Você está na página 1de 25
CORA! MINISTERIO PUBLICO FEDERAL M P F MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO § Mintle Plies Fedora DE MATO GROSSO g EXCELENTISSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 1° VARA DA SEGAO JUDICIARIA. DE MATO GROSSO Proceso n®: 3668-53.2015.4.01.3600 Autores: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL E OUTROS Réus: CONSORCIO VLT CUIABA - VARZEA GRANDE E OUTROS O MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, por meio da Procuradora da? Repiiblica que ao final subscreve, bem assim o MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO, pelo Promotor de Justica signatario, vem manifestar-se nos termos. que se seguem. Trata-se de ago civil’ publica ajuizada pelo MINISTERIO PUBLICO. FEDERAL, MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO e ESTADO DE MATO GROSSO, a qual objetiva: a) suspenséo dos prazos do contrato n° 037/2012/SECOPA/MT e dos respectivos termos aditivos, bem como dos pagamentos devidos pelo Fstado de Mato Grosso; b) seja determinada a apresentacao do projeto executivo e de desapropriag das obras de implantagdo das obras do VLT; 6) sejam corrigidas as falhas nas conexdes do meterial rodante e a execugao de todas as medidas que resguardem sua integridade; d) seja determinada a renovagio da garantia contratual e renovacao dos seguros; e) em caso de consumagao do dano ao patriménio piiblico, seja a 2330/2333). garantia convertida em rendaa favor da Fazenda Pblica Estadual (fls I-DA SINTESE PROCESSUAL Por escorgo processual reportamo-nos & manifestagao anterior (fl 8208/8245), com os adendos a seguir. As*fls. 8276/8293 consta deciséo desse D. Juizo na qual assentou-se entendimento de que a questio da necessidade de “estudos de viabilidade” para tomada de decisao pelo Estado acerca da retomada/continuidade do contrato com 0 CONSORCIO VLT-CUIABA estaria superada pela elaboracdo/apresentacio dos .estudos técnicos Ministerio Pablico Fedenl - Procundoria da Republica em Mato Grosso Rua Estevo de Mendonca, £90 (esq; c/ Av. Getiio Vargas) - Ed. Green Tower — Bairro Quilombo ~ Caiabs/MT ‘CEP: 74.049-406 ~ Fon(65)3612-£000/Fax(65}3612-5000 BBA pigina Ide 70 M P | MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO a DE MATO GROSSO empreendidos pela KPMG (contratada pelo Estado de Mato Grosso). Na mesma decisio, deu-se por controvertida a questio quanto a conservagdo do material rodante pelo CONSORCIO VLT-CUIABA, revogou-se integralmente a liminar anteriormente deferida, além de suspender-se o contrato por mais 30 (trinta) dias. As fis. 8307/8317 0 CONSORCIO VLT-CUIABA opés embargos declaratorios em face da decisao suso destacada, As fls. 8484/8633 0 CONSORCIO VLT-CUIABA junta documentos com os quais pretende comprovar conservagao do material rodante. As fis. 8638/8689 consta Relatério da “atual situacdo das obras de implantagao do VLT", elaborado por equipe técnica da SECID, As fls. 9282/9300 novo pedido de suspensao do contrato, o qual foi deferido por meio da decisdo que consta de fls. 9302/9320. Novamente, as fls, 9323/9324, ESTADO DE MATO GROSSO e CONSORCIO VLT-CUIABA pedem a suspensio contratual, a pretexto de estarem em tratativas negociais, 0 que é deferido as fls. 9328/9329. Por fim, &s fls, 9325/9326, 0 ESTADO DE MATO GROSSO informa que foi elaborada proposta de acordo entre 0 ente e 0 CONSORCIO VLT-CUIABA, a qual foi encaminhada aos demais autores (MINISTERIO. PUBLICO FEDERAL E MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO), para avaliasio. Apés, vieram os autos para andlise e manifestagio. 1l- DO MINISTERIO PUBLICO NA PRESENTE DEMANDA, Inicialmente, cumpre destacar que o MINISTERIO PUBLICO! é parte, ecupando 0 polo ativo desta relagéo processual, em litisconsérelo com 0 ESTADO DE MATO GROSSO. Pp MINISTERIO PUBLICO.FEDERAL M F MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO peat ene rome DE MATO GROSSO Assim, nao obstante a decisao politica acerca da continuidade (ou nao) da execugio do contrato 037/2012/SECOPA/MT incumba ao ente politico - ESTADO DE MATO GROSSO, o MINISTERIO PUBLICO deve ser ouvido e integrar (ou nao) eventual acordo entabulado entre 0 ente politico e os réus, com vistas a perfectibilizar a propria existéncia de “acordo” a ser homologado em juizo. E dizer, sem a adesio do MINISTERIO PUBLICO enquanto autor processual, nao ha sequer proposta de acordo a ser homologada, Tal papel do MINISTERIO PUBLICO, neste cendrio, é realcado pelo seu mister de custos constitutionis, custos legis, fiscal do ordenamento juridico, a reforcar sua posicdo processual acerca da legitimidade de propesitura de um acordo negocial no qual envolvido erario federal estadual, interesse publico primério © panorama fatico que abrange uma série de irregularidades e incertezas juridicas, legais ¢ sociais acerca da efetividade de implantagio do projeto de obra de maior vulto do ESTADO DE MATO GROSSO. Nio por outra razio, desde os idos de 2012, quando mesmo da licitagao do objeto contratual referente ao modal urbano VLT, 0 MINISTERIO PUBLICO - Federal e Estadual, ante a existéncia das aludidas irregularidades, foi autor de diversas agdes judicial com vistas 4 corregio, desfazimento, prevengao e reparagio de danos, dentre as quais aquelas elencadas pelo ESTADO DE MATO GROSSO e pelo CONSORCIO VLT- CUIABA na “minuta de acordo de autocomposicao destinado a retomada das obras de implantagio do modal de transporte vefculo leve sobre trilhos”, a qual ora se junta, e quanto a qual se manifesta no momento. Nao bastasse a posigio processual no polo ativo, 0 dever de fiscal do ordenamento juridico e de atuagao em prol da sociedade jé destacados, no caso concreto a “minuta de acordo de autocomposicao destinado a retomada das obras de implantacao do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos”, para além de gerar abrigagbes aos contratantes partes do contrato 037/2012/SECOPA/MT, pretende surtir efeitos quanto a situagées juridicas e agdes judiciais que envolvem 0 MINISTERIO PUBLICO - Federal e Ministerio Pébtico Federnt - Procuradori da Republica em Mato Grosso Rus Estevdo de Mendonga, 830 esq! Av. Getto Vargas) ~ Ed. Green Tower ~ Baio Quilombo -CuiabiMT (CEP. 78.043-405-Fene(65)3612-8000Tax(65)8612-5000 BBA pgina 3 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO tia ra Rader DE MATO GROSSO Estadual, raz0 por qué, com mais forga, se conelui que os termos da minuta devem submeterse & andlise e integragao pelo parquet para que, apenas entdo, se exponham a eventual homologagio judicial, Nessa linha de ideias, em seu dever de lealdade processual, o MINISTERIO. PUBLICO passa a delinear as consideragdes a seguir, com vistas a fundamentar e expor as razbes pelas quais ndo adere aos termos da “minuta de acordo de autocomposigao destinado retomada das obras de implantagao do modal de transporte yeiculo leve sobre trilhos”, Ill - A “MINUTA DE ACORDO DE AUTOCOMPOSICAO DESTINADO A RETOMADA DAS OBRAS DE IMPLANTAGAO DO MODAL DE TRANSPORTE VE{CULO LEVE SOBRE TRILHOS” apresentada pelo ESTADO DE MATO GROSSO ao MINISTERIO PUBLICO - Federal e Estadual Nas datas de 19/12/2016, 07/02/2017, 25/04/2017, 0 ESTADO DE MATO GROSSO, representado pelo Procurador Geral do Estado, pelo Secretario de Cidades, pelo Controlador Geral do Estado e¢ demais agentes estaduais, conforme consta do termo de reuniao de fis. 9275/9278 e dos termos de reuniao que ora se junta, procurou o MINISTERIO PUBLICO FEDERAL para anunciar que estava em avangadas tratativas com os réus para composigao de acordo que permitisse a continuidade das obras rel: contrato 037/2012/SECOPA/MT (VLT). Conforme se pode observar no termo de reuniao ocorrida em 07/02/2017, 0 ESTADO DE MATO GROSSO foi expressamente alertado de que nao deveria incluir no objeto do acordo, ainda em tratativas, os objetos de demais agées judiciais intentadas pelo MINISTERIO PUBLICO, em especial a agdo judicial n® 18861-45.2014.4.01,3600. Posteriormente, em nova reunido, ocorrida em 25/04/2017, 0 ESTADO DE MATO GROSSO apresentou 0 documento “minuta de acordo de autocomposicao destinado & retomada das obras de implantagio