Você está na página 1de 21
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas
3333 33333333
3333 33333333

CARREGAMENTOSCARREGAMENTOSCARREGAMENTOSCARREGAMENTOS CARREGAMENTOSCARREGAMENTOSCARREGAMENTOSCARREGAMENTOS

DASDASDASDAS DASDASDASDAS VIGASVIGASVIGASVIGAS VIGASVIGASVIGASVIGAS DODODODO DODODODO

PAVIMENTOPAVIMENTO-PAVIMENTOPAVIMENTO--TIPO-TIPOTIPOTIPO PAVIMENTOPAVIMENTO-PAVIMENTOPAVIMENTO--TIPO-TIPOTIPOTIPO

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.13.13.13.1 AÇÕESAÇÕESAÇÕESAÇÕES

3.1.13.1.13.1.13.1.1 CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO DASDASDASDAS AÇÕESAÇÕESAÇÕESAÇÕES

NBR6118:2003/11.2

NBR6118:2003/11.2

AÇÕESAÇÕESAÇÕESAÇÕES

PERMANENTESPERMANENTESPERMANENTESPERMANENTES

AÇÕESAÇÕESAÇÕESAÇÕES

VARIÁVEISVARIÁVEISVARIÁVEISVARIÁVEIS

DIRETASDIRETASDIRETASDIRETAS: peso próprio, peso elementos cons- trutivos fixos e instalações permanentes

INDIRETASINDIRETASINDIRETASINDIRETAS: retração, fluência, recalque de apoio, imperfeições geométricas, protensões

DIRETASDIRETASDIRETASDIRETAS: sobrecargas de utilização e constru- ção, vento, água

INDIRETASINDIRETASINDIRETASINDIRETAS: variações de temperatura, cargas dinâmicas

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.23.1.23.1.23.1.2 PESOPESOPESOPESO PRÓPRIOPRÓPRIOPRÓPRIOPRÓPRIO

NBR6118:2003/8.2.2

NBR6118:2003/8.2.2

peso específico concreto armado

NBR6118:2003/8.2.2 peso específico concreto armado 3D 1D γ c =25 kN/m 3 L b g pp

3D

NBR6118:2003/8.2.2 peso específico concreto armado 3D 1D γ c =25 kN/m 3 L b g pp

1D

γ c =25 kN/m 3 L b
γ c
=25 kN/m 3
L
b

gpp[kN/m]

L
L

h

MODELO TEORIA DAS VIGAS (1D)

MODELO FÍSICO (3D)

= γ ⋅ b ⋅ h = 25 b h [kN/m] ⋅ ⋅ g pp
=
γ
b
h
=
25 b h [kN/m]
g pp
C
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.23.1.23.1.23.1.2 PAREDESPAREDESPAREDESPAREDES

NBR6120:1980/Tabela 1

NBR6120:1980/Tabela 1

PESO ESPECÍFICO DOS MATERIAIS γalv

Tijolos Tijolos sílico-calcáreos Blocos de argamassa Blocos de concreto celular

Tijolos

furados

NOTAS:

13,0

18,0 kN/m 3 ; 20,0 kN/m 3 ; 22,0 kN/m 3 ; 5,5 kN/m 3 ;

kN/m 3 ;

1) Desprezar aberturas (portas, janelas

)

e revestimentos

(azulejos, argamassa de assentamento

);

2) Adotar a espessura da parede igual à largura da viga (compatibilidade arquitetônica);

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.23.1.23.1.23.1.2 PAREDESPAREDESPAREDESPAREDES (cont

)

h = L −h alv sup viga h viga sendo: L sup h : pé-direito
h
= L
−h
alv
sup
viga
h
viga
sendo:
L
sup
h
: pé-direito estrutural
(piso a piso)
alv
e
g
=
γ
e
h
[kN/m]
alv
alv
alv
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES

NBR6118:2003/14.7.6.1

NBR6118:2003/14.7.6.1

LAJE
LAJE
VIGA
VIGA

Ações na laje peso próprio

revestimentosAções na laje peso próprio paredes sobrecargas de utilização

paredes sobrecargas de utilização

Ações na laje peso próprio revestimentos paredes sobrecargas de utilização
Ações na laje peso próprio revestimentos paredes sobrecargas de utilização
Ações na laje peso próprio revestimentos paredes sobrecargas de utilização

} PERMANENTES

VARIÁVEIS

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

P =PESO DO PAINEL

p (kN/m )

2

ações permanentes e variáveis nas lajes

* A(m ) 2
* A(m )
2

linhas de ruptura (ou charneiras plásticas)

P/L (kN/m) L
P/L (kN/m)
L
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

45 o
45 o

canto entre dois apoios de mesmo tipo

45 o
45 o
o 90 60 o
o
90
60 o

canto entre apoios engastado e simplesmente apoiado

canto entre apoio e borda livre

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

Linhas de ruptura

45 o apoiada apoiada
45 o
apoiada
apoiada
o 60 engastada
o
60
engastada

apoiada

45 o engastada engastada
45 o
engastada
engastada

livre

o 90 apoiada
o
90
apoiada
45 o engastada engastada livre o 90 apoiada Simbologia p carregamento na laje (perm.+var.) L

Simbologia

p

carregamento na laje (perm.+var.)

