Você está na página 1de 18

01 Q249556 Direito do Trabalho   Alterações do contrato de emprego,  Relação de trabalho e de emprego,  Das relações laborais  (+

assunto)

Ano: 2012 Banca: ESAF Órgão: PGFN Prova: Procurador da Fazenda Nacional

Marque a opção que não está de acordo com as orientações jurisprudenciais e súmulas do Tribunal Superior do Trabalho.

 a) Diante da inexistência de previsão legal específica, o contrato de empreitada de construção civil entre o
dono da obra e o empreiteiro não enseja responsabilidade solidária ou subsidiária nas obrigações
trabalhistas contraídas pelo empreiteiro, salvo sendo o dono da obra uma empresa construtora ou
incorporadora.

 b) Não são convalidados os efeitos do contrato de trabalho que, considerado nulo por ausência de concurso
público, quando celebrado originalmente com ente da Administração Pública Indireta, continua a existir
após ulterior privatização do ente. 

 c) Preenchidos os requisitos do art. 3o da CLT, é legítimo o reconhecimento de relação de emprego entre
policial militar e empresa privada, independentemente do eventual cabimento de penalidade disciplinar
prevista no Estatuto do Policial Militar. 

 d) A responsabilidade subsidiária dos entes da Administração Pública direta e indireta em contratos de
prestação de serviços não decorre de mero inadimplemento das obrigações trabalhistas assumidas pela
empresa regularmente contratada. 

 e) Percebida a gratificação de função por dez ou mais anos pelo empregado, se o empregador, sem justo
motivo, revertê­lo a seu cargo efetivo, não poderá retirar­lhe a gratificação, tendo em vista o princípio da
estabilidade financeira. 

Responder Aulas (10)    Comentários do professor    

6 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

02 Q29865 Direito do Trabalho   Relação de trabalho e de emprego,  Das relações laborais,  Interrupção e suspensão do contrato de


trabalho  (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Resolvi certo

Assinale a opção correta.

 a) Constituem requisitos para a caracterização da relação de emprego a pessoalidade e a exclusividade na
prestação dos serviços.

 b) O afastamento do empregado nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame
vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior ou quando tiver que comparecer em juízo
gera a interrupção do contrato de trabalho.

 c) A partir do afastamento do serviço para tratamento de saúde, em face de doença ou de acidente,
independentemente de guardar relação de causalidade com os serviços prestados, o empregado tem o
respectivo contrato de trabalho suspenso.

 d) A subordinação que defi ne e caracteriza a existência da relação de emprego é a econômica, fundada no
reconhecimento jurídico­institucional da hipossufi ciência material do trabalhador.

 e) A suspensão do empregado por prazo superior a 30 dias consecutivos, fundamentada em punição
disciplinar, não prejudica a fluência do contrato de trabalho.

Responder Aulas (4)    Comentários do professor    

3 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

03 Q29866 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Relação de trabalho e de emprego,  Das relações


laborais  (+ assunto)
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção correta.

 a) É equiparada ao empregador rural, a pessoa física ou jurídica que, de forma habitual, em caráter profi
ssional, e por conta de terceiros, execute serviços de natureza agrária, mediante utilização do trabalho de
outrem.

 b) A legislação trabalhista estabelece expressamente a possibilidade de distinções relativas à espécie de
emprego e à condição de trabalhador e entre o trabalho intelectual, técnico e manual.

 c) De acordo com a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, é ilícito o desconto salarial do
trabalhador frentista, referente à devolução de cheques sem fundos, ainda quando deixa de observar as
recomendações previstas em instrumento coletivo, tendo em vista que o desconto descaracterizaria a
alteridade própria da fi gura do empregador.

 d) De acordo com a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, a prestação de serviços a mais de uma
empresa do mesmo grupo econômico, durante a mesma jornada de trabalho, caracteriza a coexistência de
mais de um contrato de trabalho.

 e) Não se equipara ao empregador rural a pessoa física ou jurídica, proprietária ou não, que explore atividade
industrial em estabelecimento agrário não compreendido na Consolidação das Leis do Trabalho.

Responder Aulas (11)    Comentários do professor    

7 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

04 Q29867 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Trabalho


extraordinário (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Marque a opção correta.

 a) Acaso o trabalhador, durante a semana, não observe os requisitos da frequência, faltando injustifi
cadamente ao serviço, e da pontualidade, por iniciar ou terminar o expediente fora do horário estabelecido,
perderá o direito ao descanso semanal e à sua respectiva remuneração.

 b) Na hipótese de empregados com jornada de seis horas, em razão de cumprirem turnos ininterruptos de
revezamento, iniciado o expediente às 23h e encerrado às 7h30min, o direito ao adicional noturno se
circunscreve ao período compreendido entre 22h e 5h, e, quanto às horas extras, deverão ser computadas
a partir de 5 horas.

 c) Quando o empregado exerce a função de vigilante, na condição de "folguista", não tem direito à jornada
reduzida de 6 (seis) horas, mesmo que trabalhe em vários turnos durante a semana, isso porque a
natureza do seu serviço não equivale ao conceito de turno ininterrupto de revezamento, motivo pelo qual
as horas extras só poderão ser computadas a partir da 8ª (oitava diária) e 44ª (quadragésima quarta)
semanal.

 d) O motorista de caminhão que cumpre jornada predominantemente externa não é destinatário das regras
pertinentes à limitação da jornada de trabalho, ainda que sofra rígido controle de horário pelo empregador,
porque, nesse caso, há apenas a adoção de postura discricionária por parte do contratante dos serviços.

 e) Observando a alteração legislativa promovida em 1994 (Lei n. 8.966), versando sobre os empregados que
não estão abrangidos pelas normas de limitação da jornada de trabalho (art. 62 da CLT), não mais se
considera requisito essencial à configuração do exercício de gerência a prova do encargo de gestão, com
investidura por meio de mandato legal.