do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos", em termos estipulados apenas pelo ESTADO DE MATO GROSSO e -MinistérioPablice Federal -Procuradovia da Republica em Mato Grosse Res Estevdo de Mendonga, 830 (esq c/ AN. Getillo Vargas}~ Ed. Green Tower ~ Bair Quilembo -Cuiabi(MT ‘CEP: 78043405 -Fone(68)3612-S000/Fa(6S)3612-8000 BBA pagina J de 70 F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ee DE MATO GROSSO CONSORCIO-VLT, com o qual pretendia-se a retomada de execugao das obras referentes ao contrato 037/2012/SECOPA/MT. Na oportunidade, restou consignado que a propositura de acordo em juizo dar-se-ia somente em fungao de eventual integracao/adesao aos termos do acordo pelos MINISTERIOS PUBLICOS FEDERAL E ESTADUAL, com o que 0 ESTADO DE MATO. GROSSO reconheceu o quanto jd delineado no tépico anterior, além de colocar-se a disposicao para eventuais ajustes nos termos da minuta, apés andlise do parquet. Neste panorama, o MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, bem assim o MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL, submeteram os termos da “minuta de acordo de autocomposigio destinado & retomada das obras de implantago do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos” ¢ anexos, além de demais documentos pertinentes’, a anélise por parte de corpo pericial das respectiva: instituigdes’, bem assim ao exame da Controladoria Geral da Uniao - CGU, com fins de subsidiar a manifestacao do parquet quanto aos aspectos téenicos da aludida minuta. Além disso, foram analisadas as cléusulas da “minuta de accrdo de autocomposigio destinado a retomada das obras de implantagio do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos” em seus aspectos legais/juridicos, conforme se_constataré adiante, Mais uma vez, reforca-se 0 quanto ja dito em oportunidades anteriores, no sentido de que a andlise a cargo do parquet ndo envolve quaisquer aspectos relatives & conveniéncia e oportunidade acerca da contratagdo e sua continuidade/descontinuidade, visto ser esta apreciagio de ordem exclusiva do ente politico, no exereicio do poder/dever que Ihe é constitucionalmente conferido. Isto dito, importam os aspectos técnicos/legais/juridiess acerca da pretensdo do ESTADO DE MATO GROSSO e dos Réus, € é nessa ordem de ideias que se apresenta a presente manifestagao, ®Conforme constam de lista nos trabalhos periciais realizados. »Anilise de engenharia e de contas Missin Patio Feder - Procarsdora da Kepatiea en Mato Grosso i Rua Estevio de Mendonca, 630 (34! AV. Geto Vargas) Ed. Green Towe~ Bair Cuilombo ~CuiabiMT CEP. 78 O1-405= Fore(6SDG12-S000tax(eS)3612-5000 BDA puigina Sde 70 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. Hele he nosed DE MATO GROSSO IILI - Da andlise juridica dos documentos técnicos. Pareceres técnicos de pericias institucionais e Nota Técnica da Controladoria Geral Da Unido - CGU Conforme relatado, a documentacao referente & “minuta de acordo de autocomposigéo destinado & retomada das obras de implantago do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos”, anexos e demais documentacao de interesse', foi submetida 4 andlise pericial de érgaos técnicos no Ambito do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL e do MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Em decorréncia dos trabalhos técnicos de ambas as instituicdes foram elaborados os documentos adiante arrolados, os quais se encontram anexos & presente manifestacdo: - Parecer técnico n® 7/2017 - MINISTERIO PUBLICO FEDERAL - MPF; - Parecer técnico n® 9/2017 - MINISTERIO PUBLICO FEDERAL ~ MPF (respostas a quesitos complementares); - Relatério Técnico n® 367/2017, do Centro de Apoio Operacional - CAOP , Setor de Pericias ¢ Apoio especializado do MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO (MPE/M - Relatério Contabil n° 36/2017 do Centro de Apoio Operacional- CAOP , Setor de Pericias € Apoio especializado do MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO (MPE/MT); = Nota técnica n* 939/2017/REGIONAL/MT da Controladoria Geral da Uniao- CGU. Além das respostas técnicas referidas, a demanda foi submetida, ainda, a analise da Controladoria Geral da Uniao-CGU, a qual elaborou e encaminhou a Nota ‘Técnica n° 939/2017/REGIONAL/MT, que segue anexa. ‘Conforie se comprova em referéacia de documentes constarte dos documentos técnicos mencionados. Ministerio Pablic Federal -Procuradoria ds Repablica em Mato Grosso Rua Estevdo de Mendon, 830 (esq e/ AY. Getiio Varga) ~ Ed. Green Tower ~ Bairro Quilembo -CuiabiMT (CEP. 7803-105 - Fone(65}5612-SOW0/Fax(68)3612-000 BBA pagina 5 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO pean eee DEMATO GROSSO. Conforme se pode comprovar a vista dos documentos referidos, em especial nas conclusées que externam, 0 panorama em que entabulada a “minuta de acordo de autocomposicao destinado a retomada das obras de implantacao do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos” revela quadro de verdadeiras incertezas e inseguranga quanto aos termos em que estabelecidos os valores ¢ acerca da regularizacao das diversas falhas e equivocos observados no passado, durante a desastrosa tentativa de execucio/finalizagéo das obras do veiculo leve sobre trilhos. Sendo, vejamos: a) = Da pericia realizada no ambito do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL- Parecer técnico n. 7/2017 e as respostas a quesitos complementares A fim de proceder a anélise técnica sobre as cldusulas da “minuta de acordo de autocomposicao destinado 4 retomada das obras de implantagao do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos”, realizou-se pericia, no ambito do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, na érea de engenharia civil, para que expert deste ramo esclarecesse: a) se a proposta de acordo entre 0 Estado de Mato Grosso e 0 Consércio VLT Cuiabé - Varzea Grande, destinada a retomada das obras de implantagao do modal de transporte de veiculo leve sobre trilhos esta em conformidade com as auditorias realizadas pela KPMG; b) se 08 valores acordados so legitimos, consenténeos com prego de mercado para fnalizago das obras; ©) se a auditoria da KPMG em que se baseou 0 acordo! tem imeguleridades e/ou vicios e quais seriam estes; d) se os estudos de auditoria da KPMG, bem assim o acordo alcangado pelo Estado de Mato Grosso e polo consércio VLT, levaram om consideracio, de forma legitima, bem assim se fizeram refietir nos Valores alcangados, eventuais medicoes ja pagas e reajustes devidos. No mesmo ponto, solicitou-se que 0 pero informasse se os valores para Pagamento de passivo contratual em favor do consércio VLT Cuiaba - Varzea Grande, referentes a medicées no quitadas, reajuste contratual e outros, e da retomada e concluséo do objeto contratual s8o condizentes com os dados apontados nos relatorios apresentados nos autos da consultoia contratada pelo Estado de Mato Grosso junto @ KPMG e nos autos da consultoria contratada pelo Consércio junto & Emest e Young: ¢@) considerando a resposta do item anterior, s@ os valores referentes 30 assivo contratual, apresentados no acordo, seguiram as texas de mercado para serem caiculados, Minister Pantico Feders!