Você está na página 1de 8

2017­6­1

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula Escritopor:

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula

Escritopor:

seg,16/02/2009

Publicadoem:

OartigoaseguirfoiapresentadonaConferênciadoDesenvolvimentoEspecialdeProfessoresdaAssociação

InternacionaldeProfessoresdeInglêscomoLínguaEstrangeiraemnovembrode1995.Apesardoartigo

focaroensino,deveserrazoavelmentefáciladaptarainformaçãoparaoutroscontextos,comonegócios,

terapia,etc.

Imagineumaprofessoradandoaulaparaumaturmanovaedizendo:

"Oaprendizadodeumasegundalínguaécomooaprendizadodequalqueroutracoisa–vocêsprecisam

recebermuitofeedbackparasabercomoestãosesaindo."

Umestudantecomenta:

"Eujáaprendimuitascoisasdiferentes,desdeálgebraazoologiaeatéandardebicicletaecadaumadelas

exigiuasuamaneiraúnicadeaprender.Emais,éóbvioquequandoeutiveraprendidoumalíngua,nãovou

precisarqueninguémmediga."

Aprofessorapensa:"Ah,precisoficardeolhonessealuno."Elasorrieresponde:

"Osmeusalunossempremedizemquegostamdemuitasobservaçõessobreasliçõesdecasaeaprenderé

adquirirnovashabilidades,osprincípiosbásicossãopraticamenteosmesmos."

Umsilênciobaixounasaladeaula.Oalunoficaolhandoinexpressivamenteparaoespaço–‘asluzesestão

ligadas,masnãotemninguémemcasa’–edizparasimesmo:"Aondeeufuiarranjarencrenca!"

Essanãoéamelhormaneiradecomeçarumcurso.Aprofessoraeoalunopodemtambémestarfalandouma

línguadiferente.Aspalavrassãodomesmoidioma,masaestruturadacomunicaçãodelesestá

completamentediferente.Comopodemosiniciaraaproximaçãodessesdoismundos?

Noiníciodosanos70,RichardBandlereJohnGrinder(1)queriamdescobrirquaisosefeitosqueaestrutura

dalinguagemtinhasobreosnossosprocessosinternos(nossaexperiênciasubjetiva).Oresultadodapesquisa

delesfoiumamaneiranovaderefletirsobreopensamento:aProgramaçãoNeurolinguística(PNL).

BandlereGrinderdescobriramqueosindivíduospareciamsecomunicarusandoestruturasconsistentesda

linguagemasquaispodemserreconhecidas,aolongodotempo,atravésdepadrõesqueserepetem.Umdos

elementosestruturaisqueelesidentificaramsetornouconhecidocomoMetaprogramas,otemadesseartigo.

Nummomentodeinsight,elesperceberamqueaspessoasqueusavampadrõesdelinguagemsimilares

desenvolviam,rapidamente,umprofundorapport.Tambémperceberamquequandoessespadrõesde

linguagemnãoestavamalinhados,aspessoasficavamconfusas,discutiamoudescobriamqueera

mutuamentedifícilseentenderem.

Alémdisto,quandoessespadrõeseramapresentadosaoindivíduo,elenãotinhaconsciênciadeles.Portanto,

esseaspectodaproduçãodalinguagemocorre,obviamente,numnívelinconsciente.

2017­6­1

Umavisãogeral

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

Esseartigovailhedarumavisãogeraldecomoaplicaraideiadosmetaprogramasnasaladeaulae,com

isso,melhoraraefetividadedoseuensino.Vouexplicaremdetalhetrêsmetaprogramasqueeuacreditosão

fundamentaisnaaprendizagem:Semelhanças­Diferenças,Tamanhodopedaço(informação)eContextode

Referência.

AquelesquetêmfamiliaridadecomosperfisdeMyers­BriggseosTiposPsicológicosdeCarlJung,podem

notarassemelhançascomosmetaprogramas.Entretanto,existeumadistinçãosignificativa:os

metaprogramasnãosãotiposdepersonalidades.Elessãomaneirasdeprocessar,nomomento,ainformação

eacomunicação.

