Você está na página 1de 18

HISTÓRIA DO MUNICIPIO DE GUANAMBI

ASPECTOS HISTÓRICOS Em 1870, teve inicio a povoação do atual território de Guanambi, às margens do rio Caraíba de
Dentro, com a doação de uma parte da fazenda Carnaiba, feita pelo seu proprietário Joaquim Dias Guimarães, à
freguesia criada nesse mesmo ano sob invocação de Santo Antonio, subordinada à Paróquia de Palmas de Monte Alto,
em cujo local foi erguida a primeira igreja, tomando o lugar o nome de Beija-Flor. A partir dessa data foi crescendo a
população da nova freguesia, constituída inicialmente das famílias de João Pereira de Castro, José Pereira da Silva
Castro, Gasparino Pereira da Costa, João Dias Guimarães, Inocêncio Pereira de Oliveira e muitos outros, que
intensificaram a exploração da agricultura e da pecuária na região. Em 1880, pela lei provincial nº 1979 de 23 de junho,
foi criado o Distrito de Paz de Beija-Flor, pertencente ao Município de Palmas de Monte Alto. A sede do arraial de Beija-
Flor foi elevada à categoria de vila pela lei estadual nº 1.364 de 14 de agosto de 1919, que também criou o Município
com o nome de Guanambi, com o território desmembrado do de Palmas de Monte Alto. A instalação se verificou a 1º de
janeiro de 1920. Nesse mesmo ano, a Lei Municipal nº 2 de 8 de janeiro, confirmou a criação do Distrito-Sede de
Guanambi (ex-Beija-Flor), ao tempo em que criou para o município o novo Distrito de Mocambo (atual Candiba). A
criação de Mocambo, atualmente denominado de Candiba, foi confirmada pela Lei estadual nº 2.219, de 20 de agosto
de 1929. Por força do Decreto estadual nº 7.479 de 8 de julho de 1931, o território do Município de Palmas de Monte
Alto, extinto pelo mesmo decreto, incorporou-se ao de Guanambi, sendo, entretanto, restaurado pelo Decreto Estadual
nº 8.452 de 31 de maio de 1933. Na divisão administrativa do Brasil, concernente a 1933, o município se compõe dos
distritos de Guaiambé, Itaguaçu (atual Mutans), Mocambo (atual Candiba) e Gentio (atual Ceraíma). Segundo o quadro
territorial em vigência no qüinqüênio 1939-1943, estabelecido pelo Decreto-lei estadual nº 11.089 de 30 de novembro
de 1933, o Município de Guanambi permanece formado pelos quatro distritos que constituíam no quadro de 1933,
devendo-se notar que o distrito de Gentio teve mudado o seu topômio para Ceraíma. De acordo com o quadro
territorial vigente em l944-l948, fixado pelo Decreto estadual nº 12.978, de 1º de junho de l944, Guanambi subdivide-se
em quatro distritos: o da sede e os de Candiba, Ceraíma e Mutans, constituição esta que permaneceu até quando
Candiba se desmembrou passando à categoria de Município, criado pela Lei estadual nº 1.756 de 27 de julho de 1962.
Fonte: IBGE Localização: O município de Guanambi está distante 796 km de Salvador, sendo interligado à capital pela
BR-030, BA-262 e BR-324, 45 km de Caetité e 43 km de Palmas de Monte Alto pela BR-030, 33 km de Pindaí pela BR-122
e 29 km de Candiba, pela BA-262, representando assim, uma forte influência nas áreas comercial. Limita-se com os
seguintes Municípios: NORTE : Igaporã, Caetité, Matina; SUL : Candiba, Sebastião Laranjeiras; LESTE : Pindaí e Caetité;
OESTE : Palmas de Monte Alto. Coordenadas Geográficas: 14º 13 30 de latitude sul e 42º 46 53 de longitude W.Gr. A
