Você está na página 1de 39
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 1/39

Nome

do

aluno:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Nome

do

aluno:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Nome

do

aluno:

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Data da entrega:

Horário da Atividade:

. . . . Data da entrega: Horário da Atividade: NÚMERO DA BANCADA: HORÁRIO DA ATIVIDADE

NÚMERO DA BANCADA:

HORÁRIO DA ATIVIDADE ACADÊMICA:

CADERNO DE LABORATÓRIO

Medidas Elétricas em Corrente Alternada

Professor: Eduardo Augusto Martins

Universidade do Vale do Rio dos Sinos — UNISINOS Escola Politécnica Unisinos – Laboratório de Máquinas Elétricas e Instalações Industriais – C02 129 Avenida Unisinos, 950 – CEP 93.022-000 – Bairro Cristo Rei – São Leopoldo – Rio Grande do Sul – Brasil Fone: (51) 3591 1122 – Ramal: 1781 – E-mail: eamartins@unisinos.br

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 2/39

ATIVIDADE 1

MEDIÇÃO DE TENSÃO E CORRENTE EM CIRCUITOS DE CORRENTE ALTERNADA

OBJETIVOS:

E CORRENTE EM CIRCUITOS DE CORRENTE ALTERNADA OBJETIVOS: • Estudar métodos de funcionamento e leitura de

Estudar métodos de funcionamento e leitura de medidores de tensão e corrente em circuitos de corrente alternada;

Capacitar o aluno sobre a maneira correta de instalação de voltímetros e amperímetros;

Aplicação de conhecimentos desenvolvidos.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 1, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 1, de acordo com a simbologia adotada: Figura 1: Medição de corrente e

Figura 1: Medição de corrente e tensão alternada.

(a)

P046:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P041:

(d)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 1.

3. Observe a forma que o amperímetro é conectado ao circuito:

3.

4. Observe a forma que o voltímetro é conectado ao circuito:

4.

5. Alimentar o circuito corretamente.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 3/39

6.

Efetuar as leituras de corrente e tensão, calculando os valores de pico das grandezas medidas:

 

(a)

Tensão eficaz:

(a)

 
 

(b)

Tensão de pico:

(b)

 

(c)

Corrente eficaz:

(c)

 

(d)

Corrente de pico:

(d)

 

7.

Realizar as medições utilizando o instrumento digital e o alicate amperímetro.

 

(a)

Tensão eficaz:

(a)

 
 

(b)

Corrente eficaz:

(b)

 

8.

Desligar a alimentação do circuito.

 

9.

Desconecte a fase S e conete ao NEUTRO da fonte.

10.

Alimentar o circuito.

11.

Efetuar as leituras de corrente e tensão, calculando os valores de pico das grandezas medidas:

 

(a)

Tensão eficaz:

(a)

 
 

(b)

Tensão de pico:

(b)

 

(c)

Corrente eficaz:

(c)

 

(d)

Corrente de pico:

(d)

 

12.

Realizar as medições utilizando o instrumento digital e o alicate amperímetro.

(a)

Tensão eficaz:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 4/39

ATIVIDADE 2

MEDIÇÃO DE FREQUÊNCIA

OBJETIVOS:

ATIVIDADE 2 MEDIÇÃO DE FREQUÊNCIA OBJETIVOS: • Instruir sobre a forma correta de ligação de um

Instruir sobre a forma correta de ligação de um frequencímetro;

Oportunizar a leitura de frequência com equipamento próprio para medição;

Aplicar conhecimentos de montagem do circuito proposto.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 2, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 2, de acordo com a simbologia adotada: Figura 2: Medição de frequência. (a)

Figura 2: Medição de frequência.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P040:

(c)

(d)

P041:

(d)

(e)

P042:

(e)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 2.

3. Observe a forma que o amperímetro é conectado ao circuito:

3.

4. Observe a forma que o frequencímetro é conectado ao circuito:

4.

