Você está na página 1de 20
F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ere DEMATO GROSSO. 4) Como a SECID fard para cumprir com suas obrigagdes (desapropriagées, liberagao do local com a remos&o dos usuarios dos iméveis, a demolicao e completa limpeza do terreno, etc.) para possibilitar a0 Consorcio abrir frentes de servicos de forma a viabilizar a realizaco dos servicos em triturnos? €).A, SECID Ja possui planejamento para preparardo de equine para préoperacso do NT? f) Ao se adotar um cronograma fisico de 19 meses de projeto, sob a elegagdo de estar observando ‘ato grau de paralalismo entre as atividades, conforme previsto na proposia origina”, nao estaria se repetindo possiveis erros cometidos no planejamento inicial da obra? Prosseguindo, a Nota Técnica refere que no Relatorio de Auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE) n° 011/2017 foi verificada pouca referéncia sobre a exequibilidade do cronograma fisico, seja 0 de 19 meses proposto no relatério de auditoria da KPMG ou de 24 meses proposto no termo de acordo de autocomposigio para continuidade das obras do VLT. Impende destacar que o préprio Relatério de Auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE) n° 011/2017, conforme destacado pela CGU, “lece crificas com relagio aos possiveis desdobramentos proporcionados por empreendimentos geridos com pouco plancjamento”. Apés isso, a CGU, visando firmar convicgdo quanto A necessidade de maior planejamento para 0 reinicio das obras do VLT, destaca alguns trechos das conclusées insertas no Relatério de Auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE) n® 11/2017, os quais preocupam-se com a possibilidade de descumprimento do cronograma. Adiante: “Observando a experiéncia do Contrato n° 037/2012/SECOPA, verifica-se que no ardor de implantar um empreendimento de engenharia de tamanha envergadura © complexidade, ¢ sem 0 devido planejamento ¢ acompanhamentos necessarios, evidenciou-se um conjunto de falhas vivenciado por diversos atores participantes do processo, de ambos os lados. Nesses casos de baixo planejamento, t8m-se como efeito colateral a potencializacao da minimizagao dos beneficics esperados pela sociedade, e uma maximizagio dos custos e problemas que necessitam serem saneados. No caso em tela, 0 seu apice foi atingido com a paralisagao das obras e a indefinigao do seu futuro. Neste ponto, convém difundir que uma obra parada, principalmente com as particularidades inerentes deste contrato em anilise, é de se trazer a teboque, custos e conseqiiéncias indigestas que se avolumam com 0 passar do tempo. A titulo de exemplificagdo, tem-se a depreciacao e o custo de ‘Ministerio Pablico Pedera - Procuradoria da Repabliea em Mato Grosso ‘Run Estevdo de Mendongs, 830 (esq =) Av. Geulio Vargas) ~ Ed. Green Tower ~ Baio Quilombo -CuiabaMT ‘CEP: 740434405 - Fone(63}90125000Fax(69}3612-500) BBA pagina Side 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Mactetre ati Hotere DE MATO GROSSO manutengio dos equipamentos (instalados e/ou guardados), obras concluidas e sem utilizagdo (Ex.: viaduto do aeroporto) e outras parcialmente executadas. A seguir, ainda quanto ao cronograma, a CGU destaca 0 Relatério de Fiscalizagio da Controladoria Geral da Unio (CGU) n* 201314802. Com telagio & fiscalizagao acima apontada, a CCU realga as constatagdes ali levadas a efeito, em especial quanto ao descumprimento, por parte do CONSORCIO VET, do regime triturno estipulado em contrato, o que teria influenciado no descompasso observado na evolugao fisica das obras. Além disso, ainda no bojo do Relatério de Fiscalizacéo da Controladoria Geral da Unio (CGU) n® 201314802, a CGU destaca que lé consta que “o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso - TCE/MT, em seu 7° Relatério Extruordindrio das Obras da Copa, jd aponta um descompasso entre os servicas metidos (37,98%) ¢ 0 que foi estabelecido contratualmente para o periodo (68,99%)". Doexame dos excertosdo Relatério de Fiscalizagao da Controladoria Geral da Unido (CGU) n® 201314802 destacados na Nota Técnica da CGU, pode-se facilmente vislumbrar que, sendo tocada como estava sendo a obra, e diante do comportamento de ambas as partes, desde ali jé havia a previsdo que nao havia chances de sucesso. Entao, mais que meramente acertar-se Minuta de Acordo na qual, nos termos de sua clausula 34, fique estipulado que havera o “restabelecimento das condigdes editalicias originais do contrato”, ha que se aprimorar as disposigdes da Minuta de Acordo com vistas a afastar as possibilidades de repetigao de erros quanto ao cumprimento das obras no cronograma proposto. No mais quanto ao tema, reportamo-hos as consideragves levadas a efeito pela CGU em remissio as consiatagies do Relatério de Fiscalizagao da Controladoria Geral da Unido (CGU) n‘ 201314802, Ministério Pablico Federal -Procuradoria da Repiilieaem Mato Grosso Rus Estovto de MenJong, 830 (esq e/ Av. Geto, Varzas) ~ Ed. Green Tower ~ Burro Quilombo ~CulabiMT ‘CEP: 78043-403 - Fore(65)8612-S000FaN(65)3612-S00) BBA pig S2de 70, F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO cent nan DE MATO GROSSO IV) Avaliacio de riscos: Auséncia de detalhada Matriz de Riscos Revisitando algumas temas jé discorrides na peca técnica, desta feita sob a luz da auséncia de Matriz de Riscos detalhada, a CGU assevera que 0 documento “Proposta