Você está na página 1de 10

Como funciona a dieta Atkins

Introdução
Você certamente conhece alguém que fez dieta uma vez ou outra. Na
verdade, há uma boa chance de muitas pessoas que estão lendo este
artigo estarem fazendo algum tipo de dieta neste momento. Há todo
tipo de dieta por aí, mas a maioria delas tem um ponto em comum: ao
seguir a dieta, você controla a quantidade de calorias que come. A
maior parte dessas dietas também solicita que você evite comidas
gordurosas. Existe uma dieta, entretanto, que não requer isso. Ao
contrário das outras dietas, ela permite que você coma grandes
quantidades de carne, ovos, queijo, manteiga e até mesmo bacon, tudo
o que seria considerado prejudicial em outros regimes alimentares. Imagem cedida por Atkins®

Obviamente existe muita controvérsia sobre essa dieta. A dieta Atkins,


agora conhecida como the Atkins Nutritional Approach&trade (Abordagem Nutricional Atkins), é um assunto
freqüente na mídia. Enquanto as pessoas que fazem dieta ficam estimuladas com os resultados dessa dieta
pouco comum, a comunidade médica está bem dividida sobre quão saudável uma dieta como esta pode ser
para uma pessoa, especialmente a longo prazo.
Agora mesmo você deve estar querendo saber como uma dieta como esta poderia levar à perda de peso. De
acordo com o falecido Dr. Atkins, tudo se resume em limitar o consumo de carboidratos. Os norte-americanos
comem uma grande quantidade de carboidratos. Carboidratos são as comidas que contêm farinha branca e
açúcar refinado. Em outras palavras, a maioria das comidas
industrializadas que comemos, tais como massa, pão e cereal é rica
em carboidratos. De acordo com o princípio mais importante da dieta
Atkins, ao limitar a ingestão de carboidratos em um processo de quatro
fases, o corpo é forçado a queimar a gordura armazenada ao invés dos
carboidratos para obter energia.
Neste artigo, veremos a teoria geral por trás das dietas de baixo
consumo de carboidratos. Veremos as quatro fases da dieta Atkins e
quais alimentos esse regime alimentar permite comer. E por fim,
discutiremos os benefícios e as desvantagens dessa dieta e o que os
médicos têm a dizer sobre ela.
Dieta de baixo consumo de carboidratos
Em 1972, o Dr. Robert Atkins publicou pela primeira vez o livro Dr.
Atkins New Diet Revolution, que recomendava um novo jeito de fazer
regime. Antes disso, fazer regime implicava diminuir o número de
calorias ingeridas por dia ou diminuir as gorduras e carboidratos
Imagem cedida por Atkins®
ingeridos. Mas a dieta do Dr. Atkins era estritamente focada na
limitação do consumo de carboidrato. Mas o que são carboidratos? O falecido Dr. Atkins em seu
consultório, no The Atkins
Você provavelmente já ouviu falar sobre "carboidratos" e "carboidratos Center for Complementary
complexos". Eles estão presentes em vários alimentos, como arroz,
massa, pão, biscoitos, cereal, frutas e vegetais. Os carboidratos Medicine
fornecem a energia básica para o corpo. Podemos imaginar a relação do nosso corpo com os carboidratos,
assim como a relação entre um motor de carro e a gasolina.
O carboidrato mais simples é a glicose. A glicemia, também conhecida como "nível de açúcar no
sangue" circula pela corrente sangüínea, estando disponível para todas as células do corpo. As células
absorvem a glicose e convertem-na em energia para alimentar a célula.
A palavra "carboidrato" vem do fato da glicose ser feita de carbono e água. A fórmula química da glicose é:

C6H12O6
Podemos ver que a glicose é feita de 6 átomos de carbono (carbo...) e os elementos de seis moléculas de água
(...hidrato). A glicose é um açúcar simples, o que quer dizer que para o nosso paladar, ela tem sabor doce.
Existem outros tipos de açúcares simples, que você provavelmente já ouviu falar a respeito:

