Você está na página 1de 60

INSTITUTO TEOLÓGICO KERIGMA – ITK

CURSO DE BACHAREL EM TEOLOGIA - INTEGRALIZAÇÃO

KELLY CRISTINA FERNANDES DA ROSA

METODOLOGIA DA PESQUISA E DO TRABALHO ACADÊMICO

CRICIÚMA
2017

SUMÁRIO

Sumário
1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................3
2 PESQUISA COMO CONDIÇÃO DO HOMEM...........................................................4
2.1 O DESAFIO DA UNIVERSIDADE FRENTE À PESQUISA....................................4
2.2 O QUE SIGNIFICA CONHECER?..........................................................................4
2.3 OS TIPOS DE CONHECIMENTO...........................................................................5
3 MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA.................................................................6
3.1 DEFINIÇÃO DE MÉTODO:.....................................................................................6
3.2 MÉTODO HISTÓRICO:...........................................................................................7
3.3 MÉTODO COMPARATIVO:....................................................................................7
3.4 MÉTODO DO ESTUDO DE CASO:........................................................................7
3.5 MÉTODO ESTATÍSTICO OU MATEMÁTICO:........................................................7
3.6 ETNOGRAFIA:........................................................................................................7
4 TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS.................................................................7
4.1 TRABALHOS DE GRADUAÇÃO:...........................................................................7
4.2 TRABALHOS DE FINAL DE CURSO:....................................................................7
4.3 MONOGRAFIA (PARA ESPECIALIZAÇÃO )..........................................................7
4.4 DISSERTAÇÃO:......................................................................................................8
4.5 TESES:....................................................................................................................8
4.6 ARTIGOS DE PERIÓDICOS E EVENTOS CIENTÍFICOS:....................................8
4.7 COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA:...............................................................................8
5 ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DOS TRABALHOS ACADÊMICOS....................8
6 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA............................................................................9
6.1 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA COM RELAÇÃO AO OBJETO.......................10
6.2 PESQUISA CIENTÍFICA.......................................................................................10
6.3 PESQUISA TECNOLÓGICA (DESENVOLVIMENTO EXPERIMENTAL).............10
6.4 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA COM RELAÇÃO À FORMA DE ABORDAGEM
11
6.5 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA QUANTO AOS OBJETIVOS..........................11

6.6 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA CONFORME OS PROCEDIMENTOS
TÉCNICOS..................................................................................................................12
ANEXO 1.....................................................................................................................14
PROJETO E PESQUISA.............................................................................................14
LOCAL.........................................................................................................................15
MÊS /ANO...................................................................................................................15
3- JUSTIFICATIVA.......................................................................5............................16
Livros:.........................................................................................................................23
ANEXO 2.....................................................................................................................27
TRABALHO DE CONCLUSAO DO CURSO..............................................................27

acadêmico do Bacharel em Teologia. 3 1 INTRODUÇÃO A pesquisa científica deve seguir normas. . A padronização na apresentação gráfica exige o estabelecimento de diretrizes para a redação de um trabalho científico. Portanto. as etapas de um projeto de pesquisa e o trabalho de conclusão de curso propriamente dito. análise e interpretação de textos e o conhecimento da aplicação das normas técnicas necessárias para apresentação de trabalhos acadêmicos. regras e procedimentos definidos. das quais faz-se necessário estabelecer as diferenças entre os diversos tipos de trabalhos acadêmicos. Aplicar corretamente as normas no planejamento e apresentação de projetos e trabalhos científicos requer algumas exigências. A atividade de elaboração dos trabalhos acadêmicos estimula conhecer o valor da pesquisa e todos seus benefícios no ambiente universitário. não deixando de lado a reflexão e a criatividade para o desenvolvimento do conhecimento. esta disciplina apresentará a você. proporciona a aquisição de habilidades específicas de leitura. É por isso que a produção escrita do trabalho deve merecer um cuidado especial em sua apresentação.

desempenham papel central nessa questão. Então. Enfim.1 O DESAFIO DA UNIVERSIDADE FRENTE À PESQUISA É nesse sentido que é crucial o papel das universidades.2 O QUE SIGNIFICA CONHECER? Quando falamos em conhecimento. tanto a busca da felicidade quanto a capacidade de superar e pesquisar são condições inerentes ao homem. principalmente o superior. mas a médio e longo prazo. mais o sujeito que está estudando terá dificuldade em interpretá-lo. Assim. Assim. O conhecimento humano é. Como centros não apenas de repasse. não apenas a elas. O resultado desse esforço. A pesquisa científica existe como resultado dessa permanente busca. a noção inicial que queremos discutir. O sujeito é o que conhece – chamamos de sujeito cognoscente. e inclusive na educação. do ensino. A noção de educação e de ensino. portanto. Assim. é condição primordial para que possamos nos emancipar socialmente e culturalmente. certamente afetará a cada um de nós. falamos sempre em uma relação que se estabelece fundamentalmente entre dois elementos: sujeito e objeto. em primeiro plano. toma conhecimento de seu objeto de estudo. Contudo. em nosso país marcado pela exclusão social. Portanto. fruto dessa insatisfação permanente diante da realidade na qual vivemos. que tanto necessita de pessoas com capacidade e um olhar mais crítico. a partir de sua capacidade de conhecer e estudar a realidade. Estas. diante desse cenário de reconfiguração e de desafios em escala mundial. cabe à universidade contribuir de forma decisiva para que os jovens recuperem a capacidade de sonhar e se libertem do imediatismo de hoje. Portanto. pesquisa científica é própria de todo aquele que participa do universo acadêmico: de qualquer área da ciência. fomentar a pesquisa. mas a todas as ciências. Se o objeto de estudo for um ser humano. a ciência. Por isso. as universidades nos ajudam a repensar a realidade. mas de reelaboração do saber. em um mundo marcado pelo controle e dominação das nações mais ricas e que detêm o conhecimento científico. 2. temos um objeto de estudo bastante . 2. é necessário que se reconheça que o ato de pesquisar. como centros de reelaboração do saber. vale chamar a atenção para o fato de que quanto mais complexo o objeto de estudo. próprio da curiosidade humana. Nesta mesma perspectiva. envolve toda comunidade escolar ou acadêmica. O conhecimento sempre se dá a partir dessa dualidade. o sujeito cognoscente (homem). O assombro e a maravilha do homem diante da realidade que o circunda o impulsionaram historicamente a conhecer. exatamente quando nos possibilitam abrir novos horizontes e possibilidades. O objeto é o que será conhecido – chamamos de cognoscível. por exemplo. dessa incansável busca pelo saber. Cabe à universidade garantir que os jovens se tornem cidadãos conscientes de um mundo globalizado. Aqui. 3 2 PESQUISA COMO CONDIÇÃO DO HOMEM É o ato da pesquisa que torna o homem ser aberto e lhe possibilita interpretar a realidade atuando sobre ela. é necessário que se compreenda a importância da pesquisa na educação e de que o professor também é um cientista. na perspectiva da pesquisa. não de forma imediata ou no curto prazo. pesquisar é um ato humano. que nos cerca e que buscamos sempre mais conhecer. é característica inerente ao ser humano. é que o ato da pesquisa está muito ligado às ciências experimentais.

