Você está na página 1de 130
AAPRENDENDO a CANTAR MARCELO DANTAS FAGUNDES aeyhoart EDITORA MUSICAL Ltda. 300 CEP 1320-970 SP - Brasil XX11) 7396-7172 E-mail; editkey@zaz.com.br Aprendendo a Cantar Titulo Original da obra: Aprendendo a Cantar Curso de Canto Popular Copyright 1999 - Todos os direitos reservados Registro na Biblioteca Nacional: 85-86981-04-4 Autor: Marcelo Dantas Fagundes Orientagao Pedagégica: Nayde Rullo Stela Maris Favaretto Spina Orientagao Médica e Odontolégica: Dr. Luis Antonio Verdiani Dr. Joao Ricardo Silva de Almeida Corregao: Heloisa Carolina H. de Godoy Lucilene Colodo Luiz Eduardo Soares Capa: Marcelo Dantas Fagundes Caricatura de Berlioz regendo coralistas, feito pelo artista plastico Gustave Doré - 1850 Edigdo 1999 Sumario Marcelo Damas Fagundes 2 /RENDENDO A CANTAR APRENDENDO A CANTAR APRESENTACAO DO CURSO 1 CONTEUDO DO CAPITULO 1 9 SOBRE O AUTOR 9 INTRODUCAO 10 ‘A PRODUCAO DA Voz HUMANA uw ‘A VOZIMPOSTADA 2 ‘CONHECENDO NOSSO APARELHO RESPIRATORIO 2 EXERCICIO 13 ‘O NARIZ 13 ‘A FARINGE 14 ‘ALARINGE 4 ‘A TRAQUEIA E 0S BRONQUIOS 14 Os PULMOES 15 O DIAFRAGMA 15 ‘A RESPIRAGAO 15 ‘TESTE A SUA RESPIRAGAO 16 MECANICA DA RESPIRACAO 16 EXERCICIOS 17 MUSICA 18 CONTEUDO DO CAPITULO 2. 19 © SoME A AUDICAO 19 PERCEBENDO 0 SOM 20 ‘A AUDIGAO 20 0 Ovvipo 20 0 Ovvino MEDIO a 0 OUVIDOINTERNO a A PERDADA AUDICAO 2 IDENTIFICANDO 0S SONS 2 RESSONADORES VOCAIS E 0S ORGAOS ARTICULADORES 23 ABERTURA DA GARGANTA B POSICAO DA BOCA 4 CONCENTRANDO- SE 4 © Corro 4 EXERCICIO DE ALONGAMENTO E AQUECIMENTO 25 EXERCICIOS DE RESPIRAGAO 26 MUSICA 28 CONTEUDO DO CAPITULO 3 29 MUSICA ERUDITA E POPULAR 2» BLOQUEIOS INCONSCIENTES 30 Aprendendo a Cantar 3 AUMENTANDO SUA Morivacao 30 HIGIENE E CONSERVACAO DA OZ 30 DOENCAS DA VOZ, 2 20 DICAS E NORMAS PARA UMA HIGIENE VOCAL 34 IMPOSTANDO A Voz 36 EXPLICACAO DOS EXERCICIOS 37 EXERCICIOS DE RESPIRAGAO 37 RECOMENDACOES 38 EXERCICIOS DE RELAXAMENTO 38 EXERCICTOS FISICOS PARA DESENVOLVER 0S MUSCULOS DO TORAX 39 FRASES E VERSINHOS COM PALAVRAS QUE CONTEM "R" 41 MUSICA. 41 ESCREVA AQUI A LETRA DA MUSICA ESCOLHIDA: 2 TITULO: 42 ESCREVA AO PROFESSOR MARCELO DANTAS FAGUNDES 4B CONTEUDO DO CAPITULO 4 45 APRESENTAGXO DO CD 45 CLASSIFICACAO VOCAL 48 CLASSIFICAGAO DAS VOZES 47 CLASSIFICAGAO DAS VOZES PARA A MUSICA POPULAR 49 O CANTOR BRASILEIRO 50 EXERCICIOS DE DIc¢&O Bt RELACAO DE FRASES EM ORDEM ALFABETICA, 51 EXERCICIOS DE ARTICULAGAO 51 EXERCICIOS VOCAIS PARA AFINACAO 52 EXERCICIOS DE PERCEPCAO AUDITIVA 54 MUSICA. FAIXA 22 56 CONTEUDO DO CAPITULO S S7 ‘A UTILIZACAO DO CANTO 37 O CANTO COMO EXPRESSAO ARTISTICA 37 O CANTO COMO NECESSIDADE ORGANICA 58 O CANTO COMO TERAPIA 59 A MUSICA INTERIOR 59 CONHECENDO NOSSOS SONS INTERIORES 60 0 SiLéncio 60 SOLITUDE ( SOLIDAO ) 60 ‘A DESCOBERTA DA MUSICA INTERIOR 60 EXERCICIOS PARA DESCONTRAGAO: 61 EXERCICIO PARA A LINGUA: 62 EXERCICIOS PARA 0S LABIOS: 62 EXERCICIO PARA CORRIGIR 0 GOLPE DA GLOTE: a EXERCICIOS DE “FILAR” A VOZ: a EXERCICIOS COM SONS STACATOS ( PICADOS) 63 TESTE GERAL 64 EXERCICIOS VOCAIS PARA AFINACAO 66 EXERCICIOS DE PERCEPCAO AUDITIVA. 68 MUSICA FAIXA 37 69 RESPOSTA DOS TESTES. 70 Marcelo Dantas Fagundes 4 CONTEUDO DO CAPITULO 6 ALGUNS EXERCICIOS FISICOS E DE TECNICA VOCAL n 0 CORPO n A POSTURA n EXERCICIOSPARA © DIAFRAGMA n A RESPIRACAO 3 FALSETE B EXERCICIOs DE Dic¢io 4 EXERCICIOS COM GRUPOS DE CONSOANTES. 4 RECOMENDAGOES 4 ALGUMAS PERGUNTAS RESPOSTAS 8B ‘TEORIA MUSICAL BASICA 6 EXERCICIOS: 8 EXERCICIO DE MEMORIZAGAO E VOCALIZACAO DAS NOTAS MUSICAIS: 80 MUSICA FAIXA 49 82 CONTEUDO DO CAPITULO 7 83 © QUE £ SER Mstco 83 PERCEPCAO MUSICAL 85 ESTAGIOS DA PERCEPGAO 85 ESTUDANDO E DESENVOLVENDO SUA PERCEPGAO. 36 TECNICAS PARA 0 USO DE MICROFONES 87 ‘TEORIA MUSICAL 89 ‘FIGURAS DE NOTAS 89 EXERCICIOS. 9 EXERCICIOS VOCAIS 94 MUSICA FAIXA 52 96 CONTEUDO DO CAPITULO 8 91 0 QUEEMUSICA 97 TEORIA MUSICAL 98 FORMULA DE COMPASSO 98 EXERCICIOS: 100 EXERCICIOS PRATICOS 101 MUSICA FATXA 58 VOZES MASCULINAS 104 MUSICA FAIXA 59. VOZES FEMININAS 104 CONTEUDO DO CAPITULO 9 105 TEORIA MUSICAL CONTINUAGAO 105 SEMITOM, TOM E SINAIS DE ALTERAGAO 105, O SISTEMA NATURAL 105 SISTEMA TEMPERADO 106 TOM ESEMITOM 106 Aprendendo.a Cantar 5 ACIDENTES 0U ALTERACOES 107 SINAIS DE ALTERAGAO NA PAUTA 108 EXERCICIOS 109 MUSICA FAIXA 83 14 MUSICA FAIXA 84 14 CONTEUDO DO CAPITULO 10 115 ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS 115 [AS DIFERENGAS ENTRE A VOZ FALADA E A VOZ, CANTADA 417 RESPIRAGAO 417 INSPIRACAO E EXPIRAGAO M7 FONACAO: 118 PRODUCAO DO SOM LARINGEO BASICO 118 PAUsas 118 INTERVALOS 118 QUALIDADE VocAL, 119 TIMBRE 119 ‘VELOCIDADE E RITMO 119 ANDAMENTO DA EMISSAO SONORA 119 RESSONANCIA E PROJECAO DA VOZ 120 VOLUME DA Voz 120 ARTICULACAO DOS SONS DA FALA 120 VOGAIS E CONSOANTES 120 PostuRA 121 POSICAO DO CORPO DURANTE 0 CANTO. 121 EXERCICIOs Vocals 1 MUSICA FAIXA 93 123 MUSICA FAIXA 94 124 MUSICA FAIXA 95 124 CONCLUSAO DO CURSO. 125 FICHAS de APOIO Marcelo Dantas Fagundes 6 129 Apresentacao do Curso Parabéns, vocé adquiriu o ditimo langamento da Keyboard Editora Musical Lida., 0 curso de canto popular Aprendendo a Cantar de Marcelo Dantas Fagundes. Este curso interativo é dividido em 10 capitulos. No quadro abaixo, vocé poderé escolher as diversas formas de contato. ‘Como mencionado, este € 0 primeiro curso de canto totalmente interativo, ou seja, qualquer divida que tiver podera ser solucionada por carla, E-mail, fax ou folefone. vAtravés de nossa Central de Atendimento ao Leitor, suas dividas serdo Gneaminhadas aos respectives departamentos e suas — sugest6es serio sempre bem-vindas, ‘ainda temos mais um item que o ajudaré a tornar-se um cantor profissional, 0 CD de fudio. Nele esto gravados todos os exercicios de vocalizago, afinacao, impostagao da voz e mésicas. Por que sO no capitulo 4 comegarei a usar o CD? E muito simples, antes mesmo de comegarmos a cantar, temos de estar completamente conscientes de nosso Gistema fonador, sistema respiratério, de nossos ressonadores e de muitos outros itens que influenciam diretamente na produco da voz © do som, apés esses estudos é que Sstaremos aptos a realmente cantar. No entanto, no se preocupe, pois 0s trés primeiros Gapitulos esto abarrotados de exercicios préticos como os exercicios de respiragéo, Controle de ar, aquecimento vocal, impostag&o, memorizagéo, exercicios de diego € muito mais. Com certeza, vocé estaré muito ocupado entendendo esses itens néo Sentiré a falta de exercitar sua voz, néo nessa primeira fase. ‘Ap6s 0 capitulo 3, entraremos neste maravilhoso mundo sonore € os exercicios de vocalizagao ocuparao sua atengao, bem como 0 inicio do aprendizado musical, No Brasil, € comum cantores populares no entenderem absolutamente nada de miisica, portanto, esta sera a sua chance de tentar mudar essa imagem negativa. ‘A partir do capitulo , ensinaremos a vocé 0 basico para uma partitura musical ser lida e interpretada. "Ao final do capitulo 10, voo® encontrara um cupom para a solictagaio de seu Certificado de Conclusdo do curso de canto popular Aprendendo a Cantar. Nao se preocupe. Por hora dedique-se inteiramente a cada capitulo, Maiores informages serdo dadas no final do livro, Como observou, temos muito a the ensinar. Conte conosco, estaremos sempre a sua disposicao. Para entrar em contato: CENTRAL de ath) er a [ATENDIMENTO Gu Postal: 300 FoneFax: (0-XX-11) 7 Gap tas 7308-7172 Sitdat SP De Seg 3 Sexta Das 13h00 as 21n00 Aprendendo a Cantar 1 Marcelo Dantas Fagundes Contetido do Capitulo 1 No capitulo 1, comegaremos conhecendo um pouco do trabalho deste grande misico e posquisador Marcelo Dantas Fagundes contando com uma apresentago, assinada pelo proprio autor, inciuindo dicas e orientagBes sobre o canto, Estudaremos a produgao da’ voz, voz impostada e veremos, com muitas iiustragdes, nosso aparelho respirat6rio e fonador. Portanto, alguns exercicios para 0 controle da respiragao sero fundamentals. Vamos 1, queremos tomnd-lo um cantor profissional. Sobre o Autor Marcelo Dantas Fagundes, natural de Jundiai, SP, estuda musica hd muitos ‘anos e se dedica principalmente as composigdes musicais @ pesquisas pedagégicas nesta area. No final dos anos oitenta, percebendo um interesse muito grande por instrumentos musicais eletrénicos, que até entéo eram bastantes rudimentares ¢ desinteressantes, ¢ a procura de estudantes de miisica que gostariam de adquitir conhecimentos técnices e praticos nestes instrumentos, comegou a estudar técnicas de tensino para o teclado eletrénico. Tais estudos culminaram na criagéo do Método Pratico para Teclados, um "best seller” nas livrarias especializadas. Esse foi 0 primeiro livro editado no Brasil sobre o assunto. Outros livros ja existiam, mas, na verdade, eram adaptagdes de métodos de 6rg&o e piano. ‘O sucesso dosse primeiro trabalho motivou-o a escrever novos titulos como 0 Guia do Miisico, O Segredo das Cifras, a Video Aula de Teclados e, atualmente, 0 ‘curso de canto popular Aprendendo a Cantar e muitos artigos que so periodicamente publicados em revistas especializadas de misica eletrOnica © afins. Hoje em dia, a maioria das escolas de misica do Brasil, utliza os livros do professor Marcelo fazendo dele um dos miisicos mais conhecidos € respeitados dentro do mundo académico e, principaimente, pelos estudantes de misica ‘Apés todo este sucesso como professor de teclados eletrénicos, piano, 6rgo, canto, arranjo e regéncia, 0 professor Marcelo comegou a se dedicar também a produgo de musicas instrumentais para campanhas publictarias em radios, televisto, {rilhas sonoras, espetdculos teatrais e coreografias para companhias de danga. ‘Como compositor de trhas, também obteve muito sucesso. Em 1996, de cada dez comerciais de televistio exibidos, sete estavam assinados pelo professor, que mantém ligagdes com as maiores agéncias publicitérias do pais. ‘Fal sucesso se deu pelo fato de ter idealizado técnicas muito pessoais de composiges musicais ligadas a imagens, técnicas essas que foram usadas em propaganda e que concederam a ele a agilidade de compor melodias que fazem seus Aprendendo a Cantar 9 ouvintes se transportarem a uma viagem de emog&o e sentimento sob sons de profundo envolvimento, capazes de abrir os caminhos interiores das pessoas de uma maneira consciente e descondicionada, promovendo um puro sentimento de amor e bem estar. Langou também alguns CDs como, o "ENIGMA do SOM", “SLEEPING WELL", “REIKI- Healing Hands’, "YOGA" e “FENG SHU!" todos frutos de uma mistura das experiéncias obtidas em sua carreira como professor, miisico da noite, arranjador, compositor € escritor de livros de miisica. ‘Sem a menor diivida, esses trabalhos do professor Marcelo irdo fornecer novas experiéncias musicais aos amantes da boa misica instrumental Todo material aqui abordado é de fabricago exclusiva da Keyboard Editora Musical Ltda., que tem como diretor pedagégico Marcelo D. Fagundes que, sendo um pesquisador incansavel, esta sempre observando, aprendendo e inovando com seus ‘mais de 50,000 alunos nas escolas Keyboard e a distancia, por todo o Brasil Keyboard Editora Musical Ltda. Introdugao Todos podem cantar, basta gostar de miisica e ter uma disposigéo para os estudos da técnica vocal. Ao decidir fazer este curso de canto, vocé ficaré maravilhado ‘com o que val aprender a partir de agora, No entanto, temos que ter conhecimentos, até mesmo sofisticados, do nosso aparelho vocal. Passarei a vocé todos os conhecimentos necessérios para se tirar 0 melhor proveito de sua voz. Normalmente, usamos a voz de maneira inadequada, néo explorando toda a qualidade e beleza que a mesma poss. Cantar 6 provavelmente um dos maiores exercicios de convivio social. Quando cantamos, aprendemos a ter harmonia, equilibrio, dominio de nés mesmos, a trabalhar em equipe, em corais ou grupos musicais. Cantar envolve fatores organicos, psicol6gicos e técnicos. A pratica do canto 6 to antiga quanto 0 desenvolvimento da linguagem articulada, © homem primitivo ja usava o canto para se alegrar, expressar-se, avisar aos outros de um perigo e para se acalmar. Cantar faz bem para corpo e para a alma, basta lembrar do antigo provérbio “quem canta seus males espanta’, que € dito com muita razao, ‘© homem se caracteriza pela sua criatividade dentro das mais variadas formas de expressao artistica, A miisica, pela sua posigao central em relacdo as outras aries, deveria ser uma alividade basica na formaggo do individuo. ‘Observa-se que criangas muito novas exercitam suas vozes quando esto felizes, entoando os primeiros sons para a alegria dos pais. Em todas as culturas, das mais remotas e antigas as mais avangadas, observa-se a presenca do canto como forma distinta de comunicacao, uma forca tinica, propria, capaz de ligar 0 concreto do mundo dos sons, ao abstrato da beleza da harmonia e & plenitude do transcendental Tenha muito cuidado com sua voz, pois & um instrumento vivo, tinico, exclusivamente seu, ndo podendo ser trocado ou consertado se 0 mesmo for seriamente danificado. Aconselho-o a procurar periodicamente um meédico otorrinolaringologista especializado no tratamento do ouvido, nariz e garganta, mesmo que cantar, para vocé, seja apenas um hobby. Aprenda a preservar sua voz, lendo atentamente cada ligdo antes de se dedicar aos exeroicios praticos. O inicio do nosso curso podera parecer um pouco cansativo devido carga de informagées importantes do nosso proprio corpo, pois, antes de cantar, Marcelo Dantas Fagundes 10 conheceremos todos 0s aparelhos responséveis para tal. Lembre-se de que estas fnfommagdes the sero Utels para a vida toda, © conhecimento nunca ¢ indti, tenha paciéncia Finalmente, desejo-Ihe muito sucesso nesta nova empreitada e fale para si mesmo sempre que Ihe der algum desénimo: Eu vou conseguir cantar, tenho uma voz Tinda, sou inteligente, adoro esta arte e por isso vou me empenhar. Marcelo Dantas Fagundes A Produgao da Voz Humana Vivemos sintonizados num universo totalmente sonoro e sentimo-nos confortéveis quando temos sons, de qualquer tipo, ao nosso redor. © som nos da & Sonttmagdo de pertencermos a uma realidade, participando dela © controlando-a. A presenga do som é to importante que um silencio excessivo nos apavora Nosso corpo todo pode ser considerado uma espetacular maquina produtora de sons, como os batimentos cardiacos e © som produzido pelo nose eStemago quando estamos com fome ou durante a digestdo, pois so autométicos, Isto grndo temos controle algum sobre os mesmos, Por outro lado, a vor é o som mals Complexe e sofisticado produzido pelo nosso corpo, podemos modiicé-lo © exercer sobre ele um total controle. “voz é produzida a partir de um som basico gerado na laringe chamado de fonago. A laringe & localizada no pescogo e é um tubo composto de cartlagens. AS progas vocals sao as estruturas responsavels pela producdo da matéria-prima sonora. progas das vocals € Incorreto, pois n€o so cordinhas @ sim dobras ou pregas de musculatura. Ha apenas duas pregas vocals localizadas dentro da laringe. Essas pregas ‘se afastam para que 0 ar passe em sentido a0 pulmo © aproximam-se e vibram para que a fonagdo se produza. Assim sendo, o ar fundamental para a produgio da voz. é0 combustivel da fonagdo. Sem 0 ar no conseguiriamos ativar a vibragao das pregas cote, Podemos comprovar isso tentando produzir algum som com a boca e 0 nariz fechados, ‘Alaringe, no entanto, no tem a fungao de produzir a voz e sim de proteger os pulmées contra agentes nocivos. Dé-se 0 nome de selamento laringio quando @ Paitge se fecha por completo no deixando passar absolutamente nada aos pulmées, portanto, a fung&o de produzira voz é secundéria. (Ver figura 1). “Temos de obedecer a uma seqiiéncia de atos para que tenhamos a produgdo da voz. primeiramente deveros inspirar colocando 0 ar para dent dos fimoes, Nessas condigdes, as pregas vocais se afastam da linha mécia, permilngs 8 Pttrada do ar. Quando emitimos a voz, as pregas vocals se aproximam da linha mécia, entiMotando e bloqueando a saida do ar dos pulmées, iniiando a expiragéo pulmonar. O Srao_passar pela laringe, coloca em vibragdo as pregas vacals que esto proximas, aoe forma elas fecham-se e abrom-se numa sequéncia muito rapida, realizando os SFermados ciclos vibratérios. Quanto maior a velocidade desses ciclos, mals alla ¢ a freqéncia do som emitido, ou seja, mais aguda sera a voz produzida. ‘atengaolll O som que a laringe produz nao & 0 som que ouvinos, mas apenas um ruldo semelhante a0 ronco de um carro quando imitado por uma csanca aeen"mnesmo som passa por uma série de cavidades de ressonancia que se ajustam Gono "ge fossem allo-felantes naturais formados pela laringe, faringe, boca, seios Garanasais e nariz. Essas cavidades de ressonancia ampiificam 0 som que é muito fraco ‘quando sai de suas pregas vocals. ‘Os diferentes sons, vogais @ consoantes falados em nosso dia-a-dia, S80 produzidos nas cavidades acima da laringe por mudangas nos articuladores, ou sla. HAs Pruturas que estio nas cavidades de ressonancia, Os sons s40 articulados Aprendendo a Cantar ul principalmente na boca, através de movimentos da lingua, dos ldbios, da mandibula, dos dentes e do palato. Para a voz cantada, utilizamos as mesmas estruturas que produzem a voz falada, porém com diferentes ajustes devido as necessidades do canto. Veremos a seguir. Vamos utilizar alguns parametros para analisarmos as diferencas da voz cantada e falada: a postura, a respiracdo, a fonago, a ressonancia e projecao da voz, 0 timbre vocal, a articulagdo dos sons da fala e pausas, a velocidade e o ritmo, A Voz Impostada E comum ouvirmos alguém falar: “ele imposta a voz para falar ou cantar.” © {que quer disser isso afinal? A principio, parece _um trabalho fora do comum, as vezes, até nos falam que s6 imposta a voz quem tem “dom” para isso. Na verdade, ter a voz impostada significa saber usé-la de forma correta, adequada, conforme determina a fisiologia vocal. Significa também colaborar com a propria natureza e nao contrarié-la ou agredi-la. & saber respirar corretamente, emitir 0 som sem esforco, refletindo-o nos ressoadores, fazendo com que obtenhamos 0 melhor rendimento vocal com o minimo de esforco. Em geral, utlizamos a voz incorretamente no conseguindo, assim, explorar toda sua beleza e qualidades. E necessério muito cuidado ao desenvolver um trabalho vocal, impostar uma voz é antes de tudo uma atividade pessoal, lidando diretamente com © intimo da pessoa, seu intelecto e psiquico. Vocé que esté se propondo ao estudo vocal, seja para a fala ou para o canto, deve ter algo em mente, uma meta a ser aleancada, quer melhorar sua pessoa ou sua imagem e estar devidamente preparado para exercer uma atividade vocal como cantor, apresentador, orador, professor e muitas outras carreiras que se utilizam da voz como uma ferramenta indispensAvel de trabalho. ‘A voz € @ representagdo sonora de nossos sentimentos, da nossa personalidade que registra a todo momento o impacto de todas as nossas emogGes. E lum instrumento vivo, fazendo parte de cada um de nés, de nossa maneira de ser, de sentir, de expor as nossas idéias e sentimentos. Impostar a voz, portanto, é muito mais do que apenas exercitar misculos. E, na verdade, melhorar como pessoa, buscar € char 0 equilibrio individual, no nos esquecendo de nosso objetivo, A arte de cantar 6 0 resultado de tudo isso aliado a um trabalho muscular em todos os érgo que compte nosso aparelho fonador, fazendo com que esses drgdos sejam controlados @ usados corretamente para que foriegam o melhor rendimento possivel, sem contrariar a nratureza do aparelho fonador, bem como nao o levando a uma fadiga ou traumatismo, buscando os melhores resultados com o minimo de esforgo, tudo em perfeito equilibrio & técnica Pratique com inteligéncia e cuidado todos os exercicios indicados, trilhando um caminho seguro para a impostagao da sua voz Conhecendo nosso Aparelho Respiratorio No ato da respiragdo, a célula absorve oxigénio ¢ elimina gas carbénico. No homem, 0 oxignio precisa ser levado as células por algum meio, esse meio é o aparelho respiratorio e circulatério. © primeiro capta e recolhe o oxigénio da atmosfera levando-o ‘08 pulmBes. O segundo, transporta-o aos tecidos de forma inversa @ & produzido nas células transportando-se para os pulmées através da circulagéio. Logo concluimos que existem duas respiragdes intimamente ligadas: a respiragdo extema, que constitul as trocas gasosas entre 0 ar dos pulmées € 0 sangue, onde o sangue perde 0 anidrido Marcelo Dantas Fagundes 2 carbonico o recebe 0 oxigénio, ¢ a respiragao interna, que acontece na Intimidade do corpo, entre o sangue € 0s tecidos. (Ver figura 2) © apurelno respiratoio € compreendido pelas seguintes partes que, serso estudadas separadamente: nariz (ou cavidade nasal) feringe, laringe (onde nasce & ‘Yo2), traqueia, bronquios, pulmdes e pleura e o diafragma. asda estudarmos essas partes, vamos exercitar nossa respiragdo. A Analidade dos exercicios respratérios é chegar ao dominio do mecanismo respira\ons & sneimatélo ao controle da propria vontade. Quando vooe inspira, coloca © ar Pare Saar em geral, Vooé levanta os ombros no abrindo suficentemente as narinas © funga 20 invés de inspirar, néo dilatando a parte inferior do torax. Exercicio Para inspirar corretamente, abra ao maximo as narinas, como se estivesse tomando gua pelo nariz, no suba os ombros ao Inspirar, tenha certeza de ave & SUA tna prdcioa € que esta sendo dilatada, aumentando de tamanho quando 0 ay entre ‘ApOS 0 enchimento dos pulmdes e seu esvaziamento varias vores, produza tum som constante @ silébico como 0/SI, faga o mesmo exercicio indmeras vezes. O Nariz E constituido de asso ¢ cartlagem, divide em duas fossas por uma parte conhecida como septo nasal, sua fungdo & inspira 0 ar @ levérlo até 05 pulmbes, Ae connec is (ratings) se comunicam com a faringe. A parte intema do nafs & du oat undoneriz sendo toda revestida de mucosa e igeda as narinas com pelos, cranatyem para protege-ia da entrada de corpos estranhos, A mucosa ainda ames & wee se vsgepntar uma rca vasculrizagao, onde o mesmo & insplrado e aquecié” aes FT seers respiratoris inferores, ou se, os pulmBes. O nari tem duas funcbes, respiragao e o olfato. (Ver figura 3) Por tudo. 1ss0, € recomendado que so inspire pelo nariz e ndo pela boca 6 orgarismo humano possul uma temperatura mais elevada que o ambiente. © 2° Care Seasaerpos pulmges numa temperatura igual, ou quase igual @ temperatura ovgetes © chegar aos Pecida para que haja uma lrigagdo da estruura pulmonar. As condenses também vleniaas do naz e seu bom desempenho so muito importante para o esludo do canto. (Ver figura 4) Aprendendo a Cantar B A Faringe Também chamada de garganta, é um conduto misculo-membranoso, situado atrés das fossa nasais e da cavidade da boca. As fossas nasais se comunicam com a faringe através de dois orficios ovalares chamados coanas. A cavidade bucal se comunica com ela através do istmo da garganta. Em sua parte inferior, a faringe se comunica com a laringe e o esdfago. A faringe da passagem aos alimentos que v4o a0 eséfago © 80 ar que respiramos que vai para a faringe. Essas duas vias se oruzam, mas no funcionam ao mesmo tempo. O ato de deglutir inibe 0 ato da respirag&o. No dé para falar e comer ao mesmo tempo. A faringe tem bastante importancia na formagio dos sons orais, pois ela é uma caixa de ressonancia. (Ver figura 5) ALaringe A laringe situa-se na parte anterior e mediana do pescogo. E um conduto de esqueleto cartilaginoso que pode ser percebido pela saliéncia que faz na superficie cutanea, Compdem a laringe as seguintes cartilagens: tirdide, cricbide, aritendide © epigiote. A epiglote, uma cartilagem Unica, € a lingueta que no momento da degustagdo se abaixa sobre a abertura da laringe, protegendo-a contra a penetrago de alimentos, ela esté localizada atrés da base da lingua e do osso hiide. (Ver figura 7) ‘A laringe & a produtora da voz. E nela que nasce a voz quando o ar, vindo dos pulmées, coloca em tens&o as pregas vocais inferiores, estas vibram em movimentos laterais, alargando e estreitando de forma continua e répida a fenda glética. Essa vibragdo das pregas vocals é transmitida ao ar que se encontra nas cavidades acessérias: ventriculo de Morgagni, faringe, boca e nariz. As pregas vocals possuem uma grande mobilidade, quando estéo espessadas, produzem sons graves, quando tensas, produzem sons agudos. A laringe é 0 bergo da voz. Quando emitimos um som bem allo © agudo, a laringe ¢ deslocada para cima pelos misculos externos da mesma, com a finalidade de esticar as pregas vocals. Quando emitimos um som bem grave, baixo, ela é deslocada para baixo, com 0 afrouxamento das pregas vocais. Nos sons agudos aproximam-se as bordas finas das pregas vocais e nos sons graves elas se contraem de forma diferente, so as bordas espessas, com maior massa, que se aproximam. (Ver figura 8) A Traquéia e os Brénquios A traquéia é um tubo ou canal cilindrico com cerca de doze centimetros de comprimento, Esta situada em continua¢ao a laringe, bifurcando-se na parte inferior nos dois brénquios. Sua principal fungo ¢ dar passagem ao ar. Os bronquios sao os dols tubos constituidos pela separacdo da traquéia dirigindo-se cada um para um pulmo e nele situado. Dentro dos pulmbes, os bronquios se ramificam em outros cada vez menores, os bronquiolos, ramos bem finos que se abrem nos ductos alveolares originando os alvéolos. Observe um esquema da traquéia, brénquios, bronquiolos @ alvéotos. (Ver figura 6) Marcelo Dantas Fagundes u Os Pulmées Temos dois pulmées, um a direita @ outro & esquerda do coragao. Eles so ‘essenciais a respirago externa e 6 através das paredes dos pulmdes que se efetuam as trocas gasosas entre o ar que fol inspirado e o sangue. Cada um deles tem uma base mals ou menos cdncava, um Apice e trés faces: costal, medial e diafragmética. © apice € voltado para cima e 6 vizinho da primeira costela. Uma face se acha em relagao as costelas, a outra em relagdo ao mediastino e a outra ao diafragma (© pulmao direito dividi-se em trés lobos: superior, médio € inferior. O pulmo esquerdo em dois: superior e inferior. Os pulmdes, para se comportarem num espaco pequeno e estreito, dobram-se e enrugam-se ao maximo. (Ver figura 9) O Diafragma E um misculo delgado, laminar, pouco espesso e que divide a cavidade do t6rax da cavidade do abdome. Tem a forma de uma cdpula concava para baixo, 'Na inspirago, ele abaixa-se pelo aumento da caixa toraxica, contraindo-se e, ao mesmo tempo, comprimindo as visceras do abdome. 