Você está na página 1de 7
238 Bertolt Brecht 10 O ESPIAO los: os Senhotes Professores estio aprendendo a magchar. © nazistinha puxathes as orelhas ¢ thes ensina a posigio de sentido. Cada aluno, um espido. Nao precisam saber nada ddo mundo ov do universo. Mas é inte- ressante informar: 0 que, de quem € quando, Ai vém as criancinhas. Elas buscam 0 carrasco € 0 lrazem para casa, Delatam 0 proprio pai, chamar- no traidor.E ficam olhando, quando le- ‘vam o velho de mos ¢ pés algemados. Colonia, 1935. Tarde chuvosa de domingo. Homem, Mulber e Meni- no, depois do almogo. Entra a Empregada -Ewenscapa — O senor e a senhora Klimbisch, ao telefone, perguntam ‘se 0s palrdes esto em casa. Homes brusco— Nao. Sai a empregada. ‘Muuier — Vocé devia ter atendido 0 telefone. Eles sabem que ainda ‘estamos em casa. Howem — Por que no podemos ter saido? Munmex — Porque esté chovendo. Howe — Isso nto € motivo. Muuistx — E aonde terfamos ido? Eles vo se perguntar. Honea — HA uma porgio de lugares aonde poderiamos ter ido. “Mouser — Entio por que niio saimos? Howe — Para onde? ‘Mutter — Pena que esti chovendo. Terror € miséria do Terceiro Reich 239 Howes — E aonde iriamos, se no chovesse? ‘Mutts — Antigamente a gente podia se encontrar com alguém. Pausa, Muster — Vocé deveria ter ido ao telefone. Agora eles vao saber que ‘nao queremos vé-los. Hovew — Deixa eles saberem! Munter — & chato nos afastarmos deles agora, justamente quando todo mundo fez a mesma coisa Hoven — Nio nos afastamos deles ‘Murex — Ento por que eles niio podem vir aqui? Hosen — Porque eu acho esse Klimbtsch chatissimo. ‘Mustek — Antigamente vocé no achava. Howes — Antigamente! Pare com isso! Me dé afligao esse seu etemo “antigamente"! ‘Muusier — Seja como for, antigamente voc8 nio o teria cortado s6 por causa do processo da Fiscalizagio Escolar contra ele. Howes — Esti querendo Pausa. lizer que sou covarde? Homem — Entdo telefone e diga a eles que acabamos de voltar, por causa da chuva. A Muther continua sentada, Muuser — Vamos convidar os Lemkes para vir aqui? Howem — Para eles nos dizerem de novo que nao apreciamos bastan- te a defesa antiaérea? Muuiex para 0 Menino — Klaus-Heinrich, deixe esse radio! 0 Menino pega o jomal. 240 Bertolt Brecht Home — Logo hoje, essa chuva; que catistrofe. Nao se pode viver ‘num pais onde um dia de chuva € uma catistrofe, Muuter — Que graga voce vé nesse tipo de observagao? Howew — Dentro de minhas quatro paredes, posso dizer 0 que bem ‘entender, Em minha propria casa nao admito censura Interrompe 0 que esta dizendo, pots entrou. a Empregada com a bandeja do café. Enquanto ela esta presente, ninguém fala, Bla sai Howex — Somos mesmo obrigados a ter uma empregada que € filha do Fiscal-do-Quarteirio? ‘Muuiee — Jd falamos demais nesse assunto. Da iltima ver, voce disse que isso poderia ter suas vantagens. Homi — Sei If se eu disse isso! Vai voce repetir minhas palavras a jquem quer que seja, até para sua mde, € ver’ em que bela situagao ficaremos. Muusez — © pouco que falo com minha mae. ‘A Empregada vem servir café. ‘Muuier — Pode deixar, Erna, eu mesma sirvo. Evenecapa — Est bem, Madame, Saf. Mexwno levantando os olbos do jornal — Todas os padres fazer isso, papai? Howat — Isso, 0 qué? Mexino — O que esté escrito aqui. Howew — 0 que € que voce esté lendo? Arranca-the 0 jomnal da mao. Meno — Nosso Chefe-de-Grupo disse que nés todos pocemos saber ‘0 que diz este jotnal Hosa — Nao me interessa 0 que diz 0 seu Chefe-de-Grupo. O que ‘voce pode