altitude da sede municipal é de 525 metros, em relação ao nível do mar. Sua área é de 1.292 Km2 . O clima é quente e
bastante salubre. A temperatura da sede do município apresentou, nos últimos anos, uma média de 25 graus
centígrados. O território de Guanambi é pouco acidentado. Possui desníveis isolados, como o contraforte das serras do
Espinhaço, que o limita com o município de Caetité. É atravessado pelo Rio Carnaíba de Dentro, tendo como afluentes
os riachos: Rega Pé, Sacouto, Belém, Porco Magro, e Muquém. Os rios e os riachos não são perenes, correndo apenas
durante as estações chuvosas. Seu relevo é caracterizado pela presença de Pediplano Sertanejo, dos Patamares
Orientais e Ocidentais do Espinhaço, das superfícies dos Gerais e do Planalto do Espinhaço. Observa-se a presença da
bacia hidrográfica do rio São Francisco; além deste existem o Rio Carnaíba de Dentro, do açude Ceraíma e das represas
de Mutans e Morrinhos. Sobre a população: População estimada 2013(Censo do IBGE - 2010): 84.645 Habitantes A área
Total do Município é de 1.301,80 km2 Riquezas Naturais: O tipo de solo verificado (Podzólico Vermelho-amarelo
Distrófico, Planossolo Solódico Eutrófico, Podzólico Vermelho-amarelo Eutrófico, Cambissolo Eutrófico, Latossolo
Vermelho-amarelo Distrófico, solos Litólicos Eutróficos ), proporciona uma aptidão regular para lavouras, silvicultura,
bem como pastagem natural. Também conhecido como Zona Fisiográfica da Serra Geral, é totalmente abrangido pelo
polígono da seca. Situa-se na bacia do São Francisco e se limita com os municípios de Igaporã, Caetité, Pindaí, Candiba,
Sebastião Laranjeiras, e Palmas de Monte Alto. São conhecidos dois minérios naturais no Município, Cristal de Rocha e
Vermiculita, porém, até então nenhum deles foram explorados comercialmente. Guanambi tem uma área relativamente
pequena: são 1.301,80 km2 quadrados, localizados numa das ramificações da Serra Geral, a uma altitude de 525 m
acima do nível do mar, mais ou menos metade da altitude de Vitória da Conquista. Sua área faz limite com Igaporã, ao
norte; Caetité, a nordeste; Pindaí, a leste; Candiba e Sebastião Laranjeiras, ao sul, e Palmas de Monte Alto, a oeste. A
cidade registra as seguintes coordenadas geográficas: 14º13 30 de Latitude Sul e 42º 46 53 de Longitude Oeste
Greenwich. O relevo do município é pouco acidentado, mais parecendo uma planície, cercada por desníveis
considerados isolados, entre os quais a Serra do Espinhaço, no limite com Caetité. As terras são cortadas pelos rios
Carnaíba de Dentro e Carnaíba de Fora, ambos afluentes do Rio das Rãs, que por sua vez é tributário do Rio São
Francisco. Possui, ainda, os rios Rega Pé, Sacouto, Belém, Poço do Magro e Muquém, temporários, que correm apenas
durante as chuvas, geralmente entre dezembro e fevereiro. Lagoas e açudes, entre os quais o de Ceraíma, que abastece
a cidade, completam o potencial hidrográfico. O clima é quente e seco, entre 22 e 35 graus centígrados. A precipitação
pluviométrica média é de 715 mm.
OUTRAS IMAGENS DE GUANAMBI
Aspectos históricos das Ruas Manoel Vitorino e Coronel Zequinha
(Rua de Baixo ao Largo dos Tropeiros – Famosa Rua de Dona Dedé).

