Você está na página 1de 22
epoy ap oyuasaq 2 PPOW ©P OyBes2q | ONTO FS Desenho de Moda - Volume 2 Bina Abling Langamento 2011 ISBN: 978-85-212-0620-0 Paginas: 266 Formato: 21 x 28 cm www.blucher.com.br I 3 ml 88521 BINA ABLING Desenho ;. Moda sto ob fone instiével poo qualquer ris, iustodor ov designer, mos 6 de parclor volr por estudntes de design de modo. Desenko de mado 6 ‘elena eferomenta de opredizado mois cuoinda de sua 6a, Orgoizodo taionalmentee com coneidoopresentodo de modo igi, 6 ico io de iusnacbo dd moda qu incorpo este vertical de Aesgn de modo e squéncia de opresentacéo tips: desde os primaire esbocs co Aesenha de isto, de plano 0 specs Wenics. Todos 0 pics — meso shut, tines tratomento de teidos ~séo ‘cidadosomenteobordados, como ocotece 10 mercado de modo. Por meio é sua bordogem préia oo desenb, feito «port de digromos, etx acharé 0 métdo es ‘Weis de Bina Kes de seguir snteizr plate 4 aplate2 caplalo plate plate? Trajes e detalhes de trajes Quinta EDICAO nn de Mada Votan +] Contetdo / Proporgées da figura humana tem desenho de moda Desenhando homens Desenhando criangas / Formas bisicas da figura humana Desenhando 0 modelo CCabegas em desenho de Moda Blucher Volume 2 Capitulo 8 Acess6rios Introduga0.....esuereues Joatheria seen Desenho de cabegas para joalheria Desenhos de mios e pés para joalheria.. culos de s0l Desenhando chapéus masculinos Desenhando chapéus femininos.. Cintos. Bolsas.. “ Desenho de artigos para pés Saltos altos. Desenhando calgados femininos pa 240) 242 244 246 248 250 252 254 256 258 260 262 264 266 268 270 Jason Buchanon Clara Yoo... Resumo/Tarefas.. Técnicas basicas de representagao Introdugio. 271 Listras 272: Quadrados, xadrezes € padres escoceseS mua 274 Padroes. 276 278 280 Reduzindo uma estampa.. Representando um tecido, Representacao do tecido .. 282 ‘Tecidos pesados. 284 ‘Trago de caneta € marcador COlOTidO snes 286 Representacao integral em preto. 288 Sombreado... 290 Luzes ou sombras 292 294 296 Sombreando a figura. Sombreado expressivo .. “Tecidos transparentes. 10 Representagao com cor Introduca Representacao de cor de pele com marcadores. Representagao de trajes masculinos com marcadores .. Representacao de roupas de criangas com marcadores Guache Misturando cores para aquarela Representacio de tecidos em aquarela. Desafios da cor em desenho de moda .. Yves Saint Laurent Emilio Pucci Carolina Herrera, Rudi Gemreich . Geoffrey Been James Galanos André Courréges. Amold Scaasi Representacao do cabelo.. Resumo/Taref: it ut Desenhando tricés Tero aera tiecacses tee te oe S27 Tried essencial wns Desenhando trieds Tricés como desenhos planos Poses € representagdes parciais .. Pontos basicos de tric6, Padrdes repetidos.. Cordas ¢ combinagées Imitando padroes de tricotados .. ‘Tratamento de superficies em tric ssmnsseuses 344 siisnees 930. Saida Mouradov Christina Kwon. Resumo/ Tarefas. 346 350 354 2 O tracado do designer e a ilustragao de moda Introdugao.. ‘Combinando poses para looks de mod: Atitudes em poses Aritudes ¢ contradigées Mustrador X designe Ver X sentir: Exagero X informaci Estilizagdo de projeto: Enfase do design Diregdo de design. Jodie Lan. Anthony Manfredonia.. ustragdes antigas para roupas femininas Resumof Tarefasevensmunneeneetnesntn B Desenhos planos e specs RPI aretrenssnsccineonntmonmeensnsenssenen SD Padrdes de figura para desenhos planos nme 386 Partes de cima de vestimentas Modelos para blusas ¢ vestid0s suvsnus Partes de baixo Modelos para saias e calcas. Estrutura para planos Entendendo planos. 388 Planos de trajes de hanho e roupas intimas. 