Você está na página 1de 30

ESTUDO PRELIMINAR DA CONTABILIDADE

Caro Aluno;

Este material ESTUDO PRELIMINAR DA CONTABILIDADE tem como objetivo


auxiliar você no entendimento da contabilidade básica de forma objetiva e clara, passando
por conceitos base como: objeto de estudo da contabilidade, balanço patrimonial,
demonstração de resultado do exercício e a escrituração contábil pelo método das partidas
dobradas. No decorrer da leitura, você encontrará diversas ATIVIDADES DE FIXAÇÃO
para que sejam resolvidas com bastante cuidado com o intuito de constatar se o
aprendizado foi efetivo até aquele momento ou se você, aluno, deverá recapitular o que foi
lido. Vamos começar a trabalhar? Boa leitura!

Autor: Wilton Freitas

1. OBJETO DE ESTUDO DA CONTABILIDADE:

A contabilidade tem sua metodologia concebida para captar, registrar, acumular, resumir e
interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas
de qualquer entidade, seja ela pessoa física, uma ONG, o Estado, uma grande
multinacional ou, ainda, uma modesta empresa. Portanto, o objeto de estudo da
contabilidade é o PATRIMÔNIO de uma entidade.

2. O BALANÇO PATRIMONIAL:

O Balanço Patrimonial é uma das mais importantes demonstrações contábeis, por meio do
qual podemos apurar (atestar) a situação patrimonial e financeira de uma entidade em
determinado momento.

Relatório Contábil é a exposição resumida e ordenada de dados


colhidos pela contabilidade. Objetiva relatar às pessoas que se
utilizam da contabilidade (usuários da contabilidade) os principais
fatos registrados pela contabilidade em determinado período.

A informação que o Balanço Patrimonial (BP) fornece é totalmente estática, ou seja,


oferece aos usuários da contabilidade a situação patrimonial de uma entidade num
determinado momento, geralmente, no último dia do exercício contábil corrente
(31/12/XX). O Balanço Patrimonial compõe-se de três partes essenciais: ativo, passivo e
patrimônio líquido.

No ATIVO relacionam-se todas as APLICAÇÕES DE RECURSOS efetuadas pela


empresa. Compreende os BENS e os DIREITOS da entidade expressos em moeda. Ex:
caixa, banco, títulos a receber, móveis, equipamentos, veículos, etc. Todos os elementos
componentes do Ativo acham-se discriminados no LADO ESQUERDO do Balanço
Patrimonial.
O PASSIVO identifica as exigibilidades e obrigações da empresa, cujos valores
encontram-se investidos nos ativos. É no passivo que fica evidenciada parte das
ORIGENS DE RECURSOS da empresa, são as origens oriundas de CAPITAL DE
TERCEIROS, ou seja, toda aquisição de ativo financiada por terceiros (e não pelo(s)
proprietário(s) da empresa) fica registrada no passivo até que a obrigação (dívida) seja
paga pela entidade. Ex: títulos a pagar, contas a pagar, fornecedores, salários a pagar,
impostos a pagar, etc. Todos os elementos componentes do Passivo estão discriminados
no LADO DIREITO do Balanço Patrimonial.

O PATRIMÔNIO LÍQUIDO é representado pela diferença entre o total do Ativo e do


Passivo em determinado momento. Identifica os recursos próprios da empresa, sendo
composto de capital social, reservas de capital, reservas de reavaliação, reservas de lucro e
lucros ou prejuízos acumulados. É no Patrimônio Líquido que fica evidenciada outra parte
das ORIGENS DE RECURSOS da empresa, são as origens oriundas de CAPITAL
PRÓPRIO. Toda aquisição de ativo financiada por recursos do próprio dono, proprietário,
acionistas, etc, fica registrada no patrimônio líquido; de modo que a empresa (pessoa
jurídica) deve, ao proprietário (pessoa física), a quantia dele oriunda aplicada no ativo.

Lembre-se: o Lucro da entidade, a princípio, pertence ao proprietário. Se ele


é reinvestido na empresa, esta deve a quantia ao credor, neste caso, o
proprietário. Por isso, o lucro é uma conta do Patrimônio Líquido.

Atividade de Fixação nº1 – Para cada conta patrimonial abaixo apresentada, identifique
A para contas do Ativo, P para contas do Passivo e PL para conta do Patrimônio
Líquido.