• frutose
• galactose
• lactose
• sacarose
• maltose
Glicose, frutose e galactose são conhecidos como monossacarídeos. Lactose, sacarose e maltose são
conhecidos como dissacarídeos (eles contêm dois monossacarídeos). Monossacarídeos e dissacarídeos são
chamados de carboidratos simples. Quando você olha para um rótulo de "informações nutricionais" em uma
embalagem de alimento ou vê "Açúcares" abaixo dos "Carboidratos" na etiqueta, essas informações são sobre
esses açúcares simples.
Existem também os carboidratos complexos, geralmente conhecidos como "amido". Amido é um carboidrato
complexo construído de cadeias de moléculas de glicose. Amidos são a maneira que as plantas usam para
armazenar energia. As plantas produzem glicose e conectam as moléculas de glicose para formar o amido. A
maioria dos grãos (trigo, milho, aveia, arroz) e batatas são ricos em amido. Seu sistema digestivo quebra um
carboidrato complexo (amido) em suas componentes moléculas de glicose, para que a glicose possa entrar na
corrente sangüínea. Entretanto, é necessário um longo período para decompor um amido. Se você toma uma
lata de refrigerante cheia de açúcar, a glicose entrará na corrente sangüínea a uma taxa de aproximadamente
30 calorias por minuto. Um carboidrato complexo é digerido mais lentamente, então a glicose entra na corrente
sangüínea a uma taxa de apenas 2 calorias por minuto. Carboidratos complexos podem conter alto teor de
fibras, como o brócolis ou baixo teor de fibras, como as bananas ou as batatas. Os carboidratos complexos de
grãos integrais têm absorção ainda mais lenta.
Os carboidratos não são as únicas substâncias usadas pelo corpo para obter energia. O corpo também utiliza
proteínas e gorduras como combustível. A proteína está em alimentos
como carne, aves, peixe e queijo. As gorduras são uma parte
importante da nossa dieta. Muitos alimentos contêm gordura em
diferentes quantidades. Comidas com alto teor de gordura incluem
produtos derivados do leite, tais como manteiga e creme, assim como
maionese e óleos. A idéia por trás dos regimes de baixo consumo de
carboidratos é restringir a quantidade de carboidratos e aumentar a
quantidade de proteína e gordura. Em outras palavras, seguir uma
dieta de baixo consumo de carboidratos permitiria que você se
deliciasse com um cheeseburger, mas você teria que pedir o
sanduíche sem o pão. Lembre-se, pão contém carboidrato e o
hambúrguer e o queijo contêm proteína e gordura. Então, dieta
baseada em baixo consumo de carboidrato é o que parece ser: você
pode comer proteína e gordura, mas deve limitar a quantidade de
carboidratos.
As quatro fases de Atkins
A dieta Atkins consiste em um plano de quatro fases. Os alimentos que Imagem cedida por Atkins®
você come variam conforme a fase que você está e conforme seu Dr. Atkins caminhando na praia
próprio metabolismo. As quatro fase da dieta Atkins incluem: em Long Island. A dieta Atkins
1. Introdução - esta é a primeira fase da dieta Atkins. Ela encoraja a integração da
também é considerada a fase mais restritiva. Em outras palavras, a atividade física na rotina diária
primeira fase permite a ingestão de pouco ou nenhum carboidrato. da pessoa.
A limitação é de apenas 20 gramas por dia. Os carboidratos permitidos são as saladas e outros vegetais,
exceto tubérculos.
2. Perda de peso - a segunda fase permite adicionar alguns carboidratos na dieta. Nesta fase, os
carboidratos são aumentados para 25 gramas por dia. A cada semana aumenta-se em 5 gramas o número
de carboidratos ingeridos. Então, na segunda semana da segunda fase temos 30 gramas de carboidratos.
Na terceira, é permitido consumir 35 gramas e assim por diante. Você continua aumentando lentamente a
quantidade de carboidratos, até que o seu corpo pare de perder peso. Quando isso acontece, você subtrai 5
gramas de carboidratos do consumo diário. Este nível permitirá a manutenção do peso.
3. Pré-manutenção - nesta fase, você passa da fase de perda de peso para a fase de manutenção.
Você pode aumentar a sua margem de carboidrato em 10 gramas por semana, se quiser interromper a
perda de peso.
4. Período de manutenção - a última fase permite que você selecione uma ampla variedade de
alimentos, enquanto ainda limita a quantidade de carboidratos ingeridos. É esta fase que permite que você
continue perdendo peso, assim como permite que você coma mais alimentos do que nas fases anteriores.
Os alimentos que você pode comer
A Pirâmide Alimentar do USDA (United States Department of Agriculture) recomenda uma dieta rica em
consumo de carboidrato. Como pode ser visto na imagem abaixo, na base da pirâmide, recomenda-se de seis a
onze porções de carboidratos diariamente.

