Você está na página 1de 41
Disciplina 2CIV375 Desempenho Térmico de Edificações PROFª THALITA GIGLIO MESTRADO - TURMA 2016
Disciplina 2CIV375 Desempenho Térmico de Edificações PROFª THALITA GIGLIO MESTRADO - TURMA 2016
Disciplina 2CIV375 Desempenho Térmico de Edificações PROFª THALITA GIGLIO MESTRADO - TURMA 2016

Disciplina 2CIV375

Desempenho Térmico de Edificações

PROFª THALITA GIGLIO

MESTRADO

- TURMA 2016

Aula 1: Transferência de Calor nas Edificações

PROFª. THALITA GIGLIO

CONCEITOS LIGADOS À ENERGIA

ENERGIA TÉRMICA
ENERGIA TÉRMICA

Todos os corpos possuem uma quantidade de energia térmica;

Todos os corpos possuem uma quantidade de energia térmica;  Se manifesta pelo movimento de moléculas,

Se manifesta pelo movimento de moléculas, átomos e partículas;

Tem a particularidade de transmitir-se do corpo mais quente para o corpo mais frio;

Ao redor de nós ocorrem processos contínuos de transferência

de calor provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor.

provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.
provocadas por fontes como a radiação solar, o corpo humano ou equipamento gerador de calor. PROFª.

PROFª. THALITA GIGLIO

CONCEITOS LIGADOS À ENERGIA

ENERGIA RADIANTE
ENERGIA RADIANTE

Todos os corpos que possuem energia térmica têm a propriedade de transformá-la parcialmente em ondas eletromagnéticas;

A energia radiante é classificada em relação ao seu comprimento de onda;

é classificada em relação ao seu comprimento de onda; Onda curta e onda longa??? PROFª. THALITA

Onda curta e onda longa???

PROFª. THALITA GIGLIO

Fonte: Rivero, 1986

Trocas de calor

CONVECÇÃO
CONVECÇÃO
CONDUÇÃO
CONDUÇÃO
RADIAÇÃO
RADIAÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor

CONVECÇÃO
CONVECÇÃO

Energia transferida em meio fluido

CONDUÇÃO
CONDUÇÃO
RADIAÇÃO
RADIAÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Ar T ar (°C) Parede T sup (°C) T ar ≠ T sup
Ar
T ar (°C)
Parede
T sup (°C)
T ar
≠ T sup

Fonte: Aulas Claudia Donald Pereira

Trocas de calor

CONVECÇÃO
CONVECÇÃO

Energia transferida em meio fluido

CONDUÇÃO
CONDUÇÃO

Energia transferida em meio sólido

RADIAÇÃO
RADIAÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

T sup1 (°C)

Parede

Parede
PROFª. THALITA GIGLIO T s u p 1 (°C) Parede T sup 1 ≠ T sup
PROFª. THALITA GIGLIO T s u p 1 (°C) Parede T sup 1 ≠ T sup

T sup1

T sup2

Fonte: Aulas Claudia Donald Pereira

Trocas de calor

CONVECÇÃO
CONVECÇÃO
CONDUÇÃO
CONDUÇÃO
RADIAÇÃO
RADIAÇÃO

Energia transferida em meio fluido

RADIAÇÃO  Energia transferida em meio fluido RADIAÇÃO DE ONDA CURTA T s u p 2
RADIAÇÃO DE ONDA CURTA
RADIAÇÃO DE
ONDA CURTA

T sup2 (°C)

meio fluido RADIAÇÃO DE ONDA CURTA T s u p 2 (°C)  Energia transferida em

Energia transferida em meio sólido

T sup1 (°C) RADIAÇÃO DE ONDA LONGA
T sup1 (°C)
RADIAÇÃO DE
ONDA LONGA
em meio sólido T sup1 (°C) RADIAÇÃO DE ONDA LONGA  Energia transferida independente do meio

Energia transferida independente do meio

T sup1

T sup2

Fonte: Aulas Claudia Donald Pereira

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor

RADIAÇÃO DE ONDA LONGA
RADIAÇÃO DE ONDA
LONGA
Trocas de calor RADIAÇÃO DE ONDA LONGA EXT. CONVECÇÃO RADIAÇÃO DE ONDA CURTA CONDUÇÃO PAREDE RADIAÇÃO

EXT.