ou nfo ler, decido eu. ‘Terror e miséria do Terceiro Reich mn Muuiex — Othe aqui, Klaus-Heinrich, tome dex Pfennig ¢ v4 If fora, ‘comprar alguma coisa para voc’. Mewwo — Esté chovendo! Aperiando 0 resto contra a vidraca, in- deciso, Hosea — Se no cessarem esses artigos sobre 0s processos contra Os padres, vou cancelar a assinatura do jornal, Mutter — E que outro jornal vai assinar? Todos trazem a mesma coisa. Hone — Pois se todos 0s jornais trazem essas porcarias, vou parar de ler jornal. NZo vou ficar ainda mais ignorante sobre o que vai pelo mundo, Muuter — Até que nao € mau fazer esses expurgos. Howem — Que expurgos! Isso é pura politica Muuner — Para nés € indiferente. Somos protestantes. Howew — Mas para 0 povo nfo é indiferente. Eles nunca mais vao poder pensar numa sacrisia sem se lembrar dessas infimias. Muutsr — Mas 0 que é que se pode esperar deles? Essas coisas acon- tecem. Homer — O que se pode esperar? Que eles olhem para o proprio telhado de video. Ouvi dizer que na propria Casa Marrom as coisas no so muito limpas. Murer — Mas isso vem apenas provar que © nosso povo esta se curando de seus males, Karl! Homm — Curando-se de seus males! Bela cura. Se isso € cura, cu prefiro a doenca. 242 Bertolt Brecht Howes — © que haveria de acontecer no colégio? E pare, por favor, de dizer que estou nervoso: é isso que me enerva Muster — Por que brigamos tanto? Antigamente, Karl. Howes — Jé estava esperando, “Antigamente! Nem antigamente nem hoje eu gostaria que a imaginagdo de meu fitho fosse envenena- dda com essas coisas. Musser — Onde esti cle? Howest — Como € que eu posso saber? ‘Mute — Voeé viu 0 menino sair daqui? Hoses — Nao. Muuten — Nao entendo como ele pode ter safdo. Chama — Klaus- Heinrich Sai da sala, Ouve-se sua voz chamando, Volta a sala. ‘Mutter — Saiu mesmo! Howst — E por que nto deveria sai Muzitin — Est chovendo a cAntaros! Hoxem — E voct fica assim tio nervosa, s6 porque 0 menino saiu? Muaiten — Do que € que n6s estivamos falando mesmo? Howat — Que tem isso a ver? ‘Muuiek — Nos Gltimos tempos vocé nio se tem controlado. Hones — Nao acho que nao me tenha controlado. Mas, ainda assim, (© que € que lem a ver meu descontrole com 0 faio de que 0 menino saiu? ‘Muuten — Voce bem sabe que eles escutam, Terror e miséria do Terceiro Reich 8 Home — E dai? Munten — E da E se ele for contar? Sabe 0 que ensinam aos garotos na Juventude Hillerista? Eles so abertamente estimulados a con- tar tudo 0 que ouvem em casa, Nao deixa de ser estranho cle ter saido daqui tio de mansinho. Howat — Bobagem. ‘Mutner — Vocé nao viu quando ele saiu? Viowes — Ficou uma porgo de tempo na janela Mourn — Gostaria de saber 0 que foi que ele ouviu. Howes — Mas cle sabe 0 que acontece as pessoas que sio denuncia- das por alguém. Muir — E aquele garoto, de quem falaram os Schmulkes? Parece que © pai dele continua no campo de concentragio. Se eu sou- besse até que ponto ele escutou a nossa conversa... Hose — Mas tudo isso é loucura! Corre aos outros aposentos e chama pelo Menino. Muuten — Nao posso acreditar, Ele nio iria lé sem nos dizer uma nica palavra, Ele no é assim, Hose — Vai ver que foi a casa de um colega. Muu — Entio s6 poderia ser 2 casa dos Mummermanns, Vou ligar para TTelefona. ‘Hosa’ — Para mim, € alarme falso. Munex ao telefone — Aqui € a esposa do assessor Furcke. Boa tarde, senhora Mummermann, Klaus-Heinrich estd ai em sua casa? Nao? Entio nao sei onde ele pode estar. Diga-me uma coisa, 24 Bertolt Brecht senhora Mummermann, a