Em 1870, nasceu o povoado de Beija-Flor, às margens do Rio Carnaíba de Dentro, em terras doadas pelo
Fazendeiro Joaquim Dias Guimarães. Desde os primórdios do arraial, a área da lagoa servia de parada para os
tropeiros que se reuniam à sombra do umbuzeiro, surgindo posteriormente, a feira livre e o antigo barracão da
feira.

A Rua Manoel Vitorino está localizada na área histórica e de origem da cidade. Na iniciação de formação do
arraial do Beija-Flor, os viajantes realizavam a transação comercial de suas tropas na Rua de Baixo, que passou
a ser conhecida como Largo dos Tropeiros, atual Rua Manoel Vitorino e Rua Coronel Zequinha.

Em 1902 foi instalada a Estação Telefônica de Guanambi, e em 1909 a Estação Telegráfica, numa casa doada à
União, que se localizava na Rua Coronel Zequinha, até o ano de 1960, quando foi inaugurada o seu prédio
próprio.

No final do século XIX, foi construído o maior patrimônio histórico da cidade – a Casa de Dona Dedé, situada
ao fundo da Rua Manoel Vitorino, na beira da Lagoa e próxima ao Riacho do Belém. A área do pomar da Casa
de Dona Dedé é cortada pelo Rio Carnaíba de Dentro, que servia de enorme curiosidade popular nos períodos
das enchentes do Riacho do Belém, a exemplo do que ocorreu em 02.02.1960, quando ocorreu o rompimento
do Açude de Ceraíma (Gentio). Segundo o livro “Uma Lição de Vida” de autoria de Deolinda Pereira Martins,
a Cada de Dona Dedé foi construída por escravos, sob as ordens de José Pereira Zequinha, Cel. Zequinha (pai
de Dona Dedé). Neste casarão residia o Major Helvécio Rufino de Oliveira Martins, que foi nomeado prefeito
de Guanambi (1932/1936) e Dona Deolinda Pereira Martins.

A Casa de Dona Dedé é um edifício de relevante interesse arquitetônico – um casarão no estilo neocolonial. A
Rua Manoel Vitorino ficou conhecida popularmente por Rua de Dona Dedé.

Ao lado da Rua de Dona Dedé localizava-se a famosa Lagoa, hoje feira livre da cidade. Constituiu-se de um
tanque que foi chamado “Pote”, no centro da depressão que formava a lagoa. Mais tarde construiu-se uma
tapagem, que era abastecida anualmente pelo Rio Gado Bravo ou Rio Belém.

Nos períodos das enchentes a Rua Manoel Vitorino transformava-se no ponto turístico da cidade. Em 1992,
aconteceu mais uma grande enchente. Existia também na lagoa a famosa Pedra das Lavadeiras.

História recente
A enchente de 1992

Em 1992, um volume de chuvas muito além da média histórica causou alagamento de grande parte da cidade e
a manteve ilhada por mais de uma semana. Pontes, trechos de estradas edificações e obras de infraestrutura
foram destruídas. Ocorreram vários deslizamentos de encostas e destruição de propriedades rurais. o exército
brasileiro auxiliou a população ilhada organizando distribuição de alimentos por meio de aviões locais. A maior
represa da região, a barragem de Ceraíma, atingiu sua capacidade máxima, porém, não sofreu avarias. A cidade,
então, assistia ao maior desastre natural de sua história.

Um decreto polêmico

Em 2017, o prefeito, Jairo Magalhães, decretou a entrega da chave do município a Deus em seu primeiro
decreto oficial, o que causou polêmica.[10][11][12]. O Ministério Público do Estado, por considerar que o decreto
fere a Constituição Federal, que afirma que o Estado não está vinculado a nenhuma religião, recomendou a
revogação do ato [13]

Geografia
A área total do município, segundo o IBGE, é de 1 296,654 km², com densidade populacional igual a 60,80
hab/km². Situa-se a 14° 13′ 22″ de latitude sul e a 42° 46′ 51″ de longitude oeste, estando distante a 796
quilômetros da capital baiana. A altitude média da cidade é de 525 metros, tendo como o ponto mais alto no
perímetro urbano o morro do Monte Pascoal, onde se situam torres de transmissão de rádio e telefonia. Seus
municípios limítrofes são Caetité, a leste; Riacho de Santana, ao norte; Palmas de Monte Alto a oeste; e Urandi
e Pindaí, ao sul. A população é estimada em quase noventa mil habitantes, sendo destes, 70.150 na sede e
15.087 distribuídos em três distritos interligados por rodovias.

Vegetação, clima e hidrografia

Seu clima é basicamente semiárido, com temperatura média anual de 22,6 °C. O período da chuva se dá entre
os meses de outubro a março. Seu relevo caracteriza-se pela presença do Pediplano Sertanejo, das superfícies
dos Gerais e do Planalto do Espinhaço.

A vegetação predominante atual, devido ao desmatamento, é do tipo rasteira, onde se destacam os terrenos de
capoeira, apresentando uma grande fertilidade para o cultivo de algodão, feijão, mandioca e milho, sendo
grandes problemas para o governo municipal o elevado desmatamento e erosão, que tiram a fertilidade dos
solos. A vegetação original, bastante degradada, era composta por Floresta Estacional Decidual, que era uma
mistura de espécies da caatinga com árvores de mata tropical, sendo nas áreas mais férteis uma mata fechada
com grandes árvores, já nas áreas de maior altitude, denominadas serras, que apresentam solo mais pobre em
nutrientes, havia a ocorrência de vegetação do tipo cerrado. O tipo de solo, como o podzóico vermelho-amarelo
distrófico e planossolo solódico eutrófico encontrados na região, proporcionam condições regulares para o
cultivo de lavouras, silviculturas e para pastagem natural.

