Você está na página 1de 1

1.

Método microbiológico para a extração de B5
O método oficial da AOAC para determinação de ácido pantotênico é o
microbiológico utilizando o Lactobacillus plantarum. Além deste microorganismo, pode-se
utilizar também o crescimento de Saccharomyces cervisae, Lactobacillus bulgaricus,
Lactobacillus casei, Proteus morgannii e Pediococcus acidilacti. Independente do
microorganismo utilizado, o método microbiológico de análise é pouco seletivo para amostras
complexas já que os microorganismos constituintes da matriz podem influenciar o
crescimento do microorganismo, além de ser demorado e trabalhoso (FOX, 1990; SONG,
1990; MITTERMAYR,2004).
Para análise microbiológica de ácido pantotênico, é realizada uma hidrólise
enzimática da amostra utilizando papaína e diastase. A amostra é solubilizada em solução
tampão pH 4,6 e as enzimas são adicionadas a esta solução, que é mantida por uma noite a
37oC. O extrato obtido é transferido para balão volumétrico de 250 mL e o volume
completado com água deionizada. Filtra-se a solução em papel de filtro plissado e recolhe-se
o filtrado em erlenmeyer.
Após a extração do ácido pantotênico, é diluída uma alíquota do extrato em 10 mL
de meio de cultura específico para determinação ácido pantotênico. São esterilizados os tubos
de ensaio contendo o meio de cultura e a alíquota da amostra em autoclave. Após a
esterilização, são inoculados os tubos de microrganismo Lactobacillus plantarum e incubados
a 37o C por uma noite. Com o crescimento do microrganismo devido à pre-sença da vitamina,
o meio de cultura torna-se turvo e a absorvância deste meio é lida em espectrofotômetro a
375nm.