é um saber sem o qual não conseguiríamos orientar nossa vida quotidiana. baseado em revelações. é comunicado ao sujeito por inspiração divina. o sujeito se comporta levando em conta a fé nos dogmas. as práticas. ou seja. O conhecimento teológico é também dogmático. um saber sobre os hábitos. através do nosso contato com os outros.3 OS TIPOS DE CONHECIMENTO A) O SENSO COMUM O senso comum é um saber que nasce da experiência quotidiana. Acontece porque o sujeito acredita na revelação divina e no poder das forças superiores.conhecimento e logia . O senso comum adquire-se quase sem se dar conta. um saber informal. ficamos preocupados. no século XXI. questiona-se muito o ser humano como sujeito do conhecimento. o nome das ruas da localidade onde vivemos etc. com as situações e com os objetos que nos rodeiam. um saber acerca dos elementos da realidade em que vivemos. apesar das suas limitações. que não exige grandes esforços. 3 complexo de ser interpretado. desconfia da aparência das coisas e procura respostas que apresentam maior segurança e certeza. todo ser humano. saber. É um saber também que se torna acrítico: não permite que se questione seus dogmas. os costumes. . acender a luz de uma sala. Tem a característica de ser inspiracional. a questão do conhecimento passa a ser sempre importante para nos situarmos no mundo. como fazer uma chamada telefônica. ou seja. marcadamente em nosso tempo. 2. não estamos dizendo que ele é um ser superior no planeta. É um saber muito simples e superficial. É. Mas. portanto. Podemos colocar a relação de conhecimento. por isso. em leis e dogmas. desde a mais tenra infância e. Gnosiologia é uma palavra de origem grega e quer dizer: gnose . ao contrário dos saberes formais (tais como as ciências). suas ações têm limites. Transformamo-lo. procurando satisfazer a curiosidade que lhe é inata. se aquilo que uma certa teoria sustenta tem ou não validade. as guerras mundiais. Quando falamos que o homem é sujeito do conhecimento. a violência do conhecimento científico sobre a natureza. Então. na seguinte fórmula: O estudo e a pesquisa para responder à questão sobre o que significa conhecer fazem parte de uma disciplina denominada Gnosiologia ou Teoria do conhecimento. para ficar mais clara. assim. sobre tudo o que necessitamos para podermos nos orientar no nosso dia a dia: como comer à mesa. É. as tradições. Ainda sobre nosso conhecimento produzido atualmente. normalmente inquestionáveis. as regras de conduta. Geralmente. Há também a epistemologia. que requerem um longo processo de aprendizagem escolar. ao mesmo tempo. as guerras que continuam. o surgimento de doenças a partir de experiências de laboratório. que se adquire de uma forma natural (espontânea). a pobreza. mas que ele coexiste e. a que preço? Se olharmos para o século XX. apanhar o carro. B) CONHECIMENTO TEOLÓGICO OU DE FÉ No conhecimento religioso. ligar a televisão. Talvez esse seja nosso grande desafio a ser pensado. Interpretamos o mundo. da vida que os homens levam em sociedade. enfim. ou se é sustentável ou não.estudo. Agora. que estuda as bases do conhecimento. a questão climática.

o sujeito quer saber por amar o saber e não para fazer uso prático dele. disciplina e organização. A teoria da relatividade. Tudo aquilo que acontece e que pode ser percebido procura ser explicado. um modo ordenado de proceder ou conjunto de procedimentos técnicos e científicos. responder perguntas como: De onde viemos? Para onde vamos? Quem somos? O que é o bem? Como alcançar a felicidade? Existe vida depois da morte? O que é a verdade? Quem deve governar? São indagações que em todos os tempos desafiam os seres humanos e muitos procuram renovar. É um tipo de conhecimento pouco praticado nos dias de hoje. para cada tempo. Trata mais da forma como se apresenta o conteúdo. A lógica e a criatividade são os instrumentos que se deve aprender a usar. O conhecimento científico também é um saber que se adquire pela leitura. Universalmente válido. na medida em que avança no conhecimento de determinado objeto. 3 C) CONHECIMENTO FILOSÓFICO É um tipo de conhecimento que decorre da razão pura. na medida em que outra teoria científica ou hipótese surja e se coloque com mais eficiência do que o conhecimento ou teoria até então estabelecido como o mais correto ou válido. Na ciência importa mais o processo que leva ao conhecimento do que propriamente o resultado. Ciência é um conhecimento crítico construído com criatividade e que busca uma explicação lógica. A criatividade do sujeito está na forma como apresenta o conteúdo. não teria condições de surgir na Antiguidade. Por ele. mas intencional. A forma de entender a realidade se altera porque os instrumentos e os métodos utilizados são diversos. Lembramos ainda que em determinado tipo de pesquisa um método pode ter maior predomínio do que o outro. Não é um tipo de conhecimento ocasional. as respostas que consideram mais apropriadas. comparativo. 3 MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA 3. É próprio da filosofia questionar e buscar. ou seja. . é um desejo natural do ser humano. de forma racional. é um saber que tem método. Ciência é conhecimento com método. meditação e reflexão. Pode-se dizer que ciência é um conjunto de conhecimentos gerados a partir da criatividade e ordenados pelo poder lógico do raciocínio. investigativa. por exemplo. C) O CONHECIMENTO CIENTÍFICO A ciência é. conhecimento que se constitui na modernidade diante dos desafios a que o homem moderno se colocou no sentido de investigar o universo. Por isso. apresentando as relações de causa-efeito. estatístico ou matemático e a etnografia. ou seja.1 DEFINIÇÃO DE MÉTODO: Método é um processo racional que se segue para chegar a um fim. É uma forma de conhecimento ativa. mas sobretudo crítica. a pergunta intrigante do porquê das coisas. na medida em que avalia a si própria e revê seus conceitos e práticas. Embora existam vários métodos. estudo de caso. portanto. É um tipo de conhecimento universalmente válido e não depende do tempo em que foi elaborado. vamos nos ater a apenas os mais importantes e utilizados nas ciências sociais: histórico.

3 MÉTODO COMPARATIVO: Tem como foco comparar vários tipos de grupos. remetendo aos pesquisados a necessidade de resgatarem as raízes daquilo que se pretende pesquisar.4 MÉTODO DO ESTUDO DE CASO: O estudo de caso consiste no estudo profundo e exaustivo (intensivo) de um ou poucos objetos. Quando utilizados. 3.3 MONOGRAFIA (PARA ESPECIALIZAÇÃO ) A monografia. a vida. 4. por exemplo. mas de iniciação científica. 3.6 ETNOGRAFIA: A etnografia é o estudo de pessoas e de grupos. também conhecido como Trabalho de Conclusão de Curso ou ainda como Trabalho de Graduação. 4 TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS 4. por exemplo. A pesquisa etnográfica procura revelar os significados que sustentam as ações sociais. 3. porque os dados são manipulados estatisticamente para confirmar suas relações. é conhecimento também “quantitativo”. 3 3.5 MÉTODO ESTATÍSTICO OU MATEMÁTICO: Reúne procedimentos estatísticos ou matemáticos para medir o objetivo pesquisado. Também . culturas. comunidades. os estudos de casos costumam utilizar duas fontes: observação direta e série sistemática de entrevistas. Como uma estratégia de investigação. Tem como objetivo levar o aluno a refletir sobre temas determinados e transpor suas ideias para o papel na forma de uma pesquisa ou na forma de um relatório. durante um período de tempo. representa uma maneira de se investigar um tópico empírico. 3.2 MÉTODO HISTÓRICO: Este tipo de método leva em conta o passado. seguindo-se de um conjunto de procedimentos pré-especificados. em primeira mão.1 TRABALHOS DE GRADUAÇÃO: Os trabalhos de graduação não constituem exatamente trabalhos de cunho científico. O método comparativo envolve a comparação de diferentes situações. com o objetivo de reconhecer semelhanças ou diferenças nos procedimentos. quando não se podem manipular comportamentos relevantes. é tido como uma monografia sobre um assunto específico. é feita através do envolvimento direto do pesquisador nas interações que constituem a realidade social para o grupo em estudo. uma vez que os mesmos devem ser apresentados dentro de uma sistemática e organização que estimulem o raciocínio científico. de maneira que permita seu amplo e detalhado conhecimento. que utiliza a observação participante ou entrevistas para desvendar o comportamento social. as instituições e os costumes têm origem no passado. é parecida com o Trabalho de Final de Curso apresentado em cursos de graduação. uma de suas vantagens é que deixa de ser puramente descritivo e aspira à explicação dos fatos. sendo escolhido ao se examinar acontecimentos contemporâneos. para obter o título de especialista em cursos de pós-graduação lato sensu. 4.2 TRABALHOS DE FINAL DE CURSO: O Trabalho de Final de Curso. instituições e fenômenos sociais.