Técnica do Consércio VLT” assim prevé: | “No que diz respeito as desapropriagées cabera ao contratado a elaboracao do | Projeto de Desapropriagio com a localizagéo geografica e as areas de atingimento das propriedades particulares, definidas a partir do Projeto Geométrico, Todo 0 proceso de desapropriacao, incluindo 0 levantamento cadastral e laudo de desapropriagio sera realizado pelo Governo do Estado de Mato Grosso através da SECOPA. O pressuposto é que a implantacdo de um | novo e moderno sistema de transporte tenha étima receptividade do ptiblico e © prevalecimento do interesse deste, de modo que as desapropriagdes ocorram em compasso ao desenvolvimento dos trabalhos.” Em anilise do trecho em destaque, a CGU arremata: 62, _Nesse trecho, © Consércio VLT avalia que o retardamento nas desapropriacdes podera atetar o desenvolvimento normal dos trabaihos de implantacdo da via metro-ferroviaria, entretanto, avalia, de forma equivocada, que a boa receptividade pelo publico de um novo e modemo sistema de transporte seja fator determinante para que as desapropriagbes ocorram em compasso ao desenvolvimento dos traballhos. 63, _No entanto, além de pouco técnica, essa justificativa apenas reforca um grave problema que ja foi relataco pela CGU em seu relatorio. a auséncia de uma matriz de riscos adequada, com detalhamento suficiente, que identifique os riscos de todo o empreendimento e estabeleca as responsabilidades de cada Parte envolvida no proceso. Consideracdes finais da CGU Ao fim, a CGU aponta categoricamente os valores apresentados na Proposta que carecem de comprovagéo documental, circunstdncia que, por dbvia, impede que tais montantes integrem a proposta de Acordo: 65. Com relacao aos valores envolvidos, existem R$ 269.071.095,94 que dependem de comprovacio documental a saber: a) reajustamento ~ R$ 65.438.056,06; b) variacao cambial ~ R$ 91.174.210,27; c) andamento anormal - R$ 53.311.107,93; “Misistério Paiico Federal - Procuradoris da Kepablica em Mato Grosso RuaEstevto de Mendonga, 830 (sq. Av. Geto Varas) ~ Ed, Green Tower ~ Bairo Ouilombo —Cuiabi/MT ‘CEP, 78.041-405-~ Fone(63)9612-S000/Tax{63)3612-3000. BRA pagina 53 de 70 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Sat Ri ret DE MATO GROSSO d) prorrogagao de prazo R$ 23,301.046,76; ¢ ©) custo de manutengao ~ R$ 35.846.674,92. Destaca também auséncia de meméria de céleulo com indicagao de base de cAleulo e indices utilizados quanto a variagdo percentual de -atualizagdo financeira referente aos anos de 2015 ¢ 2016. Assim como ja apontado no trabalho pericial do MPE, aponta a equivocidade a demandar andlise juridica quanto ao valor do reequilibrio econémico- financeiro, sugerido pela KPMG em R§ 144,296.527,12, tendo em vista a execucio do. contrato em 74%, exigindo, em tese, ‘para a conchusdo das obras, menos esforgos com. mobilizagao de pessoal e equipamentos, menores canteiros e menores custos gerenciais. No ponto, conforme ja destacado na anélise do trabalho pericial do MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL, a pretensao ¢ fatica e juridicamente descabida, uma vez que importa em enriquecimento ilfcito. No mais, reportamo-nos as consideragoes ali externadas, Destaca-se, ainda, em conclusdes: 70, Permanece a escassez de estudos sobre a viabilidade tecnica, ‘econémico-financeira e tarifaria da implementaco de um sistema de VLT em Cuiaba - Varzea Grende, 71. No tocante as desapropriagdes e ao cronograma fisico para o término das obras do VLT, verifica-se que so inimeros os questionamentos ainda sem respostas 72. — Ressalte-se que, com vistas a nao repetir os mesmos eros no planejamento inicial da obre, toma-se imprescindivel a elaboragdo de uma nova matriz de riscos detalhada, definindo claramente as responsabilidades das partes contratuais e os riscos por elas assumidos. MILI - Das demais consideracdes juridicas acerca da “minuta de acordo de autocomposigio destinado a retomada das obras de implantagio do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos” Nesta seara, de forma apartada as andlises das conclusdes periciais dos experts que prestam servico ao MINISTERIO PUBLICO, bem assim daquelas levadas a efeito por técnicos da CGU, todas 4 visitadas nesta manifestagao no subitem anterior, e Ministrio Pablo Federal -Procuradora da Repablica em Mato Grosso Run Estevdo de Merona, 830 (ex c/ AV Gato Vargas) ~ Ed, Green Tower ~ Biro Quilonbo -Culsb/Mt "89-405 Fon{6S3612 S000 Fax(65)3612-5000 BBA pejgon 34d 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. sarees see reper DE MATO GROSSO sem prejuizo do que ali se disse, o MINISTERIO PUBLICO passard a tecer consideragdes juridicas acerca de aspectos constantes da Minuta de Acordo ainda ndo abordados anteriormente. a) Da possibilidade de prorrogacao contratual no regime de contratacao integrada do RDC De inicio, esclarece-se que nao sera feita qualquer andlise acerca da viabilidade juridica de aditamento contratual no ambitp do regime diferenciado de contratagéo - RDC, diante das possibilidades insertas no artigo 9, paragrafo quarto, incisos I e II da Lei 12,462/2011, uma vez que, em congruéncia com a postura assumida quando da deflagragao desta acdo judicial, ajuizada as vésperas de vencimento de aditivo contratual j4 implementedo ao contrato original, em quadro de notéria impossibilidade de conclusio das obras no prazo