Você está na página 1de 1

TWA Teaching with analogies

Livro volume 3 Qumica Orgnica Qumica na abordagem do cotidiano -


Francisco Miragaia Peruzzo; Eduardo Leite do Canto.

Pg 142: Boa analogia Analogia rotao das molculas Analogia


Concreto/Abstrato (C/A)

Utiliza-se de um artifcio concreto, hastes de madeira e pregos para


explicar rotao de molculas. Para explicar a ligao simples (saturada)
utiliza-se de duas hastes representando os tomos que constituem as
molculas e tambm utilizam um prego representando uma ligao simples,
esse sistema permite rotao anlogo as molculas com ligaes simples
que permitem rotao. Para explicar as ligaes duplas ou triplas
(insaturadas) utiliza-se tambm, mas agora adicionando dois pregos a
estas, representando as ligaes insaturadas, nesse sistema no h rotao,
sem quebra, sistema anlogo as ligaes duplas ou triplas que no
permitem rotao.

Pg 194: Analogia que pode ser mal explorada - ngulo entre ligaes
Analogia Concreto/Abstrato (C/A)

Utiliza-se da angulao de um pegador de ao inox (concreto) para


fazer analogia com a angulao das ligaes em molculas, a analogia
ruim, pois existe conceitos inerentes ao pegador de ao inox distintos ao da
angulao das ligaes moleculares , um dos principais como a angulao
pode variar entre os dois sistemas, molcula e pegado de ao, no livro
deveria ser apresentado quais so os limites da analogia, a analogia no
ruim, porm se o professor em seu papel de orientador mostrar quais so os
limites da analogia, esta pode ser um material de apoio adequado para ser
utilizado na sala de aula, mas apenas como material didtico de estudo para
os alunos enquanto fora da classe, este pode ser compreendido de forma
inadequada, por isso a analogia abordada deve ser repensada e reelaborada
para que seus fins fiquem mais evidentes.