Você está na página 1de 31

Incertezas nas medidas

O objectivo de qualquer medição é avaliar um

produto ou o resultado, aceitando ou rejeitando esse produto ou esse teste (ex.

calibração, inspecção, investigação científica,

comércio, indústria, etc.)

É necessário ter confiança no resultado;

É essencial ter uma incerteza associada;

Erro ou incerteza de uma medição: diferença entre o

valor medido e o valor aceite como verdadeiro para

essa medida ou grandeza.

Exactidão: proximidade entre o resultado de uma medida e o seu verdadeiro valor.

Precisão (repetibilidade): proximidade entre os resultados repetidos de uma medida, nas mesmas condições.

Reprodutibilidade: repetibilidade da medida quando feita em diferentes condições de medição.

O objectivo de qualquer medição não é obter o verdadeiro valor, mas associar-lhe uma incerteza aceitável para a medida em questão.

Exactidão versus Precisão

Desvio ou tendência de um aparelho de medida

Exactidão e precisão (com e sem desvio)

Exactidão e precisão (com e sem desvio) - medidas - “verdadeiro valor”

- medidas

- “verdadeiro valor”

Apresentação da incerteza

medida de x = x med

Apresentação da incerteza • medida de x = x m e d δ x • Valor

δx

Valor de x: entre (x - δx) e (x + δx)

A garantia de que o valor de x se encontra naquele intervalo nem sempre é razoável;

Nestas situações associa-se a este intervalo um nível de

confiança de que a medida aí se encontra.

Para estabelecer este nível de confiança, necessitamos de um estudo da estatística envolvida na medição.

Algumas regras básicas na

apresentação das incertezas

As incertezas devem ser apresentadas com apenas 1

algarismo significativo (excepção se algarismo é 1):

9,82
9,82

0,0342 (m s -2 )

;

9,82

se algarismo é 1): – 9,82 0,0342 (m s - 2 ) ; 9,82 0,03 (m

0,03 (m s -2 )

• O último algarismo significativo do valor medido deve ser da mesma ordem de grandeza do que a incerteza:

30 (m s -1 )
30 (m s -1 )

- 6051,78

;

6050

do valor medido deve ser da mesma ordem de grandeza do que a incerteza: 30 (m

30 (m s -1 )

Nos cálculos intermédios, deve manter-se +1

algarismo significativo, para evitar erros adicionais

introduzidos por arredondamentos.

O nº correcto de algarismos significativos deve ser

aplicado no resultado final.

as unidades das incertezas são as mesmas do valor

medido:

(1,61

no resultado final. • as unidades das incertezas são as mesmas do valor medido: (1,61 0,05)x10

0,05)x10 -12 F

Erro absoluto e erro relativo

x

med

x med

x

med

Erro absoluto e erro relativo x med x med x med x x x med x

x

x
x

x med

x
x

x med

e erro relativo x med x med x med x x x med x x med

100 %

O erro relativo é adimensional.

Como associar uma incerteza ou erro a uma

determinada medida?

Tipos de erros

- aleatórios: valores medidos estão dispersos

em torno do valor médio. Pode ser reduzida

através da repetição das medidas.

- sistemáticos: devidos a desvios não aleatórios introduzidos nas diferentes medidas.

Geralmente causados pelo aparelho de medida,

observador e/ou condições ambientais

Algumas origens para os erros aleatórios:

- resolução do instrumento de medida;

- histerese

- ruído

- radiação

- contaminação de materiais

- correntes de ar …

Algumas origens para os erros sistemáticos:

Aparelhos de medida

- ajuste do zero do aparelho de medida

- alinhamento dos aparelhos de medida (ex: óptica)

- histerese

- uso e fatiga dos aparelhos de medida

- polarização deficiente (ex: aparelhos eléctricos)

Algumas origens para os erros sistemáticos:

Ambiente

-Temperatura

-Pressão

- humidade

- vibrações

- campos eléctricos e magnéticos externos

Algumas origens para os erros sistemáticos:

Erros de observação

-leitura

- paralaxe

- estimativa por interpolação

- memória

Avaliação da incerteza GUM “Guide to Uncertainty in Measurement ”, 1993

- Tipo A (erros aleatórios): aqueles que podem ser avaliados através de processos estatísticos. Cada resultado é expresso com uma incerteza que será combinada para calcular a incerteza total.

- Tipo B (Erros sistemáticos ): avaliados de forma não estatística. A função de densidade de probabilidade é considerada conhecida. A incerteza é também utilizada para calcular a incerteza total.

