Você está na página 1de 6

COMO AVALIAR

:

1) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9 =
existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.

2) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a 18 =
existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa criança ou
adolescente.

O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se
fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.

IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o a tabela acima. O
diagnóstico só pode ser feito após entrevista com um profissional (psiquiatra ou
neurologista especializado).

Veja abaixo os demais critérios.

CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima)

CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.

CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos
diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).

CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos
sintomas.
CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental, psicose,
etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele.

TDAH é caracterizado por um padrão de redução da atenção sustentada e altos níveis
de impulsividade em crianças ou adolescentes para determinada idade e nível de
desenvolvimento.

No passado, pensava-se que a hiperatividade (agitação psicomotora) era um sintoma
menos importante, mas atualmente pensa-se que a hiperatividade têm à ver com o pobre
controle dos impulsos.

mas sem específico dano cerebral foram descritos como tendo DISFUNÇÃO CEREBRAL MÍNIMA. Para preencher os critérios de TDAH os sintomas devem estar presentes antes da idade de 7 anos. mas pode ocorrer dos comportamentos causarem prejuízo apenas depois de 7 anos na escola e outros lugares. outras hipóteses foram aventadas para explicar a origem do transtorno. Desde então. clientes e profissionais da área: No mundo da Lua. nenhum fator é etiologicamente relacionado ao transtorno de forma única e muitas variáveis ambientais estão ligadas à etiopatogênese da doença no modelo biopsicossocial. Impulsividade e hiperatividade compartilham uma mesma dimensão no diagnóstico atualmente. Há três tipos de predomínio atualmente: 1) Desatento 2) Hiperativo/Impulsivo 3) Misto de desatenção e hiperatividade. Nos anos 60. anfetaminas) provocava melhora dos sintomas. No início do século passado. dificuldade de aprendizado e labilidade emocional. . Livro que recomendo a leigos. metilfenidato. esquizofrenia ou outro transtorno psicótico (ex. crianças desinibidas. ou distúrbio. bipolar). como condição geneticamente causada. O diagnóstico é excluído se há um transtorno invasivo do desenvolvimento (autismo). impulsivas e hiperativas (muitas com dano cerebral causado por encefalite) eram agrupadas com a etiqueta de síndrome hiperativa. um gruo heterogêneo de crianças com pobre coordenação. uma vez que o uso de estimulantes (ritalina. Para ser considerado um transtorno mental. Atualmente. O transtorno tem sido identificado na literatura por muitos anos com uma variedade de nomes. os sintomas devem ser observados em pelo menos dois locais e interferirem com o desenvolvimento do funcionamento social adequado em atividades acadêmicas ou atividades extracurriculares.

Em casa. O exame do estado mental pode mostrar humor deprimido. agem impulsivamente. mostram labilidade emocional e são explosivos e irritáveis. DIAGNÓSTICO Os principais sintomas de desatenção. eles geralmente não obedecem aos pedidos dos pais. Na escola. segundo L. por exemplo em casa e na escola . as crianças hiperativas geralmente não seguem as regrase demandam atenção extra dos professores. Hiperatividade pode ser mais grave em algumas situações (por exemplo escola e menos marcadamente em outras (em entrevistas individuais) e podem ser menos observadas em atividades prazerosas (esportes). Augusto Rhode. impulsividade e hiperatividade são baseados em histórias detalhadas de um padrão de desenvolvimento precoce juntamente com a observação direta da criança.EPIDEMIOLOGIA 2 a 20% das crianças americanas foram consideradas com TDAH. No Brasil. O diagnóstico de TDAH requer prejuízo funcional em pelo menos dois locais. estima-se que uma criança em cada sala de aula tenha o problema (5% população escolar). ACHADOS CLINICOS . especialmente em situações que requerem atenção sustentada. História escolar e relato dos professores são importantes na avaliação das dificuldades de aprendizado das crinas – se são causados por dificuldade de manter a atenção ou dificuldade de compreensão do conteúdo. As crianças com predomínio de agitação psicomotora (hipercinesia)são geralmente mais encaminhadas para tratamento do que as apenas desatentas (por darem menos trabalho aos pais e professores). uma vez que a depressão é uma co-morbidade muito comum (a criança não consegue render na sala de aula e é criticada por colegas e pais). mas o afeto é adequado e o conteúdo do pensamento normal.

