Você está na página 1de 3

A MINHA CANO

por Robindronath Tagore


(do livro A Lua Crescente ou Nova)

Esta minha cano enlear sua msica em torno de ti, meu filhinho, como
os braos apaixonados do amor.
Esta minha cano tocar-te- a fronte como um beijo de bno.
Quando estiveres sozinho, ela se assentar ao teu lado e segredar ao teu
ouvido; quando estiveres no meio da multido, criar uma barreira de
distncia em torno de ti.
A minha cano ser como um par de asas para os teus sonhos.
Transportar teu corao s bordas do desconhecido.
Ser como a estrela fiel l em cima, quando a noite escura tombar sobre a
tua estrada.
A minha cano pousar nas pupilas de teus olhos e levar a tua vista at o
corao das coisas.
E quando a minha voz emudecer, a minha cano falar no teu corao vivo.

Nota : Este poema pertence ao formoso livro de Tagore Sissu (A lua


Crescente), escrito por Robindronath em homenagem sua esposa
Mrinalini e s suas crianas Rothi e Bela.

http://casapoeticadetagore.blogspot.com.br

A Criana Assim
A CRIANA ASSIM

Se a criana quiser, poderia voar agora


mesminho ao cu.
Mas por algo no se vai.
Gosta tanto de deitar a cabeinha no peito
da sua me e olh-la e olh-la sem descanso!

A criana sabe uma infinidade de palavras maravilhosas,


embora so to poucos os que neste mundo
entendem o que ele diz.
Mas por algo falar no quer.
O nico que quer aprender as palavras da sua me.
Assim pe esse ar to inocente!

A criana tinha um monto de ouro e prolas


e nasceu a esta vida como um pobrezinho.
Mas por algo nasceu assim.
Pedinte nu, que se faz o desvalido para poder
pedir-lhe sua me o tesouro do seu af!

A criana era bem livre na terra da lua nova.


Mas por algo regalou sua liberdade.
Ele sabe a alegria imensa que cabe no cantinho
do corao da sua me e quanto mais doce
que a liberdade ser colhido e apertado
entre seus braos amados!
A criana morava no mundo da dita perfeita
e no sabia chorar
Mas por algo escolheu as lgrimas
Porque com o seu sorriso ganhava
o corao ansioso da sua me,
seus pequenos choros por qualquer peninha
atam-lhe um dobre lao de lstima e de amor.

por Robindronath Tagore


( do Livro Sissu ou A lua crescente)
Nota.-
Traduo do Bangla por Jos Paz (Poema do livro Sissu, dedicado por R. Tagore sua esposa Mrinalini e
seus filhos, que bem poderia levar por ttulo As crianas da sua me, no lugar de Lua nova ou crescente)