Você está na página 1de 17
CONCEITO DE BELO A BELEZA ATRAVÉS DA HISTÓRIA
CONCEITO DE BELO A BELEZA ATRAVÉS DA HISTÓRIA
CONCEITO DE BELO A BELEZA ATRAVÉS DA HISTÓRIA

CONCEITO DE BELO

A BELEZA ATRAVÉS DA HISTÓRIA

ETMOLOGIA DA PALAVRA

Estética - vem do grego, com o significado de faculdade de

sentir; compreensão pelos sentidos; percepção totalizante.

A ligação da estética com a arte é aquela que oferece ao

objeto artístico o sentimento à percepção, ou seja, se volta filosoficamente as teorias da criação e percepção artística.

ETMOLOGIA DA PALAVRA

ESTÉTICA faculdade sentir/compreensão pelos

sentidos/percepção totalizante.

adjetivo - qualidade estabelece estreita relação com a

beleza

substantivo - designa um conjunto de características formais que a arte assume em determinados períodos estabelece estreita relação com o estilo

filosofia - que estuda racionalmente o belo e o

sentimento que suscita nos homens = exprimi a beleza de modo sensível

O BELO E O FEIO

Façam um desenho livre no

papel A4.

O BELO E O FEIO

O BELO E O FEIO A QUESTÃO DO GOSTO
O BELO E O FEIO A QUESTÃO DO GOSTO

A QUESTÃO DO GOSTO

O BELO E O FEIO

Reflexões sobre a essência do belo ocorrem desde a antiguidade, seja por meio de valores objetivos ou meramente subjetivos.

Será mesmo que tudo o que é perfeito é bom e é belo?

VAMOS REFLETIR:

O que é o belo para você?

Será que

o belo

é um atributo,

contemplação estética?

Será que o belo é um atributo, contemplação estética? um juízo de valor, ou ▪ O

um juízo de

valor, ou

O belo pode ser emitido em várias situações, como por

exemplo, para elogiar a coragem ou o raciocínio lógico, enfatizando que a noção de beleza é bastante elástica.

O BELO E O FEIO A QUESTÃO DO GOSTO

Conhecimento subjetivo : é aquele depende do ponto de vista pessoal, individual.

que

Conhecimento objetivo : é aquele fundado na observação imparcial, independente das preferências individuais.

A QUESTÃO DO GOSTO

A subjetividade em relação ao objeto estético precisa estar

mais interessada em conhecer, entregando-se às particularidades de cada objeto, do que em preferir.

É a própria presença da arte que forma o gosto: torna-nos disponíveis, reprime as particularidades da subjetividade, converte o particular em universal.

PROBLEMÁTICA ?

Dimensão filosófica: O que é belo? Existe relação do

belo com a estética? Quais os filósofos que discutem a

estética?

Dimensão histórica: Na civilização ocidental, que povo inicialmente cultuava o belo? Qual a importância da estética para estes povos? Existe diversidade de opiniões sobre este tema?

Dimensão artística: Qual o papel da filosofia na escola

ao discutir estética? Os grafiteiros trabalham com o belo?

Dimensão social: Que padrões de beleza são impostos na sociedade atual?

O belo e a beleza têm sido objetos de estudo ao longo de

toda a história da filosofia.

Na visão do senso comum a palavra estética nos remete

intuitivamente ao belo, enquanto disciplina filosófica surgiu à estética na Antiga Grécia, como uma reflexão sobre as manifestações do belo natural e o belo artístico.

DIMENSÃO FILOSÓFICA

Para Platão , a beleza é a única idéia que resplandece no mundo por um lado reconhece o caráter sensível do

belo, por outro, afirma a essencial ideal/objetiva = admite-se

a existência do belo em siindependentemente das obras individuais que devemse aproximar desse ideal universal.

DIMENSÃO FILOSÓFICA

Para o Classicismo , há dedução de regras para o fazer artístico a partir do belo ideal, fundando a estética

normativa. É o objeto que passa a ter qualidades que o

tornam mais ou menos agradáveis, independentemente do sujeito que as percebe.

DIMENSÃO FILOSÓFICA

Para os Empiristas , a beleza relativizava-se ao gosto de cada um aquilo que depende do gosto e da opinião

pessoal não pode ser discutido racionalmente. O belo,

portanto, não está mais no objeto, mas na condição de recepção do sujeito.

DIMENSÃO FILOSÓFICA

Para Kant , o belo é aquilo que agrada universalmente ”,

ainda que não possa justificá-lo intelectualmente.

O objeto belo é uma ocasião de prazer, cuja causa reside no

sujeito.

Assim, não há uma idéia de belo nem pode haver regras

para produzi-los.

DIMENSÃO FILOSÓFICA

Para Hege l , se introduz o conceito de história, a beleza

muda de face e de aspecto através dos tempos. E essa

mudança depende mais da cultura e da visão de mundo vigente do que de uma exigência interna do belo.

Se tradicionalmente a feiúra foi sempre evitada na arte e na filosofia, por ser vista

Se tradicionalmente a feiúra foi sempre evitada na arte e na filosofia,

por ser vista como um sinal de imperfeição, vivemos agora em um

estado de indeterminação, pois não sabemos mais ao certo o que é belo ou feio.

Precisamos aprender a deixar a feiúra ser! Não se trata de fazer uma apologia do feio, mas de se esforçar para conviver melhor com a desarmonia, com a incompletude e até mesmo com a incorreção, não apenas nos outros, mas em nós mesmos.

Vocês concordam com essa posição filosófica?

Que conceitos/dúvidas podemos levantar sobre estas reflexões?