Você está na página 1de 11
DISCIPLINA: PADRÕES CRISTÃOS PR. VALQUIMAR MACHADO

DISCIPLINA: PADRÕES CRISTÃOS PR. VALQUIMAR MACHADO

ALUNO:

Breno Enrico Soares

VALOR:

Perguntas sobre Deus

1. Quem é Deus? O que é Deus? Como podemos conhecê-lo?

Deus é um Ser infinito, Ele é eterno e incompreensível, invisível, imutável, Todo- Poderoso; totalmente sábio, justo e bom, e uma fonte transbordante de todo bem. Podemos conhecê-lo através de sua criação, das Sagradas Escrituras e através de seu filho Jesus Cristo.

2. Deus existe? Existem evidências da existência de Deus?

Deus sempre existiu e sempre existirá. Uma das evidências de sua existência é sua criação e sua Palavra (Bíblia).

3. Quais são os atributos de Deus? Como é Deus?

Os atributos de Deus podem ser divididos em duas formas: quanto aos atributos morais e naturais de Deus, cabe salientar que esta forma de caracterizar Deus é uma forma humana de quantificar o que é infinito.

Os atributos morais são: Santidade, Justiça e Amor. A Santidade é a plenitude gloriosa da excelência moral de Deus, principio básico de suas ações e aferidor único de suas criaturas. Deus é perfeitamente justo. É fiel em si mesmo e à sua criação. Devido à sua justiça, dá a cada um a sua merecida recompensa.

Quanto às características naturais de Deus, podemos citar a onipresença: o nosso Deus pode estar presente em vários lugares ao mesmo tempo. Ele é onisciente, sabedor de todas as coisas, nada se pode esconder de Deus. O Criador é Onipotente, Ele pode todas as coisas, e embora tenha este poder, ele não pratica o mal devido aos seus atributos morais. Deus é Único e se manifesta nos diferentes modos de sua existência; Ele é infinito, não tendo limites à sua presença, sabedoria e poder; nosso Deus é imutável, não há mudança em Deus; seus propósitos, seus planos sua natureza sempre foram e sempre vão ser os mesmos.

4. Deus é real? Como posso saber com certeza que Deus é real?

Deus é real. Pode-se ter a certeza pela sua criação e pela divina providência: Deus, o grande Criador de todas as coisas, para louvor da glória de sua sabedoria, poder, justiça, bondade e misericórdia, sustenta, dirige, dispõe e governa todas as criaturas, todas as ações delas e todas as coisas, desde a maior até a menor, Deus governa a História! Temos nas Escrituras os inúmeros relatos de seu poder, de sua divina Providência e de sua existência.

5. Deus criou o mal?

Não. O mal não pode ser criado, o mal é a ausência daquilo que é bom, sendo assim o mal não é substância material ou espiritual e sim a corrupção das substâncias que fez o Criador. Deus criou o livre arbítrio, consequentemente, criou a possibilidade do mal existir. O homem em sua queda escolheu o mal, bem como Lúcifer escolheu usurpar o trono de Deus.

6. Por que Deus permite que coisas ruins aconteçam com boas pessoas?

Todos nós, independente de crenças, sofremos. Sofremos por conta do nosso pecado, do pecado do outro, por conta do desequilíbrio ambiental que nós seres humanos causamos, sofremos quando somos disciplinados por Deus, ou porque o seguimos, sendo perseguidos por conta de nossa fé em Cristo.

O sofrimento humano não é somente por conta do pecado, se assim o fosse Jesus

Cristo, que era sem pecado algum, não sofreria aqui na terra.

Até o próprio Criador sofre, sofre por conta da decisão humana de ser independente dEle, da desobediência de Adão e Eva. O sofrimento por si só não é mal, devemos ver elementos educativos e aperfeiçoadores do próprio sofrimento, e mesmo quando não encontramos as respostas, Cristo deve ser a resposta: Ele bem pode nos livrar do sofrimento, mas seremos leais a Ele, mesmo não nos livrando destas dores, sendo servos fiéis ao nosso Salvador.

7. O que a Bíblia ensina a respeito da Trindade?

A Bíblia nos diz que há um só Deus, que é um único ser, em quem há três Pessoas:

o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Essas são, realmente, desde a eternidade, distintas conforme os atributos próprios de cada Pessoa.