Como potencial hidrográfico há o Rio Carnaíba de Dentro e seus riachos afluentes, como o Riacho Belém, que
corta o centro da cidade. As principais represas são a de Ceraíma e a barragem do Poço do Magro, além das
represas de Mutans (Lagoa d'Água, Taboinha, Lagoa da Espera) e de Morrinhos. A região pertence a bacia
hidrográfica do São Francisco e se encontra na área de atuação da CODEVASF (Companhia de
Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), sendo abastecida pela água do Rio São Francisco
trazida pela Adutora do Algodão, implantada em 2012, com iniciativas do Governo Federal.

Subdivisões

Guanambi é subdividida em três Distritos (Ceraíma, Morrinhos e Mutans) e aproximadamente 57 bairros,
incluindo o Centro. São estes: Aeroporto Velho, Alto Caiçara, Amambaí, Alvorada, Araújo, Beneval Boa Sorte,
Beija Flor I, II e III, Bela Vista, Belo Horizonte, BNH, Brindes, Boa Vista, Bom Jesus, Brasília, Candeal, Deus
Dará, Floresta, Industrial, Ipiranga, Ipanema, Liberdade, Lagoinha, Loteamento Municipal, Loteamento Bom
Jesus, Loteamento Maria Basto, Leolinda de Sá, Marabá, Monte Azul, Monte Pascoal, Morada Nova, Manuel
Cotrim, Nova Olinda, Novo Horizonte, Nossa Senhora Aparecida, Paraíso, Pôr do Sol, Residencial dos
Pássaros, Residencial das Árvores ( Aroeira, Maçaranduba), Reis, São João, São José, Santa Luzia, Santa
Catarina, Santo André, São Vicente, Santo Antônio, Sandoval Moraes I e II, São Francisco, São Sebastião,
Sossego, Taboinha, Vomitamel, Vasconcelos e Vila Nova. O acesso ao distrito de Morrinhos se dá pela rodovia
BR-030.
Infraestrutura urbana
Vias de escoamento

Rodovias

 BA-573 - Sentido Matina
 BR-030 - Sentidos: Palmas de Monte Alto e Caetité
 BR-122 - Sentido Pindaí
 BA-262 - Sentido Candiba

Principais logradouros

 Avenida Centenária (em breve)
 Avenida Santos Dumont
 Avenida Prefeito José Neves Teixeira
 Av. Sen. Nilo Coelho | importante via, percorre as margens do canal do Riacho Belém, atravessando a
feira livre e passando pelo Mercado Municipal, liga o Centro ao bairro de Santa Catarina
 Avenida Sandoval Moraes - liga o Centro ao Parque de Exposições
 Avenida Governador Nilo Coelho (acesso ao Aeroporto)
 Avenida Barão do Rio Branco - importante via comercial, liga o Centro à Av. Senador Nilo Coelho
 Avenida Guanabara - liga a Praça Manoel Novaes (Centro) à Av. Senador Nilo Coelho (S. Francisco),
passando pela Av. Santos Dumont
 Avenida Messias Pereira Donato (anteriormente denominada Castelo Branco) - liga o Centro
Administrativo aos bairros Nova Olinda e São João, em paralelo com a Av. Santos Dumont
 Rua Otávio Mangabeira - liga o Centro ao bairros Beija-Flor I e II
 Avenida Petrônio Portela - principal avenida do bairro Alvorada, bastante movimentada pela
concentração de barzinhos e outros pontos de comércio.
 Praça Manoel Novaes (Praça do Colégio)
 Praça Henrique Pereira Donato (Praça do Feijão) - se encontra no cruzamento entre as avenidas Santos
Dumont e Guanabara, sendo o principal ponto de entretenimento da cidade devido ao grande número de
bares, pizzarias, churrascarias e sorveterias. Durante as festas de fim de ano, uma árvore de Natal é
montada no centro da praça, além de ser o local onde ocorre a popular festa da virada do ano.