-Procuradoria da Repatstea em Mato Grosso Rua Estevto de Mendonga, 830 (6g! AV Vareas) Ed Green Tower ~ Bairo Cuilombo -CuiabirMT ‘CEM 78.013-405 = Fonc{@SB612S000F an(6S)3612-5000 BBA aigina 7¥e 70, F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. eae ae DE MATO GROSSO f) com relacéo @ retomada e conclusdo das obras, se os valores apontados no acordo como necessarios para o termino das obras do modal de transporte esto dentro do projetado no mercado; 9) se © trabalho de auditoria da KPMG levou em consideragao os resultados dos estudos de auditoria empreendides pela Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso, tem assim seus reflexos; h) se foram corretamente considerados/concluidos/distribuidos os percentuais/participacdo de “culpas contratuais’ entre o Estado de Mato Grosso e consércio VLT em razdo da moraidescumprimento do contrato; i) acerca da legitmidade de proposte de adivo contratual, na forma sugerida pelo estado de Mato Grosso em allanga 20 Consércio VLT, tendo em vista o Regime Diferenciado de Contratacso; j) demais irregularidades e informacées de relevo que constatar pelo ‘exame do material encaminhado; k) por fim, baseando-se nas informagtes extraidas dos quesitos anteriores, ‘solicitou-se que 0 perito informasse se erario obtera vantagem com a rescisdo e a soluco do contrato em perdas e danos,ou com uma eventual nova lictacao. © perito designado pela 5? Camara de Coordenagéo e Revisio do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL para atuar no caso elaborou 0 parecer técnico n® 7/2017, 0 qual jé consta-dos autos, respondendo de forma parcial aos quesitos lancados, tendo pontuado que seria necéssirio o exame de outros documentos (Relatério de Auditoria da Controladoria-Geral.do Estado de Mato Grosso n? 11/2017, Relatério de Auditoria da Emest e Young, entre outros) para anjlise proficua sobre os termos do acordo e resposta aos questionamentos. Por esse motivo, realizau-se solicitagdo de pericia complementar para exame acerca da documentagic em questo ¢, simultaneamente, foi pedida vista destes autos judiciais para verificagao da necessidade de apresentagao de novos quesitos, Tendo os autos do presente processo vindo ao MINISTERIO PUBLICO. FEDERAL no dia 05/05/2017, constatou-se a imprescindibilidade da apresentagao de novos quesitos ao perito, quais sejam: 1) Qual 0 porcentual da auditoria da KPMG foi considerado na minuta d= acordo realizada? 2) Com a analise dos autos do processo judicial, verificou-se que a KPMG realizou auditoria (produtos 1, 2 @ 3) @, apés, respondeu a Ministério Pablie Federal -Procuradoria da Repiblica em Mato Grosso ua Estevao de Mendonga, $30 (esq Av, Geto Vargas ~ Ec. Green Tower ~ Sar Quilsmbo —CuisbarMt (CEP: 7KO43-405 - Fone(5}5612-SO10/Fax(68)3612-5000 BBA pina de 70 MPF MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO diverses questées especificas levantadas pelo Estado de Mato Grosso Considerando os termes da proposta de acordo, é possivel precisar a Porcentagem dos produtos 1, 2 € 3 da auditoia da KPMG que foram considerados? E possivel precisar qual porcentagem destas respostas Posterires da KPMG, fealzadas a pedido do Estado, foram consideradas no acordo?. 4) © acordo é vaniajoso para o Estado, para o consorcio VLT ou para ambos? No sendo 0 acordo vantajoso para o Estado, & possivel precisar 0 dano ao erario resultante do acordo? 5) De acordo com a proposta de acordo, os custos da manutengao do material rodante so suportados pelo Estado, pelo consércio VLT ou por ambos? Estes custos foram apurados pela auditoria da KPMG? Estes custos representam qual porcentual do valor total fixado no acordo? 6) Houve atualzacéo/correcdo/reajuste, na auditoria da KPMG, telativos 0 adiantamento de R$ 497,99 milh6es pagos a titulo de “material rodante’ a0 Consércio VLT? Acaso posiva a resposta, tal atualizagéo/corregdo/reajuste foi compensadofabatido com. eventuais valores devidos pelo Estado de Mato Grosso ao Consérco VLT? 7) Tendo em vista o informado por meio do parecer técnico r® 7/2017 no sentido de que a distribuicdo de culpas entre o Estado de Mato Grosso e © consércio VLT, empreendida pela auditoia da KPMG, seguiu *metodologia propria’, informe se tal metodologia ou as concluses acerca da “culpe compartihada’ levaram em consideracdo ou embasaram-se nas conclusdes dos diversos Relatorios de Gerenciamento eleborados pela Gerenciadora/Fiscalizadora da obra (PlanserveSondatécnica), avaliag0 de cesempenho estrutural das obras elaborada pela sociedade empresaria LSE LABORATORIO DE SISTEMAS ESTRUTURAIS LTDA, no julgamento do TCE (fis. 456/528) e, especialmente, no Relatorio de Auditoria n° 19/2015 da Controladoria Geral do Estado. 8) O Relatério de Auditoria n° 11/2017 da Controladoria Geral do Estado leva em consideragio © que consta no Relatério de Auditoris n® 19/2015 da Controledoria Geral do Estado? 9) A auditoria da KPMG levou em consideragao e fez reflec em suas conclusées a dscrepancia quanto as planiihas de antepiojeto e planiiha elaborada pelo consércio VLT no tocante 4s obras de arte esoeciais, apontada no Relatério n? 1912015 da CGE? 10) Os custos para corregao dos defeitos apontados pelos diversos Telatérios de gerenciamento sobre a execucéo da obra da Planserve/Sondotécnice, bem assim pela andlise de desempenho da sociedade empresdria LSE LABORATORIO DE SISTEMAS ESTRUTURAIS LTDA e do Relatério de Auditoria n® 19/2015 — CGE foram calculados pela Auditoria da KPMG? Em sendo positiva a resposta, as conclus6es da KPMG fazem abatimento de tais valores no montante que apontam como devido ao consércio VLT pelo Estado de Mato Grosso? Houve atualizagao (correcao e reajuste, segundo criterios do contrato)? 14) Os valores apontados na auditoria da KPMG relativos a medigses no pagas pelo Estado de Mato Grosso 20 consorcio VLT (outubro, novembro e dezembro de 2014) estéo corretos, compativeis? HA suporte documental que subsidie as medigoes? MinistériePatiico Federal - Procuradoriada Repabies e® Maio Grosso Ru Estevdo de Mendong, 830 (esq Av. Gail Vargas) Ed, Green Tower Bero Qulombo -CuiabiMT CEP" 78 043405 = FonetG3}9612-50007aN(G5)9013-3000 BBA pga 9 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ee ne DE MATO GROSSO 12) No avordo proposto ou no relatério de auditora da KMPG houve consideracao de eventuais projetos basicos/executivos apresentados pelo conséreio VLT? 19) Houve céiculo dos custos operacionais efetivos com a suspenséo contratual (no relatéria da KPMG elou na ptoposta de acordo)? Em sendo positiva a resposta, tais célculos basearem-se ou esto subsidiados por documentos comprobatérios que os respaldem? Na Proposta de acordo, @ quem foi atribuida a responsabilidade por arcar Com cs custos realizados por conte da suspensio do contraio? 14) Foi abatido/compensado do valor apontado como de "medigdes no pagas’ a importancia de R$ 155.815.857,04, aponiados pelo Estado de Mato Grosso como diferenca entre os valores j& pagos pelo Estado e 0 efetivamente executado pelo Consbrcio VLT relativamente ae obrigagées contratuais da contratada? Vide f. 2.363 dos autos. 15) A auditoria da KPMG ciagnosticou inconsisténcias de informacdes no edital a respeito ca topogratia e geotecnia dos locais das obres? Caso positivo, especificar: Vide f, 2.408 dos autos 16) Os documentos constantes de fis. 3.091/3.096 dos autos podem ser compreendides ou designados como projetos executives de acordo com © anteprojeto que consta do edital de licitagéo ¢ normas técnicas correlatas? Estes documentos merecem aprovacéo no. ambito do Contrato n° 037/2012/SECOPA, segundo 0 que exige sua clausula 7.14, oD 417) Teca consideracdes acerca da corre¢aolincorrecao do que consia da “andlise da questao de projetos executives elaborada pela consorciada projetista” - Magna Engenharia (fis. 2.686/2.730), em especal, esclereca se houve eletiva apresentacdo de projetos basicos/executivos a contento, segundo exigido pelo contrato n® 37/2012/SECOPA, conforme legato no documento em questo 18) Avista dos anexos de auditoria n° 19/2018 da CGE/MT, bem assim dos relatorios da Planservi/Sondotécnica e "analise da questo de projetos executivos claboreda pela consorciada projelista" (fs 2.686/2.730), pode-se afirmar que as conclusdes do relat6rio de auditoria n° 1912015 est&o corretas no tocante as deficiéncias constatades quanto aos projetos executives relaivos a0 contrato n° 37/2012/SECOPA? Explique. 19) As diferencas constetadas pelo Relatorio 19/2015 pela CGE no tocante as “obras de arte especiais” (diferencas entre o anteprojeto & ‘aquilo que consta como executado) foram levadas em consideracgo no estudo da KPMG e na proposta de acordo entre Estado e Consércio VLT? Vide fis. 294/527. 20) A diferenca de valores entre valor global valores unitarios, indicada no parecer n° 0021/2016 da CGE, consubstancia erro aritmético? Caso positiva a fesposta, 2 diferenga apontada, em valor orginal de RS 174.428.277,21, segundo dispde a clausula 47.1 do contrato n® 37/2012/SECOPA deveria ser atatida do valor ‘otal da proposta do consércio VLT? Acaso afirmativa 2 resposta, tal “abatimento” foi efetivadoflevado em consideracao no estudo da KPMG ou na proposta de acordo entre Estado de Malo Grosso ¢ Consorcio VLT? Vide fs. 6.13616. 