5. Alimentar o circuito corretamente.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 5/39

6. Realizar as leituras de corrente eficaz consumida pela carga e da frequência de alimentação:

(a)

Corrente:

(a)

(b)

Frequência:

(b)

7. Realizar as medições utilizando o instrumento digital e o alicate amperímetro.

(a)

(b)

(c)

(d)

Corrente eficaz:

Tensão eficaz R 100 :

Tensão eficaz R 50 :

eficaz

Tensão

L 300 mH :

(a)

(b)

(c)

(d)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 6/39

ATIVIDADE 3

MEDIÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA

OBJETIVOS:

ATIVIDADE 3 MEDIÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA OBJETIVOS: • Conceituar o fator de potência e sua

Conceituar o fator de potência e sua representação vetorial;

Capacitar sobre o funcionamento do cossefímetro e o processo de leitura do fator de potência e instalação do equipamento;

Verificar as diferenças entre circuitos indutivos e capacitivos.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 3, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 3, de acordo com a simbologia adotada: Figura 3: Medição de fator de

Figura 3: Medição de fator de potência (φ).

(a)

P028:

(a)

(b)

P041:

(b)

(c)

P040:

(c)

(d)

P042:

(d)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 3.

3. Observe a forma que o cossefímetro é conectado ao circuito:

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Realizar a leitura do fator de potência do circuito.

3.

(a) Fator de potência:

(a)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 7/39

6. Desligar a alimentação do circuito.

7. Substituir o indutor conectado ao circuito por um capacitor.

8. Alimentar o circuito.

9. Repetir a medida do fator de potência utilizando o cossefímetro:

(a)

10. Esboçar a representação vetorial dos dois casos medidos:

(a) Fator de potência:

utilizando o cossefímetro: (a) 10. Esboçar a representação vetorial dos dois casos medidos: (a) Fator de
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 8/39

ATIVIDADE 4

MEDIÇÃO DA DEFASAGEM TENSÃO / CORRENTE EM UM INDUTOR

OBJETIVOS:

DA DEFASAGEM TENSÃO / CORRENTE EM UM INDUTOR OBJETIVOS: • Verificar o atraso de corrente de

Verificar o atraso de corrente de 90 deg em relação à tensão;

Capacitar para a instalação de medidores diversos.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 6, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 6, de acordo com a simbologia adotada: Figura 4: Medição da defasagem tensão

Figura 4: Medição da defasagem tensão / corrente em um resistor.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 6.

3. Alimentar o circuito corretamente.

4. Realizar a leitura das grandezas amostradas pelos medidores:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente:

(b)

(c)

Tensão:

(c)

(d)

Fator de Potência:

(d)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 9/39

5. Desligar a alimentação do circuito.

6. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 5, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 5, de acordo com a simbologia adotada: Figura 5: Medição da defasagem tensão

Figura 5: Medição da defasagem tensão / corrente em um indutor.

(a) P042:

(a)

7. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 5.

8. Alimentar o circuito corretamente.

9. Realizar a leitura das grandezas amostradas pelos medidores:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente:

(b)

(c)

Tensão:

(c)

(d)

Fator de Potência:

(d)

10. Pesquisar e elaborar uma breve explicação sobre o comportamento da tensão, corrente e fator de potência observado nos diagramas das figuras 5 e 6.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 10/39

ATIVIDADE 5

MEDIÇÃO DA DEFASAGEM TENSÃO / CORRENTE EM UM CAPACITOR

OBJETIVOS:

DA DEFASAGEM TENSÃO / CORRENTE EM UM CAPACITOR OBJETIVOS: • Verificar o atraso de tensão de

Verificar o atraso de tensão de 90 deg em relação à corrente;

Capacitar para a instalação de medidores diversos.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 6, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 6, de acordo com a simbologia adotada: Figura 6: Medição da defasagem tensão

Figura 6: Medição da defasagem tensão / corrente em um resistor.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 6.

