons- ‘rua bem a figura (veja a pagina (2 para algumas ices), lembrando-se de usar a linha de agio ‘como base paraa coluna e ir construindo a partir ola. Para agdes simples ¢ diretas, mantenha 1 fluxo dos brazos, pemas e cabeca dentro da ‘mesma curva bésica da linha de ago. i B BR ee Para dar ainda mais movimento a uma figura, tenterotacianar o tronco. sco signitice grar a linha dos ombros para criar um angulo com a linha ‘dos quadris (como fica methor explicado no desenho & esquerda). 0 ‘emoro podo 80 inclinar na diregao do quadri, mas ndo muito, Lembre-se: no gire 0s ombros em um Angulo maior do que 45° em relagao aos qua- Aris em qualquer diregdo! Ao toreer quadris © ombros, voce cria ronedo na figura, 0 que gera movimento. LINHAS OPOSTAS ‘Se verdade que linhas paralelas no criam nenhum mevimento (eeu .craditonisee), entao linhas opostas devem criar. Olhe pera as duas inhas de ago dreita. Duss simples inhas de ago opostas, por sua répria natureza, criam forea 0 tensdo (clas nem precisam se cruzar). Imagine um herdi € um vido atracados num batalha tinica bem cima da Terra - energia brilhando freneticamento ac redor deles, 0 {destino do mundo em jogo, seus misculos pulsando e vibrando com poder, ete, Usando estas linhas de acéo, vocé pods desenhar isco! b SSSR SOARES NLA I IE TREN APRENDENDO A DESENHAR 2S DPR RE LST AN EIEN SIMPLICIDADE COMPLEXA Agora nés temos que falar mais um pouco sobre a parte dificil da ago ¢ do mevimente: as sutilezas. Qualquer un, sentado, deitado, parado, andando por ai, conversando, aeeistindo TV, etc., esta em movimento e tem vida e emo- / G80, mesmo que esteja apenas respirando. Até personagens eel te bstras om guastnhen devin gerocer gun eptan \ ‘As pessoas nao sao estatuas de madeira, Elas relaxam, ‘se mexem @ se irritam o tempo todo, e é assim que devem i ‘Ser os seus personagens. Vocé pode deixa-los mai ise | vivoe dando-thes mavinentos, especialmente movimentos ‘uti, Criar movimentos suti & coma ciiar agbes amplas, sé } ue menos exageradas. Em ver de linhes de agao grandes, | Curvas, exacerbadas e opostas, desenhe linhas de ago | mais parallas, menores, mais retas e similares. Voja a figura a dicita. Ela tem acio e movimento ~ no muito, mas obviamente & um desenho bidimensional vivo e i ue respira. Perceba come a aua linha de centro, levemente curva, 6 quase paralela a borda da pagina, mas ainda assim } indica movimento, Perseba também a curra sutil da linha i do brago, nao paralela ~ mais como uma parte da linha de centro do que oposta: Depois, s6 para dar um toque extra, inclinei a cabega para frente, dando propdsito ¢ dire- 80 a0 movimento, e talvez sugerindo que um movimento mais energético esta para acontecer. ‘A coquerda, née temos um desenho rapido, de linhas angulares, © o esbogo da figura Usando eesas linhas de ago. Este & 0 uso sutil das linhas de aco opostas. Veja como ‘epones girando levemente os ombros (na verdade, em perspectiva ~ continue lendo) © colecando a sua cabera numa linha de centro separada, mas paralela, e torcendo a linha dos olhos num angulo diferente da linha dos ombros (quase eame torcer as linhas 0 quadril © dos ombros), a figura, apesar de nao ter detalhes, parece quase viva © respirando, Talvez isso sela um exagero, mas a figura nfo é mais estatiea ou eansativa {\ Ela tem a¢a0 © movimento. Colocar uma figura em perspectiva, ‘amo no desenhe a direite, & uma boa maneira de indicar movimento, assim ome colocar a figura num plano de erspectiva. Essas duas coisas so quaee idénticas, 36 que @ primeira Implica na criagao de uma perspectiva ara a figura, escorgando-a. 0 dese- ‘nho no canto inferior direito envolve lum cenaric em perspectiva e a colo- ceagao da figura dentro dele. Para mais informages sobre isso, veja as ligdes AGAO&. MOVIMENTO INDO A FUNDO ‘Abaino nés temos um desenho do Ciclope. Repare como a figura da esquerda parece dura, parada, como se tivessem edido que o heréi posasse para uma foro de seu uniforme © corpo pera fazerem uma secultura ~ 0 que ficaria estatico demais nos quadrinhos. Agora olhe para a figura da direita, la nfo esta tio bem acabada como a da esquerda, mas voja ‘como 0 dosenha tom mais vida e movimento. Cielope parace ccapaz de um ataque, de disparar suas descargas épticas e saltar pra fora da paginal (Bom, mais ou menos...) ‘Aquinds estamos lidando com profundidado. A cons da fiaura ‘4 esquerda tem muito pouce profundidade (ela fol feita para sservit come referéncia de escultura para um boneco, @ duss ‘utras visdes ~ de portll¢ trascira ~ completam o dosonho, dando a idéia de volume). A cona da dirita esta carregada de [ij APRENDENDO A DESENHAR profuneddade. Veja como amas as figuras esto paradas do ‘mesmo jito, com seus corpos na mesina posi, mas repare como 6a deta fo! desennada em um Angulo, com uma love petspectiva (note as lnhas de fuga desenhadas a partir dos és e ombros do Ciclope. $6 por diverso, encontte 0 ponto {0 convergéncia destas linhas, © Ponto de Fuga, © trac uma linha horizontal. Repare que o Pento de Fuge vai ester fora {a pagina). O que eu quero dizer & que voc8 pode crar ago © movimento com o simples posicionamento da figura no pap. ‘So dosorhar a figura bem de fento, som profundidade na sua posturae como, ea fear chapadia e ser vida lhe para os desenhos, cia © ostude 0s dole, o vola como ‘todos estos conceitos ost relacionados © trabalham juntos 1m cada desenho, Eno, finalmente, pratique! CAPITULO QUATRO: PARTE 3 ESCORCO DINAMICO.......... fazer pessoas € objetos diminuirem e aumentarem em perspectiva ¢ crucial pera qualquer tipo de arte, nés temo ‘que usar esta técnica para deixar os quadrinhos mais emocio- nantes ~ afinal, esse é 0 objetivo de tudo, certo? Explicado de forma simples, 0 tormo “escoreo dindmico” significa que um i rmoem: ou cece cscorge indice, porque enauento objeto parece ficar menor na medida em que é afastada do ‘espectador; 0 escorgo 6 a principal ferramenta do um artista paara fazer objatoe de duas dimensées parecerem tridimensio- nais no papel. Usar isso de forma dinémica pode transformar © ‘8000 do seu super-her6i num poderoso petardo ao inves de um tapinha carinhoso. Vamos botar o grafite pra funciona. DUAS PERSPECTIVAS ‘A primeira coisa que devemos fazer & mostrar a diferenca entre o escorco na vida real (digamos, num filme) ¢ o escor- 0 dindmico das paginas de quadrinhos. No mundo real, 0 ppunho na ponta de um brago esticado nao val parecer maior do que aquele ao lado do corpo. Nos quadrinhos, por outro lado, 0 punho deve paracer maior conforme so aproxima do leitor, para simular 0 movimento © aumentar a tenséo. Viu ‘como 0 *soco real" do Aranha (Figura A) fica sem grace? Nao ha nada de orrado com a pose em si; cla sé nic é ‘muito envolvente. Mas 0 “soco dos quadrinhos” (Figura 8) parece capaz de arrancar sua cabeca - que é 0 que ‘nds queremos! Isso porque tratamos 0 brago como uma pilastra: ele vai ficando gradualmente mais largo conforme cchega mais perto de nés, e termina num punho maior do que o normal (mas no exageradamente grande!). A coica mais legal desta técnica ¢ que vocé nao precisa adicionar linhas de velocidade ou efeitos sonoros nara pasear a sua ‘mensagem: a figura sozinha jé conta a historia. coRPo BE MODELO E extremamente importante comprar um “manequim para desenhista”. Essa 6 uma ferramenta matt til pare 4 evar eeu sérebro no eBcorg0, i quo veeé pode ng colocaro bonoce om praieamonre qualquer Bose que ‘quiser. Aigumas pessoas usam um programa de com- 7 Butedor chamade Poser mes as vezes nada substitu sik a coisa real. Qualquer loja de equipamentos artisticos verde ess manequins, que nko s40 cares. Af AVANTE! (OK, aqui vai o meu guia passo-a-passo pessoal para planejar um escorgo. Vamos dizer que voeé queira fazer uma cena dindmica da Vampira voando pela pagina. Bom, primeiro temos que docidir ‘uma pose (6 aqui onde © manequim pode ser util) ¢ fazer um ‘esboro dela (Figura C). 