O Pai é a causa, a origem e o princípio de todas as coisas visíveis e invisíveis. O

Filho é o Verbo, a sabedoria e a imagem do Pai. O Espírito Santo, que procede do Pai e d o Filho, é eterna força e eterno poder.

Essa distinção não significa que Deus está dividido em três, pois a Sagrada Escritura nos ensina que cada um destes três o Pai, o Filho e o Espírito Santo tem sua

três – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – tem sua Ministério de Educação
três – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – tem sua Ministério de Educação

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

própria existência, distinta por seus atributos, de tal maneira, porém, que essas três Pessoas são um só Deus. É claro, então, que o Pai não é o Filho e que o Filho não é o Pai; que também, o Espírito Santo não é o Pai ou o Filho.

Entretanto, estas Pessoas, assim distintas, não são divididas nem confundidas entre si. Porque somente o Filho se tornou homem, não o Pai ou o Espírito Santo. O Pai jamais existiu sem seu Filho e sem seu Espírito Santo, pois todos os três têm igual eternidade no mesmo ser. Não há primeiro nem último, já que todos os três são um só em verdade, em poder, em bondade e em misericórdia.

8. Por

Testamento?

que

tanta

diferença

entre

Deus

no

Velho

Testamento

e

no

Novo

Não há diferença, o Deus no Velho Testamento é o mesmo do Novo Testamento. O que acontece é que Deus se revela ao homem de maneira gradativa. Desde o princípio Deus criara um plano de salvação para o homem, e em toda a Bíblia, acontecimentos apontavam para a vinda de Cristo. Deus nos entregou a Lei para que tivéssemos um parâmetro, a Lei por si só não salvaria ninguém, mas na sua infinita misericórdia Deus enviou seu único Filho para que através de sua Graça fossemos salvos da morte eterna.

9. Deus se arrepende?

Não, Deus não se arrepende. As palavras usadas nas Escrituras onde descrevem um certo arrependimento, é uma tentativa humana de descrever o que Deus sentiu naquele momento. É certo que Deus não se arrependeu de criar o homem, como descrito na gênese do mundo, pois se assim o fosse é certo que não existiríamos mais.

10. Existe um argumento para existência de Deus?

Não, Ele sempre existiu. Isto é um mistério que nós humanos, com mentes temporais, não conseguiríamos entender.

11. O que significa que Deus é eterno?

Que Deus não tem começo e nem fim, ele é o próprio Alfa e Ômega.

12. Será que Deus é justo?

Deus devido aos seus atributos morais é justo, Ele dá a cada um sua merecida recompensa. Só Deus é perfeitamente Justo.

13. O que significa dizer que Deus é infinito?

Dizer que Deus é infinito significa que não podemos quantificar e caracterizar Deus em sua plena perfeição. Sua bondade e justiça são fontes inacabáveis, é imutável, imenso, santíssimo, completamente livre e absoluto.

imenso, santíssimo, completamente livre e absoluto. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /
imenso, santíssimo, completamente livre e absoluto. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

14. Que aparência tem Deus?

Deus não tem aparência humanamente descritível, Ele é um espírito puríssimo, invisível, sem corpo, membros ou características fisicamente humanas.

15. O que significa que Deus é onipotente?

Significa que Deus pode todas as coisas, Ele tem todo o poder para isso. Mesmo sendo assim, ele não pratica o mal, devido aos seus atributos morais.

16. O que significa que Deus é onipresente?

Deus pode estar em mais de um lugar ao mesmo tempo, ele não é preso a distâncias, ou a temporalidade humana, Deus é um Deus local e universal. Mesmo tendo o atributo da onipresença, isto não significa que Deus está em todos os lugares.

17. O que significa que Deus é onisciente?

O Criador tem o conhecimento de todas as coisas, não se tem segredos com o Pai, Deus tem a ciência de tudo e de todos.

Perguntas sobre a Salvação

1. O que é a salvação?

Salvação é o projeto de Deus de restaurar nos homens a imagem e semelhança de Deus na humanidade que ficaram desfiguradas depois da queda. Restituir a humanidade ao seu estado original de total santidade refletindo novamente a imagem e semelhança do Criador.

2. É Jesus o único caminho para o Céu?