sobretudo. buscam. Nestes eventos ocorrem as comunicações. é uma boa oportunidade para fazê-lo. 4. Metodologia. Problema. Se ainda não participou. PROJETO DE PESQUISA – Todos os itens são obrigatórios 1 Capa 2 Folha de Rosto 3 Sumário 4 Texto do projeto contendo: Introdução. destinadas aos cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado). é o trabalho de conclusão do doutorado. Fundamentação teórica. o estudo necessita ser um pouco mais completo em relação ao tema escolhido para a pesquisa. 3 possui como objetivo levar o(a) acadêmico(a) a refletir sobre temas determinados e transpor suas ideias para o papel na forma de uma pesquisa. Objetivo. dos quais provavelmente você já participou como ouvinte. Estrutura da MONOGRAFIA . ou seja. Para o caso da pós-graduação. jornais ou outro periódico especializado que facilita a divulgação dos artigos. a exemplo da dissertação dirigida para o mestrado. 5 ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DOS TRABALHOS ACADÊMICOS Estrutura do Projeto de Pesquisa e Monografia 2. Caracteriza-se como um avanço significativo na área do conhecimento em estudo. 4. Cada área do conhecimento tem suas revistas. Essas comunicações têm. 5 Referências bibliográficas 2.7 COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA: Para divulgar os resultados das pesquisas que estão sendo realizadas. Hipóteses. Justificativa. um relato público do que o pesquisador concluiu até aquele momento em sua pesquisa. a duração de 20 minutos. como possui um formato mais enxuto e possibilidade de maior divulgação. são promovidos congressos e/ou eventos científicos. as dissertações e teses podem servir de matéria-prima para produção de artigos. em média.4 DISSERTAÇÃO: As dissertações. 4. a reflexão sobre um determinado tema ou problema expondo as ideias de maneira ordenada e fundamentada.6 ARTIGOS DE PERIÓDICOS E EVENTOS CIENTÍFICOS: O artigo científico é o resultado de pesquisas realizadas que não se constituem em dissertações e teses.5 TESES: A tese. Contudo. 4.

2. em letras maiúsculas negritadas. levantamento de dados ou coleta de informações.25cm. Subtítulos: distanciam-se o espaço de um espaço em branco tanto do texto anterior quanto do posterior.5 – (exceto citações de mais de três linhas. Digitado em um só parágrafo. 2 Folha de Rosto (obrigatória).. também são contadas. Recebem numeração à esquerda (1. na margem direita superior. entrelinhamento simples). nestes casos.0cm. 11 Introdução. notas de apresentação das folhas de rosto e de aprovação. Títulos: iniciados em nova folha. notas de rodapé. centralizados. A pesquisa pode ser . geralmente envolvendo experimentação e. 1. legendas de ilustrações e tabelas. 3. São numerados à esquerda (1. 3 Folha de aprovação (obrigatória) 4 Dedicatória (opcional). inferior e direita – 2. mas os números não aparecem. 5 Agradecimentos (opcional). 2. 1. Cada tipo de pesquisa tem um porquê e para cada tipo existem certas etapas específicas que devem ser seguidas. 6 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA A pesquisa pode ser considerada como a aquisição de novos conhecimentos. Margens: superior e esquerda – 3. Parágrafo: recuo de 1. Desenvolvimento em capítulos e Conclusão 12 Referências Bibliográficas (obrigatório) 13 Apêndices (opcional) 14 Anexos (opcional) 15 Glossário (opcional). tamanho 12 (exceto citações de mais de três linhas.0 cm..1. nestes casos. espaço simples 8 Abstract 9 Listas: Ilustrações/ Tabelas/ Abreviatura e Siglas/ Símbolos (opcionais) 10 Sumário (obrigatório). 3 1 Capa (obrigatória). também.. legendas de ilustrações e tabelas. Entre o título do capítulo e o corpo do texto são necessários dois espaços em branco. Entrelinhamento: 1. digitada em cor preta. 2. justificados.). Formato Fonte: Arial ou Times New Roman. 7 Resumo (obrigatório).3. atividades que poderiam ser denominadas de censo. As páginas situadas antes da Introdução. 6 Epígrafe (opcional). Alinhamento: Justificado Paginação: A partir da introdução até a última folha digitada (algarismos arábicos. fonte tamanho 10).. notas de rodapé. exceto a capa. tamanho 11.).

Aqui trataremos da classificação da pesquisa e dos critérios usados para tal. . etc. novos processos. Faceboock.avaliação do crescimento da alface com a adição de adubo orgânico. para a solução imediata de problemas determinados e específicos. etc. 2003). 6. Exemplo de questão de pesquisa científica básica: Por que o elétron gira? Qual é o princípio ativo encontrado nas folhas de hortelã? Que mecanismos os pássaros usam para voar? b) pesquisa aplicada – Visa adquirir ou gerar novos conhecimentos. é essencial descrever que tipo de pesquisa que você fará (projeto) ou que já fez (relatório). ou de uma cadeira de rodas mais barata que as existentes no mercado. . Twitter. Exemplos: .1 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA COM RELAÇÃO AO OBJETO Existe a necessidade de fazer uma distinção entre objeto e objetivo. etc. Em função do objeto podemos definir a área do projeto e 10lassifica-lo em pesquisa científica ou pesquisa tecnológica: 6.A OECD2 (1993 apud FINEP. . enquanto que o objetivo diz para que quer fazer. 1998): a) pesquisa básica . 6. ou a construção de um software interativo do uso de ferramentas na área da mecânica. Na parte da metodologia de qualquer projeto ou no relatório. com objetivo prático. 3 classificada segundo vários critérios. etc. um conjunto de técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento de maneira sistemática (JUNG. O objeto diz o quê quer fazer. ou um levantamento sobre o tipo de pássaros. Por objeto entende-se o que resulta da pesquisa: a construção de um protótipo de uma cadeira de rodas com melhor design. estruturas e conexões com vistas a formular e comprovar hipóteses.2 PESQUISA CIENTÍFICA Usa o método científico. A pesquisa científica pode ser pesquisa básica (ou pura) ou pesquisa aplicada (VALERIANO. 2010) conceitua a pesquisa básica como o estudo teórico ou experimental original ou incremental que visa a compreender fatos e fenômenos observáveis. Exemplos de projetos de pesquisa científica: . teorias. bem como os critérios que usará (projeto) ou já usou (relatório). ou a elaboração de uma monografia sobre a mandioca no Brasil. A pesquisa aplicada operacionaliza as ideias.verificação do aproveitamento escolar em função do tempo dedicado à internet em sites de plataformas sociais tipo Orkut e MSN.estudo da degradação ambiental nas áreas ribeirinhas do Rio das Antas. sem ter em vista uso ou aplicação específica imediata e analisar propriedades.objetivo: Tornar a cadeira de rodas acessível à população de baixa renda.3 PESQUISA TECNOLÓGICA (DESENVOLVIMENTO EXPERIMENTAL) .objeto: Construção de um protótipo de uma cadeira de rodas para paraplégicos de baixo custo. Usa a pesquisa básica como suporte para isto.