398 Planos de roupas femininas exteriotes a.semme 400 Planos de vestidos e vestidos para noite Apresentagdo ou portfolio dos planos sneu 402 Croquis combinados com planos.. Planos de trajes masculinos. Planos de calgas masculina: Planos de calgas Planos de camisas, jaquetas ¢ blazers masculinos. Planos de criangas Specs .. Medindo ¢ detalhando para um spec... ‘Analisando uma roupa. Planos e specs. Layout Introduga vs ‘Composigio para layout Figuras e acess6rios.. Espago ¢ formas em um layout. Agrupando figuras Escolhas de layout .. Layout espontaneo. Artistas convidados Elizabeth Kennedy Christina Kwon. 442 446 448 Diciondrio de desenho Alguns problemas snes Lapis de cor Voce precisara de trés tipos de lapis: dura; 2. com mina macia; 3. aquarelado. Quanto a mina, mais macio e escuro o lapis -com mina mais gross seré. As minas mais duras conferem aos lipis linhas mais nitidas, Ha lépis aquarelados com variagdes entre as duas categorias. Vocé deve aprender a controlar as técnicas para cada tipo de lapis, porque apresentam resultados muito diferentes. Canetas Canetas apresentam diferentes tipos de pontas. Ha finas, chanfradas, largas ¢ médias. Algumas tém pontas de feltro, outras de metal ou de plistico. Algumas sfo & prova d’gua, ou permanentes, quer dizer que ndo mancham se misturadas com outro material. Seja cético e sempre teste seus materiais. HA canetas com pontas parecidas com pincéis-. Além do preto, também ha coloridas. Teste a cane- ta preta, porque algumas tém um tom avermelha- do, enquanto outras tendem ao acinzentado, em vex do preto puro. Marcadores de ponte de feltro Ha diferentes tipos de marcadores. Alguns fabri- cantes usam diferentes elementos quimicos que agem como cor. Teste cada um dos marcadores que comprar para assegurar que esteja “timid” — nao seco ~e verifique se pode ser usado com outro tipo de marcador. A maioria dos marcadores é compativel. Ha novas opgdes para reposigies de tinta, muitos tipos de pontas e vasta gama de cores. Alguns sio t6xicos. Lembre-se sempre de tampar © marcador apés 0 uso ¢ deixé-lo fora do. aleance de criangas. Capitulo Otto Acessorios O, acessérios si0 componentes integrais de moda, Seu papel nao é apenas pratico; os acess6- rigs adornam, embelezam e decoram. Eles se tor- nam sua propria fonte de estilo ~ classico, provocativo ¢ imaginativo. O mercado para aces- sérios de moda eresceu, A demanda para licencia- mento dos projetos e registro das marcas elevou todas as categorias de acessérios a um novo nivel de importincia para a indiistria e para © piblico consumidor. Este capitulo cobre um pouco dessas categorias— joalheria, éculos de sol, chapéus, cintos, bolsas ¢ calgados ~ dando-Ihe uma base sélida para construit. As tendéncias favorecem uma categoria ou outra, estagio apés estagio, mas se vocé planeja com antecedéncia ¢ pratica todas, sempre estaré preparado para as tltimas mudangas de estilo. Antes de aprender a ilustrar os detalhes de pro- jetos ou de gemologia, vocé precisa aprender a desenhar as formas basicas de joalheria. Os culos de sol si combinagdes fantasticas de diversio ¢ fungdo. Os cintos € os chapéus navegam na onda do estilo, como fazem todos os seus cortes ¢ recor- tes. As bolsas desfrutam sua cobigada posi¢ao de acessério favorito. Os calgados sio forgas motrizes no mercado € suas novas técnicas de design aumentaram seu conforto e sua durabilidade, Os acess6rios sio um campo de estudo por seu pro- prio mérito. Este capitulo ira ajud4-lo a praticar alguns dos métodos preliminares de desenho para manté-lo sintonizado com esse aspecto da moda. 248 eSEMMO 1008 Desenhando chapéus masculinos Desenhar chapéus requer conseguir equilibrio entre o tipo de chapéu e 0 estilo em que é usado — a pose do chapéu na cabeca. O ajuste do chapéu é sempre importante. A copa do chapéu deve estar sobre a metade da cabega. A aba geralmente corta © rosto na linha dos olhos. Capitulo Nove Técnicas basicas de representacao Az aplicasao e a evolugao das linhas feitas a cane- ta ea lapis so aspectos essenciais em um desenho, razio pela qual deve ser enfatizado o entendimen- to da imensa diversidade de estilos e de técnicas de representagao. Este capitulo ird apresentar a voce as muitas possibilidades que existem além dos con- tornos basicos da figura ou da vestimenta e as indi- cages das caracteristicas do tecido. tecido em um desenho (isto é uma ilustra- Go) nao € necessariamente uma referéncia & fibra on algo produzido por tecelagem; é uma superficie de interesse de um tecido particular - por exemplo, uma listra, um xadrez ou um escocés. Pode ser em conjunto com outra superficie de interesse, como tum tric com uma corda, ou um ponto fantasia. Essas superficies