Você está na página 1de 10

Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

1 INTRODUÇÃO ...................................................................................... 1

2 QUESTÕES............................................................................................. 2

2.1 QUESTÃO N° 86 – ICMS – SP – 2006 ......................................................... 2

2.2 QUESTÃO N° 87 – ICMS – SP – 2006 ......................................................... 5

2.3 QUESTÃO N° 88 – ICMS – SP – 2006 ......................................................... 8

3 FECHAMENTO ................................................................................... 10

1 Introdução

Caros (futuros) colegas:

Estamos de volta com nossa série de artigos. Hoje voltaremos a tratar de questões

de concurso – resolvendo-as e apresentando os comentários pertinentes. Como, no último

artigo em que havíamos resolvido questões de prova, foram analisadas questões da ESAF,

dessa vez resolveremos questões da FCC. Assim, foram escolhidas algumas questões de

Contabilidade de Custos, que caíram na última prova para o ICMS do Estado de São Paulo,

agora em 2006.

Cumpre referir que a Contabilidade de Custos é um capítulo à parte no estudo da

Contabilidade e que demanda o conhecimento de conceitos de Contabilidade Geral. O

assunto se torna mais interessante, ainda, quando há conceitos da própria Contabilidade

Geral exigidos na resolução da questão que – em princípio – refere-se à Contabilidade de

Custos.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 1 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

2 Questões

2.1 Questão n° 86 – ICMS – SP – 2006

Enunciado

86. Para um ponto de equilíbrio financeiro de 2.000 unidades serão necessários, na

seqüência,custos e despesas variáveis,custos e despesas fixas,preço unitário de

venda,depreciação:

a) R$700,00 unitários; R$4.000.000,00; R$1.200,00 unitário; R$800.000,00

b) R$750,00 unitários; R$1.400.000,00; R$1.050,00 unitário; R$845.000,00

c) R$600,00 unitários; R$2.600.000,00; R$1.350,00 unitário; R$750.000,00

d) R$650,00 unitários; R$3.900.000,00; R$1.225,00 unitário; R$625.000,00

e) R$725,00 unitários; R$2.500.000,00; R$1.500,00 unitário; R$950.000,00

Resolução e comentários

Trata-se de uma questão cuja resolução demanda o conhecimento do conceito de

ponto de equilíbrio. Ponto de equilíbrio é o nível de atividade da indústria no qual os

custos e despesas totais se igualam às receitas totais. Nesse ponto, a empresa não aufere

lucro nem incorre em prejuízos.

O ponto de equilíbrio pode ser encarado do ponto de vista contábil, econômico ou

financeiro. Na questão, o examinador se refere ao ponto de equilíbrio financeiro. Para o

correto entendimento deste conceito, faz-se necessária a apresentação (anteriormente) do

conceito de ponto de equilíbrio contábil.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 2 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

O ponto de equilíbrio contábil é alcançado quando o lucro contábil da empresa é

zero, ou seja:

Vendas

(-) Custos e despesas variáveis

(=) Margem de contribuição

(-) Custos e despesas fixas

(=) zero.

Em uma situação padrão, uma empresa com as atividades paralisadas experimenta

prejuízo, pois o valor das vendas (zero) não é suficiente para pagamento dos custos fixos,

apesar dos custos variáveis estarem – também – com valor igual a zero.

À medida que as operações vão incrementando, o prejuízo tende a diminuir, pois

haverá vendas que, deduzidas dos custos variáveis, gerarão uma margem de contribuição

que irá absorver, ao menos em parte, os custos fixos.

Há um nível de atividade – ponto de equilíbrio – em que o valor das vendas,

deduzido dos custos variáveis, gera uma margem de contribuição idêntica ao valor dos

custos fixos.

A partir desse nível de atividade, o valor das vendas, deduzido dos custos variáveis,

irá gerar uma margem de contribuição superior ao valor dos custos fixos e,

conseqüentemente, será auferido lucro.

O problema que se apresenta é o de definição da “quantidade a ser produzida para

alcançar o ponto de equilíbrio contábil”.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 3 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

Esse problema é de fácil solução, quando se está de posse das informações relativas

a: (1) preço unitário de venda – PVu; (2) custo variável unitário – CVu e (3) – Custo fixo

total – CFt. A quantidade é apurada através da fórmula abaixo:

Q (=) CFt
PVu (-) CVu
ou
Q (=) CFt
MCu
onde Mcu (=) Pvu (-) Cvu
Obv.: Mcu é margem de contribuição unitária

Visto o conceito de ponto de equilíbrio contábil, passaremos à análise do conceito

de ponto de equilíbrio financeiro – objeto da questão.