É mais descritiva.A construção de uma cadeira de rodas com um design para idosos.Novo processo alternativo de tratamento de efluentes de laticínios.. para analisar os dados. protótipo.5 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA QUANTO AOS OBJETIVOS Por objetivos entende-se aquilo que se deseja atingir com a pesquisa. 1998). Com relação à abordagem. a) Pesquisa quantitativa: utiliza-se de parâmetros estatísticos. . (OECD. Exemplos de Projetos Tecnológicos (desenvolvimento experimental ou de engenharia): . novos processos.avaliação de um programa de gestão ambiental para a escola pública. produtos e aparelhagens. processo.relação entre o número de pessoas gripadas em outubro de 2010 e o número de pessoas que receberam a vacina contra a gripe neste mesmo ano. busca a produção de novos materiais.censo escolar do Brasil. na cidade de Novo Hamburgo/RS.. . Eventos escolares que mostram projetos de pesquisa de estudantes de nível médio e técnico como a Mostra de Ciência e Tecnologia.A construção de um protótipo de uma cadeira de rodas mais econômica. 6. . 6. Protótipo é um modelo original representativo de alguma criação nova. 29 apud FINEP. 1993. pesquisa tecnológica é um tipo de pesquisa científica aplicada.Criação de um software de segurança para laboratórios químicos. Exemplo: . É detentor de características essenciais do produto pretendido. descritiva e explicativa. Tudo é transformado em números. p. Nesse contexto. através da pesquisa e/ou experiência prática. A pesquisa tecnológica parte de um conhecimento pré-existente e. Exemplos: . processos já existentes. só que visa à materialização de um produto. 3 Na verdade. .Construção de um carrinho elétrico com uso de energia solar. do qual todos os objetos ou utensílios do mesmo tipo são representações ou cópias [.]. b) Pesquisa qualitativa: a pesquisa qualitativa usa a subjetividade que não pode ser traduzida em números.4 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA COM RELAÇÃO À FORMA DE ABORDAGEM Forma de abordagem refere-se ao tipo de análise e tratamento dos dados. . a pesquisa pode ser pesquisa qualitativa ou quantitativa. a pesquisa pode ser exploratória. 2010). sistemas e serviços ou aperfeiçoamento de sistemas. . instalação piloto ou um estudo de viabilização desses (adaptado de Valeriano.

porém as fontes são documentos como diários. b) Pesquisa descritiva: visa identificar e descrever as características de determinada população. a) Pesquisa bibliográfica: é a busca sistemática de conhecimento sobre o assunto. Podem ser usados questionários. propuseram ou realizaram. em: pesquisa bibliográfica. empresa ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre variáveis. gerar inovações. pesquisa ação. etc. d) Levantamento: quando a pesquisa envolve a interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. estudo de campo. ofícios. estudos com protótipos. Exemplo: dados históricos (que não constam em livros. 6. memorandos.6 CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA CONFORME OS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS Delineamento refere-se aos procedimentos técnicos adotados para fazer a pesquisa. ou entrevistas. analisa e correlaciona fatos e fenômenos (variáveis) sem manipulá-los” (BERVIAN. acervos particulares de pessoas de fotos da cidade FF. Para ser pesquisa experimental. analisar e avaliar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos fenômenos. Aprofunda o conhecimento da realidade. 48). elaborar e formular novos elementos. Exemplo: levantamento e estudo de campo. 3 a) Pesquisa exploratória: visa proporcionar maior familiaridade com o assunto. dentre outras. com material disponibilizado na Internet. experimental.etc) sobre a cidade FF. atualmente. Elaborada a partir de material já publicado. documental. Explica a razão. com o problema. estudo de caso. p. artigos de periódicos e. gravações. precisa apresentar as propriedades: manipulação das variáveis. para maior conhecimento ou para construir hipóteses. 2002. máquina. c) Pesquisa explicativa: visa explicar. conforme este critério. formulários. Pode se tratar de um censo ou usar uma amostra representativa da população. tabelas estatísticas que. p. testar materiais. Exemplo: verificação prática da relação entre a dureza dos aços e o teor de carbono. não foram mostrados para o grande público. Exemplo: pesquisa bibliográfica e pesquisa na internet. indivíduo. Exemplo: pesquisa experimental e estudo de caso. coleta de dados imparcial e controle das variáveis pelo pesquisador (GIL. Exemplo: Que tipos de programas de educação ambiental já existem no RS? Como são os procedimentos já usados? Onde ocorrem estes programas? Quais foram os resultados da implantação destes programas? b) Pesquisa documental: é semelhante à pesquisa bibliográfica. Para Gil (2002). constituído principalmente de livros. o “porquê” das coisas. Faz . amostragem aleatória. 66). estudos de amostras criteriosas (JUNG. c) Pesquisa experimental: está relacionada a experimentar. aqueles encontrados em museus. local. quase experimental. o que os diferentes autores já discutiram. 2004). em geral. do que já existe. 2002. “A pesquisa descritiva observa. jornais. registra. levantamento. a pesquisa pode ser classificada. fazer estudos de laboratório. simular eventos.

a economia de uma determinada região ou cidade. O fato já ocorreu e os efeitos estão sendo analisados agora. um programa. entrevistas. g) Pesquisa ex-post-facto: é similar à experimental. um grupo de pessoas. ou uma única pessoa. e) Estudo de campo: faz a pesquisa no lugar de origem onde ocorrem os fenômenos. Escolhe-se um grupo de crianças que já sofreu desnutrição na sua vida durante a infância e um grupo de crianças que nunca sofreu desnutrição.. Pesquisadores e comunidades atuam em conjunto para verificar quais os principais problemas. Já houve a alteração da variável dependente naturalmente no curso do tempo. Exemplo: estudo sobre a incidência de doenças ósseas entre crianças desnutridas. 3 análise quantitativa das respostas. Em ambos os grupos avalia-se a incidência de problemas ósseos. mas é a partir do fato passado. pode ser uma outra pessoa que aplica o questionário. Exemplo: Programa de reestruturação do bairro X com relação aos seus principais problemas existentes. Exemplo: estudo dos pássaros encontrados nos arredores da escola XXX. Usa procedimentos de coleta de dados. É um tipo de pesquisa bem abrangente. elaboram um plano e atuam em conjunto para resolver o problema com mútua colaboração. um processo de implantação. h) Pesquisa-ação: quando é concebida e realizada com pesquisa sobre os problemas que afligem uma comunidade associada com uma ação ou com a resolução de um problema do coletivo. uma máquina. Exemplo: levantamento sobre o consumismo nas diferentes classes sociais no RS (pode-se usar um questionário). mas tem maior profundidade. da cidade de NH/RS. um grupo de animais ou só um único animal. Para a aplicação do questionário não é necessária a presença do pesquisador. O pesquisador não tem controle das variáveis e nem as manipula. mas não muito profunda. um grupo de empresas. O pesquisador vai ao local e usa uma ficha de observação sistemática. um grupo de pessoas. . etc. f) Estudo de caso: quando envolve o estudo profundo a fim de esgotar o assunto relativo a um indivíduo ou uma família. Exemplo: relação entre o tipo de acidentes e o tipo de atividade desenvolvida pelo operador em uma indústria metal-mecânica. É menos abrangente. Os pesquisadores e participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo. etc. observações. de maneira que seja permitido um profundo e detalhado conhecimento. uma decisão.

