Você está na página 1de 48

Ciências Contábeis

Disciplina:Teoria Contábil

Provisões, Passivos Contingentes e Ativos
Contingentes.

Profº: Valério V. Bonelli

SUMÁRIO 
Introdução 
Objetivo 
Alcance 
Provisões 
Definição e Reconhecimento 
Reavaliação e Outras Considerações 
Passivos Contingentes 
Definição 
Avaliação, Classificação e Reavaliação 
Ativos Contingentes 
Definição 
Classificação 
Resumo: Provisão e Passivo Conting. Ativo Conting. e Reembolso 
Árvore de Decisão 
Exemplos 
Bibliografia

Introdução

A adoção da Lei 11.638/07 através da convergência das normas brasileiras com as
normas internacionais fizeram com que as Demonstrações Contábeis ganhassem
mais importância exigindo cada vez mais transparência e confiabilidade na
divulgação de suas informações.

Para transmitir a realidade da empresa, as demonstrações contábeis devem divulgar
os riscos e incertezas que existem em torno de eventos e circunstâncias futuras.

Estabelecer que sejam aplicados critérios de
reconhecimento e bases de mensuração apropriados a
provisões e a passivos e ativos contingentes e que seja
divulgada informação suficiente nas notas explicativas para
permitir que os usuários entendam a sua natureza,
oportunidade e valor.

 Contratos de seguro.  Obrigações e benefícios aos empregados.  Contratos de construção. estão inclusas:  Combinação de negócios. . Dentre estas. exceto aquelas provisões tratadas por outros pronunciamentos.  Arrendamento mercantil. passivos contingentes e ativos contingentes.  Tributos sobre o lucro.Alcance Os conceitos abordados se aplicam a todas as provisões.

desta forma. sendo necessário.Provisões .. . decorrentes de eventos passados de prazos e valores incertos. Provisão compreende todas as obrigações legais ou obrigações não formalizadas presentes de uma entidade.. dentre outros.Definição e Reconhecimento Segundo Iudícibus. redução de ativos ao valor recuperável. Martins e Gelbcke. créditos de liquidação duvidosa. a utilização de termos como "ajuste" ou "perda estimada" para eventos não enquadrados na definição apresentada. A palavra “provisão” é comumente utilizada para contextualizar itens tais como depreciação.

Provisões representam estimativas de perda de ativos ou de obrigações para com terceiros. Esses eventos. não podem ser medidos com exatidão e têm portanto caráter estimativo. porém estimados confiávelmente. Provisão é uma palavra utilizada apenas para passivos de prazos ou valores incertos. embora já tenham seu fato gerador contábil ocorrido. são reconhecidos como passivo no balanço. .Provisão é um passivo de prazo ou de valor incertos. pois se tratam de obrigações presente e de provável desembolso para liquidá-las.

Definição e Reconhecimento Alinhado a definição exposta. deve satisfazer cumulativamente às seguintes condições: a) A entidade possui uma obrigação presente (formalizada ou não). segundo o CPC 25. b) Seja provável a saída de recursos para liquidar a obrigação. c) O valor possa ser mensurado confiavelmente. resultante de um evento passado.Provisões . o reconhecimento de uma Provisão. .

Provisões .Reavaliação e Outras Considerações  As provisões devem ser reavaliadas periodicamente em cada data de balanço e ajustadas para refletir a melhor estimativa corrente.  Quando for utilizado o desconto a valor presente. o aumento decorrente do ajuste pela passagem do tempo deverá ser reconhecido como despesa financeira. .

 Todas as partes envolvidas numa obrigação devem ter conhecimento antecipado (anterior a data do balanço) sobre decisões da empresa. mercadorias ou serviços). pois há a possibilidade de alteração de conduta por parte da empresa.Reavaliação e Outras Considerações  As provisões não são reconhecidas sobre atos futuros da entidade. relacionadas aos eventos.  No caso de obrigações semelhantes. as provisões relacionadas devem ser mensuradas como um todo (exemplo.Provisões . Provisão para garantia de produtos. de forma a gerar expectativa válida de seu cumprimento. .

