Você está na página 1de 8

A  Crise  do  Sistema  Colonial  e  a  Emergência  das  Conjurações  

 
A. Conceito:    
Eric   Hobsbawm   classifica   o   século   XVIII   como   “A   Era   das   Revoluções”  
enfatizando   as   transformações   estruturais   que   a   burguesia   propunha   e   impunha   ao  
mundo   ocidental   do   período   e   os   movimentos   de   inconfidência   brasileiros   são   um  
reflexo   direto   deste   contexto.   Isso   porque   As   idéias   francesas   do   iluminismo  
influenciaram  alguns  brasileiros  na  leitura  de  seus  problemas  locais  e  na  leitura  de  sua  
relação   com   a   metrópole   levando-­‐os   a   projetar   a   em   diferentes   ocasiões   a  
independência  e  a  proclamação  da  republica  como  as  soluções  de  suas  vidas.    
 
B:  A  Conjuração  Mineira,  1789:    
Minas   Gerais   com   sua   população   urbana   e   letrada   foi   a   primeira   província   do  
Brasil  a  tentar  romper  os  vínculos  com  Portugal.  Anterior  a  Revolução  Francesa,  este  
movimento  não  foi  inspirado  ou  mesmo  influenciado  pela  queda  da  maior  monarquia  
européia,  porém,  suas  ligações  com  o  contexto  mundial,  como  veremos  a  seguir,  são  
indeléveis.  
 
B.1:  Motivações:  
Vários   fatores   internos   e   externos   levaram   ao   movimento   mineiro.   Dentre   os  
principais  enumeramos:  
ü Idéias   iluministas:   anti-­‐absolutismo,     constitucionalismo,   liberalismo  
econômico,   representatividade   dos   cidadãos   e   racionalismo,   eram   visões  
fundamentais   aos   projetos   inconfidentes   e   serviram-­‐lhe   de   base.   Vale  
ressaltar,   no   entanto,   que   não   houve   uma   importação   simples   destes  
princípios.  O  movimento  mineiro  nasceu  no  seio  da  mais  alta  elite  daquela  
sociedade   e   os   limites   das   transformações   sugeridas   “pelos   franceses”  
respeitavam  os  interesses  desse  grupo  como  limite.  
ü Independência   dos   Estados   Unidos:   o   sucesso   das   13   Colônias   serviu   de  
exemplo   aos   inconfidentes   que   perceberam   a   viabilidade   do   sucesso  
republicano   através   da   América   do   Norte.   Vale   lembrar,   inclusive,   que  
alguns   mineiros   incentivaram   José   Joaquim   da   Maia   a   entrar   em   contato  
com  Thomas  Jefferson  em  Paris  para  que  o  seu  país  apoiasse  o  nascimento  
da  nova  república.  
ü Opressão   pombalina   (1750   –   1777):   em   meio   a   decadência   da   atividade  
mineradora,   o   Marquês   de   Pombal   implantou   uma   série   de   medidas  
coercitivas  com  o  intuito  de  aumentar  a  arrecadação  de  impostos.  Tais  atos,  
sem   sombra   de   dúvida,   foram   os   principais   motivadores   para   que   as  
sociedades  maçônicas  mobilizassem  seus  membros  e  pusessem  em  prática  
o   projeto   republicano.   O   fato   de   a   eclosão   do   movimento   estar   marcada  
para  o  dia  do  recolhimento  da  derrama  é  muito  elucidativa  sobre  a  questão.  