Osindicadoreslinguísticossãoapresentadosemcadafrase,faladaouescrita.Elessãoreconhecíveis

imediatamente–quandovocêsabeoqueprocurar!

Aspesquisastêmmostradoqueamenteconsciente,normalmente,sópodeprestaratençãoa"sete,maisou

menosdois,pedaçosdeinformação"aomesmotempo.(2)Entretanto,amenteinconscienteécapazde

processarmilhõesdebitsdedadosrecebidosdosnossossentidosexternoseinternosacadasegundo.Porém,

essesdadosprecisamserclassificadosconformeoqueéimportantenessemomentoedentrodocontextoem

quenosencontramos.

Esseprocessodeclassificaçãopodeserconsideradocomoumfiltroperceptivo.Éusualmentefeitopelo

inconscienteetemumagrandeinfluênciaemcomonoscomportamosnomundo.Usandoaanalogiado

softwaredecomputador,esseníveldeprocessamentopodeserimaginadocomoos‘programas’que

controlamos‘programascomportamentaiselinguísticos’.Poressarazãoéqueelessãoapresentadoscomo

Anossaabordagemnaturalénosexplicarmosdamaneiraquemelhorcorrespondaàsnossaspercepçõesde

comoentendemosascoisas.Issofuncionamuitobemparaamaioriadosalunos.Porém,éprovávelque

existamalgunsdelescujamaneiradepensarsejabastantediferentedanossaprópria,oquefazcomqueseja

difícilparaelesaprenderem.Nessascircunstâncias,pode­semelhoraracomunicação,percebendoos

metaprogramasusadosporelesemodificandoanossalinguagemparacombinar.

Temsidoditoqueoensinoésomenteatransferênciadeinformação,atéquevocêouseusalunosse

depararemcomumproblema.Énessesmomentosqueautilizaçãodosmetaprogramaspodesermuito

eficiente.

Comoaspessoasexibemumatendênciaaohábitodeorganizarsuasexperiênciasusandocertascombinações

demetaprogramas,estespodemserúteisparaprognosticarocomportamentodelas.Lembre­sedequeeles

sãoguiasdocomportamentoequeninguémageexclusivaepermanentementesegundoummetaprograma

específico.Parasermaisexato,existeumespectrocontínuo,comcadaextremidaderepresentandoum

comportamentoextremo.Dependendodocontexto,cadaumdenóstendeagravitaremtornodeumextremo

oudooutro.Émuitointeressante,poisquantomaioroníveldeestressequenósexperimentamos,émais

provávelretrocedermosaonossoantigopadrãodecomportamentoeconsequentementereduziranossa

adaptabilidade–justonahoraemquenósmaisprecisamosdele.

Ospesquisadoresidentificaramumgrandenúmerodedistintosmetaprogramas,muitosdosquaistêm

aplicaçõesespecializadas.Entretanto,cercade10parecemoperaremquasetodososcontextos.Aseguir

temostrêsmetaprogramasselecionadosqueeudescobriseremosmaisúteisnoambientedeensino.

Semelhanças–DIFERENÇAS(Match­Mismatch)

Quandovocêestáensinando,provavelmentejápercebeucomoalgunsalunosparecemaprendermelhor

relacionandoainformaçãocomaqueelesjásabem,enquantoqueoutrospreferemprocuraroelatemde

diferentedaqueelesjáconheciam?Essasduasabordagensdoaprendizadosãoosaspectosdamaneiramais

fundamentaldeperceberomundo.

Algumaspessoastêmatendênciaderepararnoqueésimilar,noqueécomum,comoascoisassãodo

mesmomodocomosempreforam.NalinguagemdaPNL,sedizqueelasestãoexibindoumcomportamento

2017­6­1

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

‘semelhanças’.Osprofessoresquesãofortemente"semelhanças"preferemusarmétodostestadose

provados,elesfacilmentecriamempatiacomseusalunosegostamdacontinuidade.Elespodemdizer:

"Aartedeensinarseaplicaatodosostópicos." "Operadoresmodaisdenecessidadesãocomoospais:dizemoquevocêpodeounãopodefazer,oque deveounãodevefazer." "EujáusavaessematerialdaPNLenãosabia."

