Você está na página 1de 46

1

CURSO DE EMPREENDEDORISMO
APRENDA & EMPREENDA

Elaborada por:
Bruno Alencar Pereira
Coordenador Geral do Programa de Incubadoras da Universidade Estadual de Goiás – PROIN.UEG
Coordenador do Projeto de Educação Empreendedora em Instituição de Ensino Superior UEG/Sebrae
Doutorando em Administração (UnB): Inovação, Marketing e Empreendedorismo
http://lattes.cnpq.br/0490877135863232
E-mail: bruno.alencar@ueg.br

*Proibida a reprodução ou utilização deste material fora do Projeto de Educação Empreendedora UEG/SEBRAE.
Direitos de utilização concedidos pelo autor especificamente para o Projeto
e uso como material instrucional para os participantes.

Anápolis
2017

2

Sumário
1 APRESENTAÇÃO.................................................................................................................. 4
2 EMPREENDEDORISMO NA UEG ....................................................................................... 5
3 GUIA DE ESTUDOS EaD ...................................................................................................... 7
4 INTRODUÇÃO ...................................................................................................................... 8
4.1 O que é empreendedorismo? ............................................................................................... 8
4.1.1 História ............................................................................................................................. 8
4.1.2 Conceitos .......................................................................................................................... 9
4.1.3 Evolução do empreendedorismo ...................................................................................... 9
4.2 A importância do Empreendedorismo ............................................................................... 11
4.3 Educação e cultura empreendedora ................................................................................... 11
4.4 O Empreendedor e as características empreendedoras ...................................................... 12
4.4.1 Teste seu perfil empreendedor ........................................................................................ 14
4.5 Tipos de empreendedorismo............................................................................................... 17
4.5.1 Empreendedorismo Social ............................................................................................... 19
4.5.1.1 Negócios de Impacto Social ......................................................................................... 21
4.5.1.2 Economia Solidária e Incubação Social ....................................................................... 22
4.6 Ambiente empreendedor .................................................................................................... 22
4.6.1 Barreiras e incentivos ao empreendedorismo no Brasil ................................................. 23
5 EMPREENDEDORISMO, INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE ........................................... 24
6 NOVOS NEGÓCIOS ........................................................................................................... 26
6.1 Identificando oportunidades .............................................................................................. 26
6.2 Conhecimento e Estudo de Mercado ................................................................................. 26
6.3 Como estruturar e planejar seu negócio ............................................................................ 27
6.3.1 Modelo de Negócio ........................................................................................................ 28
6.3.2 Plano de negócio ............................................................................................................. 30
6.3.3 Planejamento de Marketing ............................................................................................. 32
6.4 Como formalizar sua empresa ............................................................................................ 34
6.5 Como tornar-se um Microempreendedor Individual .......................................................... 35
6.6 Erros mais comuns e mortalidade das empresas ............................................................... 46
7. APOIO AO EMPREENDEDORISMO E NOVOS NEGÓCIOS ....................................... 37
7.1 Mecanismos de apoio ao desenvolvimento de negócios .................................................. 37
7.2 Financiamento e Investimento (Capital)............................................................................. 37
7.3 Instituições que apoiam e disseminam o empreendedorismo ............................................. 39
8 Mini vocabulário do empreendedorismo ............................................................................... 40
9 ATIVIDADES EXTRAS ..................................................................................................... 42
10 REFERÊNCIAS ................................................................................................................. 42

3

1 APRESENTAÇÃO

Olá!

Este curso foi criado para informar aos participantes sobre a temática do
empreendedorismo em suas diferentes vertentes, demonstrando sua origem, tipos, evolução,
como também instruir sobre a busca por oportunidades, abertura de novos negócios,
planejamento e mecanismos de apoio existentes.
O empreendedorismo é uma temática transversal que se expande de forma contínua no
cotidiano das pessoas. Desta forma, conhecer e se capacitar em empreendedorismo torna-se um
diferencial para quem busca por oportunidades de conhecimento e/ou para empreender em
qualquer atividade.

O Projeto de Educação Empreendedora UEG/SEBRAE

Em parceria com o Sebrae/GO, este projeto consiste na disseminação da educação
empreendedora no meio acadêmico destinado ao corpo discente, docente, comunidade e
potenciais empreendedores, no intuito de:

1. Estimular o empreendedorismo através de educação empreendedora;
2. Sensibilizar e disseminar o empreendedorismo na Universidade;
3. Desenvolver disciplinas e cursos de empreendedorismo ministrados na instituição, com
formação continuada em educação empreendedora;
4. Desenvolver os empreendedores em potencial, para o fortalecimento da gestão
empreendedora;
5. Promover interação entre academia e empresas por meio da cultura empreendedora;
6. Identificar e desenvolver as oportunidades e competências empreendedoras instaladas
na Universidade e comunidade externa;
7. Estimular a geração de ideias e novos negócios por meio da educação empreendedora.

Desde 2013, a UEG mantém essa parceria com o Sebrae, buscando fomentar a educação
empreendedora no meio universitário, no qual propõe diversas ações direcionadas a este público,
como:

 Disciplina de Empreendedorismo (EAD) como Núcleo livre;
 Curso de Empreendedorismo “Aprenda & Empreenda” (EAD);
 Formação em empreendedorismo para professores (Semi-presencial);
 Liga de Empreendedorismo;
 Grupo de atividades Sebrae;
 Encontro anual dos ambientes de empreendedorismo da UEG.

Saiba mais sobre essas ações acessando o site:
http://www.educacaoempreendedora.ueg.br

4

para os empreendimentos incubados. no ano de 2011.br 2012 O Núcleo de Empresas Juniores da UEG é um Programa com caráter permanente e interdisciplinar que atua diretamente no apoio e integração das empresas juniores da Universidade Estadual de Goiás. A expansão dos ambientes ocorreu de forma orgânica e exponencial por meio da disseminação dos processos de incubação aliado à disseminação do empreendedorismo e inovação tecnológica por diferentes ações destinadas tanto à comunidade acadêmica quanto comunidade externa. Na Figura a seguir é demonstrada a linha do tempo destas ações: 2011 O Programa de Incubadoras da Universidade Estadual de Goiás (PROIN. http://www.ueg.proin.ueg. gerando um ecossistema favorável para a disseminação do empreendedorismo em harmonia com a Tríade Acadêmica “ensino-pesquisa-extensão e por meio da Hélice Quádrupla da Inovação “governo-academia-setor produtivo-sociedade”. estratégicos e tecnológicos. http://www. O Programa oferece infraestrutura básica para funcionamento e um conjunto de suportes operacionais. como seu primeiro ambiente de empreendedorismo e inovação tecnológica. comunidade e potenciais empreendedores. setor produtivo e parceiros.2 EMPREENDEDORISMO NA UEG O empreendedorismo na Universidade Estadual de Goiás constituiu-se de forma mais consolidada com a implantação do Programa de Incubadoras da Universidade Estadual de Goiás .PROIN.educacaoempreendedora.UEG) é uma incubadora de base tecnológica que atende empresas/projetos focalizados em inovação e empreendedorismo.ueg. administrativos. http://www.br 5 .br 2013 O Projeto de Educação Empreendedora em parceria com o Sebrae/GO consiste na disseminação da educação empreendedora no meio acadêmico. por meio de disciplinas/cursos em EAD e outras ações.nej. promovendo atividades comuns e representando o Movimento Empresas Júnior (MEJ) na instituição.UEG.

propriedade intelectual e inovação em prol das necessidades da sociedade.br Participe de nossas ações empreendedoras!!! 6 . em parceria com a Funtec. tem como missão promover e fortalecer a interação entre a capacidade científica e tecnológica da UEG com as atividades de pesquisa.prosol.prp. na gestão democrática do empreendimento solidário. promovendo a integração entre os grupos e outros atores da Economia Solidária. incentivando o espírito de inovação junto ao público universitário. com apoio da FUNTEC e Sebrae/GO para estimular a cultura do empreendedorismo junto aos estudantes. http://www.br A ProSol é uma Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares e Empreendimentos Solidários.ueg.ueg.ligadeempreendedorismo. sendo um empreendimento físico e funcional que visa capacitar grupos populares.oeu2016. Rede Goiana de Inovação (RGI) e demais instituições que possuem incubadoras de empresas associadas.2014 A Olimpíada de Empreendedorismo Universitário de Goiás (OEU) é uma competição realizada pela UEG.com.br 2016 O Projeto de Desenvolvimento Tecnológico e Empreendedorismo Inovador.ueg.br A Liga de Empreendedorismo da UEG visa criar um ambiente para participação efetiva de discentes interessados em desenvolver conhecimentos e atividades práticas focadas no empreendedorismo dentro do ambiente acadêmico.br 2015 A Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (AITT). tem o objetivo de potencializar a formação empreendedora com cursos sobre desenvolvimento de negócios inovadores e possibilitar a atuação do corpo acadêmico da UEG em projetos tecnológicos prospectados em interação com o setor produtivo. transferência de tecnologia. http://www. associados e cooperados. http://www. como o Núcleo de Inovação Tecnológica vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.ueg.proin. http://www. http://www.

alunos e comunidade em geral. Estudando a distância Na modalidade a distância. o aluno deve organizar sua estratégia de estudos e administrar bem o seu tempo. Atualmente.  ler e estudar o material disponibilizado. e envia suas atividades desenvolvendo um processo interativo com o professor.ueg. o aluno determina o local e tempo de dedicação ao estudo. o aluno deverá:  tomar conhecimento do cronograma do curso. com três especializações tendo a última edição finalizada em abril de 2016 . a oferta de Licenciaturas em Ciências Biológicas. sendo o Tutor seu principal contato para esclarecer dúvidas em relação aos conteúdos do curso e das atividades propostas pelo Professor.  conciliar suas tarefas como estudante com aquelas que você já tem como compromisso cotidiano.Gestão Pública. Seu modelo de ensino prevê a oferta de 20% das disciplinas dos cursos de graduação presenciais na modalidade a distância. pesquisa científica e tecnológica e extensão. verificando quais são as atividades propostas. a UEG possui cursos ofertados integralmente na modalidade de EaD. Esta mediação é realizada pelo Ambiente Virtual de Aprendizagem por meio do qual o aluno recebe.br 7 . Lembrando que estudar a distância exige muita dedicação e comprometimento. O CEAR disponibiliza uma equipe de suporte. tempo de duração e carga horária prevista. como por exemplo. que não precisa ser. O cronograma do curso é o principal referencial para as atividades que o aluno que deverá realizar e os prazos para serem cumpridos. Finalmente. em que o aluno e o professor estão separados espacial e temporalmente. a ausência da sala de aula aonde se estabelece a relação ensino-aprendizagem entre professor e aluno. Alguns aspectos pedagógicos são diferentes do ensino presencial. tutores. o CEAR também desenvolve ações para a capacitação de professores. Além disso. os cursos executados por meio desta parceria são: Programa Nacional de Administração Pública (PNAP).  reservar um momento diário para estudar para o curso. Deste modo. em parceria com a Universidade Aberta do Brasil (UAB). realizando as atividades previstas sem acumular tarefas. Para apoiar seus estudos. necessariamente. Atualmente. Para ter êxito em seus estudos. ainda. o CEAR deseja sucesso a todos(as) alunos(as) em sua jornada de formação e se coloca à disposição para esclarecer todas as dúvidas. Para mais informações http://www. desenvolvidos por meio do Centro de Ensino e Aprendizagem em Rede (CEAR). História e Computação.3 GUIA DE ESTUDOS EaD Características da Educação a Distância (EaD) A Educação a Distância (EAD) é uma modalidade de ensino-aprendizagem. o tutor e os demais colegas do curso. realiza. A Educação a Distância (EaD) na Universidade Estadual de Goiás (UEG) A Universidade Estadual de Goiás (UEG) destina-se a desenvolver atividades de ensino. Gestão Pública Municipal e Gestão em Saúde e o Bacharelado em Administração Pública e. o mesmo do professor. permitindo-se uma independência e autonomia maiores do que ocorre na modalidade de educação presencial.cear.

1. independente de serem ou não empreendedores empresariais (donos de uma empresa). pois o conceito que havia nascido como um viés notadamente econômico assumiu uma interpretação mais extensiva a partir do instante em que foi possível se identificar claramente determinado padrão de comportamento que. (DORNELAS. (SEBRAE.1 O que é empreendedorismo? 4. superando os obstáculos. Antes disso. conseguiam transpor a barreira do sonho. passando a verem as oportunidades como um componente natural nas mudanças.1 História Antes de começarmos os estudos relacionados ao Empreendedorismo e suas diversas vertentes. pois ele utilizou pela primeira vez o termo francês entreprendre dentro da teoria econômica. posteriormente sendo mais disseminado pelas incubadoras de empresas. se repetia de tal forma e incidência. 2013) No Brasil. Enquanto Richard Cantillon diversificou o emprego do termo. Sem dúvida que o salto qualitativo ocorreu quando a Sociologia e a Psicologia se voltaram para estudar o empreendedorismo. o empreendedorismo ganha força no contexto da década de 1990. Economia e Educação. como a visão do empreendedorismo como processo e como método. o economista francês Jean- Baptiste Say é descrito como o “pai do empreendedorismo” pois foi ele quem primeiro estabeleceu os referenciais teóricos dessa nova temática. características e formas de atuação. conceitos e evolução! A maioria dos pesquisadores atribui a criação do termo empreendedorismo à Richard Cantillon. com pequenas variações. outras vertentes também são adotadas. Antes deste período o ambiente político e econômico do país não eram propícios e os empreendedores não encontrava informações suficientes no desenvolvimento de seus negócios. empresas juniores e em cursos das universidades. sofrendo transformações interpretativas e contextualizações na razão direta em que o tema passou a ser cientificamente estudado e metodologicamente acompanhado por um número cada vez maior de pesquisadores de áreas tão distintas quanto. vamos entender um pouco mais sobre sua origem. por exemplo. A partir daí. importante escritor e economista do século XVIII. Os estudiosos afirmam que até o século XVIII entrepreneur era geralmente usada relacionada a expedições militares e significava “assumir empreitada que exigia esforço e muito empenho”. criada em 1996. Ele também foi um dos primeiros a fazer a diferença entre o empreendedor (aquele que assume riscos de iniciar e tocar o empreendimento) e o capitalista (aquele que fornecia o capital). do desejo. sobretudo quanto ao lucro. que passou a caracterizar um grupo de pessoas as quais. Além dos estudos direcionados para o comportamento e perfil do empreendedor (mundo do empreendedor). o conceito vai evoluindo gradativamente. 2012) 8 . (SEBRAE. 2013) A história mostra que Cantillon também foi o primeiro a registrar que a ação de empreender está envolvida pela incerteza.4 INTRODUÇÃO 4. e colocarem em prática suas ideias. Antropologia e Administração. entrepreneur (termo inglês derivado do verbo francês entreprendre) tinha outro significado. com a criação de entidades como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX).