Saúde

Guanambi é referência em saúde para os municípios de sua microrregião. Em 2009, o município contava com
49 estabelecimentos de saúde, incluindo PSFs, hospitais e clínicas públicas e privadas, sendo destes, 20 postos
de saúde municipais distribuídos nos bairros e um Posto Central.[14] O principal e maior hospital da cidade é o
Hospital Regional, referência para pelo menos 18 municípios vizinhos, sendo administrado pelo Governo
Estadual e integrante da rede do Sistema Único de Saúde. Além deste, outros estabelecimentos de apoio
importantes de Guanambi são o Hospital do Rim, a Policlínica e o Hospital Nova Aliança, que oferecem
atendimento de média e alta complexidade para pacientes de toda a região, desde que pactuados com a
Prefeitura e o Ministério da Saúde.

 Hospital Regional de Guanambi (HRG)
 Hospital Municipal (HM)
 Hospital Nova Aliança
 Hospital do Rim
 Hospital Promater | Pronto Socorro e Maternidade
 UPA 24horas
 Policlínica e Maternidade Guanambi (Em Construção)

Educação
A primeira escola primária de Guanambi começou a funcionar por volta de 1928 e sua primeira escola estadual,
o Getúlio Vargas, foi inaugurada em 10 de novembro de 1938 pelo intendente José Ferreira Costa.

De propriedade da professora e escritora Enedina Costa de Marcêdo, em 1957 foi inaugurada a “Escola Normal
São Lucas”.

Em 1954, foi fundado o "Ginásio Escola Normal de Guanambi", mantido pela associação dos amigos da cidade.

Em 1970 os estabelecimentos particulares foram doados ao governo estadual, numa junção dos esforços da
sociedade de Guanambi, representados pelos deputados Manoel Novaes (federal) e Vilobaldo Neves Freitas
(estadual), criou-se o Colégio Estadual Governador Luís Viana Filho sendo na ocasião o prefeito de Guanambi,
Jonas Rodrigues da Silva e o governador Luís Viana Filho que também naquela época tiveram a oportunidade
de inaugurar a represa de Ceraíma junto ao Ministro de Minas e Energia da época, Mário Andreazza. Por
muitos anos, tal colégio se manteve como exemplo educacional na região.

No ano de 1998 foi inaugurado o Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães pelo governador Paulo Souto e a
prefeita Sizalta Donato, fazendo parte de uma rede estadual de colégios com o mesmo padrão físico e
educacional, existente até os dias atuais.

A partir do final da década de 90, Guanambi tem se destacado cada vez mais entre as cidades conhecidas como
pólos educacionais. Desde então, o MEC aprovou diversos cursos superiores para serem ministrados pela
UNEB, FG (Faculdade Guanambi), FTC e IF BAIANO Campus Guanambi (Instituto Federal de Educação,
Ciência e Tecnologia Baiano), entre outras instituições de ensino. Assim, a cidade tem despertado de forma
crescente o interesse de estudantes de diversos lugares do país. Em 2016, é inaugurada a Faculdade de
Medicina de Guanambi por iniciativa da FG, esta também já oferece os cursos de direito, engenharias, diversos
cursos na área de saúde e gestão, o que contribui ainda mais para atrair estudantes e investimentos de todo o
Brasil.

Ainda neste ano (2017) a Faculdade Integrada Pitágoras ofertará o curso de Medicina. O novo Campus da
Faculdade Integrada Pitágoras de Guanambi – FIP Guanambi, possuirá uma arquitetura moderna e arrojada,
com tecnologia inédita para a região, com espaços amplos para laboratórios, salas de aulas, biblioteca,
auditórios, ambiente administrativo, área de convivência e amplo estacionamento, tudo de acordo com os mais
altos padrões de qualidade existentes no mercado. Serão ofertados novos cursos em sintonia com as demandas
regionais que ampliará a oferta de cursos e contribuirá com melhorias o ensino em nossa região.

Em 2009, a cidade contava com 83 instituições de ensino (públicas e privadas) nas diversas modalidades
(ensino infantil, fundamental, médio e superior) . As principais são:

Instituições públicas

 Colégio Estadual Governador Luís Viana Filho
 Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães
 Colégio Estadual Antônio Carlos Magalhães (Distrito de Mutans)
 CEEP - Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde e Gestão
 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - Campus Guanambi
 Colégio Estadual Idalice Nunes
 Colégio Municipal José Neves Teixeira
 Colégio Municipal Profª Josefina T. De Azevedo
 Escola Municipal Maria Regina Freitas

Instituições privadas

 Colégio Martins (Universidade Infantil)
 Colégio Nóbrega
 Colégio Pequeno Príncipe
 Sistema Anglo de Ensino (ou Colégio Qui-Mimo)
 Colégio Caminho do Saber
 Avançar Educacional
 Escola Infantil Passo a Passo