 o  novo   regime  priorizaria  o  industrialismo  ao  mesmo  tempo  em  que  eliminaria  os   monopólios.   constituir-­‐se-­‐ia   em   uma   movimento  DA  ELITE  PARA  A  ELITE  e.  o  movimento  elitista  não  elaborou  em  seus  primeiros  escritos  um   projeto  que  popularizasse  o  ensino.   ü Industrialismo:  consonante  com  os  ditames  da  economia  européia.3:  Objetivos:   A  constituição  majoritariamente  elitista    da  Inconfidência  –  como  não  poderia   deixar  de  ser  –  circunscreveu  seus  objetivos  limitando-­‐os  à  esfera  econômica  e  política.   conseqüentemente.  apenas    os  proprietários  votariam.  em  contra-­‐ partida.   Maria   I:   a   proibição   da   produção   de   manufaturas   por   determinação  da  rainha  pioraria  ainda  mais  a  situação  econômica  mineira  e   serviu  de  mais  um  motivador  à  expansão  dos  ideais  liberais.   por   sua   vez.   ü Regime  eleitoral  censitário:  a  perspectiva  rousseauneana  era  minoritária  e.     B.   O   ideário   abolicionista   nunca   passou     de   um   ponto   de   vista   minoritário   porque   a   elite   escravocrata   via   no   cativo   o   sustentáculo   de   seus   privilégios   e   desses   ela   não   queria   abrir   mão.  a  massa   dos  trabalhadores  foi  marginalizada  do  processo  de  elaboração  do  Brasil.   ü Criação   da   Universidade   de   Vila   Rica:   o   racionalismo   iluminista   fazia   com   que  fosse  urgente  a  criação  da  primeira  universidade  brasileira.  O  ponto  de  interseção  entre  estes  dois  grupos     foram  as  lojas  maçônicas  por  onde  circulavam  os  livros  de  Rousseau.  como  ocorria  desde  a  década  de  1530.2:  Constituição  do  Movimento:     Dois   extratos   sociais   faziam-­‐se   presentes   na   organização   da   Inconfidência.     B.   A   Inconfidência. ü Alvará   de   D.   A   grande   ausência   nesses   planos   iniciais   é   a   abolição   da   escravidão.   assim.   via   na   república   a   possibilidade  de  ascensão  política  e  social  encontrado-­‐se  mais  consonante  com  o  que   era  o  liberalismo  europeu  do  período.     B.   A   classe   média.  Montesquieu  e   Diderot   –   muitas   vezes   trazidos   por   padres   que   se   aproveitavam   de   seu   status   para   burlar  o  controle  dos  funcionários  do  governo  português.   A   mais   alta   elite   mineradora   encontrava-­‐se   em   decadência   e   achava   um   fardo   pesado   demais   a   opressão   fiscal   metropolitana.  4  O  fracasso:   .  Vejamos:   ü O  movimento  –  como  todos  que  antecederam  ao    de  Independência  –  tinha   caráter   local   e   buscava   a   proclamação   de   uma   república   a   partir   das   províncias   de   Minas   Gerais   e   Rio   de   Janeiro   com   capital   em   São   João   Del   Rei.   o  aspecto  das  transformações  sociais  ficaram  em  segundo  plano.   Anteriormente   falávamos   dos   limites   do   liberalismo   brasileiro   e   agora   encontramos   seu   exemplo   mais   claro.

 além  de  monopolizarem   as   melhores   terras.  Conjuração  Baiana.   Depois   de   presos   os   “envolvidos”.   panfletos   espalhados   pela   cidade   de   Salvador   davam   início   ao  movimento  de  cunho  popular  que  tentava  criar  uma  república  ao  estilo  jacobino  na   Bahia.   O   desabastecimento   do   mercado   interno   e   a   fome   nas   classes   populares   assim.  a  conjuração  apoiou-­‐se  na  Revolução   Francesa   em   seu   período   jacobino   e   por   isso.   Foi   exatamente   nisto   que   consistiu   o   movimento   hora   estudado.  ocorreu  no   Rio  de  Janeiro  um  movimento  de  menor  monta.   ü Diminuição   das   desigualdades   sociais:   As   idéias   iluministas   apareciam   neste   movimento   com   uma   roupagem   singular.   além   dos   dois   propósitos   . O  desenlace  final  do  movimento  será  analisado  a  partir  de  dois  dos  seus  ícones:   Joaquim  Silvério  dos  Reis  e  Tiradentes.   o   traidor   que   denunciara   os   planos   dos   revoltosos   ao   governador   em   troca   do   perdão   de   suas   dividas   tributarias.  1798:   D.   destinavam-­‐se   ao   mercado   externo.   Tanto  é  verdade.   principalmente   em   Salvador   –   região   urbana   e   de  grande  densidade  demográfica.   constituiu-­‐se   em   uma   verdadeira  revolução  social.  A  relevância   desse   acontecimento   não   esta   em   seus   planos   militares   ou   políticos   –   tanto   estes   quanto  aqueles  nem  existiam  –  mas  sim  na  vontade  cada  vez  maior  de  se  ler  e  discutir   os   filósofos   iluministas   no   Brasil   Colônia.   que   a   conquista   da   liberdade   pelos   cariocas   não   significou   um   fracasso   para   Portugal.     C.  que  podemos  classificar  a  ação  real  como  medida  profilática.   assim.  a  Inconfidência  Carioca.   ajuda-­‐nos  a  entender  o  fracasso  da  Inconfidência.   eram   regra   na   região.  a  Sociedades  Literária  nunca  mais  seria  a  mesma.1.   Silvério   dos   Reis   .  Sua  figura  marca   o   pequeno   idealismo   desse   grupo   e   sua   falta   de   coesão   interna.   dois   anos   de   processo   –   chamado   à   época   “devassa”-­‐  foram  necessários  para  provar  apenas  a  posse  de  “livros  proibidos”.  Depois   da   queima   dos   “focos   de   insubordinação”   houve   a   soltura   dos   literatos.     D.  Entre  elas  destacamos:   ü Fome  cíclica:  as  plantations  de  da  cana-­‐de-­‐açúcar.   Vale   enfatizar.  Motivações:   Em   agosto   de   1798.   em  sua  maioria  soldados  e  alfaiates.   é   um   ícone   porque   represnta  as  motivações  da  elite  mineira  para  entrar  no  movimento.   Assim.   ü Abolição  da  escravidão  e  preconceito  racial:  liderada  por  negros  e  mulatos.  1794  -­‐5:    Entre  as  muito  estudadas  inconfidências  de  Minas  Gerais    e  Bahia. Conjuração  Carioca.   no   entanto.   O   “Traidor”.   As   principais   motivações   para   levar   o   projeto   a   frente   eram   essencialmente   sociais  –  diferentemente  do  que  vimos  em  Minas  Gerais.   em   reuniões   ocorridas   na   SOCIEDADE   LITERÁRIA   onde   discutia-­‐se  a  viabilidade  aplicativa  dos  “tenebrosos  princípios  franceses”.   Depois   de   dois   anos   sem   reuniões   e   tendo   seus   integrantes   sob   intensa   pressão.