0 préximo passo é acertar as proporgies (© mancquim também pode ajudar. ou vocé pode usar um bone- ‘quinho qualquer). Agora esboce, na posigao normal, a parte do | corpo que vace deseja escorcar (neste caso, os bracoe paralelos ‘20 franco) © depois trace 0 arco de movimento que cada braco faz na posigdo que voce desaja coloca-los, novamente usando 0 ‘manequim como reteréncia (Figura D). Muito simples, no? STREET PILAR DE FORCA Uma vez que os bracos estejam na proporeao correta, 6 hora se “ganhar massa’, com 0 Armols ara, Para fazer io, nds voltamos ao volho € conhecido método de entender ‘8 partes Go sorpe coma comb nagées de esferas, cilindros & ‘cubos Repare.na Figura, como nosso esbogo da Vampira écom- posto exatamente disse: sélidos ‘geométrioas. Este 6.0 métode do “pila- Fes" que mencionsi no inicio, Persar nos bragos da Vampira como pilares ou colunas tora mais facil visuliza-los numa perspectiva forgade;e entfo voc’ pode moldé-los no desenho final para flesrem parecidos com |; bragos humanes. No resultado final, a Vampira ostaré voando como uma super-herbina: dinancamente! rn LRT TT / Pl ecemosmrment AE SL SUPER-SOCO! ‘Muito bem, agora que dominamos 0 escorgo numa simples 10, vamos praticar um pouco... Aqui estd uma cena do Rei dos Mares em pessoa, o Namor. numa cena que voc provavolmont encontrar na capa de uma rovista ou ta cena de pagina Ine, Esta Yomada tom. te taaree dena do dasstlt armir, 96 77 ‘que é um pouco mais dificil porque ele esta \( vindo bom nossa depo! Né sinples- Tnonfo eecorgamoe © punho principal Ga figura 0 dopete o Drago ecquordo, separadamente, VO core a estar saltando para fora da pagina? Este € 0 efeito que nés queremos, certo? ee eee ee ee ae ee falta de informagao viual 6 um claro indicio eee Dae SEES \. UM CORPO E QUE CAI i Tudo bor OK, ase quando cena de gud) | pulando em voz de voando? Bom, aqui a pose € 0 mais importante. Viu como os dois bragos ‘da Elektra estdo esticados para frente, como se la estivesse tentando amortecer a queda? Para ‘iar uma cena mats envolvente, coloquel a mo dirita da personagem na frente do ombro. Ainda { procieo desonhar 0 brago inteiro quando cons- ‘ruimos a figura, mas 66 precisamoe finalizar 0 ‘ombro @ a mio (o.que pode, ceasionaimente, oupar tempo). O resultado? E bom a Elektra ter um gancho de escalada por pert! : Ri ER RI FIGURAS EM ACAO PONTO CEGO Este aqui 6 compliesdinno - © Demolidor saltando na noséa direc. Até agora, née fescorgamos figuras de cima para balxo, ‘mas como vamos resolver esta situagao? & {cil ~ aplicamos os mesmos principios de antes, Depois de esbocar a pose corta (0 manequim ajudou bastante nesta aquil), ‘nds nos cortificamos de que o torso esta na orspoctiva correta © depois oscoreamos ‘cada um dos membros do Demolidor ‘separadamente, dando importéncia especial ‘perma direita,jé que ela esta prestes a nos acertar na caboca, Presto atenclo nos da figura, porque, mesmo que a gente 26 posse ver a sola das botes na figura final, ‘temes que desenher 0 pé inteiro na fase de esboco para que eles saiam direito. OBJETO DE DESEJO Eu consider objetos de forma dinémica ae eee porque os olhos do leitor vlo perceber com mais facilidade se uma pessoa esta esquisita ou fora de perspectiva. Contudo, como a maioria de nés nao é uma enciclopédia ambulante, os artistas tém mais liberdade em se tratando de objetos inanimados, como 0s que esto nesta pagina. Nés também | podemos usar nossa técnica de esferas/cilindros/ ‘cubes aqui, ja que grande parte dos objetos cio ‘basicamonte veferas, cilindros ou cubos ¢, poran- ‘to, mal féceis de se desenhar, i (© ESCORGO DINAMICO pode ser uma ferramenta muito poderosa, por isso, X usera com saberoria, Vacé nia vai querer socar os olhos do leitr em todos os squacios, no & mesmo? Equibrar dinamisme com sunlea vai manter lator reso as paginas. € claro que nés noe apoiamos nee ombres oe gigantes, or 'ss0, se quiser saber como os grandes mostroslidam com io, comeceeatudan- 4 08 trabatnos do Rei dos Guadrinhos, Jack Kirby. ou de Neal Adams, ou John Romita (pai ¢ filho). Seja qual for 0 seu estilo de desenho ~ ilustrative, cartum, mangé ~ © uso de escorga dinamico pode fazer sums histdrias fiearem mais ‘empolgantes eimpactantes,edeivar 08 leitores querendo mais APRENDENDO A DESENHAR CAPITULO QUATRO: PARTE 4 MOVIMENTACAO DE PERSONAGENS | pra todos vooés, desenhistas. Eu ja ‘desenhei uma ampla variedade de per- sonagens, desde a Flashaté 0 Quarteto Fantéstico. E uma grande coisa quo oles tem ‘em comum é que todos precisam se mexer! 