Além desses ainda existem os que herdam negócios familiares e dão continuidade a empresas criadas há décadas. percebemos a evolução da palavra “Empreendedorismo” por meio um infográfico: 9 . era usada no século 12 para assinalar aquele que incentivava brigas e que no final do século 18 passou a significar as pessoas que criavam e dirigiam empreendimentos ou projetos. existem grupos de pessoas que buscam fazer acontecer. que significa ‘tentar executar uma tarefa. na maioria é compreendido como o ato de um indivíduo abrir seu próprio negócio. “empreender” é: decidir. O processo de criação de novos negócios foi também intensificado com a popularização da internet. realizar (empreender pesquisas. Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (2001). Já Drucker (2003) coloca que o termo entrepneuer possui origem francesa e constitui aquele que assume riscos e começa algo novo. Essas invenções foram frutos de inovações. se referindo ao indivíduo que consegue aumentar o rendimento de uma determinada soma de capital. 2013) A preocupação com a criação de empresas duradouras e a diminuição da taxa de mortalidade das empresas existentes são considerados fatores importantes para o desenvolvimento do empreendedorismo no Brasil.1. Isto se deve principalmente à necessidade das empresas brasileiras em aumentar a competitividade. em virtudes de contextos sócio-políticos. de algo inédito ou de novas formas de utilizar coisas já existentes. reduzir custos e manter-se no mercado (consequências do processo de globalização e das tentativas de estabilização da economia brasileira). pôr em execução. principalmente no século XX. os empreendedores. ‘empreender’ vem do latim imprehendo ou impraehendo.  Criação de programas específicos para o público empreendedor.4. Na próxima página. Ao longo do tempo. com ênfase em:  Pesquisas acadêmicas sobre o assunto.2 Conceitos O empreendedorismo pode ser compreendido de diferentes maneiras. entre outros. Por trás dessas invenções.3 Evolução do empreendedorismo O mundo tem passado por diversas transformações em curtos períodos de tempo. Dolabela (2002) aponta que a palavra entrepreneur. quando foram criadas a maioria das invenções que revolucionaram o estilo de vida das pessoas. realizar (tarefa difícil e trabalhosa).1. Este conjunto de fatores incentivou a discussão a respeito do empreendedorismo no Brasil. desenvolvimento e consolidação do capitalismo. tentar (empreender uma travessia arriscada). desenvolvimento tecnológico. o que mais comumente ocorre. Schumpeter (1928) o empreendedor é a pessoa que destrói a ordem econômica existente graças à introdução no mercado de novos produtos/serviços. (ALVES. pela criação de novas formas de gestão ou pela exploração de novos recursos materiais e tecnologias. porém empreender pode ter um amplo campo de atuação. ou longas viagens). alguns conceitos administrativos predominaram. culturais. Podemos simplificar estes conceitos dizendo que empreender é: O ato de realizar ou de fazer algo acontecer seja um projeto ou um negócio! 4. Etimologicamente. ou seja.

10 .

ainda indica-se que depende de cada pessoa e não do tipo de pessoa para querer empreender. inclusive o auto-emprego. O empreendedorismo deve ser estudado para facilitar e explicar o papel da nova empresa no desenvolvimento econômico de uma dada região.  Possibilita a inovação.  Permite o desenvolvimento de carreira de uma parte significativa da força de trabalho. A prática reflexiva ganha destaque. que ajudam o estudante a entender. pequenas e médias empresas têm grande importância no desenvolvimento da economia mundial. O empreendedorismo também é importante. aprendizagem baseada em design e a prática reflexiva.  Possibilita o crescimento econômico de forma organizada. apresentando um corpo de habilidades ou técnicas. as práticas de ensino devem ser voltadas para métodos que provoquem a habilidade dos estudantes em praticar o empreendedorismo de forma a pensar e agir. requer prática contínua e está direcionado para um ambiente imprevisível.focado no planejamento e previsão para a criação de novas empresas. pois seu entendimento:  Possibilita a criação de empregos. 2011) A discussão sobre o empreendedorismo poder ser ou não ensinado é levantada. pois a ideia de encorajar a reflexão possibilita que os estudantes pensem 11 . O contexto atual no mundo sobre o ensino de empreendedorismo.  O mundo do processo . desenvolver e praticar o empreendedorismo. como resposta é mencionado que como método o empreendedorismo é ensinável. planos e modelos de negócios. leituras e com implicações pedagógicas.focado na figura do empreendedor como mito. diferentes mecanismos podem ser adotados: desenvolvimento de novos negócios. sendo responsável por mais.  Auxilia na melhoria da competitividade. de 50% do PIB em alguns países e com tendências de crescimento. (NECK e GREENE. sua natureza.como nova fronteira.  Aproveita melhor o potencial dos indivíduos. é inclusivo por definir o empreendedorismo de forma expandida e multidimensional. destacando que pelo fato do empreendedorismo ser complexo.3 Educação e cultura empreendedora Uma das grandes preocupações do nosso país com suas políticas públicas e principalmente tratando-se da educação. O empreendedorismo como método pode estar direcionado para novos e também estudantes experientes. business games e simulação.4. A compreensão da importância do empreendedorismo para o desenvolvimento socioeconômico e do próprio indivíduo que empreende tem sido foco de atuação de diferentes inciativas.  Permite entender e explorar de forma mais efetiva os interesses da sociedade. possível de ser aprendido e não é previsível. caótico e por não apresentar linearidade. Os três mundos do empreendedorismo mais utilizados no ensino são:  O mundo do empreendedor .2 A importância do Empreendedorismo As micro.  O mundo do empreendedorismo como método . direciona-se para a criação de uma cultura empreendedora. Como portfolio para o ensino do empreendedorismo como método. Fonte: Alves (2013) 4. ensino direcionado para negócios básicos. o empreendedorismo pode ser ensinado como método. principalmente pelas jovens empresas. ensino direcionado para casos.

 Comprometimento. o processo de geração de um novo negócio ou de futuros projetos que demandem ação empreendedora e que levem a atitude de empreender à4trazer diferentes formas de benefício para o empreendedor e sociedade. o empreendedor toma a decisão de persistir na direção dos objetivos por ele traçados. Assim. e experimentem a sensação do empreendedorismo em condições de alta incerteza e resolução de problemas. 2013) Como todo ser humano.. a persistência como sendo uma das características empreendedoras.  Persistência. Qualquer que seja o método. tornam-se ferramentas dinâmicas e atuais.  Busca de Informações. é óbvio que não se espera que o empreendedor seja assim 24 horas por dia.  Persuasão e Rede de Contatos.Tais indagações nos leva a pensar como uma pessoa torna-se empreendedora. 4. 12 . por exemplo. De forma a possibilitar uma melhor compreensão sobre o tema.  Planejamento e Monitoramento Sistemáticos.. para que o aluno e futuro empreendedor experimente. 2011) Independente de qualquer mundo abordado para o ensino de empreendedorismo. vamos entender um pouco sobre cada uma dessas características (SEBRAE. 365 dias por ano. (NECK e GREENE. elaboração de modelos de negócios.  Estabelecimento de Metas.. ele terá dias bons e dias não tão bons e é precisamente por isso que a persistência é uma de suas características. com participação ativa. Como estamos falando de seres humanos e de comportamento. O empreendedor costuma vislumbrar oportunidades onde outros só enxergam crise e instabilidade. Um dos conceitos vinculados a esta característica é o da proatividade. há a percepção de que as atuais demandas e cenários a serem vivenciados por um empreendedor demanda que os alunos passem por um processo de experimentação. Independe de suas motivações. 2013): Busca de Oportunidades e Iniciativa: Entendida com a capacidade do empreendedor se antecipar aos fatos e criar oportunidades de negócios com novos produtos e serviços. planos de negócios. identificação de oportunidades.  Independência e Autoconfiança. estudos de mercado. Os estudiosos do tema costumam relacionar como empreendedoras as seguintes características:  Busca de Oportunidades e Iniciativa.Quem é o empreendedor? O que faz ele se diferenciar? O que leva uma pessoa abrir um negócio ou empreender um projeto? Quais características ou perfil ele deve ter?. obviamente devemos considerar que existe uma série de variáveis que influenciam e sofrem influência dessas características. pois apesar dos dias “não tão bons” e das adversidades que podem até influenciar circunstancialmente em seus sentimentos. (SEBRAE..  Correr Riscos Calculados. o uso de mecanismos como estudo de casos. os empreendedores agem com base em um conjunto de características bem definidas as quais podem ser estudadas.  Exigência de Qualidade e Eficiência.4 O Empreendedor e as características empreendedoras Quando perguntamos. dinâmicas de ideação e métodos inovadores. classificadas e agrupadas. quando se relaciona.

com a família. Para evitar ser surpreendido negativamente (ou mesmo para poder “enxergar” primeiro uma oportunidade) o empreendedor deve buscar constantemente dados e informações sobre clientes. provavelmente não faria. que seja bem feito”. O convencimento aqui decorre da argumentação sincera e da apresentação honesta dos riscos e vantagens envolvidos. concorrentes. é preciso “medir o passo” antes de iniciar a caminhada para evitar “ficar pelo meio do caminho”. Persuadir é levar o outro a fazer algo pelo convencimento decorrente da apresentação clara de ideias e propósitos. Contudo. e não se contenta antes de alcançá-lo. pessoas que de forma consciente e livre. A meta possibilita a delimitação do foco e a mensuração dos custos envolvidos na tarefa. se “entregando de corpo e alma”. Ele define aonde quer chegar. escolhe as melhores estratégias e calcula quais os recursos necessários para levá-lo até o destino estabelecido. É preciso transformar sonhos em metas até para que ele saiba se está caminhando na direção certa. Correr Riscos Calculados: Há no senso comum a ideia de que o empreendedor é uma pessoa arrojada. Olha. Definido o rumo. para saber se estamos indo na direção certa. Busca de Informações: Você já sabe que a informação é um bem extremamente valioso e perecível em altíssimo grau. se 13 . “é e não é bem assim”. o empreendedor precisa avaliar se tem suprimentos (principalmente emocionais. seja para. Exigência de Qualidade e Eficiência: Lembra da máxima: “Se é para fazer. o empreendedor precisa ter disposição para assumir desafios e não “correr da raia”. colaborar com a equipe e desenvolver uma relação de confiança com seus clientes. se tivesse a informação correta. seja para enfrentar uma longa e imprevisível caminhada. e traçada a rota. Precisa se manter comprometido com ele próprio. Manipular é levar alguém a fazer algo que ele. resolvem “comprar a ideia”. Planejamento e Monitoramento Sistemático: O empreendedor planeja antes de fazer. determinada informação que era valiosíssima pode ter rapidamente perdido o seu “prazo de validade” e se tornado obsoleta. esteja ele focado no seu negócio. O empreendedor cativa seguidores. de dedicação e comprometimento. É pensar no melhor estando preparado para o pior. Persuasão e Rede de Contados: Persuasão e manipulação são conceitos radicalmente opostos. que se lança de cabeça em um projeto. ou na área social ou que tenha sua linha de atuação voltada para dentro de uma empresa ou organização. e quando consegue atingir o patamar desejado. O empreendedor tem um padrão elevado de qualidade e eficiência. Seu lema é buscar fazer sempre mais e melhor. assim como dimensionar os resultados previstos. Em resumo: antes de iniciar a jornada.Persistência: Trata-se da determinação de enfrentar os obstáculos e buscar superá-los de forma a se atingir o objetivo estabelecido. É fato que. ele inicia a difícil tarefa para se manter no topo. fazer o caminho de volta. mercado e sobre o próprio negócio. Comprometimento: Fazer com que uma ideia saia do papel e se transforme em realidade exige do empreendedor uma grande parcela de sacrifício pessoal. logísticos e financeiros). se necessário. O manipulador enxerga as pessoas como meios para que ele atinja seus próprios e egoístas propósitos. fornecedores. Dada a velocidade do mundo virtual. Estabelecimento de Metas: O empreendedor sabe que sonhar é só o começo. com seus valores. será necessário periodicamente consultar o GPS do planejamento. buscando superar as expectativas de prazos e padrões de qualidade. com amigos. Essa característica distingue bem o autêntico empreendedor daquele (talvez até bem intencionado) aventureiro.

porém. Nesse processo. a qual ‘antecede à ruína’. que atrapalham bastante o desenvolvimento do espírito empreendedor como:  Medo do fracasso  Pessimismo  Falta de confiança e persistência  Fixação funcional (achar que nunca vai mudar)  Falta de iniciativa  Mau humor  Autoritarismo  Excesso de trabalho  Falta de apoio  Falta de estímulo  Ambiente muito crítico Fonte: Alves (2013) 4. Obviamente.comprometendo com o processo de torna-la realidade. mesmo que os resultados obtidos causem uma certa indisposição para empreender algo. muitos deles podem ser feitos na internet. o empreendedor pode utilizar de ações em equipe. ser um intraeemprendedor. Conhecimento de si.4. Para complementar tais características. redes. Capacidade de aprendizagem. Flexibilidade. o empreendedor acaba criando ou se integrando a redes de contato. O arrogante. Um super-herói? Um mito? Impossível um só empreendedor apresentar todas características mencionadas. reavaliando suas próprias posições e seguindo em frente. prestando atenção nas pessoas que estão com ele na empreitada e em suas opiniões. Necessidade de realização. não se trata de arrogância. Paixão. Competência e Criatividade. como: executar projetos. 2014) Capital social = pode ser descrito como os recursos obtidos pelas relações. formadas por pessoas que podem ajudá-lo a atingir o seu objetivo. de seu espaço e do setor. o empreendedor independente e autoconfiante sabe que precisa ouvir. utilizando o sistema de apoio e a rede de relacionamento (Capital Social). e mesmo que você não pense em abrir seu próprio negócio. Existem também características e comportamentos extremamente negativos. (BORGES. Polivalência. 14 . pois as competências empreendedoras podem ser potencializadas. Outras características comuns aos empreendedores: Iniciativa. Autonomia. Tolerância a ambiguidade e a incerteza. Independência e Autoconfiança: O empreendedor precisa ter autonomia pessoal para agir e manter permanentemente a confiança em sua capacidade e o foco em seus objetivos. perseverança e energia. ou sociedades. Determinação. pensa que se basta só. você poderá utilizar destas competências para realizar diferentes atividades. aprimorar suas habilidades e ter novos desafios etc.1 Teste seu perfil empreendedor Diferentes testes podem ser realizados para descobrir se temos aptidão para sermos empreendedores. não fique preocupado.