Nós cristãos, cremos que para obtermos a salvação, o Espírito Santo acende em nosso coração a verdadeira fé. Essa fé crê em Jesus Cristo com todos os seus méritos, e nada mais busca fora dele. Pois das duas, uma: ou não se acha em Jesus Cristo tudo o que é necessário para nossa salvação ou tudo se acha nele; então, aquele que possui Jesus Cristo pela fé tem a salvação completa. Em João 14.6 encontramos: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

3. A salvação é somente pela fé ou pela fé mais obras?

Como disse o apóstolo Paulo, divinamente inspirado, que somos justificados somente pela fé, independente das obras (Rm 3.28). Entretanto, não se deve entender isto como se a própria fé nos justificasse, ela é somente o instrumento com que abraçamos a Cristo, nossa Justiça. A fé é o instrumento que nos mantém com Cristo na comunhão de todos os seus benefícios. Esses, uma vez dados a nós, são mais que suficientes para nos absolver os pecados.

são mais que suficientes para nos absolver os pecados. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO
são mais que suficientes para nos absolver os pecados. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

4. Um cristão pode perder a salvação?

Não. A salvação é Graça, é favor imerecido, ela não é dependente de uma ação do crente e sim da misericórdia de Deus. O Pai não se arrepende de quem ele elegeu.

5. Uma vez salvo, sempre salvo?

Sim. O Pai não se arrepende da salvação entregue aos que Ele escolheu.

6. É bíblica a segurança eterna?

Sim. Em 1 Coríntios 2.12, lemos: “Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.; em Romanos 8:29-30: “Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou, a esses também glorificou.”

7. O que acontece às pessoas que nunca tiveram a chance de ouvir a respeito de

Jesus?

Serão condenadas. Somente através da fé somos salvos, e a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. A Bíblia diz, em Romanos 3.23: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” Em Romanos 6.23: “Porque o salário do pecado é a morte”.

8. Como as pessoas eram salvas antes de Jesus morrer por nossos pecados?

A condição para a salvação sempre foi a fé. O alvo da fé de alguém para a salvação sempre foi Deus. Gênesis 15:6 nos diz que: Abraão creu em Deus e que isto foi suficiente para Deus imputar-lhe isto por justiça(ver também em Romanos 4:3-8). O sistema sacrificial do Velho Testamento não tirava o pecado, como claramente ensina Hebreus, mas apontava para o dia em que o Filho de Deus verteria Seu sangue pela pecaminosa raça humana.

9. Como posso ter certeza absoluta da minha salvação?

Quando nos convencemos, através do Espírito Santo, do pecado, da justiça e do juízo, certamente estamos salvos, pois tal convencimento humanamente é impossível de acontecer, é dado pela Graça de Deus.

10. O que acontece quando bebês e crianças pequenas morrem? Onde encontro a idade de responsabilização na Bíblia?

As crianças que não chegaram à idade do discernimento e da completa razão herdarão o Reino dos Céus, como descrito em Mateus 19.14: “Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus . A Bíblia não estipula uma idade fixa para que a criança seja responsabilizada pelo pecado, este amadurecimento é pessoal e varia de pessoa para pessoa, portanto impossível de ser designado.

pessoa para pessoa, portanto impossível de ser designado. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /
pessoa para pessoa, portanto impossível de ser designado. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

11. O Batismo é necessário para salvação? O que é regeneração batismal?

O Batismo não salva, sendo, porém uma ordenança de Cristo. Nele (no Batismo)

não há regeneração alguma, a crença errônea de regeneração batismal consiste na certeza da salvação pelo batismo. O Batismo é uma declaração pública que morremos para o mundo e nascemos de novo, e, novas criaturas somos.

12. Um cristão desviado ainda é salvo?

Um cristão salvo pode ser que desvie, mas irá retornar ao Pai. O que nunca retornou, nunca foi salvo, pois apostatou da fé, como dito em Hebreus 6:4-8.

Perguntas sobre a Bíblia

1. O que é a Bíblia?

A Bíblia é a Palavra de Deus que não foi enviada nem produzida “por vontade

humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”, como diz o apóstolo Pedro (2Pedro 1.21).

Depois Deus, por seu cuidado especial para conosco e para nossa salvação, mandou seus servos, os profetas e os apóstolos, escreverem sua Palavra revelada. Ele mesmo escreveu com o próprio dedo as duas tábuas da Lei.

Por isso chamamos esses escritos de sagradas e divinas Escrituras.

2. É a Bíblia verdadeiramente a Palavra de Deus?

A suprema excelência do seu conteúdo, a eficácia da sua doutrina, a harmonia de todas as partes, a plena revelação que faz do único meio de salvar -se o homem, as suas muitas outras excelências incomparáveis e completa perfeição são argumentos pelos quais, abundantemente, se evidencia ser ela a Palavra de Deus.