'Na expiragao, ele fica relaxado e a pressdo dos miisculos abdominais faz com que as visceras do abdome o lever a sua posigtio. O diafragma € o principal musculo inspirador dentre os outros como os miisculos peitoral maior, menor, serail, anterior, etc. (Ver figura 10 @ 11) Os miisculos expiradores, quando relaxados, n&o influem na expiragdo quando se trata da respiragéo vital, diéria. No entanto, eles adquirem importancia fundamental no canto. ARespiracgéo ‘Quando respiramos, processamos trés fendmenos simultaneamente, so eles: os fendmenos mecanicos, que consistem na entrada do ar nos pulmbes conseqiente salda deles, 0s fendmenos fisicos, que se dao através do aquecimento © evaporagdo e os fendmenos quimicos, através de trocas gasosas. 'Na inspiragso, o ar vindo de cima para balxo percorre as vias respiratorias chegando aos alvéolos puimonares. Os gases desses alvéolos percorrem um caminho contrério, sendo expirados. “A respiragao vital, como jé mencionel, independe de nossa vontade e é feita automaticamente, Quando inspiramos, colocamos 0 ar para dentro @ o diafragma é abaixado, sua cipula desce ficando quase plano ¢ os pulmdes também se dilatam fenchendo de ar. Na expirago, isto é, expulséo do ar, os pulmbes diminuem de tamanho @ a caixa toréxica também diminui, o diafragma volta & sua posigao. E 0 processo inverso 4 inspiragdo. Aprender a respirar corretamente néo é apenas recomendado a vocé, que ‘quer se tornar um cantor, e sim a todos nés, é de suma importancia a vida. No canto, a respiragio tem de ser controla de acordo com a vontade de quem emite a voz. A expiragso se torna muito mais longa na voz cantada do que na voz Aprendendo. Cantar 1s falada e a inspirag&o € um pouco mais curta, Tudo dependera exclusivamente do fraseado musical (frase musical) que estaré sendo executado. Uma voz jamais apresentaré todas as suas qualidades de formas artisticas se a respiragdo néo for adequada e muito bem executada. (Ver figura 12) © som emitido de maneira correta faz com que ndo haja desperdicio de ar, portanto, nao adianta nada ter pulmdes grandes ou caixa toréxica avantajada. E preciso saber usar o ar que foi inspirado. No canto, em alguns momentos da pratica musical, exige-se uma quantidade de ar muito grande em pequenos espagos de tempo entre as frases musicais, quando isso ocorre utilizamos a chamada respiragéo mista (nariz boca). Aconselho a utilizagdo desse procedimento em locais n&o muito frios, poluidos com fumaga de cigarro ou poeira. A inspiragéo deve ser normal, sem exageros @ tranquila, sem presa. Com a respiragdo feita corretamente, uma pessoa na sua voz média, consegue manter um som por mais de dez segundos podendo atingir até 20 segundos com um pouco de treino. Isso, s6 com a economia do ar, ou seja, utilizando adequadamente a capacidade pulmonar. Teste a sua Respiracgao Vamos detectar se voc8 tem ou n&o suficiénoia respiratéria: respire vinte vezes pelas duas narinas, normalmente, sem lentid&o ou rapidez. Posicione-se sentado numa cadeira, corpo bem ereto, se preferir pode ser em pé, tape uma das narinas & repita a operacdo. Agora tape a outra narina e também repita a operagdo. Se vocé conseguir fazer todas as etapas do nosso teste sem sofrer alteragSes no ritmo ou incémodos, néio deverd ter problemas de insuficiéncia respiratéria. Faca esse teste também deitado, primeiro de barriga para cima, depois de barriga para baixo, Caso haja alguma diffculdade, procure um especialista, um médico para orienté-lo. Durante 0 curso, exercitaremos muito 0 seu aparelho respiratério. No se preocupe por ndo conseguir fazer 0 exercicio proposto. Somente procure o especialista se as falhas persistirem. Lembre-se, caso seja um fumante, sua respiragao ja deve estar atterada. Mecnica da Respiragao Abdominal. Costal inferior ~ na qual predomina a mobilizacao das costelas inferiores. Costal superior ou clavicular ~ com elevagao do torax. A inspirado deve ser feita sempre pelo nariz, pois é nele que se dé o aquecimento do ar antes de chegar a garganta, Para cantar no ha necessidade de inspirar multo ar e sim saber expeli-lo com economia. (Ver figura 12) Marcelo Dantas Fagundes 16 Exercicios 1) Em primoiro lugar, boceje varias vezes, mesmo sem vontade, isso ajuda muito a descontragao psicolégica © muscular dos misoulos facials. Agora respire fundo, evagar, tranquilamente, faca esse exercicio umas cinco vezes ou mals. ‘Solte todo 0 ar dos pulmées respirando tranqiilamente @ em seguida emita um “SSSSS", solle 0 ar vagarosamente, economizando-o. Procure fazer isso mais lentamente possivel, quando sentir que a respirago ja se esgota, pare @ inicie 0 exercicio. Esse exercicio tem camo objetivo a economia do ar. 2) Emita um “AAAAAAAA’ surdo, como um bafo, nfo havendo som algut, sem vibragdo das pregas vocals, faga economia de ar, bem lentamente. Apés a emisso sertinwa goloque uma mao sobre o umbigo e sinta todos os movimentos respirayorios, aie eg puta mao atrés, nas costas, perceberé 0 aumento € a diminuipso do volume do trax. Tente. g)Sentado, corpo ereto, bem descontraido, emita a vogal “A” prolongada *AAAAAAAA™ © va gitando a cabeca em 360 graus, em tomo do pesoogo, mufo daaeneite o sempre emitindo a vogal “A". Este exercicio é muito importante pols Felaxa searveatura do pescogo e permite que as pregas vocals se exercitern de forma total 4 Vamos agora trabalhar a ressondncia facial. Com a boca fechada, som apertar os denies e nem os lébios, garganta aberta @ livre, Inspire pelo nan Ne aperyer muito 0 are emita a consoante “M" ou se prefer “HEM”, Comece num tor Det” aeste'¢ va subindo a afiagéo, mantendo cada nota até ondo der, @ capecttede creator. Respire novamente para a préxima nota, ataque bem 0 som & termine seo. Jogue a voz para frente e para cima, como so ela fosse sair pelos clhos Saiyer desge @ escala, no inicio, apenas algumas notas, depois a regiao vocal toda, 5) Exercicio para os movimentos da lingua e dos labios: Cante "MA-NAMA- NAT e va subindo a sfinagao. A lingua sobe e desce e 0s labios abrem e fecham para S° formarem as silabas. 6) Com a boca fechada cante “MMNMMMMMT e abrindo @ boca Wiclua no final um “A, assim “MMMMIMMMMA". Sempre com uma nota grave e, subindo, @ simagdo. Depois de repetr varias vezes, pratique o mesmo exercicia fnalizando com aatue outras vogais, a, 6, 6, , 6, 6, u; sempre precedidas do "MMMIMNIMMM 7) Sentado, respirando bern e girando a cabega emite urn “til, nae nota média, cubindo © descendo a escala. Sempre sem forgar, muito retexado, Este rote elo & muito bom para o controle do tOnus muscular das pregas voca's PUI. Te ae ese do "Ta freqiiencia & maior aumentando a tensdo das pregas vocals. Procure Sontir a vogal bem na frente, no rosto, cuidado para no jogé-la totalmente no nari2. 8)Vamos contrair € descontrair 0 abdome, "Chupe” a barriga Fart dentro. Com a contragao, segure por alguns segundos a barriga @ depois a solte lentamente, descontraindo. Concentre-se. @)Vamos trabalhar agora, a mandibula (maxilar inferior): pense numa sirere de policia 6 aga: "Ze ~ Ze ~ ZE ~ ZE ~ ZE- ZE, um grave e outro bem agudo. Na Nate Gouda, a segunda nota, acentue 0"é" final, vce tera de abrir bem a mancibula, fazendo um abre-e-fecha do maxilar. Aprendendo.a Cantar 7 Todos os exercicios foram idealizados por inimeros especialistas do canto com 0 passar dos tempos e cada um tem uma razao distinta de ser, Devem ser feitos todos os dias e numa quantidade pequena, sem exageros, pois a melhora da entoagao vocal se dard pela frequiéncia dos exercicios néo pela quantidade, Refaga sempre os exercicios jé ensinados, nunca os abandone. Lembre-se: quero tomé-lo um cantor profissional, ajude-me seguindo corretamente meus ensinamentos sem perder uma tinica lig. VOCE SABLA Que a freqiiéncia fundamental da voz feminina fica em torno de 220 Hz e, no homem, em tomo de 110Hz, Hz & a abreviagdo de Hertz, que é a média de freqiléncia de vibragdes das ondas sonoras. Quando normaimente respiramos, involuntariamente, inspiramos cerca de 500 cc (centimetros ctibicos) de ar, durante a fala, cerca de 1.500ce e durante o canto cerca de 3.000 a 4.000cc. Musica Antes de comegarmos a cantar, como jé disse anteriormente, & muito importante conhecermos todos os elementos que participam da producao da voz, por esse fato, n&o vou indicar uma misica especifica para vocé, neste momento, fago no entanto, uma recomendagao: Nunca force suas pregas vocais, comece a cantar pequenas miisicas facels como por exemplo misicas infantis, cantigas de roda, misicas de ‘ninar’, essas melodias parecem ser muito simples mas em geral possuem caracteristicas ricas € podem ser exploradas por vocé nesta etapa do nosso curso. ‘As misicas sero realmente dadas a partir do capitulo 4 pois colocamos todas as cangdes gravadas no CD de audio. ‘Tenha paciéncia, esta fase parece um pouco desgastante mas na verdade & ‘a mais importante, nao deixe nenhum item mai entendido pois poderé refletir no futuro. Persista estudando muito este capitulo. Marcelo Dantas Fagundes 18 Contetido do Capitulo 2 este capitulo, eomegaremos a estudar a audicgo, ou seja, como ouvimos & percebemos 0 som eSedsremos todo 0 aparelho audtivo e o porqué da perda d@ audigao. vaimos aprender 0 que S40 0s ressonadores @ 05 OrgHos articuladores. Aiguns exercicios para a concentrago, para o alongamento © aquecimento, bem como muitos exercicios de respiracdo, também serdo dados. Vigeos estudar, recordando que qualquer divida é s6 entrar em contato conosco, O Som ea Audigao © som & estudado pela Fisica através da acistica Todo som Aes dia sensagio resultante da impress&o produzida no ouvido pelo movimento vibratério de um corpo eléstico em movimento. Parece um pouco complicadc, Tes nfo &. 2 oy orpo capaz de vibrar provoca um som que é faciimente percebido pelo nosso sistema auditvo. ister ac aifcar isso quando esticames um eldstico entre os devos © aplicamos uma forga sobre este elastico esticado, Se, aproximarmos dos nossos aaieme bservaremos um som caracteristico deste material, o MET, ‘corre com @ cuvia de um violdo. Esse movimento vibratbrio se dé quando a ‘moléculas de um corpo coi coviadas da sua posicBo de equilrio e depois abandonsdas, voltando ao equilibrio Yagarosamente. Quando um corpo sonoro est em) vibragdo na atmosfera, 0s Wravimentos que faz se comunicam com 0 ar que 0 Cerca, chegando ao nossos ouvides. Ov atmosfera um corpo vibra de forma constante, SUCBSSIVA, © entra em deans e propaga o som em todas as diregbes através de once ssonoras, portanto, © voragas opagado através dessas ondas sonoras, que s8o resulanics de um movimento vibratorio, A medida que essas ondas sonoras Se ‘afastam da origem do movimento rat6rio, 0 somn vai enfraquecendo até se extingulr se pragdes sonoras podem ser reaizadas de forma regula © irregular, ou seja, com periodos iguais, constantes, sucessivas ou desiree 'Na forma regular temos See oe na forma irregular temos 0 ruido ( som distorcido ¢ desagradavel ). Ce qualidades ou caracterstioas basicas de um som $20: 8 intensidade, @ altura e o timbre: a intensidade é a qualidade do som de tornars perceptivel a maior ou altura fatanela, 6 0 volume do som; a altura é a qualidade pele ‘qual se distingue um seen ave de outro agudo, depence dirtamente da freaiéncia de movimento vibratério, Stlanto maior a frequencia (nimero de vibragbes), mais aguee ‘sera o om, quanto menor SNfequencla, mais grave serd 0 som; o timbre é @ qualidade ave permite distinguir dois Sons produzidos por instrumentos diferentes mesmo que festejam com a mesma frequénota, Aprendendo a Cantar 19 Percebendo o Som Todos os tipos de sons so percebidos pelo homem através do aparelho auditivo, 0 ouvido. Esse aparelho ¢ formado por trés partes distintas: 1) ouvido externo: destinado a concentrar as ondas sonoras, 2) © ouvido médio: destinado a transmitir as ondas sonoras ao nervo auditivo. 3) © ouvido intemo: destinado a alojar as terminagSes do nervo auditivo, cuja Sensibilidade especial dé lugar & percepgdo dos sons. A Audigao Como pode a misica fazer sentido para um ouvido e um cérebro que se desenvolveram com a finalidade basica de detectar os sons da natureza a fim de protegao, detectando 0 som do leo que se aproxima, ou o rastejar de uma serpente? © sentido da audic&o tem 300 milhdes de anos, a misica existe apenas ha um centésimo de milésimo desse periodo. O que torna belo 0 som de uma melodia feita por um violino bem afinado, ou 0 solo de uma flauta? Por que um acorde é “grande’, “eliz’ e outro “iriste", “angustiado"? Como determinados sons podem ser belos a alguns ouvidos terriveis @ outros? Por que alguns individuos nao conseguem ficar sem a misica e outros so totalmente indiferentes? _€ por que, entre bilhdes de cérebros, sé alguns so capazes de criar a misica do éxtase"? Essas perguntas ndo so novas, nés as encontramos em Platéo”, Kant’, Nietzsche‘, No entanto, fol apenas por volta do século passado que os cientistas resolveram levar a musica para seus laboratérios com o intuito de veriicar tais acontecimentos. O Ouvido Tenha cuidado com 0 que vocé chama de ouvido. A parte externa do cuvido, ou seja, a massa elastica de protuberdncias e dobras (a orelha), € apenas um dispositive para canalizer 0 verdadeiro ouvido ~ 0 interno -, que fica profundamente instalado em sua cabeca. A orelha é chamada de “pinna", palavra latina que significa ' Extasis= Ex, no sentido de “do lado de fora’ e stasis significa “em pé". Sons que deixam a pessoa em pé do lado de fora de si mesma, + Platdo: Pensador Grego, nasceu em Atenas em 427 aC. ° Emmanuel Kant: Nasceu em Koenigsberg em 1724. ‘ Friedrich Nietzsche: Nasceu em Roecken em 1844, Marcelo Dantas Fagundes 20 pena ¢ sua principal tarefa 6 de ampliar o som a0 verté-Io no cane) do ouvido (este tem pet média dois e meio centimetros de profundidade). (Ver figura 13) ‘Amisica entra pelas orelhas, passando pelo canal do ouvido até chegar 20 timpano,instalado no final desse canal. Até este ponto, o som viala em fovea te ‘ondas de pressto através do ar, apés bater no timpano, prosseguiré seu caminho com ‘movimentos mecanicos. Logo além do timpano, esta 0 ouvido médlo onde tis ossos com formar estranhas, 05 ossiculos, esto presos a ligamentos de modo que o timpano, empur © frimeiro, denominado marelo, que esbarra no segundo, a bigoma ¢ este, dé um puxéo Brimeleodenetatnbo, jogando 0 som para dentro de uma abertura que leva a0 ouvido Me ere cholo de fuido, onde os neurOnios (oélulas nervosas) estéo & espera dete ‘Quando voce fala ou canta, 0 som viaja néo apenas de seus labios para guas orelhas, mas também diretamente por sua cabeca, até chegar 20 ouvido |ncte Sa vor rai vooe escuta a si mesmo duas vezes, uma pelo canal do ouvido e a ours, pelos ossos da cabeca. O transporte do som pelos ossos toma © sort mais alto do que as de outta forma e muda 0 contetido da receita sonora (a frequéncia) Text eapliea por que nao reconhecemos nossa propria voz numa gravagio em fita K7. Essa gravagao contém parte da voz que voce escuta. O Ouvido Médio © owvido médio fica numa cavidade do cranio, entre os ouvidos exteno © interno, All se localizam trés ossiculos: martelo, bigoma e estribo. Os tres se mover om ‘Sequénela e transmitem ao ouvido interno ondas sonoras captadas pelo ouvido externo. (Wer figura 14) O Ouvido Interno Quando a misica completa sua jomada ao longo dos ossiculos, sofre outra mudanga, desta vez para uma onda de pressao no fluido. O ouvido interno, ou cute te corwverte as vibragbes do som em informagao que 0 cérebro pode tty Yeicando 6 mundo mecénico para o mundo sensorial, da psicologia. Come, ‘mencionado, Seas intemo & uma cavidade com um fluldo, Parte dela contém a céclea. ut tubo oetlado que recebe es vibrag6es vindas do ouvido médio. Estas, visjam pela fluido e cae cladas por ellos sensorias que as convertem em impuisos nervasos. © cérebro interpreta esses impulsos como som. (Ver figura 18) Aprendendo a Cantar a A Perda da Audigao © ouvido tem muitos inimigos: uma pancada forte na cabeca, exposiogo a Intenso barulho, infecgdes bacterianas, danos bioquimicos causados por drogas etc. Tudo isso pode causar a perda da audig&o. Quando a lesdo ¢ séria, nao hé Muito 0 que fazer, pelo fato de 0 corpo no poder gerar novas células nervosas como faz ‘com os ossos, a pele e os masculos. Com 0 passar dos anos, existe um desgaste auditivo normal, chamado de presbiacusia, quando 0 limite de nossa audigéo declina medida que envelhecemos. Essa 6 uma surdez natural, conseqiiéncia da idade. Hé também a'surdez patolégica, provocada por doencas ou acidentes. Identificando os sons Toda a nossa experiéncia auditiva esté voltada a identificagéo dos sons. Um miado de gato, uma tomeira pingando e a voz das pessoas. Estamos muito mais interessados na natureza do som do que no lugar de onde ele vem. Os sons se afunilam ao entrar em nosso sistema auditivo, & como se a natureza jogasse fora a oportunidade de localizagao do som e temos que nos preocupar com isto observando, a partir de agora, de onde vém os elementos sonoros que estamos ouvindo: da direita, da esquerda, do cho, do alto, Os animais fazem essa localizago com muito mais freqliéncia e naturalidade. Observe um gato, a0 ouvir e pressentir outro animal, ‘movimenta suas orelhas a fim de calibrar sua audic&o. Isso significa que, com 0 passar dos milénios, perdemos a mobilidade de nossas orelhas, deixando de identificar, por exemplo, a presenga de um violino & esquerda, de um baixo a direita, de sopros ao fundo quando assistimos a uma orquestra. Mesmo perdendo um pouco desta mobilidade auditiva no somos to ineficientes na localizagdo dos sons. No entanto, as conujas sdo as campeas, observam suas cagas auditivamente com uma margem de erro infimo. Mareelo Dantas Fagundes 2 Ressonadores Vocais e os Orgaos Articuladores © som produzido na laringe seria praticamente inaucivel se nfo Foose amplificado e modificado pelas caixas de ressondncia proximas & laringe Para a técnica armel fo cantc), daremos especial alengdo aos ressonadores da face, SH eles cavidade yo Bova cavidades do nariz © 0s seios paranasais, chamando-os de Tessonadores facials ou vor facial. E esta voz facial que o cantor, seja qual for sua VO2, deve e precisa facials oor Uma voz que no explora essas ressonéncias, mesmo Sendo wn He fone sera uma voz sem brilho € sem qualidade sonora. A voz bem colocada tem penetragio, beleza e qualidade. seat nap impostada, ndo trabalhada, geralmente é apoiada na garganta, emitindo, assim, sons imperfeltes, sem brilno, mesmo que o timbre seja muto bonito & agradavel. Voce jf deve ter ouvido falar em ‘cantar na mascara’, ou sola. Wlizat Ms ressonadores racials, Observe 0s ressonadores faciais fazendo este, simples teste: Gologue uma de suas més encostadas no ‘Pomo de Addo", que. § @ saliéncia da laringe coloqu idatre 0 taBio superior e o nariz, apenas encoste a mao. Nao face fovea Tem aperte, Com a boca fechada produza um som qualquer, como wm “HUM”. Se observar anor Gipragdo no -Pomo" vooé est apoiando a voz na garganta © nao nos ressonadores Yaeiais, caso @ vibragdo maior seja abaixo do nariz vooe esterd nO caminho certo, teas erases reasonadores facials. Nao se predcupe, faremos outros exercicios para tal desenvolvimento. Uma voz que nfo utiliza os ressonadores facials tende @ provocar om dosgaste obrigando 0 cantor @ um esforco desnecessério e, sem diva, Sua Voz seré envelhecida prematuramente. Perot a vor na face ndo significa forgé-la nos ressonadores facials, com excessos de siissao € sim emitila de forma fisiol6gica sabendo exploré-a de mania natural 0s 61g artculadores so: 0s lios, os dentes, a lingua, 0 palato dito, © ‘yéu palatar e a mandibula e ‘so encarregados