de interesse combinam padres texturas, Quando se desenha um padrio ou textu- ra, a imagem é chamada de representago. Este capitulo foi expandido para incluir infor- magées mais extensas sobre uso de marcadores de ponta de feltro para representagio de uma varie- dade mais ampla de tecidos, de s6lidos simples as superficies mais complexas como jacquards ou tecidos brilhantes. Essas técnicas de representagio devem servir como trampolins para vocé mergu- thar ¢ criar solugdes novas para problemas de representagdo de tecidos em uma roupa. Ha sem- pre mais de um modo para representar qualquer tecido especifico. Qualquer pessoa tem seu préprio método de representagao, que é baseado em estilo ou individualidade artistica. Vocé encontrara seu proprio método por meio da pratica das técnicas mostradas neste capitulo. Lembre que cada solu 40 pode levar a outro problema e, consequente- mente, a sua solugio. A solugio de problemas para desenhar tecidos é facilitada depois que vocé se torna mais familiarizado com os materiais e esco- thas de meios e quando vocé adquire percepgo.em relagdo ao tempo que consome para completar a tarefa. Todas as ligdes neste capitulo 0 ajudarao a encontrar respostas para esses problemas. 28¢ = Deseno Tecidos pesados 0s tecidos pesados aperfcigoardo suas habilidades de representacao ¢ agusario seus olhos para decifrar rmesclas de texturas de materiais grossos, canclados, ‘com relevos, com fibras, semelhantes a pelo de ani- ‘ais, ou apenas os diversos tipos de la que sio agru- pados nas colegdes de outonofinverno. Essa variedade olevari a trabalhar, com marcadores coloridos ¢ lapis de cox, superficies de interesse mais pesadas, grossas ¢ Valores de cor e gama de cor de marcador volumosas. Use a gama de cores do mareador e de textura para lipis de cor (mostradas abaixo) como um guia para praticar, preparando suas barras de tes- tes. Combine cores com gamas de valores de referén- cia e seus lapis para a gama de texturas. O trago de caneta foi usado aqui como parte das margens da textura de pelagens, que também podem ser facil- mente feitas com tragos de lapis de cor. Litpis de cor ¢ gama de texture Técnicas de representacho para qualquer weto Aquarele. Marcadores coloridos > Contornto & construgio de Ca base decor osontras * Ponta. ipis ow, wae 5 * Caneta para conti I * Gaeta pain eto = + Base de cor & sombras + Ponta de lapis e textouras conv a lateral Borvito de. lay ie Capitulo Dez Representagao com cor Exe capiculo sobre cor divide o processo de repre- sentag4o em passos. Prové exemplos que servirao para tecidos usados em trajes casuais e formais, para xadrezes ¢ paetés, para tons de pele e de cabe- lo. Vocé dispora de seus materiais, canetas ¢ marc dores ou tintas de qualquer qualidade e trabalhara asso a passo. O texto a seguir mostraré como tra- balhar para obter 0 aspecto dominante de um teci- do ou a diregio de uma primeira impressio para ilustrar materiais de cores sélidas ou com padroes. (ef > a Este capitulo comega com tons de pele basicos apresentando 0 colorido sélido € colorido feito em camadas, mais complexo. Ha ligdes para represen- tar mulheres, homens e criangas. Marcadores tinta, aquarela e guache sio utilizados no decorrer do capitulo, Sio meios usados na inddstria da moda. Sio apresentados arquivos de referéncia de moda para pesquisa e desenvolvimento de cor. < Representacho com cor A representagio de cor é repleta de escolhas. A primeira coisa a fazer é testar as escolhas. Os tes- tes, como mostrado, devem incluir tanto opgdes s6lidas como sombreamentos. Faca 0 seguinte exercicio: crie tiras de cores ¢ tente 0 uso de cor sobre cor, camadas Ginicas e duplas. Lembre-se de rotular todas, de acordo com o nome da cor do 303 AD Rosa AD pér do sol Bronzeado marcador ¢ do fabricante, de modo que nao es queceré como conseguiu aqueles resultados. Nao se esqueca de anotar os tipos de papel. Ha poucos tipos de papéis especiais para marcado- res também para vocé testar. Tenha certeza de comprar papel branco brilhante, que nao borre ¢ semitranshicido. Capitulo Onze Desenhando tric6s Eece capitulo & uma introdugio para as variagbes do