restante”, 0 MINISTERIO PUBLICO (Federal e Estadual), houve por bem integrar o polo ative em demanda® que tem por premissa a possibilidade de prorrogacae contratual, sob pena de comportamento contraditério. De fato, quando decidiu que o interesse ptiblico estava albergado no objeto desta demanda, 0 MINISTERIO PUBLICO, necessariamente, afastou a viabilidade de alegar impossibilidade juridica da prorrogacao contratual, sendo esta a conclusao Idgica da lealdade processua] ¢ da boa-fé objetiva. De outra parte, apenas a titulo de ilustragao, milita a favor dos diretamente interessados na prorrogacéo do contrato (ESTADO DE MATO GROSSO e CONSORCIO VLT CUIABA) um panorama ju ico de posigées dissonantes e nao pacificadas acerca da legitimidade de implementagio de aditive (prorrogagao temporal) de contratos modelados em RDC, na espécie “contratacao integrada”, conforme demonstram as pecas impressas em anexo®. Uma das quais elaborada pelo escritério profissional dos patronos dos Réus nesta ago, Miaiséro Pablico Federa- Procuridoria da Kepubiica em Msto Grosso Rua Estevto de Mendonga, 830 (sq. of Av. Geto Vares) - Ed. Green Tower ~ Biro Quilombo -Cuiabi/MT [CEP 78,048-403- Fons(63)3012-2000/FaN(68)3612-8000 BBA pig 53de 70 M P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO sects res roe DE MATO GROSSO b) Das agdes 11413-89.2012.4.01.3600, 18861-45.2014.4.01.3600, 17193-68.2016.4.01.3600, 18793-27.2016.4.01.3600 ¢ 18792-42.2016.4.01.3600. Cliusulas 33 e 34 da Minuta de Acordo. Cumpre informar que, em reunido realizada na data de 07/02/2017 na sede da procuradoria da Reptiblica em Mato Grosso (MINISTERIO PUBLICO FEDERAL)”, o ESTADO DE MATO GROSSO foi expressamente advertido de que nao deveria incluir na minuta de acordo entao em tratativas com 0 CONSORCIO YLT CUIABA qualquer referéncia a demais agdes intentadas pelo MINISTERIO PUBLICO envolvendo o VLT CUIABA-VARZEA GRANDE, em especial a acio 18861-45.2014.4.01.3600, na qual sequer © ESTADO DE MATO GROSSO é parte. Com vistas a detalhar as raz6es de tal adverténcia, inicialmente cumpre-nos abordar as partes e objetos das agdes mencionadas no oficio 221/GAB/PGE/2017 e nas clausulas 33 e 34 da “Minuta de Acordo”, 1-Processo n* 11413-89.2012.4.01.3600 Autores: Ministério Pablico Federal Ministério Publico do Estado de Mato Grosso Reus: Uniao Estado de Mato Grosso Consércio VLT Cuiaba Causas de pedir: a) onerosidade da implantacao e custo VLT. b) ilegalidades perpetradas para a aprovagio da alteragdo do modal junto ao Ministério das Cidades 6) ilegalidade da licitagao e inviabilidade do VLT d) nao aplicagdo dos percentuais minimos na ‘educagdo exigidos pela Constituigao Estadual e) ma aplicacao do dinheiro ptiblico, Pedid jermo de reunido anexo. Ministério Pablico Federal -Procuradoria da Rey Run Estevo de Mendonga, 830 (esa of AV 8) P-T8.D43-405 - Fose653612- cm Mato Grosso iver ~BTD Qullombo -CuiataM NOFaN(6S)3612-5000 BBA pigma Séde 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO pecan rete DEMATO GROSSO a) declaragdo de nulidade do contrato firmado entre o Estado de Mato Grosso e o Consétcio VLT Cuiabé, bem como de todo procedimento licitatério, devido a nulidade insandvel consistente na utilizagio indevida do Regime Diferenciado de Contratagio — RDC no procedimento b) condenagio dos requeridos na obrigagio de nao fazer, consistente na abstencao da pratica de qualquer ato para implantagdo do VLT em Cuiabé, a custa de incentivos destinados 4 Copa do Mundo FIFA 2014, por se tratar de politica publica voluptudria, demasiadamente onerosa e que nao estard apta a utilizagao até a data do evento. 2- Processo n* 18861-45.2014.4.01.3600 Autores: Ministério Pablico Federal Ministério Puiblico do Estado de Mato Grosso Réus:Silval da Cunha Barbosa Mauricio Souza Guimaraes Consércio VLT Cuiaba CR Almeida S/A Engenharia de Obras CAF Brasil Industria e Comércio S/A Santa Barbara Construgdes S/A Magna Engenharia LTDA ASTEP Engenharia LIDA Causas de pedir: a) Os requeridos agentes publicos, mesmo cientes da impossibilidade fatica e juridica de realizagio do empreendimento VLT a tempo para a Copa do Mundo 2014, optaram portal modal de mobilidade urbana, alardeando sua disponibilidade para o evento esportivo, pelo que enganaram a sociedade matogrossense: b) Os requeridos dissimularam o prazo de 630 dias de execugio no contrato no 37/2012/SECOPNMT para justificar o ilegal emprego do Regime Diferenciado de Licitagéo (RDC), pois nunca houve a possibilidade de confeccionar os projetos basicos e executivos, executar a obra e entregar o sistema de transporte em funcionamento nesse prazo (contratacao integrada). Se a construcgao do VLT era "em razio da Copa” e nao "para a Copa’, deveriam ter contratado pela forma de Concorréncia Publica, sob pena de ofensa aos principios da legalidade ¢ moralidade; “MinistérioPéblico Federal -Procuradora da Repsblia sm Mato Grosso Run Estevto de Mendon, 830(esq.c/ Av Getdio Vareas)~ Ed. Greet Tower ~ Bairro Quilombo -Cuiabi/MIT ‘CE: 75.045-405- Fose(o5}3612S000Fax(ES)3612-S000 BBA pga 57 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO eats iki waters DE MATO GROSSO. c) Os relatérios de fiscalizagao, tanto do TCE-MT quanto da CGU demonstram que o ritmo empregado na obra desde seu inicio era completamente incompativel com contratualmente previsto; d) Nao houve fatos imprevisiveis no curso do contrato