Você está na página 1de 6

BREVE VISÃO DA ARTE NO ENSINO BRASILEIRO

Fonte

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Fundarnentos esteticos da educação. 2 ed. Campinais: Papirus, 1988.

Educação Brasileira em termos artisticos

Educação Brasileira em termos artisticos Brasil-colonia (predominou um transplante da cultura europeia) Academia

Brasil-colonia (predominou um transplante da cultura europeia)

Academia Belas-Artes (imposição de valores)

O sistema educacional não respondia as necessidades nacionais

1POSITIVISMO

X

2 LILEBALISMO

1Imaginação limitada a observação;

X 2 LILEBALISMO 1 Imaginação limitada a observação; 2 Valor prágmatico Predomina atualmente na cultura

2 Valor prágmatico

1 Imaginação limitada a observação; 2 Valor prágmatico Predomina atualmente na cultura brasileira: Valores

Predomina atualmente na cultura brasileira:

Valores precisamente prágmaticos e consumistas

.

Nesse texto, Duarte(1988) retoma a historia da educação brasileira e analisa as suas

origens colonias para entendermos o processo formativo da cultura nacional.

Percebe-se que desde o descobrimento do Brasil não houve empenho em manter uma

cultura propriamente nacional, porque isso ameaçava os interesses português, que era

manter o Brasil dependente. Desse modo, a nossa intelectualidade e a dos lideres

dirigentes formavam-se por meio de uma cultura distante da sua realidade. Esse autor

destaca, que ainda há predominância desse pensamento europeu em nossos dias, o

que tem impedido a constituição de um pensamento autentico nacional. A educação a

princípio já tinha como caracteristica uma imposição de sentidos distante da realidade

dos educandos. Ressantamos como conquista a Academia de Belas-Artes em 1816,

Esquema

Resumo

considerada o berço da nossa educação artistica. Porém, ela foi direcionada pelos artistas franceses, que acabaram impondo valores pautados no “modernismo” e o barroco que havia se popularizado nessa época, foi rejeitado. Nesse momento, os preconceitos são desencadeados como: considerar a arte uma atividade supérflua, um babado, um acessorio da cultura e desprestigiar as atividades manuais desenvolvidas pelos escravos e exaltar as artes literarias, ficando acuada as artes plasticas, musicas e aquelas aplicadas pelas industrias. Até a proclamação da Republica, em 1889, o ensino de arte nas escolas oficiais valorizava a produção de bens, incluindo o desenho tecnico e geometrico voltada para a classe pobre, enquanto que as “belas artes” eram ensinadas em escolas, academias para as classes ricas. A arte era direcionada pela visão filosofica que predominava, ou seja, o positivismo de Auguste Comte, a arte nessa perspectiva era racional, dado que a imaginação ficava limitada a observação, era tida como um caminho até a ciencia. Começou a crescer também a influencia do liberalismo que apreciava o valor pragmático, o desenho tinha um valor tecnico acentuado na industria. Em 1901, é exigido o desenho geometrico que era proposto nas escolas primarias e secundarias. A Semana de Arte Moderna, em 1922, veio trazer novos ares para as artes brasileiras. Temos como exemplo, a arte infantil, que recebeu um valor estético ligado a espontaneidade da criança, passando a ser entendida como a liberação de fatores emocionais e a expressão das experiências. Apesar desse avanço e do Modernismo , nosso ensino continuou ligando a arte aos valores pragmaticos e tecnicos.Já que apenas o desennho geometrico e a música era eventualmente incluida nos currículos. Após o golpe militar de 1964, adoutou-se o modelo de “desenvolvimento” o que significou da maior abertura ao capital e aos sentidos estrangeiros. O desenvolvimento passou a ser sinônimo de crescimento econômico, o que resultou em privilegiar alguns setores da cultura nacional sobre outros. Portanto, o nosso modo de ser social não decorre de um projeto intencionalmente elaborado por nossa comunidade, não temos um projeto autentico nacional. Até mesmo o sentir e o pensar brasileiro foi moldado aos padrões que satisfaziam os interesses consumistas, principalmente pelas mensagens estéticas televisionadas. Assim, a criatividade e criticidade foi sendo apagada do interior da educação, o saber já acabado, desvinculado de sua realidade social e cultural. Os paises periféricos foram ficando atrasados, porque carecem de tecnologia e arte ao inves de cumprir um papel libertador se torna elemento de dissocialização em os

28

 

grupos nacionais. No entento, o que entendemos é que a educação brasileira tem se caracterizado, por servir de instrumento de consolidação da sociedade industrial e consumista, consequentemente a sociedade contemporânea tem refletito esses valores culturais. Assim, a arte precisa ser recuperada para a educação oficial brasileira, ela própria desarmônica e impositiva, não partindo de uma mera reprodução racional do sentir, mas sendo livre para criar e despertar sentimentos.

Citações

“ A incipiente vida cultural do Brasil-colônia nada mais era que um âpendice, uma extensão mais pobre da cultura europeia. A criação de uma cultura genuinamente brasileira, com valores e sentidos próprios, era perigosa aos interesses portugueses, pois acabaria levando a colônia a tornar-se independente.”(1988, p.120)

[

]

não estava

no pensamento dos educadores a implantação de um sistema

educacional que respondesse às necessidades nacionais.”( 1988, p.121)

Para os positivistas era um meio de racionalização da emoção e, para os liberais, um meio de libertar a inventividade dos entraves da ignorância das normas básicas das construção.”( 1988, p. 124)

O povo, que não tinha acesso à arte da elite, também era desencorajado e até reprimido em suas manifestações estéticas.” (1988, p. 126).

Com uma invasão cultural entranhada desde as origens, a cultura brasileira veio se ressentindo de sentidos e valores genuinamente nacionais, procurando sustentar, através das elites, valores importados de outras culturas que, consequentemente, não podiam exprimir a vida concretamente vivida.”(1988, p. 126)

Comentário

O texto de Duarte(1988), levanta reflexões historicas e importantes sobre o ensino da arte relacionando com realidade atual. Constatamos que não temos um legado cultural autentico nacional, mas ele foi influenciado por uma cultura europeia,

29

 

baseada em um desenvolvimento econômico, industrial que vinculou a nossa cultura ao consumismo e ao prágmatico. A arte sempre desenpenhou um papel importante na constituição do homem, por isso sua importância dentro da educação, mas para isso tem que fluir de maneira autentica e possuir um caráter libertador.

Ideação

Texto indicado aos professores em exercícios ou aos estudantes que serão futuros pedagogos, que terão a oportunidade de ministrar a disciplina de arte na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental,não tenho duvida que a partir desses conhecimentos a arte infantil vai ser concebida com outro olhar e será livre para ser sentida e expressada pelos educando de maneira que despertem neles uma consciência critica e reflexiva sobre o sentido da arte na formação integral deles.

30

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ-UFPI CAMPUS SENADOR HELVÍDIO NUNES DE BARROS-CSHNB CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ-UFPI

CAMPUS SENADOR HELVÍDIO NUNES DE BARROS-CSHNB

CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA

FICHAMENTO DO TEXTO: Breve visão historica da arte no ensino brasileiro

Picos-PI

2017

31

LUCIANA SILVA DIAS

FICHAMENTO DO TEXTO: Breve visão historica da arte no ensino brasileiro

Trabalho apresentado ao Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da Universidade Federal do Piauí, da disciplina: Didática da educacao artistica. Orientador: Profª. Ma. Maria da Conceicao Rodrigues Martins

Picos-PI

2017

32