Você está na página 1de 9

Capítulo 5 2017

Engº Paulo J. Conselho, MSc

5. O ENGENHEIRO E SEUS ATRIBUTOS

Para este tema serão abordados os seguintes assuntos:

Funções do Engenheiro.

Engenheiro e o técnico.

Qualidades do profissional.

Atributos do Engenheiro.

Conhecimentos objectivos.

Ciências físicas.

Tecnologia.

Outros conhecimentos.

Habilitações do engenheiro.

Atitude Profissional.

Aperfeiçoamento continuo.

5.1. FUNÇÕES DO ENGENHEIRO

O Engenheiro pode desempenhar inúmeras funções. De uma maneira geral, quanto à


forma do seu trabalho, pode se dizer que ele actua como:

 Autónomo;

 Empregado;

 Empresário.

Introdução à Engenharia Página 1


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

 O Autónomo é aquele que tem maior independência de decisão sobre a sua profissão
estabelecendo os seus honorários e condições de trabalho, actuando geralmente em escritório
próprio.

Fig.1

 O Empregado trabalha directamente para uma empresa, com a qual mantém um


contrato de trabalho estabelecendo um vínculo mais duradoiro, prestando serviços técnicos
permanentes.

Fig.2

 O Engenheiro Empresário é o empreendedor, que estabelece alguma empresa e contrata


outros profissionais, com vínculo trabalhista, para operá-la.

Fig.3

Introdução à Engenharia Página 2


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

O Engenheiro desempenha as suas funções em vários locais tais como: empresas


privadas, órgãos públicos, estabelecimentos financeiros, etc.
Nas suas actividades, os engenheiros desempenham tarefas que vão desde a pesquisa
básica (onde aplicam muitos princípios científicos e poucos conceitos de administração e
finanças), até a administração (onde, a prioridade aplicam pouco os fundamentos científicos e
bastante os conceitos de administração, gerência e finanças).
Espectro de algumas funções que o Engenheiro exerce no mercado de trabalho;
pesquisa básica, pesquisa aplicada, ensino, desenvolvimento, projecto, construção,
produção, operação, teste, manutenção, consultoria, vistoria, vendas, administração, etc.

5.2. O ENGENHEIRO E O TÉCNICO

Um aspecto que tem preocupado o profissional recém-formado, e o estudante estagiário, é a


hipotética confrontação que se estabelece entre seus conhecimentos e os dos técnicos experientes. É
natural que esses técnicos, que já trabalham há muitos anos, dominem com segurança vários detalhes dos
processos de fabricação, dos sistemas e dos produtos da empresa. Este facto, deixa perplexos os jovens
engenheiros e estagiários, que começam a duvidar dos seus próprios conhecimentos adquiridos na escola.
Falou-se em “HIPOTETICO CONFRONTO” porque na verdade, ele não existe.

Fig.4

Em 1º lugar porque os conhecimentos ensinados num curso superior dizem respeito muito mais á
formação teórica do que à prática. È natural que um recém-formado, que ainda não tem experiência
prática, desconheça detalhes técnicos de sistemas de produção e outros aspectos do quotidiano da
engenharia. E nem poderia ser diferente, pois a função da escola não é apenas informativa; é
primordialmente, formativa.

Em segundo lugar ,deve-se alertar para o facto de que com os embasamentos teóricos e conceituais
adquiridos num curso superior, em poucos anos o profissional terá plenas condições de dominar grande
parte dos conhecimentos técnicos do dia a dia da engenharia e, além disso, ampliar os seus conhecimentos
teóricos. Vejamos isso esquematicamente.
Introdução à Engenharia Página 3
Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

Gráfico - 6.1

5.3 QUALIDADES DO PROFISSIONAL


As principais armas que o engenheiro tem, indubitavelmente, são sua formação básica e seu
raciocínio analítico. Estas características são muito procuradas no mercado de trabalho; por isso,
devem sempre estar sendo aperfeiçoadas através, principalmente, do estudo continuado.

Fig.5
Porém a competência profissional não se encerra no conhecimento específico do campo técnico.
Ao contrário, estende-se pelos campos da economia, da psicologia, da sociologia, da ecologia, do
relacionamento pessoal e de muitos outros que sem dúvida, auxiliarão na análise de
diversificados problemas. Não se quer afirmar com isso que o engenheiro deva dominar todos
campos de conhecimentos. Porém, uma mínima noção sobre diversos assuntos é recomendável
para a formulação completa de vários problemas, e para a procura de soluções. Devemos
algumas qualidades que um engenheiro deve ter:

Introdução à Engenharia Página 4


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

5.4. OS ATRIBUTOS DO ENGENHEIRO


Os Atributos do Engenheiro classificam-se em quarto grandes categorias:

 Conhecimentos objectivos adquiridos;


 As habilitações que possui;
 A atitude profissional;
 Capacidade de aperfeiçoar-se continuamente.

5.4.1.Conhecimentos objectivos
 Ciências físicas;
 Tecnologia;
 Outros conhecimentos.

5.4.1.1. Ciências físicas

No conhecimento de ciências físicas o profissional deverá conhecer os fundamentos da mecânica, da


estrutura da matéria, do comportamento dos fluidos, da conversão de energia e de muitos outros aspectos
do mundo físico. As ciências físicas constituem realmente os alicerces de um engenheiro.