Exemplo de medidas afectadas por erros aleatórios

Medidas do tempo de queda de um objecto de uma altura h=2m.

Nºmedida

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Valor (s)

0.69

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.84

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.55

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.66

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.68

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.59

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.62

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.75

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.63

Valor (s) 0.69 0.84 0.55 0.66 0.68 0.59 0.62 0.75 0.63 0.64

0.64

Nº medida

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

Valor (s)

0.66

0.69

0.59

0.58

0.63

0.71

0.52

0.62

0.69

0.49

0.59 0.58 0.63 0.71 0.52 0.62 0.69 0.49 t x =0,64 s =0,079 s x 1

t

x

=0,64 s =0,079 s x
=0,64 s =0,079 s x

=0,64 s =0,079 s

=0,64 s =0,079 s x

x

1N x

N

x

i

N

i 1
i 1

Desvios da média, d i

Desvio padrão

d

i

d

Desvios da média, d i Desvio padrão d i d x x i 1 ( x

x

x i
x
i
1 ( x x ) i N
1
(
x
x
)
i
N
média, d i Desvio padrão d i d x x i 1 ( x x )

x

1 x i N
1
x
i
N
Desvio padrão d i d x x i 1 ( x x ) i N x

x

x 0
x
0
2 x x i i N 1
2
x
x
i
i
N
1
1 ( x x ) i N x 1 x i N x x 0 2

Desta forma os desvios não se anulam

Quanto menor for

x x 0 2 x x i i N 1 Desta forma os desvios não se

, maior precisão terão as medidas:

x

x x 0 2 x x i i N 1 Desta forma os desvios não se
Histograma de ocorrência 7 Função de Gauss 6 5 4 3 2 1 0 0
Histograma de ocorrência
7
Função de Gauss
6
5
4
3
2
1
0
0
0,1
0,2 0,3 0,4
0,5
0,6
0,7 0,8 0,9
1
1,1 1,2
0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1
1,1
1,2
t (s)
n. medidas

Intervalos de tempo: 0,05 s

Função normal ou de Gauss:

G

( x ) K e
(
x
)
K
e
2 ( x m ) 2 2 G
2
(
x
m
)
2
2
G
normal ou de Gauss: G ( x ) K e 2 ( x m ) 2

valor mais provável desta distribuição

parâmetro relacionado com largura da distribuição

probabilidade de ocorrência do valor mais provável

Nº total de ocorrências:

N

G(x)dx
G(x)dx

Quando o número de medidas é elevado:

G m x
G m
G
m

x

Curva da Gauss

Intervalos de confiança Intervalo área debaixo curva Desvio padrão
Intervalos de confiança
Intervalo
área debaixo curva
Desvio padrão

Cálculo da área

Cálculo da área m G G ( x dx ) m G N 2 G G

m

G

G

(

x dx

)

m

G
G

N

2 G G
2
G
G

m

(

x dx

)

m

2 G
2
G

N

Cálculo da área m G G ( x dx ) m G N 2 G G

68,3%

Cálculo da área m G G ( x dx ) m G N 2 G G

95,5%

Para um conjunto de N medidas, x i :

x

x i i
x
i
i

N

2 x x i i N 1 m N
2
x
x
i
i
N
1
m
N

é o seu valor médio

é o desvio quadrático médio ou desvio padrão

é o desvio padrão da média

O valor de uma grandeza obtido a partir de um conjunto de N medidas será dado por

x

m
m

maior nº de medidas

maior nº de medidas maior precisão?? m N Para n 12, a melhoria em m deixa

maior precisão??

m
m
N
N
maior nº de medidas maior precisão?? m N Para n 12, a melhoria em m deixa

Para n 12, a melhoria em

maior nº de medidas maior precisão?? m N Para n 12, a melhoria em m deixa

m deixa de ser significativa.

- Distribuição normal: geralmente aceite e escolhida para representar processos aleatórios

- Pequenas amostras: Distribuição “Student-t

-

- Pequenas amostras: Distribuição “ Student-t ” - Y Y 0 N 2 2 t 1

Y

Y 0 N 2 2 t 1 N 1
Y
0
N
2
2
t
1
N
1
X t N
X
t
N

Erros tipo B avaliação não estatística

Pretende-se associar uma incerteza, determinada por:

-Calibração ou resolução dos aparelhos de medida;

- estimativa de efeitos ambientais

- monotorização de efeitos que influenciam as medidas

- desvios do observador, paralaxe….