Responder Aulas (6)    Comentários do professor    

11 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

05 Q29868 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Intervalos Inter e Intrajornada,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de


emprego  (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho


Assinale a opção correta.

 a) A duração normal do trabalho poderá ser acrescida de horas suplementares, em número não excedente de
duas, mediante acordo escrito ou tácito entre empregador e empregado, ou por contrato coletivo de
trabalho.

 b) Os empregados sob o regime de tempo parcial poderão prestar horas extras desde que haja prévia
autorização do Ministério do Trabalho.

 c) Os estabelecimentos com mais de dez trabalhadores terão obrigatoriamente sistema de anotação da hora
de entrada e de saída, em registro manual, mecânico ou eletrônico, devendo haver diariamente assinalação
do período de repouso, a cargo do trabalhador.

 d) Não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro
de ponto não excedentes de cinco minutos, observado o limite máximo de dez minutos diários.

 e) De acordo com a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, a concessão do intervalo para repouso e
alimentação, dentro de cada turno, ou o intervalo para descanso semanal, descaracteriza o sistema de
turnos ininterruptos de revezamento previsto na Constituição.
06 Q29869 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Remuneração e
salário (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Certo empregado celebrou, com o respectivo empregador, acordo escrito de compensação de jornada. Entretanto, após a pactuação, o
acordo foi reiteradamente descumprido, diante da prestação habitual de horas extras, inclusive acima do limite previsto no acordo, sem que
houvesse qualquer compensação de horário. Considerando as normas relativas à jornada de trabalho, a situação hipotética descrita e a
jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, assinale a opção correta.

 a) O acordo de compensação de jornada poderia ter sido fi rmado tacitamente entre empregado e
empregador, o que não afetaria sua validade.

 b) A prestação habitual de horas extras descaracteriza o acordo de compensação de horário, tendo o
empregado direito ao pagamento como horas extraordinárias das que ultrapassarem a duração semanal
normal.

 c) É requisito de validade do acordo de compensação de jornada a previsão de que, em caso de não­
compensação das horas excedentes, o empregado terá direito a percebê­las com o adicional de no mínimo
75% (setenta e cinco por cento) do valor da hora normal de trabalho.

 d) O acordo individual de compensação de horário é inválido, exigindo a legislação pertinente a celebração via
convenção ou acordo coletivo de trabalho.

 e) Em caso de força maior para atender à realização ou conclusão de serviços inadiáveis, poderá o
empregador exigir horas extras do empregado, além do limite legal, contratual ou convencional, desde que
haja previsão nesse sentido em convenção ou acordo coletivo de trabalho.

Responder Aulas (4)   

5 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

07 Q29870 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Trabalho noturno  (+


assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção correta.

 a) A legislação considera trabalho em regime de tempo parcial aquele cuja duração não exceda a vinte horas
semanais.

 b) De acordo com a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, inexistindo instrumento coletivo fi xando
jornada diferente, o empregado horista submetido a turno ininterrupto de revezamento tem jus ao
pagamento apenas do adicional das horas extraordinárias trabalhadas além da 6ª diária.

 c) O adicional noturno, inclusive quando pago com habitualidade, detém natureza indenizatória, tendo em
vista que tem por objetivo compensar o desgaste do trabalhador que se ativa em horário biologicamente
destinado a descanso.

 d) O tempo despendido pelo empregado até o local de trabalho e para o seu retorno, por qualquer meio de
transporte, não será computado na jornada de trabalho, salvo quando, tratando­se de local de difícil acesso
ou não servido por transporte público, o empregador fornecer a condução. Para esse fi m, considera­se de
difícil acesso o local de trabalho quando há mera insufi ciência de transporte público.

 e) Para os empregados que trabalham por dia, semana, quinzena ou mês, a remuneração do repouso semanal
corresponderá à de um dia de serviço, computadas as horas extraordinárias habitualmente prestadas.

