Você está na página 1de 2

r

Observao:LKJIHGFEDCBA
C o m o se p o d e p e rc e b e r, 1,4 tf fo i tra n s fo rm a d a p a ra 1400 k g f. kjihgfedcbaZYXWVUT
a c a rg a srqponmlkjihgfedcbaZYXWVUTSRQPONMLKJIHGFE

Exem plo 2

A estrutura representada na figura est em equilbrio. A carga P aplicada em D de 2,4


tf. Determinar as foras normais atuantes nas barras CD, <De Q) utilizando o mtodo do polgono
de foras.

Soluo:

Observando a figura, conclumos que as barras CD e Q) esto


tracionadas, e a barra <Dest comprimida. Teremos portanto o esquema
de foras a seguir.

Novamente para este caso, teremos um tringulo de foras.

Sabemos que F3 = 2,4 tf, como j foi estudado em exemplos


anteriores.

Novamente o n C ser objeto do nosso estudo. Atravs de C,


traaremos o tringulo de foras.

1. - Traamos o vetor fora F3 = 2,4 tf, que sabemos ser vertical, e para baixo.

2 - A fora F2 forma com F3 um ngulo de 3JO, sabemos ainda que o vetor F2 tem o seu
incio no final do vetor F3' portanto, com uma inclinao de 37 em relao ao final do
vetor F3, traamos o vetor F2.

3 - O vetor F1 forma 90 com o vetor F2 , pela extremidade final de F2 , com uma inclinao
de 90 em relao a este, traamos o vetor F1 ,teremos desta forma o tringulo de foras.

Pela lei dos senos temos:


F1 F2 F3
--= ==--
sen 3JO sen 53 sen 90

Como o sen 90 = 1, tem-se que:

F2 = F3 sen 53 u:'

F2 = 2,4 x 0,8 = 1,92 tf

F1 = F3 sen 37"

F1= 2,4 x 0,6 = 1,44 tf

Exem plo 3

Determinar a intensidade da fora F que deve ser aplicada no eixo do disco de r = 2m e


2
m = 10kg mostrado na figura, para que possa subir o degrau de h = 20 cm. Adotar g = 10m/s .

Qual a intensidade da reao em A?

~;;;,,"::Mecnica;T cnica e R esistncia dos,'Materiais"';f;;,C;"'~"f;i';=fi::::",l:C;"TL.:llii':',;;;;:~:::::2 iQ ,;;,'\,;;tL


;""" " ,< ;','::YF"''':;;;;;S;;'='='='''=',
F zyxwvutsrqponmlkjihgfedcbaZYXWVUTSRQPON

F
p

6
o
C'J
pkjihgfedcbaZYXWVUTSRQPONMLKJIHGFEDCBA

Soluo:

Traaremos o tringulo de foras relativo ao equilbrio do ponto O. Como nos exemplos


anteriores, iniciaremos o traado pela fora P que sabemos ser vertical e para baixo.

A fora F, forma 90 com P, e coincide com o final de F.

Os ngulos que RA forma com P e com F sero determinados atravs do /'o" OAB.

1,8
cosa = - = 0,9
2

Pela lei dos senos, clculo de FeRA:

F P RA
sen26 sen 64 sen90

Como sen 90 = 1, tem-se:

p
F = sen 64' sen26

100.0,438
F= 0,9
p
IF = 48,66N I
F 48,66
R - ---
A - sen 26 - 0,438

RA == 111,1N I

43