L

lado maior

l

lado menor

R A reação na borda maior apoiada

R

reação na borda maior engastada

reação na borda menor apoiada

E

r

A

r

E

reação na borda menor engastada

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 1

ll

ll L r A = p l 4
L

L

L

r

A =

pl

4

TIPO 2A

l L l < 0,732 : L p l r = A 4 r =
l
L
l
< 0,732 :
L
p l
r
=
A
4
r
= 1,732
⋅ r
E
A
R
A

TIPO 2B

l L l > 0,732 : L pL 4 L  r = R ⋅
l
L
l
> 0,732 :
L
pL
4
L 
r
= R
2
0,732
A
A
 
⋅ l
r
= 1,732
⋅ r
E
A

R

A

=

r

A

    2

l

L

=

r

A

    2

1,366

l

L

R

A =

0,732

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 2C TIPO 3 TIPO 4A l l l L L L pl l pl
TIPO 2C
TIPO 3
TIPO 4A
l
l
l
L
L
L
pl
l
pl
r
=
0,732
A
< 0,577 :
r
=
0,732
4
A
L
4
l 
r
=
1,732
⋅r
pl
E
A
R
=
r
 2
0,732
A
A
r
=
1,732
E
⋅ L
4
l 
R
=
r
2
A
A
p l
l 
R
=
1,732
⋅R
E
A
− L
R
=
 2
1,732
A
4
⋅ L
R
=
1,732
⋅R
E
A
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 4B

l

l L l L > 0,577 : pL 4   pL      L
L

L

L

l

L

> 0,577 :

pL

4

 

pL

 

 

L

r

E =

 

2

0,577

4

 

l

TIPO 4C

L p l 4 R E = p l    2   0,577
L

L

L

pl

4

R E =

p l

 

2

 

0,577

l

 

4

 

L

TIPO 5A

l L l < 0,789 : L pl 4 l  R = r ⋅
l
L
l
< 0,789 :
L
pl
4
l 
R
=
r
E
E
 
2
1,268
⋅ L
R
0,577
⋅R
A =
E

R

A =

0,577

r

A =

0,577

r

E =

1,268

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 5B

l L l > 0,789 : L pL R E = 4 R 0,577 ⋅R
l
L
l
> 0,789 :
L
pL
R
E =
4
R
0,577
⋅R
A =
E
L 
=
R
 
2
0,789
r E
E
⋅ l

TIPO 5C

l L r pl E = 4 r = 0,577 A ⋅ r E 
l
L
r
pl
E
=
4
r
=
0,577
A ⋅ r
E
l 
=
r
 2
E
⋅ L

TIPO 6

l L pl r E = 4 l  R = r ⋅ E E
l
L
pl
r
E =
4
l 
R
= r
E
E
  2
− L

R

E

0,789

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 7

l

l L   ⋅   1 − 0,25  L    = l
L

L

L
L
 

⋅   1 0,25

L

=

l

pL

2

pL

4

r A

R A =

TIPO 8

pL L  r ⋅ E = 2   1 − 0,25  
pL
L
r
E =
2
  1 − 0,25
l
pL
R

TIPO 9

60 o 60 o r = 0,289 p l A  l  = p
60 o
60 o
r
= 0,289 p l
A
l
= p l ⋅  1 − 0,577
R E
L

E

=

4

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 10 TIPO 11 TIPO 12 o 90 o 45 60 o 60 o o
TIPO 10
TIPO 11
TIPO 12
o
90
o
45
60 o
60 o
o
60
l
> 0,634 :
L
pL
L
r
= ⋅  1 − 0,289
L
R
= p l
E
r
(
1 − 0,317
)
E
l
= 0,366 pL ⋅
2
A
l
L
R
= 0,289 pL
r
(
1 − 0,317
)
A
E
= 0,634 pL
l
R
= 0,317 pL
E
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 13 TIPO 14 TIPO 15 L L L pL pL 3.pL r = r
TIPO 13
TIPO 14
TIPO 15
L
L
L
pL
pL
3.pL
r
=
r
=
r
=
A
E
A
2
2
8
5.pL
r
=
E
8
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.33.1.33.1.33.1.3 REAÇÃOREAÇÃOREAÇÃOREAÇÃO DASDASDASDAS LAJESLAJESLAJESLAJES (cont