sede da Juventude Hitlerista fica aber- ta aos domingos a tarde? Sim? Ah, muito obrigada, entio vou perguntar Desliga. Os dois ficam sentados em silencio. Hoya — Mas 0 que € que vocé acha que ele pode ter escutado? Muuier — © que voce falou sobre 0 jomal. Também no deveria ter dito aquilo sobre a Casa Martom, © garoto € muito nacional- socialist. Hovex — Que foi que eu disse sobre a Casa Marron? ‘Muuter — Nao se lembra? Vocé ‘muito limpas, isse que Id também as coisas no so Howes — Mas isso no pode ser considerado um ataque. Nio muito limpas, ou melhor, nao totalmente limpas, € apenas uma idéia atenuada, em tom de brincadeira, em linguagem popular, no sentido de que, na Casa Marrom, nem tudo, dadas as circunstin- cis, funciona como desejaria 0 nosso Falhres! Ressaltei, aids, 0 cariter de simples probabilidade, usando as palavras “ouvi zer", 0 que atenua fortemente 0 sentido da frase. Eu nao disse {que as coisas i nio sio limpas. Nao tenho prova nenhuma disso. Eu nao disse: “sio". Disse que “ouvi dizer", Onde esti o ser humano, também esté a imperfei¢a0, Nao disse nada além disso, € 0 que disse foi de forma atenuada. Atm disso, 0 pro- prio Fohrer jé externou suas criticas sobre 0 assunto, ¢ de forma muito mais contundente. Munter — Nao estou entendendo. Comigo voce no precisa falar de: se jeito, Howea — Quem me dera que nio precisasse! Nio sei dircito 0 que vvocé repete If fora sobre o que eu possa dizer, num momento de exaliagio, aqui entre essas quatro paredes. Entenda bem, aio ‘estou querendo dizer que vocé tenha 0 propésito de espalhar levianamente coisas que possam prejudicar seu marido. Assim como nao acredito que nosso filho possa fazer alguma coisa contra 0 proprio pai. Mas, infelizmente, hi uma grande diferen- ‘ca em se fazer mal a alguém e saber 0 mal que se esté fazendo, ‘Terror e miséria do Terceito Reich 25 Dusit — Pare com isso melhor vigiae a propria lingua! Fev aqui, {quebrando a cabeca para me lembrar se voc8 falou da Casa Marrom antes ou depois de dizer que nio se pode viver na Alemanha de Hitler. Howitt — Isso eu nio disse, em momento algum. Mute — Voce me trata como se eu fosse da policia! S6 estou queren- do saber 0 que 0 garoto ouviu, Hose — Eu no uso a expresso Alemanha de Hitler; nlo faz parte do meu vocabultio. Minner — E 0 que vocé falou sobre o Fiscal-de-Quarteirio? E sua frase sobre as mentiras dos jomais? E 0 que disse criticando a defesa antia€rea? © menino nao ouve nada de positivo! Isso ndo é bom para uma personalidade em formacio, s6 serve para prejudicar a juventude. E, como diz e repete o Fuhrer, a juventude alema 6 0 futuro alemio, © menino de fato no € assim, ¢ nao iré 1 cor- rendo nos denunciar. Estou me sentindo mal. Estou enjoada, Hove — Mas ele é vingativo, ‘Muuisr — E por que se vingaria de nos? Howe — Sei l! Sempre hé algum motivo. Talvez porque eu tenha ‘mandado tirar aquele sapo do quarto dele. ‘Muuter — Mas isso jf faz uma semana. Howes — Vai ver ele nao gostou. ‘Muusier — E por que vocé tirou © sapo do menino? Hom — Porque 0 bicho ndo cagava moscas! Estava morrendo de fome! O menino nao dava comida a0 sapo! Muuter — E que ele tem muito 0 que fazer. Howe — £, mas 0 sapo aio tinha culpa. 