Responder Aulas (8)    Comentários do professor    

8 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

08 Q29871 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de


emprego,  Gratificação de natal  (+ assunto)
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção correta.

 a) Para o cálculo das férias, deve ser considerada a média dos salários fi xos apurada durante o período
aquisitivo, com integração, também, pela média duodecimal, de outras parcelas de caráter salarial
recebidas habitualmente.

 b) Pode­se considerar "salário normativo" tanto o menor parâmetro (valor) defi nido para certa categoria profi
ssional, por meio de sentença normativa ou de convenção ou de acordo coletivo de trabalho, como a
equivalência de remuneração entre o trabalhador temporário e os empregados da mesma categoria da
empresa tomadora dos serviços temporários.

 c) São características do salário o caráter alimentar e forfetário, a disponibilidade relativa, a irrenunciabilidade,
a periodicidade, a intermitência, a tendência à determinação autônoma e a pós­numeração.

 d) Tanto no cálculo das férias como da gratifi cação natalina, deve ser considerada a integração, pela média,
das gorjetas, porquanto, embora pagas por terceiros, compõem a remuneração do trabalhador.

 e) O décimo terceiro salário é direito de todo empregado, incluindo os trabalhadores domésticos e os rurícolas,
mas não é devido no caso dos safristas informalmente contratados e na hipótese de rescisão contratual por
culpa recíproca.

Responder Aulas (6)   

7 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

09 Q29872 Direito do Trabalho   Alterações do contrato de emprego,  Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS),  Efeitos e


duração do trabalho nos contratos de emprego  (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção incorreta.

 a) O trabalhador transferido, por ato unilateral do empregador, para local mais distante de sua residência, tem
direito a suplemento salarial correspondente ao acréscimo da despesa de transporte.

 b) Observado o princípio protetivo, na hipótese de coexistência de dois regulamentos da empresa, cujas
cláusulas revoguem ou alterem vantagens deferidas, o empregado poderá optar, com efeitos ex nunc, por
um deles, mas sua desistência será retratável, acaso se comprove que a escolha ocorreu sobre normas
menos favoráveis.

 c) As faltas ou ausências decorrentes de acidente do trabalho não são consideradas para os efeitos de
duração de férias, salvo se o trabalhador tiver percebido da Previdência Social prestações de acidente do
trabalho ou de auxílio doença por mais de seis meses, embora descontínuos.

 d) A remuneração percebida pelo empregado à época da propositura da ação na Justiça do Trabalho serve de
base de cálculo para as férias não concedidas no tempo oportuno.

 e) A contribuição para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) incide sobre a remuneração mensal
devida ao empregado, inclusive adicionais eventuais.

Responder Aulas (7)   

8 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

10 Q29873 Direito do Trabalho   Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Descanso no trabalho: repouso anual (férias)


e semanal
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Acerca do instituto das férias, é correto afi rmar:

 a) a depender da livre conveniência do empregador e da necessidade do trabalho, serão as férias concedidas
em dois períodos, um dos quais não poderá ser inferior a 10 (dez) dias corridos.
 b) o abono de férias concedido na forma da lei, bem como o decorrente de cláusula do contrato de trabalho,
do regulamento empresarial, de convenção ou acordo coletivo de trabalho integrarão a remuneração do
empregado, independentemente do valor e para todos os fi ns.

 c) independentemente do tempo de serviço, havendo cessação do contrato de trabalho, qualquer que seja
sua causa, será devido ao empregado a remuneração em dobro correspondente ao período de férias cujo
direito tenha adquirido.

 d) a concessão das férias suspende o contrato de trabalho, de forma que o período respectivo não é
computado como tempo de serviço.

 e) poderão ser concedidas férias coletivas a todos os empregados de uma empresa ou de determinados
estabelecimentos ou setores, e os empregados contratados há menos de 12 (doze) meses gozarão, na
oportunidade, férias proporcionais, iniciando­se, então, novo período aquisitivo.
11 Q29876 Direito do Trabalho   Interrupção e suspensão do contrato de trabalho,  Alteração, interrupção e suspensão do contrato de
emprego
Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a única opção que enseja a interrupção do contrato de trabalho.

 a) Licença­maternidade da empregada gestante.

 b) Eleição para cargo de direção sindical.

 c) Aposentadoria provisória, sendo o trabalhador considerado incapaz para trabalhar.

 d) Atendimento a encargo público, na hipótese de cumprimento de mandato político eletivo.

 e) Prisão provisória do empregado.

Responder Aulas (2)   

6 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

12 Q29881 Direito do Trabalho   Alterações do contrato de emprego,  Alteração, interrupção e suspensão do contrato de emprego,


 Súmulas e Jurisprudência do TST  (+ assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Acerca do contrato de trabalho e considerando a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, assinale a opção correta.

 a) A sucessão de empregador é hipótese de alteração objetiva do contrato de trabalho.

 b) Percebida a gratifi cação de função por dez ou mais anos pelo empregado, se o empregador, sem justo
motivo, revertê­lo ao cargo efetivo, não poderá retirar­lhe a gratifi cação, tendo em vista o princípio da
estabilidade fi nanceira.

 c) O fato de o empregado exercer cargo de confi ança, ou a existência de previsão de transferência no
contrato de trabalho, afasta seu direito à percepção do adicional correspondente em caso de alteração do
local da prestação de serviços.

 d) A supressão, pelo empregador, do serviço suplementar prestado com habitualidade, durante pelo menos
seis meses, assegura ao empregado o direito à indenização correspondente ao valor de um mês das horas
extras suprimidas para cada seis meses de prestação de serviço acima da jornada normal.

 e) A transferência do empregado para o período diurno de trabalho não implica a perda do direito ao
adicional noturno, tendo em vista o princípio da inalterabilidade contratual lesiva.