O ponto de equilíbrio financeiro é alcançado no nível de atividade da indústria em

que os valores de entrada em caixa são equivalentes ao das saídas de caixa, por período.

Para isso, às fórmulas apresentadas no item que tratou do ponto de equilíbrio


contábil, devem ser feitos os seguintes ajustes:

- considerar como custos e despesas fixas apenas aquelas que ensejam saídas

de caixa (retirando-se do total os valores referentes a depreciação, provisão,

amortização, etc.).

- considerar também como custos e despesas fixas as saídas de caixa que não

são registradas como custos ou despesas (incluindo-se no total os valores

referentes a pagamento de dividendos, pagamentos de empréstimos –

deduzidos dos recebimentos).

- Equacionar os prazos de pagamentos e recebimentos (geralmente

considerados iguais – para fins de simplificação do modelo).

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 4 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

Para aplicação da fórmula acima aos dados do problema, teremos que – antes –

adaptar o conceito de Custos fixos totais, para fins de ponto de equilíbrio financeiro,

retirando de seu valor o equivalente à depreciação.

Feitas essas considerações, para resolver a questão, basta aplicar – para cada uma

das alternativas dadas – a fórmula do ponto de equilíbrio e verificar em qual delas, a

quantidade calculada é igual a 2.000 unidades. Assim, temos:

(a) (b) (c ) (d) (e) = (b) - (d) (f) = (e) / [(c ) - (a)]
Custos fixos
Custo variável Custos e despesas Preço de venda totais
alternativa unitário fixas unitário Depreciação (financeiros) quantidade (calculada)
(a) 700,00 4.000.000,00 1.200,00 800.000,00 3.200.000,00 6.400,00
(b) 750,00 1.400.000,00 1.050,00 845.000,00 555.000,00 1.850,00
(c) 600,00 2.600.000,00 1.350,00 750.000,00 1.850.000,00 2.466,67
(d) 650,00 3.900.000,00 1.225,00 625.000,00 3.275.000,00 5.695,65
(e) 725,00 2.500.000,00 1.500,00 950.000,00 1.550.000,00 2.000,00

Como apenas na alternativa de letra “e”, a quantidade calculada de produção e

vendas, para atingimento do ponto de equilíbrio é 2.000 unidades, essa deve ser a resposta

da questão.

Gabarito

2.2 Questão n° 87 – ICMS – SP – 2006

Instruções: Considere as informações abaixo para responder as questões de número

87 e 88.

Uma empresa inicia suas operações no mês de março de 2006. No final do mês

produziu 12.100 unidades, sendo que 8.500 foram acabadas e 3.600 não foram acabadas.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 5 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

Os custos de matéria prima foram R$ 3.200.450,00. Os custos de mão-de-obra

direta foram R$ 749.920,00 e os custos indiretos de fabricação foram R$ 624.960,00. A

produção não-acabada recebeu os seguintes custos: 100% da matéria-prima, 2/3 da mão-de-

obra e 3/4 dos custos indiretos de fabricação.

Enunciado

87. Aplicando-se a técnica do equivalente de produção, o custo médio unitário


do mês é:

(A) R$ 544,80

(B) R$ 455,20

(C) R$ 410,25

(D) R$ 389,10

(E) R$ 355,20

Resolução e comentários

A resolução da presente questão demanda o conhecimento do problema do

equivalente de produção quanto ha DIFERENTES NÍVEIS DE ACABAMENTO PARA

CADA ELEMENTO DO CUSTO.

O conceito de equivalente de produção é utilizado no caso de produção contínua

(como na questão). A produção contínua ocorre quando a empresa produz em série, para

estoque e não para o atendimento de encomendas. Neste caso, os produtos são geralmente

padronizados, embora possam existir pequenas diferenças entre eles. São exemplos deste

caso, a indústria têxtil, a de produtos farmacêuticos, etc.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 6 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

A produção contínua demanda custeamento por processo, onde os custos são

acumulados em contas representativas dos produtos (ou linha de produtos). Como a

produção é contínua, estas contas nunca são encerradas, havendo um fluxo contínuo de

valores atribuídos as produtos em elaboração, produtos acabados e custo dos produtos

vendidos.

No sistema de produção contínua ocorre um problema: como calcular o valor a ser

transferido da conta PRODUTOS EM ELABORAÇÃO para a conta PRODUTOS

ACABADOS, uma vez que aquela conta nunca é encerrada. Na verdade, parte de seu saldo

deverá ser transferido, mediante a utilização de um critério que guarde proporcionalidade

com a efetiva produção do período. Para isto é utilizado o conceito de EQUIVALENTE

DE PRODUÇÃO (ou produção equivalente), estudado a seguir.

