Você está na página 1de 4
Conversas com Woody Allen Eric Lax Cosac Naify 2007 488 p. € Vocé me disse que nao tem ideias a partir de sonhos, mas 0s seus sonhos influenciam o que vocé escreve? Sonhos no, mas alguma coisa no meu subconsciente, Quando eu estava trabalhando em dois filmes ao mesmo tempo, estava muito dificil. Eu tinha decidido fazer Zelige Sonhos erdticos de uma noite de verdo smultaneamente, O plano era filmar uma cena de Zelige, se a locas&o fosse boa, filmarmos lé uma cena para o outro filme, E quase fizemos assim, Algumas coisas, com certeza, se sobrepuseram na refilmagem. Mas emocionalmente eu estava achando dificilimo, Nao era dificil fisicamente, Nem um pouco. Era dificflimo porque vocé se dé conta de todo o seu cee, a sua esséncia, esté envolvido numa ideia, que nio te deixa seguir. E muito dificil largar disso e ir para a outra ideia porque hé uma enorme obsessio com a primeira, Na época o Marshall Brickman me disse que sempre sentiu que quando a gente esté trabalhando em alguma coisa, trabalha nela até mesmo sem stber — esté trabalhando naquilo mesmo quando pensa que se afastou. Esta sempre em ebuligdo; descobri que a observasio dele era precisa, Se fico sentado em algum lugar por dez minutos, desocupado, a minha cabesa simplesmente liga naquilo. Nao dé para evitar. Volto para casa e estou pensando na coisa, E quando esté comendo, ou na rua, ou dormindo assim que funciona, Tento pensar até quando estou na cama, para dormir. Nao gosto de deixar nenhum tempo sem uso. Quando vou a pé para algum lugar de manhi, ainda planejo sobre o que vou pensar, que problema vou examinar. Posso dizer: agora de manhi vou pensar nos letreiros, Quando entro no chuveiro de manhé, tento user esse tempo. Passo muito tempo pensando, pois é 0 tinico jeito de atacar esses problemas de texto Fale mais do chuveiro como um bom lugar de trabalho. ‘Ao longo dos anos, descobri que qualquer mudanca momenténes estimula um fluxo novo de energia mental. Entifo, se estou nesta sala e vou para outra sala, isso me ajuda, Se saio na rus, As vezes eu tomo uma grande ajuda, Se subo e tomo um banho, é uma grande ajuda, Eni banhos extras, Estou aqui embaixo [1a sala de estar], num impasse, e 0 que me ajuda é subir € tomar uma ducha, Quebra o ritmo e me relaxa Quando o chuveiro € bom, principalmente no frio. Parece tio bobo, mas estou trabalhando vestido e sinto vontade de entrar no chuveiro para um retiro criativo. Entio tire ‘uma parte da roupa, preparo um muffin inglés ou coisa parecida e tento dar uma esquenteda antes de entrar no chuveiro. Af fico 1é com égua pelando @ correr pelo corpo durante meia hhora, quarenta e cinco minutos, sé pensando em ideias e trabalhando na trama, Ai eu saici, ‘me enxugo, me visto e caio na cama, fico lé, pensando. Além disso, sair para dar uma volta também ajuda. Eu costumava fazer isso mais vezes antes de ser conhecido, Lembro que Abe Burrows [dramaturgo, autor de Garotos e garotas] me disse que o Robert Sherwood [Floresta petrificada] safa andando em Nova York, escrevendo as pegas dele na cabeca ¢ falando em vor alta enquanto andava pela rua, Eu adorava fazer isso, Mas nfo fago mais muitas vezes, porque sou reconhecido ¢ isso interrompe a minha concentracfo. E incémodo, e chega a0 ponto de alguém te dizer: “Ah, posso andar este quarteirfo com vocé? Preciso te dizer uma coisa’, Isso me aconteceu uma porgao de vezes. Ndo consigo me concentrar. Fico intimidado. © Bobby Greenhut me contou que uma vez, quando ele estava trabalhando no filme de alguém e estavam preparando uma tomada perto do prédio do seu apartamento, ele olhou para cima e Id estava vocé, andando de um lado para outro. Eu saio muito para esse terrago. Uma das melhores coisas deste apartamento é que tem um terrago comprido [sao dezenas de metros de espace], e jé andei por ele milhdes de vezes escrevendo filmes. Ajuda muito mudar de atmosfera. E uma coise libertadora para mim. Depois de andar vocé escreve o que pensou? [Nao preciso escrever depois que pensei, © esboso de um filme meu raramente ocupa mais de ‘uma tinica pagina. Em geral perco o interesse no meio da redago do esbogo. Escrevo, sabe “Alvy encontra Annie, Cena romintica, Flashback para quando se conheceram”, Escrevo ito ou nove dessas, e quando chego ns oitava ou nona, perco o interesse, porque jé sei a jo bem que nfo preciso mais fazer aquilo. histéria Vocé sempre usou esses estimulos para a criati tempo? ‘Aprendi observando. Se eu dava uma saida e fazia uma pausa de cinco minutos para comprar ide ou foi desenvolvendo ao longo do 6 jornal ou comer ums torta de ameixa ou coisa parecida, quando voltava da rua estava tio cheio de vigor renovado que pensava: Ah, vou ficar na rua, nfo vou comprar o jornal ¢ voltar direto para o apartamento. Vou dar uma boa volta pelo Central Park ou pela cidade A mesma coisa no chuveiro, Eu focava lé duas horas sentado e nada acontecia, entio resolvia tomar um banho porque precisava ir até a cidade, Pensava: Vou fazer uma pause € volto depois. Ai, no chuveiro, de repente encontrava um desbloqueio de energia — essa expressio é terrivel, mas nfo sei qual outra usar. Entfo acontecia por acaso. Agora, faco de propésito, Como vocé mantém o foco quando a