180, Minisério Pablico Federal -Proceradoria da Repiblica em Mato Grosso ‘ua Estevdo de Mendon, 830 (esq e/ Av. Geilo Varaas)~ Ed Grosn Tower ~ Burro Quilembo -Culabi/MT ‘CEP: 78.083-405 -Fone(6215612-500UFax(55)3612-500 BBA prigina 10 de 79 F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL M P MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO poe tee re DE MATO GROSSO 21) As conclusdes da “avaliag8o de desempenho estrutural’ da LSE quanto a qualidade das obres foram mensuradas nos estudos da KPMG? E na proposta de acordo? Vide fis. 459/876. 22) Constam da proposta de acordo ou dos estudos da KPMG valores a ‘serem abatidos em furgao de necessidade de correcAolrefazimento de obras a cargo do consércio VLT? 23) Caso necessério, aborde mais quesiSes que se mostrem oportunas a Tespeito da proposta de acordo para retomada das obras do VLT, conforme seu criterio. Inicialmente, € necessario destacar que, ainda em andlise preliminar (parecer técnico n° 7/2017), a pericia solicitada pelo MINISTERIO PUBLICO FEDERAL ja apontou inconsisténcias, fragilidades e irregularidades na “Minuta do Acordo para a retomada das obras do modal”. Nesse sentido, 0 parecer técnico n® 7/2017 destacou diversos vicios que prejudicam, na andlise que ora se leva a efeito, a viabilidade da minuta de acordo © realizada, sendo necessdrias providéncias para corti r as ilegalidades destacadas, acaso persista interesse negocial entre o ESTADO DE MATO GROSSO e o CONSORCIO VLT CUIABA. ‘Apés a solicitacao de parecer técnico complementar, verificou-se que em repostas complementares também foram detectadas irregularidades ¢ ilegalidades nas clausulas da proposta de acordo apresentada. Calha ressaltar, mais uma vez, que nao se imiscuiré nas escolhas administrativas do ESTADO DE MATO GROSSO, uma vez que o MINISTERIO PUBLICO_ nao desempenha papel de gestor de coisa publica, porém serdo registradas todas as ilegalidades encontradas na “Minuta de Acordo” firmada, sob a influéncia do trabalho técnico-pericial, em consonancia com seu dever de atuagao insculpido nos arts. 127 ¢ 129, I, IIL, da Constituigao de 1988, bem como art. 5° da Lei Complementar 75/1993. [Ministévio Pablico Federal - Procuradori da Replica cm Mato Grosso Ra Estero de Memon, £30 (esq! Av. Geilo Vargas) ~ Ed, Green Tower ~ Barro Quilombo -Cuista/MT ‘Cen 7a b43-405- Fowe(63}3012S000aRO9)9012-3009 BBA pagina JI de 76 M MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO ‘Miser Pics Federal DE MATO GROSSO alA inuta de Acordo” eas conclusies de auditoria da KPMG Conforme refere o parecer técnico n. 7/2017, em resposta aos quesitos que Ihe foram submetidos, a “minuta de acordo de autocomposigao destinado a retomada das obras de implantacio do modal de transporte veiculo leve sobre trilhos” nao esti em conformidade com as auditorias realizadas pela KPMG, a qual foi contratada pelo ESTADO DE MATO GROSSO exatamente com vistas a sanar quadro de incertezas acerca da decisao politica a ser tomada pela continuidade (ou ndo) da execugdo das obras do modal VLT pelo CONSORCIO-VLT, Réu nesta demanda. Em reforgo a tal conclusao, o parecer técnico 7/2017 afirma que: "86. Considerando a anélise feita, dentro da especialidade de engenharia, entende-se que a Minuta de Acordo analisada é mero ajuste financeiro entre o Estado de Mato Grosso e o Consércio VLT Cuiaba, cujo trabalho de auditoria realizado pela KPMG Consultforia Ltda, dado como referencial, em particular os denominados Produtos 1A é 1C, servis apenas de instrumento balizador, sem, ccontud, infiuencié-lo, 56. Corrobora tal afirmativa as diversas modificacdes e apuracdes adicionais providenciadas pela KPMG, sem qualquer compromisso com seus Produtos, i Sr fi yanceiro da _proposta de ajuste encaminhada para conhecimento do Ministério Puiblico Federal.” © documento técnico complementar (parecer n° 9/2017) explana que: “importante ressaltar, para que nao haja confusSo, que @ Minuta de Acordo sob andiise, ‘quando se refere a valores, aponta que o montante do juste foi distrouido em planihas identficadas como Anexo HA (Passivo do Contrato ~ Reequilirio Econémico-Finanoeiro — Casto de Manuteneao), Anexo 18 (Sado Contatua ¢ Anexo KC (Reequitto EcondmicoFinsnce), Apesar de tals pianihas serem-refernciadas aos valores da KPMG. de fato, foram elaboradas com base em it la KP ido abrigam completamente os resutados dos Produtos 1, Be 1-C7 ‘Além disso, 0 trabalho técnico aponta que a auditoria independente da KPMG, em suas préprias conclusdes, externa: 'Nesse sentido, foi apurado pela KPMG no Prodito 1-4 (p. 48-49): ‘Sobre os valores apresentados pelo Conséicio constutor para término do projto, Concluimos como néo procedente 0 valor de RS 265.463.567 60, demonstrado na °Grifos nossos. “Grifos nossos. Ministerio Ra Estevto de Mendongs Federal- Proceradoria da Repeblica em Mato Grosso (esq! Av Gctllo Varas)~Ed Green Tower — Batre Quilmbo -Cuiahi/M "PRAA3-ACS = Fone65)3612-SO0UFAN(S)8612-5000 BBA agin 12 de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO fee ee DE MATO GROSSO Tabela 9 acima, referente 20s custos adicionais pera terminar as obras apresertado pelo Const, em razio cos motos elencados aba Em reunigo com 0 Corsorco constutor reaizada em 11.12.2015, ‘esdarecemos que tratam-se de cusios indies: = Enlendemos que os cusios indiretos esto disiibuidos no prego do ccontrato, que por sua vez € pago segundo as medigtes realzadas mensalments, e aprovadas pela Gerenciadora, = Nap identficamos nenhumia memonia de calculo apresentada pelo Consércio que justifcasse 0 valor apresentado. Durante a reuniéo de 11.12.2015 solictames a abetura e a meméria dos vabres, onde 0 Consércio constutor se comprometeu a ertregar essa inforrago no decorre’ da semana de 14 12.2015; e finalmente = Aulorizar a cobrenga de um vaior ational no ROC vigente, que no se enquadre como alteracdo das condigSes contratuais, ou situagbes de reequilbrio econémico finenceio, se constituria como no procedente & incabivel nessa modlidade de contralo, e a SECID estaia sujeta a sangbes e fiscalzagbes dos 6rgéos de controle. valor de RS 346.119.087,67 que refere-se 20 seddo contratual base PO ou Dezembro de 2014, no apresenta mérto e portanto fol classifcado como no pprovedente, pois descontava do sakdo contratual de Setembro de.2014 ne valor de RS_411.485.010,83, o valor de RS 49.598.27525 referente as medibes aulorizedas e no pagas de outubro, novemibro e dezembro de 2014, Descontava também, do salco contratual, 0 valor de RS 15.767 653,00 referente a Trincheira Crsio Rei, valor este apresentado na cata de ‘Encaminhamento do Piznejamento, Cronograrra das Obras e Cronograma Financeio Trmesrat. Para eleito de saido contratual, para término das obras, a KPMG considera mérito 0 valor de R$_383.350.534,73 pos desconta do sakdo contatual de setembro de 2074, 0 valor de RS 28. 