3 ANEXO 1 PROJETO E PESQUISA .

CURSO DE .. 3 UNIVERSIDADE..... MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA TÍTULO PESQUISADOR LOCAL MÊS /ANO . FACULDADE..

3

SUMÁRIO

1- INTRODUÇÃO.........................................................................3

2- OBJETIVOS.............................................................................4

3- JUSTIFICATIVA.......................................................................5

4- REVISÃO TEÓRICA................................................................6

5- METODOLOGIA......................................................................7

6- CRONOGRAMA.......................................................................8

7- BIBLIOGRAFIA.........................................................................9

8- ANEXOS..................................................................................10

3

1-INTRODUÇÃO

(O QUE É O TEMA?)

Na introdução o pesquisador deverá explicar o assunto que deseja desenvolver.

 Desenvolver genericamente o tema

 Anunciar a idéia básica

 Delimitar o foco da pesquisa

 Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho

 Descrever as motivações que levaram à escolha do tema

 Definir o objeto de análise: O QUÊ SERÁ ESTUDADO?

3

4

2- OBJETIVOS

( VAI BUSCAR O QUÊ?)

Aqui o pesquisador deverá descrever o objetivo concreto da pesquisa que irá

desenvolver: o que se vai procurar.

A apresentação dos objetivos varia em função da natureza do projeto. Nos

objetivos da pesquisa cabe identificar claramente o problema e apresentar sua

delimitação. Apresentam-se os objetivos de forma geral e específica.

O objetivo geral define o que o pesquisador pretende atingir com sua

investigação.

Os objetivos específicos definem etapas do trabalho a serem realizadas para

que se alcance o objetivo geral. Podem ser: exploratórios, descritivos e explicativos.

Utilizar verbos para iniciar os objetivos:

 Exploratórios (conhecer, identificar, levantar, descobrir)

 Descritivos (caracterizar, descrever, traçar, determinar)

 Explicativos (analisar, avaliar, verificar, explicar)

3 5 3. a justificativa deve indicar:  A relevância social do problema a ser investigado.JUSTIFICATIVA (POR QUE FAZER?) Consiste na apresentação.  As contribuições que a pesquisa pode trazer.  A possibilidade de sugerir modificações no âmbito da realidade proposta pelo tema.  O estágio de desenvolvimento dos conhecimentos referentes ao tema. . no sentido de proporcionar respostas aos problemas propostos ou ampliaras formulações teóricas a esse respeito. No caso de pesquisa de natureza científica ou acadêmica. de forma clara. objetiva e rica em detalhes. das razões de ordem teórica ou prática que justificam a realização da pesquisa ou o tema proposto para avaliação inicial.

demonstrar contradições ou reafirmar comportamentos e atitudes. alguém ou um grupo.  As citações literais deverão aparecer sempre entre aspas ou caracteres em itálico. PÁGINA)  As citações e paráfrases deverão ser feitas de acordo com as regras da ABNT 6023.REVISÃO TEÓRICA (O QUE JÁ FOI ESCRITO SOBRE O TEMA?) Pesquisa alguma parte hoje da estaca zero. ou mesmo complementares de certos aspectos da pesquisa pretendida. Mesmo que exploratória. CUIDADO COM O PLÁGIO!  As citações devem especificar a fonte (AUTOR. de avaliação de uma situação concreta desconhecida em um dado local.  Demonstrar entendimento da literatura existente sobre o tema. torna-se imprescindível para que não haja duplicação de esforços. em algum lugar. A citação das principais conclusões a que outros autores chegaram permite salientar a contribuição da pesquisa realizada. isto é. indicando a obra consultada. ANO.  A literatura indicada deverá ser condizente com o problema em estudo. de2002. 3 6 4. 7 5. Uma procura de tais fontes.  Apontar alguns dos autores que serão consultados. já deve ter feito pesquisas iguais ou semelhantes.  Citações literais. documentais ou bibliográficas.METODOLOGIA .  Citar literatura relevante e atual sobre o assunto a ser estudado. utilizar fonte nº 11.

legislação doutrina. questionário. isto é: a) para pesquisa bibliográfica: indicar proposta de seleção das leituras (seletiva. Internet. . entre outros. de campo. documental. )  Delimitação e descrição (se necessário) dos instrumentos e fontes escolhidos para a coleta de dados: entrevistas. 3 (COMO FAZER?)  Descrever sucintamente o tipo de pesquisa a ser abordada (bibliográfica. formulários. indicar o procedimento de testagem.  Indicar o procedimento para a coleta de dados. b) para pesquisa experimental. etc. questionários.  Listar bibliotecas visitadas até o momento do projeto e outras a serem visitadas durante a elaboração do trabalho final. crítica ou reflexiva. jurisprudência. periódicos.  Indicar outros recursos: jornais. analítica). etc. c) para a pesquisa descritiva: indicar o procedimento da observação: entrevista. análise documental. que deverá acompanhar o tipo de pesquisa selecionado.

MES/ETAPAS Mês/ano Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Escolha do tema X Levantamento X X X bibliográfico Elaboração do X anteprojeto Apresentação do X projeto Coleta de dados X X X X Análise dos dados X X X Organização do X roteiro/partes Redação do X X trabalho Revisão e redação X final Entrega da X monografia Defesa da X monografia . 3 8 6. Distribuir o tempo total disponível para a realização da pesquisa. incluindo nesta divisão a sua apresentação gráfica.CRONOGRAMA (EM QUANTO TEMPO FAZER?) A elaboração do cronograma responde à pergunta quando? A pesquisa deve ser dividida em partes. Não esquecer que há determinadas partes que podem ser executadas simultaneamente enquanto outras dependem das fases anteriores. fazendo-se a previsão do tempo necessário para passar de uma fase a outra.

Marina. a seguir. ed. Acesso em : 8 mar. Eva e Marconi. Secretaria do Meio Ambiente. Apenas a título de exemplo. monografias. LAKATOS.bdt. p. Como elaborar projetos de pesquisa. set. Conjuntura Econômica.1984.  Na bibliografia final listar em ordem alfabética todas as fontes consultadas. Antonio Carlos. In: Entendendo o meio ambiente. ed.br/sma/entendendo/atual. Consulex. São Paulo.htm> . Dano ambiental. . independente de serem de tipos diferentes. DF. 1996. SP : Atlas. fev. 1. 1. F. Material da Internet SÃO PAULO. RUIZ. SP: Atlas. artigos. veja como citar alguns dos tipos de fontes mais comuns : Livros: GIL. material da internet. etc. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. 1997.1999. Artigos de revistas: AS 500 maiores empresas do Brasil.org. SP: Atlas.  A bibliografia básica (todo material coletado sobre o tema: livros. TOURINHO NETO. Brasília. 1992. n. 3 9 7-BIBLIOGRAFIA (QUAL O MATERIAL BIBLIOGRÁFICO UTILIZADO?)  A bibliografia utilizada no desenvolvimento do projeto de pesquisa ( pode incluir aqueles que ainda serão consultados para sua pesquisa).1999. João Álvaro. 2. Rio de Janeiro. 4.38. 18- 23. ano 1. Disponível em: <http://www. v. (Estado). 9. 1991. C.)  As referências bibliográficas deverão ser feitas de acordo com as regras da ABNT NBR 6023/2002. v. Atenção para a ordem alfabética. Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos. Edição Especial. Metodologia do Trabalho Científico. n.