)

TIPO 16

l o 60 L r 0,289 p l A =  l  R p
l
o
60
L
r
0,289 p
l
A =
l
R
p l ⋅ 
1
− 0,289
E =
L

TIPO 17

TIPO 17
o 45 p l r E = 2  l  R p l ⋅
o
45
p
l
r
E =
2
l
R
p l ⋅ 
1
− 0,5
E =
L

TIPO 18

o 60  r E = pL ⋅  0,289   1 L −
o
60
r
E
= pL
 0,289
1 L
l
= 0,289 pL
R A
Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.43.1.43.1.43.1.4 MOMENTOMOMENTOMOMENTOMOMENTO DEDEDEDE EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE

NBR6118:2003/14.6.7.1DEDEDEDE EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE p ext ext M M simulação da influência da ligação

p ext ext M M simulação da influência da ligação pilar-viga no comportamento da viga
p
ext
ext
M
M
simulação da influência
da ligação pilar-viga no
comportamento da viga
L
L
L 2
1
3
(
inf i
2
2
I /
/ L L
) )
s sup
+ I I / / L L
(
) )
pL
p
p L
p
ext
ext
M
M
=
=
=
K
(
) )
i inf
(
) )
s
sup
(
)
viga
I /
/ L L
+
I
I
/
/
L
L
+ C ⋅
I
I
/
/
L
L
1
1
2
2
1
1
2
2
K = coeficiente de
engastamento parcial
momento de
engastamento
perfeito

Viga equivalente engastamento parcial produzido por momento de extremidade

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.43.1.43.1.43.1.4 MOMENTOMOMENTOMOMENTOMOMENTO DEDEDEDE EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE (cont

3EI 3EI M M = = L L θ=1
3EI
3EI
M M
=
=
L L
θ=1
viga isolada C=1
viga isolada C=1

viga isolada

C=1

viga isolada C=1
viga isolada C=1
4EI 4EI M M = = L L θ=1
4EI
4EI
M M
=
=
L L
θ=1

viga contínua

viga contínua C=4/3
viga contínua C=4/3

C=4/3

viga contínua C=4/3
viga contínua C=4/3

)

p

M=0 K=0 viga pré-moldada
M=0
K=0
viga pré-moldada
p M ext
p
M ext
contínua C=4/3 ) p M=0 K=0 viga pré-moldada p M ext 0<K<1 h h pd pd

0<K<1

0<K<1

h h

pd

pd

4 4

t

pré-moldada p M ext 0<K<1 h h pd pd 4 4 t Para Para : :
pré-moldada p M ext 0<K<1 h h pd pd 4 4 t Para Para : :

Para

Para

:

:

t

t

h h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p

p

M eng

h h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p
h h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p
h h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p

t

h h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p

K=1

K=1
h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p M
h pd pd 4 4 t Para Para : : t t ≤ ≤ p M

Para

Para

:

:

t

t

>

>

h h

pd

pd

4 4

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.43.1.43.1.43.1.4 MOMENTOMOMENTOMOMENTOMOMENTO DEDEDEDE EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE (cont

)

s u s u p p L L / / 2 viga isolada i n
s u
s
u
p
p
L
L
/
/
2
viga isolada
i n f f
i n
L
L
/
/
2
2
Pórtico equivalente
s u
s
u
p
p
L
L
/
/
2
viga contínua
i n f f
i n
L
L
/
/
2
2
viga
viga
L L
h h 1 3 h 2 V1(b ,h ) 2 2 corte P1(b ,h )
h
h
1
3
h
2
V1(b ,h )
2
2
corte
P1(b
,h )
P2(b
,h )
1
1
3
3
h
b
h
1
2
3
b 3
b
1
V1(b ,h )
2
2
planta

Momento de inércia à flexão dos elementos

estruturais (pilar e viga)

I =

b

i

h

3

i

12

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula

Escola de Engenharia Universidade Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil

Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

Presbiteriana Mackenzie Coordenadoria de Engenharia Civil Estruturas de Concreto II Aula 3 – Carregamentos das vigas

3.1.43.1.43.1.43.1.4 MOMENTOMOMENTOMOMENTOMOMENTO DEDEDEDE EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE (cont

)

EXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADEEXTREMIDADE (cont ) simulação da influência da ligação pilar-viga no

simulação da influência da ligação pilar-viga no comportamento da viga

influência da ligação pilar-viga no comportamento da viga Viga equivalente com engastamento parcial produzido por

Viga equivalente com engastamento parcial produzido por molas rotacionais

constante de mola do pilar 12 EI/L