2010. 2010. et al. 335). deve se reconhecer como provisão. Caso a evidência não seja clara.  Probabilidade de saída de recursos é maior de que ela não ocorra. Quando nenhuma estimativa confiável pode ser feita. Obrigação presente “caracteriza-se por evidência disponível de que é mais provável que vai existir a obrigação do que não” (IUDÍCIBUS. Caso não seja provável que a obrigação presente exista. et al. .  Estimativa confiável da obrigação “é resultante da capacidade da entidade determinar um conjunto de desfechos possíveis” (IUDÍCIBUS. 335). o passivo não pode ser reconhecido e deve ser divulgado como passivo contingente. p. deve-se recorrer a opiniões de peritos. p. a entidade deve divulgar como passivo contingente.

 Fundamentos Contábeis: As contingências estão relacionadas principalmente o Princípio da Prudência. . que norteia a existência das contingências passivas. o Princípio da Prudência determina a adoção do menor valor para os componentes do ativo e do maior para os do passivo. Definições teóricas Natureza das contingências: Podem ser Ativas ou Passivas  De acordo com a Resolução 750/1993 do Conselho Federal de Contabilidade (1993). sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido.

ou por falta de estimativas confiáveis). visto que ainda há de ser confirmado se a entidade tem ou não a obrigação que possa conduzir a uma saída de recursos. .  2) Obrigações que não satisfazem os critérios de reconhecimento do Pronunciamento (seja porque não é provável o desembolso.Definição  Os passivos contingentes não são reconhecidos como passivos e são caracterizados da seguinte forma:  1) Obrigações possíveis.Passivos Contingentes .

Passivos Contingentes . Martins e Gelbcke. Entretanto. dependendo da ocorrência de um evento futuro.Definição  Segundo Iudícibus. é preciso observar que muitos passivos estimados dependam da ocorrência de eventos futuros. uma exigibilidade contingente é uma obrigação que pode surgir. mesmo assim não são rigorosamente contingenciais. .

Fundamentos Jurídicos: estão relacionados à mensuração dos riscos embasados em decisões judiciais. Avaliação das Contingências Uma contingência deve ser avaliada com base nos seguintes fundamentos principais: Econômicos. não relacionado a atividade da entidade . tal mensuração pode ser real ou estimada de forma a auxiliar na análise do fundamento contábil. Jurídicos e Contábeis. Fundamentos Econômicos: estão relacionados com a mensuração econômica do risco e só deverão ser considerados quando relevantes. FATORES IMPORTANTES NA AVALIAÇÃO  RISCO – é inerente ao negócio INCERTEZA – depende de fator externo. disposições legais e contratuais e outros fatos que permitam a correta avaliação da situação.

Classificação e Reavaliação. (b) Possíveis ou (c) Remotas.  Os passivos contingentes devem ser avalizados e reavaliados periodicamente.Avaliação.Passivos Contingentes . ou sempre que for oportuno. .  Assim. para evitar saída de recursos resultantes de eventos tornados prováveis "inesperadamente". as obrigações presentes devem tratadas e classificadas em (a) Prováveis.

mas que não é reconhecida porque: (i)não é provável que uma saída de recursos que incorporam benefícios econômicos seja exigida para liquidar a obrigação.Passivo contingente é: (a) uma obrigação possível que resulta de eventos passados e cuja existência será confirmada apenas pela ocorrência ou não de um ou mais eventos futuros incertos não totalmente sob controle da entidade. ou (b) uma obrigação presente que resulta de eventos passados. ou (ii)o valor da obrigação não pode ser mensurado com suficiente confiabilidade .

Passivos Contingentes .Avaliação. . Classificação e Reavaliação.

Obrigação legal é uma obrigação que deriva de: (a) contrato (por meio de termos explícitos ou implícitos). ou (c) outra ação da lei. (b) legislação. práticas passadas ou relatórios específicos.Evento que cria obrigação é um evento que cria uma obrigação legal ou não formalizada que faça com que a entidade não tenha nenhuma alternativa realista senão liquidar essa obrigação. . Tal aceitação cria a expectativa na outra parte de que a entidade cumprirá os compromissos assumidos. Obrigação não formalizada quando a entidade assume e indica a terceiros que aceitará certas responsabilidades por meio de políticas divulgadas.

devem ser divulgados em nota com a descrição da sua natureza. não devam ser reconhecidos contabilmente. há um ativo cuja existência será confirmada apenas pela ocorrência ou não de um ou mais eventos incertos não totalmente sob controle da entidade. como resultado de eventos passados. o valor potencial e a expectativa da companhia sobre a sua eventual realização.São caracterizados em situações nas quais. Contingências Ativas que. por atendimentos aos princípios contábeis. .