CONVECÇÃO
CONVECÇÃO
RADIAÇÃO DE ONDA CURTA
RADIAÇÃO DE ONDA
CURTA
CONDUÇÃO
CONDUÇÃO

PAREDE

RADIAÇÃO DE ONDA LONGA
RADIAÇÃO DE ONDA
LONGA
ONDA CURTA CONDUÇÃO PAREDE RADIAÇÃO DE ONDA LONGA INT. PROFª. THALITA GIGLIO Fonte: Aulas Claudia Donald

INT.

PROFª. THALITA GIGLIO

Fonte: Aulas Claudia Donald Pereira

2CIV375 DESEMPENHO TÉRMICO DE EDIFICAÇÕES 45H 3 créditos

2CIV375 – DESEMPENHO TÉRMICO DE EDIFICAÇÕES – 45H 3 créditos PROFª. THALITA GIGLIO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor nas fases 1, 2 e 3

Trocas de calor nas fases 1, 2 e 3 PROFª. THALITA GIGLIO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - RADIAÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - RADIAÇÃO

A emissão se realiza sempre que o meio imediato ao corpo for transparente a essa energia;

O ar é transparente a todos os comprimentos de onda;

Radiação de onda curta Radiação solar;

Radiação de onda longa Todos os corpos de baixa temperatura (aprox. 10μm).

– Todos os corpos de baixa temperatura (aprox. 10 μ m). onda curta PROFª. THALITA GIGLIO
– Todos os corpos de baixa temperatura (aprox. 10 μ m). onda curta PROFª. THALITA GIGLIO

onda curta

PROFª. THALITA GIGLIO

os corpos de baixa temperatura (aprox. 10 μ m). onda curta PROFª. THALITA GIGLIO onda longa

onda longa

Radiação de onda longa

Trocas de Radiação: calor - RADIAÇÃO PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de Radiação: calor - RADIAÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - RADIAÇÃO

Energia Radiante pode ser absorvida,

refletida ou transmitida

Radiação Incidente:

Refletida

Absorvida

Transmitida

ρ

α

τ

Coeficientes que variam de 0 a 1

PROFª. THALITA GIGLIO

Transmitida  ρ  α  τ Coeficientes que variam de 0 a 1 PROFª. THALITA

(Fonte: Lamberts et al., 2015)

Trocas de calor - RADIAÇÃO

Elementos Opacos
Elementos Opacos
Elementos Transparentes
Elementos
Transparentes

PROFª. THALITA GIGLIO

calor - RADIAÇÃO Elementos Opacos Elementos Transparentes PROFª. THALITA GIGLIO ρ + α = 1 ρ
calor - RADIAÇÃO Elementos Opacos Elementos Transparentes PROFª. THALITA GIGLIO ρ + α = 1 ρ

ρ + α = 1

ρ + α + τ = 1

Trocas de calor - RADIAÇÃO Radiação Solar (Onda Curta) Propriedade analisada: Absortância Solar (α) de
Trocas de calor - RADIAÇÃO
Radiação Solar (Onda Curta)
Propriedade analisada: Absortância Solar (α) de materiais
Tipo de superfície
Chapa de alumínio (nova e brilhante)
0,05
Chapa de alumínio (oxidada)
0,15
Chapa de aço galvanizada (nova e brilhante)
0,25
Caiação nova
0,12 - 0,15
Concreto aparente
0,65 - 0,80
Telha de barro
0,75 - 0,80
Tijolo aparente
0,65 - 0,80
Revestimento asfáltico
0,85 - 0,98
Vidro incolor
0,06 - 0,25
Vidro colorido
0,40 - 0,80
Vidro metalizado
0,35 - 0,80
Branca
Amarela
Verde clara
Verde escura
Vermelha
0,20
0,30
0,40
Pintura:
0,70
0,74
Tabela da NBR 15220-2
Preta
0,97