134.475,02, classiicando corro procedente de mérto para as medioies autorzadas e néo pagas de outibro, novemtro e dezembro de 2014 (gifo e negito nosso), ‘Quanto 20 valor de RS 15.767.653.00 referente a Trincheira Cristo Rei, jé ‘comentando acima, niéo foi descontado do saldo contratual pois, na eventual retomada do contrat ROC 0 Consorcio devera apresentar uma solucdo tecnica, aprovada pelo Estado, a fim de substi a obra n8o execuitada (orfo e negrto ‘n0ss0). ‘Sobre 0 valor de salto contratual, consiceraco como procedente de mérito atualizado até dezembro de 2015, apresentamos 2 cenaros, onde (grfo € nnegrto nosso): + No canério 4, nfo consiieamos o resis cos oeens_do- sala Peceebleids oe aoe ae sea are veer eee ee merto neste cendro é RS 446.536.776,57 (gifo enegito nosso). + No cenario 2, consideramos os atrasos ¢_a responsabiidade_das ppattes._detathadas_no_produip_1C._na_oniem de 32% ¢ 68% de ‘esponsablidade. respectvamente para o Consorcio e SECOPA. Assim, nessa hip6tese de célculo, o Consércio néo teria direito de reajusiar 0 saldo contratual sobre a parcel onde os atrasos foram de sua Tesponsabldade, resuitando no valor de R$ 426.317.179,18 (grfo & rnegrito nosso) J& no Produto 1-C, consluiua KPMG (p. 112-113): «) ‘Séo diversos fatos geradores que 0 compdem os atrasos gerados, oi necessario ‘analisé-los separademente, para entao unos em um Segundo momento de modo a se obler um fator que impute @ contrbuigdo de responsabildade na ‘geracdo desses atrasos, 20 Contratante e ao Cortratado. E assim fo feito. essa forma e conforme demonstrado em detalhes anteriormente, conchi-se que ‘2 Contratante incorreu em 68% de resconsabilidade nos atrasos gerads, sendo ‘certo que o Gontratado inoorreu no restante, em 32%, ria sornatbria dos dversos niatero Pubico Federal -Procaridoris ds Repatiie em Mato Grosso Rua Estvto de Mendonsa, 830 (eq. of Av. Geto Vareas) - Ed. Green Tower — Buiro Quilombo —CuiabilMT (CEP. 78.048-403- Fons{63)5012-S000/FaN(65)3612-2000 BBA pagina 3.de 70 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Mitre Poco Federal DE MATO GROSSO {etores contibuintes dos atrasos durante a vigéncia total do contrato, 30 meses (opifo nosso), *+ No identifcamos ateragSes de escopo que jusiicaram a mucianca do ‘contraio 037/2012 SECOPA MT estabelecico em regme RDC, Essa conclisao nos permitu quantifcar e monetizar 2 responsabildade para fentéo avaiar, de forme préica os valores réo procedenies dos pletos de Reequilri, Considerando as quesiées que versam scbre a solcitagao de Ressarcimento & Reequilbrio encaminhades pelo Consdrcio ao Contratante, foi possivelidentficar diversas inconsisténcias nos valores requeridos, especiaimente aquelas que no esto em conformidade com 0 Contrato. Também foi possivel quanificay, especticamente nos pedidos de Reequilrio, a parce realmente devida 20 Consércio derivada das. atibuigées de responsabilidade comparthada. No eentanto, também foi identficado mérto em diversos portos, nas soliciagtes de Ressarcimentoe Reequifbrio, em favor do Consorco, Desa andlse, que pariu de RS368200.062,22 pleiteados pelo Consérco foi | fecomendado o_pagamento_de_R$139.083467,13 (cen e trinla e nove ‘miles de reas, ofenta e trés mi, quatrocentos e sessenta e sete reais e treze centavos), (base maio de 2012), portanto, uma economia 20 Estado de $229,116.095,09, 0 equivalente 2 62% do oiiginelmente aponiado pelo ‘Consércio (gnifo e negrito nosso). (Os R$139.083 467,13 (valor acima indcado como resomendatio) corrigdo @ valor de hoe, atinge R$189.957.782.88 — este & 0 valor que represeria a somatéria final de tocos 05 pletos do Consércio considerado como provedente, coigido até ‘data de dezembro de 2015... (gifo © negrto nosso) ‘Confome mencionado no tem 3.42.24que resume os valores devides 20 ‘Consércio pelo Regjuste de Pregos, ha a consideraydo de um segunco cenari, ‘que nomeamos de cenéro 2, onde cansderada a parcela de resporsabiidade or atrasos ao Consércio, sequindo a logica demonsrada no item 3.2.2. Dando sequéncia sob esta ética, resulta dois novos valores, um efetivamente do valor devido a0 Consércio pelo Reajuste de Prego e outro do saldo oontratul, levando-se em consideragdo as parcelas de responsablidace imputada a cada parte, onde: 9) Go vier deve para Reajule de Prot ara ci de vars davon at adala 201 35180 057 782.88 para 8S 176.405 222.085 ( X Teferente 208 32% de culpa nos atresos demonstrado no item 3.4.22.4) (gro rosso) ‘Com base em anilise da auditoria da KPMG, em cotejo com os termos da Minuta de Acordo apresentada, 0 trabalho técnico-pericial conclui que 79% por cento apenas do que levantado pela KPMG em seus estudos constou dos valores assumidos na Minuta de Acordo. Veja-se: ‘Dessa forma, considerando apenas valores brulss € gue todes as datas dos valores ‘seiam referenciadas a dezembro de 2016, 0 percentual apicado na Minuta de Acordo dos Produtos 7-A e 1-C da KPMG foi de 79% (setenta e nove por cento)” Mais adiante, 0 trabalho técnico refere que, com relagdo as indagagdes posteriores feitas pelo ESTADO DE MATO GROSSO & KPMG (apés a elaboracdo de conclusdes pela auditoria relativamente aos Produtos 1, 2.e 3 originalmente contratados), Run Estevao de Mendonga, $39 (esq Av. Geto V CER, 7843-105 - Fones)3 M P F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO rere ee DE MATO GROSSO houve um acréscimo de 263% em valores com telagao 20 quanto apurado inicialmente pela auditoria independente. Nas palavras do perito: “apés os acréscimos e modificacdes dos valores apurados nos Produtos 1-A e 1-C da KPMG, 0 valor total da Minuta de Acordo importou numa majoracio de 26439 inte ta ¢ trés contésimos por conto)” ou em valores, 192.745.9617 (cento e noventa e dois mithdes, setecentos ¢ quarenta ¢ cinco mil, novecentos e seis reais e dezessete centavos)”, all) O prazo constante da “Minuta de Acordo” Com efeito, em pormenores’, 0 trabalho técnico refere que o prazo eniabulado na “minuta de acordo de autocomposi¢ao destinado 4 retomada das obras de implantagio do modal de transporte vefculo leve sobre trilhos”, de 24 (vinte e quatro) meses é maior que aquele apontado como necessario na auditoria da KPMG - 19 (dezenove) meses, e que tal “composigiio de prazo representa R$ 122.704.061,07 (cento © vinte e dois milhées, setecentos e quatro mil e sessenta e um reais e sete centavos)” em ackéscimos de valores ao total a ser englobado na proposta apresentada para acordo. Ressalte-se que 0 prazo de 24 (vinte ¢ quatro) meses é © prazo contratual original, ou seja, 0 certame e 0 contrato 037/2012/SECOPA/MT tém por previsio para execugio total da obra, desde 0 inicio, um total de vinte e quatro meses, ndo sendo razodvel, nem mesmo para o. leigo, que a retomada de uma obra, na qual jé foram is tercos) despendidos/pagos cerca de 70% do valor total do contrato ou mais de 2/3 (4 desse valor, contemple a finalizagao dos menos de 30% restantes no mesmo prazo. Além disso, os documentos nos autos dao conta de que um total de mais de 70% porcento da obra ja teria sido efetivamente executado, nao se mostrando justificavel que © restante da execugdo do instrumento contratual necessite do mesmo tempo originalmente fixado no contrato administrativo para sua execugao total. °[(RS 922.000.000,00 (-) RS 729.254.093,83)RS 729.254.093,83] * 100% RS 922.000,000,00 (-) RS 729.254.093,83, "Parecer técnico 7/2017 (MPF). Minstro Pico Federal -Procuradors da Kepdblia em Mato Grosso Run Estevio de Mendon, 830 (esq! AV. Geto Vargas) ~ Ed. Green Tower ~ Barro Quilombo -Cuiab/MT ‘Cee: 78083-403- Fone(03)3012-00/FaN(62)9612-9000. BBA pga (3 de 70 M P EF MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO tc Pe Foderat DE MATO GROSSO A anilise ora empreendida, bom que se digs, considera a regularidade das obras jd entregues, “niedidas © pagas”, sendo imperioso que se gize (¢ adiante, nesta manifestacao, tal assunto serd revisitado) que os diversos documentos constantes destes autos, como diversos relatérios de gerenciamento do Consorcio contratado pelo ESTADO DE MATO GROSSO - PLANSERVI/SONDOTECNICA, auditorias empreendidas pela Controladoria Geral do Estado, a exemplo dos pareceres de auditoria 19/2015 ¢ 21/2016, além de relatérios de engenharia elaborados no ambito da Secretaria de Cidades do Governo Estadual-SECID, dio conta de irregularidades e falhas na execugao das obras jé entregues, sendo certo que, conforme disposicées contratuais, eventuais falhas ¢ irregularidades em obras so de total responsabilidade do Contratado, no caso os Réus nesta aco, no podendo ser, portanto, objeto de execucao prevista em eventual aditivo temporal ao contrato, sob pena de onerar-se irregularmente 0 erdrio, conforme restou efetivamente apontado pelo parecer técnico 7/2017. Destaque-se que o ESTADO DE MATO GROSSO nao pode “sentar-se 4 mesa de negociages” como um particular que, num panorama de pretensdes que mutuamente se repelem, pode alcangar denominador comum muitas vezes cedendo em posicdes pessoais. As negociagdes no ambito da pretensdo de continuar ou nao a execugao, do contrato n. 037/2012/SECOPA/MT nao podem descurar das regras de direito publico e ‘consectarios, como a supremacia do interesse puiblico e indisponibilidade do interesse pablico na boa apli \;80 