Instituições de ensino superior

 Damásio Educacional - Pós Graduação
 Estácio - Pós Graduação
 FG - Faculdade Guanambi
 FIP - PITAGÓRAS GUANAMBI (Em implantação)
 FTC - EAD
 Inquali Pós Graduação e Extensão
 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - Campus Guanambi
 LFG - Pós Graduação
 Unifacs - EAD (Laureate)
 UNIMES-EAD
 UNIP - EAD
 Universidade do Estado da Bahia - Campus XII
 Unopar - EAD

PRINCIPAIS CURSOS SUPERIORES

 Administração
 Agroindústria
 Análise e Desenvolvimento de sistemas
 Biologia
 Biomedicina
 Ciências Contábeis
 Direito
 Educação Física
 Enfermagem
 Engenharia Agronômica
 Engenharia Ambiental e Sanitária
 Engenharia Civil
 Engenharia Elétrica
 Farmácia
 Fisioterapia
 Gestão da tecnologia da informação
 Jornalismo
 Licenciatura em Química
 Medicina
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Pedagogia
 Psicologia

Biblioteca Pública

Em 2015, foi inaugurada a "Biblioteca Pública Messias Pereira Donato" na sede da Justiça do Trabalho em
Guanambi, com mais de 3500 títulos de direito e literatura, doada por Messias Pereira Donato, primeiro
advogado nascido em Guanambi, que migrou para Belo Horizonte e ali se tornou juiz do trabalho e diretor da
Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - UGMG[15] [16].

Segurança pública
Como uma cidade de médio porte, Guanambi enfrenta sérios problemas quanto à segurança pública.[carece de fontes]
Conta com duas delegacias de polícia, além do 17º Batalhão de Polícia Militar.

Serviços e comunicações

O serviço de abastecimento de água é realizado pela Embasa - Empresa Baiana de Águas e Saneamento, com
água proveniente do Rio São Francisco e transportada pelo sertão baiano através da recém-inaugurada Adutora
do Algodão, atendendo 100% do município e algumas regiões da zona rural. Em outras regiões, em parceria
com o Governo Federal, foram construídos poços para captar e armazenar água da chuva e suprir a necessidade
da população. O serviço de eletricidade é oferecido pela Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia
(COELBA), que mantém uma subestação no bairro Novo Horizonte.

Há a disponibilidade de internet banda larga (ADSL) e discada, oferecida por vários provedores. O serviço de
telefonia fixa é de responsabilidade da Oi Telecomunicações, e o de telefonia móvel é realizado pelas quatro
principais operadoras do país: TIM, Claro, Oi e Vivo. O código de área (DDD) de Guanambi é o 77, e o Código
postal da cidade é o 46430-000.

O município conta com pelo menos dois jornais impressos em circulação, o A Tarde (de Salvador) e o Tribuna
do Sertão. Além de vários jornais locais, a cidade também é sede do maior jornal de classificados da região que
é O Popular Classificados. As principais emissoras de rádio são a 96 FM, a Rádio Alvorada, Rádio Cultura
AM,104 FM e a 106 FM.

Transportes

Segundo o IBGE, a frota de veículos em Guanambi é de aproximadamente 39.084 em Julho de 2014, entre
automóveis, motocicletas, ônibus e caminhões.

A cidade é servida principalmente pelas rodovias BR-030 e BR-122 e possui pelo menos seis vias com
capacidade para alta densidade de tráfego, as avenidas Governador Nilo Coelho, Governador Waldir Pires,
Prefeito José Neves Teixeira, Senador Nilo Coelho, Sandoval Moraes e Santos Dumont.

O transporte coletivo de passageiros em Guanambi, embora pouco utilizado, é operado, há mais de 20 anos,
pela Guanambi Turismo Viação. A empresa foi fundada nos anos 90 e posteriormente passou a pertencer a um
grupo de Belo Horizonte. Atualmente, sua frota é composta principalmente por micro-ônibus e a garagem
localiza-se no bairro Santo Antônio. Suas principais linhas são: São Sebastião - Alto Caiçara, Beija-Flor -
Centro e Alvorada - Brasília.