3. A Bíblia contém erros, contradições ou discrepâncias?

Não. Os livros da Bíblia formam uma unidade. Cerca de 40 homens cooperaram com Deus, como veículos. Através deles o Espírito santo atuou para revelar sua Pessoa. Interessante é notar que esses homens exerceram as mais diferentes funções em sua vida. Por exemplo: Amós foi pastor de gado; Davi era rei, Lucas era médico, Paulo além de intelectual, fabricava tendas, João e Pedro eram pescadores. Alguns desses homens escreveram apenas um livro da Bíblia. Outros, no entanto, escreveram vários, como Paulo. Os livros harmonizam-se entre si, justamente porque é o Espírito Santo quem ajudou o escritor de cada livro da Bíblia.

Santo quem ajudou o escritor de cada livro da Bíblia. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR
Santo quem ajudou o escritor de cada livro da Bíblia. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

4. A Bíblia é relevante para os dias de hoje?

Sim. A mensagem da Bíblia transforma o homem. Muitos tiveram a sua vida totalmente transformada pela leitura da Palavra de Deus. Nações têm sido mudadas. Pode- se sentir pessoalmente a sua influência transformadora todos os dias: quando estamos tristes, a sua leitura dá conforto, quando estamos com medo, inspira confiança, quando estamos em desespero, infunde esperança.

Certos livros de ciência, escritos há pouco mais de dez anos, encontram-se desatualizados. A Bíblia, entretanto, é sempre atual. Os problemas de que a Bíblia trata são problemas de cada geração. É por isso que em Isaías 40.8 encontra-se: “Seca-se a erva e murcha a flor, mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.”

5. Como e quando foi compilado o cânone da Bíblia?

O termo “cânone” (ou “cânon”) é usado para descrever os livros que foram divinamente inspirados e, por isso, pertencentes à Bíblia. O aspecto difícil em determinar o cânone bíblico é que a Bíblia não nos dá uma lista dos livros que a ela pertencem. Determinar o cânone foi um processo, primeiro por rabinos judeus e eruditos, e depois, mais tarde, por cristãos primitivos. Certamente foi Deus quem decidiu que livros pertenciam ao cânone bíblico. Um livro ou Escritura pertenceu ao cânone a partir do momento que Deus inspirou sua autoria.

Nos primeiros anos da era Cristã havia ainda alguma incerteza sobre a canonicidade de certos livros. Os Rabinos da Palestina, se reuniram em Jâmnia (45 km a oeste de Jerusalém), por volta do ano 90 d.C., e riscaram do Cânon livros como Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiastico, Baruque, I e II Macabeus, que constam na Bíblia Romana. No tempo da Reforma (século XVI) alguns dos protestantes, não aceitaram estes livros como canônicos, embora o considerassem de leitura proveitosa. Outros simplesmente o rejeitaram.

Para o Novo Testamento, o processo de reconhecimento e compilação começou nos primeiros séculos da igreja cristã. Desde o início, alguns dos livros do Novo Testamento foram sendo reconhecidos. Paulo considerou os escritos de Lucas tão cheios de autoridade quanto o Velho Testamento (I Timóteo 5:18; veja também Deuteronômio 25:4 e Lucas 10:7). Pedro reconheceu os escritos de Paulo como parte das Escrituras (II Pedro 3:15 -16). Alguns dos livros do Novo Testamento circulavam entre as igrejas (Colossenses 4:16; I Tessalonicenses 5:27). Clemente de Roma mencionou ao menos oito livros do Novo Testamento (95 d.C.). Inácio de Antioquia reconheceu cerca de sete livros (115 d.C.). Policarpo, um discípulo de João o Apóstolo, reconheceu 15 livros (108 d.C.). Mais tarde, Irineu mencionou 21 livros (185 d.C.). Hipólito reconheceu 22 livros (170-235 d.C.). Os livros do Novo Testamento que provocaram maior polêmica foram Hebreus, Tiago, II Pedro, II João e III João.

Os concílios se basearam em algo similar aos seguintes princípios para determinar se um livro do Novo Testamento era realmente inspirado pelo Espírito Santo:

Testamento era realmente inspirado pelo Espírito Santo: Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /
Testamento era realmente inspirado pelo Espírito Santo: Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO /

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

1) O autor foi um apóstolo, ou teve uma estreita ligação com um apóstolo?