do erdrio, sob pena de serem ilegitimas ¢ ilfcitas. Exatamente neste espirito foi contratada a auditoria da KPMG, para que, num quadro de incertezas e oposico de pretensdes quanto execugdo do contrato e responsabilidades pelos descumprimentos dai decorrentes, bem assim diante do primado do interesse puiblico no caso, fosse realizado trabalho independente que se mostrasse verdadeiro fiel de balanga para a tomada de decisao por parte do Estado. Esse trabalho de auditoria independente da KPMG, diga-se, gerou gastos a ESTADO DE MATO GROSSO, sendo contratado pelo valor de R$ 3.880.981,58 (trés milhdes, oitocentos ¢ citenta mil, novecentos ¢ oitenta e um reais e cinquenta e oito istirio Piblico Federal -Proceradoria ds Repiblics em Mato Grosso un Esevdo de Mendon 43) (one! Ax-Gcio Vargas] Ee ree Toner — Bae Quimbo~CuisayMT ‘CE. 7843-405 -Fone(63}8612-S000/Fant6S)3612-S000 BBA pagina 16 de 70, M MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Mate vate Core DE MATO GROSSO centavos)", nao havendo justificativa para que suas conclusdes quanto ao tempo necessirio para finalizagao das obras sejam simplesmente desprezadas pelo ESTADO DE MATO GROSSO, mormente quando o acréscimo temporal implica comprometimento, como visto, de mais R$ 122.704.061,07 (cento e vinte e dois milhées, setecentos e quatro mil e sessenta ¢ um reais e sete centavos). Por fim, de se destacar que nao cohsta da “Minuta de Acordo” qualquer justificativa para o alargamento de prazo indicado em auditoria independente da KPMG. Il) As datas de correcao dos valores e a insercao de valores sem suporte documental nos estudos da KPMG O parecer técnico 7/2017 refere ainda que “o valor apontado na minuta de Acordo para o saldo contratual foi apurado com valores corrigidos em datas diferentes”, couforme meméria de célculo da Tabele 1”, ou seja, 0 relatério do Produto 1A da KPMG aponta uma data de atualizagao do saldo contratual”? e a minuta dé Acordo aponta valor atualizado em data diversa', sem que qualquer destas datas se refira a data em que supostamente seriam executados 0 valores referentes ao saldo contratual. Mais que isso, 0 documento técnico elaborado por setor especializado do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL aponta que “na proposta de acordo foram inseridos valores no reconhecidos pela KPMG¥ emt seus estudos (Produto 1C), hija vista auséncia de suporte documental para justifici-los. Entretanto, a pedido do Estado de Mato Grosso (Anexo Ido Anexo Ida Minuta de Acordo), a KPMG apurou tais custos"® (relativos a “reajuste de precos de material rodante” e “variagao cambial sobre o consércio construtor”), porém cont ressaloas para possivel pagamento. Por essa razio, na Planilha 1-A do Anexo VI da Minuta de Acordo "Fs, 4904/4911 "Grifo nosso. io consta do material encaminhado memria de calculo da atualizago do saldo contratual efetuado pela KPMG, Dessa forma, ndo foi possivel verified-la "Dezembro de 2016 "Maio de 2016. "Grif nosso: "Grif nosso. Ministerio Pattico Federal - Rus Estero de Mendon, 830 (esq. ©! AV. ‘CEP. 78033-405 ocuradoria da Kepanticn em Mato Grosso (0 Vargas) ~ Fa Green Tower Bairo Quilonbo -CuiabMT Fonss}612-5000FaN(is)9012-5000 BDA pine 7 76 M Pp F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Mirtle Pibio Federat DE MATO GROSSO houve a insercio de R$ 54.170.680,84 (cinquenta ¢ quatro milhdes, cento e setenta mil, seiscentos ¢ oitenta reais ¢ oitenta ¢ quatro centavos),"” datn-base de dezembro de 2016, cacima do apurado pela KPMG no produto 1C”. De outra parte, 0 trabalho pericial” aponta que “nas consideragoes da Minuta de Acordo (p.5) encaminhada para andlise, verifica-se que os estudos da KPMG nio foram suficientes para peremptoriamente dirimir as celeumas da execugio contratual’””, No ponto, ressaltou que a minuta de Acordo refere: “A consulloria contratada prestou esclarecimentos referentes ao Produto 01, datado de 22.01.2016, ocasiio em que também tespondeu_a_questionamentos agicionais no abrangidos pelo escopo contratual original, de acordo com a Ordem de Reinicio de servico emitida em 03.03.2017 [Anexo I] (arifo nosso), (ea) XV. Diante dos resultados do estudo técrico contratado pelo Estado de Mato Grosso, € das discordancias existentes quanto as suas conclusbes pelo Conséxcio, as partes buscaram um entendimento que baliza tanto o pagamento do pessivo contratual quanto da despese incispensavel para término da obra de implantago do modal de transporte. (...)(grifo nosso)’ Apés a referéncia, o trabalho técnico conclui que “em relacao aos valores, nao hi diivida que houve, essencialmente, uma composicto financeira para reinicio das obras ¢ coneretizacao da objeto do Controto n. 037/2012/SECOPA/MT, com referéncia cos estudos ¢ informacdes fornecidas pele KPMG, sent contudo, considerdlos integralmente”. Neste particular, necessério repisar que, mais a frente, em “conclusao” do parecer técnico 7/2017", o expert destaca que “dentro da especialidade de engenharia, entende- se que_a Minuta de Acordo analisuda & mero ajuste financeiro entre o Estado de Mato Grosso e 0 Consércio VLT Cuiaba, cujo trabatho de auditoria realizado pela KPMG Consultoria Ltda, dado como referencial, em particular os denominados Produtos 1A ¢ 1C, serviu apenas de instrumento balizador, sem, contudo, influencid-lo”.* "Grif nosso. ' "*Parecer técnico 7/2017 (MPF). "Grifo nosso. 2Grifos no original. 2'ltem LIT do documento, *Grifos nossos, Ministério Pablico Federal -Proceradorin ds Repablica em Mi Rua Estevdo de Mendonca, 830 (esq e/ AY. Geto Vargas) ~ Ed. Green Tower ~ aitro Quilombo -CulabirMT ‘CEP. 78.043-405 - Fone(63)5612-SO0H/Fan(5S)3612-S000 BBA pina IS de 70 0 Gross» M P i MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO eta Testes tone DE MATO GROSSO a.IV) O compartilhamento de culpa na auditoria da KPMG e os valores alegados a titulo de despesas no periodo de suspensio do contrato De outro giro, 0 relatério de Auditoria da KPMG estabeleceu, em seus estudos, metodologia propria na qual empreendeu distribuigdo de parcelas de “culpas contratuais” entre 0 ESTADO DE MATO GROSSO e 0 CONSORCIO VLT-CUIABA, concluindo que a “culpa” do Contratante seria de 68% e a culpa da Contratada de 32%, Os valores apontados na Minuta de Acordo desconsideram a distribuicio de culpa apontada pela auditoria da KPMG, atribuindo o valor total apurado, o qual j4 ostenta vicios, dentre os quais os que foram até agora referidos, integralmente ao ESTADO DE MATO GROSSO, independente das concluses da auditoria da KPMG, que aponta que o ESTADO DE MATO GROSSO somente deveria responsabilizar-se por (68% dos valores referentes a sua culpa contratual. Nese sentido, o parecer técnico 7/2017 explicita que “na determinacao dos valores do acordo, ndo se identificou o uso da partilha de culpa desenvolvido pela KPMG, seja na apuracdo dos passivos contratuais (Planitha I-A do Anexo VI da Minuta de Acordo), seja 10 saldo remanescente da contratacio (Planilha I-B do Anexo VI da Minuta de Acordo)*. - Necessario desiacar que, a despeito da consideracao inicialmente apontada, © trabalho técnico identifica, em complementag3o (parecer técnico n° 9/2017), que 0 compartilhamento de culpa em percentuais estipulados nos patamares j4 descritos™ foi levado em consideragio apenas quando da apuracio de valores relativos aos dispéndios por ocasiao da suspensao contratual, os quais, bom que se diga, ndo tém qualquer relacao com o objeto contratual do contrato 037/2012/SECOPA, pelo que irretocavel a conclusio peticial suso descrita. Aqui, ainda relembra que “conforme nota das Consideracdes deste Parecer. parte dos valores inseridos ‘na Mima de Acordo néo foran objeto das Produtos elaborados pela KPMG, mas resultantes de apurasdes extraordindrias, logo, sem detdlhamentos que pernitan juizos mats precisos” i 68% para o ESTADO DE MATO GROSSO e 32% para 0 CONSORCIO-VLT CULABA. Miners Pétiico Federal -Procuradorta da Reptiles & Maio Grose. ua Estevio de Mendon 830 (eq! Av, Geilo Vargas) “Ed. Gren Tower ~ Barto Cuilombo —CuisbMT ‘CaP AOA 408 - Fon )SE12-S000aN{6)3C125000 DAS din 19 de 70 M P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. Miner