Guanambi conta com 230 mototaxistas, todos certificados e fiscalizados pela prefeitura e regulamentados pela
Associação dos Mototaxistas de Guanambi. Com exceção do uso de automóveis, este meio de transporte é o
mais utilizados pela população para o deslocamento dentro do perímetro urbano.

A cidade conta com um aeroporto municipal, com capacidade para aeronaves de pequeno e médio porte,
situado no bairro Belo Horizonte e com principal acesso pela rodovia BR-030. Além disso, o município ainda
possui um terminal rodoviário com seis plataformas, sendo o principal ponto de apoio das linhas de ônibus
intermunicipais e interestaduais que passam pela região, além de ser o maior terminal da microrregião, operado
pela Empril Empreendimentos.

Economia
Cidade polo do extenso e populoso estado da Bahia, Guanambi no despertar das últimas décadas se tornou um
médio centro comercial na região, com uma população de quase oitenta mil habitantes (segundo a projeção do
IBGE/2009).

Na década de 80, a cidade de Guanambi se tornou um médio polo comercial e agrícola, sendo que em 1985 foi
destaque com a maior área de plantio do Estado da Bahia, que atingiu a marca de 7.576 toneladas. Milhares de
trabalhadores impulsionados pela grande colheita vieram para Guanambi em busca de uma vida mais digna,
muitos conseguiram, mas a maioria caiu na fila da miséria, como mostra a obra de ficção do escritor
guanambiense Juarez Elcino. No decorrer da década de 80, a cidade passou por uma forte crise impulsionada
pela queda na produção do algodão devido ao surgimento de pragas na lavoura algodoeira do município. A
cidade que até então era conhecida como a Capital do Algodão cai no esquecimento. Porém, Guanambi, a partir
do final da década de 90, vem evoluindo e atrai a cada dia mais pessoas. O plantio de algodão voltou a crescer,
e desta vez indústrias, terminal rodoviário, aeroporto e universidades estaduais e particulares também vem
ajudando no desenvolvimento da cidade. Em 2015, segundo a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro,
Guanambi passou a apresentar o maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do estado da Bahia.

A cidade possui seis agências bancárias: Caixa Econômica Federal (2 agências), Banco do Brasil, Bradesco,
Banco do Nordeste e Itaú.

Em relação às festas populares, Guanambi segue sua rotina com tradição no São João, aonde se instala na
Avenida Santos Dumont mais precisamente na Praça do Feijão o Forró do Gurutuba, assim modificando a cada
ano a praça e a deixando a caráter para o São João, e fica no clima assim de 3 semanas a um mês. Chegando as
festas de fim de ano, a mesma praça sofre mutações, sendo unida com a praça vizinha , a Praça da Prefeitura,
surgindo uma só; Ali é instalado sempre um belo presépio que é muito bem feito, detalhado e iluminado,com
uma estrutura impressionante, aonde já surgiu várias reportagens sobre ele, saindo na tv em rede nacional, ex:
Programa do Jô, em sua abertura a imagem da praça em véspera natalina. Eventos constantes de menores
espaços de tempo mas sempre constantes, divertidos e frequentados existem e fazem a rotina da cidade e região.
Existe desde 1990 o passeio ciclístico, que é um evento para ciclistas de grande tradição na cidade, celebrado
todo ano no dia 1 de Maio, dia do trabalhador, que veio a ter seu ápice em 2008, estando presentes mais de 12
mil ciclistas. Da Praça Henrique Pereira Donato até a chegada no Parque de Exposições Gercino Coelho, que
mesmo em obras comportou perfeitamente o evento, os mais variados modelos e arranjos sobre duas e até
quatro rodas, formavam um colorido raro, até bicicleta protestando contra a dengue, algumas equipadas com
sons. Durante o evento no Parque de Exposições Gercino Coelho, Para animar o grande público cerca de mais
de 18 mil pessoas que lotou o Parque, shows de nível como Rasta Chinela, Banda Guanasamba, Léo do Forró e
demais artistas regionais além de sorteios de brindes.

Com tradição na cidade tem a festa da camiseta em Guanambi, celebrada desde 1995 todos os anos sempre no
fim de semana entre o natal e o reveillon. Uma festa sempre realizada em lugares fechados, com predominância
no Clube de Campo de Guanambi, com presença de grandes bandas do Brasil, com a maioria delas bandas
baianas. A festa tem vários ambientes espalhados pela área que se celebra a festa, tendo Tenda Eletrônica,
Tenda de Forró, no salão a Área do Pop Rock, som de mpb com voz e violão.