2) O livro é aceito pelo Corpo de Cristo como um todo?

3) O conteúdo do livro é de consistência doutrinária e ensino ortodoxo?

4) Este livro contém provas de alta moral e valores espirituais que reflitam a obra do Espírito Santo?

Novamente, é crucial recordar que a igreja não determina o cânone. Nenhum concílio primitivo determinou o conteúdo do cânone. Foi Deus, e unicamente Deus quem determinou quais livros pertenciam à Bíblia. Foi simplesmente questão de Deus convencer Seus seguidores a fazer o que Ele já havia decidido. O processo humano de reunir os livros da Bíblia foi imperfeito, mas Deus, em Sua soberania, e apesar de nossa ignorância e teimosia, levou a igreja primitiva ao reconhecimento dos livros que Ele havia inspirado.

6. Qual a forma correta de se estudar a Bíblia?

Devemos tratar as Escrituras com profundo temor e tremor, pois é a Palavra de Deus. A Bíblia não é um livro comum, um livro científico, portanto a maneira de se estudar a Bíblia é diferente; devemos pedir a Deus, em oração, para que Ele nos capacite quanto ao entendimento dos textos bíblicos, reservando sempre um horário diário e preferencialmente ininterrupto para esta leitura. Ao lermos devemos entender o contexto que aquela mensagem foi escrita, não tentando interpretar apenas um versículo isolado, mas sim todo o texto escrito. Ao terminarmos devemos agradecer a Deus a maravilhosa palavra concedida e praticá-la em nossas vidas.

7. O que significa dizer que a Bíblia é inspirada?

A Bíblia é a Palavra de Deus, os seus escritores foram homens usados, inspirados, por Deus, veículos para que sua mensagem chegasse aos homens.

8. Por que devemos ler/estudar a Bíblia?

Porque por meio dela conhecemos a Deus e ficamos sabendo o que ele exige de nós e o que ele nos promete. Nela encontramos o amor de Deus pelo ser humano, e somos ensinados e habilitados a viver este mais alto conceito de amor. A Bíblia nos traz consolo e paz. A Bíblia, sendo um livro de princípios, nos ensina quais são os nossos papéis na sociedade e na nossa família, para uma vida de plena harmonia e felicidade.

família, para uma vida de plena harmonia e felicidade. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO
família, para uma vida de plena harmonia e felicidade. Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

9. Quem foram os autores da Bíblia?

Livro = Autor Data aproximada dos escritos

Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio = Moisés 1400 A.C. Josué = Josué 1350 A.C.

Juízes, Rute, 1 Samuel, 2 Samuel = Samuel / Natã / Gade 1000 900 A.C.

1 Reis, 2 Reis = Jeremias 600 A.C.

1 Crônicas, 2 Crônicas, Esdras, Neemias = Esdras 450 A.C.

Ester = Mardoqueu 400 A.C. = Moisés 1400 A.C. Salmos = vários autores diferentes, grande parte foi escrita por Davi 1000 400 A.C. Provérbios, Eclesiastes, Cânticos = Salomão 900 A.C. Isaías = Isaías 700 A.C. Jeremias, Lamentações = Jeremias 600 A.C. Ezequiel = Ezequiel 550 A.C. Daniel = Daniel - 550 A.C. Oséias = Oséias 750 A.C. Joel = Joel 850 A.C. Amós = Amós 750 A.C. Obadias = Obadias 600 A.C. Jonas = Jonas 700 A.C. Miquéias = Miquéias 700 A.C. Naum = Naum 650 A.C. Habacuque = Habacuque 600 A.C. Sofonias = Sofonias 650 A.C. Ageu = Ageu 520 A.C. Zacarias = Zacarias 500 A.C. Malaquias = Malaquias 430 A.C. Mateus = Mateus 55 D.C. Marcos = João Marcos 50 D.C. Lucas = Lucas 60 D.C. João = João 90 D.C. Atos = Lucas 65 D.C. Romanos, 1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 Tessalonicenses, 2 Tessalonicenses, 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito, Filemom = Paulo, 50-70 D.C. Hebreus = Desconhecido, talvez Paulo, Lucas, Barnabás ou Apolo 65 D.C. Tiago = Tiago 45 D.C.

1 Pedro, 2 Pedro = Pedro 60 D.C.

1 João, 2 João, 3 João = João - 90 D.C.

Judas = Judas 60 D.C. Apocalipse = João 90 D.C.