Responder Aulas (2)   

6 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

13 Q29885 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Gratificação de natal,  Remuneração e salário  (+


assunto)

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Considerando a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, assinale a opção correta.

 a) O adiantamento da gratifi cação natalina deve ser pago no mesmo mês para todos os empregados da
empresa, sob pena de desrespeito ao princípio da isonomia salarial.
 b) Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários, sendo, porém, lícito o desconto em caso
de dano causado pelo empregado, desde que esta possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de
dolo ou culpa do empregado.

 c) Impede o reconhecimento do direito à equiparação salarial a existência de quadro de pessoal organizado
em carreira, que será válido apenas quando homologado pelo Ministério do Trabalho, excluindo­se dessa
exigência as entidades da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal
e dos Municípios .

 d) O pagamento do salário deverá ser efetuado contra recibo, assinado pelo empregado, tendo força de
recibo o comprovante de depósito em conta bancária, aberta para esse fi m em nome de cada empregado,
com o consentimento deste, em estabelecimento de crédito próximo ao local de trabalho.

 e) O salário deve ser pago no lugar da contratação do trabalhador, ainda que a prestação de serviços ocorra
em outra localidade.

Responder Aulas (6)   

3 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

14 Q29886 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Complexo salarial ,  Remuneração e salário

Ano: 2010 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção correta.

 a) A hipossufi ciência econômica do empregado, que fundamenta o direito do trabalho e a relação de
emprego, torna recomendável que, em determinadas hipóteses, o empregador limite a liberdade dos
empregados de dispor do seu salário.

 b) Em relação às utilidades concedidas pelo empregador, não será considerado salário o fornecimento de
educação, compreendendo os valores relativos a matrícula, mensalidade, anuidade, livros e material
didático, salvo quando concedida em estabelecimento próprio do empregador, hipótese em que terá
natureza salarial.

 c) O pagamento do salário, qualquer que seja a modalidade do trabalho, não deve ser estipulado com
periodicidade superior à de um mês, inclusive no que diz respeito a comissões, percentagens e gratifi
cações.

 d) Considera­se gorjeta não só a importância espontaneamente dada pelo cliente ao empregado, como
também aquela que for cobrada pela empresa ao cliente, como adicional nas contas, a qualquer título, e
destinada à distribuição aos empregados.

 e) Com relação às comissões decorrentes de transações realizadas por prestações sucessivas, o término das
relações de trabalho afasta o direito do empregado à percepção das comissões e percentagens restantes.

Responder Aulas (4)   

2 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

15 Q22528 Direito do Trabalho   Extinção do contrato de emprego: modalidades,  Remuneração e salário,  Cessação do contrato de


emprego  (+ assunto)

Ano: 2009 Banca: ESAF Órgão: Receita Federal Prova: Auditor Fiscal da Receita Federal

Os seguintes atos do empregador: medida destinada à exclusão do empregado de sua atividade profi ssional, atacando, injustifi cadamente,
seu rendimento pessoal; manipulação da reputação pessoal e profi ssional do empregado, mediante rumores e ridicularização; abuso do
poder com atitudes de menosprezo e controle desmedido do desempenho do empregado:

 a) minam a autoestima e a dignidade do trabalhador, destruindo sua capacidade de resistência, levando­o a
pedir dispensa do emprego e possibilitam apenas indenização por dano patrimonial.

 b) criam uma situação vexatória de forma continuada, incutindo no empregado sentimento de incapacidade
profi ssional, dando azo tão somente ao pedido de demissão e percepção do salário.

 c) geram constrangimento na relação trabalhista por desrespeitarem o lesado em sua intimidade, honra e
nome, mas não responsabilizam civilmente o empregador, visto que não acarretam no empregado
nenhuma desestabilização emocional.

 d) constituem assédio moral suscetível de gerar apenas o direito de reclamar, judicialmente, as verbas
resultantes de resilição contratual indireta.

 e) confi guram assédio moral no trabalho, fazendo pressão para que o obreiro lesado se demita, possibilitando
que reclame, em juízo, não só as verbas oriundas de resilição contratual, mas também indenização por
dano moral e patrimonial, pois geram responsabilidade civil do empregador, visto que sua conduta trouxe
humilhação no ambiente laborativo e interferiu na vida do assediado, comprometendo sua saúde física e
mental.
16 Q2179 Direito do Trabalho   Direito do Trabalho,  Relação de trabalho e de emprego,  Das relações laborais  (+ assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

1 Acerca do contrato de trabalho, assinale a opção correta.

 a) O grupo econômico é considerado empregador único, por isso não é possível o reconhecimento da
coexistência de mais de um contrato de trabalho, mesmo em havendo ajuste em contrário, quando, na
mesma jornada, o empregado prestar serviços para mais de uma empresa dele integrante.

 b) Considerando o regime próprio a que é submetido o policial militar, mesmo que preenchidos os requisitos
legais, não é viável o reconhecimento de vínculo de emprego com empresa privada, especialmente porque
a concomitância de prestação de serviços pode dar ensejo a certa penalidade disciplinar.

 c) Independentemente da permanência dos traços concernentes à subordinação jurídica, o empregado eleito
para ocupar cargo de diretor tem o contrato de trabalho suspenso, motivo pelo qual não há cômputo do
período em questão como tempo de serviço.

 d) Desde que presentes os requisitos da pessoalidade, onerosidade, habitualidade e da subordinação jurídica,
necessário se torna o reconhecimento da existência de vínculo de emprego em relação àquele que é
nomeado para o exercício das funções de oficial de justiça "ad hoc".

 e) As anotações apostas na Carteira de Trabalho e Previdência Social pelo empregador­contratante gozam de
presunção relativa de veracidade.