 O número da página deve aparecer na borda superior direita.  Citações com mais de três linhas.brasilnet.  Todas as letras dos títulos dos capítulos devem ser escritas no canto esquerdo de cada página. embora todas sejam contadas a partir da folha de rosto. da margem esquerda.com. fonte tamanho 10. etc. somente a partir da Introdução. 2cm .  Notas de rodapé.5. A4.1998. Crimes da era digital.M. 3cm. lista de abreviações.  As margens das páginas devem ser: superior e esquerda de 3cm. resultados de pesquisas. 10 8. em algarismos arábicos. inferior e direita de 2cm.  Fonte ARIAL. inclusive das Referências e Anexos.  O espaçamento entre linhas deve ser 1.htm> Acesso em: 28 nov. 3cm. Rio de Janeiro. Apenas como exemplo. espaçamento simples e recuo de 4cm da margem esquerda. Não contar a capa para efeito de numeração. M.br/contexts/brasilrevistas.Seção Ponto de Vista.  O início de cada parágrafo deve ser recuado de 2cm.  Utilizar papel branco. tamanho 12.ANEXOS 2cm Você pode anexar qualquer tipo de material ilustrativo. nov. Disponível em <http://www.L. fonte tamanho 11. aqui serão dadas algumas indicações para apresentação gráfica de seu projeto. documentos ou parte de documentos. estilo normal. tais como tabelas. 3 SILVA. em negrito e maiúsculas.1998. NET.  Cada capítulo deve começar em folha nova.

expressando o cumprimento de cada uma das exigências acima. b) os desconfortos e riscos possíveis e os benefícios esperados. . e i) as formas de indenização diante de eventuais danos decorrentes da pesquisa.3 . aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa. c) ser assinado ou identificado por impressão dactiloscópica. informando a possibilidade de inclusão em grupo controle ou placebo. e) a garantia de esclarecimento.consentimento explícito dos familiares e/ou do responsável legal. indivíduos ou grupos que por si e/ou por seus representantes legais manifestem a sua anuência à participação na pesquisa. embora adultos e capazes.Resolução 196/96 CONEP O respeito devido à dignidade humana exige que toda pesquisa se processe após consentimento livre e esclarecido dos sujeitos. IV. empregados. asilos. .documento comprobatório da morte encefálica (atestado de óbito). casas-abrigo. assim como seus responsáveis. sem suspensão do direito de informação do indivíduo. IV. d) a forma de acompanhamento e assistência. ou manifestação prévia da vontade da pessoa. sem penalização alguma e sem prejuízo ao seu cuidado.1 .Exige-se que o esclarecimento dos sujeitos se faça em linguagem acessível e que inclua necessariamente os seguintes aspectos: a) a justificativa. g) a garantia do sigilo que assegure a privacidade dos sujeitos quanto aos dados confidenciais envolvidos na pesquisa. especialmente estudantes. f) a liberdade do sujeito se recusar a participar ou retirar seu consentimento. sem quaisquer represálias. associações religiosas e semelhantes. internos em centros de readaptação. em qualquer fase da pesquisa. sendo uma retida pelo sujeito da pesquisa ou por seu representante legal e uma arquivada pelo pesquisador. presidiários. e cumprir as exigências do consentimento livre e esclarecido.Nos casos em que haja qualquer restrição à liberdade ou ao esclarecimento necessários para o adequado consentimento. portadores de perturbação ou doença mental e sujeitos em situação de substancial diminuição em suas capacidades de consentimento. c) nos casos em que seja impossível registrar o consentimento livre e esclarecido.respeito total à dignidade do ser humano sem mutilação ou violação do corpo.O termo de consentimento livre e esclarecido obedecerá aos seguintes requisitos: a) ser elaborado pelo pesquisador responsável. 3 TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO IV . estejam expostos a condicionamentos específicos ou à influência de autoridade. IV. b) ser aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa que referenda a investigação. os objetivos e os procedimentos que serão utilizados na pesquisa. deverá haver justificação clara da escolha dos sujeitos da pesquisa. c) os métodos alternativos existentes. sobre a metodologia. b) a liberdade do consentimento deverá ser particularmente garantida para aqueles sujeitos que. deve-se ainda observar: a) em pesquisas envolvendo crianças e adolescentes. h) as formas de ressarcimento das despesas decorrentes da participação na pesquisa. através dos representantes legais dos referidos sujeitos. no limite de sua capacidade. d) as pesquisas em pessoas com o diagnóstico de morte encefálica só podem ser realizadas desde que estejam preenchidas as seguintes condições: . assegurando-lhes a inteira liberdade de participar ou não da pesquisa. militares. tal fato deve ser devidamente documentado com explicação das causas da impossibilidade e parecer do Comitê de Ética em Pesquisa.2 .CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO . especificada no protocolo. e d) ser elaborado em duas vias. por todos e cada um dos sujeitos da pesquisa ou por seus representantes legais. . antes e durante o curso da pesquisa.

inclusive indígenas. novo e que não possa ser obtido de outra maneira.sem prejuízo para outros pacientes aguardando internação ou tratamento. .sem ônus econômico financeiro adicional à família. . deve-se contar com a anuência antecipada da comunidade através dos seus próprios líderes. tal fato deve ser devidamente explicitado e justificado pelo pesquisador e submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa. e) em comunidades culturalmente diferenciadas. f) quando o mérito da pesquisa depender de alguma restrição de informações aos sujeitos. esforços no sentido de obtenção do consentimento individual. Os dados obtidos a partir dos sujeitos da pesquisa não poderão ser usados para outros fins que os não previstos no protocolo e/ou no consentimento.possibilidade de obter conhecimento científico relevante. não se dispensando. . porém. 3 .

3 ANEXO 2 TRABALHO DE CONCLUSAO DO CURSO .

FATIN (nome da instituição é opcional) FACULDADE DE CURSO DE NOME DO AUTOR (TODAS EM MAIÚSCULAS) TÍTULO DO TRABALHO Subtítulo do Trabalho (se houver) Local . 3 Capa ou falsa folha de rosto (obrigatório) FACULDA DE TEOLOGIA INTEGRADA .

3 Ano .

como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação. (justificado sem recuo. Orientador: Nome do Orientador Co-orientador: Nome do co-orientador (se houver) Local Ano . 3 Folha de rosto (obrigatório) NOME DO AUTOR (TODAS EM MAIÚSCULAS) TÍTULO DO TRABALHO: Subtítulo Exemplo de nota de monografia: Trabalho de conclusão de curso de graduação apresentado à Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. inicio no meio da página).

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. 2000. 3 Errata (opcional) SOUZA. A educação no Brasil: uma análise do período de 1990 até 1999. Porto Alegre. ERRATA Folha Linha Onde se lê Leia-se 10 5 comunicacao comunicação . Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização)-Faculdade de Educação. 67 f. (justificado e sem espaçamento). 2000. José Castro de.

3 Folha de aprovação (opcional. Aprovada em _____ de ___________________ de ________. inicio no meio da página). (justificado sem recuo. como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação. pois nem todos os cursos da PUCRS solicitam essa folha de aprovação) NOME DO AUTOR (TODAS EM MAIÚSCULA) TÍTULO DO TRABALHO: Subtítulo Exemplo de nota de monografia: Trabalho de conclusão de curso de graduação apresentado à Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. BANCA EXAMINADORA: Nome do Professor __________________________________ Nome do Professor __________________________________ Nome do Professor __________________________________ .