3. Alimentar o circuito corretamente.

4. Realizar a leitura das grandezas amostradas pelos medidores:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente:

(b)

(c)

Tensão:

(c)

(d)

Fator de Potência:

(d)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 11/39

5. Desligar a alimentação do circuito.

6. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 7, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 7, de acordo com a simbologia adotada: Figura 7: Medição da defasagem tensão

Figura 7: Medição da defasagem tensão / corrente em um capacitor.

(a) P044:

(a)

7. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 7.

8. Alimentar o circuito corretamente.

9. Realizar a leitura das grandezas amostradas pelos medidores:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente:

(b)

(c)

Tensão:

(c)

(d)

Fator de Potência:

(d)

10. Pesquisar e elaborar uma breve explicação sobre o comportamento da tensão, corrente e fator de potência observado nos diagramas das figuras 6 e 7.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 12/39

ATIVIDADE 6

IMPEDÂNCIA INDUTIVA EQUIVALENTE

OBJETIVOS:

ATIVIDADE 6 IMPEDÂNCIA INDUTIVA EQUIVALENTE OBJETIVOS: • Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Verificar a influência de impedâncias indutivas nas leituras dos medidores instalados.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 8, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 8, de acordo com a simbologia adotada: Figura 8: Impedância indutiva equivalente em

Figura 8: Impedância indutiva equivalente em circuito RL série.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

(f)

P042:

(f)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 8.

3. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 8.

X L = 2 · π · f · L

S = V · I

Z = R 2 + X L

2

ϕ Z = arctan X L

P

R

ϕ Z = arccos R

Z

Q = V L · I

P = V R · I

cos ϕ = S

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 13/39

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

6. Com o instrumento de medição digital, meça as tensões sobre cada uma das cargas:

(a)

Tensão sobre o resistor V R=100 :

(a)

(b)

Tensão sobre o indutor V L=300 mH :

(b)

7. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 9 , de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 9 , de acordo com a simbologia adotada: Figura 9: Impedância indutiva equivalente em

Figura 9: Impedância indutiva equivalente em circuito RL paralelo.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

(f)

P042:

(f)

8. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 9.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 14/39

9. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 9.

X L = 2 · π · f · L

S = V · I

Z =

1

1 R 2 +

L 2

1

X

ϕ Z = arctan X L

P

10. Alimentar o circuito corretamente.

11. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

12. Com o instrumento de medição digital, meça as tensões sobre cada uma das cargas:

(a)

Tensão sobre o resistor V R=300 :

(a)

(b)

Tensão sobre o indutor V L=300 mH :

(b)

R

ϕ Z = arccos R

Z

Q = V L · I

P = V R · I

cos ϕ = S

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 15/39

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 16/39

ATIVIDADE 7

IMPEDÂNCIA CAPACITIVA EQUIVALENTE

OBJETIVOS:

ATIVIDADE 7 IMPEDÂNCIA CAPACITIVA EQUIVALENTE OBJETIVOS: • Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Verificar a influência de impedâncias capacitivas nas leituras dos medidores instalados.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 10, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 10, de acordo com a simbologia adotada: Figura 10: Impedância capacitiva equivalente em circuito

Figura 10: Impedância capacitiva equivalente em circuito RC série.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

(f)

P040:

(f)

(g)

P043:

(g)

(h)

P044:

(h)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 10.

3. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 10.

S = V · I

P

X C =

1 f · C

2 · π ·

Z = R 2 + X C

2

ϕ Z = arctan X C

R

ϕ Z = arccos R

Z

Q = V C · I

P = V R · I

cos ϕ = S

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 17/39

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

6. Com o instrumento de medição digital, meça as tensões sobre cada uma das cargas:

(a)

Tensão sobre o resistor V R=150 :

(a)

(b)

Tensão sobre o capacitor V C=5//10 µF :

(b)

7. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 11 , de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 11 , de acordo com a simbologia adotada: Figura 11: Impedância capacitiva equivalente em

Figura 11: Impedância capacitiva equivalente em circuito RC paralelo.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P041:

(e)

(f)

P044:

(f)

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 18/39

8.