Responder Aulas (7)   

6 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

17 Q2180 Direito do Trabalho   Das relações laborais,  Duração do trabalho,  Do Grupo, Da Sucessão e Da Responsabilidade dos


Empregadores  (+ assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Assinale a opção correta.

 a) A figura sucessória trabalhista faz operar a imediata e automática assunção dos contratos trabalhistas pelo
novo empregador, então, o novo titular passa a responder pelas repercussões presentes e futuras dos
contratos de trabalho transferidos, ressalvandose, porém, as passadas, cujas hipóteses tenham­se
consolidado ao tempo em que se fazia presente o antigo titular do empreendimento.

 b) Como os médicos e os engenheiros pertencem a categorias diferenciadas, têm direito à jornada reduzida,
respectivamente, de quatro e seis horas diárias.

 c) Para fins de equiparação salarial, é necessário aferir entre empregado e paradigma o exercício de idêntica
função, com o desempenho das mesmas tarefas, independentemente da igualdade na nomenclatura dos
respectivos cargos.

 d) É ônus que decorre de obrigação legal a manutenção, pelo empregador que tem mais de dez empregados
em seus quadros, de registros dos horários trabalhados, não sendo viável a pré­assinalação do intervalo.

 e) O empregado exercente de cargo de confiança está excluído das regras pertinentes ao cômputo e
pagamento de horas extras, mesmo quando submetido a rigoroso controle de horário.

Responder Aulas (6)   

10 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

18 Q2181 Direito do Trabalho   Remuneração e salário,  Horas In Itinere

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho


O tempo despendido pelo empregado até o local de trabalho e para o seu retorno:

 a) Será computado na jornada de trabalho quando o local não for servido de transporte público e o
empregador fornecer a condução.

 b) Será computado na jornada de trabalho quando o local for de difícil acesso e o empregado se deslocar por
meios próprios.

 c) Será computado na jornada de trabalho, salvo quando o empregador fornecer a condução.

 d) Será devido como hora extra in itinere.

 e) Será computado na jornada de trabalho dependendo do meio de transporte utilizado.

Responder Aulas (1)   

7 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

19 Q2183 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Súmulas e


Jurisprudência do TST  (+ assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Quanto ao turno ininterrupto de revezamento, é correto afirmar que:

 a) o turno de revezamento tem adoção restrita aos petroleiros.

 b) a adoção de turno ininterrupto de revezamento na empresa depende de negociação coletiva.

 c) o intervalo intrajornada descaracteriza o turno ininterrupto de revezamento.

 d) o intervalo para descanso semanal descaracteriza o turno ininterrupto de revezamento.

 e) mediante negociação coletiva, é válida a fixação de jornada superior a seis horas para turno ininterrupto de
revezamento.

Responder Aulas (2)   

4 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

20 Q2184 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Trabalho noturno,  Remuneração e salário  (+


assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

No que diz respeito à disciplina normativa e ao entendimento jurisprudencial sobre a remuneração, é correto afirmar:

 a) A mora salarial contumaz pode dar ensejo à rescisão indireta do contrato de trabalho, mas pode ser elidida
com o pagamento dos atrasados realizado na primeira audiência designada em processo trabalhista.

 b) O chamado salário complessivo é admissível no caso em que haja consentimento inequívoco do empregado.

 c) O salário­família tem natureza previdenciária e é devido aos trabalhadores rurais desde que haja previsão
contratual ou convencional a esse respeito.

 d) O adicional noturno integra a base de cálculo das horas extras prestadas no período noturno.

 e) O vale­refeição, fornecido para o trabalho, tem caráter salarial e integra a remuneração do trabalhador,
gerando reflexos, entre outras parcelas, em repousos semanais remunerados, horas extras, férias, aviso
prévio, FGTS e gratificação natalina.
21 Q2185 Direito do Trabalho   Duração do trabalho,  Normas de proteção e limitações à contratação do trabalhador adolescente,  Do
trabalho em condições especiais  (+ assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Quanto à jornada de trabalho, é correto afirmar que:

 a) as variações de horário no registro de ponto não excedentes de dez minutos, observado o limite máximo de
vinte minutos diários, não são computadas como jornada extraordinária.

 b) o chefe de departamento que recebe gratificação de função de 30% sobre o salário efetivo está excluído
do regime legal de duração do trabalho.

 c) para apuração da jornada de trabalho do menor somamse as horas de trabalho nos diferentes empregos
que tiver.

 d) o registro de ponto manual, mecânico ou eletrônico é obrigatório em todos os estabelecimentos.

 e) a lei não autoriza prorrogação de trabalho noturno.