desenho, styling e representagio para moda de roupas em tric6 para mulheres, homens ¢ criangas. ‘Tricés feitos A mao ou 4 maquina sao uma cons- tante na indiistria da moda, independentemente do tipo de fibra, fio ou estacao. Tricds sempre estarao “in” em algum lugar. Estao aqui para ficar ¢ fazer parte de seu vocabulirio de desenho. Este capitulo cobre 0 basico do desenvolvi- mento da intrincada Area de interesse ¢ da dimen- sao complexa dos projetos em tricé. Essas técnicas basicas de desenho comecam com canelado e con- tinuam com texturas ¢ motivos de estampas, Um pouco dos termos mais comuns do vocabulirio do tricd esto incluidos. Este capitulo nio é um “como fazer” técnico dos tecidos de malha; em vez disso, vocé aprender como desenhé-los. Aqui, também sao apresentadas algumas técni- cas de ilustragao de pontos, de tecelagem e de bor- dado. Quanto mais praticar styling de malharia, mais vocé desejar4 saber a respeito. No final deste capitulo voc’ estaré curioso o suficiente para pes- quisar sobre a técnica do tricé. Ha diversos manuais instrucionais maravilhosos sobre como tricotar. E um oficio e uma arte com caracteristicas préprias. Combinar suas habilidades em desenho com pesquisas sobre malhas ¢ tricé irs ajudé-lo a desenvolver imagens para demonstrar a incrivel variedade do mercado atual. my \ WS 337 Tricds feitos com agulhas grossas, li espessa € pontos volumosos, geram representacdes de carreiras largas, caneladas. Para imitar a aparéncia deste ponto meia, desenhe linhas alter- nadas de sementes estufadas dispostas em V ou padrdes em chevron. Conjuntos repetidos de canelados, como este 3 x 3, sio de representacio simples. Inversamente, sio de definigo dificil, se © traje for desenhado em pequenas dimensées, ou fécil, se a roupa for dese- nhada muito justa na figura, Pratique carreiras de canelado parcial, de modo que as linhas sejam vistas como tricota- das e nao como listras. Capitulo Doze O tracado do designer e a ilustragdo de moda Avprimeica vista, pode ser dificil separar um dese- nho feito por designer de uma ilustragio de moda, ‘mas h4 uma diferenga. principal objetivo de um desenho feito por designer € mostrar a roupa; principal objetivo de uma ilustragio de moda é mostrar a pessoa usando a roupa. Cada tipo de desenho tem uma fungao especifica - o designer trabalha para a indistria de moda, enquanto a ilustragio de moda tem cunho comercial. Algumas vezes, essas duas fungdes se sobrepdem. Outra maneira de distinguir 0 desenho feito pelo designer da ilustragao de moda é notar qual comunica melhor. Na indiistria de moda, geral- mente s6 uma diferenga se destaca entre ambos: 0 desenho feito pelo designer é para trabalho ¢ o da ilustragao de moda para o consumidor, Neste capi- tulo voce aprender como desenhar nos dois estilos. Isso o habilitara a fazer escolhas mais fundamen- tadas sobre seus proprios desenhos. Este capitulo Ihe dara uma visio aprofundada de como uma ilustragao deve “trabalhar”, in- cluindo indicagdes sobre a escolha de poses para criar 0 clima certo para 0 desenho; sobre 0 uso de atitude © contradigio em seu trabalho; © sobre transmitir como uma se pessoa “sente” ao usar ‘uma roupa, diferentemente de como uma pessoa “parece” ao usar uma roupa. Uma ilustragio pode transmitir muita informacao em um instante. Este capitulo ampliara sua habilidade de fazer isso. Os artistas cont de estilos de como fazé-lo. lados irao mostrar uma ampla gama 35@ Desenho de Moda Atitudes em poses Na primeira parte deste capitulo, exploramos a seleyao da pose certa para uma roupa em particular. Agora vamos explorar outra interpretagio para selecionar uma pose: atitude, Em uma pose, a atitude transmite a mensagem tanto de como o cliente/modelo se sente no traje de moda quanto o alvo que a roupa visa (de acor- do com o ponto de vista da indiistria de moda). A lingnagem sutil do corpo em uma pose projeta uma atitude, que tanto pode complementar quanto ‘contradizer uma roupa. Por exemplo, imagine um traje para noite em uma pose ativa, esportiva, Os resultados = bons ou maus — esto sujeitos & sua proposta de ‘moda, para combinar aquele traje com aquela pose. Conservadora Graciosa ow owprofssionad elegante Esportive owativa Aqui, quatro trajes esto desenhados em qua- tro poses com atitudes complementares. Cada pose foi coordenada com um traje, Cada pose nao é somente uma escolha para 0 traje com o qual foi ‘emparceirada; juntos, pose e traje transmitem um “look” que age para uma afirmagio de moda. As quatro atitudes ilustradas nesta pagina sio: 7 Conservadora é estitica ¢ séria; madura. 