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - RADIAÇÃO

A quantidade de energia que é absorvida, refletida ou transmitida é diferente

para cada comprimento de onda

PROFª. THALITA GIGLIO

para cada comprimento de onda PROFª. THALITA GIGLIO Cor branca Comportamento de uma superfície branca diante

Cor branca

Comportamento de uma

superfície branca diante dos diferentes comprimentos de onda.

Fonte: Rivero, 1986

Trocas de calor - RADIAÇÃO

A quantidade de energia que é absorvida, refletida ou transmitida é diferente

para cada comprimento de onda

PROFª. THALITA GIGLIO

de energia que é absorvida, refletida ou transmitida é diferente para cada comprimento de onda PROFª.

Trocas de calor - RADIAÇÃO

Radiação de onda longa emitida por corpos de baixa temperatura

Propriedade analisada: Emissividade térmica ε

É uma propriedade radiante da superfície que define uma relação entre a capacidade de emissão do material comparado com um componente ideal, conhecido como

corpo negro.

É um coeficiente que varia de 0 a 1.

como corpo negro.  É um coeficiente que varia de 0 a 1. onda curta PROFª.
como corpo negro.  É um coeficiente que varia de 0 a 1. onda curta PROFª.

onda curta

PROFª. THALITA GIGLIO

negro.  É um coeficiente que varia de 0 a 1. onda curta PROFª. THALITA GIGLIO

onda longa

Radiação de onda longa

Trocas de calor - RADIAÇÃO

Radiação de onda longa emitida por corpos de baixa temperatura

Emissividade térmica (ε) de materiais

Tipo de superfície

ε

Chapa de alumínio (nova e brilhante)

0,05

Chapa de alumínio (oxidada)

0,12

Chapa de aço galvanizada (nova e brilhante)

0,25

Caiação nova

0,90

Concreto aparente

0,85 / 0,95

Telha de barro

0,85 / 0,95

Tijolo aparente

0,85 / 0,95

Revestimento asfáltico

0,90 / 0,98

Vidro incolor

0,84

Vidro colorido

0,84

Vidro metalizado

0,15 / 0,84

 

Branca

0,90

Amarela

0,90

Pintura:

Verde clara Verde escura Vermelha Preta

0,90

0,90

 

0,90

0,90

PROFª. THALITA GIGLIO

clara Verde escura Vermelha Preta 0,90 0,90   0,90 0,90 PROFª. THALITA GIGLIO Tabela da NBR

Tabela da NBR 15220-2

Trocas de calor - RADIAÇÃO

Exemplos práticos segundo Rivero, 1986.

1

2

Trocas de calor - RADIAÇÃO Exemplos práticos segundo Rivero, 1986. 1 2 PROFª. THALITA GIGLIO 3
Trocas de calor - RADIAÇÃO Exemplos práticos segundo Rivero, 1986. 1 2 PROFª. THALITA GIGLIO 3

PROFª. THALITA GIGLIO

3

4

Trocas de calor - RADIAÇÃO Exemplos práticos segundo Rivero, 1986. 1 2 PROFª. THALITA GIGLIO 3
Trocas de calor - RADIAÇÃO Exemplos práticos segundo Rivero, 1986. 1 2 PROFª. THALITA GIGLIO 3

Trocas de calor - CONVECÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONVECÇÃO

A transferência de calor ocorre entre um fluido em movimento e uma

superfície;

Fluido e superfície se encontram em diferentes temperaturas;

Os dois corpos devem estar em contato molecular de forma que o começo do processo se realize por condução.

forma que o começo do processo se realize por condução. Convecção Natural Convecção Forçada PROFª. THALITA
forma que o começo do processo se realize por condução. Convecção Natural Convecção Forçada PROFª. THALITA