O conceito de produção equivalente é útil para a atribuição do custo do produto no

período de forma proporcional aos produtos em elaboração e aos produtos acabados. A

cada período é necessário:

- atribuir custos diretos e ratear (com ou sem departamentalização) os

custos indiretos aos produtos  isto consiste em alocar CIF a conta

PRODUTOS EM ELABORAÇÃO;

- dividir o valor anteriormente apresentado entre PRODUTOS EM

ELABORAÇÃO e PRODUTOS ACABADOS, de acordo com a

efetiva produção do período.

O equivalente de produção funciona exatamente como o critério de rateio que

permitirá dividir este custo entre os produtos em elaboração e os produtos acabados.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 7 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

Repetindo, no caso foram dados elementos para apuração do Equivalente de

Produção com diferentes níveis de acabamento:

Elemento do custo gastos totais Percentual de acabamento


materiais diretos R$ 3.200.450,00 100%
MOD R$ 749.920,00 67%
CIF R$ 624.960,00 75%
Total de custos R$ 4.575.330,00

Neste caso, em relação às 12.100 unidades iniciadas no período, deverá ser

calculado um equivalente de produção para cada item do custo:

elemento do QTD de unidades QTD de unidades em


custo acabadas elaboração nível de acabamento EP
MD 8.500 3.600 100% 12.100
MOD 8.500 3.600 67% 10.900
CIF 8.500 3.600 75% 11.200

Conhecido o equivalente de produção de cada componente do custo (em unidades

produzidas) e o correspondente custo (gastos totais), o custo unitário é facilmente apurado,

pela divisão dos gastos totais pela quantidade equivalente produzida no período, conforme

tabela abaixo.

elemento do custo EP gastos totais custo unitário Obs:


MD 12.100 R$ 3.200.450,00 264,50 Gastos totais / EP
MOD 10.900 R$ 749.920,00 68,80 Gastos totais / EP
CIF 11.200 R$ 624.960,00 55,80 Gastos totais / EP
R$ 4.575.330,00 389,10 somatório

Gabarito

2.3 Questão n° 88 – ICMS – SP – 2006

Enunciado

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 8 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

88. O valor da produção em processo no final do mês será:

(A) R$ 1.125.432,00

(B) R$ 1.267.980,00

(C) R$ 1.380.444,00

(D) R$ 1.400.760,00

(E) R$ 1.525.740,00

Resolução e comentários

Com base nos valores já calculados para resolução da questão anterior, facilmente

apura-se o valor patrimonial dos produtos em elaboração realizando, para cada elemento do

custo o seguinte procedimento:

a) apura-se o custo unitário do elemento (através da divisão dos gastos

totais pelo equivalente de produção do período);

b) apura-se o valor do custo atribuído à quantidade de produtos

acabados (através da multiplicação do custo unitário pela

quantidade de produtos acabada);

c) finalmente, apura-se o valor do custo atribuído aos produtos em

elaboração (através da diferença entre os gastos totais e o valor

atribuído aos produtos acabados).

A tabela a seguir ilustra a aplicação do procedimento acima descrito.

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 9 de 10


Artigo - 18 de julho de 2006 – Questões de Contabilidade de Custos FCC - ICMS-SP

equivalente de QTD de produtos produtos em


item do custo custo total produção produtos acab. acabados (Obs.) elaboração
material direto R$ 3.200.450,00 12.100 8.500 2.248.250,00 952.200,00
MOD R$ 749.920,00 10.900 8.500 584.800,00 165.120,00
CIF R$ 624.960,00 11.200 8.500 474.300,00 150.660,00
totais 4.575.330,00 3.307.350,00 1.267.980,00
Obs.: calculado pela quantidade de produtos acabados,
dividida pelo equivalente de produção,
multiplicado pelo custo total

Obs.: os valores acima foram apurados com base nos seguintes parâmetros:
Percentual de
Elemento do custo gastos totais acabamento
materiais diretos R$ 3.200.450,00 100%
MOD R$ 749.920,00 67%
CIF R$ 624.960,00 75%
Total de custos R$ 4.575.330,00

QTD de unidades QTD de unidades nível de


elemento do custo acabadas em elaboração acabamento EP
MD 8.500 3.600 100% 12.100
MOD 8.500 3.600 67% 10.900
CIF 8.500 3.600 75% 11.200

Gabarito

3 Fechamento

Vistas essas questões, no próximo artigo voltaremos a comentar mais um assunto

teórico.

Bons estudos e sucesso!

Atenciosamente.

Luiz Eduardo

Professor: Luiz Eduardo Santos Página 10 de 10