de transformar a voz em voz falada ou cantada, Qualquer deficiéncia de articulagao dificultar 0 entendimento do que se canta. imporantissimo saber pronunciar bem as palavras de acordo com ¢ idioma e suas regras, explorando os articuladores na forma correta dos vocabulos. A cavidade bucal sofre diversas alteragdes de tamanho e forma pelos movimentos da lingua, considerada como 0 principal rgao da articulacdo, pois apresenta uma enorme ving iaade de movimentos pela agao dos seus masculos Abertura da Garganta Quando comemos alguma coisa que esté muito quente, instintvamere abrimos @ boca aumentando 0 espago interno dela para que @ Hngua, © © palato, arms ga, hquem 0 mais afastado possivel desse alimento quente, ent&o, quando bocejamos, a lingua desce e 0 palato mole se eleva ‘Para entendermos melhor vamos fazer uma experiencia? Va até 0 espeiho, de preferéncia o de seu toalete pois deve ser bem iluminado, abra bem a boca e repare no posicionamento da lingua e do palgio mole ( ele aerljaado a dvula, mais conhecida como campainha, e quando esta sobe clova palato eatie unto). Repare o movimento da lingua e do palato mole. Owe um aumento consideravel do espago interno da boca, no 6? Aprendendo a Cantar B Posigao da boca E necessério que se abra a boca para que 0 som seja projetado melhor, repare os cantores de que vocé mais gosta, mesmo com estilos diferentes, todos abrem bem a boca para cantar. (© maxilar deverd estar bem relaxado procurando nao projeté-lo para frente ou para os lados, a lingua deveré ser mantida na maior parte do tempo abaixada e relaxada, Concentrando-se Hoje em dia, técnicas de concentrag&o sé muito utiizadas por intimeros profissionais, pessoas ligadas ao estudo do controle da forca da mente, auto- Conhecimento ou auto-ajuda, Usaremos a concentracdo como forma de meditag&o. No Rosso caso, ela nada mais 6 do que a atencao absoluta naquilo que vamos executar: uma misica ou um exercicio. Tudo é fruto dessa concentracdo. Desligue-se do mundo, de seus problemas, liberte sua mente de qualquer outro pensamento diferente do canto, dirija sua atenc&o exclusivamente a0 canto. Devido a estas técnicas, sempre recomendo o estudo da musica em geral, seja cantando ou tocando um instrumento musical, as pessoas emocionalmente abaladas, nervosas ou imequietas. © nervosismo desestrutura qualquer individuo e impede que haja uma concentragao no que estamos dispostos a fazer. A concentrago, 0 estado de absoluta atengo no que se estd fazendo, Principaimente durante o estudo ou apresentaco musical, 6 um caminho seguro para a Fealizagao das técnicas, para um cantar saudavel. Procure dominar seu estado emocional, seu nervosismo © sua impaciéncia com pensamentos positives e acredite ‘Sempre em voce, repita todo dia: “Se estudar com afinco, serei um excelente cantor.” Colocar-se num estado de relaxamento muscular total, de forma a nao perder a energia necesséria aos exercicios do canto, torna-se muito importante. Nao fique tenso, no provoque nenhum tipo de tens&o muscular, principalmente dos érgaos da fonagao. E comum observarmos em cantores despreparados um exagero de tensdes visiveis no pescoco, parecenda até que 0 mesmo explodira ao cantar uma nota muito aguda, fora de seu alcance. E preciso reconhecer seu ponto de equilibrio, onde a energia necesséria a produgéio da voz cantada nao se transforma em forga provocada pela tensdo muscular excessiva, © Corpo Q cantor deve desenvolver o seu corpo. Ele ndo somente contém a laringe, que produz os seus sons vocais, como também 6 0 seu instrumento, Imagine-o, por exemplo, com possibilidades de se tomar uma calxa de som de um violino. Proponho alguns exercicios. Marcelo Dantas Fagundes 24 Exercicio de Alongamento e Aquecimento Faca alguns exercicios de alongamento muscuat conforme 0 desenho abaixo. Estes exercicios séo étimos para um relaxamento, inclusive podem ser feitos jogo pela manna, antes de comecar o dia ou trabatio, Par aliviar algumas tensdes. N&O fapa estes exercicios apenas na hora de estudar ‘canto, mas sempre que tiver face “idade, ou melhor, todos os dias. O alongamento desenvolve sua consciéncia recsoral, alongando todas as partes de seu corpo, vooe aprende a se conhecer. Para a face, pescogo, ombros e lateral do corpo. Vamos praticar. +4) FACE: Muito da tonsao de seu rosto vem do franzir 2 testa ou do apertar 98 olhos indevidamente, originando um esforgo ocular Magr. Erga as sobrancelhas e arregale os ollos tanto quanto possivel @ abra @ boca ao mesmo tempo para alongar os misculos 20 regOr do nariz e do queixo, estique neue para fora durante cinco a dez segundos, Esse & um ‘exercicio para sorrir 2) PESCOGO: Sente-se em posigao confortavel. Muito lentamente gire @ cabega fazendo um circulo completo, com as costas retas. ‘Observe 0 desenho. on ) ) GE 3) OMBROS: Puxe o catovolo, cruzando o pelt fem diregdo ao outro ombro. Nesta posiga0 pressione 0 erovelo com a outa mao, com a maior forca possive} Para frente e para fora num periodo de dez a quinze segundos. Aprendendo a Cantar 25 4) LATERAL DO CORPO: Fique em pé, ao lado da parede, com os pés separados. Levante 0 braco proximo a parede, o mais alto que puder e pressione o dorso da mao e 0 brago durante dez a quinze segundos. Depois incline-se para o lado, ‘suavemente a partir da cintura, mantendo 0 brago esticado para 0 alto e sobre a cabeca. Coloque a outra mao no quadiil para apoiar-se, Respire durante o exercicio, 5) POSTURA: O cantor deve preocupar-se sempre em cantar ereto, como se estivesse sendo dependurado por uma corda. Seu corpo todo deve descansar sobre a estrutura éssea, com os ombros ligeiramente para trés, fazendo uma pequena curvatura nas costas e obtendo assim a maior capacidade toréxica possivel. As pernas ligeiramente separadas, com os calcanhares totalmente apoiados no chao sem que toquem um no outro. Os bragos devem cair relaxadamente e 0 peso do corpo distribuido igualmente nas duas pemas. Ao se sentar, nao cruze as pemas. Esses sdo apenas alguns, entre tantos outros exercicios de alongamento. Todos tém como objetivo tencionar e relaxar mésculos individualmente. Pratique-os para ter uma vida saudavel, s de Respiragao 1) Tape com um dedo a narina direita e inspire pela outra. Quando estiver com 0s pulmées cheios feche as duas narinas por quatro ou cinco segundos. Solte ent&o © ar pela outra narina, lentamente. Depois faca 0 mesmo exercicio tapando a outra narina, repita-o quantas vezes quiser. Esse exercicio massageia as fossas nasais @ controla a permeabilidade do nariz. 2) Inspire e expire varias vezes, lentamente. De pé, corpo ereto e cabeca na horizontal, inspire comegando a encher os pulmées a partir de sua base, préximo ao Marcelo Dantas Fagundes 6 umbigo. Néo levante os ombros. A medida que 0s pulmdes véo se enchendo, UBinimem 0 diafragma e este, as visceras para baixo. Isso Ocorre devido ao aument Seregmanno de seu pulmo, Faga esse exercicio varias vezes, tentando economizar 0 ar quando expirado, soltando-o lentamente 48) Outros exercicios que Indico sto os jé mencionados anteriormente soprar um *SSSSSSS", sentindo a resisténcia do ar, fazer tambéM o% exercicios com SoOe AAR, sem som, Suro ou até mesmo imitar uma abelha fazendo ‘222222222" ‘Ateng8o: © importante em todos os exeroicios € melhorar nossa concentragio. Lembre-se de que todo resultado musical vr com 0 tempo. Nilo oe precipite, estude com calma para que cada novo conhecimeno, Soi totalmente oece so. Nao force sua voz, busque a qualidade sonora, ouga a si mesmo, A voz deve assin@idonda, clara, com brilho, Os exercicios vocals devem ser realizados come $e clos A boca, como jé mencionel, € a maior caixa de ressondncia com uma grande importancia na articulacdo e formagao dos fonemas. 4) 0 bocejo & Indicado como exercicio preparatério para a emisséo, vocal Relaxa o roste, a boca, @ garganta e ainda aumenta a oxigenagao do sangue. Bocele quantas vezes quiser, pois a sensagao de liberdade provoca Ut relaxamento da Garganta, devando 0 ar sair facil € livremente. © bocejo & um dos exercicios sera atotios mais antigos e efcientes no estudo vocal, quando as narinas se eave & (espa Os aberta e arredondada, Estes movimentos se iniciam na ponta do nanz © ace tae e vaio se estendendo até que aparegam os dentes, fazendo 0. maxtiay inferior ros vat urrado para frente. Isso aumenta a cistancia entre o céu da boca, a fnawa © & see emsina, até_a faiinge © 2 garganta, eslendendo-se a laringe © a barge. © Grragma se eontral aprofundando-se. A boca se abre totalmente @ @ pessoa S° espreguiga, ou seja, se alonga. omega a surgir alguns sons que podem ser ouvidos de muito fonge, Pols a calxa de rossonancia (a boca) esté totalmente aberta. Entfim, 0 bocejo & um timo exercicio a ser feito sempre como preparagao ao canto. 5) Vamos praticar a ressonancia facial: com a boca fechada e sem apenet os labios, imagine um bocejo reprimido. Inspirando lenta @ normalmente, sem fornet muito ar, prenda a respirag4o por trés segundos @ agora emita um *MMMMMMIMM" em fom grave e va subindo a altura. Comece 0 exercicio com um bor volume © va baixando Ne @ fim do ar. Esse exercicio poderd parecer um pouco complicada, mas com calma, perseveranca, concentracdo, relaxamento e insistencia, voc® conseguir: 1éso ¢ cantar com técnica, cantar bonito e corretamente, 6) Cante “MMMMMMMIT com a ponta da fingua levemente, apoiaca Por detrds dos devtes superiores e de boca fechada, sem apertar os labios e nem os denles. Fava este “MMMMMMMIM" bem nasatizado durante cinco segundos aonree boca. Fa eee este MMMMMIMMM’ em "AAARAAAA’. Q_ *MMMNNIMMME ficaré nasalizado enquanto o“AAAAAAAA” oralizado. Faga isso umas dez vezes. 7) Coloque dois dedos, oindicador © © médio, um sobre o outro Sem apertécios entre os dentes. Aperte-0s lgeiramente com os labios fechane levemente a aoe naa vogal“U", assim; "UUUUULLU', sentindo a vogal bem na frente, Suba & Gesga a escala musical de melo em meio tom. Ao atingir os agudos, cologue mals um dedo na boca, para aumentar sua abertura, £8) Vamos relaxar a musculatura da nossa lingua. Abra bem a boca Coloque ‘sua lingua para fora, pegue um pano ou lengo impo e cubra a ponta da Vingue, puxando- Sua tra baixo, sem forga, com multa deicadeza, para nao se machucar, Emita seguir Aprendendo a Cantar 2 um *EEEEEEEE” suave e quase sem timbre. Suba e desca a escala como no exercicio anterior, mantendo a lingua sutilmente presa por seus dedos. Quando seguramos a lingua, imobilizamos varios outros masculos, inclusive a prépria laringe, ficando as pregas vocais livres para produzirem som. Nao abuse desse exercicio, lembre-se de que necessitamos de qualidade e no de quantidade. 9) Exercitaremos agora o maxilar inferior. Cante "DA - E, DA- E, DA - E, DA.- E*, deixando cair bem 0 maxilar inferior no “DA" levemente no “E*. Repita varias vezes os exercicios sempre observando as indicagbes. Sé assim poder se tomar um cantor com persisténcia, forca de vontade e técnica, VOCE SABIA?NRN? Que nés nunca ouvimos nossa prépria voz como os outros @ ouvem, pois, quando somos ouvidos, nossa voz viaja pelo ar, aérea e, quando nés a captamos, sobretudo, 6 por via éssea O limite inferior de nossa audig&o & de 1db (decibel) e o limite da dor nos ouvides € de 130 db. Durante a fala espontinea ou conversando 0 volume é de aproximadamente 80db, a voz de um orador, que deve ser projetada, é de 80 a 90 db e de um cantor profissional pode emitir até 120 db. MUSICA A partir deste capitulo, temos informagdes suficientes para comegarmos a perceber e distinguir os sons. Comece com algo simples: Bata as palmas junto com um masica de seu gosto, isso fara com que perceba a acentuagdo musical, os “chamados tempos fortes da mdsica’, cantarole essa mesma cancao apenas com "Lé-Lé-Lé’ Depois de ter feito esses exercicios, cante sempre junto com a gravagéo, acompanhe 0 cantor e nos trechos em que houver algum problema, de afinaco ou respiragéo, n&o se preocupe, iremos trabalhar muito esses itens do capitulo 4 em diante. Continue estudando com entusiasmo e amor ao canto, isso refletiré no futuro quando perceber que se tomnou um cantor profissional. Marcelo Dantas Fagundes 28 Contetido do Capitulo 3 Neste capitulo, mostrarei as cferengas entre mésica erudita e Populay bem como os bloquelos Inconscientes, aqueles que o impedem de lertir algo que tanto Geuvja, Indiearei maneiras de aumentar sua motvagao evitando, assim, 0 abandono de seus objetivos. °. pém apresentarei uma explicagdo sobre higiene © conservacdo 02 Yo? em relagéo as doengas mais comuns que impossibiltam o inaividuo de exercer 0 canto. ‘Aqui constam 20 dicas para evitar tals doengas mantendo Voz sempre ssaudével e alguns exeroicios de diego para a melnora do desempenho vocal. Geer Ae i¢ Musica Erudita e Popular Utimamente, @ misica esté mais presente no dia-acia do que om avait outra época de sua histria. Qualquer som, desde a mals simples cangdo até as mais outra Cpronias, pode ser ouvido pelo simples apertar de um Doth’, rapidamente, © a0 elas fe todos, pols as invengBes mademas como os sintetizadores, samplers © 08 Zomputadores, produzem sons que nunca existiram antes ras instrumentsias uilizam-se dessas novas posslidates. Os rnisicos de mfuencia Pop” outras tendéncias utlizamse de tl evolagt ‘muito mais, Tus og msios erudtos. © publico atual esté habtuado a ass orquestras sinfénicas que. mica popular como o “chor” e até mesmo “rock”. Muar profissionals da toca rar estudaram tecnica e formas da misica eruda, como. 00 0 Maat aproximardo da mésica oriental com a ocidental, Intuenetre que se funditam no decorter da historia. A aut rstica, alae © ous instrumentos que sé uidos do Oriente durante as Cruzadas hé muitos séoulos se empos, a musica popular, a oriental ou a erudta, tendon seguir ccaminhos opostes. Infeizmente, ainda existem obstéculos pare © estabelecimento de ca soa genuinamente universal, pois 0 orguino nacional faz COV Sus ola se feche uma misiea Qerrgs mesmo com @ unifeacio de formas musica, compositores, oi a ae computadores,sintetizadores, instrumentos actions, etc Aprendendto a Cantar 29 Bloqueios Inconscientes © bloqueio da realizagao de um objetivo denominado frustrago. Esse fenémeno & definido através da condiggo da pessoa e néio do ambiente externo, Portanto, € preciso criar uma barreira imagindria. Essa frustracdo poderd aumentar gradualmente, apresentando uma agressividade, levando a pessoa ao comportamento destrutivo e a hostilidade.° Um comportamento frustrado pode ser também representado pela racionalizacso, regressio, fixaeao @ resignacio. Explicarei melhor: Racionalizag&o- significa sempre apresentar desculpas, como por exemplo, a incapacidade de atingir um objetivo. " Se eu nao consigo cantar um determinado tipo de mésica, a culpa é Unica ¢ exclusivamente do curso ou do professor". Regressdo- significa ndo se comportar de acordo com a idade que a pessoa realmente tem. Isto é, perante um problema, a reagao a ser demonstrada é de um comportamento infantil, primitive. Fixagdo- quando uma pessoa continua a apresentar, repetidamente, 0 ‘mesmo comportamento, . Resignacao- ocorre depois de uma prolongada frustragdo. E a perda da esperanga de atingir tal objetivo, Aumentando sua Motivagéo © fato de estar estudando este nosso terceiro capitulo, jé desponta uma enorme motivacao ao canto. Se mantiver este objetivo com afinco, sua realizado sera inevitavel. Coloque em sua vida a necessidade de cantar, pois a mesma gera a ‘motivago que leva a concretizagao do objetivo: tomar-se um cantor. Higiene e Conservagdo da Voz A higiene vocal implica asseio, ou soja, cuidados com a saiide em geral e, particularmente, com a satide dos aparelhos responsaveis pela voz. E imprescindivel também o treinamento constante, 0 aperfeicoamento das técnicas vocais e seu manuseio, A arte do canto poderia ser resumida em saber usar a voz, ter uma afinagéo, um gosto musical € uma veia interpretativa. Vozes nao trabalhadas nunca Tenderéo como as que sofreram a Interferéncia das técnicas de respiragdo, controle muscular, afinagao e impostagao, * Segundo Norman R. F. apresentada. ier, a agressio ¢ apenas uma forma pela qual a frustragao pode ser Marcelo Dantas Fagundes 30 Lembre-se de que 0 aparelho fonador é um instrumento musical vivo, faz parte de nosso organismo e requer cuidados, pois ¢ delicado e depende muito do estado geral da satide fisica e emocional. E na voz que temos a drenagem de nossas emogoes, demonstrando os mais intimos desejos. Cuidar bem da satide vocal cuidar de nosso estado emocional, transmitindo as sensacées fortes, dramaticas, singelas, puras € simples. No se pode abusar da voz apenas por ter uma boa técnica vocal. Respeite seus limites. ‘Abaixo, relacionei o canto a varios itens que muito prejudicam a satide vocal e, conseqilentemente, sua satide. Poluigdo: Aqueles que moram em grandes cidades como Sio Paulo, Rio de Janeiro, etc., sofrem a interferéncia direta da poluig&o sobre a satide. N&o nos damos conta do mal que é feito pelas particulas poluidoras em suspensdo no ar langadas por automéveis, fabricas e outros meios. ‘Apesar de 0 nosso organismo ter uma boa capacidade para adaptar-se a ambientes e circunst&ncias, existe um limite para tal tolerancia. Cantor: “aconselho esquivar-se de lugares fechados, enfumagados, poeirentos © préximos de fabricas poluidoras, pois 0s danos seréo em seu aparelho respiratorio”. Fumo: Nao é novidade que a pritica do tabagismo 6 muito prejudicial @ ssatide, em geral. Para o cantor, a pratica desse vicio traré problemas ainda maiores. ‘Quando se traga um cigarro, ingerimos uma quantidade absurda de particulas, No ha nas vias aéreas muco suficiente que consiga prender o grande Volume dessas particulas inaladas em cada tragada. Boa parte dessas particulas, indesejéveis ao organismo, entra nos pulmées e € posteriormente absorvida pelo sangue. Depois dos pulmées, 0 érg%o que mais sofre ¢ 0 coracao, pois as particulas chegam A circulagéo realizando 0 trabalho de enrijecimento das artérias. Devido & presenga dessas substéncias Indesejéveis, os receptores nervosos provocam a ontragdo dos brénquios, tentando impedir a entrada da fumaga nos pulmées. A pressio os vasos pulmonares aumenta fazendo com que 0 corago, que bombela 0 sangue aos pulmées, duplique seu trabalho, Fumantes inveterados apresentam uma voz defeituosa, destimbrada e de dificil afinagdo. Sem brilho. ‘Como vocé pode notar, o tabagismo ndo é responsével apenas pelo cancer os pulm@es, mas esté associado também a outros tipos de moléstias. ‘Se vocé deseja ser um bom cantor, com voz limpa, bem timbrada e afinada, go fume ou desista desse vicio. O cigarro em nada poderé colaborar para torné-o um excelente cantor, apenas traré prejuizos incalculdveis a sua salide. Pense nisso. Alcool: Pesquisas realizadas constataram que 0 4lcool tem influéncia direta sobre a mucosa ¢ indireta no sistema vascular, prejudicando duplamente a laringe. ‘Aconselho 0 consumo moderado de bebidas alcéolicas. Cada um deve conhecer seu organismo, seu corpo. E muito comum artistas consagrados dizerem que para subir ao palco precisam tomar um aperitivo com forte teor alcodlico, com o argumento de a bebida encorajar 0 individuo a enfrentar um grande pilico Porém, jé fol explicado que o alcool tem um efeito psicolégico nos artistas nfo faz bem algum. Se vocé se encaixa no exemplo acima, em que a bebida é um estimulo para "encarar" a realidade, procure descobrir uma outra forma de estimulo que no interfira em seu organismo, Tome um ché, faga uma prece, medite, reze. Aposto que o efeito seré muito melhor. Frio: Aconsetho um cuidado especial em regiSes muito frias ou em épocas de baixa temperatura, pois usamos a respiragdo mista enquanto cantamos, ou seja, respiramos pela boca ¢ pelo natiz. (© ar, ao entrar pela boca, no sofreré pré-aquecimento ocorrido nas narinas, Além das impurezas que carrega, o ar invadira os pulmées numa temperatura Aprendendo a Cantar 31 diferente da temperatura do corpo. Conseqdentemente, 6 preciso cantar em locais aquecidos. Evite correntes de ar. E comum observarmos cantores profissionais sempre com uma protege no pescogo, um cachecol, por exemplo, pois é muito importante evitar a friagem nesses misculos. Gelado: Nao indico qualquer bebida gelada. O resultado seria o mesmo que colocar uma panela quente dentro de uma pia com agua fria. Quando ingerimos algo ‘muito gelado, nossa garganta tende a demonstrar uma ligeira dor. Evile-o. Alimentacao: A alimentagao devera ser a mais sadia possivel. Antes de uma apresentagéo, alimente-se com produtos leves. Coma frutas, verduras, legumes © vite cantar de “barriga cheia’ Barulho: Quando estamos num local onde o ruido é muito exagerado, ficamos irritados, Isso mexe diretamente com nosso sistema nervoso, transparecendo diretamente na voz. A tendéncia seré sempre tentar cantar mais alto que o ruido, forgando, assim, todo o aparelho fonador. Evite tais lugares. Doengas da Voz Vamos mencionar algumas doengas comuns a voz. No vamos entrar no campo da medicina, querendo tragar diagnésticos ou prescrever qualquer tipo de tratamento, mas apenas orienté-lo sobre a existéncia de tais doencas. Alergia de nariz: Doenga muito comum, mesmo em pessoas dotadas de uma respiracdo perfelta. Esse tipo de alergia pode ser provocada por alimentos, medicamentos ou substéncias que existem no ar. Os sintomas so: coceiras, espirros & © aumento de secregSo nasal ‘© médico procuraré obter informiagbes do paciente como, por exemplo, seus habitos alimentares e os ambientes que freqlienta para descobrir a causa ou o agente causador da alergia Existem ainda testes proprios para detectar esses agentes causadores da alergia, Poderiamos enumerar os agentes mais corriqueiros. Um exemplo comum € a poeira, quando é necesséria a remogdo de cortinas, carpetes e tapetes do ambiente 0 qual voc® freqenta, pois so acumuladores de poelra. Outro agente € a propria poluigéo, principalmente nos grandes centros industriais. © tratamento desse tipo de alergia é feito com medicamentos capazes de diminuir ou eliminar a ago dos agentes alérgicos, como as dietas ou vacinas. Deve-se procurar um especialistas no assunto, como 0 otorrinolaringologista ou um alergista. Rinite: & a inflamagao da mucosa do nariz. Os sintomas so: dificuldade de respirar, pols os cornetos aumentam de tamanho dificultando a passagem do ar. Existem ainda as rinites agudas, decorrentes de uma forte gripe, sao as Finites crénicas. Ambas merecem atengdo do especialista, o médico. Fetidez Nasal: E 0 mau cheiro exalado pelas narinas. Esse odor pode ter ‘como causa a presenga de um corpo estranho dentro do nariz; a secre¢do provocada devido a0 desvio acentuado do ceptro nasal; problemas de hipertrofia acentuada; por Mareclo Dantas Fagundes 32 pactérias; ou a necrose (morte) de tecidos no interior do nariz. Problemas que também merecem a atengdo de um médico, Fraturas do nariz: Geralmente provocada por pancadas fortes, a fralura deve ser cuidada imediatamente a fim de evitar complicagbes mais sérias, tais come InfecgBes, Ha casos mais graves que podem exigir até mesmo cirurgias. Néo se ‘rata apenas de um problema estétco. O nartz raumatizado pode trazer problemas futuros. Columela Engrossada: A columela é a parte camuda que separa a fossa nasal dircta da esquerda. As vezes, apresenta-se de forma to espessa que dificulla, 2 respiragao, as vezes, dependendo do formato do nariz, € recomendada uma cirale ‘muito simples para corrigh la. Tumores: Dé-se o nome de tumor ao aumento de volume em determinada regiéo do corpo. No nariz, o tumor pode surgirno interior ou na piramide nasal. podendo seovenigno ou maligno. A biépsia, um exame detalhado de uma particula do tumor, determinard se ele € ou no benigno. Se cintomas normalmente so: a obstrugdo nasal parcial ou total, initagbes, sangramento e destruigao de tecidos vizinhos. _Desvio do Septo Nasal: sopto nasal divide a fossa nasal Greta 8° esquerda. E como uma parede no meio do nariz. Deve-se procurar um especilista cas Sse perceba respiragio alterada por um desvio Rinorréia: € 0 corrimento nasal ou a eliminagao de secregbes pelo nariz. © excesso excretado pelo nariz ¢ derivado de alguma enfermidade. Hipertrofia de Cometos: Existem trés cometos. S&o eles: inferior, médio 8 superior. Localizam- se na parede extema de cada fossa nasal ¢ so constituidos de partes. 