Você está na página 1de 3

Relatrio do filme Contgio

A princpio, manifestam-se quadros de sintomas de uma doena


desconhecida, mas que se dissemina de forma muito veloz atravs de
contatos.
Nos 5 primeiros dias leva alguns casos a bitos; Sendo uma doena ainda
desconhecida, tem causa e perodo de encubao ainda desconhecidos,
mas j chega Organizao Mundial de Sade (OMS).
A cogitao de um novo agente patognicos leva rgos de sade a
tomarem providncias de Segurana Biolgica, como quarentena da
populao contaminada. A questo que entra em discusso nesse contexto
a rapidez com que o vrus se multiplica e o perigo que ele oferece s
pessoas.
Por ser de classe de risco especial, alm de extremamente desconhecido,
perigoso, contagioso e novo, as amostras do agente patognico foram
analisadas em laboratrio de nvel de biossegurana 4 (NB4). Aps essa
anlise, as estruturas do agente (vrus) so identificadas e analisadas, mas
no reconhecidas.
Cogitou-se a possibilidade de o vrus ser uma arma biolgica devido sua
complexidade; Com o quadro de perpetuao do vrus e as manifestaes
clnicas da doena, fecham-se escolas como medida de preveno.
Com base nos casos j analisados, pressupe-se um perodo de encubao
com menos de 10 dias. Os estudos feitos levaram concluso de que o
vrus resultado do cruzamentos (indireto, neste caso) entre animais
mutantes. Devido sua complexidade e periculosidade, foi determinado que
o vrus s fosse manipulado e reproduzido em laboratrios com nvel de
biossegurana 4, sendo de alto risco pro indivduo e pra comunidade.
O grande desafio seria encontrar o marco 0 do vrus baseado na sequncia
de contaminao dos pacientes. O modelos de disseminao do vrus foi
instaurado como R-0 de 2.
Com a esperada cultivao do vrus em laboratrio, comeou-se a cogitar o
desenvolvimento de uma vacina, j que anteriormente o vrus matava
qualquer tipo de clula que entrasse em contato com ele.
Com a alarmante quantidade de casos e a proliferao por vrios pases,
tinha-se um grave problema cientfico, que afetaria vrios outros setores da
sociedade. A checagem de arquivos levou ao paciente zero: uma mulher; O
vrus se espalhou por vrios lugares, levando pessoas ao surto do
desespero.
Com a evidente necessidade de preveno (vacina) e/ou tratamento, a
busca por drogas eficazes aumenta e se corre contra o tempo no
desenvolvimento de algo que funcione. A constante mutao do vrus o
levou a um R-0 de 4, ou seja, uma pessoa contaminada contamina outras 4
pessoas.
Aps diversas experimentaes, sob a necessidade de algo curativo ou
preventivo, desenvolve-se uma vacina que que apresentou resultados
satisfatrios; No entanto, a demanda maior que a disponibilidade devido
proporo que a doena tomou.
Com a tentativa de produzir a vacina em larga escala, possvel distribuir
de forma moderada populao, para controlar a propagao do vrus. Por
fim, a vacina contra MEV-1 distribuda e armazenada em um banco de
vacinas.

UNIVERSIDADE DA AMAZNIA
CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA

LUCAS DA SILVA E SILVA

ATIVIDADE INTEGRADA
BELM
2016

Você também pode gostar