Você está na página 1de 1

O Dia Internacional da Mulher

O que seria das poucas conquistas dessas mulheres se não fossem outras que foram
exploradas nas indústrias, mortas, silenciadas por um sistema capitalista opressor que
hoje, não se faz diferente. Se antes, as mulheres trabalhavam jornadas de pouco mais de
20 horas, atualmente, estas também vivem isso, diferentemente do que muitas não
acreditam, ainda são exploradas dentro de suas próprias casas. É tudo tão sutil, porque
desde crianças são ensinadas e por isso, adestradas a cuidar, proteger, servir, sem o
mínimo de questionamento. Neste dia tão importante, não penso que somente hoje
precisa ser discutido, lembrado, ovacionado como algo a se festejar. Não, muito ainda
precisa ser feito neste mundo para que as mulheres tenham os mesmos espaços que os
homens. Faz-se necessária muita luta para que ganhem o mesmo salário que o homem.
Não basta que elas tenham maiores anos de estudo, como afirmam as pesquisas, se essas
mulheres não são respeitadas pelas suas escolhas. Precisamos questionar a forma que
muitas são retratadas no meio televisivo, da publicidade e nos programas de humor em
geral. Há também de se pensar que essas mesmas mulheres, dentre algumas, não
aceitem que se brinque com os seus corpos, que não sejam vistas como mercadorias de
troca. O corpo da mulher não pode ser (re)tratado e aceito por muitas como objeto de
prazer e depósito de sêmen. Há muitos estupros físicos, morais, sociais, emocionais, a
que muitas assujeitadas e a sociedade faz de conta que não está acontecendo nada,
porque é no machismo, que o homem garanhão, provedor, competitivo, é ensinado
desde muito cedo a se comportar. Mais que comemorar o dia da mulher, precisamos
ensinar às nossas crianças, sobretudo, os meninos, a serem menos machistas. Um
homem machista foi uma criança ensinada a isso. Assim, compreendo que a mulher é
mais que isso – uma coisa para se consumir. Portanto, mulheres, cuidado com as
brincadeiras inofensivas que se instauram em relação a vocês (e que muitas vezes, há
um consentimento inconsciente quando sorriam), pois a nossa sociedade é machista
desde muitos séculos, e, para descontruir esse mito da mulher pronta e sedutora, precisa-
se entender que são mais na engrenagem social, não são somente um corpo, uma
maquiagem, um salto alto, um copo de cerveja, ou uma marca de bolsa, são seres
humanos que aspiram viver de forma digna e, por isso, respeitadas em suas diferenças
de cor, classe social, gênero. Feliz Dia Internacional da Mulher!
(texto Clodoaldo Fernandes. 08. mar.2016.)

Interesses relacionados