6sseas cobertas por mucosa. Quando aumentados, difcutar, respiragao Pafieando incomodo. Deve-se procurar ajuda médica para posterior tratamento: Hemorragia Nasal: Também conhecida como epistaxe. E 0 sangramento pelo nariz, por uma ou pelas duas fossas nasais. Nos adultos, a causa pode estar nos problemas de pressdo sangiinea, {feridas ou tumores no interior do nariz e falta de vitamina K por problemas de figado Nos jovens, pode aparecer quando praticam muito esforgo ou ficam muito tempo sob a ago do sol. ‘Adendide: Também conhecida por amigdala faringea ou, popularments, camo esporjosa, Surge durante o crescimento da ciianga até os treze anos, Guande pode “estacionar” ou até mesmo sumir. Quando continua @ crescer impedindo a Fespiragao normal, uma cirurgia deverd ser felta para extragdo da came, Uvuta: 6 2 “campainha”, carne pendurada na parte mediana e posterior da boca, as ve7es pode apresentar um comprimento aumentado, irstando a lingua. A “Gampainha" se movimenta durante a mastigacdo, a degluticao @ a fala Faringite: qualquer inflamagdo da faringe como alergia, inflamagdes em regides vizinhas ou impurezas no ar inspirado pela boca, S80 causas da faringite. Laringite: £ a inlamagao da laringe. As pregas vocals situadas na laringe silo seus 6rgaos principals. Nesse tipo de inflamagao, elas também s8o atingides © Sordem sua capacidade de motlidade © coaptagao, levando a pessoa & rouquidao € afonia ( perda da voz ). Fadiga Vocal: ¢ 0 uso abusivo da voz. Mesmo com uma boa técnica vocal, 0 uso indevido da voz pode provocar essa fadiga. Aprendendo a Cantar 33 A fadiga vocal pode provocar 0 aparecimento de nédulos nas _pregas voeais, conhecidos como calos. Muitos cantores jé tiveram sua carreira paralisada por esses problemas, cujos possiveis causadores so: excessos na ingest de alcool € tabaco, alergias, gota, infeccdes da vesicula biliar, anemia, problemas intestinais, problemas de gléndulas de secrego interna e ainda problemas de ordem emocional ou psicolégica, ‘A procura imediata de um especialista pode resolver o problema a tempo. Pulmées: Qualquer tipo de problema que atinja os pulmées ird interferir em seus estudos vocais. Com uma respiragéo deficiente fica dificil, ou até mesmo impossivel, a prética do canto. Repouso e orientacdo médica é a medida mais correta Para finalizar, em caso de qualquer divida referente & sua satide vocal, no entregue seu instrumento musical particular, ou seja, sua voz, a qualquer um. Procure um otorrinolaringologista, pois somente ele poderd detectar qualquer distirbio da voz. Nao cometa o erro de utilizar medicamentos, simpatias ou afins para melhoré-la, isso no 0 ajudara em nada, Poderia publicar diversos livros sobre simpatias para o leitor aprender a cantar bem. Puro folclore. Na verdade, essas técnicas servem apenas para desvid-lo de seu verdadeiro caminho: 0 estudo e a dedicacéo aos exercicios impostos. Nao existe outra receita. Tenha juizo, procure definir seu estilo musical ¢ cante seguindo as gravagées originais de seus misicos prediletos. Nunca os imite, pois a imitacdo no tem valor algum para o cantor. Sua voz tem uma identidade, um timbre que € s6 seu. Explore isso. Cante algumas miisicas prediletas, personalizando-as, tomando-as momentaneamente suas. Aquele que imita outro cantor yperde a identidade, pols a imitago forgada de outro cantor ( fora de sua classificago vocal ), faz com que os ouvintes se lembrem apenas do original, n&o valorizando seu trabalho pessoal, além de ihe trazer muitos problemas, como a fadiga de suas pregas vocais, impedindo-the de ccontinuar cantando. © canto uma arte séria, sua voz no é igual as outras. Trabalhe sua ‘sonoridade com uma boa técnica vocal e assuma sua identidade. 20 Dicas e Normas para uma Higiene Vocal 41) Existem algumas pessoas que podem apresentar algum problema vocal como a rouquidao, a diego impertelta, a gagueira e outros, Se vocé esta relacionado a algum desses casos, procure ajuda do especialista, seja ele um otorrinolaringologista ou um fonoaudidiogo, [pois saberdo orienté-lo corretamente, indicando um tratamento adequado. Espero, no entanto, que suas condigSes sejam excelentes. 2) Pigarrear é 0 atrito entre as pregas vocais. Esse rogar forte e agressivo pode contribuir para o aparecimento de alteragdes nas pregas vocals, provocando até iiritag&io e descamagéio destes tecidos. 3) Escolha sempre um horario adequado & pratica dos exercicios vocais, podendo ser pela manha, a tarde ou a noite, dependendo de seu costume e gosto Marcelo Dantas Fagundes 34 4) 0 excesso da fala 6 prejuscial a larnge, pols submens © apareino vocal a um esforgo continuo. Quando o uso incessante da vor ¢ necessario, tanto na fala 2 ur eolcarto, 6 preciso descansar @ voz pelo mesmo period de tempo. 5) No faga qualquer tipo de exerciio voeal com 0 “estémago cheio", Voo’ deve estar disposto e se sentir bem para a pratica do canto. 6) Todo exercicio vocal deve ser feito em ambiente saudavel, arejado, ccalmo e principaimente despoluldo. Exercitando sempre com Prazer 7) Desigue-se de qualquer preocupagto que, porventita. esteja passando ( pelo menos durante os exercicios ). Esforoe-se para ave Te momentos de estudo sejam (errelaxamento e de uma completa higiene mental ‘Concentre-se totalmente naquilo que esta fazendo, 8) Aparentemente, cochichar ou sussurrar podem suger Sr relaxamento das pregas vocals. Na verdade, é exatamente a0 ‘contrario, Esses atos séo de extrema orga, podendo ser mais nocivos do que falar com @ sonoridade normal da voz. 2) © canto 6 0 resultado de um esforgo muscular & no de uma tensao, Deve-se estar completamente descontraido, relaxado, Sem perder a energia necessaria para fal. Note que o canto nao necessita de esforgo fsico 10) Falar de maneira muito alta forca demasiadamente a utlizagao da laringe, © desgaste serd muito maior e bern mals rapido newest situagdes, cansando a Voz 8 aumentando 0 risco de aparecimento de lesdes nas ‘superficies das pregas vooais or Mnorragias submucosas. Grite somente se for necessério. 11) Guango estamos em locais com muito baruiho, tendemos @ elevar 0 tom da voz (0 volume }, 0 grande esforgo nao 6 percebido Bite tals lugares, pois S40 inadequados inclusive ao n0sso apareiho auditivo. 42) Nao exagere nos exercicios. Néo os faga por wee de uma hora seguida, © ideal 6 apenas uma hora por dia, com intervalos de cinco minutos entre cada exercicio. Lembre-se, voc’ tem apenas um aparetho vocal, uma Unica vor 49) Todos nés temos uma frequéncia habitual de vor, Sue nos identifica enquanto falamos ou cantamos. Essa freqléncia esta Se alterando sempre, porém, endariina frequencia média onde nossa voz se situa. Falat ot cantar fora dessa frequencia 6 um abuso vocal, além de soar arifcialmente, Procure usar sua voz nessa (eilao ( trequencla mals cSmoda ). Os exercicios fo IE de canto popular ‘Aprendendo a Cantar lhe dardo regibes maiores de ‘acordo com seu desenvolvimento. 414) Algumas pessoas, pelo controle vocal desenvovido ou até mesmo por uma facilidade, tendem a imitar ruidos e animals. exiremamente dificil fazer tais immobras sem prejudicar o apareiho fonador, por esse fato & que imitadores, em geral, fica com ardor e initagao apos acabar suas imitagdes sore in evita al procedimento se nao houver uma orlentagdo espeeifica para tanto, +18) Sempre que possivel, procure fazer os exercicios et frente ao espelho, dessa maneia podera detectar alguma tensfo desnecessAvia © corrigi-la, eliminando- Pose ipes so o resultado de forgas desnecessarias que nao pode haver durante o canto, pois prejudicam a emissao do sor. 46) Quando a umidade do ar esta reduzida, seja aleve de fontes naturais cu artifcials, como o ar condicionado, temos o ressecamento do tal0 vocal, Induzindo & Aprendendo a Cantar 35 produgdo da voz com esforgo e tenséo. Para evitar o problema, tome varios copos d'agua em temperatura ambiente. 17) Cantar um ato de extremo gasto energético. Cantores profissionais chegam a perder peso durante as apresentagdes, Com 0 descanso, especificamente através do sono, a energia na laringe € totalmente recuperada. Programe-se para dormir o suficiente. Energéticos quimicos ou “simpatias" de nada adiantam para a restaura¢do da laringe, talvez apenas para seu lado emocional e psicolégico. 18) Todos sabem que 0 uso constante de fumo e éloool, principalmente bebidas destiladas como a pinga, vodca e uisque, estéo diretamente | associados 20 desenvolvimento do cancer. O uso constante de bebidas alodolicas provoca um edema, Ou seja, um inchago das pregas vocais e imitago de toda a laringe. As bebidas fermentadas como o vinho e a cerveja séo menos irritantes, Desista da bebida antes de cantar. E puro folelore, mito, que um conhaque antes das apresentacdes melhorard a voz do cantor. © fumo, por sua vez, inrita diretamente o trato vocal causando pigarros, Inflamagao da regio laringea, tosse e aumento da secregdo viscosa, 19) Evite cantar nos extremos da sua tessitura vocal, regio onde sua voz aloanga, tanto em notas muito agudas como em notas muito graves, Trabalhe um repertério adequado as suas possibilidades @ a0 seu preparo. Nunca exlja mais do que Suas condigdes vocais podem corresponder, sob 0 risco de desenvolver grandes lesdes nas pregas vocais, 20) As mulheres, quando possivel, devem evitar cantar e exercitar a voz ‘com muito esforgo no periodo pré-menstrual, geralmente de um a trés dias antes da ‘menstruagso, caso sejam predispostas a apresentar alteragBes na voz e na laringe. Nesse periodo, 6 comum ocorrerem edemas, inchagos pelo corpo € na laringe. Os nédulos vocais, mais conhecidos como calos, podem até dobrar de tamanho Portanto, também é necessério evitar cantar com excesso de peso apés o sétimo més de gestacdo, quando a respiracdo se toma muito mais superficial e difcil devido & expanséo abdominal, que dificulta a movimentaco do diafragma, além do edema associado a esta condicao, Impostando a Voz Utilizando uma respiracto correta, vibrando as pregas vocais situadas na laringe, produzimos uma voz que é amplificada através dos ressonadores, principaimente os da face. Para temmos uma voz impostada 8 necessério a0 cantor uma postura adequada, na qual ha 0 estado completo de atengao e relaxamento muscular sem a erda de energia necessaria ao canto. A respiragéo deve ser correla € suficente, Sabendo usar os masculos abdominais e o diafragma. Os érgos de articulagdo como a lingua devem estar flexiveis e em perfeito funcionamento para termos uma completa @ nitida prontincia das vogais, silabas ou vocabulos de acordo com o idioma, Voz impostada é aquela emitida sem defeito, com a qual obtemos o melhor resultado com 0 minimo de esforgo. Uma voz no cuitivada, geralmente, apresenta Narios defeitos. A emiss8o vocal 6 0 resultado de varias fungSes interligadas, o importante nao é a grande variedade de exercicios, mas a qualidade dos mesmos e principalmente a forma de fazé-los. Marcelo Dantas Fagundes 36 No adianta nada vocalizar, exercitar de qualquer forma, apenas repetindo indmeras vezes o mesmo exercicio, A repetigao dos exercicios se torna necesséria de maneita racional, sensibilizando-se com sua voz e cortigindo os erros de forma consciente. Vamos entéo praticar. Explicagao dos Exercicios Vamos comegar a exercitar nossa respiragio, ou melhor, 0 controle do ar sem desperdicios. Aprenderemos a usar nossos ressonadores facials, colocando nossa Voz neles de forma natural, sem forgar. Treinaremos nossa concentragao @ nossa articulagao. Iniciaremos trabalhando a voz média que cada um_ ‘tem, melhorando a partir dai e mantendo uma homogeneidade de som em toda a extensdo vocal, a tessitura. ee ooo a elemerctamos, molhoramos nossa impostagEo. A voz vai ficando cada vez mais bela, pois todas as suas caracteristicas vio se ampliando ¢ aparecendo, através dos exercicios com palavras, frases e musicas, trabalhamos a flexibilidade e a velocidade com que cantamos. ene que comegar 2. praicar os exercicios indicados, faca seu relaxamento e uma meditacdo a sua maneira. Exercicios de Respiragao ‘Ao iniciar os exercicios respiratérios, sempre com uma boa inspiracdo, observe continuamente 0 comportamento dos musculos abdominals @ intercostals (masculos respiratorios ). Mantenha sempre uma boa postura: coluna reta, ombros caldos para trés, nunca estufando 0 peito ou levantando os ombros. ‘A inspiragdo deve ser feita pelo nariz com as narinas dilatadas e a garganta bem aberta. A expiragao deve ser felta pela boca. 1) Em pé, postura correta, corpo relaxado, mAos na cintura: a) soprar, como quem apaga uma vela; ) pequena pausa; ) inspirar, leve € rapidamente (fungando ), narinas dilatadas, garganta bem aberta (a garganta, nd0.a boca) como quem aspira um perfume de flor, sentindo que © aeflmants inepiratoro se faz na parte baixa do tronco e no abdome; 'd) pequena pausa; e) soprar, como quem apaga uma vyela ( bochechas, maxilar inferior e labios relaxados ). Repetir 3 vezes. 2) Idem ao exercfcio 1 até letra d: ) soprar em "SSS" (como um pneu esvaziando) soltando o ar levemente Repetir 3 vezes. Aprendendo a Cantar 37 NOTA - depois de bem dominados, altere os exercicios. No lugar de "SSS" faga um "ZZZ" bem sonoro (como uma abelha ), € um "FFF", com o maxilar superior encostado No labio inferior. 3) Procure imitar um cachorrinho cansado ou com calor, com pequenas contragbes do diafragma. Tomar um minimo de ar. Ritmar as contracBes, 4) Respiracéo diafragmética: a) Deite-se com as costa no cho ( em superficie dura, sem travesseiros ), relaxe 0 corpo e, com as maos no ventre, sinta o movimento respiratério natural; b) Ainda na mesma posig&0, sopre com forga, como se fosse apagar uma vela colocada no teto, tomando consciéncia do musculo; ©) Repita o exercicio em pé, imaginando a vela a distancia. Faga o ‘movimento respiratorio natural com a conscientizagao. 5) Inspirar 0 méximo de ar, segurando-o @ contando até 3, compassadamente, baixinho, economizando o maximo de ar, verificando até onde agentard, 6) Inspirar 0 maximo de ar retendo-o e cantando a vogal "A" num tom agradavel, até 0 final da respiragdo. 7) Diafragma: a) Sopre com energia, dando impulsos com o diafragma para cima; 8) Controle do ar: a) Expire, inspire, prenda, sopre bem de leve. b) Expire em "S": inspire, prendar, sopre em * 9)Controle do som: a) Expire e prenda o ar, emitindo uma nota longa, (um piano) em *UM" ou s6 Recomendacées © cantor deve fazer alguns exercicios de respirag&o profunda, especials para o canto, S6 por meio de uma respiragao bem controlada adquirir-se-a a nitidez do ataque e, a0 final, os sons, bem como sua continuidade, estabilidade e flexiblidade, Para cantar n8o € necessério expirar muito, ar, mas sabé-lo emitir com economia, © excesso de ar oprime e molesta o cantante, & necessério inspirar muito ar puro para ter sempre pulmées sadios. ‘A prética do controle respiratério atua sobre os centros nervosos equilibrando-os. Exercicios de Relaxamento Qs exercicios de técnica vocal devem ser precedidos por um relaxamento, de preferéncia. Esse pode ser feito em pé, deitado ou sentado. 1) Em pé, postura correta Marcelo Dantas Fagundes 38 Com a ajuda de um amigo, durante cerca de 15 segundos, faga-o dar “pancadinhas" leves, secas, altemadas com o lado das maos em suas costas. Repita varias vezes. 2) Deitado, procure ouvir a propria respirago, ao som de uma misica bem calma e lenta, prépria para relaxamento”. 3) Sentado:” a) Deixe cair para frente o tronco, sentindo a cabega e os bracas ( caldos ao longo do corpo), bem pesados. Sacuda os bragos, pemnas, articulagbes, etc. ) Estenda 0 brago horizontalmente, fechando 0 punho com forga. Em Seguida, afrouxe-o, até que 0 braco caia por forga do seu proprio peso. Faca o mesmo com o outro brago, sem tirar 0 primeiro da posig&o anterior. ©) Feche os olhos com forca (sem contrair 0 rosto). Abra-os e imagine uma bela paisagem a sua frente. Exercicios fisicos para desenvolver os musculos do torax 1) Mova os ombros, descrevendo com um deles um circulo mais amplo, acima, abaixo, a frente e alrés, Enquanto realiza esse exercicio, seus bragos devem permanecer relaxados e soltos ao longo do corpo. 2) Separe as pernas, afrouxe os bragos, agache ao expirar, levante ao inspirar. 3) Corpo solto, @ vontade, faga um circulo com 0 brago direito, dando 10 voltas. Faca 0 cfrculo ao contrério. Com o brago esquerdo faga o mesmo. 4) Sem mover os ombros, deixe a cabeca cair para tras, para frente, para o lado esquerdo e para o lado direito, Depois um circulo, primeiro para a esquerda, quando completar a circunferéncia, realize 0 movimento com 0 brago direito. Tudo muito natural e lento sem forgar os misculos. © Para isso indico 0 meu CD Enigma do Som, Sleeping Well, Yoga ¢ Heiki especialmente composto para relaxamento e meditagio. *Manter durante o exercicio 3 uma postura correta do tronco, Aprendendo a Cantar 39 Exercicios Falados 1) Para mandibulas: a) Abra a boca lentamente dizendo: lentamente. "MAR - MAR - MAR’ e feche-a b) Abra e feche a boca com firmeza e rapidez, dizendo muitas vezes "BA — BA-BA-BA’, 2) Para o véu palatal: a) Bocojar. ) Diga lentamente : “GONG - GONG - GONG ~ GONG”. Imitando um sino. 3) Para a lingua ‘) Ponha a lingua para fora e recolha-a rapidamente b) Arqueie a lingua até encostar a ponta da lingua no véu do palato®. ©) Arquele a lingua para baixo ¢) Bater com a ponta da lingua na face anterior e logo na posterior dos incisivos inferiores (ver figura) ) Faga 0 mesmo contra os incisivos superiores (ver figura). Rapidamente, varias vezes. ‘) Faga rotagdes com a lingua contomando os labios com a boca aberta € também contra os labios cerrados. Tncishos ani a nb claies rmolates A INCISIVO CENTRAL B= INCISIVO LATERAL, C-CANINO D -1PPRE-HOLAR E-2¢ PRE-NOLAR F-1° MOLAR G2 MOLAR H- 38 MOLAR(eu SISO) g) Firme todo o contorno da lingua nos molares superiores, deixando apenas a ponta live para golpear o palato, dizendo: ie “LA, LE, LI, LO, LU, LO, LI, LE, fh) Atticule lentamente, apressando aos poucos: “TERE, TERE, TERE, TERE, TERE". Varie as consoantes iniciais e as vogais para: “PARA, PARA, PARA, PARA’, 4)Exercicios para os labios: ‘a) Pressione fortemente os ldbi unindo-os. b) Repuxe para os cantos iniciais (direita e depois esquerda) voltando para a posicao natural. ©) Firme a ponta da lingua nos alvéolos dos incisivos superiores e expire ‘com muita presso para provocar vibragdes na ponta da lingua, ¢) Imite campainha de telefone: “TRRRIMMM, TRRRIMMIM", ou um sino: “BELELEM, BELELEM, BELELEM"’. e) Diga muitas vezes: “U - depois dizendo: "PA— PE -P|-PO- PU". * Palato= Céu da boca. ‘Marcelo Dantas Fagundes 40 U-i,U- ) Comprima fortemente os labios dizendo: *P- u-i. -P", Primeiro sem som, Frases e Versinhos com Palavras que contém "R ‘AtengSo: Leia muitas vezes aumentando a velocidade até obter uma completa dicgdo. 4) A raivosa e initante romana residia na rua das rosas rubras, rente & residéncia do ruivo risonho rei Renato. 22) O rato guerreiro da guerra tooou guitarra em Araraquara, 3) O “eri - of do grilo clamou para o frade, para a freira e para o padre que ‘queimou 0 brago. '4) Pedro padre poderoso tropegou em Caio e quase caiu. 8) O livro raro traz historias de trechos ilustrados. 6) E rara barra de prata com peras, cerejas ¢ laranjas em jarras. 7) O rato roeu a rede rubi da roseira das ruas das rosas rubras. 8) Orei de Roma ruma rapido a Madr. 9) O remador amarrou rente ao remo. 10) O tambor rufara rapido. 