Responder Aulas (3)   

5 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

22 Q2186 Direito do Trabalho   Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Descanso no trabalho: repouso anual (férias)


e semanal,  Súmulas e Jurisprudência do TST  (+ assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Relativamente às férias, é correto afirmar que:

 a) a obtenção da média de comissões que integram a remuneração do trabalhador prescinde da correção
monetária.

 b) durante o período correspondente, o empregado substituto fará jus ao salário contratual do substituído.

 c) mesmo que indenizadas, devem ser computadas para cálculo do FGTS, o qual observa todo o montante
percebido pelo empregado no mês de referência.

 d) rompido o contrato de trabalho, as vencidas devem ser remuneradas de forma indenizada, observando­se a
evolução salarial do trabalhador durante o período aquisitivo.

 e) salvo nos casos de demissão por justa causa ou pedido de demissão, são devidas de forma proporcional,
com o acréscimo do 1/3 constitucional, mesmo que o pacto não tenha perdurado por período superior a 12
meses.

Responder Aulas (2)   

8 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

23 Q2189 Direito do Trabalho   Interrupção e suspensão do contrato de trabalho,  Alteração, interrupção e suspensão do contrato de


emprego
Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Acerca das hipóteses de suspensão e interrupção do contrato de trabalho, assinale a opção correta.

 a) O afastamento previdenciário por motivo de acidente do trabalho a partir do 16º dia é considerado caso de
suspensão do contrato de trabalho, mas o afastamento, também a partir do 16º dia, por motivo de
doença, é hipótese de interrupção.
 b) A aposentadoria por invalidez suspende o contrato de trabalho pelo prazo de cinco anos, após os quais há
conversão irretratável em aposentadoria definitiva, causa então motivadora do rompimento do pacto até
então suspenso.

 c) Os depósitos de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) são devidos no caso de licença por
acidente do trabalho, mas apenas até o 15º dia.

 d) De um modo geral, nas interrupções ­ chamadas de sustações provisórias por alguns ­ fica atingida apenas
a cláusula de prestação obreira de serviços, tanto que persiste a obrigação principal do empregador,
consistente no pagamento do salário.

 e) Na suspensão do contrato de trabalho em virtude de doença, que assim se considera a partir do 16º dia de
afastamento, como há ampla sustação das recíprocas obrigações contratuais, então não há cômputo do
período para fins de contagem do período aquisitivo de férias.

Responder Aulas (2)   

12 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

24 Q2192 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Remuneração e salário

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Constitui desconto salarial ilícito:

 a) o ressarcimento de dano decorrente de dolo do empregado.

 b) o adiantamento salarial.

 c) o pagamento de empréstimo concedido por instituição financeira, previsto em contrato.

 d) o ressarcimento de dano decorrente de culpa do empregado, previsto em contrato.

 e) o uniforme de trabalho.

Responder Aulas (3)   

3 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

25 Q2193 Direito do Trabalho   Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Complexo salarial ,  Remuneração e salário

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

No que concerne ao adimplemento da remuneração devida ao empregado, assinale a opção correta.

 a) Em caso de trabalhador analfabeto deverá constar no recibo correspondente a assinatura de testemunhas
que presenciaram a prática do ato.

 b) Com o rompimento contratual cessa o direito à percepção das comissões.

 c) A abertura de conta bancária, pelo empregador, em nome do empregado, para pagamento de salário, não
depende do consentimento deste último.

 d) O pagamento de comissões, em transações realizadas por prestações sucessivas, é exigível
proporcionalmente à respectiva liquidação.

 e) Como regra geral, é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado, ressalvando­se, entre
outras exceções, a contribuição associativa de empregado não filiado.
26 Q2200 Direito do Trabalho   Direito do Trabalho,  Remuneração e salário: caracterização e distinções,  Remuneração e salário  (+
assunto)

Ano: 2006 Banca: ESAF Órgão: MTE Prova: Auditor Fiscal do Trabalho

Acerca dos princípios de proteção ao salário, assinale a única opção correta.

 a) A irredutibilidade assegura a percepção, pelo empregado, do salário real ao longo do contrato, tratando­se,
por isso, de garantia da sua substancial suficiência.

 b) A vedação constitucional de vinculação do salário mínimo alcança preceito de norma coletiva autônoma
que não poderá prever piso salarial traduzido em certo montante de salários mínimos.

 c) A redução salarial prevista por meio de negociação sindical coletiva prescinde de motivação, pelo que
independe deste ou daquele fato ou circunstância.

 d) O respeito à periodicidade máxima para pagamento do salário, que é de um mês, estende­se a outras
parcelas salariais que componham a remuneração do empregado, incluindo­se as comissões e as
gratificações.

 e) Considerando o princípio isonômico em matéria salarial, é possível a equiparação entre empregados mesmo
que o desnível tenha sido gerado por decisão judicial.

Responder Aulas (8)    Comentários do professor    

26 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

27 Q175870 Direito do Trabalho   Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Remuneração e salário,  Jornadas especiais


de trabalho  (+ assunto)

Ano: 2005 Banca: ESAF Órgão: TRT ­ 7ª Região (CE) Prova: Juiz do Trabalho

Analise as proposições abaixo e assinale a opção correta. 