quando surgem outras oportunidades de emprego você: a) Nunca as aceita. 2 – Ao terminar os estudos. Você é a pessoa mais indicada para tomar suas próprias decisões e traçar o seu caminho. c) O flexível. c) Não dava a mínima para o que os outros estavam fazendo. b) Nunca participa efetivamente e adora quando os outros integrantes fazem tudo por você. por mais positivas que elas sejam. b) O observador. decidiu ir à luta e traçar metas profissionais. 15 . qual foi a sua reação? a) Ficou extremamente inseguro. se chegar à conclusão de que não tem nada a perder. b) Fica extremamente contente por ter surgido a oportunidade de ascender profissionalmente em um ambiente novo e na companhia de outros profissionais. mas só quando pedem sua ajuda. a fim de acumular conhecimentos que o fizessem crescer. o importante era cumprir as suas tarefas. b) Todos os dias. c) Nunca. 4 – Em sua vida profissional. c) Sentiu-se bastante contente e confiante em enfrentar os desafios que a vida iria lhe proporcionar. c) Analisa durante dias se esta será a melhor escolha e. mas nunca acreditou que isto o levaria a crescer profissionalmente. b) Sempre coloca a opinião das pessoas próximas a você em primeiro lugar. opiniões e gosta de participar de todo o processo de elaboração do trabalho. A ideia de encarar um novo desafio o deixa muito inseguro. porque não tinha noção do que faria dali pra frente e por isso demorou a decidir que carreira seguir. 3 – No início de sua carreira profissional. aceita o desafio. de preferência de manhã e à noite.Faça o teste elaborado pela Associação Comercial Empresarial do Brasil (ACEB) e descubra se você tem o perfil empreendedor e se possui chances de obter sucesso ao montar seu próprio negócio: 1 – Ao realizar trabalhos em grupo. principalmente os mais experientes. 5 – Em qual dos perfis abaixo você melhor se encaixa? a) O líder. você: a) Sempre dá ideias. 6 – Com que frequência você se informa sobre economia e o mundo dos negócios? a) Pelo menos três vezes por semana. c) Dá boas ideias e colabora. b) Sempre observava os profissionais à sua volta. b) Apesar do medo. Fica sabendo das novidades somente quando alguém o informa. elas gostam de você e só querem o seu bem. c) Não escuta a opinião de terceiros. você: a) Tentava adquirir conhecimentos e experiência com os demais funcionários. mas a decisão final sempre é sua. afinal. 7 – Como você toma decisões importantes na sua vida profissional ou pessoal? a) Consulta a opinião de amigos e parentes.

Tenho este anseio e só depende de mim alcançá-lo. e some para ver o resultado: Respostas Questões A B C 1° 2 0 1 2° 0 1 2 3° 1 2 0 4° 0 2 1 5° 2 1 0 6° 1 2 0 7° 1 0 2 8° 1 2 0 9° 2 0 1 10° 0 1 2 Resultado: De 0 a 6 pontos: Você não possui o perfil empreendedor. Porém. Agora. procure ser mais otimista. b) Não. você: a) Não se deixa abalar. Por mais que eu me esforce para ter ideias empreendedoras. Porém. ativo e mais seguro no momento de tomar decisões. não é interessante forçar a 16 . afinal. não tenho muita certeza de que dará certo. pois meu sucesso depende muito da oportunidade dada por outras pessoas. c) Imagino-me um empreendedor de sucesso. c) Às vezes. nada me vem à cabeça. mas que é preciso trabalhar para que a melhora aconteça. conforme a tabela abaixo. por mais que você se esforce. b) Acredita que tudo irá se resolver da melhor maneira. veja os pontos correspondentes às suas respostas. entre eles o de montar meu próprio negócio. para que as coisas sejam resolvidas é necessário manter a calma. pois muitas empresas fecham logo no início de sua existência. Sempre procuro transformar ideias simples em negócios efetivos. é necessário que você mude diversas características se quiser obter sucesso. Em dias de muita inspiração consigo ter ideias que possivelmente resultarão em bons negócios. com meu próprio negócio concretizado e bastante competitivo no mercado. 8 – Se algo der errado em algum projeto profissional. 10 – Como você projeta sua vida para daqui 5 anos? a) Procuro não pensar no futuro. Se o seu grande objetivo profissional é constituir seu próprio negócio. c) Acha que o mundo está desabando e que. 9 – Você se considera criativo? a) Sim. nada poderá ajudá-lo a resolver o problema. Comece se informando mais sobre o ramo em que quer atuar. b) Tenho vários planos.

Se você não nasceu para ser empresário. administrá-lo com excelência e caminhar rumo ao sucesso! Outros testes também podem ser realizados. com o chamado “espírito de dono”. Aqui. é melhor nem avançar mais. de forma mais barata. Esse tipo de “sacada” é uma das características do empreendedorismo de negócio. 2013) b) Intraempreendedorismo: Você já leu. Dr. autonomia. mas sente-se inseguro no momento de tomar decisões importantes. A lógica é bem simples (embora sua prática não seja necessariamente das mais fáceis): se o colaborador administra os recursos da empresa/instituição como se fossem seus. ainda faltam alguns passos importantes para que você consiga êxito. José Dornellas. independente e tem espírito de liderança. Administrar uma empresa é uma tarefa difícil e requer bastante preparação. De 7 a 14 pontos: Se sua intenção é investir em um empreendimento. Ele pode oferecer um produto ou serviço que já exista.com.. muito provavelmente desperdiçará menos materiais. já ouviu e provavelmente até já falou sobre as habilidades e competências requeridas pelo mercado para o profissional de nossos dias: proatividade. ufa. Você pode ser criativo. adora encarar desafios e sabe aproveitar as oportunidades. com certeza encontrará sua aptidão e obterá sucesso no que se propor a fazer. você precisa se aperfeiçoar. http://www. seja por necessidade (por exemplo. a um empreendimento empresarial que visa o lucro. O empreendedorismo de negócio se evidencia quando o empreendedor tem uma ideia e a transforma em uma atividade empresarial. você encontrará alguns deles! 4. disputado mesmo pelo mercado é aquele capaz de administrar os recursos e processos que estão em seu poder como se eles fossem seus próprios. “descubra” ou “invente” um produto ou um serviço novo. lealdade.. Portanto. se você sempre objetivou ter seu próprio negócio. criatividade e inovação são essenciais para o sucesso da empreitada. uma empresa. Você sente-se à vontade para tomar decisões difíceis. variáveis tais como planejamento. 17 . resiliência.. De 15 a 21 pontos: Você nasceu para o empreendedorismo. assertividade. mais comumente identificamos o empreendedorismo como o ato de abrir um negócio. capacidade de administrar conflitos.. contudo. (SEBRAE.5 Tipos de empreendedorismo Como já vimos. mas tem dificuldades em administrar uma equipe. buscando obter a remuneração financeira pelo trabalho e capital investidos. criativo. no site do Prof. Portanto.br/artigos/teste-seu-perfil-empreendedor/. pois trata-se do comportamento empreendedor vinculado a um negócio. Ou gosta de enfrentar desafios.barra. São de fato muitos os recursos que se exige para quem deseja ingressar no mercado de trabalho atual ou pretende nele se manter. porém diferentes tipos de empreendedorismo e de empreendedores podem ser observados. sem medo de errar.josedornelas. Vamos então conhece-los! a) Empreendedorismo de negócios: Quando se fala em “empreendedorismo de negócios” estamos empregando o termo no seu sentido mais usual. flexibilidade. quando ele foi demitido e não encontrou nova recolocação) ou quando ele vislumbrou uma oportunidade de fazer algo novo ou de forma melhor. o profissional mais procurado. foco em resultados. e somente após se sentir seguro deve aceitar este desafio. mais rápida ou com melhor qualidade em relação aos seus concorrentes. Mas. Não é necessário que o empreendedor “crie”. pois possui as principais características que um empresário necessita ter: é otimista. aperfeiçoando o que já existe. agora mais que nunca você sabe que tem grandes chances de montá-lo.

seja se articulando e mobilizando para atuar como protagonista do processo de construção de uma sociedade mais justa. pois o Empreendedorismo Social precisa recorrer a métodos e ferramentas gerenciais comprovadamente exitosos na iniciativa privada. o que se ganha com ele? O intangível e absolutamente vital impacto social positivo é o que “remunera” as ações do empreendedorismo social. Portanto. jovem nascido na periferia de São Paulo. gestão e pelo trabalho realizado não é financeira. Ele também requer planejamento.com. no Empreendedorismo Social a remuneração pelo planejamento.jovensfalcoes.br) d) Empreendedorismo de Mulher (Feminino): Atribui-se historicamente às mulheres uma série de características ligadas ao cuidar. 18 . empregando-os para gerar resultados positivos que beneficiem a sociedade. então. seja cobrando e fiscalizando a ação do Poder Público. seja propondo formas alternativas de solução para os problemas.faltará menos ao trabalho. independentemente do cargo. Em países emergentes com é o caso do Brasil. iniciativa privada e sociedade civil – não necessariamente sempre juntos) na busca das soluções. o empreendedor social busca articular formas alternativas e criativas de envolver os atores (poder público. 2013) Exemplo de Empreendedorismo social: Gerando Falcões . as mulheres estão cada vez mais conquistando uma posição de destaque no mundo corporativo e. por exemplo. os programas sociais não estão atendendo satisfatoriamente as necessidades de determinada comunidade. Atualmente. (http://www. promovendo mudanças. que resolveu se dedicar a melhorar a vida de crianças que passam pelas mesmas dificuldades que enfrentou na infância. viabilizam a implantação de suas propostas. ambientais e econômicos existentes. Veja: Se. em 2009 tornou-se presidente do Banco. Esta é uma das conceituações mais tradicionais do Intraempreendedorismo.Iniciativa de Eduardo Lyra. esse profissional está empreendendo dentro da empresa (órgão ou instituição). o que nos confinou por séculos ao trabalho no lar. tornou-se presidente da Petrobrás) c) Empreendedorismo social: O Empreendedorismo Social tem basicamente as mesmas características do Empreendedorismo de Negócios. Empreendedores sociais devem planejar suas ações e estarem preparados para reagir rapidamente frente a novas e inesperadas situações. 2013) Exemplo de intraempreendedorismo: Aldemir Bendene começou a trabalhar no Banco do Brasil oo aos 14 anos. que tem como meta central promover o protagonismo dos jovens e fortalecê-los enquanto motores da transformação da sociedade. estabelece metas e foca em resultados. qual é a diferença entre o Empreendedorismo Social e o Empreendedorismo de Negócios? Bem. propondo projetos e melhorias com o objetivo de colaborar para que a missão e visão institucional sejam alcançados. criatividade e inovação. Então. (SEBRAE. Cerca de 30 mil estudantes têm sido impactados pelas ações do projeto. pois ele também pode ocorrer por necessidade ou por oportunidade. Nos últimos anos. como office-boy num programa chamado Menor Aprendiz. via de regra. com extrema rapidez. buscará desenvolver novos caminhos de forma a superar os desafios e aperfeiçoar os processos internos. a importância do Empreendedorismo Social é vital na busca do equacionamento dos significativos passivos sociais. Quando se comporta assim. cabe perguntar. e fruto de longas lutas. o qual se aplica tanto ao funcionário da iniciativa privada quanto ao servidor público.2 trilhões. sob seu comando. Esse profissional possui um nível de motivação pessoal e inteligência emocional que lhe possibilita desenvolver estratégias e articulações as quais. órgão e função. também no mundo do empreendedorismo. o Empreendedorismo de Mulher ou Empreendedorismo Feminino é caracterizado como sendo o projeto ou negócio conduzido por mulher(es). o volume de atios do BB ultrapassou a marca de R$ 1. (SEBRAE. Mas. devendo administrar com muita atenção seus fluxos de caixa.

Rádio e TV.Fogão portátil e sustentável movido à biomassa . o lucro como único objetivo. a criatividade e o capital intelectual como principais recursos produtivos. através da aplicação sistemática de conhecimentos técnicos e científicos. são atividades nas quais resultam em indivíduos exercitando a sua imaginação e explorando seu valor econômico.http://www. Artes cênicas. Artes e antiguidades. para também colocar como propósito ações de impacto social. Pode ser definida como processos que envolvam criação. Moda.5.Exemplo de empreendedorismo de mulher: Luiza Travano Donatto. Gastronomia.com.com/ 2. da qual Luiza é hoje presidente. Audiovisual (cinema. como o Programa de Incubadoras da Universidade Estadual de Goiás – PROIN. ou. Conheça também a Rede Mulher Empreendedora http://redemulherempreendedora. f) Empreendedorismo de base tecnológica: Segundo o Office of Technology Assessment (1992). Podemos também definir como sendo as empresas que se baseiam no domínio intensivo do conhecimento científico e tecnológico para manter a sua competitividade. games.africancleanenergy.UEG e demais mecanismos de apoio e fomento à inovação. usando o conhecimento. Índia . Judith Joan Walker. Índia 19 . Aquasafi Sistema de purificação . Design. A loja foi crescendo e tornou-se uma das maiores redes de varejo do Brasil. Elas mudam de acordo com as potencialidades e mercados de cada nação e também de cada estudo. Isto ocorre através de empresas e empreendedores que não tem como foco o lucro do seu empreendimento. Software. African Clean Energy (ACE). Editoração (livros. África do Sul: . produção e distribuição de produtos e serviços. publicado em 2001. Não existe consenso geral entre as áreas que estão sob o guarda-chuva da economia criativa. comprometidos com o desenho. os empreendimentos de base tecnológica são aqueles ligados à produção de bens e serviços. Esta é uma modalidade de empreendedorismo que está crescente no mundo. Artesanato.Provedor de água purificada . Exemplo de empreendimentos de base tecnológica: Empresa Bematech – líder em automação comercial no Brasil. jornais). Lesotho. Neste curso. Pavin Pankajan . que irão beneficiar a sociedade. Dessa forma. em alguns casos. 4. trabalharemos o empreendedorismo de economia criativa relacionado à projetos e empreendimentos das seguintes áreas: Arquitetura e urbanismo.com/ 3. Sanjay Banka . a principal medida de desempenho do empreendimento social é o resultado que gera na sociedade. revistas.br/ e) Empreendedorismo de economia criativa: Economia criativa segundo o autor inglês John Howkins no livro “The Creative Economy”. dona do Magazine Luiza Era vendedora na loja de seus tios. desenvolvimento e produção de novos produtos e/ou processos de fabricação inovadores.aquasafi. Publicidade. Música. Abaixo segue uma lista de 20 empreendimentos sociais que estão mudando o mundo: 1.http://www. Fotografia. aplicativos. Geralmente são apoiadas por incubadoras de empresas. vídeo e web). em Franca (interior de São Paulo).1 Empreendedorismo Social O empreendedorismo social surge às fortes pressões por meio da sociedade para transforma o mundo. ou seja. Banka BioLoo .