41) © urubu ficou jururu na parede de fora. Observagbes: estude essas frases até obter uma perfeita dicefio. N&o decore, sempre leia aumentando a velocidade, gradativamente, de cada frase. VOCE SABIAN? Que o primeiro compositor e cantor popular brasileiro que fez sucesso no Brasil e em Portugal chama-se Domingos Caldas Barbosa, compunha modinhas lundus no final do século XVIll (1760-1800), No canto popular é dado uma maior enfase @ expresso individual enquanto no canto lirico 6 dada uma enfase ao todo, aos muisioos, & orquestra, a outros cantores. MUSICA Como exercicio pratico, pego-he que imite alguns sons da natureza como por exemplo um passaro, um gato ou o som do vento etc., esse exercicio é muito bom para a descontragio e importantissimo para a percepgo dos elementos sonoros que ‘existem a0 nosso redor. ‘Como exercicio musical, nfo quero que se adiante estudando miusicas dificeis, por isso escolha alguma cang&o de seu gosto, escreva neste espago abaixo © estude-a da seguinte maneira: Leia o texto muitas vezes até ter decorado a sonoridade de cada palavra. Leia 0 texto com o ritmo da misica, sem entoar a cangao. ‘Ouca alentamente a gravaco original da masica escolhida, isso faré com que aprenda o ritmo e a respiragao do intérprete, Cante com a gravacéo, no imitando a voz do cantor e sim com seu proprio timbre vocat Cante sem nenhuma gravacao, so a sua voz, observando atentamente o ‘som que esta emitindo, cada frase, verso, estrofe; observe a si mesmo. Aprendendo a Cantar a Escreva aqui a letra da musica escolhida: TITULO: Marcelo Dantas Fagundes 2 Escreva ao professor Marcelo Dantas Fagundes Coloco-me a sua intelra disposigéio para esclarecer qualquer divida sobre os assuntos abordados até aqui, e ainda orienté-lo da melhor maneira possivel a fim de resolver qualquer divida pertinente a sua carreira de cantor. Recorte esta folha na linha pontihada, sele ¢ envie para mim e responderel com 0 maior prazer, néo se esqueca de colocar seu enderego completo, Aprendendo a Cantar B A Keyboard Editora Musical Ltda. AIC Prof. Marcelo Dantas Fagundes Caixa Postal 300 - Jundiai - SP CEP: 13200-970 obre aqui REMETENTE: Nome: Endereco completo: Telefone: Dobre aqui Marcelo Dantas Fagundes 44 Contetido do Capitulo 4 Apresentagao do CD Vocé comegard a utilizar, a partir deste capitulo, seu CD de audio. Nele encontram-se gravados todos os exercicios de vocalizagdo incluindo explicagbes detalhadas durante as ligdes. Nao faga exercicios seguidos, apenas os orientados durante estes préximos fasciculos visto que alguns exercicios exigem uma continuidade, ou seja, exigem de vooé os exercicios feitos anteriormente. Todo exercicio gravado seré sinalizado pelo sinal do CD, seguido (6 da explicaggo do mesmo e o numero da faixa seré dado na explicagéo do fexercicio. Sempre que achar necessério a execugao continua do exercicio, programe ‘seu aparelho colocando a faixa a ser tocada no modo REPEAT" ou “REPETIR’, objetivando um melhor desenvolvimento, observado no decorrer do curso. ‘Além dos exercicios de vocalizagdo, também estudaremos a classificagfio tanto masculinas como femininas, aS caracterfsticas do cantor brasileiro © ida, mais exercicios de dioggo. eA Bites aE La Classificagao Vocal Classificar uma voz 6, antes de tudo, observar as caracteristicas préprias desse instrumento, ou seja, a qualidade da voz humana, Estas qualidades so as sseguintes: timbre, altura e intensidade. : ‘timbre é a qualidade que diferencia uma voz da outra. E 0 som proprio & caracteristico de uma pessoa. E através do timbre que reconhecemos a voz de uma pessoa por simples “Old” ao telefone. Lembre-se de que esta é também uma qualidade Gos instrumentos musicais, Quando ouvimos um piano, um violino ou qualquer outro instrumento, podemos diferencié-los com tranquilidade, pols possuem timbres diferentes € percepliveis ao ouvido. ‘A allura 6 8 qualidade que determina se uma voz é grave ou aguda. Se é grave, a voz pertence ao homem, se aguda, pertence a mulher. A altura do som vocal gode ‘ser modificada de duas maneiras: pelo estiramento ou relaxamento das pregas Vocals © pela modificagao da forma e da massa das bordas dessas pregas. Entendendo: Aprendendo.a Cantar 45 Na emissiio dos sons agudos de freqdéncia muito alta, a laringe se desioca para cima, por ag&o dos seus misculos externos, isso produz 0 estiramento das pregas vocais, bem como a aproximagio das bordas finas destas, pela contraco dos miisculos. Quando o som emitido é grave, de frequéncia baixa, a laringe desce, desloca-se para baixo, afrouxando as pregas vocals, relaxando-a, seguindo uma aproximago muscular das bordas espessas, de maior massa nas pregas vocals. ‘A intensidade é a qualidade da voz em emitir um som mais forte ou fraco, & © volume da voz. Assim, temos uma voz que se avultard sobre a outra, apenas pela intensidade (0 volume), isso acontece quando duas pessoas cantam @ mesma nota musical, diferenciando apenas nessa qualidade. Porém, essa diferenga € claramente ouvida Em todo tipo de som existem essas qualidades. Na voz humana, nos animais, nos ruidos etc., mas na voz cantada, as qualidades se modificam e se ampliam um pouco, Nela, incluiremos mais trés qualidades: a afinagao, a resisténcia e a eufonia A Afinagdio 6 a qualidade de emitir um som em consonancia com o tom desejado, ou seja, a mesma nota acompanhada por um instrumento musical. Quando isso no ocorre, a pessoa emite um som totalmente diferente dos instrumientos musicais que a acompanham. Dizemos ent&o que esta pessoa desafinou. E comum ouvirmos cantores desafinarem em uma ou outra nota. Isso nem sempre é percebido devido ao uso adequado da técnica vocal. No entanto, recomendo ensaios para que se corrijam esses defeitos. Dizemos, entdo, que uma pessoa é afinada ‘ou néo, pela capacidade que esta tem de emitir sons em correlagdo perfeita com a melodia da misica desejada. Depararmos pelas ruas com pessoas cantarolando ou assobiando melodias. Quase sempre no conseguimos identificar a musica que 0 individuo esta executando, isso ocorre porque, intemamente, essa pessoa esta ouvindo a melodia coreta & extemamente esté cantando ou assobiando algo totalmente diferente, Essa pessoa provavelmente terd dificuldades em cantar uma simples cano&o com algum instrumento musical, precisando assim, praticar muitos exercicios de entoagao e afinag4o da voz. Lembrem-se, todos podem cantar desde que tenham forga de vontade, sempre executando os exercicios como indicado. Por que uma pessoa desafina? Garanto que 0 principal motivo que leva uma pessoa a desafinar é a completa falta de aptidao musical, mas os casos so raros. ‘Ainda existem aqueles com problemas auditivos, mas, em outros casos, 0 que pode existir 6 uma inibigfio que impede a voz de se soltar. Talvez @ maioria das pessoas com problemas vocais seja, na verdade, inibida por isso, as técnicas psicolégicas podem auxiliar a resolver 0 problema Dentro do curso de canto popular Aprendendo a Cantar, abordarei alguns exercicios que poderdo ajudar esses alunos. Basta um trabalho inteligente. Outro fator muito importante causador da desafinagdo € a respiracdo, podendo ocorrer também na voz falada ‘A pessoa, quando n&o respira de maneira correta, no consegue se comunicar adequadamente, ndo tem um sincronismo fono-respiratério. E impressionante ‘@ mudanga vocal quando o aluno comeca a respirar corretamente. Corrigir as imegularidades na respiragdo € garantir um desenvolvimento vocal gigantesco, ocultam- -se 0s problemas de desafinago aumentando a auto-confianga 'A resisténcia vocal: ou soja, a robustez da voz, nao esté ligada a qualidade vocal, na intensidade, no volume, na voz forte ou fraca, mas na sade da voz. Entende- se por resisténcia a capacidade de uma voz ser utlizada o suficiente ou o necessario, de forma adequada e correta, com técnica, sem causar desgastes que afetariam as pregas vocais e, conseqientemente, a saiide da voz. ‘Algumas vozes mais frageis podem sofrer por néo suportar um uso muito constante, portanto, temas que detectar seus motives. Se acontece por falta de técnica vocal ou problemas de satide, preciso ser diagnosticado por um médico. Caso as dores, as desafinaces, a perda do controle vocal e a rouquidéo persistirem apés 0 término desta colegao, procure um especialista, No existem testes aplicados a distancia a fim de saber se um aluno tem ou nao um problema mais grave na voz. Mareelo Dantas Fagundes 46 ‘Aeufonia: trata-se de uma qualidade estética. E a beleza da voz. Nao cabe aqui explanarmos tal assunto, pois todos temos um timbre de voz que, as vezes, pode se portar com beleza e oulras nfo. As pessoas gostam do que ouvem de maneiras Giferentes, ou seja, uma voz pode ser bonita para mim e fela para vocé. Entéo, vamos trabalhar para termos uma projegdo vocal correta deixando de lado os comentarios desagradavels daqueles que gostariam, mas nao tém coragem de iniciar seus estudos vocais, ‘A classificag’o das vozes, como observado, sera demonstrada pelos primeiros cexemplos gravados em seu CD e notados com a escrita musical, pautas e notas. Nao se preocupe, no fasofculo 6 comecarei ensinando-o a ler uma partitura (musica esrta) Classificagao das Vozes Vozes Masculinas: sto divididas em trés: baixo, baritone tenor, vejamos: © Baixo 6 a voz mais grave do homem. Nao atinge os agudos do tenor & om do baritono e vice-versa. Observe a extenséo. Tente cantar entoando as notas que ‘se ouve, se ndo conseguir ndo se preocupe, vocé néo pertence a esta classificacao, FAIXA1 © Baritono 6 a voz média masculina, Esté no meio, entre o tenor @ 0 baixo, do atingindo totalmente os graves do baixo e nem totalmente os agudos do tenor, Opserve-a extenso. Tente cantar entoando as notas que se ouvem, se nao conseguir, no se preocupe, voce ndo pertence a esta classificagdo. FAIXA 2 2 oe © Tenor é a voz mais aguda masculina, Ndo tem os graves do baixo @ do aritono, apresentando apenas as notas mais agudas. Observe a extensdo. Tente cantar entoando as notas que se ouvem, se ndo conseguir, no se preocupe, voce ndo pertence a esta classificacdo. FAIXA 3 e o—o— re os 7 oe Aprendendo a Cantar "7 Entoe as notas como orientei, assim achard a classificagao de sua voz. Isso 6 importante para a escolha do exercicio vocal correto durante as préximas ligdes. Vozes Femininas: Também divididas em trés categorias: Contralto, Meio- Soprano e Soprano. A Contralto 6 a voz grave feminina situada abaixo do soprano e do meio- -Soprano, Nao atinge os agudos das outras vozes. Observe a extensdo. Tente cantar entoando as notas que se ouvem. Se nao conseguir, n&o se preocupe. Vocé néo pertence a esta classificagao. FAIXA 4 _—_SSS— = 0 6 0 oe 3 (© Meio-Soprano € a voz média feminina. Esté no meio das outras duas, ‘no tem tantos graves como a contralto e nem tantos agudos como o soprano. Observe a extensdo. Tente cantar enfoando as notas que se ouvem, se nao conseguir, no se Preocupe, vocé ndo pertence a esta classificagao. FAIXA 5 4 +L ve > eo © Soprano 6 a voz mais aguda da mulher, podendo atingir as notas mais altas. Observe a extensao. Tente cantar entoando as notas que se ouvem. Se ndo conseguir, n&o se preocupe, vocé nao pertence a esta classificagao. FAIXA6 OF e Marcelo Dantas Fagundes 48 Para a classificagdo da voz temos que tomar alguns cuidados. Néo devemos nos basear apenas na extensdo vocal, como nas pautas acima, pois algumas Joves conseguem emitir um som geralmente bom numa extenséo grande. Temos dee reese ervonde, denivo da extens&0, existe um som mais bonito, completo e que, no ooseasita de forga para acontecer. © timbre vocal também deve ser respeltado € @ wt Tndicador da qualidade da voz, Durante 0 curso, sua voz tenderd a se estabelece’ numa fagido eomoda, as vezes, leva-se algum tempo para a completa classicacio voce. ‘Caso voc! néo tenha conseguido definir a sua voz, ficando entre duas opgdes, nfo se. preocupe, pratique os exercicios vocais na média da sua voz, por exemplo: Vozes Masculinas: Regido do Baritono. FAIXA 2 Isso faré com que no force as pregas vooais e todo 0 complexo fonador, ‘Apés alguns exercicios, observe se a voz tende mais para o grave ou para © agudo, assim poderd ter uma classificagdo vocal mais exata weetarego que a extenstio vocal de cada tipo de voz indieada acima ¢ a extensdo que normaimente uma voz bem trabalhada pode alcancar. As vezes, wn pours mais graves ou um pouco mais agudas, pols a natureza no constr6i as pessoas dotadas de caracteristicas semelhantes. ‘No canto popular, normaimente no se exige uma extenséo tdo grande, Em geral, as vozes atingem uma oitava au uma oftava @ meia, no maximo ‘Quando nos referimos as classificagdes acima, remetemo-nos as vozes adultas. As vozes infantis, tanto de garotos como de garotas, equiparam-se as vozes da Mulher adulta ( Soprano, Meio-Soprano e Contralto ). Na adolescéncia, core mudanga da voz num processo lento, variando muito de jovem para joven, somente Gpos essa fase é que teremos uma voz possivel de classificagao. Durante este 3p O sigas, nao é aconselhdvel submeté-la a qualquer tipo de esforgo prolongado, pols ela se toma instavel e insegura, Classificagéo das Vozes para a Musica Popular ‘Armisica popular é escrita de forma a permitir adaptagbes para os diversos tipos de vozes: Baixo, Tenor, Contralto ¢ Soprano. Assim. uma musica esorita Ghginalmente para vozes fominines como o Soprano, quando bem adapade pode ser cia oor um Tenor, 1ss0 acore porque, em geral, as misicas populares sao Aprendendo a Cantar 49 formadas por melodias simples atingindo a alma do povo, diferente de uma pega vocal erudita, que 6 sempre escrita para uma determinada voz, n&o podendo sofrer alteragées esse sentido. H& miisicas populares de todos os gostos no Brasil, pois sua extensao territorial 6 muito grande. Logo, encontramos uma riqueza musical sem fim. Cabe a voc8, cantor, definir o género que Ihe agrada mais ou combine com seu temperamento. Aconselho adaptar-se a mais de um género musical para ndo sofrer discriminag&o com a falta de locais onde se apresentar. O importante & que se tenha um conhecimento da voz, adaptando as miisicas as regides onde sua sonoridade é melhor, pois, ao canté-las tornar-se-8o cémodas. ‘A misica popular, geralmente, poderé ser cantada tanto para as vozes masculinas como para as femininas. Se necessario, adapte as misicas alterando palavras para 0 masculino ou vice-versa Este 6 um curso voltado para a misica popular ( misica e letra ), feito para © consumo popular. Portanto, colocarei algumas informages sobre leoria musical para 0 seu aprimoramento, Devemos conhecer pelo menos as caracteristicas basicas da misica escrita para no ficarmos encabulados ou constrangidos com perguntas a que possivelmente nao saberemos responder. © canto popular € a expresso literdria musical embutida, agregada a miisica e completando-a em sua forma de manifestacdo artistica. Consequentemente, essa miisica passou a ser muito mais difundida, atingindo praticamente todas as camadas sociais, como resultado natural da invengdo do radio, dos meios de gravag&o como os discos, fitas magnéticas e depois com o advento da televisdo. Hoje, @ misica instrumental é a arte mais popular que existe, pois somos bombardeados 0 tempo todo por sons. A Miisica Popular Brasileira com toda sua riqueza melédica, harménica, ritmica e com textos dos nossos poetas, ndo ficaria atras de qualquer outro tipo de miisica, visto que o Samba, a Bossa Nova, o Pagode, a Masica Nordestina e outros géneros séo consumidos por todo o mundo. ‘Como mencionado anteriormente, essa difusto da cultura brasileira se dé, exclusivamente, na evolugo dos processos de gravaggo, discos de vin, fila K7, videos, musica digital e com 0 aparecimento do CD e do MD. O alcance cada vez maior da televistio e 0 uso constante da informatica também propiciam uma misica eletrénica especial com o aparecimento de novos misicos instrumentistas e compositores. Vamos la, temos muito a estuder. O cantor Brasileiro © cantor brasileiro possui uma versatilidade e um timbre vocal atipico e muito agradavel, colaborando para a difuséo da cultura musical popular. Nao foram apenas os cantores profissionais que marcaram 0 nome na histérla, os anénimos cantores da noite, um contingente enorme que trabalha as misicas com um especial cuidado e mantém viva as cangdes de outro tempos. Lembre-se do que fol dito no inicio, todos podem cantar. Nao € privilégio apenas de profissionais, mas de qualquer pessoa que goste de miisica. Um bom cantor canta em casa, com os amigos, em festas, reunides, clubes, etc, Sem perceber, ja estaré cobrando caché. Por isso, procure sempre aprimorar os conhecimentos da técnica vocal. Seja um cantor de verdade, aprenda musica e se Possivel um instrumento musical como o violao ou o teclado, escolha bem seu repertorio € principalmente exercite seu bom gosto musical Marcelo Dantas Fagundes 30 Exercicios de Dicgao RELAGAO DE FRASES EM ORDEM ALFABETICA 2) A gata amarrada arranha a aranha. b) Bondosa beldade balzaquiana beneficiava belgas. ©) O capenga cangaceiro capengava na capoeira do cangago. 4) O dente de dentro déi e da doencas. ©) Em Erechim enderegam esse bilhete a Henrique que tem de exercer a eleigao. 4) Na fornalha flamejante fulge o fogo com furor, 0 fole frenético faz fumaga e fagulha fulgurantes que ofuscam 'g) O genovés, jovem gigante, gira e geme no gindsio, na ginastica. f) No jardim japonés, genlis jaganas, jandeiras, jaspeadas, jaburus, Janetas e juris gemendo. ) Dificiimo dividir militros de mirfico jp. }) No laranjal, abelhas laboriosas em tumulto coletam © pélen para 0 iniguatével mel de suas colmeias. ‘m) O mameluco melancélico meditava e a megera megalocéfala, macabra e maquiavélica, mastigava mostarda na maloca miasmatica, 1) Nao nada ninguém no Nilo. (0) © promotor comprou horéscopo do Ostrogado, p) Pedro Paulo Pacifico de Paixo, pacato e pachorrento procurador do meu prateado pai, depois de provar uma pinga, tomou um pileque © promoveu uma pagodeira com a populagdo do porto. {@) 0 ligildticador quadridentado liquidifica qualquer coisa liquidificével, @ quebra as liquiificéveis 1) O rato, as ratazanas e 0 ratinho roeram as ricas roupas e rasgaram rottas rendas da rainha D. Urraca de Rombarral. 6) Se 66 Serras serram 66 cerejeiras, 666 serras serraram 666 cerejelras. 4) Tito trocou 0 troco todo, tentando tudo tra. 4) O butucum do Bururu com os Murucututus do Burundum. ¥) O vento veloz varre a varzea com violéncia. 3) 0 xaveco do Xavier chegou com o Xalavar chelo de peixes: Xaréus, Xereletes, Xiros, Xixixarros e Xundaralas. "yA zebra zurrando ziguezagueava zombando 0 z06fobo, zaranza que @ zurzia zangado com zaguncha do zuavo. Exercicios de Articulagao a) © prestidigitador prestativo © prestatario esté prestes @ prestar a prestidigitagdo prodigiosa e prestigiosa. b) Os quebros € requebros do samba quebram os quebrantos dos falsos santos. ©) A prataria da padaria esta na pradaria prateando pratos prateados. ¢) Biito britou de brilhantes, brincando de britador. ¢) Branca branqueia as cabras brabas nas barbas das bruacas e bruxas branquejantes. {) Trovas e trovBes trovejam trocando quadros trocados entre trovadores esquadrinhados nos quatro cantos. Aprendendo a Cantar 31 9) O dromedario destruiu as drogas de drogaria Andrémeda, porque foi drogado com a droga quadrada. h) As pedras pretas da pedreira de Pedro Pedreiras sfio os pedregulhos com que Pedro apedrejou trés pretas prenhes. i) No quarto do Crato eu cato quatro cravos cravados no cranio da caveira do Craveiro. }) © grude da gruta gruda a grua da gringa que grita e, gritando, grimpa a grade da grota grandiosa, k) Franqueia-se 0 frango fito frio, figorificado a francesa, no frigorifico do frade. 1) O lavrador 6 livre na palavra e na lavra, mas no pode ler o livro que © livreiro quer vender. m) Plana 0 planador em pleno céu e, planando por cima do plat6, contempla as plantas plantadas na plataforma do plantador. 1) Alaca aplacadora aplaca a dor da placa que a laca aplacou. 0) Quero que 0 clero preciaro aclarece 0 caso de Clara e declare que Teola se engana no que clama e reclama, p) Aglae lava a gleba do globo que havia levado a galéxia do glabro & galante gigante. 4) Flamengo inflama, Fluminense influi, quem a lama inflama, fui @ refi 1) Fraga deflagra um drible, Franco franqueia 0 campo, o povo se inflama @ enfrenta 0 preciaro juri, que dectara grave 0 problema, 8) O cricrilar do grilo é devido ao atrito de seus élitros. Exercicios Vocais para Afinagao QP sori: ranar Com a boca fechada. Lingua relaxada, apoiada atrés dos dentes inferiores, narinas ditatadas, cante as notas gravadas com a consoante “M". Comegaremos com a ‘nota La2 e subindo a escala em semitons chegaremos até o Mi3. Este exercicio poderd ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. Sempre ‘com uma respirada para o exercicio todo. 6) Exercicio: FAIKA 8 Trabalhe os fonemas: "GON - GON, ON - UN. NA- IN". tengo, um fonema para cada nota. Comece com “GON ~ GON" e depois inicie com “ON — UN @ NA — IN’. Comegaremos com a nota Mi3 subindo e descendo até osi2. Este exercicio poderé ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. Marcelo Dantas Fagundes 2 uf Cante suavemente um melédico ascendente, para cima: “MU - MU = MUM ...” , prolongado com as notas em movimento “Mi —- Ml MIM "NU — NU— NUM. “NI- NI NIM..." Este exercicio poder ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. “A mesma melodia deve ser repetida para as quatro vocalizagbes propostas. ‘Sempre respire a cada trés notas. Exercicio: FAIXA 10 Dentro de uma s6 respirac4o, cante para cada nota ouvida o seguinte: Este exercicio poderé ser feito quantas vezes quiser tanto para vozes masculinas como femininas. “UM — UM = UM ~ Mi —_Ml— Ml NU = NU ~NU~NI~Ni-NI~U". & Exercicio: FAIXA 11 Dentro de uma sé respiragao cante para cada nota ouvida: "DONG - DING - DONG - DING ..." Este exercicio poder ser feito quantas vezes quiser tanto, para vozes masculinas como femininas. Vogais bem limpas e pronunciadas com clareza, passe de uma para a outra, ‘sem relaxar a suc¢ao do céu da boca e sem afrouxar os labios. As notas s4o sempre as mesmas, de trés em trés, procure manter a afinacao. Cante para cada nota, grupo de trés: “ON~1~A... Este exercicio podera ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. i) Exercicio: FAIXA 13 ante para cada nota ouvida “GON - GON..." , entamente. Este exercicio trata as notas do acorde maior de tras para frente, do agudo para o grave, Desga, sem forgar. Este exercicio podera ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. Aprendendo a Cantar 33 Exercicio: FAIXA 14 Cante a escala maior com “PA ~ PA - PA", Este exercicio 6 s6 para vozes masculinas, Com uma respirago Gnica para a escala toda. Exercicio: FAIXA 15 Cante a escala maior com “MA ~ MA - MA’. Este exercicio € s6 para vozes femininas. Com uma respiragdo nica para a escala toda. Exercicio: FAIXA 16 Exercicios em tergas: Ouga atentamente e repita Este exercicio poderd ser feito quantas vezes quiser, tanto para vozes masculinas como femininas. A partir do D63, d6 central, em tercas maiores ascendentes ¢ descendentes. Exercicios de Percepcao Auditiva sendo tocado: 1) FAIXA 17: Ouga atentamente e desoubra qual 6 0 instrumento que esta a)Violino byPiano )0rgao a)Clarineta e)Flauta 2) FAIXA 18: Ouca atentamente e descubra qual 6 0 instrumento que esté sendo tocado: @)Violine b)piano JOrgao a)Clarineta e)Flauta ‘Marcelo Dantas Fagundes 54 3) FAIXA 19: Qua atentamente ¢ descubra qual é 0 instrumento que esté sendo tocado: )Violino b)Piano o)Org0 @)Clarineta ©)Flauta 4) FAIXA 20: Qua atentamente e descubra qual é 0 instrumento que esté sondo tocado: )Violino b)Piano )Orgao )Ciarineta e)}Flauta 5) Faixa 21: Ouga atentamente e descubra qual é 0 instrumento que esté sendo tocado: a)Violino b)Piano ©)Org80 @)Clarineta e)Flauta VOCE SABLA ‘Que um mau habito vocal pode levar um cantor a adquirir determinado timbre vocal que ndo 0 da sua voz trazendo graves problemas no futuro. som 6 um tipo de energia cinética chamada energia actistica. Consiste na flutuacio de ondas sonoras de presséo em um meio fisico, 0 ar. No espago (cosmo) nao existe som, pois no existe oxigénio, lombre-se: 0 ‘som néo se propaga no vacuo (sem ar). u CL Respostas. —}¢ Shubert-Save Regina en Fa maior Corae Orgae Fragment 38 ~ Schumann - Arabesque em D6 Malar, Op. 18- Fragment 2 Serer Concerto pare tinea em Do enor, Op. 26-Fragmento BR Meat ‘Concerto para Velho n em Lé maior -Fragrento ‘38._ Poulenc - Sonata para Flata~ Fragmento Aprendendo a Cantar 35 & MUSICA Fama ze PALPITE - Vanessa Rangel To com saudade de voce Ao pé do ouvido Debaixo do meu cobertor Truque do desejo E te arrancar suspiros e fazer amor Guardo na boca T6 com saudade de vocé Q gosto de um beljo Na varanda em noite quente Eu sinto a falta de vooe E o arrepio frio que da na gente eae 86 Truque do d Guard na boca Seré que vost volta © gosto de um beijo Tudo a minha vta Eu sinto a falta de vocé iriste Me sinto s6 E al eal © amor pode acontecer ‘Seré que vocé volta De novo pra voce Tudo a minha volta alpite © amor pode acontecer Me sinto s6 De novo pra voo8 i Paiple B| Sera que voce volta To com saudade de voce 1 | Zudo.emminna votta Do nosso banho de chuva Eee No calor da minha pela 5 a Da lingua tua (© amor pode acontecer To com saudade de voce De novo pa ‘voce Censurando o meu vestido Ajura de amor Marcelo Dantas Fagundes 36 Conteudo do Capitulo 5 Parabéns! Sem perceber chegamos a metade do nosso