= Judas – 60 D.C. Apocalipse = João – 90 D.C. Ministério de Educação Cristã PROF.
= Judas – 60 D.C. Apocalipse = João – 90 D.C. Ministério de Educação Cristã PROF.

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

Perguntas sobre o Pecado

1. Qual a definição de pecado?

Pecado é qualquer ato, sentimento ou pensamento que vai contra os padrões de

Deus.

2. Como posso saber se algo é pecado?

Todo ato, sentimento ou pensamento que contraria os atributos morais de Deus e os ensinamentos que Ele nos deixou nas Escrituras é pecado. Os crentes não estão livres das praticas pecaminosas, porém estes quando praticam coisas ilícitas contam com o Espírito Santo para mostrar-lhes que o que fizeram não agrada a Deus.

3. Como posso vencer o pecado em minha vida cristã?

A vitória sobre o pecado por nós mesmos é inexistente; ela só é possível através de Cristo, nele somos justificados. Quando reconhecemos nossa pequenez e incapacidade de nos salvarmos, e temos fé que somente Cristo o pode fazer, pela Graça Ele nos livra de todo o pecado.

4. São todos os pecados iguais para Deus?

Quando falamos em pecado original, temos igual culpa. Porém, outros pecados, são sim, maiores e menores perante Deus. Quanto maior é o conhecimento sobre Deus, maiores são nossas responsabilidades. O próprio Cristo nos afirma como será dolorosa a

Mas

qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e se submergisse na profundeza do mar.” Mateus 18.6. Em I João 5 16-17 vemos também que há pecado para morte, e outros não.

recompensa daqueles discípulos que fizerem algum de seus crentes vacilarem: “

5. O que é pecado original?

Esse pecado é uma depravação de toda natureza humana, oriunda da desobediência de Adão, é um mal hereditário, com o qual até as crianças, no ventre de suas mães, estão contaminadas. É a raiz que produz no homem todo tipo de pecado. Por isso, é tão repugnante e abominável diante de Deus, que é suficiente para condenar o gênero humano.

6. O que é pecado imperdoável / pecado indesculpável?

6. O que é pecado imperdoável / pecado indesculpável? Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO
6. O que é pecado imperdoável / pecado indesculpável? Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016

Jesus ensinou que todos os tipos de pecado pod em ser perdoados, exceto a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mateus 12.31-32). Se alguém blasfema contra o Espirito Santo, mostra que não é um dos eleitos e, portanto, nunca será salvo (“ porque pelo fruto se conhece a árvore” Mateus 12.33). Em termos gerais, blasfemar significa “proferir palavras ímpias”, “difamar” ou “usar linguagem ultrajante”, a blasfêmia contra o Espírito Santo é refletida, intencional e motivada pela perversidade. Uma vez que é imperdoável, não pode ser cometida por um cristão nem, tampouco, por alguém que ainda não é cristão, mas que, um dia aceitará a Cristo; os cristãos que temem haver cometido esse pecado imperdoável normalmente demonstram, pela sua própria ansiedade e arrependimento, que não o fizeram.

7. Todos nós herdamos o pecado de Adão e Eva?

Herdamos a culpa pelo pecado original, sendo Adão e Eva o tronco de toda a humanidade, o delito de seus pecados foi imputado a seus filhos; a mesma morte em pecado, bem como a sua natureza corrompida foi transmitida a toda posteridade, que deles procede por geração ordinária.

8. Com a queda da humanidade em Adão quais foram efetivamente as maiores consequências nas quais temos a origem de todos os sofrimentos humanos?

Desde a queda vivemos de quatro alienações, e delas originam os sofrim entos humanos.

Somos alienados de nós mesmos, fazemos aquilo que que não queremos; como bem disse o apostolo Paulo: “Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.Romanos 7:15-17.

Somos alienados socialmente: “o outro me incomoda, mas preciso dele para viver, e este é o meu conflito”. Estamos alienados espiritualmente: “Deus me incomoda, Ele me mostra o quanto estou errado”. O outro desatino dos homens é a autodestruição: o homem não usa a criação para seu sustento e sim para a sua exploração.

a criação para seu sustento e sim para a sua exploração. Ministério de Educação Cristã PROF.
a criação para seu sustento e sim para a sua exploração. Ministério de Educação Cristã PROF.

Ministério de Educação Cristã PROF. VALQUIMAR MACHADO / 2016