ICT for Development.http://www. Dr. Brasil .Fornece acesso e suporte a TIC´s em pequenas comunidades como forma de capacitar os moradores ao mercado de trabalho . Anya Cherneff ..Capacitação e treinamento de meninas para o agronegócio . Haywood Municipal .Treinamento culinário para base da pirâmide e espaço de aluguel de cozinha para micro- empresários .org/ 15.com/ict4dkenya 10. Haiti . Global.aspx 6. Nigéria .multilink-kenya.mobilemamaalliance.facebook. Jonathan Mativo .bankabio. Naya Jeevan . Rebecca Kaduru .org/ 14. incluindo a África do Sul.com/ 8. Quênia .com/ 4.naandi.org/ 16.org/ 9.org/ 5. Mobile Alliance for Maternal Action (MAMA). Dr. Empower Generation.centro-pace. Desenvolvimento e capacitação de jovens sul-africanos - http://www. Quênia . Carbon Roots International.HUB Alimentos. confiável e a preços acessíveis .org.http://www.https://www. Rob Taylor .Provedor de seguro de saúde para trabalhadores pobres . KadAfrica .kadafrica.Formação de base comunitária para o atendimento de emergência e saúde na comunidade - http://www.http://www. Bangladesh . Prashanth Venkataramana .carbonrootsinternational. Essmart . Índia . México .columba.https://gastromotiva.za/default. Multi -Link Investments Group .Construtor e operador de centros de água comunitários ( CWCS ) para fornecimento de água seguro.Facilita e estimula mercados varejistas em localidades rurais . Estados Unidos 20 . Practice Makes Perfect. Kirsten Gagnaire .com/ 13. Asher Hasan .http://www.org/ 12.http://www. Michael Njoroge .org/ 11.http://www.njfk.empowergeneration. Naandi Community Water Services.Conversor de biomassa de resíduos agrícolas ao pó de char de carbono para substituição de briquetes de fogão e carvão . Columba Leadership.Fogões “verdes” . Karim Abouelnaga .org/ 7. Anoop Ratnaker Rao .Treinar e capacitar mulheres para atuar como empresárias do setor energético - http://www. Renata Szeles . Eric Sorensen .Fornece mensagens sobre cuidados à saúde a mulheres grávidas e suas famílias por meio de celulares .essmart-global.http://www. Índia. PACE MD. Nepal . Uganda . África do Sul .http://www.Instalação de banheiros secos com tratamento de dejetos humanos por meio de cultura das bactéria . Paquistão e México . Gastromotiva . Índia .

X. Dessa forma.com.5. negócios de impacto social são empresas que oferecem. de cinco semanas. soluções e serviços gerais para população rural pobre - http://www. Rahul Singh Noble .  Rentabilidade: possuem um modelo robusto que garante a rentabilidade e não depende de doações ou subsídios.  Potencial de escala: podem ampliar seu alcance por meio da expansão do próprio negócio. essas empresas não tem o lucro como único objetivo.org/ 19. Wamuyu Mahinda .com/ Se você tiver interesse de saber mais sobre empreendedorismo social e conhecer alguns casos no Brasil. para apagar a distância que os estudantes de baixa renda estão da situação de aprendizado ideal . organizações e políticas públicas. soluções escaláveis para problemas sociais da população de baixa renda. Sebrae: http://www. Índia .1. ZMQ .br/negociosdeimpactosocial/ Endeavor: https://endeavor.xrunner-venture.Runner .com/ 20.Provedor de banheiro seco e recolhimento de resíduos . de forma intencional.Desenvolvimento de habilidades empreendedores para jovens .http://theyouthbanner.rangsutra.org/ 17.http://practicemakesperfect.br). Rangsutra Crafts Índia.zmq. Dr.in/ Fonte: http://www. The Youth Banner.br/empreendedorismo-social/ 4. acesso os sites abaixo e aprenda mais sobre este tipo de empreendedorismo.mudevoceomundo.1 Negócios de Impacto Social Segundo o site a Artemisia (http://www. Isabel Graefin von Medem .org. transformando-o melhor e de quebra ainda ganhar dinheiro com isso. 21 .com/ 18. Peru . de sua replicação em outras regiões por outros atores. Negócios de impacto social possuem como características principais:  Foco na baixa renda: são desenhados de acordo com as necessidades e características da população de baixa renda. Hilmi Quraishi .sebraemercados.Provê informações sobre saúde.artemisia.http://www.Programa de verão. Criador de um mercado para os artesãos e agricultores em aldeias remotas - http://www..  Intencionalidade: possuem missão explícita de causar impacto social e são geridos por empreendedores éticos e responsáveis. Esta é uma nova geração de empreendedores que buscam mudar o mundo. Índia .org. Quênia . ou pela disseminação de elementos inerentes ao negócio por outros empreendedores.

 Distribuição ou não de dividendos: um negócio pode ou não distribuir dividendos a acionistas. podemos ver na figura abaixo àqueles que podemos tratar como sendo os fundamentais: 22 . movimentos da sociedade civil organizada. sem fins lucrativos. do Estado de Goiás e do entorno dos Câmpus da Universidade Estadual de Goiás . Dessa forma. promovendo a integração entre os grupos e outros atores da Economia Solidária. não sendo. esse. desenvolvendo tecnologias para aprimorar o processo de produção. Um empreendimento baseado em economia solidária e autogestão pode receber apoio por meio da incubação social por meio de uma INCUBADORA TECNOLÓGICA DE COOPERATIVAS POPULARES E EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS. cooperativismo e solidariedade acabaram sendo partes de um mesmo projeto de Economia Social e Solidária. ou seja. criando oportunidades de pesquisa junto às experiências em Economia Solidária para os professores.UEG.prosol. Cultura e Assuntos Estudantis da UEG (PrE). comercialização e distribuição de riquezas inerentes ao sistema capitalista buscando novas relações sociais. estudantes e técnicos. na gestão democrática do empreendimento solidário.1. econômicas e ambientais contrárias à alienação em relação ao processo do trabalho como um todo. apoiar a comercialização e a entrada no mercado dos empreendimentos.5. associados e cooperados.2 Economia Solidária e Incubação Social A ECONOMIA SOLIDÁRIA é um movimento que busca contrapor os princípios de produção. segundo os princípios da economia solidária. promover a interação entre a Universidade e a comunidade. podendo contemplar ainda outras formas de empreendimentos compatíveis com o empreendedorismo social que estejam orientados para o desenvolvimento local e setorial. dentre os diferentes fatores que tornam um ambiente propício ao empreendedorismo.6 Ambiente empreendedor Um ambiente favorável à abertura de um negócio ou realização de diferentes projetos contribui diretamente para o ato de empreender. não se trata de um projeto ou iniciativa separada do negócio. Saiba mais acessando: http://www. mutualismo. 4. de grupos populares e/ou empreendimentos solidários. e sim de sua atividade principal. Este conceito é um empreendimento físico e funcional que visa capacitar grupos populares. e tem como objetivo promover o apoio e incubação. práticas assistencialistas. às desigualdades sociais e aos desequilíbrios ambientais. Na UEG existe uma Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares e Empreendimentos Solidários intitulada “ProSol” constituída na forma de programa extensionista da Universidade Estadual de Goiás (UEG).  Impacto social relacionado à atividade principal: o produto ou serviço oferecido diretamente gera impacto social. porém.ueg. sendo vinculado à Pró-Reitoria de Extensão.br 4. um critério para definir negócios de impacto social.

trata-se da ausência de mecanismos governamentais para incentivar e dar apoio aos empreendedores. o que coloca o país na 123ª posição do ranking 23 . são necessários 107. telecomunicações etc)  Redução da Tributação 4. Fonte: Borges (2014) Por ser o empreendedorismo um fenômeno cultural.6..5 dias. O que atrapalha empreender em nosso país? Em grande parte. pois existem regiões mais ou menos empreendedoras que. ALVES (2013):  Redução da Burocracia  Ampliação de linhas de financiamento para micro e pequenas empresas  Estímulo à cultura empreendedora  Formação de capital humano  Educação Empreendedora  Apoio a grupos Específicos como empreendedorismo de: mulheres. rural. o empreendedor é altamente influenciado pelo meio em que vive.. ou seja. produto do meio em que vive (época e lugar). no Brasil. colaboram de forma diferenciada para o perfil dos empreendedores. tecnológico. sendo visto como um ser social. O empreendedorismo é também um fenômeno regional. conheça os principais:  Burocracia: principalmente na abertura de uma empresa. criando um ambiente favorável ao empreendedorismo. A seguir alguns outros fatores importantes que podem contribuir para o desenvolvimento de novos negócios. em média. sustentável etc.1 Barreiras e incentivos ao empreendedorismo no Brasil Podemos definir esse tópico como. para criar uma empresa. por sua vez.  Aprimoramento da Infraestrutura de todo o país (estradas. jovens.

quase sempre ela surge depois de muito trabalho. É importante que o novo empreendedor entenda que a criatividade é uma habilidade que pode ser aprendida e depende do esforço que o indivíduo faz de pensar sobre os problemas e tentar propor soluções para os mesmos.  Educação Empreendedora: poucos projetos de disseminação do empreendedorismo no ensino.  Financiamento: falta de financiamento para empresas em diferentes estágios de desenvolvimento. telecomunicações etc) atrapalha o desenvolvimento e logística de negócios. 2013) Enquanto o empreendedorismo não exige necessariamente que a pessoa seja inovadora. (ALVES. Necessidade de criação de mais projetos e programas que capacitem os empreendedores em práticas empresariais.  Capital Humano: falta de pessoal e formação adequada ao empreendedorismo. 5.  Tributação: alta carga tributária. um novo processo. Para Schumpeter. Este ato se aplica em qualquer área. desde que sejam aproveitadas as oportunidades e que apresentem as características de inovar. desde o ensino básico. um novo produto ou um novo método utilizado. seja um novo negócio.  Infraestrutura: a precariedade da infraestrutura em certas regiões do país (estradas. indicando que a discussão com outras pessoas. planejar. a inovação exige do inovador o espírito empreendedor. de introduzi-la no mercado. acreditar na ideia e transformá-la em realidade. No Estado de Goiás podemos encontrar alguns bons exemplos como o Programa Minha Primeira Empresa e linhas de crédito da Goiás Fomento. sustentável). investimento. ser perseverante. não somente para o micro e pequeno empreendedor. produtos e serviços promissores e diferenciais no mercado. empenhar.  Cultura: estimular a criação de novos negócios entre a população. junto com a capacidade de alcançar uma velocidade maior do que o ritmo das mudanças do mercado.  Grupos Específicos: falta de apoio ao empreendedorismo para grupos específicos (mulheres. 24 . Novas modalidades empresariais como o Micro Empreendedor Individual (MEI) tem contribuído para agilizar a abertura de micro empresas. arriscar. utilizando-se de técnicas. mundial. uma pessoa que tem o hábito de pensar soluções será mais criativo à medida que aumentar seu conhecimento e experiência sobre um determinado assunto. Uma grande ideia é normalmente fruto de muitas tentativas. poucas linhas de crédito são disponibilizadas para micro e pequenas empresas. INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE Empreender com sucesso significa ser capaz de desenvolver um potencial de aprendizado e criatividade. Geralmente o crédito para quem está começando torna-se inacessível. Um grupo pode gerar um nível de criatividade bem maior do que o resultado de um só indivíduo. rural. mudar o quadro de que empreendemos por necessidade para o empreendedorismo de oportunidades. Uma boa iniciativa foi a implementação do Simples Nacional unificando diferentes impostos e também reduzindo a tributação para diferentes seguimentos de micro empresas e empresas de pequeno porte. É ainda mais. jovens. é uma capacidade voltada para a inovação. e empreendedores são os indivíduos com a função de tal realização. expansão de novos mercados. Há necessidade de redução da tributação juntamente com a carga de impostos. sobre os problemas e suas propostas de solução. empreendedorismo é o ato de realizar uma inovação. tecnológico. EMPREENDEDORISMO. ter uma cultura empreendedora. aumenta a criatividade.

