Você está na página 1de 7

Técnicas de Gestão de Bases de Dados

Curso Tecnológico de Informática

Actividade de laboratório 1
Normalização

Para cada um dos problema a seguir descrito:

A. Apresente um esquema das estruturas finais para o modelo relacional.


Para cada tabela criada explique o seu papel, as chaves criadas, as suas
relações de integridade referencial, bem como os seus atributos.
B.Faça um esboço do conteúdo das tabelas com os dados do exemplo, ou
arranje um novo.
C.Elabore uma lista de respostas que pode dar baseadas no modelo criado.

1 STAND AUTOMÓVEIS
Num determinado ramo de negócio existem várias marcas concorrentes,
cada uma com várias gamas sendo cada gama de um segmento. Cada
gama pode ter várias montagens cada uma com componentes possíveis
do segmento. Acontece, por vezes, que um dado comprador de um
automóvel decide pela compra de um automóvel com determinados
extras, podendo ocorrer uma alteração na montagem predefinida.

Na tabela seguinte mostra-se um exemplo. Pode ver-se que a marca A tem


no segmento 1 as gamas 2 e 3, a gama 2 tem a montagem 14 e a gama 3
tem as montagens 16, 18 e 19D. A marca M tem no segmento 3 a gama
E com as montagens 20, 32 e 22D.

Exemplo de dados: Montagens

Segmentos 1. 2. 3. 4.
Marcas
A 2 14 8 27,42
3 16,18,19D
B 5 20,25,20D,30D 7 50

M A 14,16 C 18,20,20D,22D E 20,32,22D S 32,50

2 EMPRESA DE MÓVEIS
Uma fábrica produz vários modelos de móveis metálicos que pode pintar
em diversas cores. Cada côr é obtida pela composição de componentes
numa proporção certa, podendo ser alterada (para determinado modelo)
por outra composicao requerida por um determinado cliente.

Exemplo de dados:

CÔR COMPOSIÇÃO
X3 70% M3 + 30% M8
B4 60% M3 + 20% M1 + 20% M7
C5 50% M1 + 45% M3 + 5% M2

1
H3 30% M2 + 50% HH + 10% M8 + 10% M23

MODELO CORES
ABC X3, B4, C5, D7
DEF X3, C5, P8
GHI X3, D7

3 CONTROLO DE FALTAS
Pretende-se para os vários funcionários de cada secção de uma empresa
controlar as suas faltas e o tipo de falta. Os funcionários podem passar
por várias secções. Caso seja necessário, um funcionário pode ser
requisitado pelo encarregado da secção para outra secção.

Exemplo de dados:

SECÇÕES
Cód Nome
51 Preparação
52 Fiação
53 Embalagem

FUNCIONÁRIOS
Nome Código Nascimento
ANA 43 17/7/77
JOAO 114 23/9/76
RUI 75 11/3/76
GIL 38 3/5/75
EVA 48 25/2/77

TIPOS FALTA
Cód Descritivo
A tipo um
6 tipo dois
C tipo três
D tipo quatro

FALTAS - TIPO - SECÇÃO


(ano corrente)
3/1-D-51 4/1-D-51 8/3-A-52 13/8-6-53
4/1-A-53 11/6-6-53
5/2-A-51 6/2-A-52 7/2-6-53 11/11-C-53
3/8-A-52 4/9-6-51
5/5-A-51 6/7-6-52 15/8-6-52 16/8-C-51

4 ELEIÇÕES
Numas eleições para um órgão de vários países são eleitos representantes
por diversos partidos de diferentes áreas políticas. Os representantes,
embora sendo eleitos através de um partido, podem ser independentes. O
país e a área são referidos apenas pelo nome; o partido pela sua sigla,
pelo total de representantes eleitos e pelos eleitos na volta anterior; cada

2
representante tem um nome, um número interno e o estado de
independente, ou não. Exemplo de dados:

PAÍSES PARTIDOS ÁREAS REPRESENTANTES


Portugal ABC 3:3 Conservador João Mota 456: N
Rui Sousa 134: S
FTP: 2:3 Liberal Ana Pereira 13: S
Eva Pinto 871: N
Espanha GG: 1:3 Socialistas Carlos Dias 854: N
TRF: 2:1 Conservador Susana Costa 198: N
RDT: 3:2 Liberal Maria Couto 90: N
Joana Cunha 87: S
João Matos 567: N
LMP: 1:0 Comunistas José Palha 881: N

5 GRUPOS MUSICAIS
Um grupo musical tem vários músicos e actua em vários espetáculos.
Cada músico toca num grupo desde uma data inicial e pode deixar de
tocar numa data final, posteriormente pode vir a tocar noutro grupo. Os
espectáculos realizam-se em locais aleatórios e neles podem actuar, além
dos músicos do grupo, outros músicos convidados

