Você está na página 1de 1

Ego transformado

Autor: Timothy Keller


Editora: Vida Nova

Texto base I Co 3:21 a 4:7

O ego segundo o senso comum: At o sculo XX as culturas tradicionais acreditavam que uma
auto estima elevada demais era a causa dos males da sociedade: a pessoa faz o mal por se
achar acima dos outros. A crena predominante hoje na sociedade de que fazem o mal por
falta de auto estima: uma compensao pela inferioridade, sentimento de revolta ou at
mesmo vingana.

O ego humano tem quatro caractersticas:


1 - vazio: busca incessantemente por valor e nunca se satisfaz;
2 - dolorido: vive chamando ateno para si e machuca-se com facilidade;
3 - atarefado: vive se comparando com os outros em busca do prazer de ser, fazer ou ter
mais que os outros;
4 - frgil: quando est superinflado (orgulhoso) corre o risco de estourar e murchar
(complexo de inferioridade).

Nossa identidade no pode depender da opinio dos outros, Paulo afirma que no se importa
com o que pensam dele, e a sociedade atual ensina que o que importa o que pensamos de
ns mesmo. Mas nossa prpria opinio tambm no deve definir nossa identidade, Paulo
tambm no se importava com o que pensava de si mesmo. A humildade no pensar mais ou
menos de si mesmo, mas sim, pensar menos em si mesmo. Essa a verdadeira humildade
crist segundo C. S. Lewis.
A humildade do evangelho mata a necessidade de pensar em si mesmo porque deixa o ego
satisfeito. A pessoa no se orgulha com os elogios e no se abate com as crticas, pois sua
identidade no depende delas.

Paulo no busca mais um veredicto, seja dos outros ou dele mesmo, porque sabe que o nico
veredicto que realmente importa j foi anunciado, e o de Deus.
Esse veredicto anunciado antes de desempenharmos nossas aes. Nenhuma boa obra nos
faz ser mais amados por Deus, como nenhum erro nos condena porque Cristo j cumpriu a
nossa pena.
Temos de reviver o evangelho a todo instante e tomar conscincia de que o julgamento j
terminou para nos apropriarmos dessa liberdade.

Daniel Solano de Oliveira