Pirâmide alimentar do USDA - Imagem cedida por Food and Nutrition Information Center
Pirâmide alimentar do guia do USDA
A pirâmide alimentar Atkins é muito diferente dessa. Na verdade, uma das razões pelas quais a dieta Atkins
tornou-se popular nos anos 70 e voltou a ser popular atualmente, é porque ela permite que as pessoas que
fazem regime alimentar comam mais alimentos que a maioria das dietas restringe ou nunca permite, tais como
carne e produtos altamente gordurosos como queijo e manteiga. De acordo com o Site Atkins (em inglês), o
regime alimentar Atkins ajuda as pessoas a sentirem menos fome e a ficarem menos deprimidas.
Imagem cedida por Atkins®
Pirâmide de orientações alimentares da dieta de Atkins
Ao contrário da pirâmide alimentar tradicional, a pirâmide Atkins coloca ênfase nas fontes de proteína, ao
contrário de todas as comidas baseadas em grãos. Além disso, o plano alimentar Atkins não estabelece limites
na quantidade de alimentos que você come. Ele apenas estabelece limites no tipo de comida que você come.
Por exemplo, você não pode comer arroz branco ou comidas feitas com farinha branca, tais como bolo ou
massa, mas você pode comer uma grande quantidade de peixe, aves, carne vermelha, ovos e queijo. Estas
comidas são feitas principalmente de proteína e gordura e não de carboidratos. Além disso, a dieta Atkins é
diferente da maioria das dietas porque você não precisa contar as calorias. Na verdade, muitas pessoas que
fazem a dieta Atkins consomem mais calorias do que elas consumiam antes da dieta (1 grama de gordura
contém 9 calorias, enquanto 1 grama de qualquer carboidrato contém 4 calorias).

Algumas palavras sobre calorias...


Caloria é uma medida de energia. Costumamos
associar calorias com comida, mas qualquer tipo de
energia pode ser medido em calorias. A definição
oficial de caloria é a quantidade de energia
necessária para aumentar a temperatura de 1 grama
de água em 1º C . Uma quilocaloria equivale a 1 mil
calorias. Só para confundir, a "caloria" que vemos
nas embalagens de alimentos é na verdade um
"quilocaloria", no sentido científico.
Faz sentido que alimentos contenham energia,
porque a maioria dos alimentos queima. Por
exemplo, se você já assou marshmallows,
provavelmente sabe que eles queimam. O que está
queimando neste caso é o açúcar do marsmallow.
Gordura queima também. Você sabe disso se já viu
um óleo queimando. O corpo "queima" gorduras,
carboidratos e proteínas, não com fogo, mas com
reações químicas mais controladas que liberam a
energia de diferentes formas.
Gorduras, proteínas e carboidratos têm medidas
calóricas características. Um grama de qualquer
carboidrato contém 4 calorias (quilocalorias). Um
grama de proteína também contém 4 calorias
(quilocalorias). Conhecendo esses valores, é possível
calcular o número de calorias em qualquer alimento
desde que você saiba quantos gramas de gordura,
proteína e carboidratos ele contém.

Como a dieta Atkins acontece em quatro fases, o que comemos será ligeiramente diferente em cada fase. À
medida que você passa pelas fases, você pode comer mais e mais carboidratos, mas eles consistem
geralmente em carboidratos ricos em fibras, como folhas verdes e alguns vegetais. Arroz branco, pão branco,
batatas e massas feitas com farinha "branca" ou processadas permanecem no grupo de alimentos proibidos
para a dieta alimentar Atkins. Neste ponto, você deve estar se perguntando "como alguém pode perder peso em
uma dieta como esta?"
Vamos examinar como a dieta Dr. Atkins pode resultar em perda de peso.

Como a dieta Atkins causa perda de peso


Como sabemos, a dieta do Dr. Atkins começa pela restrição de carboidratos. Quando o corpo não recebe
combustível na forma de carboidratos, ele usa combustível de outras formas. Então, digamos que você
começou a fazer a dieta Atkins e está consumindo modestos 20 gramas de carboidratos ou menos. Veja o que
está acontecendo dentro do seu corpo:

O fígado armazena glicose convertendo-a em glicogênio. Ele leva cerca de 12 horas para
transformar glicose em glicogênio. Depois de terminada a digestão de todos os carboidratos ingeridos, o
fígado começa a converter o glicogênio armazenado novamente em glicose e a libera no sangue para
manter a glicemia durante o jejum. A lipólise também começa decompondo gordura em células de
gordura e libera ácidos oleosos na corrente sangüínea. Os tecidos que não precisam utilizar glicose para
energia (por exemplo, células dos músculos), começam a queimar os ácidos oleosos. Isto reduz a
demanda de glicose para que as células nervosas obtenham a glicose.