9.

Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 11.

Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 11.

X C =

1

1

ϕ Z = arctan X C

ϕ Z = arccos R

2 · π · f · C

1 R 2

+

1

C 2

R

Z

X

 

Z =

S = V · I

P

10.

11.

12.

Alimentar o circuito corretamente.

Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

Com o instrumento de medição digital, meça as tensões sobre cada uma das cargas:

(a)

Tensão sobre o resistor V R=300 :

(a)

(b)

Tensão sobre o capacitor V C=10 µF :

(b)

Q = V C · I

P = V R · I

cos ϕ = S

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 19/39

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 20/39

ATIVIDADE 8

IMPEDÂNCIA EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC LI- GADO EM SÉRIE

OBJETIVOS:

EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC LI- GADO EM SÉRIE OBJETIVOS: • Capacitar sobre a impedância equivalente em

Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Verificar a influência de impedâncias capacitivas nas leituras dos medidores instalados.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 12, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 12, de acordo com a simbologia adotada: Figura 12: Impedância equivalente em circuito RLC

Figura 12: Impedância equivalente em circuito RLC série.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P040:

(e)

(f)

P044:

(f)

(g)

P041:

(g)

(h)

P042:

(h)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 10.

3. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 12.

S = V · I

P

X C =

1 f · C

2 · π ·

X L = 2 · π · f · L

Z = R 2 + (X L X C ) 2

C 2 · π · X L = 2 · π · f · L Z

ϕ Z = arccos

R

Z

Q = V C · I

P = V R · I

cos ϕ = S

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 21/39

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

6. Com base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.

base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 22/39

ATIVIDADE 9

IMPEDÂNCIA EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC LI- GADO EM PARALELO

OBJETIVOS:

EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC LI- GADO EM PARALELO OBJETIVOS: • Capacitar sobre a impedância equivalente em

Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Verificar a influência de impedâncias capacitivas nas leituras dos medidores instalados.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 13, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 13, de acordo com a simbologia adotada: Figura 13: Impedância equivalente em circuito RL

Figura 13: Impedância equivalente em circuito RL e RC em paralelo.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P040:

(e)

(f)

P041:

(f)

(g)

P042:

(g)

(h)

P043:

(h)

(i) P044:

(i)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 13.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 23/39

3. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 13.

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

6. Com base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.

base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 24/39

ATIVIDADE 10

IMPEDÂNCIA EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC MISTO

OBJETIVOS:

10 IMPEDÂNCIA EQUIVALENTE DE CIRCUITO RLC MISTO OBJETIVOS: • Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos

Capacitar sobre a impedância equivalente em circuitos CA;

Verificar a influência de impedâncias capacitivas nas leituras dos medidores instalados.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 14, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 14, de acordo com a simbologia adotada: Figura 14: Impedância equivalente em circuito RLC

Figura 14: Impedância equivalente em circuito RLC misto.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P040:

(e)

(f)

P042:

(f)

(g)

P043:

(g)

(h)

P044:

(h)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 14.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 25/39

3. Calcular a impedância equivalente e o fator de potência para os diagramas do circuito 14.

4. Calcular a corrente consumida pelo circuito, a partir do cálculo da impedância e do conhecimento da tensão de entrada.

5. Alimentar o circuito corretamente.

6. Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

7. Comparar os valores lidos com os valores calculados.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 26/39

8. Com base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.

base nos valores calculados e posteriormente lidos, esboce o diagrama fasorial da impedância equivalente deste circuito.
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 27/39

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 28/39

ATIVIDADE 11

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA EM CIRCUITO MONOFÁSICO

OBJETIVOS:

11 MEDIÇÃO DE POTÊNCIA EM CIRCUITO MONOFÁSICO OBJETIVOS: • Conceituar potências ATIVA, REATIVA e APARENTE; •

Conceituar potências ATIVA, REATIVA e APARENTE;

Capacitar quanto à instalação de equipamentos de medição de potência elétrica.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 15, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 15, de acordo com a simbologia adotada: Figura 15: Medição de potência em circuito

Figura 15: Medição de potência em circuito com carga monofásica e característica indutiva.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P040:

(e)

(f)

P041:

(f)

(g)

P042:

(g)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 15.