0 todos herbis chelos de ago, o que ofere 3 muttas oportunidades pra explorar as formas de criar “movimento”. Nesta ligo, vou contar a vocés © que ou gosto de fazer pra dar vida {8 coisas que desenho. Imprimir aos seus per- POR MIKE WIERINGO sonagens a iluedo de vida 6 um dos olomentos mais importantes no desenho das histérias em quadrinhos. Isso ajuda ndo sé na narrativa no realismo dos personagens, como também & muito divertide. 0 melhor jeito de aprender a desenhar emoges, claro, 6 observando-as. DB uma olhada nas pessoas a sua volta. Veja TV, especialmente esportes, como ginéstica olim- pica. Em suma, othe em todes os lugares. Agora, sso dito, vamos nos mexer! 4, RAPIDO E RASTEIRO Eu cried algumas maneiras de mostrar 0 Merctrio ‘om velocidade desenfreada: basicamonto, uean- do as linhas de velocidade. Muitas delas! Linhas de velocidade sao dtimas porque vocé pode faz6- las seguindo 0 formato do terreno por onde seu personagem esta correndo, e usé-las em pers- pectiva para um efelto mals dinamico, Perceba ‘como as linhas saindo do Mercurio fazem pare- cer que ele esta vindo na sua dire¢o. Coloque lum rastro de velocidado, um pouco do pooira endo levantada, algumas pedras e destroges no ar, junto com alguns pedacos de papel voando, ¢ ‘voce criou um velocista superssnico! ‘Uma das manciras mate logsio de mos- ‘rar a incrvel combinagio de rapidez e agilidade do Homem-Aranha é usando ‘multiplas imagens. Voc8 pode mostrar 0 ‘Arana pulando, grando # se torcendo de qualquor forma imaginavel. Apenas desenhe suaves transigles entre os movimentos (como se voce fosse um animador). Fazer uma imagom fir pra outra luda 0 Cabeca-de-Toia 2 fcar ainda mais fuidico e gracioso. Miitiplas imagens também so uma étima manei- ra de mostrar a fantéstica rapider do \Meredrio enquanto ole nocaureia algum inimigo brutamontes com um super- soco em alta velocidade, ricunasem acto EE MOXIMENTASA® DE PERSONAGENS _ MUNDO SUBMARINO Mesmo que provavelmente aja. muito pouce oxigénio pure pra produzr bolhas nnas profundezas onde Namor vive (e faz barulho), 6 divertido tomar essa licenga artatia'e usi-ias pra indicat de onde © volho Principe Submarino esta vindo. Elas também crlam uma sensagio de \ que a agua esté se abrindo & sua volta, fenguanto ole rasga os mares. Perceba como as bolhas, desde a mao até sua ccabega, ajudam a mostrar o movimento 40 brago airaito, enquanto © rastro de holhas menores’seindo dos seus pés projeta a imagem de que Namor esté nnadando na nossa direcéo, Um eardume do pebies nagando ao lado ajuda. mais ainda 0 efeito! ee MOVENDO NMONTANHAS Um pouco da boa e velha terra firma (jsso que dizer “terra fiemo" pra voeés, som dicionaria) pode ser util, especialmen- ‘te quando vocé esté desenhando personagens gigantescos 2 fortes com o Hulk aqui. Enquanto o Gigante Esmeralda cchega pra uma {imagine um enorme efeito aterrissagem sonore do “BUUUUM'" atrés dole), ole joga pra cima uma, ‘grande quantidade de terrae pocira, Desenhar varios peda- 08 do chao e de racha voanda da uma dtima impressio Lope dde que o Hulk aterrissou com um tromondo impacto! A sua osigio agachada também doixa a figura mais dinamica e mostra orealismo da gravidede puxando ele pra baixo, Também & civertido desenhar um grandalhéo socando ‘utro © prensanco-0 no chao, Mostre as costas € a parte do tras (daquele que tomou o golpe) moendo pedacos de pedra, terra e pé enquanto © seu ego (e traseiro) machu- ceado se arrasta pelo cho TASC El APRENDENDO A DESENHAR VENTO NO ROSTO Voc pode usar oar, ou mals especificamente 0 vento, pra criar alguns efeitos bem legals e chelos do vida. Capas so étimas pra ess0 tipo de coisa! Vocé pode agitar 216 ‘as cenas mais estéticas com capas fe vento ~ como este Cavaleiro da Luaqueeu desenhell Eleestatenso, ‘esgueirando-se, pronto pra atacar.. ‘mas nfo esta se mexendo muito, no, Eno, como adicionar mento? Simples: faga 2 cap: mular de forma soturna ao vento da noite. Adicione alguns pedagos de papel voando e morcegos criou uma cena fantasticat | cHUVA ) DEFoOGo Senhor do Fogo esta girando seu basto fumegante, deixan- » do um rastro de fogo meneiro _/ ue voe8 pode seguir, © criando J sauela sensagio bacana de mov- mento, Perceba como as diferen- tes espessuras do fogo ajudam a demonstrar movimento. Como com as linhas de velocidade, © rastro de fogo fica menor con- forme © movimento vai sumindo. ee ee ce ee Pea ee Oe fazer, mas nunca tivea chance porque era lento demais. Por a en Sere errata oct pode fezer a: mesma cola selena com o Tocha Humana e sou rastro eiiiareh amare taey Go fogo quan co ost voundo! mounasem acto BEd MOVIMENTACAO DE PERSONAGENS — 7 - , Ne ~“ oo @ ‘Assim como jé mostrel com 0 bastio do Senhor do Fogo, os objetas podem ter um“ {grande papel nos movimentos também. Aqui, eu desenhei uma cena do Capitéo ‘América acertando um Nazista na cabeca com seu escudo, usando algumas linhas simples de velocidade, individuais © duplas. A linha individual na mo do Gapitao America cria o movimento de seu braco para lancar o escudo, enquanta, as linhas duplas saindo da cabeca do Nazista mostram © efeito de ricochete do ‘escudo. Desenhar cenas com sicochetes ¢ um jeito legal de se indicar movimento ‘= mas qualquer personagem com alguma arma pode ser itl pra truques de movi- ‘mento. Pense nas flechas do Gavido Arqueiro cercades de linhas de velocidade, ‘ou nos bastonetes do Demalidor voando por ai. Vacé sacou a idéia. ESSA E BABA! Por fim, existe © movimento definitive: fluidos Corporais. Nao, no, néo. Parem de pensar bes- tira. Estou falando de sangue, suor e Kégrimas! ‘Aqui esté uma coiea que ou gosto de user quan- do desenho um personagem fazendo picadinho de outro, Eu desenhei o meu proprio persona- ‘gem Wing dando um chute rotatério na cabega do seu adversirio extradimensional. Porosba que conforme a caboca do grandalhao gira por ‘causa do golpe, um rastro de saliva (ou sangue, dependendo da sua maldade) sai voando do seu rosto! € algo sutil, mas até estes pequenos ‘aspectos podem ajudar. Porn Hers iV ica BOM, PESSOAL, foi Stino divi alguns dos meus “traques" com vocés! Infelizmente, h € at devo a resriges de eapag, eu st pe apresentr uns pou exemplas. Mas ome! \N\ - Stata sateen nemo YY (A ‘\ ‘movimento... Yoo8 86 vai estar congelando-0s em algum ponto especitico onde esto aconrecanco tantas ccisas quanto vooé tver energie (e temp) pre desenhar! yp) Os wragos fluidos de Mike Wieringo flzeram maravihas em publicapSes como Quatteto Fantastico, da Marvel, Flash, da DC, @ a série Tolles, criada por ele mesmo. FEM arrenpenvo a pesennan SAE ceecermsecuwesoni CAPITULO QUATRO: PARTE 5 CENAS DE ACAO....... ma das maiotes caracteristicas que definem os | mais impacto do que ela jamais poderia ter. Jquadrinhos de herdis éa aco. Afinal,ninguém Agora, existem varias formas para se conseguir © gosta de uma cena de luta entadiante. EntZo, maximo de apo no sou trabalho, mas, dado o espago ‘como artistas, nosso trabalho ¢ criar essas dindmicas | que eu tenho aqui, resumi tudo alguns pontos impor- fompolgentes. $6 que no é tio facil como parece, ja | tantes que podem ajudar a trazer mais impacto para {ue estamos constantemente divididos entre manter_| 0 seu desenho. Assim sendo, pegue um lapis, va para ‘uma sensagio de realism e fazer uma cona maior ecom | a prancheta e vamos trabalhar! ARCOS DE HISTORIA Cala figura passa uma mensagem e traz