3 Dedicatória (opcional) Dedicatória: Texto no qual o autor do trabalho oferece homenagem ou dedica o seu trabalho a alguém. .

Os agradecimentos devem ser colocados de forma hierárquica de importância e para trabalhos financiados com recursos de instituições (CAPES. CAPES. . CNPq. pesquisadores.) os agradecimentos são obrigatórios a essas instituições. orientadores. restringindo-se ao mínimo necessário. FINEP. empresas ou organizações que fizeram parte da pesquisa). 3 Agradecimentos (opcional) AGRADECIMENTOS Os agradecimentos devem ser dirigidos àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho. como instituições (CNPq. etc. ou pessoas (profissionais.). FAPERGS. etc. PUCRS.

seguido da indicação de autoria do mesmo. . 3 Epígrafe (opcional e sem título) Epígrafe: É um item onde o autor apresenta a citação de um texto que seja relacionado com o tema do trabalho.

3 (texto iniciando do meio da página alinhado a direita) Nome do autor da epígrafe .

Palavras-chave: separadas entre si por ponto e também finalizadas por ponto. Utilizar a terceira pessoa do singular.5 e conter de 150 a 500 palavras. os verbos na voz ativa e evitar o uso de símbolos e contrações que não sejam de uso corrente. . 3 Resumo na língua vernácula (obrigatório) RESUMO Deve ser digitado ou datilografado com espaçamento 1.

3 Resumo em língua estrangeira (obrigatório) TÍTULO DO RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA Títulos: em inglês abstract. . em francês résumé. em espanhol resumen. Todas as observações feitas para o resumo valem para o resumo em língua estrangeira. em italiano riassunto etc.

........... 3 Lista de ilustrações (opcional) LISTA DE ILUSTRAÇÕES Quadro 1: Comparativo de competitividade...............3 (Relação de cada ilustração de acordo com a ordem apresentada no texto........Praça Argentina.................... devendo incluir: palavra designativa............................................................................................................3 Gráfico 1: Acesso à internet 1999 – 2002......3 (Número da página onde a ilustração aparece no trabalho) ........... acompanhada do número de ocorrência no texto (em algarismos arábicos) e seu título.... Exemplo: Figura 3 ......

.......... 3 ..... 3 Lista de tabelas (opcional) LISTA DE TABELAS Tabela 1: Preços de alimentos em dólares de 1900-1952 a 1995-1997............ 2002........... todos em letras minúsculas..... acompanhada do número de ocorrência no texto (algarismos arábicos) e seu título e da legenda.... Exemplo: Tabela 5 ....Índices de inflação maio/jun. devendo apresentar: palavra designativa...3 (Relação de cada tabela de acordo com a ordem em que aparecem no texto....

– Informática . 3 Lista de abreviaturas (opcional) LISTA DE ABREVIATURAS Bibliot – Biblioteconomia Inform.

3 Lista de Siglas (opcional) LISTA DE SIGLAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas .

subcampo .radiano $ . 3 Lista de Símbolos (opcional) LISTA DE SÍMBOLOS Rad .

............ ......................................................... letras maiúsculas e outros..........................br/biblioteca/modelo............................................................................ 3 Sumário (obrigatório) SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO..............................3 REFERÊNCIAS......................................................................................................................................................................... Veja sobre sumário no site da Biblioteca Central http://www.............................htm)....................................................................3 2.............................................................................3 GLOSSÁRIO...............................................1Seção Terciária.................................................................3 APÊNDICE B........................1 SEÇÃO SECUNDÁRIA......3 2 CAPÍTULO 1......................3 ANEXO B.........................................................................................................................................................................3 3 CAPÍTULO 2................................................. como negrito........................................................................................................3 APÊNDICE A.....................................3 (sem recuo.... a subordinação dos itens deve ser destacada por diferenças tipográficas..................................................................3 2....................3 4 CONCLUSÃO...3 ANEXO A....................................1................pucrs......................................

htm ). O texto do trabalho deve ser escrito em estilo Normal. utiliza-se algarismos arábicos.br/biblioteca/modelo. sendo que. Veja sobre paginação no site da Biblioteca Central http://www.pucrs. 48 1 INTRODUÇÃO (importante: somente a partir da introdução numera-se as páginas do trabalho. a contagem das páginas inicia na folha de rosto. .

1 Seção Terciária Texto. 48 2 CAPÍTULO 2 Texto. 2.1 SEÇÃO SECUNDÁRIA Texto. .1. 2.

1 -68.7 110. p. 78) Gráfico 1: Acesso à internet 1999 – 2002 Fonte: Silva.6 159.3 -64.0 Fonte: Sen (2000. p. Exemplo de quadro PRINCIPAL ALTERNATIVAS DE SUPRIMENTOS EMPRESA FLEXIBILIDADE MATÉRIA-PRIMA PARA A PRINCIPAL MATÉRIA-PRIMA Disponibilidade de produto na 45% condensado Copesul Nafta Argentina e GLP Copene Nafta Alternativas Venezuela e Argélia Inexistente PQU Nafta Único fornecedor Inexistente Rio Polímeros Etano Único fornecedor Inexistente Baía Blanca Etano Projeto Mega / Única opção Inexistente Quadro 1: Comparativo de competitividade Fonte: Freire e Jardim (2000.0 119.3 -62.9 -66. 240).7 Arroz 789.7 282. 45) .2 Sorgo 328. Camargo Pires (2004. 48 3 CAPÍTULO 3 Exemplo de Tabela Tabela 1: Preços de alimentos em dólares de 1900-1952 a 1995-1997 VARIAÇÃO ALIMENTO 1950-1952 1995-1977 PERCENTUAL Trigo 427.2 Milho 372. p.

Não se utilizam aspas. da poupança que é capaz de gerar." (BAKHTIN. 23): "Os deveres da conduta do anestesiologista constituem predicados importantes quando se quer avaliar a qualidade do procedimento. 15) considera: O mercado financeiro permite que um agente econômico qualquer. com letra menor que do que a utilizada no texto. 48 Exemplos de Citações Citação direta: Citações diretas de até 3 linhas. Exemplo: Segundo Castro (2001. sem perspectivas de aplicação. 89). p. cujas perspectivas de investimento superam as respectivas disponibilidades de poupança. 1987. p. A indicação da fonte da citação pode estar inserida no texto ou após a citação." ou "A expressão 'furiosa' dessa estátua de que fala Rebelais. corresponde também à realidade. . A indicação da fonte da citação pode estar inserida no texto ou após a citação. devem iniciar e terminar por aspas duplas. substituí-las por aspas simples. seja colocado em contato com outro. Fortuna (1996. Citação Direta com mais de três linhas: Deve ser destacada com recuo de 4 cm da margem esquerda. Exemplo: Sobre mercado financeiro. Se o texto original já contiver aspas duplas. p. em algum empreendimento próprio.

a mesma deve aparecer apenas com a inicial maiúscula seguida de parênteses. . 350 p. com a data de publicação do documento. 48 Citação Indireta: Não se utilizam aspas para esse tipo de citação. Citação de Citação: A indicação da fonte é feita pelo sobrenome do autor da obra citada (não consultada).C. Alberto. ano. indica-se o sobrenome do autor da obra consultada. As fazendas agrícolas. Quando for citação direta incluir a(s) página(s) após a data de publicação. seguido do ano de publicação. e foi finalizada em 100 d. São Paulo: Ática. 1997). levando aproximadamente 1. com a morte do último apóstolo. 2000. Angela. Após. São João. precedida de vírgula. 2001). ou Em nota de rodapé: Indicação da Citação: Se a indicação da fonte da citação estiver incluída na frase. seguido da expressão latina apud ou citado por.150 anos para ser concluída (GHELLER. Exemplo no texto: citado por Segundo Marques e Ribeiro1 (2000 citados por OLIVEIRA. precedido por vírgula..000 a. precedida de vírgula. Quando for citação direta incluir a(s) página(s) após a data de publicação. 1 MARQUES. o Serviço de Atenção Médico-Sanitário da Suécia tem uma tradição de mais de cem anos.C. RIBEIRO. Exemplo: A bíblia começou a ser escrita no ano 1. nem a(s) página(s) de onde foi extraída a idéia.