- análise de dados obtidos anteriormente

- experiência desempenha papel importante ….

3 tipos de funções de distribuição de probabilidade usadas:

- normal ou de Gauss. Ex. calibração de aparelhos

- Rectangular. Ex. escala dos aparelhos de medida

- U-shaped” (utilizada em medidas de frequência)

Distribuição rectangular ou uniforme

x i +a + x i -a -- x i 1 x a a i
x i +a +
x i -a --
x i
1
x
a
a
i
2
2
1
x
a
a
2
i
12
1 x i 3
1
x
i
3

a

Desvio padrão associado à distribuição rectangular

Incertezas Tipo B

Incerteza padrão = Limite de incerteza x factor de transformação

Tipo de densidade de probabilidade

Fator de correcção

Normal ou de Gauss

0,5

Rectangular ou uniforme

1/

3
3

= 0,6

U-shaped

1/

2
2

= 0,7

Fórmula de propagação de erros (Tipo A e B)

f (x,y,z) : função de várias variáveis

x
x

dx,

dy,A e B) f (x,y,z) : função de várias variáveis x dx, z dz : incertezas

z dz : incertezas em cada uma das variáveisA e B) f (x,y,z) : função de várias variáveis x dx, dy, Erro máximo em

Erro máximo em f(x,y,z) (grandezas correlacionadas)

f
f

dfErro máximo em f(x,y,z) (grandezas correlacionadas) f f x dx f y dy f z dz

f x
f
x

dx

f y
f
y

dy

f z
f
z

dz

Estatística (grandezas não correlacionadas):

f x
f
x
2 z
2
z
2 2 f f f x y y z
2
2
f
f
f
x
y
y
z

Incerteza padrão combinada (GUM)

U

c

2 2 U U tipoA tipoB
2
2
U
U
tipoA
tipoB

(Lei de propagação da incerteza)

Incerteza expandida

- Factor k

U

exp

U exp U c k

U

c

k
k

-Nível de confiança, p

- k=2

p=95%

- k=3

p=99%

Modelo para realizar medição

Medir os vários xi Associar a cada xi uma incerteza u(xi)

Medir os vários xi

Medir os vários xi Associar a cada xi uma incerteza u(xi)
Associar a cada xi uma incerteza u(xi)

Associar a cada xi uma incerteza u(xi)

Associar a cada xi uma incerteza u(xi)
os vários xi Associar a cada xi uma incerteza u(xi) Tipo A Dist. Normal Desvio padrão(Ua)
os vários xi Associar a cada xi uma incerteza u(xi) Tipo A Dist. Normal Desvio padrão(Ua)

Tipo A

vários xi Associar a cada xi uma incerteza u(xi) Tipo A Dist. Normal Desvio padrão(Ua) média

Dist. Normal

Desvio padrão(Ua)

média

Tipo B

Tipo A Dist. Normal Desvio padrão(Ua) média Tipo B Dist. Normal Fator=1/k * Dist. uniforme Fator=0,6

Dist. Normal Fator=1/k *

Desvio padrão(Ua) média Tipo B Dist. Normal Fator=1/k * Dist. uniforme Fator=0,6 U B4,5,… U A,1,2,…n
Desvio padrão(Ua) média Tipo B Dist. Normal Fator=1/k * Dist. uniforme Fator=0,6 U B4,5,… U A,1,2,…n

Dist. uniforme

Fator=0,6

Tipo B Dist. Normal Fator=1/k * Dist. uniforme Fator=0,6 U B4,5,… U A,1,2,…n U B1,2, Incerteza
U B4,5,… U A,1,2,…n U B1,2, Incerteza padrão combinada (Uc)
U
B4,5,…
U A,1,2,…n
U B1,2,
Incerteza padrão combinada (Uc)
U A,1,2,…n U B1,2, Incerteza padrão combinada (Uc) Incerteza padrão expandida = Uc x k *

Incerteza padrão expandida = Uc x k

* - k é definido em seguida

Relatório da Incerteza padrão (Uncertainty budget)

Relatório da Incerteza padrão (Uncertainty budget)

“Embora o GUM aconselhe procedimentos para a obtenção de uma incerteza associada a uma

medição, não pode substituir o pensamento crítico, a

honestidade intelectual e o profissionalismo. A avaliação da incerteza não é nem uma operação de

rotina nem de matemática apenas; depende

fortemente do conhecimento da natureza da grandeza a medir e do processo de medição.”

ISO/TAG 4/WG3, “Guide to the Expression of Uncertainty in Measurement