eonsigo uma sensago de vida e movimento. Enquanto precisa ‘mos tar em mente 2 anatomia adequada, se perdermos o fluxo ou arco goral de movimento de uma figura 1n6s porderomos muito de seu impacto o forga. ‘Muito artistas pensam no corpo come partes conectadas. Alé ai tudo bem, s6 que, 20 fazerisso, nds algumas vezes esquecemos de tentar passar uma mensagem geral © poderosa na figura. Sé depole de determinar 08 _gestos da mesma nés devernos separar suas partes. Quanto mals pudermos manter do noso arco inicial, mais ‘mavimizaromos a dindmica do personagem, Voeé deve tentar criar um ou dois arcos que definam o movimento ou gesto geral da sua figura. Estabelega arcos simples fluindo através dos ombros brages, ou através dos arcos das pernas. Quanto maior 0 arco, mals energia a figura vai ter. Perceba como a Figura A tam mais impacto nos passos do que a Figura B. Repare que quanto mais simplificamos noseo desonhos, mais oles parecom arcos bem simples. \ Ren em eens Seer eer tea eee Seer ean eens ers Sy Ce ee ee ea ace a ers re re eee ee ere en almente abriu algumas portas para mim sobre como as partes © curvas do corpo hum i i 2 i i 5 i Se Men eee ae ee te (o/ forga, néo é verdade? of Lt} APRENDENDO A DESENHAR CABECA BAIXA Coisas t&o simples como abaixar a cabega da figura podem aumentar a ago drama- ticamente. D@ uma olhada nas Ce 'D, Poreaba como a caboga mais baixa na Figura D aumenta a energia no arco dos ‘ombros e cria um melhor arco de agéo através dos ombras até 0 outro punho. As ‘duas imagens so virtualmente idénticas, ‘excoto pola cabera, Repare como uma ‘coisa t€o simples quanto um leve movi- mento pode fazer tanta diferenga, artista George Bridgman falou sobre 0 corpo huma- ‘no como senda uma série de massas conectadas, Ele entendia 0 torso e a pélvis come unidades ligadas, ‘que rotacionavam em relagdo uma com a outra quase ‘como se fossem partes rosqueadas, Ao mover estas ‘massas 0 mais longs possivel uma da outra sem fazer ‘0 corpo parecer alongado demais, nés podemos criar figuras bem dindmicas. Assim como abrir sua postura ‘te dé mais forga, mover a massa central do torso 0 mais longe possivel da massa central da pélvis gera, ‘mais forga na figura. Agora aplique o mesmo principio ‘a0 posicionamento das maos em relago ao torso e dos pés em relagao a pélvis. ‘Nestas duas figuras, eu nomeei os centros de massa dos torsos (x), das pélvis (y) e das mos (2). Perceba a posigorelatva das mas em relago ans pontos xe ynas cduas figuras diferentes, e voo8 vai comecar a ver a forga ‘que consegue criar distanciando 0s centros de massa. FIGURAS EM AGAO CENAS DE ACAO El senztcencosceceman CAINDO eM CIMA Nestas figuras, voc® veré como mover 0 2 em relagio ao x ey de uma perspectiva descendente acentua ainda mais a sensagio de movimento e direglo que nés |queremos criar no desenho. Mais uma vez, 0 principio de soparar os diferontos centros de massa do corpo ajuda a criar uma sen- ‘sagao ainda mais dinamica para o seu trabalho final. Repare como tudo o que ja falamos entra em ago nesta cena do Ciclope. Veja também como deixar uma das pornas do mutante esticada para tras fenquanto @ outra s@ curva dé a ole mais volocidads © forga. Ciclope paroc muito mais do que estaria se seus bragos ¢ pemas estivessem mais préximos do corpo. eS BRACO DE FERRO [Nos podemos dar um pouco mais do vide as nossa figuras brineando com pequenos dotalhes ~ no caso, 0 ulso e as juntas do tornozelo, Volte e olhe para 0 tornozelo da frente nas figuras da ‘pagina 99. Na segunda, o tornazelo tem um Angulo muito ‘mais agudo que o primeiro, A energia naquela junta, cria~ ‘da pola agudeza no angulo do tornozelo, ajuda a dar mais ‘energia & figura toda de uma forma sul, mas poderosa. ‘Agora compare ¢ contraste ostas duas figuras. Na da ireita, nés vemos como simplesmente torcer 0 pulco para babwo cria mals drama e vida na pose final. FORCA BRUTA CConforme tentames maximizar 03 nossos esfor- 08 para dar o méximo de vida