na promoção do produto e sua colocação. com seu link de acesso:  SIBRATEC (Sistema Brasileiro de Tecnologia) http://www.portalinovacao.proin. a elevação de sua capacidade produtiva.br/images/apoio-e-financiamento/manualoslo.br  Finep http://www.finep. empresas e esfera pública.finep. foram criados instrumentos destinados a incentivar a adoção de estratégias de inovação nas micro e pequenas empresas (MPEs).br/  Portal Inovação http://www.  Inovação de marketing . tais como: mudanças em modelos e práticas de negócios. apoio acadêmico e estratégias empresariais possibilitam a criação de um ambiente propício à geração de inovação.inovativabrasil.br  Manual de Oslo http://www. software ou outro componente imaterial incorporado) diferem significativamente de todos os produtos previamente produzidos pela empresa.gov. A transferência do conhecimento oriundo da pesquisa e desenvolvimento (P&D) para a melhoria do processo.gov. na organização do local de trabalho ou nas relações externas da empresa.Envolve mudanças significativas nas potencialidades de produtos e serviços – incluindo bens e serviços totalmente novos (inovação radical) e aperfeiçoamentos importantes para produtos existentes (inovação incremental).UEG http://www.plataformaitec. bem como um ambiente legal favorável são mecanismos fundamentais para criar e desenvolver o diferencial competitivo dos pequenos negócios. e em métodos de estabelecimento de preços de bens e de serviços.Refere-se à implantação de novos métodos organizacionais. mundialmente conhecido apresenta 4 formas de inovação: Produto. O Manual de Oslo (2005).gov.mct. incluindo mudanças no design do produto e na embalagem.Envolve a implantação de novos métodos de marketing. Por meio de mudanças ocorridas na política de inovação do país. a diversificação de produtos e a redução dos custos.com.Representa mudanças significativas nos métodos de produção e de distribuição. Design thinking. Técnicas que ajudam no processo de criatividade e inovação: Brainstorming. usos pretendidos. Esses instrumentos visam à criação de mecanismos de cooperação entre a academia.com.mct. pois possibilitam a ampliação de sua participação de mercado.ueg.br/  PROIN. Processo. É um produto cujas características fundamentais (especificações técnicas. Abaixo seguem alguns instrumentos de fomento e apoio à inovação disponíveis também às MPEs.html  SEBRAE Inovação http://www.br/customizado/inovacao/como- atendemos/atendimento-personalizado  InovAtiva Brasil http://www.php/content/view/313014. produto.com. direcionados ao fomento e financiamento das atividades empresariais de inovação.pdf A combinação de políticas governamentais. Ideação e Dinâmicas 25 .  Inovação de processo .sebrae.  Inovação organizacional . Organizacional e Marketing:  Inovação de produto . serviço e modelo de gestão. Os efeitos da inovação são relevantes para as empresas.br/index.br/  Plataforma Itec http://www.gov.

e também para lidar de modo adequado com as pessoas. tendências mercadológicas e tecnológicas. ou seja. 2003) 6. é necessário que o empreendedor tenha conhecimentos suficientes para entender e interpretar a realidade.6. As oportunidades empreendedoras são descobertas por conjunturas. algo que atende a uma demanda de clientes. define-se como setor: o conhecimento de fatores do ambiente onde as empresas são estruturadas. dentre outros. seja através de inovação ou da diferenciação. A decisão de explorar uma oportunidade pela criação de uma empresa está relacionada com atributos psicológicos (propensão a riscos. uma que os empreendedores buscam diretamente pelas oportunidades e outra na qual os empreendedores são guiados pelas informações sem literalmente buscar as oportunidades. seus clientes internos e externos. e pela percepção de indivíduos que com suas crenças conseguem prever o valor das oportunidades e novas formas de atuação. a rede de contatos. 2000).1 Identificando oportunidades A oportunidade de negócios está vinculada à um produto ou serviço que pode agregar valor ao seu consumidor. envolvendo também o otimismo que em certos casos pode se tornar um otimismo exacerbado levando-o a agir e só depois analisar a oportunidade o que pode acarretar em riscos e equívocos. motivos e atitudes) e também com atividades de criação de uma empresa como o planejamento. 26 . necessidades de recursos humanos.e:  Conhecimento do produto e seu processo de produção.  Conhecimento do tipo de serviço e o modo de prestar esse serviço ao cliente. Ou seja. De preferência. Neste contexto. lucratividade. NOVOS NEGÓCIOS 6. exportação.  Conhecimento dos aspectos administrativos e organizacionais do empreendimento. que seja atrativa e que tenha potencial para gerar lucros e surge em um momento adequado em relação a quem irá aproveitá-la. (SHANE e VENKATARAMAN. tecnologia aplicada e desenvolvida. Os empreendedores atuam de forma diferenciada tomando decisões diferenciadas ao perceberem uma oportunidade seja pela experiência. riscos e outros fatores. Dentre os conhecimentos necessários para a montagem de um negócio ressaltam. representando um nicho de mercado (as oportunidades de mercado identificadas em determinadas áreas. quais os fatores de fracasso e de sucesso. isto pode ocorrer por obtenção de informação antecipada e por propriedades cognitivas necessárias para avaliar tais oportunidades.2 Conhecimento e Estudo de mercado Abrir uma empresa sem conhecer o setor é mais aventura do que empreendedorismo. (SHOOK et al. como são processados os negócios.. conjunto de fatores. seus fornecedores e funcionários. como reagir diante da criação de novas empresas no mercado. Além disso. as oscilações financeiras. estes indivíduos são os empreendedores. as segmentações de mercado). venda e busca por recursos. Tratando-se da busca e descoberta das oportunidades estudiosos identificam duas linhas teóricas. fornecedores de insumos essenciais.

qual a sua política de atuação.3 Como estruturar e planejar seu negócio Não se pode deixar de reforçar que. qual a sua simbologia. melhor são suas chances de progredir no negócio.  Estudo do preço de venda: quanto cobram os concorrentes. tipo de material. concorrentes. princípios básicos de administração como o planejamento. tamanho. formato. 6. quanto mais experiência no ramo ele tiver.  Estudo dos fornecedores: quem são. portanto. decisão de abandono de produtos. quanto pagam os consumidores. além das características de habilidades e competências já descritas. que faz questão de uma informação de qualidade para tomar suas decisões. um instrumento para auxiliar o empreendedor na tomada de decisões. sejam pesquisas obtidas através de entrevistas. para isso. localização. jornais e internet. a pesquisa de mercado é um importante instrumento que poderá ser utilizado para avaliar.) no qual atua e/ou pretende atuar. é fundamental que sejam feitas para se minimizar os riscos de inserção da empresa no mercado. De qualquer forma é de fundamental importância ao empreendedor conhecer o negócio que está montando. A pesquisa de mercado é. novas utilidades para produtos. qual o seu público-alvo. verificando se vale a pena começá-lo ou não. a organização. Para conhecer o mercado em que atuará. necessidades e desejos dos mesmos. são essenciais para o êxito da organização. novos produtos. quais os seus pontos fortes e fracos. um sim a essas e a muitas outras perguntas. etc. fornecedores. facilidade de acesso. Um diferencial importante para o empreendedor é a experiência. A pesquisa de mercado é um instrumento utilizado para auxiliá-lo a responder.  Estudo da concorrência: quem são os seus concorrentes diretos. ele precisará de informações e não apenas de dados estatísticos. o empreendedor. proximidade de clientes em potencial e/ou concorrentes.  Estudo da imagem de marca: o que os clientes internos e externos acham da marca. (ALVES. quanto se deve produzir (ponto de equilíbrio). Como apoio à estruturação de um negócio temos duas importantes ferramentas que são o Modelo de Negócio e o Plano de Negócio. 2013) Podemos dizer que uma pesquisa de mercado compreende o conjunto de todas as ações desenvolvidas pelo empreendedor no sentido de obter informações sobre o mercado (consumidores. E para quem vai iniciar um empreendimento. a formação de equipe e o controle. local para estacionamento. até a tomada de decisão propriamente dita.  Localização do empreendimento: fluxo de pessoas e de veículos. Vamos conhecer cada uma delas? 27 . Entretanto. precisa realizar pesquisas. entre outros itens:  Perfil do consumidor. e envolve desde a definição dos objetivos para o qual será realizada. qual a margem de contribuição.  Estudo do produto: melhorias técnicas ou comerciais em produtos já existentes. aceitação. ele deve estar muito atento aos objetivos que deverão ser alcançados e.  Estudo da embalagem: cor. análise de conjuntura. com segurança. quais as mais conhecidas. incluindo a coleta e análise dos dados. Sejam informações veiculadas por revistas. para que o empreendedor possa ser bem sucedido na utilização dessa ferramenta.

3. É um mapa visual pré-formatado contendo nove blocos. representa de forma prática como uma empresa está estruturada e como ela atuará para entregar um produto ou serviço com valor agregado e qualidade para o cliente. Um modelo de negócio também pode ser visto como um mapa onde seu negócio poderá ser visualizado de uma forma macro e neste mapa você irá identificar as possibilidades de resolver um problema para um determinado segmento de clientes. com propostas de valor.1 Modelo de Negócio Um modelo de negócio descreve a lógica de criação. em 2010. O Modelo de Negócio Canvas é uma ferramenta de gerenciamento estratégico. foi inicialmente proposto por Alexander Osterwalder. Dentre as principais ferramentas para estruturarmos um negócio e como ele vai atuar podemos utilizar o Modelo de Negócio Canvas. e mundialmente disseminado. com isso você identificará as formas de ganhar dinheiro com essa solução e identificará toda a estrutura necessária para que isso aconteça. entrega e captura de valor por parte de uma empresa. escrito em parceria com Yves Pigneur. A figura a seguir representa o Modelo de Negócios Canvas: Veja os 9 Blocos do Modelo de Negócios Canvas de forma resumida:  Segmento de Clientes: Uma organização serve a um ou diversos segmentos de clientes. 28 . pelo livro Inovação em Modelos de Negócios – Business Model Generation.  Proposta de Valor: Busca resolver os problemas do cliente e satisfazer suas necessidades. Ou seja. que permite desenvolver e esboçar modelos de negócio novos ou existentes.6.

ou captado no mercado. Acessibilidade. Conveniência / Usabilidade. Parcerias 29 . Tipos de Loja: Diretas: a) Loja Virtual ou b) Lojas Próprias ou Indiretas: a) Lojas de Parceiros ou b) Atacado. de onde vêm. Recursos intelectuais.  Atividades Chave: Descreve as ações mais importantes que você deve realizar para fazer o modelo de negócios funcionar. Parceiros. Serviços Automatizados. Geram uma lucratividade diferente de acordo com sua disposição a pagar. Necessitam de formas diferentes de relacionamento. (Novidade. Funcionalidade.  Fontes de Receita: As fontes de receita resultam de propostas de valor oferecidas com sucesso aos clientes. Equipes de Vendas. 8) Parcerias Principais . Assistência Pessoal Dedicada. Licenciamento. marketing. Redução de riscos. Desempenho. Relacionamento com os clientes.  Parcerias Principais: Descreve os fornecedores ou parceiros terceirizados e alguns recursos que são adquiridos fora da empresa. (Particulares. Anúncios.Após definir seu Público Alvo.) 2) Proposta de Valor . Redução de custos. Ampliar.Descreve as ações mais importantes que uma empresa deve realizar para fazer seu empreendimento funcionar (Produção. Personalização. divida-os em segmentos distintos se observar as seguintes características: (Seu público pode ser dividido por necessidades diferentes.  Canais: As propostas de valor são levadas aos clientes por canais de comunicação. Taxa de Assinatura.  Relacionamento com Clientes: O relacionamento com clientes é estabelecido e mantido com cada segmento de clientes. Reter.Descreve a rede de fornecedores e demais parceiros indispensáveis para que o empreendimento possa funcionar (Alianças com empresas não concorrentes. Status. Canais de distribuição. Durabilidade.) 7) Atividades-Chave . Empréstimo/Aluguel/ Leasing. distribuição e vendas. Resolução de problemas.) 5) Fontes de Receita . Multiplicar.Define o motivo pelo qual os clientes escolhem uma empresa ou outra.) 3) Canais de comunicação e vendas . descrevemos um miniguia para preenchimento do Canvas: 1) Segmentos de Clientes .) 4) Relacionamento com os Clientes . Comunidades. Taxa de Uso.  Estrutura de custo: Como são estruturados os custos. A seguir. Taxa de Corretagem/Comissionamento. Design. para fazer o modelo de negócio funcionar. São alcançados por canais diferentes. de terceiros. (Assistência Pessoal. Cocriação.Define os canais de comunicação. Conquistar.Descreve os principais recursos exigidos para que seu empreendimento possa funcionar (Recursos físicos.) 6) Recursos Principais .Este item representa o faturamento que uma empresa gera a partir de cada segmento de clientes (Venda de Recursos.  Recursos Principais: Os recursos principais ou chave são os elementos exigidos para fazer o modelo de negócios funcionar. distribuição e vendas. Preço / Condições de pagamento. Recursos financeiros: Próprio. Recursos humanos. Plataforma). Self-Service.Descreve a forma de relacionamento que a empresa terá com segmentos específicos de clientes.