2 Elegante € controlada ¢ formal. 3 Esportivaé ativa ¢ em movimento. F ‘Tendéncia€ brincalhona, ativa; jovem. poses bdsicas: Pose-I | Pose justi, controlada Pose-S 5 Pose simuosa, dlegante Pose aberta, Pose-x Pe Pose meodificada, Pose-T Fa btiv, do foco dnico Capitulo Treze Desenhando planos e specs Eue capitulo cobre uma area que, frequentemen- te, € negligenciada tanto por calouros como por veteranos, mas que € vital para ilustragio de design de moda. Durante todo o process de tra- balho, a construgio, os planos ¢ os specs do design sio usados em conjunto com as ilustragées. Este capitulo contrasta os estigios simples usados no desenho de um plano e de um spec. Embora a ilustragio seja informativa, nio € precisa como um spec ou plano, porque mostra a figura usando um traje. Tire a figura de dentro da roupa, planifique esse traje ¢ cle se tornardé um plano. Esse plano comunicara a forma e os deta- Ihes de construgdo, Transformar © plano em um spec requer ir além da forma e da construgio ¢ medir os detalhes. Todas as medidas sio usadas para estabelecer classificagio do modelo ¢ dos 9 esté além do tamanhos. Esse tipo de instrug: escopo deste livro. O objetivo deste capitulo é dar Ihe uma nogao deste processo ¢ ensiné-lo a dese- nhar planos e specs. Ha duas abordagens principais para desenhar planos e specs. Uma é usar uma régua enquanto se desenha; a outra é desenhar & mao livre (sem a ajuda da régua). Os dois métodos sio bons, mas € recomendavel aprender ambos. A iiltima tecno- logia adotada pela indistria foi a producio de planos por computador. A versio de planos por computadores pode ser mais ripida e mais preci- sa que aquela desenhada 4 mio; entretanto, para melhores resultados, 0 entendimento bisico de como desenhar planos é essencial, mesmo quando esses planos sio obtidos por meio de um progra- ma de computador. Desenhando planos & specs 395 Conguisnen abr Vista posterior mostrando 0 Mas p tntovior da parte daz frente e-saias planas Frente Costas, C 0s planos podem ser simples ¢ verdadei- ros ou vocé pode dar um passo adiante e tra- balhar o interior da frente ou das costas para mostrar a roupa como s¢ estivesse fora do corpo ou pendurada. D As vezes, vocé precisa de vistas de perfil, em um plano para explicar a construgio de uma costura lateral especial, que nao pode ser explicada nos planos de vista frontal ou posterior. Layout ¢ sindnimo de composigao. A beleza ¢ atragdo da composigio derivam de seu equili- brio, impacto visual e mensagem de moda. A mensagem pode ser elemento trabalhado de publicidade ou um componente separado de design com valor intrinseco, ou a diregio de arte. © layout é um tema diverso e de muita riqueza criativa. Muito de seu estudo é baseado em liber- dade artistica, gosto pessoal e estilo. A composi 80 pode comegar com um coneeito. Pode reunir diversas imagens em um pequeno espaco ou atin- gir sutilezas minimalistas em um grande espago. Ha muitos fatores que contribuem para um layout bem-sucedido. Este capitulo, por meio de texto ¢ ilustragées, explicara um pouco das solu- ges simples em um nivel de iniciante, Essas estruturas basicas para a composigao de figuras de moda e seus acess6 os so apresentadas como um proceso para 0 qual vocé pode inventar seus proprios layouts. No fim desse capitulo, vocé tera uma ideia melhor de como desenhar composigdes de layout de ilustragio de moda e design. Combinar pees relacionadas em layouts © comps meio do uso da cor da linha e da forma. A compo- Composigio Segucentos PON ap OYas9q | ONTIENNIG we Este livro esta a venda nas seguintes livrarias e sites especializados: Blucher Cg saraiva lvrariacullura @ Livrarias Curitiba Blucher INOVACAO E EXCELENCIA EM DESIGN DE MODA