"Vocêconseguiu80%deacertosnaprova."

Outraspessoasirãoenfatizarcomoascoisassãodiferentes.Elasrepararamnoqueestáfaltando,noquenão

seajusta.Elasentendempelas‘diferenças’.Osprofessoresquesãobonsnas‘diferenças’gostamdemétodos

novoseradicais,localizamerroscomfacilidadeeficamentusiasmadosquandoascoisasmudam.Elesdirão

coisascomo:

coisascomo:

"Euestouensinandoemumamaneiracompletamentediferentedadoanopassado." "Oinglêsnãoécomoasoutraslínguas." "Oquevocênãonotoufoiamudançanotempodoverbo."

"Vocêteve22%deerros."

Vocêjádeveternotadoqueoacimamencionadoseaplicatantoacomonósaprendemosacomonós

ensinamos.Vocêpodepensarqueosalunosqueconcordamcomoquevocêensina,seguemsuasinstruções,

copiamamaneiracomovocêfazascoisas,sãoalunosperfeitos;especialmentesevocêmesmousar

pensamentodeanalogia.Ou,omaisprovável,elesapenaspreferemaprenderporsemelhança.

Poroutrolado,osalunosquechamamaatençãodasinconsistênciasnasuaexplanação,dosseuserroseque

ficamlhedizendoqueascoisassãodiferentesdoquevocêdisse,nãoforammandadosparaesseplaneta

apenasparatornarasuavidauminferno.Essesalunosestãonarealidadecompreendendoomundoda

melhormaneiraqueelessabem–elesestãoaprendendopordiferenças.

Amaneiradeconseguiraatençãodeumapessoaquetendeparaasdiferençaséexplicarcomooqueelaestá

aprendendoénovo,único,diferente.Dêaelaexercíciosparalocalizaroqueestáerrado,oqueestáfaltando

ecomoascoisasmudaram.

Comumapessoa"semelhanças"vocêprecisamostrarcomoascoisassãosimilaresaoqueelajásabe,como

cadaideiasebaseianaanterioreenfatizarasáreasdeconcordânciaecontinuidade.

Comoexperiênciaparavercomofuncionaessemetaprograma,mostre3moedasparaumgrupodepessoase

pergunteacadauma:"Oquevocêpercebeunelas?"Depoisescuteseelastendemarepararnassemelhanças

ounasdiferenças.Amaioriadaspessoas,sepensaremporumbomtempo,vairepararnasduas.Entretanto,

tendeaserconsistenteoqueelasnotamemprimeirolugar.

Geral­Específico(BIGCHUNK­SMALLCHUNK)(PEDAÇOGRANDE–pedaçopequeno)

Essemetaprogramaéumdosmaisimportantesnoensino.Osalunosaprendemcomfacilidadeeemconforto

quandorecebemainformaçãoem‘pedaços’quetêmotamanhodassuaspreferênciasinconscientes.Sea

informaçãoapresentadaémuitogeraloumuitodetalhadaparaapreferênciadeles,elesperdemointeresse,

ficamconfusosemuitasvezescomeçamasesentirinconfortáveis.Issopodeconduziradúvidasou

ansiedadeeoaprendizadodiminuirapidamente.

Assimpessoas"pedaçosgrandes"gostamdeumavisãogeralprimeiro,elasfalamemgeneralidadeseficam

oprimidascominformaçãomuitodetalhada.Umavezqueelasenxerguemtodaaimagem,elasfazem

conexõesesaltamdeumaideiaparaoutra.Elaspodemterfaltadeclarezaaodarouaoseguirinstruções.

Essemododesecomportarpodeserconsideradocomoenxergaromundoatravésdeumalentegrande

angular.

Osprofessorespodematrairosgeneralistasentrenóscomeçandocomafirmaçõesdegrandealcancecomo:

"Nestesemestrenósvamosaprendergramática."

"Usemopróximoexercícioparapraticaroquenósaprendemoshoje."