Quando o fígado fica sem glicogênio, ele inicia um processo conhecido como
gluconeogênese. A gluconeogênese transforma aminoácidos em glicose.
O fígado então começa a produzir cetona a partir de ácidos oleosos que foram
disponibilizados no sangue pela lipólise. O cérebro e as células nervosas passam
de consumidores de glicose para consumidores parciais de cetona para obter
energia. Este é o motivo pelo qual a dieta Atkins também é conhecida como uma
dieta cetogênica.
O que isso significa em linguagem simples? Teoricamente, a dieta Atkins permite que
o corpo passe de uma máquina que usa carboidratos como combustível, para uma
que usa gordura para a mesma finalidade. Entretanto, uma dieta com pouco ou
nenhum carboidrato força o estoque de gordura do corpo a se transformar na sua
principal fonte de energia.
Para entender melhor como o corpo perde peso na dieta Atkins, você deve analisar o Imagem cedida por Atkins®
modo como o corpo utiliza o açúcar como combustível. Para transformar açúcar em Uma variedade de
combustível, o corpo usa o hormônio insulina. A insulina faz nossas células produtos Atkins
transformarem carboidratos em glicose, através do controle da quantidade de açúcar
estão disponíveis
no sangue. O corpo secreta insulina para impedir que o nível de açúcar no sangue
fique muito alto. Insulina é um hormônio de armazenagem, o que significa que ela faz com que o açúcar que nós
não utilizamos como combustível para ser armazenado como gordura. Ela também evita que o corpo queime a
gordura armazenada. A dieta Atkins sugere que é esta "resposta da insulina" que continua a acrescentar
gordura aos nossos corpos. Esta função é um trunfo quando a comida é escassa, mas alimentos abundantes
em açúcar e com alto teor de carboidrato acarretarão o acúmulo de gordura no corpo.
Ao contrário, uma dieta com baixo consumo de carboidrato permite que o corpo libere menos insulina. De
acordo com a dieta do Dr. Atkins, quando os níveis de insulina estão normais, o corpo começará a queimar sua
própria gordura como combustível, resultando assim, em perda de peso. Mantendo os níveis de insulina
estáveis, o corpo não somente queima gordura, mas também sente menos fome e ansiedade. De modo simples,
de acordo com os seguidores de Atkins, a dieta tenta controlar os níveis de insulina através do controle da
quantidade de carboidratos ingeridos.
Glossário de termos Atkins
• Carboidrato: um dos nutrientes que fornece
calorias para o corpo. São compostos de carbono,
oxigênio e hidrogênio conhecidos como açúcares
simples. Fontes incluem grãos, frutas, vegetais,
nozes, legumes e outros alimentos.
• Introdução: a fase inicial da dieta Atkins dura no
mínimo duas semanas. Durante esse tempo,
recomenda-se que o consumo de carboidrato não
passe de 20 gramas por dia, a fim de ativar a cetona,
processo no qual o corpo queima a própria gordura
para obter energia.
• Insulina: um hormônio natural secretado pelo
pâncreas que ajuda a transportar a glicose para as
células de músculos e outros tecidos, onde ela é
armazenada para uso da energia. Insulina também é
conhecida como hormônio produtor de gordura.
• Cetona: produtos normais do metabolismo da
gordura, quando existem carboidratos insuficientes
como fonte de energia. Para as pessoas que estão
restringindo o consumo de carboidratos, a presença
da cetona na urina indica o início da fase da queima
de gordura, que resultará em perda de peso.
• Cetose: processo biológico que surge quando não
há glicose suficiente disponível como fonte de
energia não está disponível a partir dos carboidratos
ingeridos e o corpo passa a utilizar a gordura como
fonte de energia principal.
• Proteína: um dos nutrientes que fornece calorias.
A proteína é necessária para o crescimento e
manutenção de todos os tecidos humanos. Ela é
composta de 22 aminoácidos. A proteína abastece o
corpo com energia e calor e é necessária para a
fabricação de hormônios, anticorpos e enzimas.
Fontes de proteínas incluem carnes vermelhas e
brancas.
Fonte: Atkins® Web site