3. Calcular as potências ativa, reativa e aparente do circuito 15.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 29/39

4.

Alimentar o circuito corretamente.

 

5.

Fazer as medições indicadas nos instrumentos e conferir os resultados:

(a)

Frequência:

(a)

 
 

(b)

Corrente eficaz:

(b)

 

(c)

Tensão eficaz:

(c)

 

(d)

Fator de potência:

(d)

 

6.

Desligar a energia do circuito.

 

7.

Conectar o wattímetro ao circuito, de forma que seu terminal entrada de corrente fique ligada em série com a saída de corrente do cossefímetro e seus terminais de tensão estejam ligados em paralelo aos terminais do cossefímetro.

8.

Alimentar o circuito corretamente.

 

9.

Realizar a medição da potência ativa, comparando o resultado com o valor calculado.

(a)

Potência ATIVA:

(a)

 
 

10.

Desligar a energia do circuito.

 

11.

Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 16, de acordo com a simbologia adotada:

 
 
 

Figura 16: Medição de potência em circuito com carga monofásica e característica capacitiva.

(a)

P027:

(a)

 
 

(b)

P043:

(b)

 

(c)

P044:

(c)

 

12.

Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 16.

13.

Acrescente ao circuito 16 o medidor de Fator de Potência.

 

14.

Alimentar o circuito corretamente.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 30/39

15. Realizar a medição da potência ativa, comparando o resultado com o valor calculado.

(a)

Potência ATIVA:

(a)

(b)

Fator de potência:

(b)

16. Construir o triângulo de potências das cargas medidas nos circuitos anteriores.

(b) Fator de potência: (b) 16. Construir o triângulo de potências das cargas medidas nos circuitos
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 31/39

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 32/39

ATIVIDADE 12

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA EM CIRCUITO MONOFÁSICO

OBJETIVOS:

DO FATOR DE POTÊNCIA EM CIRCUITO MONOFÁSICO OBJETIVOS: • Verificar a influência do fator de potência

Verificar a influência do fator de potência no consumo de energia;

Oportunizar a correção do fator de potência em circuitos reativos.

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 17, de acordo com a simbologia adotada:

do circuito 17, de acordo com a simbologia adotada: Figura 17: Circuito com característica indutiva para

Figura 17: Circuito com característica indutiva para correção do fator de potência.

(a)

P047:

(a)

(b)

P036:

(b)

(c)

P008:

(c)

(d)

P028:

(d)

(e)

P040:

(e)

(f)

P041:

(f)

(g)

P042:

(g)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 17.

3. Acrescentar o wattímetro ao circuito.

4. Alimentar o circuito corretamente.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 33/39

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos:

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

(e)

Potência ativa:

(e)

6. Construir o triângulo de potências da carga.

(e) 6. Construir o triângulo de potências da carga. 7. Desligar a energia do circuito. 8.

7. Desligar a energia do circuito.

8. Calcular o capacitor necessário para a correção do fator de potência do circuito para ϕ = 0, 92.

C =

2 · π · P f · V 2 · (tan (ϕ medido ) tan (ϕ desejado ))

9. Corrigir o fator de potência, instalando o capacitor calculado no circuito.

10. Alimentar o circuito corretamente.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 34/39

11. Repetir as leituras nos instrumentos instalados.

(a)

Frequência:

(a)

(b)

Corrente eficaz:

(b)

(c)

Tensão eficaz:

(c)

(d)

Fator de potência:

(d)

(e)

Potência ativa:

(e)

12. Construir o triângulo de potências da carga.

(d) Fator de potência: (d) (e) Potência ativa: (e) 12. Construir o triângulo de potências da
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 35/39

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 36/39

ATIVIDADE 13

MEDIÇÃO DE POTÊNCIA TRIFÁSICA - MÉTODO DOS DOIS WATTÍMETROS

OBJETIVOS:

TRIFÁSICA - MÉTODO DOS DOIS WATTÍMETROS OBJETIVOS: • Compreender a medição de potência usando diagrama

Compreender a medição de potência usando diagrama fasorial;

Compreender a correta instalação de equipamentos de medição.