Plies Federal DE MATO GROSSO A despeito de se admitir, apenas em esforgo reflexivo (j4 que tais valores sao estranhos ao cumprimento de execugao das obras em sentido estrito que é ou deveria ser 0 objeto da Minuta de Acordo apresentada), o influxo de negociagdes, nos termos do {que estipulado pela auditoria independente- com compartilhamento de culpa, acerca do dispéndio efetuado por ocasido da suspensdo contratual, os valores apurados foram meramente _apont STADO DE MATO GROSSO 4 KPMG, sem qualquer comprovacio documental: que respaldasse a assungio, pelo ESTADO DE MATO GROSSO, de responsabilidade por eventuais dispéndios efetuados pelo CONSORCIO- VLT CUIABA erfquanto obrigado, por ordem judicial, @ arcar com os custos da suspenso contratual. Nas palavras da propria KPMG, replicadas pelo expert em seu trabalho pericial: Coube a KPMG. nica e exclusivamente, de forma sucestiva, aplicar sobre o pleito 0 método de ih de bilidade 20 calculo da ‘atuallzaco finaneeira. Nosso sentido, fol atrbuido ao Estado do Mato Grosso 0 irmporte de 68% do valor pleiteado pelo Consérco VLT Cuiabé-Varzea Grande e, os 32% restantes, -20 proprio Constrcio.” Assim, a despeito de constar da clausula 6 “e” da Minuta de Acordo que “os valores relations a sobrecustos suportados pelo Consércio durante 0 periodo de suspenséo do contrato, ocorrido entre janeiro de 2015 ¢ abril de 2017, terfo seus pagamentos atrelados @ documentos contprobatérios” no faz sentido que tais valores sejam, & mingua de qualquer comprovacao, antecipados e apurados em negociagdes de acordo que tem objeto diverso™ e 6 entabulado no bojo de agao judicial que nao discute valores suportados por qualquer das partes com despesas pela suspensdo contratual pleiteada pela parte Autora, com concordancia da parte Ré e/ou pela parte Ré (fl. 3269). Se tais valores fazem parte de realidade que ja se operou, ou remontam ao passado dos fatos, nao hé razo para terem sido apurados e apontados num célculo de *Grifos nossos. %Continuidade do contrato 037/2012/SECOPA. Ministerio Pablic» Federal -Proceradoria da Repiblica em Mato Grosso ‘ua Essevtode Mendon, 830 ex e/ Av, Geto Vargas) ~ Ex. Green Tower ~ Daltte Quilombo ~CuisbirM ‘CEP, 7843-405 - Fone(63)9612-SOO0/Funt6S)3612-5000 BBA prigina 20 de 70. MINISTERIO PUBLICO FEDERAL M MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. Iainsire Pubes reer DE MATO GROSSO acordo que pretende gerar efeitos futuros, apartados de compravagao que se dé de plano. E dizer, nao é legitima a inclusdo de tais valores, supostamente relativos a gastos jd efetuados, sem que sejam de imediato comprovados. A gravidade e inseguranga da inclusio de tais valores é reforgada, ainda, pelo quanto apontado pela prépria KPMG, replicado no trabalho peri al, que refere que, inicialmente, 0 ESTADO DE MATO GROSSO havia apontado um valor pelo custo mensal alegado quanto as despesas no periodo de suspensio contratual e, apés, solicitou retificagdo, apontando valores superiores, todos sem _qualquer_comprovacio de dispéndio, Veja-se: "0 Consércio CVLT pleiteay RS 1.991.481,94"" mensal pelo referente periodo gerando um montante de R$ 35.846.674,85 em funcao dos 18 meses (Abri1/2105 até Out/2016) ( importante lembrar que sobre esse valor, caber’ a SECID determinar se o valor est coreto ou no, @ que a quitagso dessa despesa deve’ seguir as recomendagées feitas acima Na sequéncia,a pericia aponta que “posterinmente, também a pedido do Estado de Mato Grosso, a KPMG complementou o entendimento e sugesties acima transcritos, por meio de correspoudéncia datada de 23de marco de2017’:* “Pedido de retificacS0 Quanto 20 custo de manutengo relatho 20 periodo de suspersséo do contrato ue foi objeo dos questionamentos dos tens Ce D consignados na Orde de ‘Servigo emitidos para KPMG Consultoria Lida. de 03/03/2017, retificamos que o valor correto do pleito do CVLT do custo de manutenicio monsal 6 RS 2.545.808,71° (dois milhdes, quinhentos a quarenta e cinco mila oitocentos € alto Tedis € setenta © um centavos, sendo R$ 1.345.808,71 (um milhao, tezentos quarenta e cinco mil, oitocentos e oito reais, setenta e um centavos), atinente a CR ALMEIDA, e R$ 1.200.000,00 (um milhdo € duzentos mil reais), atinente a CAF, relative 20 periedo de janeiro de 2015 a abil do 2017, totaizando 28(vinte ito) meses. Em razéo desta retificapdo, solicitamos que seja realzada as comegdes em vosso relalorio em razdo da presente retiicagao (grifo ¢ negrito ‘noss0). Resposta sugerida KPMG. importante destacar que nesse esclarecimento atenderemos a mtificacto do valor do custo de manutenc4o, conforme soilicitado pala SECID via e-mail em_2303.2017", no enianto as demais consileragSes sobre essa questé0, Grif nosso *Grifos nossos, *Grifo nos. "Grif nosso. Ministero Pablico Feder - Procuradorisda Repablica cm Mato Grosso RualEsevto de Mendonga, 30 (sg, Av. Geto Vargas) ~ Ed. Green Tower ~ Brito Qullmbo -CulabiMT ‘cep. 78:048-405- Fons3)9012-5000/F4N(65)3612-2000 BBA paling 27 de 70 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO Mia Pics Fedora DE MATO GROSSO respondides no relaibrio de esclarecimentos da KPMG de 06 de margo de 2017, permanecem inalteradas. ‘Sabre a reificaro dos valores do custo de manuterg0, considerando o novo valor infommado pola SECID de R$ 2.545,808,71, referents ao perodo entre janeiro de 2015 Abri de 2017, efetuamos os procecimentos a seguir’ Por diversas vezes na discussdo que se da nestes autos, os Réus pleitearam pela condenagao do autor ESTADO DE MATO GROSSO ao pagamento das despesas suportadas pelo CONSORCIO VL’ 'UIABA decorrentes da suspensao contratual. Em todas essas oportunidades a pretensao {oi resistida, seja porque foge ao objeto desta aco, a qual, diga-se, nao admite reconvengao ou pedido contraposto, seja por que esse D. Juizo entendeu que essa discussdo era descabida na sede em que se encontrava, conforme se pode observer nas decisdes de fls. 4835/1836 e fls. 5579/5582, por exemple. trabalho técnico-pericial, ainda no ponto ora analisado, termina por consignar que: “Nao obstante 0 apurado, merece ser feito um destaque. Na Tabela A do Anexo VI da Minuta de Acordo, 0 valor laneado para cobrir os custos ora discutides foi de RS 35,846 574,92, 0 qual corresponde a0 valor airbuido ao Estado de Mato Grosso (RS 43931.707,96), demonstrado na Tabela 3, menos parte de ressarcimento de atualizagao financera orunda de antecipardo de pagamienio feta pelo Estado de Mzto Grosso, no importe de RS 8.085.033 04 ‘Comparando © valor angado na Minuta de Acordo (R$ 35,846,674, 2) com aquele pleiteado inicialmente polo Consércio VLT Cuiabé-Varzea Grande (R$ 3684667485), antes da retficagao ocorida das depois, percebe-se que Sao idéntcos (a dierenca é de meros RS 0,07). Tal coincidéncia leva a cer, salvo juizo conirario, que 9 objetivo fatico da retificacao de valores solicitada_ de 0s valores em dir ao atendimento do pleito do valor a iimente Consércio VLT a.V) Valores de abatimento “admitidos” pelo CONSORCIO VLT-CUIABA e valores apurados e requeridos pelo ESTADO DE MATO GROSSO, nao abatidos no céloulo da “minuta de Acordo” Alm das diversas irregularidades ja apontadas, 0 parecer técnico 7/2017 tefere ainda que a Minuta de Acordo admite o abatimento de 11.549.754,28 (onze milhdes, quinhentos e quarenta e nove mil, setecentos ¢ quarenta e cinco reais e vinte e oito centavos) dos valores apurados a serem pagos pelo ESTADO DE MATO GROSSO ao Grito nosso. Ministério Pablico Federal - ‘ua Estevao de Mexdong, 830 (esq c/ Av. Geto Var ‘CEP: 7883-405 - Fone(6513 ‘da Repiblicaem Mato Grosso Ed Green Tower Baieo Quilombo -Cuiaa/M 7 04/Fax(58)8612-S000 1A pagina 22 de 79, MINISTERIO PUBLICO FEDERAL M MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO. eat acess * DEMATO GROSSO CONSORCIO VLT-CUIABA. Tal valor, segundo clausula 34 da Minuta de Acordo, seria referente a0 apurado na agao judicial n. 17193-68.2016.4.01.3600 (Agao de improbidade administrativa), em trdmite nessa 1 Vara Federal, para “restabelecimento des condigdes editalicias originais do contrato e 0 consequente pagamento pelo Consércio do valor