2017­6­1

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

"Oquevocêaprendeuatéagora?"

Pessoas"pedaçospequenos"ficamestimuladascomosdetalhes,pelaslistasdeinformaçõeseetapas

específicas.Elasficamaborrecidascomfaltadeclareza,generalidadeseoqueelaschamamde"perfumaria".

Elastiramconclusõesdepequenaspartesdainformaçãooudosexemplos.Écomoolharomundoatravésde

ummicroscópio.

Deve­seperceberqueosalunosquenecessitamreceberinformações"Específicas"estãoemminoria.Os

professorespodematrairessesalunosusandomuitasfrasespreposicionaisemodificadoresextrasedando

informaçõesprecisasdeummodoordenado,como:

"Nestesemestrenósvamosaprender4aspectosdagramática.Primeironósvamosestudarasintaxe,

depoisamorfologia,afonologiaefinalmenteasemântica."

"Comoaopiniãodevocêsmudou,nesteúltimoexercício,quandovocêsestavamnopapeldopolicial,

antesedepoisdosuspeitoterdadoasuaexplicação?"

Preferirprimeiroumavisãogeralouquererirdiretoaoâmagodaquestãonãoébomnemruim.Écomo

diferentespessoasprocessamamesmainformaçãoparapodercompreendê­la.Eujávialunos"pedaços

grandes"seretiraremdasaladeaulasentindo­sefisicamentedoentesporqueoeducadorestavadando

informaçõesdetalhadasdemaisparaelesprocessarem.

Oqueumprofessorconscientedevefazerétercertezadequeelesabeosseusprópriosmetaprogramas

preferidoseaprendera‘traduzir’paraassegurarqueaoutraextremidadedoespectroestejabem

representada.Quandoeuexpliqueiessemetaprogramaparaumprofessor("pedaçosgrandes"),ele

respondeu:

"Existemunsalunosnaminhaclassequeestãosemprepedindomaisinformaçõessobreotópicoqueestou

ensinando.Eudouaelesoqueelespedem,mastemsidocomumaatitudelevementeofendida.Agoraeu

percebiqueelesprecisamdemaisdetalhesparaaprenderemdojeitodeles,eporissodevodar­lhesa

informaçãocomprazer."

Vocêconsegueimaginarcomoorelacionamentodelecomessesestudantesvaimelhorarecomotodosna

classevãoperceberasmudanças?

Contextodereferência:Interno–Externo

Comovocêsabequandofezumbomtrabalho?

Vocêpensaconsigomesmo:"Parecequetudosaiubem"ou"Algoládentromedizquesim"ou"Eunãosei

comoeusei,maseusei."

Outalvezvocêestejapensando:"Quandoosalunosmedizemqueaprenderamalgo"ou"Osresultadosdos

examessãooverdadeiroteste"ou"Quandoeuvejoumsorrisonorostodeles."

Sevocêtemmaisafinidadecomoprimeiroexemplo,vocêtomadecisõesefazjulgamentoscombasenuma

fonteinternadeinformações,istoé,dentrodevocêmesmo.Nosegundocaso,adecisãoébaseada

principalmentenainformaçãodeforadevocêmesmo:istoé,nasoutraspessoas,noslivros,naspesquisas.

Oconhecimentodessemetaprogramaédeumaimportânciasupremaquandovocêfordarumfeedback.Um

aluno"externo"precisaterfeedbackdoprofessorparaavaliarseuprogresso.Sevocêperguntarparaum

indivíduofortementeexternocomoeleachaqueestásesaindo,eleprovavelmenteresponderá:"Bem,uhm,

comovocêachaqueeuestoumesaindo?"Falarcomalunos"externos"damaneiraaseguirérespeitaro

mododelespensarem:

"Euestoumuitoimpressionadocomoseuprogresso."

"Osseuspaisficarãomuitosatisfeitosquandovocêsesairbemnosexames."

"RudyardKiplingdissequeapalavraéadrogamaispoderosausadapelahumanidade."