para justificar os atrasos e permitir a realizagio de aditivos com vistas & dilagao do prazo de conclusio, situagao que fere a isonomia para com os demais licitantes & época da licitacao; ©) Os gestores réus ndo aplicaram penalidade sequer a0 consércio contratado pelo descumprimento do lapso de 630 dias, situacio que evidencia o conluio e a dissimulagao; ) Conforme atestou o TCE/MT, em outras condigdes, com prazos maiores e sem a necessidade de submissio a custos adicionais como trabalho noturno, as condigdes de contratagio seriam outras, mais favoréveis ao ersrio; g) A coletividade foi enganada pelos requeridos em diversas oportunidades. Primeiro, pela falsa informagao de que teria o sistema de transporte a tempo da Copa do Mundo FIFA 2014 ¢ depois, até o fim de 2014. Essas promessas no podem ser encaradas com simples declaragées sem responsabilidade pelo’descumprimento, Provoca-se por elas a falsa expectativa e fomenta-se o descrédito da populagao no Poder Publico. h) O dia a dia da coletividade esté sendo prejudicado pelas intervengdes no transito, muito além do estritamente necessario, em decorréncia das dilagdes irresponsaveis de prazo praticadas pelos demandados, conforme atestaram os auditores do TCE/MT. Pedidos: condenagdo dos requerides & reparagao por danos morais coletivos a serem atbitrados pelo juizo e punitive damages, valores que deverdo ser revertidos para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos de que trata o art. 13 da Lei 7.347/85, 3 - Processo n* 17193-68,2016.4.01,3600 Autor INISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO ESTADO DE MATO GROSSO Réus: MAGNA ENGENHARIA LTDA ALOYSIO BRAGA CARDOSO DA SILVA. EVALDO DA SILVA SILVESTRE CAF BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO S/A, EDUARDO RODRIGUES DA SILVA, Ministério Pali Federal -Procuradoria da Repiilieaem Mato Grosso ‘Run Estevto de Mendonga, 430 (esq, Av. Goto Vargas) ~ Ed, Green Tawer~ Burro Quilombo —Culabi/MIT ‘CEP: 76,043-405 - Fore(68}8612-S000/Fax(68)3612-S00)_ BBA ___ pagina S8de 70 M P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL F MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO cere recto reer DE MATO GROSSO ROMERO PORTELLA RAPOSO AGENOR MARINHO CONTENTE FILHO CONSORCIO VLT CUIABA - VARZEA GRANDE RODRIGO DA SILVA GAZEN DJANIRO DA SILVA ASTEP ENGENHARIA LIDA SANTA BARBARA CONSTRUCOES $/A_ MAURICIO SOUZA GUIMARAES Causas de pedir: irregularidades ocorridas no proceso licitatério do VLT Pedidos: a) tessarcimento do dano provocado ao erério estadual, b) seja rescindido 0 contrato entre 0 Estado de Mato Grosso e 0 Consércio VLT Cuiaba e ) a responsabilizagao por pritica de ato de improbidade administrativa 4- Processo n® 18793-27.2016.4.01.3600 R ALMEIDA SA ENGENHARIA DE OBRAS SANTA BARBARA CONSTRUCOES S/A. CAF BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO SA. MAGNA ENGENHARIA LTDA ASTEP ENGENHARIA LTDA CONSORCIO VLT CUIABA VARZEA GRANDE Réus: ESTADO DE MATO GROSSO CAIXA ECONOMICA FEDERAL Autores: Causas de pedir: airaso em pagamento de parcelas relativas & execucao parcial do contrato 37/2012/SECOPA/MT Pedid beragdo de pagamentos retidos devidos ao consércio pela execucao de parte do contrato verificada nas medi¢des 27 ¢ 28. 5-Processo n* 18792-42.2016.4.01.3600 R ALMEIDA SA ENGENHARIA DE OBRAS, SANTA BARBARA CONSTRUCOES S/A CAF BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO SA MAGNA ENGENHARIA LTDA ASTEP ENGENHARIA LTDA CONSORCIO VLT CUIABA VARZEA GRANDE Réus: ESTADO DE MATO GROSSO Autores Ministerio Pablico Federal - Procuradoria ds Repébiica em Mato Grosso Ru Estevdo de Mendonga, 830 (esc! Av. Getlio Vargas) ~ Ed Green Tower Baro Quilombo -CuiabéMT ‘CEP 780852403 -Fore(o3}80123000FaX{ES)3612-300) BBA pigna 59 de 70 i M F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO a a ae DE MATO GROSSO CAIXA ECONOMICA FEDERAL Causas de pedir: atreso em pagamento de parcelas relativas execucao parcial do contrato 37/2012/SECOPA/MT Pedidos: liberagao de pagamentos devidos ao consércio pela execugao de parte do contrato (medicao 29), Como jé destacado, tanto no oficio remetido pelo ESTADO DE MATO GROSSO”, quanto nas cliusulas 33 e 34 da Minuta de Acordo, pretende-se condicionar a efetivagao do acordo negocial com vistas & implementagao da continuidade das obras do VLT CUIABA a extingdo das agGes judiciais suso destacadas. Estas clausulas figuram entre as mais absurdas de toda a Minuta de Acordo. De plano, quanto as agdes elencadas nos itens 4 e 5 deste subitem IILII- processos 18793-27.2016.4.01.3600 e 18792-42.2016.4.01.3600, 0 MINISTERIO PUBLICO nada tem a considerar, uma vez que sequer é parte ou tem atuagao na condigao de custos legis nestes processos, os quais visam pretensao particular do CONSORCIO VLT CUIABA em face da Caixa Econdmica Federal-CEF e do ESTADO DE MATO GROSSO. Com efeito, embora a pretenséo dos autores destas agées refira-se a pagamentos de medicdes contratuais supostamente realizadas e ndo pagas, o objeto imediato implica interesse piiblico meramente secundério, a ser defendido em juizo pela procuradoria propria do. ente politico, sob influxo das regras de ordem publica pertinentes e pelos advogados da CEF. Ainda, nada impede que no bojo de negociagSes, ESTADO e CONSORCIO entendam por bem extinguir as agdes referidas”, com homologacdo de transagio que necessariamente se dé sob o influxo