possivel aos ‘nosecs desenhos, devemos tor em mento a ‘uma do nossas ferramontas mais poderocas © escorpo, que aciciona profunddade impac- to. Criar a ilusdo de profundidade nos nossos desenhos & parte crucial na criaglo de agbes ‘© movimentos nas nossas figuras. Ao forgar a orspectiva, podemos aumentar a sensacdo de profundidade © tridimonsionalidade do nosso ‘trabalho final. Comparando o contrastando ostas ‘duas figuras, nés vemos como trazer 0 punho para a frente de forma exagerada faz com quo le parega muito mais préximo de nds € empurra © resto do compo para trds. Isso ajuda a dar mais ‘idimensionalidade a cena final, abrindo mais “eepaco" para o movimento da figura. LLombre- NNGueM NUNCA PROVOU OU “A MPO TEGE a0 SABE x08 Sut Tow, OMEN. . PRECSAVA see CONVINCENTE TANS REE LS TOES LESS APRENDENDO A DESENHAR ‘Senti que Tor precisava tor a apardncia tual, mas ser diferente ao mesmo temp Pris existéncia depondaria de eua én das proporeBes anatémicas eneuoe SEUS Negros casos sence NG. PARA PHOTEGER 0 peScoCO 2 AS CosTAS. SEU cAaBs. CURTO NA FRENTE, DARA Tor, para mim, no ¢ apenas um desenho. £ alguém que conhego, que quero que “real. Se voc deseja sabor mais sobre a histria eo iment atras, procure 08 trés volumes do Tor publicades pela DC Comi os RIE SEU MUNDO vas Fecunas eoTxo gone, MAS 6 PRED, Que Als PARECE UMA CANA Oe PAPELAO, ay DesTRUU COMPLETAWENTE A z LUGKO. Now DeeNMisTAS Daves, a ae i NCIAS ANTES DE COMECAR A DESENHAR! |. Arrume 0 méximo de figuras que puder dos objetos que pretende deserihar, visto pelos mals varkados angulos possivels. 2. Vé compro a biblioteca locale livrarias do bairo, Estes lugares possuem uma riqueza de InformagSes para todo artista, e desenhista. . 8. Entre na Internet e em minutos vocé poder encontrar imagens de todos os temas imaginaveis. 4. Construa seus prépries modelos. Assim vocd terd um exemplo tridimensional permanente do seu objeto de todos os &ngulos. 5. Videos mostrando animais, lugares e coisas. 6. Visit os museus locals © no se etquopa do lvar sou cadorno de eshogas. Desenhe tudo o que chame sua atengio. Vood ‘unca sabe quando pode acabar usando eesee esbogos come objetos numa histéra em quachinhos que ik deserinar. (w) Joe Kubert, uma lenda dos quadrinhos, & fundador da Joe Kubort Schoo! of Cartooning and Graphic Art. Vocé pode conhecer 0 trabalho dele na graphic novel Sgt. Rock: Between Holl and a Hard Place, publicada pele DC. CAPITULO CINCO: PARTE 2. REFERENCIA FOTOGRAFICA. by once aNo 14, todo mundo, aqui ¢ Greg Land. Desta voz, | sspocticn, ¢ pesauisar lacomotivas em livros seria a Jotépieo serd ouso de referércias. Umartista | melhor meneira de garantr o realism da imagem. A usa referdncias para coneoguir uma forte i lista de artistas que usam referéncias é longa, mas sualizagio do(s) objeto(6) a ser(em) ustrado(e). D- alguns que ou adeno 0 Alphonee Mucha, lvi Ja- amos que ahistéria paca um tipo especitico de loco- mes Sema, Joe Jusko oo grande lustrador americano Ti ‘motiva antiga. Ando ser que o artista seja um fandtico | Norman Rockwell. Agora vamos em frente para dar ea oz rl ou ios cam 6 oe ojo | ua hada spe roo gu wpebae ALGUMAS QUESTOES 0 que é exatamente uma roferénola? Fotos, arranjos de natureza ‘morta, a pose de um amigo, animais de estimago, carros, a casa do ‘outro lado da rua ~ virtualmente qualquer coisa. A referéncia ajuda 4 dar ao desenho uma sensagio de preciso. Um exemplo 6 a forma ‘como as roupas se dobram av longo do corpo de uma pessoa, As referéneias devem ser usadas tanto quanto forem necessarlas bara que o desenhista alcance a llustraco desejada, e podem vir de livros, revista, jornais, fotos de artistas, do ambiente, e de \ ‘quase qualquer lugar. FAGCA UMA POSE Este exemplo mostra a heroina Arwyn, da série Sojourn, numa pose relaxada (Figura A). Eu encontrei uma modelo interessante (Rebecca Romjin!) om ume revista de biquinis ¢ usei sua postura bbasiea (os bragos cruzados o a love rota do torso) como