Convecção Natural

forma que o começo do processo se realize por condução. Convecção Natural Convecção Forçada PROFª. THALITA

Convecção Forçada

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONVECÇÃO

Convecção natural: Observa-se principalmente em câmaras de ar fechadas por

vidro e paredes duplas, e coberturas com forro.

fechadas por vidro e paredes duplas, e coberturas com forro. ta > ts PAREDE COBERTURA 

ta > ts

vidro e paredes duplas, e coberturas com forro. ta > ts PAREDE COBERTURA  Quantidade de
vidro e paredes duplas, e coberturas com forro. ta > ts PAREDE COBERTURA  Quantidade de

PAREDE

e paredes duplas, e coberturas com forro. ta > ts PAREDE COBERTURA  Quantidade de calor

COBERTURA

Quantidade de calor transmitida por convecção depende do sentido do fluxo

de calor.

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONVECÇÃO

Convecção forçada: A velocidade do ar e as diferenças de temperaturas são os

fatores fundamentais que influenciam nas trocas por convecção.

de temperaturas são os fatores fundamentais que influenciam nas trocas por convecção. PROFª. THALITA GIGLIO
de temperaturas são os fatores fundamentais que influenciam nas trocas por convecção. PROFª. THALITA GIGLIO

PROFª. THALITA GIGLIO

de temperaturas são os fatores fundamentais que influenciam nas trocas por convecção. PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONVECÇÃO

Exemplos práticos segundo Rivero (1986).

- CONVECÇÃO  Exemplos práticos segundo Rivero (1986). vidro Movimento convectivo natural em parede dupla de

vidro

 Exemplos práticos segundo Rivero (1986). vidro Movimento convectivo natural em parede dupla de vidro com

Movimento convectivo natural

em parede dupla de vidro com câmara de ar não ventilada.

em parede dupla de vidro com câmara de ar não ventilada. Soluções de fechamento com duas

Soluções de fechamento com duas paredes de meio tijolo

Resistência

térmica 57%

maior

duas paredes de meio tijolo Resistência térmica 57% maior  A eficiência da câmara de ar

A eficiência da câmara de ar para resistir à passagem de calor exige espessura mínima de 2 cm quando a

superfície é lisa como a do vidro e de 5 cm para superfícies rugosas devido à argamassa de assentamento.

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor nas fases 1, 2 e 3

Trocas de calor nas fases 1, 2 e 3 PROFª. THALITA GIGLIO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

A condução está relacionada ao transporte de energia térmica em um meio sólido;

ao transporte de energia térmica em um meio sólido;  Coeficiente de Condutividade Térmica: Propriedade
ao transporte de energia térmica em um meio sólido;  Coeficiente de Condutividade Térmica: Propriedade

Coeficiente de Condutividade Térmica: Propriedade física de um material homogêneo

e isótropo, no qual se verifica um fluxo de calor constante, com densidade de 1 W/m 2 , quando submetido a um gradiente de temperatura uniforme de 1 Kelvin por metro (NBR 15220-1).

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

 

Material

(W/m.K)

Argamassa comum

1,15

Concreto normal

1,75

Concreto com argila expandida

de 0,20 a 1,05

Barro (tijolo e telha)

de 0,70 a 1,05

Placa de gesso

0,35

Compensado de madeira

de 0,12 a 0,15

Carvalho, pinus, cedro

de 0,12 a 0,23

Lã de rocha / lã de vidro

0,045

Poliestireno expandido

0,040

Aço, ferro fundido

55

Alumínio

230

Cobre

380

Fonte: NBR 15220 Parte 2

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

“O calor não conhece barreiras e só é possível opor-lhe resistências de eficácia variável, mas nunca impedir totalmente sua transmissão” (RIVERO, 1986).