curso e 6 notavel a quantidade de itens que jé absorvemos nestes éitimos capitulos. Neste capitulo, abordaremos um assunto muito importante: a questo da utlizacgo da misica, sua importancia para a sociedade e principalmente a vocé. ‘Comegaremos com a utilizacio do canto como expresso puramente artistica, seguindo como necessidade prépria do individuo e finaimente como terapia. Estudaremos a misica intema e conheceremos nossos sons internos, incluindo muitos exercicios de descontragdo para os labios, lingua e glote. Finalmente, apresentarel um teste geral para verificar sua evolugo em todos os capitulos jé estudados. ‘Vamos la, continue sempre estudando, eanppeam Re te eee Gegeaar Pore ae aga A Utilizagdo do Canto O Canto como Expressao Artistica ‘A misica é @ arte de combinar sons encadeando-os de maneira a formar melodias agradaveis ao ouvido. E utilizada para manifestar sentimentos e impress6es, possui trés elementos distintos: melodia, harmonia e ritmo. A melodia 6 a combinagao dos sons sucessivamente, ou seja, um apés 0 outro. A harmonia é a combinacao de sons simultaneos, um junto ao outro, O ritmo ¢ a ordem a que o som deve obedecer, isto é, a simetria, Os trés elementos sempre esto contidos numa masica ‘Quando cantamos, estamos utiizando apenas dois elementos: a melodia © ritmo, Toda frase musical possui um ritmo. Logo, a voz € como um instrumento melédico, pois s6 toca melodias. Existem instrumentos harménicos que s6 tocam melodia como o violdo ou a guitarra e instrumentos melédicos harmonicos que tocam melodia e harmonia simultaneamente, como 0 piano, 0 teclado e 0 érgéo. Nao ha fatos historicos que garantam como surgiu a musica. Sabe-se, por definig&o, que o homem pré-histérico utiizava tambores e pedras para a comunicag&o, dando um sentido mistico ou religioso sempre associado @ danca. Servia como agradecimento & colheita, & caga ou até mesmo a vitéria numa batalha com outras tribos. Primeiro batiam as méos e os pés, marcando o ritmo. Depois, utlizavam outros materiais como bater em arvores © em pedras. Era o inicio dos instrumentos musicais de percusséo. Aprendendo a Cantar 37 Os sons da natureza fascinavam os primitives que copiavam os sons do Yorto, das aguas, da chuva, das tempestades e dos animais em geral. Nascla, entdo, om a utlizago da voz, uma forma rudimentar do canto, Assim, podemos dizer que 0 canto evoluiu juntamente com instrumentos, estando um associado ao outro. © homem foi evoluindo, conhecendo novos materiais e utiizando-se deles para @ fabricaczo de novos instrumentos musicals, Isso ocorre até hoje, como aparecimento de novas tecnologias a servigo da musica, Lembre-se de que cantar 6 trabalhar a voz de maneira correta. N&o se valha de apetrechas eletrénicos para consertar falhas vocals. Isso & enganagao. Nao é arte. E comum “cantores" despreparados adquirrem equipamentos que corrjam a afinago vocal, mas 0 verdadeiro cantor é aquele que canta sem nenhum apetrecho, hem mesmo 0 microfone & necessério (se o local for pequeno, 6 claro ). Nao se engane, estude. O Canto como necessidade organica E muito diffi! encontrar alguém que ndo goste de cantar. Todos gostam de Se aistrair cantando, mas existem aqueles que s6 se arriscam cantar completamente Sozinhos, sem ninguém por perto, achando a voz feia, desafinada. Na verdade, essas essoas sdo timidas, envergonhadas, Outros esto sempre cantarolando algo, no se importando com 0 fato de estarem afinados ou nao, Sao, de certa forma, pessoas extrovertidas. Existem pessoas que precisam cantar ou tocar um instrumento musical Essa necessidade parece estranha, mas existe e est4 no sangue, no coragao e elas $6 Gonseguem manifestar seus senlimentos através da arte. Alguns a chamam de vocagao, dom musical. Nao existe uma explicacao légica Acredito que pessoas que no possuam tals dons possam conseguir, com sucesso, aprender miisica. Talvez necessitem de mais estudo e dedicagdo. mas se gostarem mesmo de miisica terdo sucesso. Deste modo, cantar toma-se indispensavel Deveria ser até obrigatério. Lembre-se do antigo ditado popular: “quem canta os males espanta™. Observe as formas de louvor religioso: todos esto intimamente ligados & musica, no importando 0 Credo. A musica seré etemamente vista como 0 flo condutor Para @ melhoria da espiritualidade, Gostar de cantar nao significa apenas tomar-se um cantor profissional, Como 6 0 objetivo deste livro. Caso voc8 desconhega, ela pode funcionar como ums {erapia. Quem canta socialmente ou toca algum instrumento, sempre esta acompanhado de amigos @ nunca se sente sé, Mesmo surgindo dificuldades para cantar, nao Gesanime. Estude, pratique, cante. Tenha uma ligagdo intima com os sons, no se restrinja apenas a ouvir. Repita 0 que esta ouvindo, imite os péssaros, observe que antes de as criangas aprenderem a falar, fazem exatamente isso. Descontraia, esquega os problemas ulilizando sempre o canto, a misica Aprenda a usar a voz e tudo 0 que puder de musica, Estude, ensaie. Quanto mais preparado estiver, mais artista se sentra. Haverd momentos, talvez por Motivos de satide ou aborrecimentos, em que o canto no saira bem, pois 0 estado emocional afeta muito os artistas, Nao desanime, no desista. © dia Seguinte sera diferente, melhor. Se acontecerem criticas desfavoraveis ao seu trabalho, transforme-ae €m energia para continuar sua luta. Saiba que ao seu redor todos gostariam de ectar {entando cantar, mas a coragem, para tal inicitiva, no existe Salba que precisamos estar abertos para os conhecimentos. Tire proveito de tudo com humildade e sabedoria Marcelo Dantas Fagundes 38 Realizar 0 processo inversamente até chegar ao movimento de respiragao. Solitude: refietindo as possibilidades do ritmo e dos movimentos do corpo. c) Criag&o de atividades que explorem a descoberta do ritmo interior, ‘sempre em siléncio total. 2. SOM DO CORPO a) Descobrir e explorar os sons existentes na mente. Pensar num som qualquer e criar movimentos melédicos com ~alturas; - timbres; - intensidade; = duragao; - dinamica; ~ agégicas. 3. HARMONIA RITMICA DO CORPO a) Criar, coincidentemente, movimentos ritmicos com 0 corpo, tendo ‘em mente 0 sentido haménico destes movimentos. ~ bragos; - pemas; - bragos e pemas; - cabega e tronco; = todo 0 corpo se movimentando harmoniosamente. HARMONIA SONORA a) Criar, com consciéncia, o sentido harménico destes sons em sua mente: : - melodias simples. - duas melodias que brincam. Por exemplo: uma no agudo e a outra no grave - rs melodias que passeiam, Por exemplo: uma no agudo, outra no médio e a outra no grave. 5. SONS E RITMOS EXTERIORES NO CORPO (Totalmente em siléncio ). a) utilizagao de uma misica ouvida, sentindo os sons e/ou ritmos penetrando no corpo. Exercicios para Descontracao: 1) Pressione os pés contra 0 cho e depois va relaxando bem devagar. Faga dez vezes esse exercicio. 2) Sentado numa cadeira, exerga presto sobre 0 corpo para balxo & depois relaxe todos os miisculos do corpo. Faca umas dez vezes, 3) Respire profundamente, como se tentasse recuperar o fdlego procurando aliviar as tens6es. Faga esse exercicio dez vezes, sentado ¢ em pé. Aprendendo a Cantar 61 Exercicio para a Lingua: 1 Glggue a lingua para fora e para dentro, umas vinte vezes, Depois, foque no canto direito e esquerdo da boca com a ponta da lingua, mais vinte secec 2) Abra normalmente a boca e faca correr a lingua pelo labio, em cireelo, 2) Com a boca fechada, empurre a bochecha intemamente com a ponta da lingua, esquerde e direita, altemando. Umas vinte vezes também, Exercicios para os labios: 1) Fale muitas vezes com voz normal, bem articuladas © acentuadas as U=1-U-1—U~1—U-U’, pronuncie bem cada vogal 2) Pronuncie muitas vezes “PA —PA—PA~PA— PA * 3) Pronuncie muitas vezes “PA - PE - Pl- PO - PU". Exercicio para corrigir o golpe da glote: 2), Com 0 corpo reto, em pé ou sentado, respire profundamente e emita um RAAMAAAA bem Suave, inicialmente sem som. Aos poucos, va aumentando © vewune Sein exageros. Tudo de forma calma e trangia. Faca este exercicio umas dez Voces Golpe G2 glote ocore no “Pomo de Adio" e ‘constitul um ataque vocal buts, desnecessario e contrario a fisiologia da voz. Exercicios de “filar” a voz: 2), Sentado, corpo reto, ou em pé. Respire bem e emita um “AAAAAAAA", Sena com f2zendo com que o mesmo vA aparecendo lentamente. Avs poucos, aumente 4 Sonorizagao, chegando a um bom volume. Em seguida, volte ao ponto de partide, sere volume. Tudo isso, dentro de um tinico proceso respiratério, Comece numa nota média de sua voz. Depois, faga o mesmo exercicio com outras notas mais agudas e mais graves, 2Repita 0 oxercicio anterior, mas no lugar das vogais, cante também uma consoante: *M", ficando "MA ~ ME ~ Mi - MO — MU". 3)Exercicio para sustentado do som: Faca com todas as vogais comegando por “A”, Emita uma nota com 0 som dessa vogal. Sustente-a sem deixar quebrar e nem cair a afinagdo, Quando porceber Sue a yespiragao esta ao fim, corte a nota totalmente. Faca com todas as vogals. "A - & ~1-0-U" ‘idem ao exercicio anterior, 86 que no lugar das vogais, cante também uma consoante: “M", ficando “MA ~ ME - Mi - MO - MU" ‘Marcelo Dantas Fagundes 6 Exercicios com Sons Stacatos ( picados ) Stacato € 0 nome que se dé quando emitimos um som curto e com muito ataque, tipo “TA - TA ~ TA-TA - TA’, Junto a letra T com todas as vogais "A -E - 1-0 = U", Repita 0 processo com a consoante *M": "MA - ME — Ml - MO - MU", Vamos cantar subindo no tom, na escala, picando-os sem ligar os sons, assim: “A (corta), "A" (corta), “A" (corta), "A" (corta). Os intervalos entre uma nota e outra sero curtissimos. Limpando a Voz: As _vezes, a voz fica ligeiramente rouca, sem nenhuma causa aparente. Isso pode ocorrer peta manha, por exemplo. E possivel impar essa rouquidao fazendo 0 seguinte exercicio: imite o barulho de um motor "RRRRRRRRRR’. Apoie a voz na frente © no na garganta. A ponta da lingua ird vibrar dentro da boca. Nada de volume. Fazendo este exercicio com calma e tranqlilidade, vocé perceberd que, em pouco tempo, a pequena rouquid&o desaparecerd. Se essa rouquidéo for sintoma de uma inflamagao na laringe, 0 exercicio no tera sucesso. Procure um médico Observacées: Como estudamos varios exercicios nas lig8es anteriores, peco-Ihe que pratique novamente e diariamente todos eles, principalmente aqueles em que surgiram mais dificuldades. Pode-se usar a criatividade para oriar exercicios proprios, como cantar as vogais de trés para frente, colocar um “M" ou um *P", ou qualquer outra consoante antes das vogais. rie seus préprios exercicios valorizando 0 que jé foi aprendido e praticando ‘com maior eficiéncia os exercicios fice. Lembre-se de que a voz é um instrumento vivo, delicado e ‘nico. Conserve- -0e exercite-o todos os dias, com persisténcia endo com quantidade. Um exercicio cantado algumas vezes ao dia, todos os dias, trara mais resultados que canté-lo numa tarde toda, uma vez por semana, pois as pregas vocais, como todo miisculo, necessitam de exercicios fisicos para a melhora de sua capacidade. Continue praticando, mesmo que sua voz esteja boa, para seu ouvido. Aprendendo.a Cantar 6B TESTE GERAL Nesta fase, apresentarei alguns testes de conhecimentos adquiridos até aqui. Responda com muita atengao. As respostas esto ao final dos testes. 1) A partir de onde é produzida a voz ? a) Nos ossos da garganta; b) De um som basico gerado na taringe; ©) No estomago, quando estamias com foe; 4d) Nas pregas estomacais. 2) Quando emitimos sons em maior velocidade, emitimos sons: a) Grave: b) Agudos; ©) Médios; d) Desformes. 3) Quais as duas fungdes do nariz ? a) Controlar a temperatura do ar; b) Respiragao e olfato; OE 4) Produzit muco, 4) Por que a laringe tem importancia na formagao dos sons ? a) E uma caixa de som; ) E uma caixa de ressonancia; ©) E uma caixa de cavidade bucal 4) Nenhuma das anteriores; 5) Quais as ramificagdes dos bronquios 7 a) Bronquiolos; b) Traquéia; ©) Alvéolos; 4d) Tubo cilindrico, 6) Em quantos lados se dividem os pulmées ? a) 24 lados; b) 3e2lados; ©) 504 lados; 4d) 1e 1 lados. 7) Qual o principal misculo inspirador ? a) Peitoral maior, b) Peitoral menor, ©) Diafragma; 4d) Serrati 8) Quals os fendmenos que processamos quando respiramos ? a) Mecanico, fisico, quimico; b) Mecanico, fisico, natural; ©) Mecanico, aerébico; 4) Anaerébico, natural; Marcelo Danas Fagundes 64 Aprendendo a Cantar 9) Em quanto tempo conseguimos manter um som normal ? a) 20 a 30 seg: b) 10a 20 seg: ©) + de 30 seg; d) -de 10 seg. 10) Por onde deve ser feita a respiragéo ? a) Bo b) Narz; ©) Traquéia; 4) Faringe, 11) Como se propaga um som? a) Através da voz; b) Através dos timpanos; ©) Através das ondas sonoras; 4d) Através de gritos. 12) Quando se deu 0 inicio do estudo dos sons pelos cientistas ? a) No séo. Xa.C.; b) No séc. XX; ©) No séc. XI ) Na Pré - Historia. 418) Qual 0 caminho do som até chegar aos timpanos ? a) Ouvidos, timpanos; ») Oreihas, canal do ouvido, ©) Laringe e oreihas; 6) Canais do ouvido, panos; 14) Onde geralmente apoiamos a voz nao empostada 7 a) Faringe; b) Gargant ©) Pulmées; 4d) Traquéia. 15) O que devemos fazer para conseguir um melhor desenvolvimento musical ? a) Dispersao; b) Exercicios Tonais; ©) Exercicios Ritmicos; 4) Concentracao. 16) Quais as qualidades que so caracteristicas das vozes humanas ? a) Intensidade, volume e tom; b) Timbre, tom e volume; ©) Altura, som e afinacdo; d) Timbre, altura e intensidade, 17) Quais as qualidades ampiificadas das vozes cantadas ? a) Eufonia, afonia e tons; b) Afinagdo, resistencia e eufonia; ©) Grave, médio e agudo; ¢) Afinagdo, resisténcia e timbre. 6s 18) Na miisica popular, exigi-se pouca extensdo vocal. Esse parémetro fica ‘em tomo de: a) 02 oitavas; b) 01 401 e meia oitavas; ©) Desce 03 citavas; 4) Sobe 03 oltavas. 1) 0 ouvido é di a) Ssetores. b) 4 setores, ©) 1 setor. d) 3 ssetores. ido em quantos setores ? 20) Onde esta situada a laringe ? a) na parte anterior e mediana do pescogo; b)_abaixo da lingua; ©) emcima dos dentes; 4) nos brénquios Exercicios Vocais para Afinagao Exercicio: FAIXA 23, Cante *ZE" para cada nota ouvida. Muita atengao ao primeiro salto melédico do exercicio, ¢ um salto de oitava. Este exercicio é apenas para vozes femininas. oe Exercicio: FAIXA 24, Cante *ZE* para cada nota ouvida. Muita atengdo ao primeiro salto melédico do exercicio, é um salto de oitava. Este exercicio 6 apenas para vozes masculinas. Exercicio: FAIXA 25 @ 26. Este exercicio esté gravado de duas maneiras: Primeiro cante lentamente com "ME". Faixa 25, ‘Segundo, faga o mesmo exercicio com o dobro da velocidade, andamento. Faixa 26. @& Exercicio: FAIXA 27. Gante com vogais claras limpas, "PE" e “MA*, intercalando de nota a nota. Marcelo Dantas Fagundes 66 Com a mesma escala maior cantada anteriormente, cante a escala com a vogal u: "U~U-U". Este exercicio 6 s6 para vozes femininas, Com a mesma escala maior cantada anteriormente, cante a escala com a vogal e: "E-E-E". Este exercicio 6 s6 para vozes masculinas, Exercicio: FAIXA 28, Exercicio para a lingua. Com “LA - LA" acompanhe a gravacéo. Respire a cada 9 notas, antes da mudanga tonal. Exercicio para vozes masculinas e femininas. Exercicio: FAIXA 29, Neste prOximo exercicio, coloque bem a primeira nota e nao se mexa. N&o saia do lugar, até 0 término do exercicio. Respire lentamente e inicie o exercicio a partir de outra nota, Cante com a vogal “A. Exercicio para vozes masculinas e femininas, i) Exercicio: FAIXA 30. Para cada nota ouvida, cante:"ON - A- ON -E - ON & Exercicio: FAIXA 31 Lentamente, cante 0 exercicio a seguir com todas as vogais, “A - E - — U’, respirando apenas ao término da frase. Repita quantas vezes quiser. Exercicio para as vozes masculinas e femininas, ON-6 -ON- Aprendendo a Contr 6 Exercicios de Percepgao Auditiva. (Ouga atentamente e defina qual o estilo musical de cada cangao: 1) Primeira cangdo: FAIXA 32. a)Rock; b)Sertanejo; Ballo; ¢)Bossa Nova; e)Pop. 2) Primeira cangao: FAIXA 33. a)Rock; b)Sertanejo; Balto; 3) Primeira cangéio: FAIXA 34, a)Rock; b)Sertanejo;, Baldo; «)Bossa Nova; ©)Pop. 4) Primeira cangao: FAIXA 35, a)Rock; b)Sertanejo; Baio; @)Bossa Nova; ©)Pop. & 5) Primeira cangio: FAIXA 36. a)Rock; b)Sertanejo; ©)Baido; Bossa Nova; e)Pop. Marcelo Dantas Fagundes 68 VOCE SABLA??? Que, segundo o pesquisador e musicélogo Mario de Andrade, cantar é “formular melodias, frases musicais, com ou sem letra. Organizar notas segundo regras estabelecidas ou improvisando, seguindo a inspiracao do momento. Um professor de canto sempre atua em equipe com outros profissionais como, médicos, terapeutas da voz. Uma aula de canto nao @ capaz de curar determinados problemas vocais como por exemplo disfonia, assim, o aluno de ser encaminhado para um especialista que, apés uma avaliag&o minuciosa, indicaré os procedimentos médico-terapeutas indicados, Qual foi o primeiro instrumento musical criado pelo homem? No comego dos tempos, foi o vento assobiando nos bambus. Depois, quando o homem dominou 0 fogo, aprendendo a manté-lo aceso soprando suavemente através de um canigo, pequena vara oca, Pode ter sido assim a origem da primeira Flauta do mundo, isto por volta de uns 40 mil anos, © homem da pré-histéria, provavelmente, também usava seu corpo todo como um instrumento musical, batendo os pés no cho, as palmas, sacudindo colares e braceletes de ossos, tudo numa cadéncia ritmica e principalmente envolvendo- -se completamente nos sons, para se comunicar com deuses. MUSICA Fama 37 Nao Aprendi Dizer Adeus - Zezé di Camargo e Luciano No aprendi dizer adeus No aprendi dizer adeus, mas tenho Néo sei se vou me acostumar que aceitar Olhando assim os olhos seus B ‘Que amores vém e vo, s8o aves de Sei que vai ficar nos meus verdo : ‘Amarca desse olhar Se tens que me deixar, que seja Nao tenho nada pra dizer i entio feliz $60 siléncio vai falar por mim Nao aprendi dizer adeus, mas deixo Eu sei guardar a minha dor s voos ir Que apesar de tanto amor ‘Sem lagrimas no olhar, se 0 adeus Vai ser melhor assim me machucar Repetir 2 vezes, do comeco. yrendendo a Cantar 6 Resposta dos testes de Percepcao Auditiva. 4) ~ Baldo ~ Asa Branca (H. Tebcelrae L. Gonzaga ) Fragmento 2)D ~ Bossa Nova - Wave (A C. Jobim ). Fragment 53) = Rock -Indtil—(Utrage a Rigor). Fragmento. {98 ~ Sertanelo ~ Romaria (R, Tebxera ). Fragmento, S}E ~ Pop. De Repente Caiféenia (L. Santos). Fragmento, [Resposta dos testes 7 | 01-0) Deum som bésico geraconaaringe. 1240) No séeuo 0x 2 (0) Graves 1:0) Orelnas,canei do wo 83:0 Respagto e ofato uimpanes (0) uma cic de essondnci 140) Corganta 05: (6) vols. 154) Concerttacdo, 06. 0) 02 «C2 ads. 1e(@) Tinie, shire 7 (©) baragma iiensdade 25,6) Mectnco, leo uimico. TrabyAinagdo, resstncia. G0:0)10 820 segundos una. fox) Naz, E40) De 01 201 e mei oitave 6) Aravés de ondas sonoas ieig) 3 extero, médo e ita. 2DGa oa pate stror © medians Ra! Marcelo Dantas Fagundes 70 Contetdo do Capitulo 6 Neste capitulo, vamos exercitar um pouco mais nosso corpo com exercicios fisicos, estudando 0 corpo e a postura ideal para o canto com exercicios para o diafragma, para a respirago e para a dicgSo. \Vocé tera uma nogao da Teoria Musical, aprendendo a ler e a identificar as notas musicais. Comecaremos um trabalho importantissimo: leitura e afinagio dos sons musicais ainda entenderemos 0 que é 0 falsete. E muito importante continuar estudando os exercicios jé indicados. Vamos lé, com muita alegria estude mais este capitulo. = Nie Gani E eRe Peng gegen ear tag Alguns Exercicios Fisicos e de Técnica Vocal O CORPO © cantor deve desenvolver seu corpo. Ele ndo somente contém a laringe, que produz seus sons vocais, mas também 6 0 seu instrumento. Ele deve imaginar seu corpo tendo as mesmas possibilidades de sonoridades como, por exemplo, a caixa de som de um violino e nunca como uma pedra. Deve desenvolver um som sendo de consciéncia do seu corpo e estar totalmente alerta fisicamente. Alguns exercicios que podem ser praticados para construir e preparar seu corpo para o canto: a) Sacudir frouxamente os diferentes membros do corpo para o relaxar do fisico: comece pelas pemas, joelhos, bragos, rotagdo dos ombros para frente para trés, rotacdo da cabeca sobre 0 tronco e relaxamento do queixo até a lingua, b) Para movimentar o tronco, imagine-se apanhando uma cesta cheia de roupas no chao. Inspire ao levanté-la e expire ao colocd-la no cho. Estenda diversas pegas de roupas num varal imagindrio, comecando com pecinhas como lengos, meias, etc., @ terminando com as maiores como toalhas de rosto, banho, lengol, etc., fazendo sempre o movimento de flexéo para apanhd-las no cesto, erguendo bem os bragos e ficando na ponta dos pés para estendé-las no varal ¢) Imite um tenhador: com o machado na m&o, movimente-se para partir os paus de lenha. Junte-as depois, inspirando profundamente e expirando a0 deposité-las ao chao, Aprendendo a Cantar n 4) Imagine-se tomando um banho de chuveiro quente e se esfregue. ‘Agora, imagine que a gua ficou gelada de repente e imite os calaftios e tremores, pulando no chao para esquentar-se. APOSTURA A postura do cantor deve ser ereta, como se ele estivesse dependurado no forro do teto por uma corda. Seu corpo inteiro deve descansar em cima da estrutura 6ssea, com os ombros ligeiramente para trés, fazendo uma pequena curvatura nas costas, obtendo uma maior capacidade tordcica. A idéla de estar dependurado por uma corda na cabega, traz uma sensagao de liberdade e leveza, O queixo deve estar ligeiramente para dentro e as pemas ligeiramente separadas, sem deixar que os calcanhares se toquem. Os bragos devem cair relaxadamente e 0 peso do corpo deve ser distribuido igualmente nas duas peas. Ao se sentar, nao encoste e no cruze as pernas. Exercicios para o Diafragma Sem usar a voz, exercite 0 diafragma, usando diversas combinagées ritmicas e colocando a mao logo abaixo do estémago para sentir as pulsagdes das ‘seguintes maneiras: a) Use as consoantes mudas (sem voz) tals como: “TCH, TCH, TCH, TCH’, b) Use a combinagao “T-K-F" também sem voz, s6 com ar. ©) Imite um cachorro que correu muito e ficou cansado, respirando ‘ofegantemente pela boca, com a lingua para fora. Respiracdo répida e curta. 