26 Bertolt Brecht ‘Muuten — O garoto nem tocou mais no assunto, Agora mesmo eu Ihe dei 10 Pfennig. Ele tem tudo 0 que quer. Host — £. Iss0 € suborno. -Muutex — Que quer dizer com isso? Hows — Vao dizer que tentamos subornar 0 menino, para ele nto abrir a boca contra nés. Muuizx — Que acha que eles poderiam fazer com voce? Host — Tudo! Nao hi limites para o que eles podem fazer. Meu ‘Deus do Céu! Como ser professor? Formador da juventude? Eu tenho medo da juventude! Muuitr — Mas eles t€m tudo contra todos, Todos sao suspeitos. Se ba ‘suspeita, 2 pessoa se torna um suspeito. Mas 0 menino no pode ser considerado uma testemunha digna de crédito, Uma crianga nao sabe o que diz. Hoven — & 0 que voce pensa. E, aliés, desde quando eles precisam de testemunhas para alguma coisa? Muuiex — Nao podemos pensar o que dizer para explicar suas pala- ‘vras? Poderemos dizer que o menino entendeu mal o que voce disse. Home — Mas que posso eu ter dito? Nao me lembro mais. Culpada de tudo é a mesda dessa chuva. A gente fica de mau humor. E teu seria dltimo a dizer qualquer coisa contra o wemendo so- ‘erguimento moral que 0 povo alemio esti experimentando nos dias de hoje. J4 em finais do ano de 1932 eu previ tudo 0 que iia acontecer. Muster — Karl, agora nfo temos tempo para conversar sobre isso. Precisamos nos preocupar em saber explicar tudo direitinho. E ripido, Imediatamente, NZo podemos perder um minuto, Homi — Nao posso acreditar que Klaus-Heinrich fizesse isso. end ‘Terror miséria do ‘Terceiro Reich 27 ‘Muuitex — Pois bem, primeiro as palavras sobre a Casa Marrom ¢ a5 porcarias... ‘Howew — Nao pronunciei a palavra “porcaria" Muxitex — Vocé disse que © jornal esta cheio de porcarias ¢ que ia cancelar a assinatura. ‘Howes — Sim, o jornal! Mas no a Casa Marrom! Muusier — Vocé pode ter dito que nfo aprovava as porcarias nas sacristias, ndo € Exatamente essas pessoas, hoje acusadas, € que no passado espalhavam os boatos sobre @ Casa Marrom, no € jsso mesmo? Diziam até que nem tudo era limpo na Casa Mar- rom! E voc’ ainda disse que elas deveriam cuidar do proprio. telhado de vidro, j4 naquele tempo! E 0 que voct disse 20 meni- no foi: largue 0 ridio € lela 0 jornal, pois voce € de opinio que a Juventude do Terceiro Reich deve ter os olhos bem abertos para tudo 0 que acontece em redor, no € mesmo? Hove — Nio adianta mais nada. ‘Muutex — Karl, vocé no pode desistir agora, Tem de ser forte, como o Fairer. Hows — Eu no quero ser levado a jufzo e ver no banco das testemu- ‘nhas a carne da minha came, sangue do meu sangue, depondo contra mim. ‘Muusier — Nao deve olhar as coisas desse jeito. Howe — Foi leviandade nossa freqiientarmos os Klimbtschs. Muusex — Mas nfo aconteceu nada com ele. Howe — £, mas ha uma suspeita no ar, contra ele. Munster — Mas se todos aqueles sobre quem pesou a nuvem de uma suspeita fossem desesperar.. 248 Bertolt Brecht Howe — Vood acha que o Fiscal-de-Quanteirio tem algo contra nos? Muutsx — Esti pensando que ele pode ser interrogado, se houver suspeita de nés? Fle acabou de ganhar uma caixa de charutos, no aniversirio! E a gratificacao do fim-de-ano foi generosa. Howe — Os vizinhos do lado, os Gauls, deram a ele 15 marcos! Muuier — f, mas os Gaulls em 1932 ainda liam o jornal antinazista, ¢ ‘em maio de 1933 ainda punham na janela a bandeira preta- branca-e-vermelha, O welefone toca, ‘Muuiex — Devo atende:? ‘Mux — Quem pode ser? Howe — Espere um pouco. Se tocar mais uma vez vocé atende. Esperam, O telefone para de tocar. Hoven — Isto nfo € mais vidal Mouser — Karl Hower — Seu filho & um Judas! Fica sentado a mesa, tomando a sopa {que Ihe servimos, enquanto escuta tudo 0 que os pais dizem Espido! Muuier — Nio diga uma coisa dessast Pausa, Muntex — Acha que deviamos tomar alguma providencia? Howes — Ser