Contingências Ativas  A contingência ativa normalmente não é contabilizada.  Devem ser avaliadas periodicamente para garantir que as demonstrações contábeis reflitam a realidade da empresa. somente quando estiver efetivamente assegurada a sua obtenção ou recuperação é que devem ser reconhecidos contabilmente. em contra partida temos o Princípio da Prudência. que afirma que uma receita somente pode ser reconhecida quando realizada. nota-se que existe um conflito entre a contingência e o ativo. pois se as contingências são incertezas que significam possibilidades de não ocorrer expectativa. .  O Parecer de Orientação 15/1987 da Comissão de Valores Mobiliários (1987) faz referência de que as contingências ativas ou ganhos contingentes não devem ser registrados.

os ativos contingentes são eventos decorrente de possíveis entradas de benefícios econômicos.  Com base no tratamento previsto.Definição  Para Paulo Cesar Raimundo Peppe.Ativos Contingentes . segue esquema de tratativa prevista para Ativos Contingentes: . planejados ou praticamente certos. resultante de eventos não esperados.

Ativos Contingentes .Definição .

. o ativo então relacionado não é um ativo contingente e seu reconhecimento passa a ser adequado. Surgem de eventos não planejados e não esperados que criem a possibilidade da entrada de recursos para a entidade.  Quando a realização do ganho é praticamente certa.  A entidade não deve reconhecer apenas divulgar em notas explicativas.

as provisões devem ter como base esse critério para serem mensuradas. Condições de incerteza não justifica a criação de provisões. Avaliações do risco podem aumentar o valor mensurado do passivo. assim. As estimativas do desfecho e do efeito financeiro são determinadas pelo julgamento dos administradores. complementado pela experiência de casos anteriores e.Melhor estimativa: é o valor que a entidade racionalmente desembolsaria para liquidar uma obrigação na data do balanço. em alguns casos. Risco e incerteza: é a variabilidade do desfecho. . relatórios de peritos.

desde que houver evidências que esses eventos ocorrerão.  Eventos Futuros: os eventos futuros que possam afetar o valor necessário para liquidar a provisão devem refletir o valor da provisão. . Valor presente: quando o efeito do valor do dinheiro no tempo é material. Exemplos: se houver evidências que avanços tecnológicos futuros reduzam o custo para desmontagem de um ativo. a provisão deve ser trazida a valor presente. então o valor provisionado de desmontagem do ativo pode ser reduzido.

Caso não seja mais provável a saída de recursos por conta de liquidar a provisão. o valor a ser reembolsado gera um ativo separado e não pode ultrapassar o da provisão. Mudança na provisão: as provisões devem ser reavaliadas a cada exercício para que sejam estimadas corretamente. . ela deve ser revertida. As avaliações referentes a ajuste a valor presente devem ser reconhecidas como despesas financeiras. só deve ser reconhecido somente quando for praticamente certo que os valores serão reembolsados. contudo.Reembolso: a entidade pode esperar que todos os desembolsos necessários para liquidar a obrigação sejam reembolsados. Nesse caso.

(Fonte: CPC 25) .

(Fonte: CPC 25) .

(Fonte: CPC 25) .

(Fonte: CPC 25) .

Sendo assim. O arrendamento da fábrica antiga continua por mais quatro anos e não pode ser subarrendada a terceiros. Uma fábrica opera de forma lucrativa numa fábrica arrendada.” (LEMES e CARVALHO. . Contratos onerosos: “São aqueles que os custos inevitáveis para quitar a obrigação estipulada no contrato são maiores que os benefícios econômicos previstos no contrato. A obrigação presente de acordo com o contrato deve ser reconhecida. O evento que dá a origem à obrigação é a assinatura do contrato. 176/177). No ultimo mês do exercício a entidade transfere suas operações para uma nova fábrica. 2010. e este se torna oneroso uma vez que não se espera benefícios econômicos futuros da fábrica antiga. p.  Ex. deve-se efetuar uma provisão do valor a ser pago pelo.