Vantagens e desvantagens
Agora que você entende como funciona a dieta Atkins, vamos ver algumas vantagens e desvantagens de ingerir
pouco carboidrato. De acordo com o site do Dr. Atkins, existem quatro benefícios principais que os participantes
ganham seguindo a dieta do Dr. Atkins:
1. Perda de peso - quando reduzimos os carboidratos, o corpo ao invés de utilizar os carboidratos como
fonte de energia, passa a queimar gordura para esse fim. Isso resulta em perda de peso.
2. Manutenção do peso - cada indivíduo tem um nível de ingestão de carboidrato, com o qual não
ganhará, nem perderá peso. A dieta Atkins permite ao corpo determinar esse nível, através de um eventual
aumento na quantidade de carboidratos que ingerimos.
3. Boa saúde - os seguidores da dieta Atkins são estimulados a comer alimentos ricos em nutrientes
com vitaminas e suplementos nutricionais quando necessário.
4. Prevenção de doenças - diminuir a ingestão de carboidrato e, por sua vez, a produção de insulina
pode ajudar a prevenir doenças como diabetes.
O site também lista algumas desvantagens da dieta. As duas principais desvantagens são mau hálito, que é
resultado do excesso da produção de cetona e constipação intestinal.
Enquanto alguns consideram a seletividade da dieta uma desvantagem, os seguidores da dieta Atkins são
rápidos em apontar que somente os carboidratos são restringidos, deixando como opção vários outros
alimentos.
Imagens cedidas por Atkins®
Um exemplo de menu seguido pela dieta Atkins. Você pode
encontrar receitas para cada um destes itens no site Atkins.
E, ao contrário de muitas outras dietas, não há restrição de quantidade para a maior parte do que você ingere.
Embora, de acordo com a dieta Atkins, é improvável que você coma demais porque:

• sua ansiedade será reduzida


• alimentos ricos em proteínas e com alto teor de gordura satisfazem e enchem mais o estômago
As comunidades médica e nutricional vêm se preocupando mais e mais com as desvantagens adicionais da
dieta Atkins. Muitos acreditam que a dieta é uma solução temporária ao problema permanente de perda de
peso. Em outras palavras, limitar os carboidratos aos níveis que Atkins planeja fazer pode ser muito difícil de
manter para algumas pessoas. Além de tudo, o americano come uma grande quantidade de carboidratos e a
eliminação total desse grupo de alimentos pode não ser algo que os seguidores de dietas consigam fazer por
muito tempo.
Muitos grupos médicos têm se pronunciado sobre os possíveis riscos a longo prazo da dieta Atkins, tais como
pedras nos rins, úlceras e infecções recorrentes nos rins. Além disso, no passado, pesquisas mostraram que
ingerir altos níveis de gordura saturada, como os seguidores da dieta Atkins freqüentemente fazem, pode ter
efeitos negativos na saúde, incluindo aumento do colesterol que pode levar a doenças cardíacas e derrame.
Debates sobre a dieta Atkins continuam e parece que a comunidade médica está dividida sobre a questão.
Vamos ver o que os especialistas estão dizendo.
A opinião dos especialistas
Como mencionado anteriormente, existe uma grande controvérsia sobre a dieta Atkins e outras dietas de baixo
consumo de carboidratos. A controvérsia geralmente gira em torno do consumo de alimentos com alto teor de
gordura e proteína, que são apontados como responsáveis por doenças do coração e outras indisposições.
A controvérsia atingiu o ápice quando os médicos do Physician's Committee for Responsible Medicine (PCRM -
que aderiu ao PETA) posicionaram-se contra a dieta Atkins em dezembro de 2003, queixando-se que dietas
com muita gordura e restrição de carboidratos podem levar ao aumento do risco de doenças crônicas e
problemas de saúde. De acordo com o relatório do PCRM de 2003, 429 pessoas relataram problemas com
dietas de altos teores de proteína e restrição de carboidratos. As complicações incluem pedras nos rins,
problemas no coração (13 indivíduos relataram infarto), problemas gastrointestinais, incluindo úlcera, diarréia e
infecções renais. Na verdade, a American Academy of Family Physicians (Academia Americana dos Médicos de
Família) aponta que a ingestão de altos teores de proteínas é responsável pela alta ocorrência de casos de
pedras nos rins nos Estados Unidos.
Todavia, críticos do PCRM acreditam que estes estudos não podem provar uma relação de causa e efeito entre
a dieta de Atkins e os problemas de saúde. Na verdade, ainda existem poucas pesquisas sobre os efeitos a
longo prazo da dieta Atkins. Parece que mais estudos serão necessários para examinar completamente os
efeitos da dieta Atkins e outras dietas de baixo consumo de carboidratos. De acordo com um relatório recente
da ABC News intitulado "A dieta Atkins é perigosa?", especialistas sugerem que ensaios clínicos randomizados
adicionais são necessários.