de indisponibilidade do erdrio, como referem na cléusula ‘33 da Minuta de Acordo, nos termos do art. 487, I, “b” da Let 13.105/2015 (NCPC). Oficio 221/GAB/PGE/2017. apenas as ages 18793-27.2016.4.01,3600 e 18792-42.2016.4.01.3600 nitro Palio Federal - Procarndoria dn Replica cm Mato Grosso us Estero de Mendonga, $30 esq. c/ Av. Geo Vares)~ Ed. Green Tower ~ Biro Quilombo -CuiabvM ‘CEP: 78.0834 - Fone(65)8612-S0000Fax(65)3612-5000 BBA pigina de 70, M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO eae eee rae DE MATO GROSSO Com relagao as demais agdes apontadas, destacamos que o interesse puiblico levado a juizo em cada uma delas, impede que sejam objeto de extingdo por homologapao de transagao por razSes que serdo detalhadas com relagao a cada uma delas. O pleito relativo & acéo n° 11413-89,2012.4.01.3600 nao se confunde com 0 objeto da acdioem vertida nestes autos. A causa de pedir é diversa, os pedidos sao significativamente diferentes, nao havendo conexao necessiria entre as ages, sendo que a reunio que se da entre elas é teleolégica e visa apenas a congruéncia légica de decisées, evitando discrepancia nos julgados. Ademais, © interesse pubblico vertido na agdo 11413-39.2012.4.01.3600 é totalmente indisponivel, pelo que inadmissivel a extingio por homologacao de transagao, mormente quando se trata de apuragao de situagdes que chegam a refletir condutas de interesse penal. Embora se reconheca que eventual anulacéo do certame licitatério e do contrato possam espraiar efeitos em eventual acordo, a verificagao de ilicitudes nao pode ceder-a interesses negociais, mormente quando a certeza acerca do interesse puiblico primétio se dé no bojo da ago que se pretende extinguir sem discussdes, mas nao necessariamente na continuidade de execugdo de obras de um contrato que ja desatendeu reiteradamente 0 interesse publico e que dé mostras efetivas de que pode assim continuar. © mesmo é possivel de ser dito com relagéo a acdo judicial 18861- 45,2014.4.01.3600. Nesta, mais absurda ainda ¢ pretensdo de extingao por homologagao de transagdo, uma vez que sequer 0 ESTADO DE MATO GROSSO é parte em qualquer dos polos, ou se beneficia de qualquer forma com sua extingdo, restando patente que 0 interesse em negociar com o afastamento do pleito aqui vertido pelo MINISTERIO PUBLICO atende apenas e tio somente a interesses particulares em sentido estrite, os quais se pretende ver prosperar face 0 interesse social levado a juizo no objeto da demanda ora estudada. De fato, a agdo judicial 18861-45.2014.4.01.3600 pugna por indenizacao por danos morais coletivos a serem revertidos em beneficio da sociedade, por intermédio de Ministerio Pablico Federal- Procuradoria ds Repablica em Mato Grosso Rua Estero de Menong, 830 (ese! Av. Gotlio Vigas)~ Ed Green Tower Baio Quilombo -CuiakaMT ‘CEP: 78083405 Fote(03)s012S000FaR(69)9012-300) "BBA page oF de 70 M F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Minin Pin Fort DE MATO GROSSO recomposigao em fundo de direito difuso e é ajuizada em face do CONSORCIO VLT, das sociedades empresdrias componentes do consércio e dos agentes piiblicos pessoalmente considerados. ‘Como s6i ocotrente em qualquer caso de responsabilizagio civil, a agdo judicial 18861-45.2014.4.01.3600 visa 0 equacionamento dos danos causados pelos réus, em virtude de seu comportamento ilicito & sociedade mato-grossense. De outra parte, os valores pleiteados na ago judicial 18861- 45.2014.4.01.3600, a crédito de Fundo de ito Difuso e aqueles eventualmente suporiados pelo ESTADO DE MATO GROSSO no bojo da agao na qual ora se manifesta, néo séo compensiveis na hipstese de procedéncia daquela, nao sendo razoavel o sacriticio da pretensao social para resguardo de interesse particular e/ou de interesse publico secundario do ente politico, pelo que claramente descabida a insergdo da aco 18861- 45.2014.4.01.3600 no bojo da Minuta de Acordo. Mais uma vez, ha certeza quanto ao interesse piblico primario albergado no bojo da agdo que se pretende extinguir sem discussdes, mas nao necessariamente na continuiidade de execugao de obras de um contrato que jé desatendeu reiteradamente o interesse puiblico e que dé mostras efetivas de que pode assim continuar. Ademais, ainda que seja realizado 0 acordo para retomada das obras do modal, ¢ fato que esta circunsténcia superveniente nao & apta para apagar todas as mazelas sociais e danos morais decorrentes dos atos pretéritos dos réus da ago n° 18861- 45,2014.4.01.3600, de modo que seu objeto ainda é atual e a condenacao dos réus faz-se necessaria, Por tiltimo, a Minuta de Acordo, em sua clausula 34, pretende também a extingio da agdo judicial 17193-68,2016.4.01.3600 “tendo em vista a superacio dos fatos que ensejaram a propositura”. Tal nao é verdade. Como visto, o CONSORCIO VLT CUIABA concorda em abater, nesta acao, do quanto entende Ihe ser devido pelo ESTADO DE MATO GROSSO, os valores supostamente pleiteados no bojo da acio 17193-68.2016.4.01.3600, além de “concordar” ‘Ministério Pblico Federal -Procuradoria da Replica em Mato Grosso Rua Estevto de Mendong, 830 (esq, «Av. Geto Vargas) Ed. Green Tower ~ Buitro Quilombo -Cuiabi/MT ‘CEP: 78043-405 - Fose(68)5612-S000/FaN(65)3612-S00) BBA pagina 62de 70 FE. mnstisieroauco reoenat MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. aera res DEMATO GROSSO em restabelecer as condicdes