Custos variáveis. e. participação de mercado etc. Negócios criados sem planejamento são empresas conhecidas como “estilo de vida” nas quais os empreendedores não têm visão clara de crescimento e de como será a empresa daqui a 5. para isso precisaremos de um Modelo de Negócios Canvas impresso com cada bloco em branco. lucro. O seu desenvolvimento fica mais claro quando se analisa o processo empreendedor.3.pdf 6. Como o plano de negócio é muito utilizado por empreendedores que estão estruturando a criação de novos negócios.. fica mais evidente a necessidade de se planejar cada passo que será dado para que o objetivo seja atingido.. de uma ideia de negócio. a discussão. Percebe-se.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/COMO%20ELABORAR%20UM%2 0PLANO_baixa.com Como apoio para elaboração de um modelo de negócio pode ser utilizado a cartilha “Como elaborar um modelo de negócio” desenvolvida pelo SEBRAE desenvolvida pelo SEBRAE que pode ser obtida no site: http://www.. Com todos estes materiais em mãos e uma ideia de negócio. número de clientes.com.2 Plano de negócio Para desenvolver um plano de negócio é importante entender o que essa ferramenta de gestão significa. mãos à obra!!!! Outra forma de elaborar o modelo de negócio é utilizar o aplicativo do Sebrae pelo site https://www.estratégicas com concorrentes. Agora que sabemos um pouco mais sobre como elaborar um modelo de negócio. 20 anos.Descreve a estrutura de custos envolvidos na operação de um modelo de negócios (Direcionadas pelo custo. por que planejar? Ao responder a esta pergunta o empreendedor deveria pensar no plano de negócio como uma ferramenta de auxílio no processo de planejamento e não como uma obrigação. Relação com fornecedores para garantir suprimentos confiáveis).sebrae. caberá ao empreendedor revisar e atualizar seu plano de negócio periodicamente para garantir que a execução da estratégia de negócios ocorra de maneira adequada. de bloquinhos de post it. em estágio inicial ou não. seja em relação à receita. Joint Ventures para desenvolver negócios. pode ser entendido como um guia para o planejamento de novos negócios ou ainda para o planejamento de novas unidades empresariais. Economia de escala. com o propósito de definir e delinear sua estratégia de atuação para o futuro. para preencher e colar em cada bloco do Canvas. O plano de negócio é um documento utilizado para planejar um empreendimento ou unidade de negócios. ao se estabelecer um objetivo de crescimento para um negócio.sebraecanvas. Direcionadas pelo Valor Custos Fixos. 10. qual é o seu objetivo. Por isso.Que tal simularmos um modelo de negócio! Essa atividade pode ser feita com seu professor(a). Economia de escopo). pela análise do processo empreendedor. no caso de empresas já estabelecidas. Desta forma. ou seja. Trata-se ainda de um guia para a gestão estratégica de um negócio ou unidade empresarial. Mas. que o plano de negócio pode e deve também ser utilizado após a constituição do negócio. Só há razão de se planejar algo caso esteja claro para o empreendedor aonde se quer chegar. a criatividade e a análise. 30 . Fonte: Quintanilha (2012) O Modelo de Negócio Canvas é uma ferramenta que fomenta o entendimento. 9) Estrutura de Custos .

prazos e resultados almejados. quais serão os gastos mensais. ameaças e oportunidades do negócio.  Posicionamento: indica o contexto em que seu negócio se encaixa em relação à concorrência.  Define A QUEM vai ser oferecido e QUEM vai competir com o novo negócio.  Serve como instrumento de solicitação de empréstimos e financiamentos junto a instituições financeiras.  Contribui para o estabelecimento de uma vantagem competitiva. Isso facilitará na obtenção do seu plano de negócio dentro de um prazo razoável de forma que você possa controlar as atividades. planta etc. logística e demais atividades até a entrega ao cliente. quais são seus diferenciais. payback. que pode representar a sobrevivência da empresa. cargos. com um plano de ação para cada um. ponto de equilíbrio. novos sócios e investidores.  Plano de Marketing: detalha qual o mercado que o negócio quer atingir. seus principais diferenciais e objetivos financeiros e estratégicos. permite o estudo de viabilidade econômica do negócio. (DORNELAS. Benefícios do Plano de Negócios:  O plano de negócio orienta o empreendedor a iniciar sua atividade econômica ou expandir o seu negócio. É provável que muitas interações ocorram e que após algumas seções serem concluídas você julgue necessário revisá-las novamente quando algum tópico que se aplica a mais de uma seção tenha sido alterado.  Estrutura e operações: define como se configura a empresa. É importante que se tenha clareza do nível de detalhe que se busca para o plano e que se estabeleça um prazo para concluí-lo.  Recursos Humanos: detalha o número de funcionários (dimensionamento de equipe) e a política de contratação. incluindo tarefas.  Permite estruturar as principais visões e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido e minimiza os riscos já identificados. indica quais serão as estratégias e as ações para que o público-alvo chegue até o produto ou serviço oferecido e precificação. 31 .  Plano Financeiro: mostra quanto terá que ser investido para abrir o negócio. e como ele se diferencia. pontos fracos. fluxo de caixa com lucratividade. porque interessa ao público-alvo. política de captação de recursos (investimentos. os lucros que serão obtidos.  Análise SWOT: Indica os pontos fortes.  Relaciona os produtos que serão oferecidos ao mercado. o potencial de faturamento. e também como ocorre o fluxo dos processos de produção. responsáveis. para que os objetivos do negócio sejam atingidos. etc. POR QUEM será feito e COMO será feito. caso contrário você nunca obterá uma versão final para o seu plano de negócios. 2011) Estes são os principais elementos na estrutura de um plano de negócios:  Detalhamento do Negócio: explica do que se trata o negócio.  Define claramente o conceito do negócio. e qual fatia você pretende conseguir. em seus aspectos físicos como layout. taxa interna de retorno. salários. mas um bom ponto de partida é você planejar as atividades que deverão ser desenvolvidas. Dificilmente o plano de negócio será desenvolvido em uma única sequência de passos. o público- alvo.  Mapeia de maneira detalhada O QUE será feito. financiamento etc). ou seja. Não há regra rígida ou metodologia única para se desenvolver um plano de negócio. sua localização e os produtos e serviços que serão oferecidos. desenvolvimento de serviços.

32 . A vantagem de segmentar é que você tenha um padrão que facilite as estratégias de produto.com. o Brasil tem 205 milhões de habitantes.3.br/plano-de-negocios/ e também a cartilha “Como elaborar um plano de negócio” desenvolvida pelo SEBRAE. editais de fomento etc. é uma ferramenta extremamente valiosa para seus objetivos de empreendedor. retorno sobre o capital investido. você deve definir como você quer se posicionar para esse público. Para auxiliar no desenvolvimento de seu plano de negócio.  Permite conhecer o mercado de atuação e definir estratégias de marketing para seus produtos e serviços. você deve usar estratégias de marketing que envolvam os mix de marketing.josedornelas. Após isto.  Possibilita a obtenção de financiamento e captura de recursos de investidores. Você pode escolher apenas o público feminino. Pesquise mais sobre os planos de negócios. Ou seja.  Identifica os pontos fortes e fracos da organização e compará-los com a concorrência e o ambiente de negócios em que se atua.3 Planejamento de Marketing Quando tratamos nas questões mercadológicas. você pode querer atender apenas adolescentes.  Descreve QUANDO poderão ser realizadas as atividades e como serão atingidas as metas. Em seguida. você enxerga um público grande de clientes e os classifica por critérios. a primeira etapa é conhecer bem os clientes que você escolher atender. Para isso. provavelmente você terá que investir bem mais. dividir. Segundo Kotler (2006). marketing significa realizar ações para atender as necessidades e desejos dos clientes. também chamado de 4 P´s de marketing. ou seja. é válido entender o conceito de segmentação. temos que compreender melhor o marketing nas empresas. de mercado. e você perceberá rapidamente que além de não ser um bicho de sete cabeças. Por isso. Por exemplo. Preço. que pode ser obtida no site: http://www. Os 4 P´s significam Produto. e até mesmo evitá-los através de um planejamento adequado. Assim você pode continuar segmentando e delimitando seus clientes. Esta é uma segmentação básica. Com isso você segmentou novamente. Promoção e Praça. Se você interpretar. propaganda. O posicionamento tem a ver como você quer ser lembrado pelo seu cliente em termos de posição (primeiro lugar.  Identifica os riscos e minimizá-los.  Mapeia QUANTO será necessário investir no novo negócio. você pode utilizar diferentes modelos como suporte disponíveis no site http://www. Além disso.  Analisa o desempenho financeiro de seu negócio.com.sebrae.br/sites/PortalSebrae/bis/Como-elaborar-um-plano-de- negocio 6. e QUANDO será o retorno financeiro previsto. avaliando os investimentos.  Posiciona COMO o cliente vai ser localizado e atendido. vai entender que se você tiver produtos ou serviços que atendem às necessidades e desejos dos clientes. Se você quer se posicionar em primeiro lugar. estes estarão dispostos a comprar tais produtos ou serviços. segundo ligar etc). Segmentar significa fatiar. preço e praça.

o Preço em marketing quer dizer no preço que o consumidor está disposto a pagar. As estratégias mais comuns desse modelo de marketing é a utilização de ebooks com temas específicos. Características dos produtos. embalagem. Enquanto muitos pensam que praça é o local onde a empresa está instalada. para então oferecer materiais/conteúdos que o 33 . A grande vantagem do marketing digital é que consegue atingir um público muito grande e dentro desse universo conseguir filtrar interesses específicos. Sendo a produção de conteúdo o principal combustível para o Inbound. ou impulsionados nas redes sociais a fim de chamar a atenção dos clientes. o preço mais alto agrega valor ao produto. Se a empresa não vende pela internet. Quando pensamos dessa forma. As conhecidas promoções nas lojas também servem para chamar a atenção dos clientes. pois muitos pensam que isto tem a ver com a área financeira da empresa. A propaganda é uma forma de promoção que pode ser utilizado de várias formas. panfletagem.  Praça: antes chamado de ponto de venda ou ponto de distribuição. isto é medido e identificado assuntos de interesse para que após seja iniciado um processo de venda. o real significado de praça é conveniência. garantia entre outros fatores são determinantes para uma estratégia bem elaborada de produto. é preciso entender bem quem é esse público. podemos entender melhor que melhor preço não é menor preço. Em muitos casos. outdoor. o certo é pensar em como fazer o produto ou serviço chegar mais fácil e mais rápido ao cliente. entre outros. Essa atração é conquistada através de conteúdos de qualidade para o seu público. dúvidas e desafios. e sim despertar o interesse dele para que ele venha até você e se interesse pelo que a sua empresa oferece. então a localização física se torna muito importante.  Preço: este P gera uma grande dúvida. Em português livre. pois pelo celular o cliente pode ter acesso a um universo de produtos e serviços de vários fornecedores do mundo. Uma área nova do marketing chamada de marketing digital. durabilidade. sendo consideradas muito eficazes. Ou seja. O marketing digital é uma estratégia eficiente que utiliza a internet como fonte de localizar e chamar a atenção do cliente de forma bem segmentada. Dessa forma. internet.  Promoção: esta estratégia é como o produto será comunicado ao cliente e chamará a atenção deste. design. inbound marketing quer dizer marketing de atração. podendo utilizar canais de comunicação como TV. o marketing digital é conhecido como inbound marketing. Quando um cliente acessão um desses conteúdos. Algumas empresas primam por uma estratégia de preços baixos. desde que forneça facilidade para os clientes. Produtos com muita diferenciação que que tem marca de status como a Ferrari podem ser exemplos dessa estratégia. O principal objetivo do inbound marketing é atrair e fidelizar clientes. a ideia principal não é ir atrás do cliente. No entanto. Assim como a ideia principal é atrair o público e despertar nele um interesse genuíno nos produtos ou serviços da empresa. ou seja. ajudando na decisão de compra. é necessário que esse conteúdo seja de qualidade e que comunique com as pessoas certas. Não por isso que todos os produtos têm que ter preços altos. O marketing digital utiliza um conjunto de conteúdos (também chamado de leads) que são enviados às pessoas ou disponibilizados. A internet possibilitou uma revolução nessa estratégia. primeiro saber quais são seus interesses. rádio.  Produto: significa elaborar um produto ou serviço que melhor atendam às necessidades e desejos dos clientes.

CNPJ. Você sabia? Que não pode haver 2 empresas com o mesmo nome no mesmo ramo de atividade no mesmo estado? Vale a pena verificar o registro do nome como marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial).Situação Fiscal: Pesquisar a situação fiscal (recolhimento de impostos.receita. de acordo com as orientações nos próprios formulários. 5 . jornais. patrocínio de eventos. mala direta. isso pode trazer problemas no futuro. as demais etapas do processo não poderão se realizar. principalmente se já tiver feito investimentos na marca da empresa. e dos sócios. quando houver. por meio de programa específico. A ideia é ir atrás do cliente ativamente e não necessariamente gerar o interesse genuíno desse possível cliente na sua empresa. e a resposta é dada 34 . A decisão da natureza jurídica tem diversas consequências. a criação de uma pessoa jurídica também deve ser registrada. leve sua carteira de identidade e CPF. taxas e contribuições) junto à Secretaria da Fazenda do Estado ou Município.br). no endereço da Receita Federal do Brasil (www. 6 . casamento e óbito. na Prefeitura de sua cidade. também.Registro da Empresa: Assim como no nascimento. 4 . Se você possuir sócios. 3 . de obter o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica .gov. ou seja. enfim. pois se houver alguma pendência vinculada ao seu nome ou aos de seus sócios. cartazes. A Junta Comercial é a responsável pelo registro público de atividades ligadas a sociedades empresariais. 2 . A Junta Comercial auxilia. sua empresa será constituída sob uma das formas da sociedade comercial. Fonte: http://resultadosdigitais. nos meios mais tradicionais de publicidade. informados no site. Esse tipo de marketing cresceu muito com o uso de propagandas no rádio.com. onde a solução é exatamente o serviço/produto que a sua empresa oferece. Para isso. Caso não haja sócios.4 Como formalizar sua empresa A seguir.Consulta Prévia para emissão do Alvará de Funcionamento: Verificar.Nome Empresarial: Solicitar pesquisa do Nome Empresarial para verificar se o nome escolhido para sua empresa está liberado para inscrição. As mais comuns são Micro Empreendedor Individual e Sociedade limitada. Os documentos necessários.ajude a resolver os problemas que tem ou o faça enxergar uma oportunidade ainda não vista. se existem pendências ou restrições que impeçam a constituição da empresa no endereço indicado. Já o outbound marketing é o marketing tradicional e tem como principal objetivo trazer clientes oferecendo serviços ou produtos.br/ 6. especialmente quanto a sua responsabilidade pessoal pelas obrigações da empresa.fazenda. O registro do CNPJ é feito exclusivamente pela internet. Esta etapa é importante.Emissão do CNPJ: Com o NIRE em mãos. você será registrado como empresário individual. são enviados por Sedex ou pessoalmente para a Secretaria da Receita Federal. revistas. Se alguém tiver registro do nome que o empreendedor vai adotar no seu negócio. informamos o passo a passo para você formalizar sua empresa: 1 . a organizar e manter atualizado o cadastro de empresas em funcionamento no País. chega a hora de registrar a empresa como contribuinte.Natureza jurídica e Ato Constitutivo: Definir a natureza jurídica mais adequada ao seu negócio. TV.