Exemplo de dados:

GRUPOS MÚSICOS
GF/ GUARDAFI5CAL EVA (15/3 .. ), EMA (15/3 .. )
55/ 5ILENCIO CINCO IVO (3/2 .. ), PIO (3/2 .. ), LUZ (3/2 .. 6/6)
5M/5ANTOMANEL RUI (1/1 .. ), GIL (1/1 .. ), LUZ (10/6 .. )

ESPECTÁCULOS Data Grupo Músicos Convidados


1/ PORTO 08-09-2000 5M ANA, RUI
2/ FARO 08-09-2000 55
3/6RAGA 10-09-2000 GF
4/ PORTO 12-09-2000 55
5/6EJA 15-09-2000 5M PIO

6 CORPORAÇÃO DE BOMBEIROS
Pretende-se para as várias equipas de emergência de uma corporação de
bombeiros controlar as suas chamadas diárias e o seu tipo. As equipas
respondem a chamadas de várias zonas da cidade.
Exemplo de dados:

EQUIPA

3
Nome Código Facilidades
HELI27 37 GHJND5
MOT03 41 GNACF
AMB8 32 GPOEW
HELI5 48 GHTR
LIG18 71 TDXCV

TIPOS CHAMADA
Cód Descritivo
A Acidente Viação
B Doença súbita
C Acidente Trabalho
D Afogamento

ZONAS
Cód Nome
51 Norte
52 Sul
53 Litoral
54 Interior

CHAMADAS - TIPO - ZONA


(dia 24/10/2000)
8:20-D-51 1O:15-D-51 14:45-A-52 17:50-B-53
9:20-A-53 20:30-B-53
6: 15-A-51 8:25-A-52 10:55-B-53 14:30-C-53
11:20-A-52 17:35-B-51
14:40-A-51 15:20-B-52 18:10-B-52 22:1O-C-51

7 PUBLICIDADE
Uma empresa de publicidade tem de anunciar vários Produtos dispondo
para isso de materiais de diversos Tipos. Cada tipo só pode ser usado
nalguns Suportes. Com os materiais são planeados os anúncios em certas
Datas. Exemplo de dados:

PRODUTO MATERIAL: TIPO/SUPORTE DATAS


MALAS Selva 10s: FILME/ 1V Y 3-11 até 8-11
Viagem 2x5m: PAINEL/ Av. Brasil 4-11 até 6-11
Selva 5s: FILME/ 1V x 1-12 até 10-12, 15-12 até 23-12
SABÃO Cozinha 1x2m: PAINEL/ R. França 15-11 até 22-11,3-12 até 17-12
Dona Casa 10s: GRAVAÇÃO/Rádio p -10 até 18-10, 15-11 até 5-12
Dona Casa 10s: GRAVAÇÃO/Rádio q 6-11 até 21-11
CERVEJA Praia 8s: FILME/ TVx 7-10 até 6-12, 23-12 até 18-12
A4/3: FOLHETO/ Jornal m 6-11, 13-11, 20-11
TELEFONES A5, 4pag: FOLHETO/ Jornal m 6-11, 13-11 até 20-11, 5-12

4
Carro 3s: FILME/ TVy 12-11 até 17-11, 26-11
Montanha 12s: GRAVAÇÃO/ Rádio p 22-11 até 5-12
Carro 15s: FILME/ CINEMA sul 17-11 até 25-11

8 EMPRESA DE CONSTRUÇÃO
Um empresa de âmbito nacional tem funcionários de vários distritos. Os
seus funcionários trabalham numa obra durante alguns dias e são
deslocados para outra, mas podem voltar à mesma por um ou mais
períodos. Cada obra é executada num distrito, tem um período de
execução e um encarregado que é um funcionário como os outros e que
pode nem sequer ser um dos trabalhadores da obra. Para cada período é
necessário registar o total das horas trabalhadas. De igual modo deve ser
registado o total das horas para cada obra. Exemplo de dados:

Obra: Distrito: Funcionário: Distrito: Funcionário: Distrito:


Encarregado: Horas Período: Horas Período: Horas
01: D1: F3: 48h F1:D1: 1/1-7/1: 10h F2:D3: 1/1-4/1: 22h
F3: D2: 10/2-15/2: 12h F1:D1: 10/2-12/2: 4h
02: D2: F1: 24h F4:D5: 15/1-18/1: 9h F2:D3: 12/1-23/1: 15h
03: D1: F2: 17h F1:D1: 2/2-5/2: 10h F3:D2: 16/2-18/2: 7h