2017­6­1

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

Seperguntarmosaumapessoa"interna"comoelapensaqueestásesaindo,eladaráprovavelmenteuma

respostadireta.Alunosfortemente"internos"podemressentir­sedofeedback,especialmenteseelecontradiz

aopiniãodeles.Elessãomotivadospelaprópriaavaliaçãodequantoprogressoelesfizeram,epodempensar:

"Quemvocêéparamedizerisso?"Porisso,amaneiradepermaneceremharmoniacomumindivíduoque

apresentaessetipodecomportamentoédizercoisascomo:

"Eugostariadeouvircomovocêpensaqueestásesaindoeaínóspodemosterumpaposobreoseu

progresso."

"Comovocêvaisabersejáaprendeuisto?"

"Competeavocêdecidirsefazeressetrabalhodecasaatempoédoseuinteresse."

Umamaneiradedescobrircomofuncionaessemetaprogramaéperguntaraosseuscolegas:"Sevocêacha

quedeuumaboaaulaeescutaosalunosdizendoquefoihorrível,qualéasuareaçãoimediata?"Seeles

responderemcom"Eoqueelesentendemdoassunto"ou"Elesprovavelmenteestãosóbrincando,"vocêestá

conseguindorespostastipicamenteinternas.Respostascomo:"Eumesentiriamuitomal"ou"Eumeespanto

comoconseguiestartãoerrado"sãorespostastipicamenteexternas.

Naturalmente,ninguémétotalmenteexternoouinterno.Entretanto,quandoalguémtemumapreferência,

vocêpodeperderorespeitoeorapportmuitorapidamentepornãosecomunicarcomelenoseuestilo

preferido.

Combinandometaprogramas

Quandovocêtiveradquiridoumpoucodahabilidadeemreconhecerosdistintosmetaprogramas,irá

perceberquenãousamosapenasumpadrão.Pelocontrário,inconscientementenósaglomeramosdiversos

padrõesemcadafrase.

Noexemplodoiníciodesseartigo,oprofessorestavafortementeacompanhandoporsemelhanças,usando

generalidadeseoperandodeumcontextoexternodereferência.Oalunoestavaclassificandopordiferenças,

sendoespecíficoemostrandoumafortereferênciainterna.Porissoafaltadecomunicação.Aprofessora

podiaterdito:

"Entãocadatipodeaprendizadoéumaexperiêncianovaparavocê,eeuesperodescobrircomoamaneira

queeuensinoédiferentedaquelaquevocêteveantes.Primeiro,eupensoqueéimportanteosalunos

monitoraremseupróprioprogressoalémdosmétodostradicionaisdeavaliação.Eexistirãohorasespecíficas

emqueeurealmenteapreciariaquevocêmedesseumaatualizaçãodetalhadadoprogressoquevocêfez."

Seissoéditocomgenuínaintenção,oefeitoseráreconheceraabordagemnaturaldoestudanteparao

aprendizado.Aprofessorademonstraoseudesejodetrabalharcomessealunoparaatingirasmetasde

aprendizagemdeleecomeçaaestabelecerumrapportprofundo–nãoapenascomoaluno,mascomtodaa

classe.

Sumário

OMetaprogramaéumamaneiradeentenderocomportamento.Aspessoasnãotêmmetaprogramas,elas

usamlinguagemecomportamentoqueindicammaneirasparticularesdeclassificarainformaçãoede

compreenderomundo.Nãoexistemmetaprogramascertosouerrados,nembonsouruins.Aperguntaque

nósfazemosnaPNLé:elessãoúteisnessecontexto?

Nasaladeaula,combinaraestruturadospadrõesdelinguagemdeseusalunosirádesenvolverorapport,

facilitaroaprendizadoecriaranecessáriasegurançaparaelesreceberemofeedback.Eurecomendoa

concentraçãonoaprendizadoparaidentificareutilizarummetaprogramadecadavez.Assimquevocê

estiverproficientenisso,podecomeçarausarumacombinaçãodeles.

Umpré­requisitoparaaumentarasuaprópriaflexibilidadedecomportamentoedelinguísticacomos

metaprogramaséconhecersuasprópriaspreferências.Então,àmedidaquevocêmudarsualinguagemparao

extremoopostodometaprograma,vocêpodepercebercomoseusalunosreagemdiferentemente.