bem como de sociedades e associações de qualquer natureza. Em alguns locais este procedimento é realizado nas Juntas Comerciais. Em alguns locais. O pedido de opção de novas empresas pelo Simples Nacional deve ser feito exclusivamente pela internet. Em geral. QUEM PODE SE INSCREVER? Todos os empreendedores informais ou não. conforme descrito no ato constitutivo. Assim você terá mais tempo em como direcionar suas ações para fazer o negócio ser um sucesso. Fonte: http://cafeempreendedor. é preciso ir à prefeitura ou administração regional para requerer o alvará de funcionamento de sua empresa.com.br/simplesnacional Vantagens para sua empresa: simplificação tributária com recolhimento de 8 impostos e contribuições em Guia Única de Reconhecimento. instituiu o novo regime de tributação para microempresas e empresas de pequeno porte.Impressão de Documentos Fiscais: Agora resta apenas preparar o aparato fiscal para que seu empreendimento entre em ação.blogspot. mas isso varia de Estado para Estado. fotógrafos. comerciantes. Leia as instruções contidas no portal acima mencionado. 7 . Atualmente a maioria dos Estados possui convênio com a Receita Federal. por meio de um único cadastro.Microempreendedor Individual é uma forma simplificada de regularizar a situação de empreendedores que faturam até R$ 60.AIDF junto à Secretaria da Fazenda do Estado ou Município. de 14/12/2006. Por isso. que faturam até R$ 60 mil por ano e que possuem no máximo um funcionário. OPÇÃO PELO SIMPLES NACIONAL: A Lei Complementar n° 123.receita.fazenda. industriais. este procedimento é feito pela internet.também pela internet.00 por mês.000. denominado Simples Nacional. Essa classificação será utilizada não apenas na tributação. no endereço: http://www8. surgindo novos procedimentos. agrícolas e prestadoras de serviços. contate um bom contador para ter melhores orientações a respeito de abrir juridicamente um negócio. mas também na fiscalização das atividades da empresa.Inscrição Estadual: Já o cadastro no sistema tributário estadual deve ser feito junto à Secretaria Estadual da Fazenda. Uma vez que o aparato fiscal esteja pronto e registrado. é preciso registrar a atividade que a empresa irá exercer. vinculadas a pessoas físicas ou jurídicas. 35 . Será necessário solicitar a Autorização para Impressão de Documentos Fiscais . sua empresa pode começar a operar legalmente. 6. Ao fazer o cadastro no CNPJ. por meio do Portal do Simples Nacional.br/ Esta indicação de procedimento para montar um negócio pode ser alterada. pedreiros.Alvará de Funcionamento: Com o CNPJ cadastrado. o que permite obter a Inscrição Estadual junto com o CNPJ. 9 . 8 . donos de lanchonetes e outros.5 Como tornar-se um Microempreendedor Individual O MEI . ele não pode ser feito pela internet.gov. O alvará é uma licença que permite o estabelecimento e o funcionamento de instituições comerciais. como cabeleireiros.

Para se inscrever. BENEFÍCIOS O bom de ser um Empreendedor Individual é que você conta com diversos benefícios.6 Erros mais comuns e mortalidade das empresas Segundo Chiavenato (2004) os erros e perigos mais comuns nos novos negócios são:  Não identificar adequadamente qual será o novo negócio  Não reconhecer o tipo de cliente a ser atendido  Não saber escolher a forma de sociedade mais adequada  Não planejar bem as necessidades financeiras  Errar na escolha do local do negócio  Não saber administrar as operações do novo negócio  Não conhecer sobre a produção dos bens ou serviços  Desconhecer o mercado e a concorrência  Ter pouco domínio sobre o mercado fornecedor  Não saber vender ou promover seus produtos/serviços  Não tratar bem o cliente Em novos negócios. juros elevados. Fonte: Portal do Empreendedor (http://www. As causas mais comuns de falhas nos negócios são:  Fatores econômicos: 72% das falências se devem à incompetência do empreendedor.portaldoempreendedor. Fonte: Alves (2013) 36 . sofrem com recessão econômica.br) Agora. basta tocar o seu negócio adiante! Bons negócios! 6. a mortalidade prematura das empresas é bastante elevada. falta de experiência gerencial e de campo e experiência desequilibrada.  Inexperiência: 20% das empresas falham por causa de lucros insuficientes.  Vendas insuficientes: 11% das empresas têm fraca competitividade. perda de mercado.  Outras causas: 3% das falências ocorrem por negligência. capital ou ativos insuficientes.OBS. mercado consumidor restrito ou nenhuma viabilidade futura.  Despesas excessivas: 8% das empresas têm dívidas e cargas demasiadas ou despesas operacionais elevadas. Bom pra você e bom para todos. não poderá ter participação em outra sociedade. além da possibilidade de participar de licitações públicas. dificuldades de estoque ou localização inadequada. clientes insatisfeitos ou fraudes.gov. como aposentadoria e auxílio-doença.

br) 7. sem muita previsão de quantas pessoas ou qual espaço precisarão nos primeiros meses ou anos.COM. Todos trabalham em uma mesma área .ou várias áreas conjugadas .O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é uma entidade privada sem fins lucrativos.Secretaria criada com status de Ministério para participar na formulação de políticas voltadas ao microempreendedorismo e ao microcrédito.Os espaços de coworking tentam atender a demanda de empreendedores e profissionais autônomos iniciando suas empresas.gov.é hoje o principal instrumento de financiamento. (EXAME.br) Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE) . 2011) Incubadoras de empresas . destacamos importantes mecanismos que oferecem suporte ao empreendedor para o desenvolvimento de seu negócio: Aceleradoras . desconhecendo que existem outras opções bem interessantes. É um local especialmente criado para abrigar estas pequenas empresas.1 Mecanismos de apoio ao desenvolvimento de negócios A seguir.a maioria dos empreendedores não estão prontos para criar negócios de alta escalabilidade.2 Financiamento e Investimento (Capital) Existem várias formas de financiamento e fontes de investimentos a que o empreendedor pode e deve recorrer quando deseja iniciar seu negócio ou planeja expandir sua empresa. agilizar e favorecer a transferência de resultados de pesquisa para atividades produtivas. Conheça a seguir algumas formas de financiamento ou de fontes de investimentos existentes: Financiamento:  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) .smpe. criado para dar apoio aos pequenos negócios de todo o país. É um agente de capacitação e de promoção do desenvolvimento.dividindo custos de um local que traz não só facilidades e serviços. (www. APOIO AO EMPREENDEDORISMO E NOVOS NEGÓCIOS 7.7. exercendo suas competências em articulação com os demais órgãos da administração pública federal. muitos recorrem apenas a bancos. com diferentes linhas de longo prazo para a realização de 37 . trabalha para estimular o empreendedorismo e possibilitar a competitividade e a sustentabilidade dos empreendimentos de micro e pequeno porte. Geralmente por falta de informação. oferecendo uma estrutura configurada para apoio ao desenvolvimento e gestão de empresas. Espaços de Coworking . A aceleradora vem para dar todo o apoio ao empreendedor com mentoria e para elevar seu negócio a outro patamar e potencializar o negócio para receber investimentos. além de estimular.sebrae.Uma incubadora de empresas é um ambiente interessante de estímulo ao empreendedorismo na medida em que fortalece e prepara pequenas empresas para sobreviver no mercado. (www. SEBRAE . Desde 1972. mas também a chance de conhecer pessoas similares e fazer negócios internamente.com.

http://www. (INFO. como são designados os Founders.gov. de um conhecido ou conhecidos. como Agente Financeiro dos Fundos de Desenvolvimento Industrial de Goiás. É praticamente uma ajuda pessoal.fomento. Family and Friends ou também conhecidos como Family. financiando até 100% de seus investimentos.br/  FFF . traduzidos literalmente. micro empresários e empreendedores individuais. mercadorias para revenda e/ou matéria prima. seja para aprimorar a estrutura da empresa. Friends and Fools que. Além dos financiamentos com recursos próprios e com recursos de repasses do FCO. taxas e juros cobrados. com influência substancial em diversos municípios. seu principal objetivo é contribuir para a aceleração do desenvolvimento socioeconômico e sustentável do Estado de Goiás.bndes. em valores que chegam até o limite de R$ 2 milhões. a redução das desigualdades regionais e setoriais. ferramentas. equipamentos.br)  Bancos .goias. (www. estimulando a realização de investimentos. Além de levar crédito e esperança.Diferentes bancos oferecem linhas de créditos empresariais. (www. a modernização das estruturas produtivas. médios.gov. Família e Tolos”.os chamados 3F.br)  Banco do Povo – Com recursos financeiros do tesouro estadual direciona seus esforços para atender o empreendedor goiano. Família e Amigos” ou “Amigos. seriam “Fundadores. sendo um percentual do imposto de renda.gov. se consolidaram e transformaram o programa em referência de sucesso para o Brasil.  Goiás Fomento – é a agência de fomento de Goiás. sendo também conhecido como Love Money. sem praticamente fazer qualquer avaliação do mesmo ou das próprias competências dele. Este último termo é uma forma jocosa de indicar aqueles que na realidade estão investindo mais pela relação pessoal com o empreendedor do que pelo negócio em si. a criação de emprego e renda para as famílias. o aumento da competitividade. para capital de giro ou para inovação. FOMENTAR e FUNMINERAL. regional e ambiental. ainda. móveis e utensílios (novos). onde vem ao encontro aos anseios dos empresários para o desenvolvimento do Centro-oeste. o Banco do Povo gera empregos e dinamiza a economia goiana. do BNDES e do CRÉDITO PRODUTIVO.bancodopovo. geralmente para empresas em funcionamento. investimentos em todos os segmentos da economia. 2013) 38 .  Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) – é um fundo constituído pela Constituição Federal de 88. Os recursos disponibilizados pelo Banco do Povo podem ser utilizados para aquisição de máquinas. aos pequenos. Deve-se ter cuidado com os requisitos solicitados. Seu objetivo maior é combater as disparidades regionais existentes em nosso país. O FCO é hoje.go. em uma política que inclui as dimensões social. Por todo o Estado são milhares de casos de empreendimentos que começaram com recursos mínimos. PRODUZIR. atua. a mais importante linha de financiamento do desenvolvimento do Centro-Oeste. mediante a concessão de crédito em condições favoráveis.

org. prosperam e empregam milhares de pessoas. no Brasil. onde um ou mais grupos interessados investem os fundos necessários para o início do negócio.br) BRASIL JÚNIOR . Nossa missão é inspirar. em fase de projeto e desenvolvimento. sempre em busca de jovens dispostos a aprender e arriscar nesse mercado abrangente. Esses empreendedores são aqueles com os maiores sonhos. pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil.Investidores:  Anjos-Investidores (Business Angels): são indivíduos privados.org.org. No Estado de Goiás.é uma organização sem fins lucrativos.é uma modalidade de investimento utilizada para apoiar negócios por meio da compra ou participação em um negócio.  Capital de Risco (Venture Capital) .endeavor.br). porque qualquer investimento. ARTEMISIA .goiasjunior. O capital do anjo de negócios consegue complementar a indústria do capital de risco.3 Instituições que apoiam e disseminam o empreendedorismo FAJE GOIÁS . embora.artemisia.br).A Federação das Associações de Jovens Empreendedores e Empresários de Goiás-FAJE tem como intuito principal alavancar o número de empreendedores no Estado de Goiás. em qualquer banco tem um risco.  Capital Semente (Seed Capital) . com grande patrimônio acumulado que agem. 7. proporcionando quantias mais baixas de financiamento. Também é chamado de Capital Empreendedor.br). (http://www. por conta própria. ainda sejam sub-utilizados.é um modelo de investimento dirigido a projetos empresariais em estágio inicial ou estágio zero.org. antes da instalação do negócio. normalmente.A Confederação Brasileira de Empresas Juniores tem como finalidades representar as empresas juniores em nível nacional e desenvolver o Movimento Empresa Júnior- MEJ como agente de educação empresarial e gerador de novos negócios (www. Os anjos de negócio representam uma fonte de capital importante para novos e crescentes negócios. de maneira que ele tenha fundos suficientes para se sustentar até atingir um estado onde consiga se manter financeiramente sozinho ou receba novos aportes financeiros.com.fajegoias. geralmente minoritária. temos a Federação Goiana de Empresas Juniores (www.brasiljunior. capazes de criar empresas que fazem a diferença e crescem continuamente. numa fase mais prematura do que muitas sociedades de capital de risco são capazes de investir. mas pela aposta em empresas cujo potencial de valorização é elevado e o retorno esperado é idêntico ao risco que os investidores querem correr. com objetivo de venda posterior do negócio na qual o investidor obtenha lucro com a valorização do negócio Chama-se capital de risco não pelo risco do capital.br) 39 . geralmente em indústrias nas quais possuem experiência. mesmo a aplicação tradicional. (www. ENDEAVOR . (www.A Endeavor é a organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. capacitar e potencializar talentos e empreendedores para criar uma nova geração de negócios que rompam com os padrões precedentes e (re)signifiquem o verdadeiro papel que os negócios podem ter na construção de um país com iguais oportunidades para todos. investindo em participações em pequenas companhias fechadas.