apurado pelo Estado, na forma de abatimento de parte dos valores a ele devides em decorréncia deste acordo, & ainda as corregdes promovidas nos termos deste acordo relativamente ao cronograma fisico- financeiro para torné-lo efetivamente exequivel”. corre que, diferentemente do que discorre a cléusule 34 da Minuta de Acordo, o valor apurado efetivamente, 0 qual consta de planilha anexa 4 Minuta de Acordo, seria, conforme apontado no parecer técnico 7/2017", de R$ 11.599.745,28 (onze milhdes, quinhentos e noventa e nove mil, setecentos ¢ quarenta e cinco reais e vinte e vito centavos), valor superior em R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) ao que consta do clausulado, sendo que o parecer tecnico aduz que “aio {oi possivel avaliar a varinedo™ de RS 50,000,00 (cinquenta mil reais) entre um e outro valor”, ow seja, ndo ha justificativa para a diminuigéo de R§ 50,000,000 (cinquenta mil reais) dos valores a serem abatidos dos valores supostamente devidos pelo ESTADO DE MATO GROSSO ao CONSORCIO-VLT CUTABA para retomada das obras, Os valores foram simplesmente suprimidos da Minuta de Acordo™, ou, em outras palavras, foram acrescidos R$ 50,000,00 aos valores recebiveis pelo CONSORCIO VLT-CUIABA. Mais grave, conforme seri melhor esmiucado na andlise juridica que mais adiante se faré, a “admissio de abatimento” do valor referido do valor total a ser recebido pelo CONSORCIO-VLT CUIABA do ESTADO DE MATO GROSSO se da com deliberado escopo de que os autores da mencionada agio de improbidade administrativa “desistam da referida acio”. Ou seja, pretendem, com base em um valor irregularmente apurado, is judicial que é totalmente estranha ao objeto da Minuta de Acordo visa o atendimento a interesse publico primério, o que ¢ totalmente descabido. "Com base na Pianilha -C do Anexo VI da Minuta de Acordo. *Grifos no erigiral. ™Constam da planilha que acompanha a Minuta de Acordo, mas sto refletidos a menor na Minuta de Acordo, para abatimento nos valores a serem pagos pelo ESTADO DE MATO GROSSO 10 CONSORCIO-VLT CUIABA. Ou seja, foram acrescidos, iregularmente, RS 50.000,00_aos valores. Miss eden -Procaradoria dt Kepatiies em Mato Grosso Ru Estevo de Mendon, #30 esq Av. Geto Vatas)~ Ed. Green Tower ~ Baio Quilanho —CuibiMIT ‘ChE 78 64-403~ Fone(93}3612-5000/FaNG3)3012-3001 "SBA puma 25d 70 M fp F MINISTERIO PUBLICO FEDERAL MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO seem ra ser DE MATO GROSSO Ainda, 0 trabalho técnico-pericial desenvolvido por setor especializado do MINISTERIO PUBLICO FEDERAL atesta que nao foram considerados ou abatidos RS 165.815.857,04 (cento e sessentae cinco milhdes, oitocentes e quinze mil, oitocentose cinquenta e sete reais e quatro centavos) na Minuta de Acordo, valores estes apontados pelo ESTADO DE MATO GROSSO como diferenca entre og valores jé pagos pelo Estado e 0 efetivamente executado pelo Consércio VLT relativamente as obrigagSes contratuais da contratada (fl. 2363 dos autos). Importa consignar que tais valores foram expressamente requeridos para pagamento pelo ESTADO DE MATO GROSSO no bojo da agao em andlise, no fazendo sentido que sejam, sem qualquer justficativa plausivel apresentada, simplesmente olvidados pelo ESTADO na Minuta de Acordo. VI) O “erro aritmético” na proposta do CONSORCIO-VLT CUTABA. Os relatérios de auditoria da Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso Hi, ainda, a questio do “erro aritmético” na proposta do CONSORCIO VLT- CUIABA, vencedor no certame licitatério, que sequer foi abordada na auditoria da KPMG, ou na Minuta de Acordo, a despeito de ser referida expressamente nos autos por parecer 0021/2016 da Controladoria Geral do Estado, conforme se comprova as fls. 6136/6171, o que teria importado em dliferenga de valores que akangam a monta de R§ 174.428.277;21 (cento e setenta e quatro milhées, quatrocentos e vinte € oito mil, duzentos e seienta e sete reais e vinte e um centavos) no valor original da proposta. No panto, necessirio destacar que esta em cursona Procuradoria da Republica em Mato Grosso, conforme referéncia em fls. 9319/9920, © Inguérito Civil Piblico 1 1.20,000,001136/2013-11, cuja adpia segue anexa, e no qual o objelo, dentre outros, trata exatamente de apuragio acerca do “erro aritmético” ora destacado. Seguindo com o trabalho técnico, apontase que as conclusdes externadas no Relatério de Auditoria n. 11/2017 da Controladoria Geral do Estado, o qual serve de respaido Minuta de Acordo apresentada, sequer leva em consideracao Relatério anterior de lavra da mesma Controladoria Geral do Estado - 0 Relatério 192015, 0 qual aponta diversas iregularidades constatadas na exécucio do contrat, relativas 8 operacionalizagdo das obras e relativas a valores despendidos/pagos pelo ESTADO DE MATO GROSSO de forma irregular. Minstrio alin Fedral -Proceradoria de Repiblica em Mato Grosso ‘Run Esevto de Meron, 830 (654 e/ AV, Geto Vargas) ~ E& Grew Tower ~ Balto Quilombo -CulshiyMT ‘CEP: 78.043-405 -Fone(65}8612-S00W/Fax(65)3612-S000 BA pagina 24 de 70 P MINISTERIO PUBLICO FEDERAL M F MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO pacaiens Vena Tomer DE MATO GROSSO ‘Nevessario destacar que ambos os relatérics de Auditoria mencionados foram homologados pela mesma pessoa, 0 Controlador Geral do Estado, sr. CIRO RODOLPHO GONCALVES, circunstincia que afasta a possibilidade de eventuais dissid@ncias de entendimento acerca dos documentos que Ihe foram submetidos, mormente ao largo de qualquer apontamento ‘ou cortege de entendimento externada como justificativa para a mudanga de postura no trabalho de auditoria mais recente. Nesse sentido, 0 Relatério 11/2017 singelamente tefere que: “Ocorre que na busca de se equilbrar 0 risco de manter paralisada a obra do VLT e 0 risco de se remunerar 0 elevado vulto do peito financeiro agiado pelo Consércio Constutor CVLT naqusle momento, maio’2015, 0 plito de RS 1.047.659.322.27 ensojaa-se apuragéo diigente e austera para tomada de deciséo. Isto porque naquele momento tnhe-se 0 Relat6ro de Aucitoria n? 019/2015 que revelava {graves indicis de fatas contratiais, sobretuco quanto ao descumprmento de cronograma, ‘descumorimento de entrega dos proetos de desapropracdo, descumprimento do regirre de trtumo e descumprmento das obrigagdes de refazimento de trechos com patologia, e que ppodertam ter repercussdo fnanceira naquele pletofinanceio de RS 1.047 milhSes." Ressalte-se que os problemas apontadios io Relatrio 19/2015, referidos no Relatério de Auditoria 11/2017 como “graves indicios de faltas contratuais’: “descumprimento de cronograma, descumprimento de entrega dos projetos de desapropriagio, descumprimento do regime triturno e descumprimento das obrigacies de refazimento de trechos com patologia” ndo desapareceram por magica. Ao contrario, tais problemas ainda estio presentes, apenas se mudou a valoragio destes pelo ESTADO DE MATO GROSSO sem qualquer justficativa razoavel. Com efeito, nao se pode ter por razoivel que tais problemas pesem na decisao do ESTADO DE MATO GROSSO apenas diante de cenirio no qual o contratado exija valores com os quais 0 contratante puiblico nao concorde, deixando de ter importancia apds negociagées nas quais as partes alcancem valor de comum acordo, mormente quando, como jf atestado pericialmente, estes tiltimos valores nio refletem 0 quanto apurado em trabalho de auditoria coniratada pelo ESTADO ou a correcao exigida pela indisponibilidade do interesse piblico, E dizer, as falhas e descumprimentos contratuais sempre terio que ser valoradas pelo Poder Pibiico paraa tomada de suas decisdes, uma vez que o interesse ptiblico na exeaugao do contrato conforme entebulado, bem assim o interesse ptiblico na boa aplicagdo do eratio, so indisponiveis, em especial quando houve pagamento de vultosas quantias de dinhsiro piiblico pela ‘operacionalizagio de um contrato executado com falhas. Ministerio Pstlico Federa - Procuradori da Kepablica em Mato Grosso Ruafstvlo de Mendonga, 830 (sg. of Av. Getlio Vaeas) ~ Ed. Green Tower ~ Bair Qulombo ~CulabiMT (CEP. 78.048-403- Fons(o3)9012-S000/74N{63)8012-300). BBA pagina 23. de 70