Você está na página 1de 4
PLANO DE AULA DATA DA AULA: 10 de fevereiro de 2015 CANDIDATA: Thaís Munholi Raccioni

PLANO DE AULA

DATA DA AULA: 10 de fevereiro de 2015

CANDIDATA: Thaís Munholi Raccioni

ÁREA DE CONHECIMENTO: Saúde Pública

TEMA DA AULA: Políticas do Humaniza-SUS e a formação do terapeuta ocupacional para as práticas de atenção e gestão em Saúde Pública.

 

OBJETIVOS

GERAL:

Pensar a atuação profissional nos diferentes níveis de atenção à saúde em consonância com os princípios e diretrizes da Política Nacional de Humanização

ESPECÍFICOS:

1.

Proporcionar conhecimento histórico acerca da Política Nacional de Humanização (PNH)

2.

Apresentar e discutir, de forma abrangente e inicial, os princípios, as diretrizes e os dispositivos da PNH

3. Proporcionar conhecimentos e reflexões acerca das possibilidades de atuação da Terapia

 

Ocupacional sob a ótica da PNH

4. Provocar reflexões referente às possibilidades de recursos e estratégias para promover ações de humanização

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ASPECTOS TEÓRICOS

1- Conceituação

2-

Conceito de humanização

Aspectos gerais da Política Nacional de Humanização

Origem e definições

Caracterização

da

Política

Nacional

de

Humanização:

Princípios,

estratégias,

 

dispositivos

 

3- A formação do Terapeuta Ocupacional sob o enfoque da humanização

 

Aspectos do processo de formação do Terapeuta Ocupacional correlacionados ao conceito de Humanização

A prática do Terapeuta Ocupacional na perspectiva do HumanizaSUS

 

4

- Proposta de atividade em grupo

 
 

METODOLOGIA DE ENSINO

 

Aula expositiva e dialogada apoiada

 

Utilização de projeção multimídia para apresentação do material de aula e dos exemplos

 

Atividade em grupo

 
 

ASPECTOS E PROCESSO AVALIATIVO

 

Compreensão

o

conceito

de

humanização

e

dos

aspectos

da

Política

Nacional

de

Humanização

Relacionar aspectos teóricos a atuação profissional

 

Participação e posicionamento crítico diante das discussões concernentes à aula ministrada.

Auto avaliação e avaliação grupal

 

ESTRATÉGIAS/RECURSOS

Recursos audiovisuais (multimídia, DVD), computador, leitura de texto-base sobre o HumanizaSUS

REFERÊNCIAS

Básica

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: a clínica ampliada / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada.pdf> Acesso em: 09 fev. 2015.

GALHEIGO, S. M. Terapia ocupacional, a produção do cuidado em saúde e o lugar do hospital:

reflexões sobre a constituição de um campo de saber e prática. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 20-8, jan./abr. 2008. Disponível em:<

CAMPOS, Gastão Wagner de Sousa. Humanização na saúde: um projeto em defesa da vida? Interface: comunicação, saúde, educação, v. 9, n. 17, p. 389-406, mar./ago. 2005. Disponível em:

09 fev. 2015.

Complementar

BASSANEZI, B. S. B., & CARVALHO, M. V. B. (2008). A equipe multiprofissional no tratamento da dor e em cuidados paliativos. Em M. M. R. P. Carlo, & M. E. G. Queiroz (Orgs.), Dor e cuidados paliativos: Terapia Ocupacional e interdisciplinaridade (pp. 94-107). São Paulo: Roca. OLIVER, F. C.; ALMEIDA, M. C. Reabilitação baseada na comunidade. In: CAVALCANTI, A.; GALVÃO, C. Terapia ocupacional fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. p. 125-132.

BENEVIDES, Regina e PASSOS, Eduardo. Humanização na saúde: um novo modismo?. Interface Comunicação, Saúde, Educação, vol.9, n.17, pp. 389-394, 2005. Disponível em:

09 fev. 2015.

BOFF, L. O cuidado essencial: princípio de um novo ethos. Inclusão Social, Brasília, v. 1, n. 1, p. 28-35, out.mar. 2005. Disponível em:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Redes de produção de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Brasília : Ministério da Saúde, 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/redes_producao_saude.pdf Acesso em: 09 fev. 2015.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: a clínica ampliada / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada.pdf> Acesso em: 09 fev. 2015.

BRASIL/Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. A Educação Permanente Entra na Roda: pólos de educação permanente em saúde conceitos e caminhos a percorrer. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. Disponível em:

09 fev. 2015.

CASTRO, Eliane Dias de et al. Formação em Terapia Ocupacional na Interface das Artes e da Saúde: a experiência do PACTO. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, Dez 2009, vol.20, no.3, p.149- 156. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rto/article/view/14070> Acesso em 09 fev. 2015.

DE CARLO, M.M.R.P. et al. Planejamento e gerenciamento de serviços como conteúdos da formação profissional em Terapia Ocupacional: reflexões com base na percepção dos estudantes. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.13, n.29, p.445-453, 2009. Disponível em:

HECKERT ALC, Neves CAB. Modos de formar e modos de intervir: quando a formação se faz potência de produção de coletivo. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Cadernos HumanizaSUS, v. 1: formação e intervenção. Brasília, DF: MS; 2010. p. 13-28. Disponível em:

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

MOTA, Roberta Araújo; Martins, Cileide Guedes de Melo, Véras, Renata Meira. Papel dos profissionais de saúde na política de humanização hospitalar. Psicologia em Estudo, Ago 2006, vol.11, nº.2, p.323-330. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pe/v11n2/v11n2a10.pdf> Acesso em: 09 fev. 2015.

RAMOS, M. Integralidade na atenção e na formação dos sujeitos: desafio para a educação profissional em saúde. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R.A.de (orgs). Construção social da demanda:

direito à saúde, trabalho em equipe, participação e espaços públicos. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ:

ABRASCO, 2005, p. 207-221.

SIMOES, Ana Lúcia de Assis et al. Humanização na saúde: enfoque na atenção primária. Texto contexto - enferm., Florianópolis , v. 16, n. 3, Sept. 2007 . Disponível em:

07072007000300009&lng=en&nrm=iso>. Accesso 09 fev .2015.

SIMOES,et al.Humanização na saúde: enfoque na atenção primária. Texto contexto - enferm. [online]. 2007, vol.16, n.3, pp. 439-444. Disponível em:

TEIXEIRA, R. R. Humanização e atenção primária à saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v.10, n.3, p.585-97, 2005. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/csc/v10n3/a16v10n3.pdf> Acesso em:

09 fev. 2015.

TEIXEIRA, Ricardo Rodrigues. Humanização e Atenção Primária à Saúde. Ciência, saúde coletiva,

em:

v.

81232005000300016&lng=en&nrm=iso>.Accesso 09 fev. 2015.

Rio

de

Janeiro

10,

n.

3,

Sept.

2005

Disponível

,

.