5.4.1.2. Tecnologia

Ciências físicas aplicadas;


Conhecimentos empíricos sistematizados.

Ciências físicas aplicadas é o conjunto de conhecimentos relativos a “onde” e “como” utilizar os


princípios científicos, o que é necessário algo mais do que simples noções básicas.

Exemplo: Para diagnosticar e tratar correctamente as enfermidades, não basta o médico conhecer os
princípios fundamentais da fisiologia e da química, pois para além de cursar uma faculdade, ele deve
servir como interno em um hospital, já daqui aprenderá a aplicar os conhecimentos básicos
adquiridos.

Exemplo: Ciência aplicada é a análise de circuitos eléctricos, em que se aplicam conhecimentos


fundamentais dos fenómenos eléctricos (carga, ondas elecromagnéticas, fluxo de electrões, etc.).
Outras ciências aplicadas são ministradas sob as denominações de termodinâmica, resistência dos
materiais, mecânica dos fluídos e tantas mais.

Introdução à Engenharia Página 5


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

Conhecimentos Empíricos Sistematizados

Relativos ao projecto de dispositivos, estruturas e processos, o que pode ser considerado como
“experiêcia transmitida”.

Empírico é aquilo que se fundamenta exclusivamente na experiência, sem depender de noções


científicas.

5.4.1.3. Outros conhecimentos

 Sociologia
 Economia
 Psicologia
 Filosofia

N.B. O engenheiro deverá conciliar entre os fundamentos das ciências físicas e suas aplicações na
engenharia, assim como saber conciliar os princípos científicos com a experiência, discernimento e
engenho.

5.4.2. Habilitações do engenheiro


Para além de outros conhecimentos como a matemática, física, química; o engenheiro deve saber:

Comunicação - exprimir-se em linguagem clara e concisa. Pode ser escrita ou oral.


Capacidade de trabalhar eficazmente - com outras pessoas (grupo).
Faculdade de raciocínio - (capacidade de pensar)
Capacidade inventiva ou engenho - (gênio, talento, invenção)
Conclusões inteligentes - distinguir as possíveis fontes de erro; acabar com incertezas.
Simulação - experiências efectuadas em condições diferentes da realidade (modelo de avião
projectado)
Mensuração - ensaio de medidas.
Representação gráfica - o engenheiro deve saber trabalhar e interpretar graficamente os dados.

5.4.3. Atitude profissional


O engenheiro caracteriza-se pela dúvida sistemática em relação ao “como” e ao “porquê” da coisas,
a qual o conduz a muitas informações úteis e ideais profíquas.

Objectividade- é característica da atitude dum engenheiro na execusão de um projecto.

Introdução à Engenharia Página 6


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

A ética- observada pelo engenheiro no desempenho de suas funções é de extrema


relevância.(perante a sociedade)
Persistência- para levar a sua solução ao bom êxito final
Desejo de acompanhar o desempenho da solução- para assim auferir experiência
Disposição de manter-se- a par dos melhores métodos e dos mais recentes aperfeiçoamentos e de
utilizá-los sempre que é possível.
Sentimento de responsabilidade- para os seus colegas, que se traduz por esforços no sentido de
elevar o nível do seu grupo profissional e por colaboração pelo intercâmbio de informações não
confidenciais.
Discrição quanto aos conhecimentos- (idéias, processos confidenciais e técnicas próprias) que
possam proporcionar o seu empregador ou cliente uma vantagem na concorrência.
Anseio de contribuir para melhorar as condições- da humanidade, por intercâmbio de suas
criações.

5.4.4. Aperfeiçoamento contínuo

O diploma do engenheiro marca o fim do princípio, pois, os cursos de engenheria destinam-se tão
somente a assegurar uma firme arrancada para um longo processo de desenvolvimento.

 Aperfeiçoamento dos conhecimentos deverão continuar (ler revistas técnicas, publicações,


internet, conferência das associações profissionais e os cursos de pós-graduação).

N.B. Este é o esquema representativo do processo pelo qual os atributos do engenheiro que são
aplicados à solução de problemas.

Introdução à Engenharia Página 7


Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

5.4.5. ESQUEMA DOS ATRIBUTOS DO ENGENHEIRO

Conhecimentos Habilitações que Atitude Capacidade de


possui professional aperfeiçoamen- -
objectivos
to contínuo
adquiridos

Ciências Mensuração Objectividade


físicas

Simulação Representaç Dúvida


ão gráfica sistemática
Tecnologia

Matemática Conclusões ética


Outros inteligentes
conhecimentos Insenção de
Experimentação
preconceitos

Insastifação
Capacidade de trabalhar
conva
eficientemente em
colaboração com outros Sensibilidade para as
necessidades
Capacidade de
comunicação

Reúnem-se e aplicam-se pelo


processo denominado “projecto”

A solução de problemas de engenharia


Esquema-1
Introdução à Engenharia Página 8
Capítulo 5 2017
Engº Paulo J. Conselho, MSc

DOCENTE:

Eng0 Paulo J. Conselho, MSc- Regente

Introdução à Engenharia Página 9