0) Imite tiros de espingarda: "PF, PF, PF”. e) Dé uma boa gargalhada, diversas vezes, com a mao sobre o diafragma, 1) DE uma gargalhiada como se fosse uma pessoa que pesa 150 kg (com boca ligeiramente afunilada). Depois de quatro ou cinco exercicios mencionados ou outros quaisquer ara 0 corpo e mesmo depois dos exercicios cantados, é bom dar um grande SUSPIRO de ALIVIO, em voz alta! © canto, como qualquer outra atividade organica, € um processo de tensao © relaxamento. Exercicios que criam tensdo devem ser seguidos de uma explosdo de alivio para o relaxamento. Coordene, a seguir, 08 exercicios acima com algumas vogais, comecando pelo “U" e “O°, Essas vogais fechadas so boas para acostumar o cantor a baixar sua caixa da laringe. (Os homens devem fazer com que 0 “pomo de Addo", ou seja, a saliéncia existente no pescogo, permanega para balxo enquanto se canta. AS mogas podem sentir Marcelo Dantas Fagundes n a caixa da laringe com as maos ¢, ao pronunciarem as vogais fechadas ("U" e “O'), jé colocam a caixa da laringe em posico correta. Use primeiro a voz falada para essas vogais e depois faga 0 mesmo exercicio com um tom na voz média: a)"TCH - TCH-O"~"TCH - TCH - 0". b)*F-U-U?,"F-U-U-U' etc. ¢)'P-U-U-U","P -U-U-U", Combine, a seguir, algumas consoantes mudas com as suas sonoras equivalentes, imitando uma sereia e fazendo um "Glissando””” com as notas: “TCH" (Glissando). Trabalhe agora somente com as vogais, especialmente o “U" e “O", usando sempre a "boca de peixe”, isto €, boca afunilada. Normalmente nao cantaremos assim, isso apenas um exercicio étimo para projetar 0 som para fora da garganta, pois a boca afunilada obriga o som a se projetar para "for ARESPIRACAO a) Use as combinagdes de consoantes mudas, como *S", “SH" e “F", imitando estar chupando um canudinho de laranjada. Inspire trés vezes' seguidas ¢ expire trés vezes seguidas, com cada combinagao de consoantes, sem usar a voz, ») Sopre a mao, como se tivesse um ponto dolorido, para aliviar a dor. ©) Sopre sobre o vidro embagado na janela, para poder ver do lado de fora. 4) Dé um grande suspiro de alivio e relaxe. FALSETE O Falsete consiste num método de canto usado somente por homens, especialmente pelos tenores, para atingir uma ou mais notas agudas das produzidas dentro do ambito vocal habtual dos tenores. E uma técnica bastante utilizada para produzir uma sonoridade cémica, como emitando uma mulher falando, como por ‘exemplo na 6pera Falstaff", na qual os tenores imitam alegres comadres. '© Gtissando: Significa deslizar sobre uma escala qualquer, passando por todas as notas. Falstaf: Ultima épera cBmica de Verdi, dividida em trés atos, bascado no libreto de Boito, As Alegres Comadres de Windsor e Henrique IV. Aprendendo a Cantar B Exercicios de Dicgao Exercicios com Grupos de consoantes. a) br: As bruzundungas do bricabraque do Brando abrangem broquéis de bronze brunidos, brocados bruxoleantes, brochuras, brevidrios, abraxas brazonadas, abrigos e brinquedos. b) er: O acrOstico, cravado na cruz de crisdlidas da crianga acreana criada nna creche 6 0 credo cristéo. ©) di: A hidra, @ driade e 0 dragao, ladrées do dromedério do Druida foram apedrejadas. d) fr: A frota de frageis fragatas fretadas por frustrados franco-atiradores, enfreadas de trio, naufragou na refrega com frementes frecheiros africanos. @) gr: © grumete desgrenhado gritava na gruta de griso, gracejando com grupo grotesco de grileiros, {) tr: A entrada triunfal da tropa de trezentos truculentos troianos em trajes tricolores, com seus trabucos, trombones e tridngulos, transtornou o trafego, trangiilo. 9) pr: O prato de prata premiado ¢ preciso e sem prego; foi presente do preceptor da princesa primogénita, Prabo Primas, procurador da Prissia. h) vr: © lavrador lavrense estudou 0s livrinhos e as lavrascas no livro do livreito de Lavras. i) bl: No tablado oblongo os emblemas das blusas das oblatas estavam obliterados pela neblina obliqua }) el: O clangor dos clarins dos ciclistas do clube eclético eclodiu no claustro. ) fi: A flamula fiexivel na floresta do fiibusteiro, flutuava fluorescente na floresta de Flandres. m) gl: A aglomeragao na gleba glacial glosava a inglesa glamorosa que glisava com 0 gladiador giuto. n) pk Na réplica, a plebe pleiteia planos de pluralidade plausiveis na plataforma do diplomata plenipotenciario. RECOMENDACOES. - Os pilares do canto, ou soja, a respiragéo, a utilizagéo dos Tessonadores e a articulago sero, a principio, objeto de um trabalho lento e progressivo. ide € fazer 0 exercicio lentamente. @ lingua fora da boca, com vozes + © melhor meio de adquirir agi Deve-se comegar os exercicios com a vogal cansadas, ~E preciso buscar em primeiro lugar a" qualidade" da voz, jamais “forgé- -la" a trabalhar. Esteja sempre relaxado ao cantar. ~ A caixa de um instrumento néo se contrai quando toca. © corpo deve estar livre e solto, = Estudar miisica, ter boa leitura musical e saber solfejar, devern preceder o estudo do canto - quando possivel. Marcelo Dantas Fagunes " + Se vocé tem uma voz_pesada, trabalhe bem com sons picados, estacados e faga exercicios de agilidade, Se tem voz leve, trabalhe com legatos e sons protongados. = AO. prim: vitamina C e repouse. ~ Evite as tosses inutis. + Se tiver necessidade de tossir, firme os labios, respire calmamente e sintoma de um resfriado, tome laranjada, limonada, engula saliva ~ Cante sempre pensando numa linha rete para no mudar de “cor” a voz ~ Nao durma com janelas abertas, a nfo ser que vocé durma com a boca fechada ~ Os cantores no devem fumar. ALGUMAS PERGUNTAS e RESPOSTAS que DEVEM ESTAR RONDANDO sua MENTE No mundo artistico, existem muitas “lendas” em relagdo a voz e como se deve cuidar dela, em sua maioria é tudo mito que ndo séo justificaveis e nem iteis. Vao entao algumas perguntas comuns de meus alunos. Nunca devemos respirar pela boca? Em geral esta respirac&o é prejudicial &s pregas vocais bem como ao apareiho fonador todo, podemos observar isso quando dormimos de boca aberta, € not6rio que acordaremos mais roucos do que uma pessoa que dorme com ela fechada. Por outro lado, quando estamos cantando, ndo hé tempo de Fespirarmos somente pelo nariz, assim sendo, usamos a respirago naso-bucal, assim colocamos uma quantidade maior de ar nos pulmbes em menos tempo. © uso de pastiihas, “sprays”, chas, ajudam a limpar a voz? Como orientado anterionmente, 0 uso de qualquer medicamento s6 pode ser recomendado por um especialista. E comum dentre esses medicamentos, um componente analgésico, anestésico, o que dard um certo alivio a possiveis dores na garganta, no entanto nao fesolvera o problema, fazendo com que 0 cantor force ainda mais suas pregas vocais anestesiadas. Eu sempre recomendo 0 aquecimento vocal antes de cantar, fazendo assim um enorme bem a sua satide vocal. Lembre-se, a voz que usamos diariamente quando falamos nao é a mesma de quando cantamos, esta sim, tem de estar impostada, equilibrada, firme, clara e bonita, Se nao usar o diafragma nao cantarei bem ? Muita ateng&o: 0 diafragma nao produz som algum e, sim, as pregas vocais. O diafragma tem a fungao de controlar a saida @ @ entrada do ar nos pulmoes, regula também a pressdo com que este ar saira, Poupando as pregas vocais e economizando o ar. Tomar um aperitiv, como uisque, é bom para aquecer a voz? Qualquer bebida alodolica relaxa a musculatura, atrapalhando muito 0 funclonamento das pregas Aprendendo a Cantar 75 vocais @ de todo 0 seu organismo. © que & comum acontecer é que pessoas inseguras € ervosas utilizam isso como uma “pogdo magica” que resolveria tudo, a seguranca no palco sé acontece com muito treino, experiéncia, paciéncia, ou seja, com 0 tempo, nao desanime, Teoria Musical Basica Antes de comegarmos a estudar a teoria musical, devo alerté-lo de que toda a complexidade da misica esta contida nos sons e em suas diferentes alturas. No decorrer da evolugio do estudo dos sons, chegou-se & conclusto de que cada altura de um som, do mais grave ao mais agudo, teria um nome, ou seja, seria uma nota musical. AS notas musicais so as seguintes: DO -RE-MI-FA-SOL-LA-SI Apesar de serem apenas sete notas, estas se repetem em ordem de altura, isto €, da mais grave para a mais aguda. Portanto, em um instrumento temos varias notas ‘com 0 mesmo nome, a diferenga de uma para outra esté apenas na altura, uma ‘sempre serd mais grave ou mais aguda em relag&o a outra Antes de comecarmos a tocar qualquer instrumento, devemos aprender a notagao musical, forma universal pela qual a musica é escrita e que proporciona_ um total aproveitamento do estudo musical Na escrita musical, utlizamos 5 linhias e 4 espagos que devem ser contados sempre de baixo para cima, Essas linhas so chamadas de pentagramas ou, popularmente, pauta musical, formadas pelo conjunto de linhas e espacos. ‘As notas musicals sfio colocadas sobre as linhas e dentro dos espagos. Marcelo Dantas Fagundes 6 A definigao de altura pode ser facimente compreendida se observarmos, Por exemplo, um elastico quando esticaco: conforme esse elastico vai sendo tencionado © percutido, podemos ouvir diferentes alluras de um mesmo som. NOTAGAO MUSICAL ; sio todos os sinais que representam a escrita musical: pautas, notas, claves, etc; e que formam uma partitura ( miisica escrita ). Na notago musical, além da pauta, 6 necesséria uma simbologia que determina a localizagao das notas, isso se da através da Clave. Temos na escrita moclerna 3 diferentes Claves: Clave de Do= Clave de Fa= Clave de Sol Inicialmente estudaremos a Clave de Sol. Com a Clave colocada nessa posigao poderemos identificar a nota Sol, localizada sobre a 2* linha da pauta, com todas as outras notas na seqiiéncia. Conciuimos entao que as notas sao organizadas na pauta através da Clave: 6 a Clave que indica 0 local exato das nolas, pelo seu ponto de referéncia, que no caso & a nota Sol. Na 2° linha teremos @ nota sol ¢, mantendo a seqiiéncia das notas, d6, ré, mi, f4, sol, [é e si, encontraremos os lugares das outras notas, sempre intercalando notas de linha com notas de espaco. DO) ee eet Dl ee ee Sole pee See Dae Ree ati PA sal) Aprendendo a Cantar Exercicios: Observando a tabela da pagina anterior, coloque o nome nas notas como no primeiro exemplo. ‘A memorizagéo das notas no papel ( pauta ) é necesséria para um bom aproveitamento do curso. Nao desanime, pode parecer dificil essa memorizag&o mas, se persistir, em algumas horas terd decorado a localizagao de todas as notas na pauta, ‘Compre um cademo pautado, com pentagramas, desenhe a clave de sol ¢ coloque as notas a esmo, para colocar seus respectivos nomes posteriormente. S6 assim conseguiré memorizar os nomes e a localizagao de cada nota Marcelo Dantas Fagundes 8 Aprendende a Cantar ” Exercicio de Memorizagao e Vocalizagao das Notas Musicais: Ouga atentamente os exercicios abaixo. Cante as notas com seus respectivos nomes, como no exemplo, Todas as notas devem ser cantadas com 0 mesmo ritmo. FAIXA 38 FAIXA 39 @ FAIXA 41 6 — FAIXA 42 80 Marcelo Dantas Fagundes Exercicios para vozes masculinas. Cante com 0 nome da nota. FAIXA 43 Exercicio para vozes femininas, cante com o nome das notas. FAIXA 46 FAIXA 47 FAIXA 48 Observagao: Nao force sua voz fazendo exercicios que néo Ihe s&o indicados, isso sé 0 prejudicard. Aprendendo a Camar 81 VOCE SABLA?22? Que para tocar qualquer instrumento de sopro, como uma flauta, um saxofone, um trombone, nao basta apenas soprar a plenos pulmées no seu bocall O misico deve saber dominar a respiragdo, controlar 0 sopro que expele da boca @ desenvolver os misculos dos labios para soltar 0 ar com preciso no seu instrumento, como se estivesse cantando s6 que sem utilizar as pregas vocais para a emissao do som sim um instrumento a parte do seu corpo, uma flauta, por exemplo, Quando observamos um miisico segurando seu instrumento temos a sensago de temura, 0 violino apoiado debaixo do queixo, 0 violéo encostado no peito, a harpa repousada no ombro, mas quando comegam a tocé-los... beliscam, arranham ou. esfregam as cordas com os dedos, as unhas, as palmas das méos ou com um arco, $6 assim as cordas, feltas de tripa, de nailon ou de aco podem vibrar e emitir os sons que depois de captados e amplificados pelo corpo do instrumento so admiradas pelos ouvintes, © MUSICA FaIxa 49 CAWBOY FORA da LEI - Raul Seixas Mame no quero ser prefeito Pode ser que eu seja eleito Eu n&o sou besta pra tirar onda de herdi 2 | Balguem pode quererme assassinar ‘Sou vacinado, sou cowboy Eu nao preciso ler jornais Cowboy, fora-da-lei V_| Mentir sozinno eu sou capaz Durango Kid s6 existe no gibi | N&o quero irde encontro ao azar E quem quiser que fique aqui_ z | Papai no quero provar nada Entrar pra hist6ria 6 com vooés Eu jd servi a patria amada © | E todo mundo cobra mintia luz S| Ont coitado, foi tio cedo Deus me livre, eu tenho medo Morrer dependurado numa cruz Marcelo Damas Fagundes 82 Contetido do Capitulo 7 Continuaremos 0 estudo da teoria musical voltado ao canto popular. Apresento as Figuras de Notas, responsdveis pela durago do tempo e pela emissdo do som musical Teremos alguns exercicios de vocalizacao com notas musicais escritas. Abordarel um tema bastante interessante: O que é ser um miisico ? E ainda algumas dicas de como utlizar corretamente 0 microfone. Vale conferir. GEER gr Maren et ep pape Bega a anest eer angtnn O que é ser Musico Segundo a definig&o do Pequeno Dicionério da Lingua Portuguesa de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, "Misico: Substantivo masculino. Aquele que professa a arte da miisica, compondo pecas, tocando ou cantando; aquele que faz parte de banda, orquestra ou filarménica, depreciativo Musiquim’ A definigdo & bastante clara, mas se faz necessério um estudo das caracteristicas que possam nos ajudar a definir melhor aquele que realmente poderd ser chamado de Musico. Costumo separar os interessados por musica em grupos bastante distintos. Com certeza, vocé se enquadrara em algum deles. Fisiologicamente, qualquer pessoa com plena capacidade auditiva poderé ser um mésico, Porém, na pratica isso ndo ocorre. Como professor de masica, ha anos observo com atengao cada aluno distinguindo claramente suas intenodes musicais, Em geral, toda crianga tem afinidades musicais cantando ou dancando ao ‘som de uma melodia conhecida. A misica é, na verdade, a primeira das artes da qual a crianga toma conhecimento. Primeiro ela, ouve algum som e balanca sua cabega ou seu corpo demonstrando ter a percepgdo daqueles sons. © préximo passo em seu desenvolvimento sera o de tentar repetir 0 som que ouviu, iniciando o desenvolvimento da fala. Mals tarde, a ligagao intima entre a misica e a danga é acentuada quando a crianga, j4 com uma certa firmeza fisica, comega a balangar seu corpo respondendo a estimulos auditivos. Cabe aos pais a orientago musical correta, bem como a apresentagdo de varios tipos diferentes de miisica para que a crianca comece a perceber as variagées estruturais da mesma Uma crianga com uma orientagao musical logo cedo poderé desempenhar melhor a profissao ou despertar 0 gosto pela misica. Com certeza Aprendendo a Cantar 3 Como ¢ inerente a todo professor a anélise do comportamento e inteno&o dos alunos, também tenho observado a postura daqueles que se disp6em a aprender um instrumento musical Existem aqueles que comegam a estudar um determinado instrumento por influencia de amigos ou dos proprios pais. E de se esperar que esse estudo nao chegue {20 seu término por varios motivos: desinteresse, aciimulo de atividades, desorganizacéo, Comprometimento de seus hordrios de estudo, preguica fisica ou mental, métodos de ensino ultrapassados e desestimuladores, professores incapacitados ou até mesmo dificuldades financeiras. No entanto, esse pequeno contato com a miisica é muito iportante para desenvolver a percepedo de um modo geral e principalmente completar @ educagdo ¢ a cultura desse estudante. Em povos desenvolvidos como os japoneses, a alfabetizagdo de uma crianga é completa. Elas aprendem a escrever seu idioma juntamente com o estudo da teoria musical para, posteriormente, iniciar 0 estudo de um instrumento de sua escolha Muitos estudam miisica até 0 momento de optar por uma carreira profissional, optando por Medicina, Engenharia, Direito, etc., 0 que invariavelmente os obriga a interromper seus estudos musicais. Eles apreciam a misica, assim como Poderiam ser apreciadores de automévels ou de um esporte qualquer. De maneira alguma a carreira de miisico seré ambicionada. Sao entdo_classificados como amantes da misica, mesmo sendo intérpretes razoavels, nunca os chamaria de muisicos, E comum em épocas de recessao financeira que esses amantes da miisica Fetomem seus dotes artisticos, tocando seu instrumento pelos bares de sua cidade ou até mesmo lecionando musica. Nesse Ultimo caso, esse jovem toma-se um professor bastante perigoso se nao procurar se atualizar, pesquisar e até mesmo voltar a estudar ara poder exercer com seriedade a carreira agora adotada. Existem ainda aqueles estudantes de musica que no conseguem pensar em outra coisa a néio ser exeoutar seu instrumento, estudar com afinco a historia e a evolugdo da mesma @ suas conseqiiéncias para a humanidade, escolhendo como Profisséo a carreira de miisico. Posso garantir que esta é a verdadeira vocacao musical, ols 0 musico esta sempre em evolugdo, obrigando-se a estudar diariamente a fim de entender a musica e suas projecdes. Em geral, escolhe-se uma determinada érea da musica para que se possa efetuar um trabalho mais completo, isto 6, alguns dedicam-se a lecionar e tocar algumas vezes por semana, outros s6 tocam, hé ainda aqueles que compéem, trabalhando diretamente com a criagao musical. A especializagtio € muito importante. Ela evita 0 desgaste do profissional colocando-o no mercado de trabalho dirigido. Um masico completo, ou seja, conhecedor de seus limites e estudante incansével, tem pela frente varias opgdes de trabalho como professor, misico da noite ou de estidio, para gravagdes de discos, produtor de eventos, pesquisador de novas técnicas, concertista, compositor, arranjador @ muitos outros afazeres, ficando limitado exclusivamente por sua cultura e pelo seu conhecimento musical. Quero deixar bem claro que. no desmerego aquele que tem como distrag4o, ou seja, um "hobby", a misica. E através dele que se desenvolve todo um ‘mercado de instrumentos e materiais diversos, difundindo e aprimorando tudo 0 que est relacionado a ela. Também esclarego que um misico profissional néo 6 aquele que obrigatoriamente tem de freqiientar uma escola de miisica para aprender e se desenvolver, pois existem varios profissionais de grande talento prestigio que nunca entraram num conservatério, escola ou até mesmo freqiientaram um curso superior, mas, com certeza, estudaram e ainda estudam, adquirindo livros, videos, partituras, discos e afins. Esses so os chamados autodidatas, pessoas que desenvolvem suas aptid6es sozinhas, sempre com entusiasmo @ sem preconceito. Esto sempre ansiosos por novas informmagées que melhorargo a sua técnica e execugio musical Marcelo Dantas Fagundes 84 PERCEPGAO MUSICAL © cérebro divide-se em dois hemisférios: 0 esquerdo, que 6 responsével Pelo raciocinio, pela percepeao da linguagem musical, da teoria e do ritmo; e o direlto, que 6 responsavel pola criatividade e processa a percepedo dos diferentes timbres, da altura das notas e das melodias. Um bom miisico deve procurar desenvolver os dois lados do cérebro para atingir maturidade musical plena, Se, por acaso, eu mostrasse uma "caneta" e perguntasse: 0 que é Isto?, vocé diria: € uma caneta! Parece Obvio, mas se eu tocasse no piano algumas notas ¢ pedisse para identificé-las apenas auditivamente, seria to dbvio assim? Na grande maioria dos casos n&o, mas por que isso acontece? Estamos acostumados a prestar mais atenc&o nas coisas que vemos do Que nas coisas que ouvimos. Pesquisas mostram que nos lembramos de 50% do que vemos @ apenas 10% do que ouvimos, o que significa que 0 som & relegado a uma Posig&o inferior & da vistio, em termos de percepcdo. © som do acorde nao é visivel ‘como a caneta, € ndo possui massa. Certamente, mesmo de olhos fechados, apalpando @ caneta, poderiamos reconhecer 0 objeto. Para desequilibrar de vez o ranking das ercepedes, devemos acrescentar a dessensibilizagio audiliva ocasionalmente pela excessiva exposigdo de nossos ouvides ao “ruido urbano", que faz com que criemos um fro de ruidos, que aumenta ainda mais nossa dificuldade de perceber sons. A matéria- -prima dos miisicos & 0 som e, portanto, temos obrigago de reverter esse processo de dessensibilizacao, reaprendendo a “ouvir’, reaproximando-nos dele para que possa Feapresentar sempre a expresso real de nossa sensibilidado. Estagios da Percepgao Podemos dividir a habilidade de ouvir em quatro estagios: 1. Existem individuos que no conseguem ouvir devido a problemas fisicos ( surdez ), ou psicolégices ( incapacidade de ouvir sons ). 2, Outros ouvem, mas no conseguem memorizar os sons e, Conseqientemente, apresentam dificuldades para cantar afinado, 3. Ha aqueles que ouvem, memorizam e reproduzem 0 que ouviram como se fossem gravadores. 4, Por iiltimo, temos aqueles que ouvem, memorizam e reproduzem um ‘som, além de conseguirem entendé-lo musicalmente. Esses estigios sto individuais e a mesma pessoa pade apresentar estagios diferentes para conceitos musicais diferentes ( por exemplo, ouvir e entender musicalmente todos os intervalos e no conseguir reconhecer o timbre de um instrumento musical Aprendendo a Cantar 85 Estudando e Desenvolvendo sua Percepgao. \Vocé consegue acompanhar uma musica estalando os dedos na pulsagéo correta? Consegue cantar um melodia afinada com o cantor? Lembra-se com faciidade de melodias? Diferencia todos os instrumentos de uma misica? Se a maioria das respostas foi NAO é bom vocé prestar atenodo nas sugestbes que apresentarei a seguir Utilize seus instrumentos mais préximos: a voz, as mBos, os pés © 0 corpo em geral. Cantar ajuda a meméria auditiva e bater os pés ou as méos e estalar os dedos melhora sua preciso ritmica e a execucdo no tempo. Faca exercicios de leitura cantando, estalando os dedos e exercicios com ditados (ouga 0s exercicio do Cd e tente escrever as notas num papel, por exemplo.) Nao dedique menos tempo de estudo a percepodo do que a técnica vocal. ‘Ouga muita masica e tente tirar misicas ou solos, pois so étimos exercicios também. Nenhum método de ensino musical é completo sem o esludo da percepgdo musical. Dirijo-me principalmente aos cantores, mas todos os principios aqui apresentados podem ser utlizados por quaisquer instrumentistas ou apreciadores de musica, ‘A Musicalizagao infantil é fundamental, pois exige muito da percepgao, em um momento no qual a crianga assimila tudo com inorivel faclidade, sendo de grande valia na idade adulta. Se vocé tem filhos, cante os exercicios j4 propostos nos ditimos capitulos, pois as criangas, como mencionado, tém muita faclidade de memorizacdo auditiva Caso voce se considere detentor de um ouvido HORROROSO, acalme-se, pois hoje, devido ao avango da Pedagogia Musical, conseguimos resultados impressionantes, basta ter FORCA DE VONTADE e PERSISTENCIAI!! Mareelo Dantas Fagundes 86 Técnicas para o uso de microfones Coloco aqui algumas dicas para um melhor uso do microfone, vale lembrar a importancia de ser um bom equipamento, um bom microfone, caixas de retomno, para que vocé ouga claramente a sua voz, eles serao sempre empregados quando se canta com instrumentos eletronicos, uma banda ou até mesmo quando a sua apresentacdo ‘serd num local grande, Toma-se necessério o uso desses equipamentos para ndo forgar seu aparelho fonador. ‘Observe atentamente as minhas instrugdes. 