editalicias (como se estas pudessem ser afastadas por vontade dos contratantes). Ocorre que, como visto, o valor apontado de abatimento suprimiu, sem qualquer justificativa, R$ 50.000,00 reais em favor do CONSORCIO VLT CUIABA. De outra parte, no é verdade que com 0 abatimento de valor pretendido e com © restabelecimento das clausulas editalicias originais estaria superado o objeto da agio de improbidade administrativa 17193-68.2016.4.01.3600. Como o proprio nome da agio tevela, o processo visa também sangdes por atos de improbidade administrativa diversos do mero tessarcimento ao erdrio, objeto que se choca com a_ pretensio transacional querida pelos proponentes da Minuta de Acordo por ser totalmente estranho quanto ao objeto deste. Nao bastassem as consideragdes ji levadas a efeite, 0 MINISTERIO PUBLICO informa que discorda totalmente da inclusao destas agdes no bojo da Minuta de Acordo que se pretende entabular, sendo vexatério que 0 ESTADO DE MATO GROSSO, enquanto ente federativo, obrigado a resguardar o.interesse piblico primério, admita por legitimo ceder passo a interesses meramente particulares do CONSORCIO VLT CUIABA. Em remate, os interesseé levados a juizo pelo MINISTERIO PUBLICO por meio das trés ages coletivas (em sentido amplo) aqui destacadas ¢ indisponivel, razdo por si s6 suficiente a repelir a descabida pretenséo constante da Minuta de Acordo. ¢) A clausula 4, a subclausula 4.1 e a subclausula 4.2, A clausula 4 prevé que o Acordo fica condicionado “@ manutencio dos efeitos de todos os beneficos fiscnis decorrentes de fatos geradores ji exauridos (...), ficando assegurado que néo haveri antuacao fiscal sobre tais fatos geradores”” Tal disposicao é ilegitima na medida em que pretende, por meio de avenga que atenda aos interesses particulares, restringir poder de império do ente politico, afestando-the a possibilidade de autuagdo fiscal, mesmo em face de ilegalidades eventualmente verificadas pelos drgao de fiscalizacao. *Destaque nosso. (Ministrio Pico Federal -Procuradoris da Replica em Mato Gross Rua Estwto de Mendonga, 830 (sg. ! Av, Geto Vagas) ~ Ed. Green Tower ~ Biro Qullombo ~CulabiMT ‘Csr 78.048-405- Fonx(o3)s012-S000/7ax(65)3612-3000. BBA pagina 63 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO eee i er DE MATO GROSSO Ja a cliusula 4.1 prevé que“o Estado assegura por meio deste acordo a desoneragio dos tributos estaduais” que eventialmente incidam em operagdes futuras ..” E descabida a previsio, uma vez que sequer se aponta a existéncia de previsio em lei orgamentaria ou em outro dispositivo que preveja a reniincia fiscal nela tratada. Nao havendo diploma legal que disponha sobre a desoneracao de tributos estaduais, esta cléusula ser inconstitucional, por violagio ao disposto no art. 150, § 6, da Constituig’o, além de afrontar a lei de Responsabilidade Fiscal, Lei Complementar 1101/2005, em seu artigo 14, incisos e pardgrafo primeiro. Por fim, a subclausula 4.2, a0 estipular que “o Estado ficard obrigado a indenizar os efetivos desembolsos tributérios decorrentes efetuados pelo Consércio, pela CAF Brasil ou pelas demais empresas consorciadas por todo e qualquer dano, tanto direto quanto indireto, que estefestas venha(m) a sofrer ent razio de tal revogacio,’* inclusive aqueles relativos a gastos para sua defesa em processos administrativos e/ou judiciais, multa, juros, eventuais outras penalidades” elc”, incorre em verdadeiro absurdo juridico ao tentar criar responsabilidade civil do Estado fora das hipéteses constitucionais (artigo 37, paragrafo sexto da Constituigio de 1988). E vai além. A disposig&o destacada estipula que a revogacao de qualquer beneticio fiscal que tenha se dado em funcao do objeto do contrato, sem fazer distingao entre entes federatives, que prejudique 0 consércio ou sociedades empresirias componentes do consércio, teré que ser indenizada pelo ESTADO DE MATO GROSSO, nao se podendo vishumbrar a razio ou justificativa que tenham levado 0 Contratante a ter por razoivel assumir obrigacdo flagrantemente ilegitima, ilegal e inconstitucionel. Destaque-se que a rentincia fiscal e seu afastamento sao ato de império do ESTADO, dai decortendo responsabilidade civil apenas e tdo somente em fungao do regramento juridico da matéria, donde se verifica, necessariamente, os requisitos para configuracdo do dever de indenizar, afastando-se a hipétese de responsabilidade ci contratual pretendida. *Destaque nosso. Revogacao de beneficio fiscal por ato do Estado, *Grifos nossos. MinistrioPablica Federal - Procuradaria dn Replica em Mato Grosso Rs Esto de Mendon, 830 (ex t/ Av, Geto Varpas) Ed. Green Tower ~ Baro Quilombo -CuiakiMT ‘CEP: 78.043-405 -Fone(65)8612-S000FaX(65)3612-5000 BBA pagina 6470 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ene ee ee DE MATO GROSSO d) A clausula 14 Esta clusula menciona que o consércio se responsabilizaré pelo refazimento das obras referenciadas no 23 Relatério de Gerenciamento emitido em Janeiro de 2015, sendo que nada prevé quanto a obrigacio do CONSORCIO quanto as demais Identificagdes de Problemas (Ips) detectadas em demais relatérios de gerenciamento e auditorias. e) A clausula 15 Prev compensacio por gastos efetuados pelo Consircio com “eventuais € comprovadas despesas adicionais” sem exigéncia de autorizagio do ente contratante para a realizacdo e ressarcimento por tais