-fechamento de locais de negócios de um país ou região ou a realocação das atividades de negócios de um país ou região para outro. . -mudanças na estrutura da administração. e -reorganizações fundamentais que tenham efeito material na natureza e no foco das operações da entidade. por exemplo. exemplos: -Venda ou extinção de uma linha de negócios. eliminação de um nível de gerência.Reestruturação: São programas planejados e controlados que modificam consideravelmente o foco no negócio ou a maneira pela qual os negócios são conduzidos.

o local. (b) tiver criado expectativa válida naqueles que serão afetados pela reestruturação.Os custos para reestruturação somente devem ser provisionados se os critérios de reconhecimento de provisão forem atendidos. A obrigação não formalizada surge somente quando a entidade: (a) tiver um plano formal detalhado para a reestruturação. os desembolsos que serão efetuados e quando o plano será implantado. os principais locais afetados. . as funções e o número aproximado de empregados que serão incentivados financeiramente a se demitir. identificando pelo menos: o negócio ou parte do negócio em questão. seja ao começar a implantação desse plano ou ao anunciar as suas principais características para aqueles afetados pela reestruturação.

No ano seguinte a entidade comunica as partes afetadas e somente inicia o fechamento da divisão. nenhuma provisão é reconhecida em 20X2.Reestruturação – Exemplo Em dezembro de 20X1. a decisão não foi comunicada a nenhuma das partes afetadas e nenhum outro ato foi realizado para implementar a decisão. Antes da data das demonstrações contábeis. pois não existe obrigação estabelecida. pois o evento que cria a obrigação é o fechamento da divisão validado pelo comunicado às partes afetadas . a diretoria de uma entidade decidiu fechar uma determinada divisão. Já nesse caso deve ser feito a provisão. Nesse caso.

incluindo aumento nas provisões existentes. -Provisões adicionais feitas no período. -Valores utilizados durante o período -Aumento durante o período provenientes de ajustes a valor presente .Provisões A entidade deve divulgar: -Valor contábil no início e no fim do período.

declarando o valor de qualquer ativo que tenha sido reconhecido por conta desse reembolso esperado . (b) uma indicação das incertezas sobre o valor ou o cronograma dessas saídas. conforme tratado no item 48. para cada classe de provisão: (a) uma breve descrição da natureza da obrigação e o cronograma esperado de quaisquer saídas de benefícios econômicos resultantes. a entidade deve divulgar as principais premissas adotadas em relação a eventos futuros. e (c) o valor de qualquer reembolso esperado. Sempre que necessário para fornecer informações adequadas.Provisão A entidade deve divulgar.

quando praticável: a) a estimativa do seu efeito financeiro. b) a indicação das incertezas relacionadas ao valor ou momento de ocorrência de qualquer saída. . uma breve descrição da natureza do passivo contingente e. para cada classe de passivo contingente na data do balanço. e c) a possibilidade de qualquer reembolso. a entidade deve divulgar. mensurada conforme os itens 36 a 52.Passivos contingentes A menos que seja remota a possibilidade de ocorrer qualquer desembolso na liquidação.

15% apresentem defeitos menores.mas analisando a linha como um todo. 10% apresentem defeitos maiores e que os gastos para reparos para totalidade dos bens vendidos resultasse em R$ 2 milhões para reparos menores e R$ 5 milhões para reparos maiores : . de modo que. a empresa deverá considerar o tipo de obrigação como um todo. cerca de 75% dos bens vendidos não apresentem defeitos. para cada item analisado individualmente. ainda. as chances de defeitos sejam 'prováveis'. a possibilidade de ocorra defeito seja apenas 'possível'.Exemplos  Provisão para garantias:  Determinada industria produz uma única linha de eletroeletrônicos.  Considerando. baseadas em experiências passadas indiquem que. para o próximo ano. que as expectativas de perdas futuras.