1) Esta 6 a posicdo aconselhével que se deve ter a0 segurar um microfone, 0 som quando emitido se projeta numa curva descendente (para baixo), desta forma segura-se 0 microfone nesta posigdo para que sua captacao seja completa e no cubra seu rosto, 2) Um estilo musical que exige um volume vocal. maior, por exemplo um Rock-and-Roll, necessita que se aproxime mais 0 microfone da boca. Muito cuidado com consoante “P” e “B". Dependendo da intensidade que cantar as palavras com tais consoantes poderé ocorrer um barulho indesejavel com um estouro, um *pufffP. Assim aconselho, quando for emitictais consoantes, que abaixe 0 microfone deixando passar sobre ele as palavras que podertio provocar algum ruido. Pode-se também Virar um pouco 0 rosto para um dos lados fazendo com que a forga destas consoantes fique enfraquecida, como na foto. Aprendendo a Cantar 87 3) Durante o estudo da técnica vocal procuramos o equilibrio durante os exercicios de escala, por exemplo, fazendo com que notas graves, médias © agudas tenham a mesma intensidade, volume e briho vocal, isto 6, um trabalho que exige muito treino e bastante persisténcia, Naturalmente ¢ normal termos mais volume nas notas agudas que nas graves, assim sugiro que quando vooé for cantar com um microfone, afaste-o um Pouco nas notas agudas, no maximo uns cinco centimetros, com muita atengao para no afastar muito. 4) Nas notas graves, faga 0 oposto, aproxime mais o microfone da boca, Marcelo Dantas Fagundes 88 Teoria Musical Continuagao Figuras de Notas Nas ligBes anteriores, pudemos observar que, quando cantamos as notas musicals, estas sao emitidas durante um espago de tempo determinado pelo ritmo. No capitulo anterior, cantamos notas de durac&o igual a 1 tempo, uma batida ritmica. No entanto, a misica existe para trabalhar exatamente com a mudanga de altura, com notas musicais diferentes e com a duragao de cada nota. A partir desses dados, concluimos que na misica podemos ter notas com diferentes duragdes de tempo, Para esorevermos na pauta 0 tempo de duracao das notas, usamos as FIGURAS de NOTAS, cada figura representa um valor de tempo, sendo as mais usadas as seguintes © SEMIBREVE J MINIMA J SEMINIMA db COLCHEIA Todas as figuras a partir da SEMIBREVE, que é a nota de duracdo mais longa, terdo sempre metade da duragdo da anterior. Vejamos: Aprendendo a Camar 89 SEMIBREVE- figura de nota que representa um valor inteiro (1/1), 6 a nota mais longa. Podemos determinar que a SEMIBREVE durara, por exemplo, 4 tempos. ry my MINIMA - € a figura que tem seu valor igual & metade do valor da SEMIBREVE (1/2), seguindo 0 exemplo abaixo, a MINIMA duraré 2 tempos, SEMINIMA - 6 a figura que tem seu valor igual 4 metade do valor da MINIMA (1/4), Seguindo 0 exemplo abeixo, a SEMINIMA durard 1 tempo. COLCHEIA - 6 a figura que tem seu valor igual a metade do valor da ‘SEMINIMA (1/8), seguindo 0 exemplo abaixo, a COLCHEIA duraré 1/2 tempo, ‘Quando temos duas ou mais figuras de COLCHEIAS, podemos escrevé-las de forma agrupada, o que ndo difere em nada da outra forma, Ateng&o II! Existe uma organizagdo que deve ser respeitada quando colocamos figuras de notas na pauta Marcelo Dantas Fagundes 90 - Até a 2* linha, as hastes devem posicionar-se a direita da nota ¢ para cima, = Da 4* linha em diante, a esquerda e para baixo. = Na 38 linha, podemos utilizar a primeira ou a segunda opeao. Observe no exemplo ao lado a disposicao das hastes entre as jiferentes notas. Exercicios. Como no exemplo, coloque o nome da nota, o nome da figura de nota e 0 tempo de duragao, dé ps D f = o— 6 . = =s = = Fa — —eo Ps —— ” ° ca T f. - — f sto ot : 7 Aprendendo a Cantar 9 Marcelo Dantas Fagundes 2 Aprendendo a Cantar %3 Exercic CP) vomase - Cante as notas abaixo, respeitando os tempos marcados em cada nota, ~ como na primeira pauta. s Vocais Db 1 n m4 wt 1 Marcelo Dontas Fags ‘Como no exercicio anterior, cante as notas junto com a gravacdo, respeite a virgula acima dos compassos. ‘A fungo da virgula na musica é a mesma que na escrita convencional da lingua portuguesa, ou seja, serve para avisar o local exato onde se deve respirar. Dé-se, enféio, uma pequena pausa (quebra) no andamento da musica e respira-se rapidamente. eee ee ee eee ee 9 ’ 6 . : ‘ee . —F me 1 to. aaid nM aa ae o ee ° 1 1 2 1234 Aprendendo a Cantar 98 VOCE SABLA?I272 Que a primeira gravagéo musical feita no Brasil foi em 1902 da misica Isto 6 Bom, de Xisto Bahia, esta foi gravada na Casa Edson, do senhor Frederico Figner, no Rio de Janeiro. Para gravar os antigos discos de cera, 0 primeiro tipo de gravagao ‘mecénica, cantores brasileiros como Vicente Celestino, Aracy Cortes precisavam de um volume vocal muito grande para que se pudesse imprimir suas vozes nesses discos. SO a partir de 1927 com o advento da gravacao elétrica é que fol possivel a gravacao de cantores com um volume vocal pequeno, gracas aos avangos tecnolégicos, assim pudemos conhecer vozes de pequeno volume, no entanto, de muita beleza. =f MUSICA Faixas2 ‘ ® RONDA - Paulo Vanzolini. D tt de ‘dad Dessa busca iniitil, eu nao desistia De nolle eu rondo a citade Porém com petit pacencia Sear eeu cucoita! ‘Sigo a te buscar, hei de encontrar Re ici Ge Oates copia Bebendo com outras mulheres Em todos os bares vacé nao esta Volo pra casa abatda, desencartada da vide Se a © sorho,alegta me da, neo voce Rolando dadinto,jogando An’ so ou tvesse quem bem me ausesse aaa Esse alguém me diria desiste Cena de sangue num bar da ‘Avenida S80 Jodo Marcelo Dantas Fagundes 96 Contetido do Capitulo 8 Neste capitulo comegaremos a entender 0 que é masica, Na area da teoria musical, daremos um grande avanco, estudando a Formula de Compasso (0 que define a quantidade de tempos em cada compasso musical ) Apresentarel, também, varios exercicios para vozes masculinas e femininas e ainda 4 cangées populares (duas para cada voz), para o seu completo desenvolvimento, eH O que é Masica Tenho certeza de que todos tém uma idéia do que 6 misica ou, pelo menos, 0 que ela expressa. NAo existe uma unanimidade musical, 0 que para alguns é misica, para outros poderd ser apenas uma confusdo sonora. Através da histéria, todo ipo de novidade musical era saudada com a expresso: Isso nao & misical!! Tal expressdo foi dita as misicas de Bach no século XVIII, as miisicas de Stravinski no século XX e ainda é dita pelos apreciadores da musica erudita em relacdo A miisica popular e vice-versa. Com isso, observamos a existéncia de varias tendéncias musicais e no de uma s6 arte musical. No mesmo dicionério que define o que é um mtisico encontramos a seguinte definico para a musica, como arte: "E uma das mais belas artes, que esta relacionada com a combina¢ao de sons do ponto de vista da beleza, da forma e da expresso do pensamento e da emogéo." No me contento com essa definig&o, pois confere a um ‘simples som a possibilidade de ser considerado musica. Qualquer pega musical, desde uma simples cangao de ninar com uma pequena duracdo, até uma sinfonia de mais de uma hora, € um organismo vivo, pois nasce do siléncio, cresce com o tempo e finalmente morre com um acorde triunfante ou simplesmente sumindo-se gradativamente, Assim como um organismo vivo, nunca existiré uma pega musical igual a outra e sua execucéo também sera diferente dependendo exclusivamente da pericia e da personalidade dos intérpretes, Diante de tal complexidade ¢ impossivel voltar ao tempo em que a misica surgiu, nem mesmo entre os especialistas hd um acordo acerca de suas origens. Uns defendem que ela comegou com 0 canto, outros que ela surgiu dos tambores que marcavam o ritmo para as dangas que, acreditavam eles, pudessem aumentar suas cacas e colheitas. No entanto, é certo que se tratava de uma atividade primitiva que envolvia toda a familia ou tribo. Hoje em dia, pensamos que a musica deve Aprendendo a Cantar 97 ser encarada simplesmente como diverlimento, como forma de relaxar apés um dia intenso (uma atitude relativamente recente na histéria da misica ). Os antigos gregos acreditavam que certas escalas ou modos enfraqueciam 0 homem, enquanto outras 0 preparavam para o combate. Simpies ou complexas, as pessoas criam e ouvem miisica porque a amam; Beethoven, no inicio da sua Missa Solene, escreveu: "Do corago veio ao coragéo se dirige, 6 este o vercadeiro significado da misica” ‘Atualmente, somos bombardeados por sons musioais vindos de todas as diregSes. Estéo nos radios, cassetes e discos, vindos de todas as diregbes. Seja qual for 6 tipo de musica torna-se impossivel escaparmos dela. Essa tendéncia é criticada por Uns e defendida por outros; alguns acreditam que a exposigéo permanente a ela poderd diminuir a capacidade seletiva, No entanto, 0 oérebro humano é capaz de eliminar aquilo fem que nao pretende prestar atengSo, isso também ocorreré com a miisica. A meu ver, @ oportunidade de ouvir toda e qualquer misica traz mais probabilidades de despertar uma maior seletividade, levando o ouvinte a procurar aquilo de que gosta, experimentando fejeitando aquele ou este tipo de miisica e acaba se tornando capaz de desenvolver 0 ‘seu interesse A medida em que 0 vai descobrindo. ‘A miisica de hoje € canalizada por empresas fonogréficas, gravadoras, emissoras de televistio, radios, etc., sendo uma reminiscéncia daquela espécie de miisica suave © caima que reis e siiditos ouviam durante suas refeicdes. Devido a sociedade de entéo, poucos podiam apreciar esse tipo de masica, o restante tinha de se contentar com prociss6es e festas nas cidades, onde 0s miisicos se exibiam tocando a séria misica de igreja, ou com a masica de danga dos tocadores ambulantes. No século XVIII, surgiram os concertos péblicos muito cares e com um rnamero limitado de telespectadores que conseguiam assistlos. A tinica forma que a maioria das pessoas tinha para ouvir masica era tocando-as em casa e apenas no século XIX 6 que se deu a construgo de salas maiores para concertos, oferecendo um maior acesso a miisica por parte das pessoas. Hoje em dia, essas dificuldades ndo existem. Pode-se apreciar um concerto de sua propria casa através do radio ou da televiséo, cabendo a vocé estar apto a distinguir a boa ou a mé qualidade de uma miisica. TEORIA MUSICAL Continuagéo Formula de Compasso ‘Antes de escrever uma partitura 6 necessario informar ao executante como se dard a divis&o ritmica da miisica e essa informagdo deve conter : 41) A quantidade de batidas por compasso; 2)A figura de nota que representara cada batida. Dessa forma, colocamos entfio dois nimeros no inicio da pauta que representam essas informagSes, € a Formula de Compasso. Por exemplo: Se uma determinada miisica possui uma pulsagio de 3 batidas por compasso e cada batida seré representada por uma SEMINIMA, teremos que informar 0 seguinte: Marcelo Dantas Fagundes 98 ‘A miisica teré 3 batidas por compasso = 3 SEMINIMAS. Cada batida terd o valor de uma SEMINIMA, ou seja, tera um valor igual a 1 tempo, por ser a SEMINIMA a quarta parte da SEMIBREVE. Teremos entéo uma Férmula de compasso 3 por 4. © Numerador, néimero superior, representa a quantidade de batidas por ‘compasso. © denominador, nimero inferior, representa o valor de cada batida de tempo, sendo este referido as figuras de notas divisivels a partir da SEMIBREVE: ‘A definicdo da formula de compasso é muito importante. E através dela que cada compasso fica limitado @ uma quantidade de batidas proporcionais, o que facilta a leitura e o estudo da partitura. Sendo assim, devemos verificar, antes da execugao de uma masica, sua férmula de compasso. 'A maioria das partituras populares so escritas com os valores de base 4, ou seja, so formulas de compasso 2 por 4, 3 por 4 @ 4 por 4, 0 que na pratica faz com que a figura da SEMINIMA tenha a duracéo de uma batida, embora existam outras formulas. Por enquanto usaremos apenas férmulas com valor base igual a 4. ‘Sabendo que uma batida 6 igual a uma SEMINIMA ( que tem valor de 1/4 da SEMIBREVE ), podemos concluir que para temos uma nota que dure por duas batidas, temos que escrever uma Minima que é igual a soma de duas SEMINIMAS; por sua vez uma nota que dure por 4 batidas sera igual a SEMIBREVE. A colcheia tera entao sseU valor igual metade da SEMINIMA . Observe 0 quadro da diviséo proporcional nas figuras de notas: o=ii J=1/2 1/4 d= 118 Como j& mencionado, a SEMIBREVE é 0 inteiro 1/1, a MINIMA 1/2 da SEMIBREVE, a SEMINIMA é 1/2 da SEMIBREVE e a COLCHEIA 6 1/8 da SEMIBREVE. Observe a divisto do compasso nas diferentes formulas abaixo: Os ndimeros abaixo da pauta indicam a posigao de cada batida, procure tocar esse exemplo contando mentalmente os tempos (batidas). No caso das COLCHEIAS, devemos contar um "E” entre cada batida. COMPASSO BINARIO = 2 tempos por compasso COMPASSO TERNARIO = 3 tempos por compasso f=] as oe er 2 3 zese te? 3 Aprendendo a Cantar 99 COMPASSO QUATERNARIO = 4 tempos por compasso 1203 4 2 En leresede nm No compasso quatemério, podemos representé-lo com a frago 4/4 ou com um °C" logo apés a clave. Exercicios: Vamos exercitar agora os conceitos de formula de compasso. Teremos apenas compassos binarios, terndrios e quatemdrios. Coloque qualquer nota respeitando o limite de tempos de cada compasso, nao ultrapassando esse limite na soma _geral dos tempos dentro do compasso. Observe a tabela com os tempos das Figuras de Notas com compassos de denominador (niimero de baixo) 4. tempo o % tempo o=4tempos d=2 tempos J Marcelo Damas Fagundes 100 Exercicios Praticos Todos 0s exercicio devem ser feitos muitas vezes, utlize a fungdo REPEAT ou Repete de seu aparelho de CD e cante o mesmo exercicio intimeras vezes. 4) Cante com nome de nota. 2) Cante com a vogal "AAA. 3) Crie uma frase para cada exercicio, observando a acentuagao de cada som. 4). Verifique no inicio do exercicio a que voz ele & indicado, masculina ou feminina FAIXA 53 - Para Vozes masculinas e femininas Aprendendo a Camar 101 FAIXA 65 - Para vozes masculinas. FAIXA 56 - Para vozes femininas. Marcelo Dantas Fagundes 102 @ FAIXA §7 - Para vozes femininas. Ge x VOCE SABLA? Que com a delicadeza da batidinna de sua batuta (pequena varinha segurada pela méo direita) 0 maestro chama a atencao dos musicos de sua orquestra. Ele levanta os bracos, e dé-se o inicio de uma sinfonia, explodindo elementos sonoros. O maestro 6 quem conduz o movimento desta misica, em geral com a mao direita, e com a esquerda sinaliza a entrada de cada instrumento ao seu tempo @ ainda modifica o caréter sonoro da peca, “brincando” com os recursos disponivels de timbre, volume, intensidade. Com um dos olhos segue a partitura ( musica escrita) e com 0 outro domina toda a orquestra. Tudo isso s6 6 possivel gragas a anos de estudo da partitura, da miisica ¢ de todos os seus elementos e meses de ensaios com a orquestra para uma completa © bem-sucedida apresentagéo, Aprendendo a Cantar 103 & MUSICA FAIXA 58 —_Vozes mascuinas Mineirinho ( S6 Pra Contrariar ). Eu nao tenho culps B | De comer quietinho 1 | Nomeu cantinho boto pra quebrar | bevoaminha vida Bem do meu jeitinno Sou de fazer, nao sou de falar Quer saber (© que tenho pra the dar Vai fazer vocé delirar Tem sabor De queijo com docinho ‘Oh! meu benzinho vocé vai gostar E t80 maneiro, ual B | E bom demais | Nao tem como duvider O meu tempero, ua S| mineiro faz Quem provar se amarrar B | Val vai Nao tem como duvidar Faz, faz s ‘Quem provar se amarrar & MUSICA FAIXA 59 Vozes femininas MENINA - Paulo Nogueira Menina Que um dia eu conhieci crianga Me aparece assim dle repente Linda, virou mulher Menina ‘Como pude te amar agora Te carreguei no colo menina Cantei pré te dormir Te carreguei no colo menina Cantei pra ti dormir ‘Marcelo Dantas Fagundes Lembro a menina feia Tao acanhada de pés no cho Hoje, maliciosa, Guarda um segredo em seu coragio Seu coragao Menina Que tantas vezes fiz chorar Achando graca quando ela dizia Quando crescer vou casar com voce 104 Contetido do Capitulo 9 Neste capitulo, compreenderemos 0 Semitom, 0 Tom e as alteragSes possiveis na altura da nota: os Sustenidos, 0 Bemol e 0 Bequadro. Vamos exercitar a entoagao das notas alteradas em exercicios de escalas com acidentes (alteragées na altura), TEORIA MUSICAL continuagao SEMITOM, TOM e SINAIS de ALTERAGAO SEMITOM ou MEIO-TOM é a menor distancia entre dois sons, duas notas, na miisica ocidental (no sistema temperado). Abreviarei “S" para semitom e “T” para TOM. © menor intervalo entre dois sons é, na verdade, a diferenca de vibragdes que um som tem do outro. Por exemplo: um som com setenta vibragdes sera ouvido de forma diferente de um outro de setenta e uma vibracSes por segundo. O sistema musical ‘ocidental utiliza somente uma selecao semitonal dos sons existentes. Algumas culturas orientais (aponesa, hebraica, chinesa, drabe, indiana, etc.) utiizam em seu sistema musical frag6es menores que um semitom (um quarto de tom, um itavo de tom, etc.) O SISTEMA NATURAL Fundamentado em célculos actisticos, define com preciséio 0 numero de vibragbes para cada nota @ as relagdes entre elas.” * Por exemplo, Sistema de Zarlino, Sistema de Pythagoras. Aprendendo.a Cantar 105 O SISTEMA TEMPERADO. Neste sistema igualam-se os semitons em partes perfeitamente iguais. Tem- -se 0 abandono da perfeigao da afinao&o absoluta no sistema natural em favor do uso do sistema cromético, assim, a escala temperada consiste na diviséo da citava em doze semitons iguais, © primeiro tratado sobre 0 temperamento € de autoria do organista Andreas Werckmeister e foi publicado em 1691. John Sebastian Bach reconheceu as vantagens do sistema temperado e consagrou-o na famosa colegdo de quarenta e oito Preludios e fugas"* "0 Cravo Bem Temperado™ Instrumentos Temperados: séo aqueles de afinagSo fixa como o piano, 0 6rg20, 0 teclado, etc., que produzem as notas da escala temperada. Instrumentos nao Temperados: sao instrumentos que nao tém sons fixos como 0 violino, o trombone, 0 canto, etc., produzindo as notas da escala natural O sistema natural € mais afinado, mas bastante complexo, © sistema temperado, por sua vez, ¢ menos afinado, porém mais pratico. Os instrumentos n&o temperados devem combinar os dois sistemas, tocando naturalmente quando a harmonia permite © temperadamente quando acompanhados por um instrumento temperado. Para um cantor, aconselho a manter sempre a afinagao de um instrumento temperado, seré menos arriscado. Quando executar uma misica, “A Capela"™, por exemplo, poderd usar o sistema natural TOM e SEMITOM © SEMITOM, como mencionado, é a menor distancia entre dois sons para a misica ocidental e Tom ¢ 0 mesmo que dois semitons. Na escala maior, j4 cantada indmeras vezes por vocé, existem dois semitons pré-determinados, entre o Mi-Fé e entre © S-DS, Visiveis no teclado, Por exemplo: SEMITOM SEMITOM Num teclado de piano, érg&o ou sintetizadores, as notas imediatamente Vizinhas estéo separadas por um semitom. De uma nota branca a outra, teremos onto um Tom, com a excegao do Mi-Fa e do SI-D6. 'S Prelidio = Pega musical que precede outra qualquer, 0 primeiro andamento de uma suite, introdugao orquestral de uma 6pera ou ainda uma pequena pega auténoma para piano, como as de Chopin, Debussy, ete "* Fuga:= tipo de composicao para um nimero determinado de partes (vozes), Na Fuga, as vozes aparecem sucessivamente imitando-se entre si, a partir da primeira que introduz uma melodia ow frase curta a que se chama de “tema” A capella= ou Alla Capella = Estilo de igreja, no acompanhado por trumento musical, apenas cantado Marcelo Dantas Fagundes 106 DO RE MI FA SOLLA si DO RE Mi FA SOL LA si 00 ACIDENTES ou ALTERAGOES E um sinal gréfico que, colocado diante (antes) da nota, altera sua altura, sua entoagao. Alteraco Ascendente: Sustenido (#) Eleva a altura da nota natural em um semitom (ou meio tom) Ouga atentamente os exemplos abaixo. FAIXA 60 0 Es © DinatwralDOSustenido Sotgaturat RA Sestenido Lavatural— LaSuatnido o Rénatural "RE Sustenido Alteragao Descendente: Bemol b Abaixa a nota natural em um semitom (meio tom). ‘Ouga atentamente os exemplos abaixo. FAIXA 61 O t= ‘© Uheatural LiDemol Sivaturai SiBsawl —“Réitewol”Dinatoral Sel watural Ld Bemot 3 Aprendendo a Cantar 107 Alteragéo Varidvel: Bequadro (y) Anula o efeito dos demais acidentes, tornando a nota natural. ‘Ouga atentamente os exemplos absixo. FAIXA 62 Observe o esquema abaixo: po ral SUBemal Staats As notas pretas de um teclado poderdo receber dois nomes diferentes: Nota Bemol ¢ Nota SUSTENIDA, por exemplo: © Mib é igual ao RE#, so dados nomes diferentes para o mesmo som, a mesma altura Observe RED MIbFAb SOLb Lab SibOOb RED MIDFAD SOLb LAb SibDsb Com BEMOIS. DOH REX _MiFFAY SOLW LAF SI#DO# RE® MINFA® SOL# LAY Sif Com SUSTENIDOS Dd RE Mi FA SOLLA si DO RE Mi FA SOL LA si DO SINAIS de ALTERAGAO na PAUTA Para representar os sinais de alteragdo na pauta, seguimos as seguintes 4) Colocar o acidente sempre antes da nota quando se tratar de uma nota de linha, 0 acidente sera também desenhado na linha a frente da nota. Quando se tratar de uma nota de espaco, 0 acidente sera desenhado: f , a — SS bs : : Marcelo Dantas Fagundes 108 2) Quando temos uma nota acidentada, bemol ou sustenido, este acidente terd a validade também para a nota de mesma altura num mesmo ‘compasso, sem a necessidade de repetir 0 sinal de alteragao, la RR RELA DoH La Sob OH o fo ‘Nio precisa repetir Precisa repetir 0 ‘Nao precisa ‘os acidentes| “o" repetir o acidente EXERCICIOS Apresentarei alguns exercicios para entoar as notas com os acidentes devidamente grafados. ‘Atencio: Quando cantarmos, por exemplo um Déit, no falaremos D6 sustenido, simplesmente cantaremos a nota Dé, falando Dé entoando-a sustenidamente, ou seja, com um semitom acima do D6 natural ‘Com 0 tempo e o exercicio continuo, tudo isso Ihe sera muito mais familiar No entanto, nesta colecao dou prioridade & teoria musical basica, elementar para 0 seu desenvolvimento. Aconselho-o a adquirir algum livro de Teoria Musical’ no qual encontrara todo 0 conhecimento musical Muita ateng&o! Sao exercicios mel6dicos simples e curtos e devem ser cantados intimeras vezes, com nome de nota e depois com alguma vogal. Por exemplo: “AAAA’, “EEEEEE” ¢ etc. Estes exercicios so muito importantes para a afinagdo vocal e principalmente para a Percepgdo Musical. Depois de exercitado, apenas ouca cada FAIXA de seu CD e tente escrever as notas que ouvir. No inicio 6 um pouco dificil, mas com dedicagao tenho certeza de que ird conseguir, vai se tomar um cantor profissional ‘com conhecimentos musicals e ainda tera uma percep¢do auditiva privilegiada. Q cans vs mina f h * = oy i re © Existem no mercado virios livros de Teoria Musical, se necessi Editora Musical Lida, que podera the sugerir algum. entre em contato com a Keyboard Aprendendo a Cantar 109 FAIXA 64 - Vozes masculinas « @ FAIXA 65 ~ Vozes femininas Ss FAIXA 66 - Vozes femininas FAIXA 67 - Vozes masculinas Este exercicio é bastante comum a pritica do canto, Ouga atentamente o exercicio todo. Cante com a gravagéio com a boca fechada fazendo apenas o som “hum. Canto com as vogais a, ¢, i, 0, u, quantas vezes achar necessArio, Beethoven 5 Sin Marcelo Dantas Ragundes 10 FAIXA 69 - Vozes masculinas Aguas de Margo Tom J. ° © Cha + crivnla uh boetan-do pri que ~ bra @ FAIXA 71 - Vozes femininas ed == © Cayo bri-gou coma Ro a FAIXA 72 - Vozes femininas A+ t-wio pum g-w-t FAIXA 73 - Vozes femininas ore Ji po = dois da Pé-tin fi - Thos Aprendendo a Cantar m1