Resistência Térmica é a propriedade térmica de um componente construtivo de resistir

à passagem de calor;

R

(m².K/W)

PROFª. THALITA GIGLIO

Condutividade térmica - λ (W/m.K) Espessura - e (m) e R =  Depende de
Condutividade térmica - λ (W/m.K)
Espessura - e (m)
e
R
=
Depende de

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Para um componente homogêneo:

R

=

e

térmica - R  Para um componente homogêneo: R = e  (m².K/W)  Para um

(m².K/W)

Para um componente constituído de camadas homogêneas perpendiculares ao fluxo

de calor:

Rt

=

R1 + R2 + R3 +

+ Rn

PROFª. THALITA GIGLIO

T sup1

λ 1 λ 2 λ 3 T sup2 Q e1 e2 e3
λ 1
λ 2
λ 3
T sup2
Q
e1
e2
e3

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Para um componente homogêneo:

R

=

e

térmica - R  Para um componente homogêneo: R = e  (m².K/W)  Para um

(m².K/W)

Para um componente constituído de camadas homogêneas

perpendiculares ao fluxo de calor:

Rt

=

R1 + R2 + R3 +

+ Rn

Para um componente constituído de camadas homogêneas

e não homogêneas, perpendiculares ao fluxo de calor:

λ 1 λ 2
λ 1
λ 2

e1

e2

e3

A1 + A2 +

+ An

Rt

=

A1

ao fluxo de calor: λ 1 λ 2 e 1 e 2 e 3 A 1

R1

+

A2

ao fluxo de calor: λ 1 λ 2 e 1 e 2 e 3 A 1

R2

+

+

An

ao fluxo de calor: λ 1 λ 2 e 1 e 2 e 3 A 1

Rn

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Câmara de ar (não ventilada)

térmica - R  Câmara de ar (não ventilada) R 1 + R 2 + R

R 1

+

R

2

+

R 3

+

R

4

+

R 5

térmica - R  Câmara de ar (não ventilada) R 1 + R 2 + R

PROFª. THALITA GIGLIO

R parede

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Câmara de ar (não ventilada)

Fonte:

NBR 15220 Parte 2

   

Resistência térmica R ar

 

(m

2 .K/W)

Natureza da superfície da câmara de ar

Espessura da câmara de ar

Direção do fluxo de calor

Horizontal

Ascendente

Descendente

 

(cm)




 

1,0 e 2,0

0,14

0,13

0,15

Superfície de alta

emissividade

2,0 < e 5,0

0,16

0,14

0,18

e

> 5,0

0,17

0,14

0,21

 

1,0 e 2,0 2,0 < e 5,0

0,29

0,23

0,29

Superfície de baixa emissividade

0,37

0,25

0,43

e

> 5,0

0,34

0,27

0,61

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Cálculo considerando de ambiente a ambiente - RT

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Cálculo considerando de ambiente a ambiente - RT

R T = R se + R t + R si

R  Cálculo considerando de ambiente a ambiente - R T R T = R s
R  Cálculo considerando de ambiente a ambiente - R T R T = R s

PROFª. THALITA GIGLIO

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Resistência térmica - R

Cálculo considerando de ambiente a ambiente - RT

R T = R se + R t + R si

R se (m 2 .K)/W

Direção do fluxo de calor

Horizontal

Ascendente

Descendente

0,04

0,04

0,04

PROFª. THALITA GIGLIO

 

R si (m 2 .K)/W

Direção do fluxo de calor

Horizontal

Ascendente

Descendente

0,13

0,10

0,17

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Transmitância térmica - U

PROFª. THALITA GIGLIO

É a propriedade de um componente construtivo em transmitir o calor.

Trocas de calor - CONDUÇÃO

Transmitância térmica - U

U

(W/m².K)

Depende de
Depende de

Resistência térmica de ambiente a ambiente RT (m².K/W)

U

=

1

- U U (W/m².K) Depende de Resistência térmica de ambiente a ambiente R T (m².K/W) U

RT

PROFª. THALITA GIGLIO