  o   que   facilitou   em   muito   a   organização   da   repressão   ao   movimento.     D.   Apesar   de   diferentes   grupos   sociais   estarem   representados   entre   os   presos.   inclusive.   § Constituição  social  de  Salvador:  a  antiga  sede  do  governo  geral  e  principal   pólo  urbano  do  Nordeste  possuía  grande  numero  de  agentes  da  metrópole   em   sua   região.   fizeram  com  que  poucos  populares  soubessem  com  antecedência  do  estava   sendo  planejado.   ajudaram  na  repressão  portuguesa.   As   prisões   foram   muitas   e   extenderam-­‐se   até   o   ano   seguinte. do  parágrafo  anterior.  Objetivos:   Os  principais  objetivos  dos  conjurados  eram:   ü abolição  da  escravidão     ü fim  dos  preconceitos  sócio-­‐raciais   ü República  com  voto  universal  na  província  baiana   ü Fim  dos  monopólios  comerciais     D.3.2.  Três  foram  os  motivos  básicos  do  fracasso  deste  movimento:   § Resistência   da   elite   local:   os   projetos   constantes   da   pauta   de   reivindicações   dos   conjurados   afastaram   a   elite   do   movimento.4.   A   ação   continua   da   metrópole   –   comum   às   colônias   de   exploração   –   somada   ao   baixo   grau   de   alfabetização   dos   teoricamente   tendenciosos   a   aderir   ao   movimento.   O   sucesso   metropolitano   significou   o   início   da   repressão   .  apareciam  como  principais   que  ajudariam  a  criar  na  Bahia  uma  sociedade  menos  desigual.  o  aumento  do  soldo  dos  soldados  e  a  diminuição  dos   impostos  dos  produtos  de  primeira  necessidade.  a  Conjuração  dos  Alfaiates   nasceu   de   uma   sociedade   secreta   liderada   por   Cipriano   Barata   chamada   Cavaleiros   da   Luz.   Porém.   as   classes   mais   abastadas   da   região.  foram  as  lideranças  não-­‐brancas  que  deram  ao  movimento  o  caráter  popular   retratados  em  seus  objetivos  enumerados  a  seguir.  Foram  os  representantes  dos  setores  médios  urbanos  pertencentes  a  este  grupo   que   traduziam   os   livros   iluministas   e   permitiram   sua   disseminação.   § Desorganização:   o   movimento   não   pôde   ser   bem   estruturado.Constituição  do  Movimento:   Apesar  de  sua  liderança  ser  essencialmente  popular.   .     D.   na   há   duvidas.   Mesmo   sendo   prejudicada   pela   política   metropolitana.   somente   os   não-­‐brancos   foram   mortos   e   esquartejados  pelo  poder  policial  português  que  mantinha  sua  política  de  explicitação   do  suplício.  Fracasso:     Apesar  do  apelo  popular  de  suas  propostas  o  movimento  baiano  foi  reprimido   com  facilidade.   além   das   próprias   características   particulares   da   escravidão.