Justifique .Normalmente os supermercados adotam a política de devolução total das quantias de compra aos consumidores que comprovem a sua insatisfação perante os bens adquiridos. . Deverá ser constituída uma provisão ? Sim ou Não.

julgadas por juízes diferentes. onde é provável o pagamento de indenização/reembolso/multa reclamada.Exemplos  Provisão para riscos fiscais. trabalhistas e cíveis:  Suponhamos que existam 5 ações movidas contra empresa. sendo a probabilidade de ocorrência de desembolso futuro dado pela tabela a seguir: . todas de mesma natureza.

Exemplos .

e somente após o comunicado. demissões e fechamento de unidades deficitárias. A comunicação às partes envolvidas deve ser feitas antes de 31/12/20X1. reunião realizada em dezembro de 20X1.  Neste caso. os principais desembolsos envolvidos seriam relacionados as rescisões de contratos de trabalho. foi decidido que seria efetuada a restruturação com redução de níveis hierárquicos. . todos os desembolsos diretos envolvidos decorrentes da operação de reestruturação devem ser provisionados.Exemplos  Provisão para reestruturação:  Numa dada reunião da administração duma determinada empresa.

sendo que na data base do balanço cerca de 10% da área já tinha sido danificada. Os custos eventuais são relativos e proporcionais ao percentual da área explorada de extração.Exemplos  Provisão para danos ambientais:  Uma entidade realiza extração de bauxita em que o contrato de licença e exploração prevê a restauração do local. O custo total estimado para restauro é de R$ 10 milhões. Haverá o provisionamento ? Caso positivo de quanto ? .

neste caso.  Deste modo. num dado ano compra um imóvel para implantação de nova sede. . Porém.Exemplos  Provisão para contratos onerosos:  Dada empresa tem sede alugada e. uma provisão deve ser reconhecida contemplando todo o saldo estimado de pagamentos a efetuar. o contrato de aluguel tinha mais 2 anos de duração e continha clausula seu cancelamento ou sublocação durante o período de vigência. desde a mudança da sede até o fim do contrato do aluguel.

uma vez que a empresa espera responsabilizar o revendedor dos alimentos. Procedimentos legais são instaurados para solicitar indenização da empresa e responsáveis indiciados. 10 pessoas morreram.  Qual será o tratamento contábil para este caso ? . os advogados aconselham que o risco de procedência da causa seja possível (os testes periciais ainda estão sendo executados).Exemplos Após um casamento. Até a data da publicação das Demonstrações Financeiras. possivelmente por intoxicação alimentar oriundos de produtos oferecidos pela empresa organizadora do evento.

o ramo de atividade. uma vez que esta não assegura uma decisão final favorável à Empresa. a formalização do processo. A Empresa deve fazer divulgação em nota explicativa acerca do assunto. Mesmo nas situações em que há jurisprudência favorável. isto não é suficiente para dar base ao reconhecimento do ganho contingente. pois muitos outros fatores podem influenciar essa decisão. porém há jurisprudência favorável para outras Empresas em casos idênticos e a avaliação dos advogados é que as chances de um desfecho favorável são prováveis. Ainda que se considere que a Empresa tenha uma liminar e há jurisprudência favorável. etc. igualmente se aplica o conceito acima descrito (não reconhecimento do ganho).Exemplos  Ativo Contingente:  A Empresa ainda não obteve a decisão final favorável à recuperação ou extinção duma dada obrigação registrada. por exemplo. .

13 pg 169-184.  Lemes .com.br/tematicas/passivoseativoscontinge ntes. Gelbcke. acessado em 16. Martins.2014. . 2013.br/webed/crc. Manual de Contabilidade Societária . Passivos Contingentes e Ativos Contingentes. Carvalho.2012.11. Eliseu.2014.br/pdf/cpc_25.Bibliografia  http://www.Aplicável a todas as Sociedades de acordo com as Normas Internacionais e do CPC (FIPECAFI). Luiz Nelson Guedes de.com. Ernesto Rubens.htm. Fabio Moraes da. acessado em 13.  Sítio http://www.11. acessado em 13. 1ª edição.  Íudicibus. Sérgio de.11. Sirlei.cpc. Contabilidade Internacional . Editora Atlas.portaldecontabilidade.  //www.pdf. Costa. Editora Atlas. Provisões. Pronunciamento Técnico 25. Portal de Contabilidade.Cap. Comitê de Pronunciamentos Contábeis.webed.Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo “TV CRC São Paulo”.org.