Crianças pré-escolares hiperativas são facilmente incomodadaspor estímulos pequenos como luz. mudam rapidamente de atividade.  dificuldade de perserveração e de terminar exames. mas respondem apenas às primeiras perguntas Eles podem ser incapazes de esperarem ser chamados na escola e podem responder antes dos outros na escola. déficits de aprendizado específicos. Geralmente têm labilidade emocional. Na maior parte das vezes os hiperativos são alertas. eles não conseguem ficar quietos por um minuto sequer.  falta de organização.  labilidade emocional. Consequentemente. Eles são mais agitados do que outras crianças e respondem mal aos ajustes ambientais e limites. As características mais citadas em ordem de freqüência são:  hipercinesia (agitação psicomotora). temperatura e outros estímulos ambientais.  impulsividade (agem antes de pensar.  coordenação geral deficitária. estas crianças têm baixa-estima. podendo ir das lágrimas às gargalhadas rapidamente.  prejuízo na percepção motora. O humor deles e sua performance são variáveis e imprevisíveis. barulho. Geralmente têm o humor explosivo ou irritável. pulam dentro da sala de aula).  déficit de atenção (distratibilidade. Na escola. curta memória de fixação. dormem pouco e gritam muito. crianças hiperativas podem terminar os exames rapidamente. déficits de memória e pensametno. Em casa. São mais susceptíveis a acidentes. . Impulsividade e incapacidade de agradecer são características.

CURSO E PROGNÓSTICO Em metade dos pacientes. Hiperatividade é o primeiro sintoma a remitir na idade adulta e a distratibilidade é o último. TRATAMENTO psicofarmacológico Estimulantes Ritalina (metilfenidato)-agonista dopaminérgico de 10 a 50 mg/dia. Problemas de aprendizado geralmente continuam durante a vida. 75% das crianças com TDAH mostram agressividade e transtorno desafiador opositor concomitantemente. eventos de vida negativos e co-morbidade com transtorno de conduta (F91). os sintomas persistem na vida a adulta. geralmente esta se dá entre os 12 e 20 anos. Em 40 a 50% dos casos. mas o risco de acidente e a impulsividade persistem. . com comportamento anti-social e têm tendência ao abuso de drogas(estatisticamente comprovado). Hiperatividade geralmente não desaparece durante a infância.eficaz em amis de 75% dos casos. depressão e transtornos de ansiedade. A família deve tentar reduzir a agressividade e evitar situações de conflitos graves em casa dentro do possível. A hipercinesia (agitação) pode remitir. A maioria dos pacientes apresentam remissão parcial e são vulneráveis ao comportamento anti-social. Quando ocorre a remissão.meia vida curta (3h) – Ritalina LA ou Concerta geralmente duram mais. abuso de substâncias e transtornos do humor.  fala e audição com alguns déficits e alterações neurológicas inespecíficas ao eletroencefalograma. Persistência dos sintomas é predita por uma história familiar do transtorno. A remissão é incomum antes dos 12 anos de idade. os sintomas persistem na idade adulta.

tofranil 3 a 5mg/kg/dia Clonidina 0.Tenth Edition.1mg três vezes ao dia Referência: Kaplan & Sacdock´s .Synopsis of Psychiatry . 2007 .Atomoxetina – Strattera (inibidor da recaptaçao de norepinefrina) – ainda não chegou no Brasil Bupropiona Venlafaxina Triciclicos – imipramina.