• De acordo com o Dr. Arthur Frank, diretor da George Washington University Weight Management
Clinic (Clínica de Controle do Peso da Universidade George Washington), em Washington, D.C., "A
maioria dessas dietas são utilizadas por pouco tempo pelas pessoas. O impacto de qualquer
intervenção a curto prazo em doenças do coração é insignificante. Uma questão importante é o que
acontece a longo prazo."
• Dr. Keith-Thomas Ayoob da Albert Einstein College of Medicine (Faculdade de Medicina Albert
Einstein), em Nova York, diz:
Eu gostaria de ver um estudo de pelo menos 18 meses, preferencialmente de 2 anos, com
acompanhamento para avaliar os resultados.
Estes estudos iriam monitorar peso e colesterol e acompanhariam os pacientes para o caso de
reações adversas, tais como doenças do coração e problemas renais.
De acordo com outro relatório da rede de notícias ABC News, um novo estudo publicado pelo New England
Journal of Medicine (Jornal de Medicina da Nova Inglaterra) comparou a perda de peso de indivíduos obesos na
dieta Atkins com dietas tradicionais de consumo de poucas calorias e gorduras.
Imagens cedidas por Atkins®
Um dos muitos livros disponíveis sobre o regime alimentar
Atkins®
Depois de um ano, não havia diferença de peso entre os grupos. O grupo seguidor da dieta Atkins, entretanto,
aumentou os níveis de HDL (o colesterol "bom"). Estes resultados parecem sugerir que a dieta Atkins pode não
contribuir para aumentar os níveis de colesterol, mesmo que a dieta contenha alimentos ricos em colesterol.
Todavia, muitos membros da comunidade médica permanecem preocupados com o aumento dos níveis de
proteína e gordura consumidos enquanto as pessoas seguem o regime alimentar Atkins. Além dos níveis de
colesterol e doenças do coração, eles também estão preocupados com a função renal. Um aumento no
consumo de proteína leva a um aumento de cetona nos rins. O alto nível de cetona ou cetose que ocorre com a
dieta Atkins pode ser responsável pela diminuição da função renal. De acordo com pesquisadores de Harvard,
citado no estudo do PCRM, indivíduos que consomem grandes quantidades de proteína correm o risco de perda
permanente da função renal.
Independentemente da bem sucedida perda de peso dos seguidores da dieta Atkins, médicos e nutricionistas
continuam a preocupar-se com os efeitos na saúde causados pela dieta. O Alerta sobre a dieta Atkins (em
inglês) do PCRM, sugere que os carboidratos não são necessariamente responsáveis pelo ganho de peso. Na
verdade, muitas pessoas em toda a Ásia comem grandes quantidades de carboidratos e geralmente pesam
menos que os americanos. Além disso, muitos especialistas são categóricos em dizer que os carboidratos são
uma parte essencial da dieta humana.
Em resposta a isso, os seguidores de Atkins apontaram que a dieta Atkins limita a ingestão de carboidratos,
mas não o elimina completamente. Embora o consumo de carboidrato seja bastante restrito nas fases
"introdução" e "perdendo peso" da dieta Atkins, progressivamente mais quantidades de carboidratos,
especialmente os "bons carboidratos", como saladas, vegetais folhosos e frutas, são permitidos durante as
fases de "pré-manutenção" e "ciclo de manutenção".
Por fim, decidir fazer um regime alimentar, incluindo a dieta Atkins, é uma decisão pessoal. E como trata-se de
uma mudança radical nos hábitos alimentares, é uma boa idéia discutir esta questão com o seu médico
primeiro.
Para mais informações sobre a dieta Atkins e tópicos relacionados, confira os links na próxima página.