No Carnaval, a realização de festas na cidade diminuiu ao longo dos anos, sendo frequente que muitos
habitantes se desloquem para outras cidades para fazer sua comemoração. Existe um retiro religioso de carnaval
na cidade, organizado pela Igreja Católica, mais precisamente pela Paróquia de Santo Antônio, localizada no
Centro Comunitário Betânia, tendo duração de 4 dias.[carece de fontes]

Dentre as várias festas e eventos localizados na cidade, há também a Festa à Fantasia organizada sempre em
Janeiro, o Halloween, tendo também muitos eventos esportivos como o campeonato municipal de futebol, e um
time profissional que disputa a primeira divisão do campeonato baiano, o Clube Esportivo Flamengo de
Guanambi.

No Reveillon existe uma grande estrutura programada e aproveitada pelos moradores e turistas todos os anos.

Sinais de Transmissão de canais de telefonia, televisão e internet:

Quanto aos canais de telefonia existe quatro operadoras: a Oi, Vivo, Tim e Claro, além da telefonia fixa que já
existia antes mesmo da telefonia móvel, hoje em escala menor que a móvel;

Quanto aos canais de televisão: temos os gratuitos oferecidos pelo município: A rede Bahia canal da globo, A
rede aratu do SBT, E A RECORD. Temos os canais por assinatura, como ex: sky, claro tv, Oi tv, etc.
Quanto a Rede de Internet temos aproximadamente de 4 a 6 provedores: Citando alguns: A Miks informática, a
Intersoft, a Oi internet, Vianorte Guanambi, entre outros.

Referências
1.

 «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008
  «Área Territorial Brasileira - Consulta por Município». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
Resolução da Presidência do IBGE de n° 1 (R.PR-1/13). 15 de janeiro de 2013. Consultado em 3 de setembro
de 2014. Cópia arquivada em 3 de setembro de 2014
  «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NO BRASIL E UNIDADES DA FEDERAÇÃO COM
DATA DE REFERÊNCIA EM 1 DE JULHO DE 2014» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 28
de agosto de 2014. Consultado em 2 de setembro de 2014
  «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano.
Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 7 de outubro de 2013
  Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de Guanambi - BA».
Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 4 de março de 2014
  «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
Consultado em 11 de dezembro de 2010
  «Inaugurado na Bahia o maior complexo eólico da América Latina - See more at:
www.ouvidoriageral.ba.gov.br/2012/07/10/inaugurado-na-bahia-o-maior-complexo-eolico-da-america-
latina/#sthash.P4kXyO9t.dpuf». Ouvidoria Geral da Bahia. 10 de julho de 2012
  «Guanambi é o Município mais desenvolvido da Bahia segundo o IFDM | Portal Condeúba de Notícias».
portalcondeubadenoticias.com.br. Consultado em 28 de maio de 2016
  Teixeira, José Bonifácio (16 de outubro de 2011). «BEIJA-FLOR, BELA FLOR – GUANAMBI, CRIAÇÃO
E DEVENVOLVIMENTO». Consultado em 6 de fevereiro de 2017
  «DECRETO Nº 1 DE 2 DE JANEIRO DE 2017 - Ed. 1327» (PDF). Diário Oficial da Prefeitura Municipal
de Guanambi. Procede Bahia. 2 de janeiro de 2017. Consultado em 2 de janeiro de 2017
  «Em decreto, prefeito do interior da Bahia entrega a Deus a chave da cidade - 03/01/2017 - Cotidiano -
Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de janeiro de 2017
  «Prefeito do interior da Bahia entrega chave da cidade a Jesus Cristo em decreto». O Globo. 3 de janeiro
de 2017
  MP recomenda que prefeito de Guanambi revogue decreto com referências religiosas. Disponível em:
http://www.mp.ba.gov.br/noticia/35609 Acesso em: 05 fevereiro 2017.
  Cidades@ - IBGE (2009). «Serviços de Saúde 2009». Consultado em 18 de maio de 2011
  Guanambi ganha acervo de livros do Professor e Jurista Messias Pereira Donato. Disponível em:
http://www.opopularonline.com.br/?lk=4&noticia=GUANAMBI+GANHA+ACERVO+DE+LIVROS++DO+P
ROFESSOR+E+JURISTA+MESSIAS+PEREIRA+DONATO&id=1066 acesso em 30 jan 2017.