Você está na página 1de 8

resumo físico-química

pressão
 A pressão é a força aplicada por unidade de área.

 É uma grandeza escalar.

 Depende da intensidade da força exercida e da área de contacto


onde essa força actua.

 Como varia a pressão?


o Quanto maior (+) for a área de contacto, menor (-) é a pressão.
o Quanto menor (-) for a área de contacto, maior (+) é a pressão.
o Quanto maior (+) for a força exercida, maior (+) é a pressão.
o Quanto menor (-) for a força exercida, menor (-) é a pressão.

 Pressão (p) e força exercida (F) são directamente proporcionais.


Área de contacto (A) é inversamente proporcional a estas duas.

 p= F
A
 F=pxA
 A= F
p

Nomes Nomes (sigla) Unidades SI Unidades SI (sigla)


Pressão p Pascal N / m2 = Pa
Força exercida F Newton N
Área de contacto A Metro quadrado m2
impulsão
 A impulsão corresponde ao peso do volume de fluido deslocado pelo
corpo. É uma grandeza vectorial.

 Características do vector I (impulsão)


o Direcção: vertical
o Sentido: de baixo para cima
o Ponto de aplicação: no corpo
o Intensidade: (valor da impulsão)

 Lei de Arquimedes: todo o corpo mergulhado num fluido (líquido ou


gás) fica sujeito a uma força vertical, com sentido de baixo para cima,
cuja intensidade é igual ao valor do peso do volume de fluido
deslocado pelo corpo.

 Peso real: peso que um corpo realmente pesa.

 Peso aparente: peso que um corpo parece ter quando mergulhado


num fluido (menor do que o peso real).

 I = Pr – Pa Pr = I + Pa Pa = Pr – I

 Conforme a intensidade do peso real e da impulsão, podem


acontecer três situações:
o Se o peso real do corpo for maior do que a impulsão (P > I), o
corpo afunda-se.
o Se o peso real do corpo for igual à impulsão (P = I), o corpo fica
em equilíbrio no interior do fluido.
o Se o peso real do corpo for menor do que a impulsão (P < I), o
corpo flutua.
Nomes Nomes (sigla) Unidades SI Unidades SI (sigla)
Impulsão I Newton N
Peso real Pr Newton N
Peso aparente Pa Newton N

 Como varia a impulsão?


o Quanto maior (+) for a densidade ou massa volúmica do fluido,
maior (+) é a impulsão.
o Quanto maior (+) for o volume imerso do corpo, maior (+) a
impulsão.
circuitos eléctricos

 Os circuitos eléctricos são caminhos próprios por onde passa a corrente


eléctrica.

 Tal como num circuito de Fórmula 1, a corrente eléctrica também


circula num circuito fechado.

 A corrente eléctrica só pode circular e manifestar os seus efeitos se o


circuito estiver fechado (com o interruptor ligado).

 Um circuito eléctrico é constituído por um conjunto de componentes


ligados entre si de forma a poderem ser atravessados por uma
corrente eléctrica. Inclui sempre:
o Uma fonte de energia eléctrica (ex: pilha)
o Receptor(es) de energia elécrica (ex: lâmpada)
o Interruptor(es)
o Fios de ligação

 Componentes de um circuito eléctrico e respectiva simbologia:


 Circuitos eléctricos em série:
o Neste tipo de associação, as lâmpadas (ou
outros receptores) ligam-se umas a seguir às
outras, de modo a que a corrente eléctrica só
tenha um caminho possível.
o Se um interruptor for desligado ou se uma das lâmpadas
fundir, as outras não acendem, porque o circuito foi interrompido.
o I = intensidade de corrente (unidade SI – Ampere – A)
o I = I1 = I2
o Brilho L1 = Brilho L2
o U = diferença de potencial – d.d.p. (unidade SI – Volt – V)
o U = U1 + U2
o U = U3

 Circuitos eléctricos em paralelo:


o Neste tipoo de associação, as lâmpadas (ou
outros receptores) estão instaladas no circuito
em ramos diferentes, existindo assim mais do
que um caminho para a passagem da corrente
eléctrica.
o Se um dos trajectos estives “impedido”, a
corrente elécrica circula pelos outros, o que é uma vantagem.
o I = intensidade de corrente (unidade SI – Ampere – A)
o I = I1 + I2
o Brilho na associação em paralelo é menos do que na
associação em série. Relaciona-se com a intensidade de corrente.
o U = diferença de potencial – d.d.p. (unidade SI – Volt – V)
o U = U1 = U2 = U3
 Diferença de potencial eléctrico (d.d.p.):
o Sabemos que um corpo se encontra normalmente no estado
neutro, embora possa também estar carregado negativa ou
positivamente, conforme tenha adquirido ou perdido electrões. Em
qualquer uma das situações diz-se que o corpo se encontra a um
determinado potencial eléctrico.
o Num circuito eléctrico, a fonte de energia ou o gerador eléctrico
mantém uma diferença de potencial entre os seus terminais,
permitindo a existência de uma corente eléctrica.
o A diferença de potencial mede-se com voltímetros, que são
intercalados num circuito, sempre em paralelo, com a fonte ou o
receptor de energia cuja diferença de potencial se quer medir.

 Intensidade da corrente eléctrica (I):


o A intensidade de corrente eléctrica é a quantidade de carga
eléctrica que passa numa secção do circuito, por unidade de
tempo.
o A intensidade de corrente eléctrica mede-se com amperímetros,
que são ligados em série num circuito. Nunca podem ser ligados
directamente a uma pilha ou a outro gerador de corrente, sem se
colocar um receptor no circuito.

 Múltiplos e submúltiplos:

Múltiplos Submúltiplos
Quilo K 103 Mili m 10-3
Mega M 106 Micro µ 10-6
Giga G 109 Nano n 10-9
Tera T 1012 Pico p 10-12
Peta P 1015 Fento f 10-15
 Resistência eléctrica (R):

o Há materiais que oferecem maior resistência (oposição) à


passagem da corrente eléctrica do que outros.
o Os metais são dos melhores condutores da corrente eléctrica ,
pois a sua resistência à passagem da corrente eléctrica é
pequena.
o O vidro, o plástico, a madeira e a borracha são dos piores
condutores da corrente eléctrica, pois a sua resistência à
passagem da corrente eléctrica é elevada.
o A resistência eléctrica de um condutor, a uma dada
temperatura, é uma grandeza física que mede a oposição que o
condutor oferece à passagem da corrente eléctrica.
o É representada simbolicamente por R e a unidade do SI em que
se exprime e o Ohm (Ω ).
o A resistência de um condutor mede-se com ohmímetros, que
são ligados em série num circuito.
o Quando a resistência eléctrica de um circuito é maior (+), a
intensidade de corrente é menor (-).
o Quando a resistência eléctrica de um circuito é maior (+), a
diferença de potencial é maior (+).
o A resistência varia com a temperatura.
o A resistência é constante.
o A diferença de potencial (U) e a intensidade de corrente (I) são
directamente proporcionais.
o R=U
I
o U=RxI
o I=U
R
Gráfico de
Condutores Óhmicos

A resistência é constante.

Gráfico de
Condutores não Óhmicos

A resistência não é constante.

 Factores que influenciam a resistência de um condutor:


o R - resistência
o l - comprimento
o s - secção (área transversal ou espessura)
o - resistividade (característica do material de que é feito o fio)

o R, e l são directamente proporcionais entre si e


inversamente proporcionais em relação a s.