A ideia é que várias pessoas contribuam. os pontos de maior fragilidade. cujo objetivo é despertar o espírito empreendedor nos jovens.org. conhecido como joint venture.é uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo potencializar jovens talentos para que possam agir grande. 40 . Esse acordo estabelece o que cada uma das empresas irá fazer e qual será o benefício para cada uma delas. enquanto algumas só existem online.jabrasil.Esse tipo de negócio ocorre em uma plataforma eletrônica. Traduzindo para o português seria algo como “financiamento pela multidão”. MINI VOCABULÁRIO DO EMPREENDEDORISMO Alguns termos e palavras são típicas do empreendedorismo. Esse tipo de negócio supre a interação face a face com o cliente e torna compras de roupas. é uma abordagem predominantemente de gestão. ajudando a traçar as diversas metas que somadas levam o coachee (motivado) ao encontro ao objetivo estabelecido dentro do processo de coaching. Com o avanço da internet várias empresas e lojas entraram para o meio virtual.br) 8. a viabilizar uma ideia. Crowdfunding .O design thinking é uma ferramenta de inovação. conheça a seguir um pouco dessa linguagem: Coaching .um processo definido com um acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) para atingir um objetivo desejado pelo cliente. que se vale de técnicas que os designers usam para resolver problemas.br) JUNIOR ACHIEVEMENT . como o aprimoramento e também o adquirir novas competências.FUNDAÇÃO ESTUDAR . (www. empreender e transformar o Brasil. O coach (motivador) apoia o cliente na busca de realizar o objetivo. que é utilizada em praticamente todos os segmentos de serviços. estimulando o seu desenvolvimento pessoal. proporcionando uma visão clara do mundo dos negócios e facilitando o acesso ao mercado de trabalho. E-business . que por sua vez.org. infraetrutura e conhecimento do negócio ao franqueado. (http://www. investe e trabalha na franquia e paga parte do faturamento ao franqueador sob a forma de royalties.estudar. aparelhos e reservas de viagens e shows muito mais simples. um negócio. onde o franqueador oferece sua marca. além de perceber. é o termo usado quando a gente fala de iniciativas de financiamento colaborativas.De forma bem simples. Joint venture . Isso é feito por meio de reflexões e posterior análise das opções e da identificação e uso das próprias competências. mantida pela iniciativa privada. Franchising (Franqueamento) . com pequenas quantias. Essa operação conjunta pode ocorrer entre empresas de quaisquer portes e acontecem principalmente quando uma empresa possui uma boa competência em certa área e a outra é mais debilitada nesse quesito.Trata-se de uma associação educativa sem fins lucrativos. um projeto.Quando não vale a pena investir isoladamente as empresas procuram firmar um contrato de parceria. ainda na escola. de maneira colaborativa.é uma utilizada pela administração que tem como propósito um sistema de venda de licença. Design thinking . reconhecer e superar as crenças limitantes. A parte fundamental do Franchising é a Franquia.

quando houve a primeira grande bolha da internet. pois essas empresas internacionais oferecem condições mais vantajosas para os empreendedores. Muitos empreendedores com ideias inovadoras e promissoras. 41 . Pivotar . em outras palavras. MVP .é uma nova empresa criada com o objetivo de explorar novos produtos ou serviços de base tecnológica ou inovadora.é a sigla para Minimum Viable Product. como sócios. Outsourcing . de forma que os impactos sejam positivos tanto para eles quanto para o empreendedor. Spin-off .É o ato das empresas buscarem fornecedores de matéria-prima. Esta empresa nasce a partir de ideias ou processos gerados numa organização já existente. O MVP é uma versão protótipo de um produto/serviço que é utilizada para testar o modelo de negócios de uma empresa. mudando um negócio. e rentáveis. equipamentos e etc fora de seu país. Ter um negócio sustentável é prever quais serão os impactos que o seu negócio gerará não só para o meio ambiente. isto é.O termo está cada vez mais disseminado entre empreendedores. nos Estados Unidos. Em empresas que visam lucro há várias partes. Mas não é uma alteração pequena. município e até mesmo a comunidade local. é uma verdadeira revolução. apenas alguns ajustes. Outro nome utilizado para networking é Capital Social.No mundo dos negócios a palavra não é só usada em termos de recursos ambientais.Networking . um centro de investigação público ou privado ou uma Universidade. Para ficar mais claro: quem pivota está. isto é. um giro. to pivot. encontraram financiamento para os seus projetos. O objetivo de construir um MVP é começar os ciclos de aprendizado o quanto antes. Diz respeito às pessoas que um indivíduo conhece e aos relacionamentos pessoais.(em inglês) é uma expressão que representa uma rede de contatos. pois interessa para ele ter bons negócios funcionando para arrecadar mais impostos. o MVP contém somente as partes mais importantes do projeto e deve ser feito com a maior velocidade. Produto Mínimo Viável. os próprios empregados. que significa girar. seja ela uma outra empresa. Este passou a designar empresas recém- criadas. Por isto. é preciso verificar se até mesmo as relações com os funcionários e fornecedores está sendo sustentável. que acolhe e apoia a nova iniciativa. Startup . que se mostraram extremamente lucrativos e sustentáveis. comerciais e profissionais que mantém com elas. O governo também pode ser considerado um stakeholder. O verbo pivotar é uma referência aportuguesada do verbo. Geralmente isso ocorre. fornecedores. Stakeholder . No balanço da equação. “embrionárias”. Sustentabilidade . menor esforço e menor custo possível. Começou a ser popularizado nos anos 1990.é um termo relativamente novo aos brasileiros.O termo significa “parte interessada”. mas também para os seres humanos e a comunidade em volta da empresa. em inglês. todas as partes que tem interesse que o negócio opere. principalmente associadas à tecnologia.

faccamp. BORGES.htm>.. Universidade Federal de Goiás. cultura. São Paulo: EGEPE. Jovens empreendedores e o processo de criação de empresas. burocracia.com. L. São Paulo.concorrência *Fonte: Hashimoto (2014) 10. Disponível em < http://cafeempreendedor. Anais.html?view=magazine> Acesso em 002 de fevereiro de 2015. C. 2008.br/apoio/OdairSilva/empreendedorismo/196_trabalho- jovens_empreendedores..br/2009/03/nove-passos-para-formalizar-sua- empresa..faap. infraestrutura. In: V ENCONTRO DE ESTUDOS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO DE PEQUENAS EMPRESAS. Empreendedorismo para Principiantes. Apostila de Gestão e Empreendedorismo.9.. 2005. BORGES. 2013.. B. G. Acesso em: 23 maio 2010.luz. Disponível em: <http://blog. C. Nove Passos para Formalizar sua Empresa. Disponível em http://reinaldomessias57. 2014.com. Unip – Universidade Paulista Campus Goiânia. Disponível em: <http://www. REFERÊNCIAS ALVES. • Economia: Setores mais propícios e mais difíceis para negócios nascentes no Brasil • Gestão PME: Motivos de fracasso de PMEs • Psicologia: ‘Eu não tenho perfil empreendedor’.blogspot. ÂNGELO.html> Acesso em 02 de fevereiro de 2015.blogspot. FILION. Disponível em: <http://www. Acesso em: 20 mar.vc/tendencias/a-evolucao-da-palavra-empreendedorismo-infografico/> Acesso em 02 de fevereiro de 2015. SIMARD. Empreendedorismo: a revolução do novo Brasil.. CAFÉ EMPREENDEDOR.br/revista_faap/rel_internacionais/empreendedorismo. ATIVIDADES EXTRAS ATIVIDADES DE PESQUISA* • Escola bibliográfica: Levantamento das histórias de empreendedores bem sucedidos • Políticas públicas: Principais barreiras à iniciativa empreendedora no país: tributos. 42 .pdf>. BOM DE NEGÓCIO! Blog do Consultor "Reinaldo Miguel Messias. E. J.br/2010/02/cuidados-permanentes-em-gestao-de- mpe. 2008. Letícia Batista Magalhães. A EVOLUÇÃO DA PALAVRA EMPREENDEDORISMO [INFOGRÁFICO]. mesmo assim construíram negócios de sucesso EMPREENDEDORISMO COM PIPOCA* Sugestões: • A rede social – relações com sócios • Bagdad Café – perfil empreendedor • Objetivo final – relações com investidores • Amor sem escalas – propósito de vida • Monstros S/A – modelo de negócio • Sorriso de Monalisa – quebra de paradigmas • O aviador – visão e realização • Piratas do vale do silício .

São Paulo: Pioneira Thomson. Patricia Gene (2011). 2012. – São Paulo: Pearson Prentice Hall. 43 .COM. F. Ed. DOLABELA. NECK. Journal of small business management: JSBM. Plano de Negócios: seu guia definitivo. I. EXAME. Heidi M.br/pme/noticias/3-dados-que-ajudam-na- analise-de-viabilidade-do-seu-negocio> Acesso em 02 de fevereiro de 2015. a joint publ.com. Rio de Janeiro. São Paulo: Saraiva. Inovação e espírito empreendedor. Organização Para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (ODCE). Os vários tipos de empreendedor. EXAME. 2005. Belo Horizonte: SEBRAE/MG.CANVAS DO MODELO DE NEGÓCIOS.diariodepernambuco.br/pme/noticias/como-funciona-um- espaco-de-coworking> Acesso em 02 de fevereiro de 2015. Philip – Administração de marketing / Philip Kotler.com. São Paulo: Cultura Editores Associados. Empreendedorismo: Dando asas ao espírito empreendedor. Disponível em <(http://revistapegn. KOTLER. revisão técnica Dilson Gabriel dos Santos. CHIAVENATO.00- OS+VARIOS+TIPOS+DE+EMPREENDEDOR. Idalberto.abril.br/Alunos/2001- 2/Estrategia/125/Estrategia.com. – 12.htm> Acesso em 02 de fevereiro de 2015. Disponível em < http://blogs. Elsevier. Entrepreneurship education: Known worlds and new frontiers. P.br/atendimento/bibliotecadigital/documento/cartilha-manual-ou- livro/como-elaborar-um-plano-de-marketing>. 2006. GOMES.strategia.com.abril.com/Revista/Common/0. Disponível em < http://exame. Disponível em <http://exame. Disponível em: < https://www. INFO. F. LIÇÕES DE BOLSO. 2002. Disponível em <http://empreendedorismorosa.slideshare. 49(1) . Oficina do empreendedor. 4 times a year of the International Council for Small Business and the West Virginia University Bureau of Business Research. Brasília: 2005.html> Acesso em 10 de fevereiro de 2015.br/licoesdebolso/como-acertar-na-gestao-financeira-de- mpe/> Acesso em 10 de fevereiro de 2015. 2004. Cláudia Freire. Rio de Janeiro. DRUCKER. Manual Como Elaborar um Plano de Marketing. Brasil Ramos Fernandes. Manual de Oslo: Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. Kevin Lane Keller.com..abril. EMPREENDEDORISMO ROSA.globo. M. 4.sebraemg. tradução Mônica Rosenberg.COM. 2011. PEQUENAS EMPRESAS E GRANDES NEGÓCIOS. GREENE. ed.net/phmquintanilha/canvas-do-modelo-de-negocios Acesso em 02 de fevereiro de 2015.br/noticias/rede/invest/sem- categoria/investimento-para-startups/> Acesso em 10 de fevereiro de 2015. DORNELAS.. Disponível em < http://www. Disponível em < http://info. José Carlos Assis. Disponível em http://pt. José Carlos Assis.com. 2003.br/empreendedorismo-feminino-a-vez-das-mulheres-nos- negocios-e-na-sociedade/> Acesso em 10 de fevereiro de 2015.com.EMI306575-17141. ESTRATÉGIA. Elsevier. DORNELAS. Investimento Anjo. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Acesso em 02 de fevereiro de 2015.

Journal of Management.prp.http://www. 2011. Bibliografia Complementar: DOLABELA.br/sites/PortalSebrae/artigos/Passo-a-passo- para-a-formaliza%C3%A7%C3%A3o Acesso em 06 de fevereiro de 2015. M. PRIEM.finep. Ed. Disponível em http://smpe. In Handwörterbuch der Staatswissenschaften.portaldoempreendedor.http://www. – Recife: SECTMA. Jena. 1.org.ueg. Jeffrey E.gemconsortium.sebrae. Pigneur.br Artemisia . OSTERWALDER. 2013. HOWKINS. Jan 2000. SECRETARIA DA MICRO E PEQUENA EMPRESA. and MCGEE. Vol. 4th ed. Unternehmer.Books do Brasil: São Paulo. TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE.br Endeavor Empreendedorismo Social . 2013. Venture Creation and the Enterprising Individual: A Review and Synthesis (2003). YVES.www.br/empreendedorismo-social/ Finep .https://endeavor. 379-399 2003. SECRETARIA DE CIÊNCIA. 2008. Vol.br Centro de Ensino e Aprendizagem em Rede (Cear) .http://catarse. 2013.org 44 . 8. Tecnologia e Meio Ambiente do Estado de Pernambuco. VENKATARAMAN. 2011. O Segredo de Luísa. Inovação em Modelos de Negócios. Alta Books: São Paulo. Economia Criativa: como ganhar dinheiro com ideias criativas. Scott.. 25. pg. v. S.http://www. Brasília. The promise of entrepreneurship as a field of research.476-487. Sextante: São Paulo. Fernando. Empreendedorismo e inserção no Mundo do Trabalho / Secretaria de Ciência.gov.PORTAL DO EMPREENDEDOR.artemisia. Issue 3.br/> Acesso em 02 de fevereiro de 2015. SHOOK. 29.cear.gov. J. SEBRAE. organizado por Alexandre Rodrigues Alves. Alexander.br/assuntos/inovacao> Acesso em 10 de fevereiro de 2015. Sebrae: Brasília.com. Christopher L. Gustav Fischer..endeavor. pp.org. Richard L.empreendedorismo colaborativo (crowdfunding) Endeavor Brasil . Cartilha o Quadro de Modelo de Negócios: um caminho para criar. The Academy of Management Review.http://www.2.A. Sites: Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (AITT) . recriar e inovar em modelos de negócios. 217.br/ Cartase .me/pt/projects . SHANE. : il.gov. SCHUMPETER.ueg. (1928). Disponível em: < http://www. by L. Caderno de Apresentação. J. p. Pronatec Empreendedor.br/ GEM (Global Entrepreneurship Monitor) .www. Elster. p. Disponível em http://www. SEBRAE. SEBRAE.org.

http://www.inovativabrasil.com.br Portal do Empreendedor –www.br Rede Mulher Empreendedora .http://www.br/ Jovens Falcões .UEG – www.http://smpe.br/index.portaldoempreendedor.br InovAtiva Brasil .finep.br/ SEBRAE – www.br/images/apoio-e-financiamento/manualoslo.gov.prosol.com.sebraemercados.com.www.ueg.br Plataforma Itec .br/ SIBRATEC .www.br Projeto de Educação Empreendedora UEG/SEBRAE – www.br SEBRAE Inovação .br PROIN.php/content/view/313014.http://www.jovensfalcoes.Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares e Empreendimentos Solidários (ProSol) - http://www.com.com.http://www.gov.mct.http://redemulherempreendedora.sebrae.gov.http://www.josedornelas.br Liga de Empreendedorismo da UEG .planodenegocios.educacaoempreendedora.gov.http://www.sebrae.com.http://www.com.ligadeempreendedorismo.nej.html Teste de Perfil Empreendedor .br Manual de Oslo http://www.com.oeu2016.http://www.br/customizado/inovacao/como-atendemos/atendimento- personalizado SEBRAE Negócios de Impacto Social .br/ Portal Inovação.ueg.com.ueg.br Portal PN – www.mct.com.br Olimpíada de Empreendedorismo para Universitários Goianos .plataformaitec.portalinovacao.br/negociosdeimpactosocial/ Secretaria de Micro e Pequenas Empresas .www.ueg.pdf Núcleo de Empresas Juniores NEJ/UEG .ueg.br/artigos/teste-seu-perfil- empreendedor/ 45 .proin.gov.

46 .