I. Os trabalhadores no setor ferroviário podem ser submetidos aos regimes de sobreaviso e de prontidão. A especial diferença entre tais
regimes situa­se no grau de disponibilidade pessoal conferida ao trabalhador, sendo mais atenuada no regime de sobreaviso, quando o
empregado poderá aguardar o chamado da empresa em sua residência. Disso resulta que no regime de prontidão a escala não poderá ser
superior a 12 horas e essas serão contadas à razão de 2/3 do salário, ao passo que a escala de sobreaviso não poderá ser superior a 24
horas, que serão contadas à razão de 1/3 do salário. 

II. O tempo despendido pelo empregado até o local de trabalho e para o seu retorno, por qualquer meio de transporte, não será computado
na jornada de trabalho, salvo quando, tratando­se de local de difícil acesso ou não servido por transporte público, o empregador fornecer a
condução. Havendo, porém, transporte público regular em parte do trajeto percorrido em condução da empresa, não serão devidas horas in
itinere pelo deslocamento da residência ao trabalho e vice­versa, nos termos do entendimento jurisprudencial pacificado no Tribunal Superior
do Trabalho. 

III. A mera insuficiência de transporte público não enseja o pagamento de horas in itinere. Havendo, porém, incompatibilidade entre os
horários de início e término da jornada do empregado e os do transporte público regular, serão devidas as horas in itinere, conforme
entendimento pacificado no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. 

IV. A jurisprudência pacificada do Tribunal Superior do Trabalho considera irrelevante, para consagrar o direito à percepção das horas in
itinere, o fato de o empregador cobrar, parcialmente ou não, importância pelo transporte fornecido para local de difícil acesso ou não
servido por transporte regular. 

 a) São verdadeiras as duas primeiras proposições e falsas as duas últimas.

 b) São verdadeiras as proposições I, III e IV, sendo falsa a segunda.

 c) São falsas as duas primeiras proposições e verdadeiras as duas últimas.

 d) São falsas as três primeiras proposições e verdadeira a última.
 e) São falsas as proposições I, II e IV e verdadeira a terceira.

Responder Aulas (2)   

1 comentário estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

28 Q175871 Direito do Trabalho   Das relações laborais,  Duração do trabalho,  Intervalos Inter e Intrajornada  (+ assunto)

Ano: 2005 Banca: ESAF Órgão: TRT ­ 7ª Região (CE) Prova: Juiz do Trabalho

Analise as proposições abaixo e assinale a opção correta. 

I. A regra prevista na lei que disciplina o regime de trabalho dos empregados nas atividades de exploração, perfuração, produção e
refinação de petróleo, possibilitando a mudança do regime de revezamento para horário fixo, constitui alteração lícita, não violando o
disposto nos artigos 468, da CLT, e 7º, inciso VI, da Constituição Federal, segundo jurisprudência pacificada do Tribunal Superior do
Trabalho. 

II. Adotando os contraentes, de modo tácito, a compensação de jornada, o empregador não está obrigado a repetir o pagamento das horas
excedentes da jornada normal diária, desde que não dilatada a jornada máxima semanal, sendo devido apenas o respectivo adicional, nos
termos da jurisprudência uniformizada no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. 

III. Corolário do fenômeno da flexibilização das normas trabalhistas, tem validade diploma coletivo que estabeleça limites de horário de
trabalho, diário e semanal, superiores aos consagrados na Constituição Federal. 

IV. As variações de horário no registro de ponto que não excederem de cinco minutos, observado o limite máximo de dez minutos diários,
não são computadas como jornada extraordinária. 

V. A validade de acordo coletivo ou convenção coletiva sobre compensação de jornada de trabalho em atividade insalubre prescinde da
inspeção prévia da autoridade competente em matéria de higiene do trabalho, segundo entendimento jurisprudencial prevalente no âmbito
do Tribunal Superior do Trabalho. 

 a) Há apenas uma resposta falsa.

 b) Há apenas duas respostas falsas.

 c) Há apenas três respostas falsas.

 d) Há apenas quatro respostas falsas.

 e) Todas as respostas são falsas.

Responder Aulas (5)    Comentários do professor    

1 comentário estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

29 Q175872 Direito do Trabalho   Direito do Trabalho,  Adicionais,  Remuneração e salário  (+ assunto)

Ano: 2005 Banca: ESAF Órgão: TRT ­ 7ª Região (CE) Prova: Juiz do Trabalho

Analise as proposições abaixo, conforme sejam verdadeiras (V) ou falsas (F) e assinale a opção correta. 

( ) A Consolidação das Leis do Trabalho consagra o princípio da inalterabilidade contratual lesiva, estabelecendo que não será lícita a
alteração das condições de trabalho, ainda que por mútuo consentimento, quando dessa modificação resultar, direta ou indiretamente,
prejuízo ao trabalhador. Não compõe, todavia, o espectro da alteração contratual lesiva a determinação de retorno do trabalhador ao cargo
efetivo, deixando, assim, de ocupar função de confiança. A jurisprudência pacificada do Tribunal Superior do Trabalho, todavia, pautada no
princípio da estabilidade econômica, veda a supressão da gratificação de função percebida pelo empregado por dez ou mais anos, quando o
empregador, sem justo motivo, reverte o trabalhador ao cargo efetivo. 