OBSERVAÇÕES:

Pode ser aplicado em sistemas balanceados ou desbalanceados;

Os wattímetros precisam estar adequadamente conectados;

Os wattímetros não lêem as potências individuais de cada fase;

Potência ativa trifásica: P = P 1 + P 2 ;

Potência reativa trifásica: Q = 3 · (P 2 P 1 );

Potência aparente trifásica: S = P 2 + Q 2 ;

Fator de potência: cos (ϕ) = P

S ;

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 18, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 18, de acordo com a simbologia adotada: Figura 18: Circuito para medição de

Figura 18: Circuito para medição de potência trifásica.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 37/39

(a)

P027:

(a)

(b)

P041:

(b)

(c)

P040:

(c)

(d)

P042:

(d)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 18.

3. Alimentar o circuito corretamente.

4. Fazer as medições indicadas nos instrumentos:

(a)

Wattímetro (R) :

(a)

(b)

Wattímetro (T) :

(b)

5. Construir o diagrama fasorial, de acordo com os valores medidos.

: (a) (b) Wattímetro ( T ) : (b) 5. Construir o diagrama fasorial, de acordo
UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 38/39

ATIVIDADE 14

ANÁLISE DE POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS

OBJETIVOS:

14 ANÁLISE DE POTÊNCIA EM SISTEMAS TRIFÁSICOS OBJETIVOS: • Compreender a medição de potência usando diagrama

Compreender a medição de potência usando diagrama fasorial;

Compreender a correta instalação de equipamentos de medição.

OBSERVAÇÕES:

Pode ser aplicado em sistemas balanceados ou desbalanceados;

Os wattímetros precisam estar adequadamente conectados;

Os wattímetros não lêem as potências individuais de cada fase;

Potência ativa trifásica: P = P 1 + P 2 ;

Potência reativa trifásica: Q = 3 · (P 2 P 1 );

Potência aparente trifásica: S = P 2 + Q 2 ;

Fator de potência: cos (ϕ) = P

S ;

1. Identificar os componentes e instrumentos de medição do circuito 19, de acordo com a simbologia adotada:

medição do circuito 19, de acordo com a simbologia adotada: Figura 19: Circuito para análise de

Figura 19: Circuito para análise de potência trifásica.

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 -

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Escola Politécnica Unisinos – São Leopoldo 100839 - Eletrotécnica Página 39/39

(a)

P036:

(a)

(b)

P027:

(b)

(c)

P035:

(c)

(d)

P008:

(d)

2. Efetuar a montagem de acordo com o diagrama elétrico mostrado na figura 19.

3. Utilize, como carga trifásica, o diagrama 18.

4. Alimentar o circuito corretamente.

5. Fazer as medições indicadas nos instrumentos:

(a)

Aperímetro (R) :

(a)

(b)

Aperímetro (S) :

(b)

(c)

Aperímetro (T) :

(c)

(d)

Wattímetro (R) :

(d)

(e)

Wattímetro (T) :

(e)

(f)

Voltímetro (R) :

(f)

(g)

Voltímetro (S) :

(g)

(h)

Voltímetro (T) :

(h)

(i)

Voltímetro (RS) :

(i)

(j)

Voltímetro (ST) :

(j)

(k)

Voltímetro (TS) :

(k)

6. Construir o diagrama triângulo de potências, de acordo com os valores medidos.

Voltímetro ( T S ) : (k) 6. Construir o diagrama triângulo de potências, de acordo