que os homens virdo j4, com 0 menino? Monier — Tudo € possivel, nfo & Terror e miséria do Terceiro Reich 29 Hoist — Nao € bom eu pér a minha cruz-de-ferro? Munn — Claro que sim, Karl (0 Homem busca a condecoragao militar e a coloca, com as méos tromulas, ‘Muir — Mas no hi mesmo nada contra vocé no colegio? Howes — Como posso saber? Estou pronto a ensinar tudo 0 que eles ‘quiserem que eu ensine. Mas 0 que € que eles querem? Se eu Soubesse! Como hei de saber o que eles querem que seja, por exemplo, a figura de Bismarck? Os novos livros didéticos estio saindo tao devagar! Escute, nfo € melhor dar mais 10 marcos & empregada? Ela vive escutando. Muutex concordando — f., E o retrato de Hitler ficaria melhor sobre a sua escrivaninha, nfo acha? Howe — £. Pode pendurar. A Mulber tenta mudar de lugar 0 retrato. Howat — Mas se 0 menino disser que mudamos o retrato de lugar de ‘prop6sito, isso nao vai dar impressio de consciéncia culpada? A Mulher pendura o retrato no lugar antigo Howes! — Vocé ouviu 0 barulho da porta? ‘Muuiex — Nao ouvi nada. — Pois eu ouvi. Muusen — Kai A Mulber 0 abraca. Hows — Controle seus nervos. Asrume algumas mudas de roupa para eu levar Ouvo.se bater a porta da mua, Homem e Mulber estio juntos, de pé, no canto da sala, estarrecidos. Entra 0 menino, com um saco de papel na mdo. Pausa. 250 Bertolt Brecht Meno — Que hi com voces? Muuier — Onde esteve? (O Menino mostra o saco de bombons. ‘Mutter — Voeé foi s6 comprar chocolate? ‘Mexivo — claro, Que mais eu iria faze? © Menino atravessa a sala ¢ sai, devorando os bombons. Seus pais olbam-no com ar interrogativo. Hoist — Seri que ele est dizendo a verdade? A Muther da de ombros. 11 OS SAPATOS PRETOS 14 vém 08 Grfios e as vivas. Promete- ram-thes bons tempos. Mas primeiro € necessirlo muito sacrifcio ¢ muito im- posto, ¢ grande aumento do prego da ‘came. Falta muito para os bons tempos. Bitterfeld, 1935. Cozinha de uma habitacdo proletdria, A Mae des- casca batatas. A Filba de sreze anos faz 0 dever de casa. Faia — Mamie, vocé vai me dar os dois Pfennig? Mar — Para a Juventude Hitlerista? Fusia—E ‘Maz — Nao tenho dinbeiro, Fuxsa — Se eu nio levar dois Pfennig por semana, nao vou poder ir para o campo, nas ferias. E 2 professora disse que Hitler quer que 4 cidade € 0 campo se conhecam. As cidades devem se aproximar dos camponeses. Eu tenho que levar os dois Pfennig, “Tertor © miséria do Terceiro Reich 21 Mar — Vou ver se posso arranjar 0 dinhciro. Fata — Que bom, mie. Vou ajudar voce « descascar as batatas. £ bom o campo, nio é? Coisas gostosas para comer. Outro dia, a professora de gindstica me disse que ev estou barriguda de tanto comer batatas. Mae — Vocé nao tem barriga nenhuma. Faia — &, agora nio tenho mais. Mas no ano passado eu tinha um pouquinho de barriga. Nao muito. Mar — Vou ver se consigo comprar dobradinha, de vez em quando, Fuss Na escola me dio pio branco, mie. E isso vood no tem, mie. Berta disse que no campo tinha gordura de ganso para passar no pio, F as vezes tinha até carne. Que delicia, nao € Maz — &, sim. Fusta — E 0 ar puro, Mar — E ela também teve de trabalhar? Fits — Claro, Mas tinha muita comida, Em compensagao, cla disse que 0 camponés foi grosseiro com ela Miz — Como assim? ruta — Nada, s6 que nfo a deixava em paz Mas — Ah, set Fuss — Mas Berta era maior que eu. Ela € um ano mais velha. ‘Mar — Faga logo esse seu dever de casa! Pausa. Fiuia — Mas, mile, eu ndo vou ter de calcar 0s sapatos pretos velhos da associagao de caridade, vou?