( ) O princípio da inalterabilidade unilateral do contrato de trabalho sofre mitigação quando o objeto dessa modificação guarda identidade
com o local da prestação de serviços. A transferência do empregado será válida, quando se tratar de ocupante de cargo de confiança ou de
relação contratual em que a possibilidade de transferência seja condição implícita ou explícita. Não havendo, porém, demonstração da real
necessidade de trabalho, a transferência do emprego, mesmo nas duas situações mencionadas, será ilícita. 

( ) A modificação do local da prestação de serviços, que não importar necessariamente a mudança de domicílio do empregado, não se
insere na regra geral de vedação da transferência. Em tal hipótese, à luz da jurisprudência unificada do TST, não está o empregador
obrigado a suprir acréscimos de despesa do empregado com transporte, por ter sido transferido para local mais distante da sua residência. 

( ) As transferências provisórias são permitidas por lei e o empregador terá como ônus o pagamento de um adicional de 25% dos salários,
parcela que não integrará o salário, podendo ser suprimida quando cessada a transferência. 

 a) V ­ V ­ F ­ V

 b) F ­ V ­ V ­ F

 c) F ­ F ­ V ­ F

 d) F ­ F ­ F ­ V

 e) V ­ F ­ F ­ V

Responder Aulas (6)   

1 comentário estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

30 Q175874 Direito do Trabalho   Efeitos e duração do trabalho nos contratos de emprego,  Descanso no trabalho: repouso anual (férias)


e semanal
Ano: 2005 Banca: ESAF Órgão: TRT ­ 7ª Região (CE) Prova: Juiz do Trabalho

Analise as proposições abaixo e assinale a opção correta. 

I. Os trabalhadores sujeitos ao regime de tempo parcial têm assegurado o direito a férias após 12 meses de vigência do contrato de
trabalho, porém em quantidade inferior a trinta dias. Havendo faltas injustificadas ao trabalho em número superior a sete durante o período
aquisitivo, o trabalhador sujeito ao aludido regime de trabalho perderá o direito às férias. 

II. O período em que o empregado permanecer preso preventivamente não será considerado falta ao serviço para desconto dos dias de
férias, quando for ele absolvido no processo criminal. 

III. Não perderá o direito às férias o empregado que, no período aquisitivo, deixar o emprego e for readmitido quarenta e cinco dias após a
sua saída. 

IV. O tempo de trabalho anterior à apresentação do empregado para o serviço militar obrigatório será computado no período aquisitivo,
desde que ele compareça ao estabelecimento dentro de quatro meses da data em que se verificar a respectiva baixa.

 a) Todas as proposições são falsas.

 b) Somente as proposições I, II e III são falsas.

 c) Somente as proposições II e III são falsas.

 d) Somente as proposições I e IV são falsas

 e) Somente a proposição II é falsa
31 Q175875 Direito do Trabalho   Adicionais,  Medicina e segurança no trabalho,  Remuneração e salário  (+ assunto)

Ano: 2005 Banca: ESAF Órgão: TRT ­ 7ª Região (CE) Prova: Juiz do Trabalho

De acordo com a jurisprudência pacificada no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho é possível afirmar: 

I. Tem validade a fixação de adicional de periculosidade em percentual inferior ao previsto em lei e proporcional ao tempo de exposição ao
risco, quando levada a efeito em convenção ou acordo coletivo de trabalho. 

II. Faz jus ao adicional de periculosidade o empregado que, de forma habitual, expõe­se a risco, ainda que por tempo extremamente
reduzido. 

III. O empregador tem o dever de exigir a efetiva utilização dos equipamentos de proteção individual, não se eximindo do pagamento do
adicional de insalubridade com o simples fornecimento desses equipamentos. 

IV. O adicional de insalubridade devido ao empregado será calculado sobre o salário mínimo vigente ao tempo do contrato de trabalho,
mesmo quando, por força de lei, convenção coletiva ou sentença normativa, perceber o trabalhador salário profissional. 

 a) Todas as proposições estão corretas.

 b) Apenas a primeira e terceira estão corretas.

 c) Apenas a primeira e a segunda estão corretas.

 d) Apenas a segunda e quarta estão corretas.

 e) Apenas a terceira e a quarta estão corretas.

Responder Aulas (7)   

3 comentários estatísticas adicionar a um caderno fazer anotações notificar erro

32 Q40847 Direito do Trabalho   Adicionais,  Medicina e segurança no trabalho,  Remuneração e salário  (+ assunto)

Ano: 2003 Banca: ESAF Órgão: PGFN Prova: Procurador da Fazenda Nacional

Não se pode dizer, em relação aos adicionais legais, que:

 a) o adicional de periculosidade é devido mesmo se o contato com o agente de risco é intermitente.

 b) o adicional de periculosidade deve ser pago proporcionalmente ao tempo de exposição ao agente de risco.

 c) o adicional de periculosidade é devido pelo contato com inflamáveis, explosivos e em condições de risco no
setor de energia elétrica.

 d) o adicional de insalubridade tem como base de cálculo o salário mínimo.

 e) o adicional de insalubridade integra a base de cálculo das horas extras.