 grandes  transformações.   já   em   sua   primeira  década.                                                                               .  as  tentativas  colonias  que  tentavam  dar  novas  feições  ao  Brasil  no   século   XVIII   fracassaram. Sendo  assim.  Esse  será  nosso  próximo  assunto.   o   século   XIX   chegaria   trazendo.   Porém.

 II  e  III  estiverem  corretas.   (   )   Apenas   dois   movimentos   de   caráter   separatista   ocorreram   no   período   colonial:   a   Inconfidência  Mineira  e  a  Revolução  de  1817.   a   que   marcou   o   início   do   processo   de   emancipação   política  no  Brasil.   Assinale:   a)  se  apenas  a  afirmativa  II  estiver  correta.  ocorrida  em  Pernambuco.   II  -­‐  visavam  à  emancipação  política  do  Brasil.  Sobre  este  tema  analise  as  afirmações  que  seguem.   e)  se  todas  as  afirmativas  estiverem  corretas.  abortado  em  1789.   (   )   A   separação   da   capitania   de   Minas   Gerais   do   reino   de   Portugal   foi   um   plano   dos   revoltosos  do  movimento  insurrecional  mineiro.   d)  Inconfidência  Mineira.  por  questionar  a  dominação  metropolitana  na  colônia.   (  )  Os  cavaleiros  da  Luz.  a  Revolução  dos  Alfaiates.  como  eram  chamados  os  componentes  da  sociedade  maçônica   baiana.   b)  se  apenas  as  afirmativas  I  e  IV  estiverem  corretas.   c)  se  apenas  as  afirmativas  III  e  IV  estiverem  corretas.  no  Rio  de  Janeiro.Exercícios     1)  Movimentos  políticos  de  caráter  separatista  ocorreram  no  Brasil  nos  séculos  XVIII  e   XIX.  apoiaram  a  Conjuração  Baiana  e  a  proclamação  da  República  em  1798.   c)  Guerra  dos  Emboabas.   particularmente   desde  a  queda  do  Marquês  de  Pombal.   IV   -­‐   expressavam   insatisfações   em   face   da   política   metropolitana.   b)  Guerra  dos  Mascates.   e)  Confederação  do  Equador.       3)    A  Conjuração  Mineira  (1789)  e  a  Conjuração  Baiana  (1798)  possuem  em  comum  o   fato  de  terem  sido  movimentos  que:   I  -­‐  evidenciaram  a  crise  do  Antigo  Sistema  Colonial.   .   d)  se  apenas  as  afirmativas  I  .  e  do   movimento  pró-­‐independência  surgiu.   (  )  Da  insatisfação  dos  artesãos.  foi  a:     a)  Revolta  de  Beckman.   III  -­‐  apresentavam  forte  caráter  popular.     Questões  objetivas:   2)   Dentre   as   rebeliões   coloniais.  proibidos  de  construir  suas  próprias  manufaturas.

  que.   que   não   assumiu  um  caráter  anticolonialista.   que   lutava   pela   permanência   do   sistema   escravista.   c)   foi   um   movimento   liderado   por   intelectuais   e   escravos.   que   contou   com   pouca   mobilização  popular  sobretudo  das  populações  de  cor.   d)   foi   um   movimento   contra   as   taxações   excessivas   sobre   o   fumo   e   o   açúcar.   e)   foi   uma   revolta   liderada   pela   elite   baiana.   com   maior   presença   das   camadas   populares.   entre   outros  objetivos.  mas  sem  planos  de  revolta.  ocorrida  em  1798.  é  CORRETO  afirmar  que   a)   foi   uma   revolta   liderada   pelos   senhores   de   escravos.  pretendia  acabar  com  a  escravidão  e  fundar  uma  república  democrática.   b)   foi   uma   revolta   anticolonial.     4)  Sobre  a  Conjuração  Baiana.                                         .   comprometido   com   a   luta   anticolonial.

                Gabarito:   1:  F.V   2:  D   3:  B   4:  B   .V.F.