2017­6­1

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

Apesardeexistiremmaisaplicaçõesparaosmetaprogramasquepoderiamestarincluídasnesseartigo,eu

esperoteratingidotrêsobjetivos:

Vocêdescobriuquepoderelacionaresseartigoàsuaprópriaexperiênciadeensinoepercebercomo

vocêjávemusandoalgunsdosconceitos(Semelhanças),emboradeumaformadiferente.Equevocê

tambémfoiestimuladoapensaremnovasmaneirasdesecomunicarcomseusestudantes[Diferenças].

Vocêtemumavisãogeralparaterumaideiageral[PedaçosGrandes]decomoidentificar

especificamenteeusarostrêsmetaprogramasdeSemelhanças­Diferenças,Geral­EspecíficoeInterno­

Externo[pedaçospequenos].

Finalmente,vocêdescobriucomoosmetaprogramasfuncionamparavocêecomopodeperceberuma

melhorianoseudesempenhocomoprofessor[referênciainterna].

Agoravocêpodeentenderqueeu,quesouinterno–pedaçospequenos­diferenças,comotemsidobenéfico

pessoalmenteparamimousodosmetaprogramas.Pergunteparaaminhaesposa,externa–Pedaços

Grandes­semelhanças![referênciaexterna]

Referências

LeslieCameron­Bandlerconduziualgumasdaspesquisasiniciaisdoquesetornouconhecidocomo

Metaprogramas,emboraeunãotenhaachadonenhumapublicaçãodelasobreessetópico.

RogerBaileypassoumuitosanosrefinandoeexpandindoapesquisaoriginalcomênfaseparticularno contextodasempresasenotrabalho.Eleproduziuummanualparaauto­estudomuitodetalhadoeumtape

chamadodeTheLanguageandBehaviourProfile(LanguageandBehaviourInstitute,1991).

ShelleRoseCharvetusouasideiasdeBaileyeaspopularizouemvídeo,UnderstandingandTriggering

Motivation(SuccessStrategies,1993)enaformadeumlivro:WordsThatChangeMinds(Kendall/Hunt,

1995).

OlivrodeAnthonyRobbins­PoderSemLimitestemumaintroduçãoclara,porémpequena,sobre

metaprogramasnocapítulo14.

OlivroTerapiadaLinhadoTempo,deTadJameseWyattWoodsmall,temmuitasinformaçõesdetalhadas

noscapítulos12­15,maspoucosobrecomoaplicarosmetaprogramas.Essaéaprimeirapublicaçãoqueeu

conheçoquemencionaosmetaprogramaseapesardeparecerumpoucoantiquada,mostraaconexãocomos

tipospsicológicosdeCarlJung.

AoutrareferênciaqueuseiéummanualdetreinamentoproduzidoporChristinaHall,TheArtofNeuro­

LogicalLeverage(TheNLPConnection,1988).

Notasnotexto:

(1)RichardBandlereJohnGrinder–AEstruturadaMagia­Metamodelo.

(2)GAMiller"TheMagicNumber7PlusorMinus2"intheAmericanPsychologist(1956)

JamesLawley,TrainerCertificadodePNLepsicoterapeutaregistradonaGrãBretanha,é,juntamentecom

PennyTompkins,autordolivroMetaphorsinMind:TransformationthroughSymbolicModelling.Para

maioresinformaçõesvisiteositehttp://www.cleanlanguage.co.uk

OartigoTheapplicationofMetaprogrammesintheClassroom,publicadonarevistainglesaRapport

Magazineestánositewww.cleanlanguage.co.uk

TraduçãoJVF,direitosdatraduçãoreservados.

2017­6­1

2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign
2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign

Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho

2017­6­1 Aaplicaçãodemetaprogramasnasaladeaula|Golfinho Estapáginaéproduzidaemantidapela EquipedoGolfinhoWebdesign

EstapáginaéproduzidaemantidapelaEquipedoGolfinhoWebdesign

DesenvolvidocomDrupal