despesas nao originalmente previstas, 0 que também éilegal. £) A clausula 32 ‘A minuta de acordo nao prevé nenhuma san¢ao pelo descumprimento de suas cldusulas, remetendo o tratamento da matéria ao contrato administrativo firmado. Como ja delineado, ha necessidade de medidas especificas quanto a matriz de responsabilidades, incluindo previséo de sistema objetivo e concreto de sangdes por descumprimentos, sob pena de se reavivar fracassos passados. ) A cléusula 41 Talvez.a mais absurda e descabida cliusula contratual, aqui se prevé que: “cada parte assume, pelo presente, que jamais fol pels prépria, nem pelos seus administradores, gestores ou trabalhadores, oferecida, prometida, dada, autorizada, solicitada ou aceita qualquer vantagem pecuniaria indevide, ou ‘qualquer outra vantagem de qualquer natureza (nem foi dada impicitamente a entender a possibilidade de vir a adotar qualquer uma destas condutas em aigum momento futuro), que esteja sob qualquer forma conexa com este Acordo, € que adotou e continua adolando as medidas razoaveis para eviar que subcontratantes, agentes ou quaisquer te’ceiros, sujeitos ao seu controle ov influencia determinante, promovessem tais condutas" [Ministerio Pébico Federal - Procuradoria da Repablica em Mato Grosso ‘Ru Estevto de Mendon, #30 (esq! Av. Getlio Vers) ~ Ed. Green Tower ~ Bairro Quilombo -Cuiaki/MT “CaP Ts b43-405- Fone(@s)3012S000Fax(3}3612-9000 BBA pina 68 de 70, M P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Pats attra DE MATO GROSSO Tal disposigao deve ser tida por nao escrita qualquer que seja a avenga que se pretenda no Ambito destes autos, uma vez que seu objeto é totalmente estranho a uma Minuta de Acordo que prevé prorrogacdo de prazo de contrato de obre, e, além disso, busca afastar responsabilidade por improbidade administrativa e responsabilidade criminal por meio de contrato e com anuéncia do MINISTERIO PUBLICO, dominus litis em caso de ajuizamento das agdes para responsabilizacio aqui destacada. ‘h) A dausula 42 Nesta: as partes declaram que nenhum dos termos e condigdes aqui acordados implica, decorre ou pode ser entendido como reccnhecimento de culpa ou tesponsabllidade de qualquer das partes, por quaisquer fatos atos ou circunstancias controvertidas desde a adjudicagao do objeto da licitacdo até 2 execucdo do Contrato, tendo tudo sido ajustado em estita observancia aos preceitos legas e ao melhor interesse publico, exclusivamente para fins de ‘compesicao © imediata retemada e conclusio da obra do VLT de Cuiabé-Vérzee Grande Conforme ja exaustivamente demonstrado, a Minuta de Acordo, diferentemente do que consta da cldusula em estudo, prevé diversas situagSes que visam atendimento de interesse particular do CONSORCIO VLT-CUIABA, inclusive em detrimento do interesse publico, em choque mesmo com sua supremacia, pelo que pretender a atribuicao de efeitos diversos por meio de estipulagao contratual ¢ totalmente ilegitimo. De outra parte, cléusula contratual néo pode se prestar a excluir ou minimizar o reconhecimento de culpa ou responsabilidade, de qualquer das partes, pelos fatos, atos ou circunstdncias controvertidas desde a adjudicagao do objeto da licitagdo até a execucao do contrato, pois nao pode ser objeto de acordos da Administragao Publica a exclustio de responsabilidade da parte que pratica ilegalidade ou atua com vic ou com inobservancia do interesse publico, FE imperioso frisar que os poderes hierdrquico e diéciplinar da Ps a q Administiagao Pitblica, que permitem que esta aplique sangdes a pessoas que tenham: Ministério Pablico Federal -Frocuradoria da Replica em Mato Grosso ‘Run Estevto de Mendon, 830 (esq c/ Av. Geto. Vareas) Ed, Green Tower ~ Blt Ouilombo -Caiabi/MT ‘CEP: 78.083-405 -Fone(6S18612-S000Fax(6S)3612-S000 BBA pga 66 de 70 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ae ree ee DE MATO GROSSO. relagao especial de sujeigdo com ela, vinculam-se estritamente ao principio da legalidade, nao podendo a Administragio Publica dispor de penalizar particulares ao constatar 0 descumprimento de um dever. O ESTADO DE MATO GROSSO, assim, nao tem liberdade para escolher entre punir ou nao, tampouco pode transigit para eliminar ou reduzir a culpa ou responsabilidade por atos ilicites praticados. Trata-se, portanto, de ato vinculado, de modo que o administrador nao pode mostrar-se omisso ao aplicar sangées ao consércio, sab pena de incorrer em ato de improbidade administrativa. Por todos estes motivos, este cléusula deve ser banida do acordo. i) A clausula 44, por todos os motivos jé elencados no item “b" ¢ ilegitima. IV- CONCLUSAO. Ante 0 exposto, os autores da presente manifestagao informam que nao aderem aos termos da “minuta de acordo de autocomposiséo destinado a retomada das obras de implantagio do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos”, apresentada pelo ESTADO DE MATO GROSSO por intermédio do officio 221/GAB/PGE/2017, pelo que nio hé acordo a ser homologado perante o Juizo natural. Em razio do contraste de posigdes processuais ora externado, pugnamos pela intimacao do ESTADO DE MATO GROSSO e dos réus, para cincia dos termos desta manifestacao e para que aduzam o que de direito. Em virtude da mesma dissonancia adrede referida, pugnamos pela intimagao pessoal, nos termos do artigo 18, 11, alinea “h” da Lei Complementar 75/1993 do artigo 41, IV da Lei 8.625/1993 