escrita ou 0 pensamento esto devagar? Comigo e com a maioria dos escritores que eu conheco, é quando a gente comeca a ver se est na hora de apontar os lépis. ‘Uma coisa que pode ter sido titil para mim ao longo dos anos foi que eu tive de virar escritor, em certo sentido, nas condigdes mais brutais, Quem me ensinou isso foi o Danny Simon. [Danny Simon era 0 irmao mais velho de Neil Simon. Woody fez dupla com ele na NBC, nos anos 50. "0 Danny me tirou da fantsia para a realidade, De repente, eu estava numa situarao em que tinka que produzir um ou dais esquetes toda semana, Tinha de aparecer de manha e escrever os esquetes Ganhévamos um monte de dinhelro e 0 material precisava ser entregue’, contou Woody numa de nossas primeiras conversas, ‘tudo 0 que aprendi sobre escrever comédia, aprendi com ele.”] Entio logo descobri que a escrita nfo vem fécil, é um trabalho que dé agonia, muito duro, e que vocé precisa fazer um grande esforso. Muitos anos depois, li que o Tolstéi disse: “Vocé precisa molhar sua pena em sangue’ Eu levantava cedinho, trabalhava, ficava em cima, escrevia, reescrevia, repensava, rasgava o material e recomegava. Acabei com uma atitude tdo dura — nunca esperava a inspiracGo; sempre tinha de pegar e fazer. Precisa forgar. Entfo eu sempre conseguia escrever ¢ reescrever, pois me forgava a isso. Descobri um milhdo de truques a0 longo dos anos para me ajudar nesse momento desagradével. Uma vez vocé falou que o Paddy Chayefsky disse que um escritor entre projetos tem vontade de se matar. E 0 seu caso? Quando a gente enfim pense: esta é a ideia & qual vou me prender, é um prazer imenso. Entfo vem um momento em que voeé esté estruturando a ideia, e aquilo pode ser dificil ow nfo, Mas quando vocé realmente senta para escrever, af é como sentar para comer a refeisio que vocé passou o dia inteiro preparando. Conte alguns dos milhées de pequenos truques que vocé descobr Sempre me ocupar com alguma coisa pra pensar sobre o projeto em todo momento livre: quando entro no chuveiro de manha; quando vou dormir & noite; quanto estou esperando um élevador. Alguém me contou anos atrés sobre um langador de um grande time que sempre quis ser langador de beisebol. © pai disse para ele, que foi criado em uma fazenda: “Sempre que estiver parado, pega uma pedra e tenta acertar uma folha de grama, tenta acertar um raminho. Aproveita cada momento.” E isso faz muito sentido para mim. Entio, sempre tentei fazer isso, Sempre tenho um problema em que pensar. ‘Além disso, sempre tentei estar muito, muito alerta para todas as armadilhas que afastam, 1 gente de escrever, para no cair nelas. Tanta coisa acaba servindo de desculpa para néo fazer aquela tarefa desagradavel de levantar de manhi ¢ passer o dia inteiro sozinho, pensando, sem bons resultados, ¢ ir dormir sem ter resolvido o problema. £ um negécio tio desagradavel, essa parte da coisa (Outra coisa que me ajuda muito é me ouvir formular o problema em voz alta, porque de repente isso tira o problema do reino da fantasia da minha cabeca e ele fica concreto, Chamo 12 Mia ¢ digo: "Quero falar com vocé sobre uns problemas’. Agora, sfo problemas que ela no teria como resolver, porque como é que ela vai dizer: “Olha, trabelha neste aqui’, ou “trabalha naquele’? Ela nfo faz a menor ideia do que eu andei pensando nos tiltimos dias. ‘Mas saio para passear na rua, converso com ela, ¢ sé me ouvir falar jé ajuda muito, E preciso estar alerta também para aquela pequena armadilha sartriana de apresentar 0 problema para alguém e jé ter resolvido na cabega o que vocé quer fazer, sé na tentativa de fazer a pessoa concordar com vocé. Voeé apresenta o problema de ter forma que & pessoa concorda, embora vocé tenha aparentemente apresentado os dois Iados da questo de maneira bem objetiva. E traigociro. E onde noventa por cento de tudo fracassa no texto, Em _geral nfo fracassa na atuagio e nfo fracassa na diregdo. Fracassa no texto Eu conversava com 0 Gordie [0 diretor de fotografia Godon Willis] o tempo todo. Se a gente tem um bom roteiro e filma de um jeito burro, mal iluminado, mal fotografado, ainda pode conseguir um filme bem-sucedido, Isso se comprova milhdes de vezes. Vocé vé filmes que sfo feitos na miséria, desde cineastas amadores até [Lu/s] Buffuel, em que o texto € to bom que o filme funciona, mesmo que as coisas néo facam sentido, Jé se vocé tem um material ruim, se 0 texto néo é bom, nfo importa como filmar, na maior parte das vezes, independentemente do estilo que voeé imprima ao filme, néo funciona. Hé momentos no set em que vocé fica sentado, parado, olhando para o chao. Nesses momentos também esté resolvendo problemas? Em geral estou arejando a cabeca nesses momentos. Existem certas coisas que me renovam. Uma delas ligar a televisio quando estou em casa em alguma canal de esporte ¢ ver dois tempos de um jogo de beisebol ou de basquete. Esse tipo de coisa necessério para mim, De verdade, me relaxa tremendamente a cabesa, E no set também, preciso de um tempo de relaxamento, Mas se demora mais do que dez ou quinze minutos, tento voltar para o trabalho porque tenho coisas para fazer — atender o telefone ou lidar com outras coisas que aparecerem. Isso também precisa ser feito. 1150120