Você está na página 1de 2

A Motivao de Abraham Kuyper para a Construo de sua

Biocosmoviso

Acesso em 14 de junho de 2017.


http://emdefesadagraca.blogspot.com.br/2011/04/motivacao-de-abraham-kuyper-para.html

Antes de analisarmos a extenso da cosmoviso (ou biocosmoviso, por estender-se a prpria esfera da
vida) Kuyperiana, faz-se necessrio compreender as motivaes que o levaram a empreender to grandes
esforos no desenvolvimento e sistematizao desta matria.

prprio dizer que sua grande fora influenciadora, se deve justamente a tempestade do Modernismo,
que surgira com intensidade violenta em oposio ao prprio elemento cristo das glrias da cruz, bem
como ao [...] prprio nome cristo [... e...] sua influncia salutar em cada esfera da vida. (KUYPER, 2003,
p. 18).

Segundo Kuyper, o ponto crucial fora alcanado em 1789, onde:

O grito furioso de Voltaire, Abaixo com o salafrrio, foi apontado para o prprio Cristo [...] O
protesto fantico de um outro filsofo, No precisamos mais de Deus, e o lema odioso, Nenhum
Deus, nenhum senhor, da Conveno; foram os lemas sacrlegos que naquele tempo anunciaram a
libertao do homem como emancipao de toda autoridade divina (Ibidem).

Na verdade, tudo isso no passou da [...] expresso do pensamento mais oculto do qual nasceu a
Revoluo Francesa (Ibid.), e embora Deus houvesse empregado a Revoluo Francesa como:

[...] um meio para destruir a tirania [...] e trazer um julgamento sobre os prncipes que abusavam
de suas naes como seus escabelos, [...] o princpio do qual a Revoluo surgiu continua
completamenteanticristo, e desde ento tem se espalhado como um cncer, dissolvendo e corroendo
tudo quanto est firme e consistente diante de nossa f crist (Ibid.).

Preocupado com a situao social, moral, cultural, poltica e eclesistica de seu prprio pas (assim como a
de toda a Europa), e consciente da luta mortal entre estes Dois sistemas de vida, Cristianismo e
Modernismo, que expunha o primeiro a grandes e srios perigos, o Dr. Kuyper (2003) percebeu que nesta
batalha,princpio deveria ser colocado contra princpio e a partir da, concebeu em seis pontos (1) O
Calvinismo como Sistema de Vida; (2) O Calvinismo e a Religio; (3) O Calvinismo e a Poltica; (4) O
Calvinismo e a Cincia; (5) O Calvinismo e a Arte; e (6) O Calvinismo e o Futuro um to abrangente e
extenso sistema de vida, quanto o do Modernismo que nos ataca; e este sistema no poderia ser outro, seno
aquele que, longe de ser inventado ou formulado, fora simplesmente tomado como se apresenta na histria,
a saber, sobre os fundamentos do Calvinismo [...] a nica, decisiva, lcita e consistente defesa das naes
protestantes contra o usurpador e esmagador Modernismo (KUYPER, p. 20). Como escrevera Oliveira
(2006, p. 77): [...] Kuyper estava convicto de que era atravs de um resgate do calvinismo original que o
cristianismo poderia se opor vigorosamente aos princpios apstatas resultantes do pensamento moderno.

Nelson vila
_________________________________________________

KUYPER, Abraham. Calvinismo. So Paulo: Cultura Crist, 2003.


OLIVEIRA, Fabiano de Almeida. Philosophando Coram Deo: uma apresentao panormica da vida,
pensamento e antecedentes intelectuais de Herman Dooyeweerd. Fides Reformata, So Paulo, SP, v. 11, n.
1, p. 73 100, jan jun. 2006.

Você também pode gostar