Você está na página 1de 1

Da Alegria

Um punhado de lanterninhas brancas acesas. o sorriso de ns todos quando


a alegria e o prazer esto por perto. So feixes de luz que descortinam as
sombras e abrem caminho para a msica. Danam os msculos da face,
danam as substncias do ser, danam as borboletas por dentro.

Na morada da alegria tudo arco-ris e sinfonia; e tambm a presena de


quem se ama e o perfume inexplicvel que permanece na ausncia. No h
sonho, nem fantasia na alegria. Ela o tato, o fato. Ps no alcanam peso
algum e ombros se transformam em balo. Leveza! Leveza que se v.
Transfigurao.

intensa ou no , vibrante ou nem isso mas chega, se instala, contamina


e modela. E o dia no se vai.

Alegria, minha alma enamora de ti!


Simone Profeta