. . com a entrada pelo título que inicia por artigo: O movimento social.. p. 24): "[. 52) destacam que: "No capitalismo não é a simples ausência do patrão que promove a superação do despotismo da divisão laboral.]" Exemplo com mais de três autores: Neste contexto. 2002).] no horizonte 2001/2010. com a entrada pelo título: Segundo o Guia de clareamento dental (1996... p. o esforço estratégico da PUCRS será centrado em sete áreas estratégicas [. p." Exemplo com autor institucional: De acordo com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001.. p. com o intuito de realizar uma transformação social." Exemplo com dois autores: Tonetto e Reck (2001. 134) destacam: "Este autoconhecimento pressupõe conhecer seus limites [." Exemplo sem autor(es). é uma das tarefas mais importantes da atualidades (O COOPERATIVISMO. Couto e outros (2004..]" Exemplo sem autor(es). 8): "A causa mais comum do escurecimento dental é o tratamento endodôntico realizado de modo inadequado e sem os cuidados técnicos. 36): "Se não houver mecanismos jurídicos que assegurem a proteção dos direitos humanos. esse valor não será concretizado pelo Poder Público.. p. 48 Exemplo com autor pessoal: Segundo Fonseca (2004...

pucrs.htm).br/biblioteca/modelo. . 48 (Outros exemplos consultar o site da Biblioteca Central da PUCRS http://www.

síntese. projeção. e partindo da análise destes resultados. tiram-se as conclusões e se for necessário. 48 4 CONCLUSÃO Onde se expõe o fechamento das idéias do estudo. as sugestões relativas ao estudo. encaminhamento e outros. . Observação: É opcional a apresentação dos desdobramentos relativos à importância. são apresentados os resultados da pesquisa. repercussão.

(Biblioteca Pioneira de Administração e Negócios). BLACKWELL. Tradução de: Business process reengineering. Jorge. et al. J. Rio de Janeiro: Record. D. 8. (mais exemplos no site da Biblioteca Central da PUCRS http://www. P.. . 24. v. São Paulo: Martins. R. MINIARD. 2000. Ciência da Informação.pucrs. 453 p. ______. ed. 48 Referências (obrigatório) REFERÊNCIAS ENGEL. Acesso em: 16 dez. PRADO. W.htm).. Recensões. A arena científica. n. 2003. AMADO. Processos de negócios: como criar sinergia entre a estratégia de mercado e a excelência operacional. Comportamento do consumidor.br/cionline/inicio. Henry J. 1995. 1991. Brasília. Geraldo. São Paulo: Pioneira. 2. Capitães de areia. 233 p. Disponível em:<http://www. 1995. 1958. Rio de Janeiro: LTC.ibict.htm>.br/biblioteca/modelo. Gabriela cravo e canela. JOHANSSON.

48 Glossário (opcional) GLOSSÁRIO Palavra – Significado da palavra .

APÊNDICE B – Análise dos relatórios mensais de uso do serviço de empréstimo domiciliar. . 48 Apêndice(s) (Este item é elaborado pelo próprio autor do trabalho e serve para complementar a sua argumentação. É um elemento opcional). APÊNDICES APÊNDICE A – Análise dos relatórios mensais de uso do serviço de renovação de empréstimos.

/dez. É um elemento opcional) ANEXOS ANEXO A . servem para fundamentação./set. 48 Anexos (Este item é constituído por documentos complementares ao texto do trabalho e que não são elaborados pelo autor do mesmo.Demonstrativo de frequência diária ago. 2002 .Demonstrativo de frequência diária jan. 2001 ANEXO B . comprovação e ilustração.

levantamento de dados ou coleta de informações. Antes. estudaremos a pesquisa e suas diversas classificações. também.  Específicos. 48 PROFESSORA: KELLY CRISTINA FERNANDES DA ROSA CURSO BACHAREL EM TEOLOGIA – INSTITUTO TEOLÓGICO KERIGMA – TURMA: CONVALIDAÇÃO PROGRAMA DA DISCIPLINA Disciplina: Metodologia da pesquisa. OBJETIVOS  Gerais: o Apresentar a pesquisa e suas diversas classificações para que o alunos possa decidir qual tipo de pesquisa irá escolher. Cada tipo de pesquisa tem um porquê e para cada tipo existem certas etapas específicas que devem ser seguidas. A pesquisa pode ser classificada segundo vários critérios. PERÍODO CONTEÚDO HORAS AULA . o Apropriar-se do desenvolvimento da pesquisa do aluno bacharel em teologia e inseri-la na temática bíblico-teológica. geralmente envolvendo experimentação e. o Conhecer os tipos de conhecimentos. Na parte da metodologia de qualquer projeto ou no relatório. Além disso. há o resultado do projeto: TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) a ser apresentado ao final do curso. além de orientar os caminhos pelos quais se deve seguir na pesquisa. bem como os métodos e técnicas de pesquisa e suas fundamentações. Carga horária: 10 H/A Data: 04/02/2017 EMENTA A pesquisa pode ser considerada como a aquisição de novos conhecimentos. porém. é essencial descrever que tipo de pesquisa que você fará (projeto) ou que já fez (relatório). atividades que poderiam ser denominadas de censo. o Analisar e conhecer pesquisas em andamento ou finalizadas. bem como os critérios que usará (projeto) ou já usou (relatório).

48 Pesquisa como condição do homem O desafio da universidade frente à pesquisa O que significa conhecer? Os tipos de conhecimento Matutino 05 H/A Métodos e técnicas de pesquisa Tipos de trabalhos acadêmicos Elementos constitutivos dos trabalhos acadêmicos Projeto de pesquisa Estrutura da monografia Classificação da pesquisa Classificação da pesquisa com relação ao objeto Pesquisa científica Pesquisa tecnológica (desenvolvimento experimental) Vespertino 05 H/A Classificação da pesquisa com relação à forma de abordagem Classificação da pesquisa quanto aos objetivos Classificação da pesquisa conforme os procedimentos técnicos METODOLOGIA Discussão de slides. textos. RECURSOS Sala de aula. quadro. computador e data-show. BIBLIOGRAFIA BÁSICA . documentários. filmes e seminários.

Cristiane Salvan et al. Metodologia científica. Mestra em Educação. e atual. Indaial: Uniasselvi. . André. Graduada em Letras. Especialista em Língua Portuguesa e Metodologia de Línguas Estrangeiras. Professora Efetiva da Rede Estadual de Santa Catarina. rev. http://www. Trabalhos acadêmicos na Unisul: apresentação gráfica. 2.pucrs. Bacharel em Teologia.br/biblioteca/modelo.htm MACHADO. Palhoça: Ed. ed. 48 BAZZANELLA. 2013. Unisul. 2013. Professor da Disciplina: Kelly Cristina Fernandes da Rosa.