9 RESTAURANTE
Um restaurante tem definidas um conjunto de ementas cada uma com uma
variedade de pratos. Semanalmente o gerente consulta o registo das
ementas e escolhe as ementas para a próxima semana.
A partir da ementa para a semana, das receitas e consultando as
existências de ingredientes do restaurante verifica-se que ingredientes é
necessário comprar, elaborando uma lista de compras que é entregue ao
empregado responsável. Para cada ementa existe um registo das
quantidades de cada prato vendidas nas semanas anteriores. a registo é
actualizado quando a ementa está em uso e caso não exista deverão ser
pedidas as quantidades a serem consideradas.
Diariamente, os empregados de mesa para cada cliente que atendem,
registam o pedido, número da mesa, código does) prato(s) pedidos e
respectivo número de doses, bem como as alterações à composição normal
(ex: só arroz; sem salada; com dose extra de pepinos, ... )

10 EMPRESA DE INFORMÁTICA
Uma empresa de informática pretende ter um maior controlo sobre o tempo
gasto a desenvolver aplicações que comercializa. A empresa tem várias
secções e desenvolve diferentes tipos de aplicações informáticas.
Cada secção tem os seus próprios empregados. No entanto, por vezes
devido ao grande fluxo de trabalho os empregados de uma dada secção
podem ir trabalhar no desenvolvimento de uma aplicação pertencente a
uma outra secção.
Uma aplicação pode ser iniciada ou porque foi requerida por um cliente ou
por decisão interna, e qualquer do casos, o director da secção solicitada,
tendo em conta as características da aplicação estima o tempo tot7'
necessário para o seu desenvolvimento e verifica se tem empregados
disponíveis para desenvolver a aplicaçL dentro do prazo solicitado. Caso não

5
haja empregados suficientes, pede aos directores das outras sessões que
lhe facultem empregados.
Uma vez definidos todos os empregados, assinala na Ficha da Aplicação o
requerente (identificação do cliente ou interno), data do pedido, data
prevista conclusão, os nomes dos empregados envolvidos, fase e função
que vão desempenhar, identificação da secção onde vai ser desenvolvida,
identificação das máquinas, linguagem e utilitários que vão usar.
O director, antes de se iniciar o desenvolvimento de uma aplicação, elabora
um mapa, baseando-se na Ficha da Aplicação, com a definição de cada
fase, empregados que a vão executar, data de início e data prevista de fim.
No fim de cada fase o encarregado do desenvolvimento da aplicação, gestor
do projecto, comunica à secretária da secção a data de conclusão dessa
fase, e para cada empregado afecto a e~ta fase a data em que iniciou e
terminou a sua tarefa. Com desta informação a secretária actualiza o
registo dos empregados.

11 FARMÁCIA
Desenvolva um modelo que permita fazer o controlo dos produtos
existentes numa farmácia. Considere que existem diferentes tipos de
produtos: medicamentos, artigos de uso pessoal (cremes, batons,
sabonetes, etc.) e artigos manipulados. Os manipulados são elaborados no
momento em que cada cliente os pede. Cada artigo manipulado é elaborado
através de uma fórmula que indica os componentes e respectivas
quantidades a utilizar. O modelo deve suportar e registar as operações
seguintes:
a) Actualizar as existências sempre que um produto é vendido. Sempre
que há uma venda de um medicamento ou manipulado é registada num
diário de vendas.
b) Emitir notas de encomenda a fornecedores, no fim de cada dia, dos
medicamentos vendidos nesse dia. (Um determinado medicamento só é
fornecido por um fornecedor), bem como os componentes de artigos
manipulados que tenham atingido o seu mínimo em armazém.
c) Actualizar as existências sempre que se recebe um produto.

12 DISTRIBUIÇÃO DE LACTICÍNIOS
Uma empresa de distribuição de lacticínios pretende reorganizar o seu
sistema de informação de modo a poder controlar melhor as datas de
validade dos produtos, e consequentemente as encomendas dos seus
clientes.
A empresa distribui diferentes marcas de lacticínios. Cada marca oferece
uma variada gama de produtos (por exemplo leite, queijos, etc.), e em cada
gama diferentes tipos (por exemplo na gama dos queijos, podem existir
queijo magro, queijo fresco, queijo amarelo, queijo ovelha, etc.).
Como os lacticínios têm prazos de validade, a empresa pretende gerir da
melhor forma o seu armazém. Sempre que há uma encomenda de um
determinado produto, por exemplo queijo magro da marca ABC, a empresa
distribui primeiro o queijo com menor prazo de validade, podendo inclusive,
dependendo da quantidade encomendada, fornecer queijo com diferentes
datas de validade, o que não agrada muito aos clientes.

6
Quando um cliente faz uma encomenda indica a marca pretendida; se não
existir quantidade em stock para satisfazer a encomenda, é dito ao cliente
qual ou quais as marcas alternativas que possuem um produto idêntico.

Interesses relacionados