para TODOS os demais atos do processo. Ministero Poblico Federat- Procurndora ds Repablica em Mato Grosso Rus EstevBo de Mendon, 830 (e4, 2! Av. Geto Vargas) ~ Ed. Green Tower Bairo Quilombo -CuiahMT ‘CEP: 761043-405 -Fore{63)9612-3000FaN(G5)3612-3000 BBA pga 67 de 70 M P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Por fim, explicitamos que a presente manifestacio nao se opde a eventual ¢ futura celebragio de acordo entre os interessados, condicionado-o 4 corregao das irregularidades aqui apontadas. Ministévio Pablico Federal -Procuradori Run Estevdo de Mendonga, 830 (esq e/Av. Geto Vara) CEP: 78.043-405- Fore(3}¥612-5000/Fax(65)8612-S00) BA pagina 68 de 70 epilien em Mato Grosso Geen Tower — Buiro Ouilombo —CulabiMT MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MPF. a uinistemo rintico no estado Ministéte Publics Federat DE MATO GROSSO Processo n®: 3668-53.2015.4.01.3600 Autores: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL E OUTROS Réus: CONSORCIO VLT CUIABA - VARZEA GRANDE E OUTROS LISTAGEM DE DOCUMENTOS ANEXOS 1) DOC 1 ~Pareceres técnicos n° 07/2017 ¢ 09/2017 elaborados pelo analista pericial PAULO BRESSAGLIA, designado pela Procuradoria-Geral da Republica, Relatério Contabil n° 366/2017 e Parecer técnico 000273- 023/2017, elaborados pelo Centro de Apoio Operacional do Ministério PUblico Estadual de Mato Grosso, visando a anilise técnica da proposta de acordo apresentada pelo Estado de Mato Grosso para retorno das obras do VLT 2) DOC 2 - Cépia da minuta de acordo firmada entre o Estado de Mato Grosso e 0 Consércio VLT para retomada das obras do modal 3) DOC 3 - Cépias de termos de reunides ocorridas na sede do Ministério Puiblico Federal nos dias 07/02/2017 e 25/04/2017 4) DOC 4 - Copia digitalizada do Relatorio da Comissdo Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada para investigar irregularidades relativas 4s obras da Copa do Mundo 2014 - AL/MT 5) DOC 5 - Cépias de offcios enviados a Procuradoria-Geral do Estado de Mato Grosso solicitando informagées acerca das verbas a serem empregadas para pagamento do valor fixado na minuta de acordo e suas respectivas respostas 6) DOC 6 — Oficio n® 9073/Regional/MT-CGU e Nota técnica n* 939/2017/REGIONAL/MT, emitida pela Controladoria-Geral da Unido acerca da minuta de acordo 7) DOC 7 — Certidio do setor de informatica da Procuradoria da Reptiblica de. Mato Grosso que declara a existéncia de defeitos na repradugao das midias digitais juntadas as fls. 3.092/3.096 dos autos 8) DOC 8 - Cépia digitalizada das petigdes iniciais relativas aos processos n* 18793-27 2016.4.01.3600 e 18792-42.2016.4.01.3600 e manifestacio do MPF no bojo do processo n? 17193-68.2016.4.01.3600, objetos da cldusula n® 33 e 34 da minuta de acordo -1 DVD 9) DOC 9 ~Cépia integral e digitalizada das ages n® 11413-89.2012.4.01.3600 ¢ 18861-45.2014.4.01.3600, objetos da clausula n® 33 da minuta de acordo - 03 DVDs 10) DOC 10 = Cépia do Inquérito Civil Péblico n® 1.20.000,001136/2013-11, em tramite na Procuradoria da Reptiblica, cujo objeto é apurar eventuais irregularidades na licitagao do VLT - Cuiabé, especialmente em relagao a Ministerio Pbtico Federal - Procuradovia da Repablics em Mato Grosso Raa Esteve de Mendonca, 890 (sq. c! Av. Gti Vargas) ~ Ed. Green Tower —Baiero Quilombo - Cuiabi/MT (CEP: 78.043-405 ~ Fone(65)3512-5000/Fax(68}3612-5000 BBA. pagina 6 de 70 M F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO areata Pak Poder DE MATO GROSSO eventuais erros aritméticos no cdlculo dos pregos, utilizag’o de indices diversos para a composi¢ao analitica das taxas de BDI e das Taxas de Encargos Sociais, ‘inconsisténcias na proposta técnica do consércio vencedor, bem como a necessidade de futura celebragio de termo aditivo - 1DVD 11) DOC 11 - Cépia do Relatério de Auditoria n? 015/2014— AGE/MT. 12)DOC 12 - Copia de Plano de Agdo para retomada das obras - VLT - SECID/MT 13) DOC 13 ~ Cépia do Diagnéstico SECOPA - Governo do Estado de Mato Grosso 09/02/2015 14) DOC 14 - Cépia do Relatério parcial realizado pela KPMG com diagnéstico da obra do VLT Cuiaba 18)DOC 15 - Cépia do Relatério elaborado pela Comissio de acompanhamento das obras da Copa - TCE/MT 16) DOC 16 - Cépia do Relatorio de Agao de Controle ~ Fiscalizaco realizado pela CGU - Secretaria Federal de Controle Interno 17) DOC 17 ~ Pedido de providéncias registrado sob o n® PR-MT-00012816/2017 e subscrito pelo Deputado Estadual Zeca Viana 18) DOC 18 - Copia digitalizada de documentos enviados a0 MPF. pela CR Almeida, em virtude dos defeitos apresentados nas midias acostadas as fls. 3.092/3.096 -05 DVDs 19) DOC 19 - 03 DVDs contendo os seguintes arquivos: -DVD 1: Apresentagao Produto 2 e 3 vFINAL_Revisado_20160411 (1) Apresentagao_Final_Produto_01_VLT ~ KPMG. historico_vit_abril_2016 Plano_Acao_Retomada VLT - DVD 2: 292640 — Relatorio 001.DESAP.2015 - VLT 292641 — Parecer 490-2015 Reequilibrio VLT Audiéncia VLT_Versao final Relatério Técnico VLT Junho - DVD 3: ANEXOS - AUDIO ENTREVISTA ANEXOS - MEDIGOES ANEXOS - MULTAS ANEXOS ~ RELATORIO ORGAO DE CONTROLE RELATORIO N° 019 2015 ~ CONTRATOS N° 037 2012 SECOPA E001 2013 SECOPA “Ministévio Pablico Feder - Procursdoris da Repitien em Mato Grosso ‘Run stevto de Mendonga 830 (54! Av. Geto Vargas) Ed, Groen Tower ~ Barro Quilombo -CuiahiMT (CEP: 78.083-405. Fone(63}:612-5000/FaX(63)8612-5000 BBA pina 70 de 70