meu onto da partida. Em soguida, adicienei o rosto da Arwyn, seus eabelos @ uniforme. Neste exemplo, ou ostava procurando uma pose, no roupas, pontoado ou oxpresetio facial. CLOSES aS Eu pego fotos do meu arquivo de referéncias (organizado com pastas do fotos recortadas de revistase jommals), ou tira fotos dos meus amigos ou de mim mesmo para usar 9m oxprossbes faciais. Estes exemplos mostram como usei aexpressio bisica de uma foro emudel os cabo- los roupas para fazer o desenho apropriada do personagem. Gareth, de Sojourn (Figura 8), foi beseado no modelo de um andincio de roupas. A joven garota com uma expresso apavorada & mina sobrinha Brianna, Neste exemplo, a personagem (Figura ©) se _-—~ parece muito com a foto & esquerde. Na outra ponta do espectro esta o dese ‘nho do trol (Figura D). Olhando para as expressies faciais exagerades do ‘modelo (tudo bem, sou eu), fui canaz de desenhar os trages para com por 0 porsonogem. Eu gosto de ver 0s trolls como atores cobertos de. ‘maquiagem hollywaodiana. Finalmente, desenhoi a linda Noven (Figura) inspraanesta modo retrada de uma ocgao da revista Sports Mlustrared. CRIE SEU MUNDO 115 REFERENCIA FOTOGRAFICA MEXENDO © CORPO Estos exemplos mostram figures interas. A primeira ¢ uma pase \deagao da Ary atirando uma flecha (Figura F). Minha referén- ia para ola fol uma mulher disparando duas armas, O segundo dosenho é uma mutheralada (Figura G). Provavelmente no vou achar isso em nenhum lvro de referéncias, mas a graciasidade ‘encontrada em muitas atletas pode ajudar. Nocaso, uma patina- dora aludou com’ a pose para ¢ mulher voadora. Construias asas chando para vérias fotos de passaros (repare nos tons diferen- 4" tes dados as asas, usando como base uma guia) Varies vezes: 14 pedi para minha mulher ou amigos encenarem movimentos para os personagens. Eu gosto de usar uma camera Polaroid para tirar uma foto rapida da cena, 0 que é extremamento: il na composigo de quadros, j4 que posso mover 0(8) ‘madelo(s) para conseguir varios angulos ~ visto por cima, ‘por beixo, clases, planos médias e planos distantes. Tudo isso. ajuda a deixar a narrativa mais interessante, VIVA A NATUREZA Os ambientes ~ cidades, cenas aquaticas, castelos, casas, bosques ou qualquer outro lugar que @ histéria possa nos evar - sao lugares onde os personagens interagem. O ‘exemplo que desenhei aqui é uma clareira que leva a um bosque (Figura G). Usar fotos de uma revista de paisagis~ ‘mo ajuda a mostrar os diferentes formatos que as arvores ‘assumem. Adicionando luz e reas de sombra, obtemos um bosque bem convincante. 05 objetos ajudam & completar ‘09 cenarios © a deixar a hstéria mais convincente. O exemplo que desonhei aqui é um carro custo- mizado (Ficura 1). Muitas vozes, nag histérias em quadrinnos, of carros so desenhados incorre- tamente. Um pouce de esforgo extra para posauisar referéncias fom revistas de carros ou foros do veiculos pessoais pode fazer toda a diferenga ~ meu modolo fol tcado de uma revista. eave OM ESTA E UMA MONTAGEM com algumas das personagens de Sojourn. Utilizando os desenhos anteriores eu criel esta llustra- {80 de pinup. Usei cabecas, corpos, objeros e ambientes junto com alguns outros elementos para integrar a peca toda. Espero que isso ajude a mostrar 0 qua importante as roferéncias podem ser para o seu desenho. Divirta-se com elas. Recorte fevistas, guarde catélogos (eu guardo os catalogos da minha mulher depois que ela jé usou) e colecione andincios de jornal. Peca para seus amigos e parentes posarem para voce ~ Isso pode ser bem divertido. So alguma coisa em um livro te interessar. ‘mas voc’ nfo tiver onde usar no memento, faga uma cépia e guarde. Fatalmente, vacé vai encontrar alguma utiidade para aquilo, Boa sorte e continue desenhando! A arte cheia de detalhes e referéncias de Greg Land abrilhantou as paginas de Sojown; da Editora CrossGen, e da minissérie X-Mon: A Cangao Derradeira da Fenix, da Marvel. Ut] APRENDENDO A DESENHAR