(_____) Caixa
(_____) Fornecedores
(_____) Impostos a recolher
(_____) Capital Social
(_____) Duplicatas a pagar
(_____) Lucros Acumulados
(_____) Imóveis
(_____) Salários a pagar
(_____) Reservas de lucro
(_____) Estoques
BALANÇO PATRIMONIAL – CIA ALFA – 31/12/XX
ATIVO PASSIVO
Fornecedores
Caixa Impostos a recolher
Banco Salários a pagar
Duplicatas a receber Financiamentos
Estoques PL
Automóveis Capital Social
Imóveis Reservas de Capital
Móveis e Equipamentos Lucros Acumulados
Reservas de Lucro
TOTAL DO ATIVO: TOTAL DO PL:

APLICAÇÕES ORIGENS DE
DE RECURSOS:
Onde foi (CAPITAL DE
RECURSOS aplicado? TERCEIROS =
PASSIVO E
(ATIVO)
CAPITAL
PRÓPRIO = PL)

3. EQUAÇÃO FUNDAMENTAL DO PATRIMÔNIO

Como já foi exposto anteriormente, o Patrimônio Líquido é a diferença entre Ativo e


Passivo. Já que na maioria das entidades o Ativo (Bens e Direitos) suplanta o Passivo
(Obrigações), a representação mais comum de seu patrimônio, isto é, seu Balanço
Patrimonial assume a forma:

ATIVO = PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Esta é a equação fundamental do patrimônio. Toda aplicação (Ativo) deve ter,


obrigatoriamente, uma origem declarada (conta do passivo ou patrimônio líquido).
Lembre-se: a origem do ativo pode ser através de financiamento com recursos de terceiros
(passivo) ou com recursos próprios (patrimônio líquido).

Vamos ver um exemplo?

Ex: Uma entidade “A” adquire um automóvel. O automóvel é um elemento do ativo.


Digamos que custou R$20.000,00. Seu ativo (lado esquerdo do BP) teve uma
APLICAÇÃO de R$20.000,00; aplicação esta na conta AUTOMÓVEL. Todavia, de
acordo com a equação fundamental do patrimônio, a entidade deve declarar qual a origem
deste recurso, ou seja, de que maneira ela comprou este novo bem. Assim, a firma pode ter
adquirido seu automóvel através de um financiamento na concessionária. Partindo desta
premissa, a ORIGEM do automóvel será declarada numa conta de passivo denominada
FINANCIAMENTOS A PAGAR. Observe que uma vez declarada a origem, a entidade
equilibra o seu balanço patrimonial, pois seu ativo foi aumentado em R$20.000,00;
enquanto que, ao mesmo tempo, o seu passivo também foi aumentado em R$20.000,00.
Imagine, num segundo cenário, que firma tenha adquirido seu automóvel através de uma
integralização de capital, ou seja, o automóvel era do proprietário da empresa e este tenha
o investido na firma através de declaração no seu contrato social. A ORIGEM do
automóvel será declarada numa conta do patrimônio líquido, CAPITAL SOCIAL. Da
mesma forma, a entidade equilibra o seu balanço patrimonial; só muda a característica da
origem, que antes era de CAPITAL DE TERCEIROS, e agora é de CAPITAL PRÓPRIO.
Existe ainda um terceiro possível cenário: imagine que a firma tenha adquirido o
automóvel à vista. Dentro desta premissa, a ORIGEM está no próprio ativo da empresa,
pois ela disponibiliza de recursos do caixa/ banco para adquirir um novo ativo, neste caso,
um automóvel. O seu passivo, bem como seu patrimônio líquido, ficará inalterado;
enquanto que o ativo – no montante – também não sofrerá alteração. Veja os quadros
abaixo:

Balanço Patrimonial (primeiro cenário) – Entidade “A” – após aquisição de um automóvel


por financiamento na concessionária
ATIVO PASSIVO
Automóvel = R$20.000,00 Financiamento a pagar = R$20.000,00
PL

TOTAL DO ATIVO = R$20.000,00 TOTAL DO P + PL = R$20.000,00

Balanço Patrimonial (segundo cenário) – Entidade “A” – após aquisição de um automóvel


através da integralização de capital social pelo sócio
ATIVO PASSIVO
Automóvel = R$20.000,00
PL
Capital Social = R$20.000,00
TOTAL DO ATIVO = R$20.000,00 TOTAL DO P + PL = R$20.000,00

Balanço Patrimonial (terceiro cenário) – Entidade “A” – após aquisição de um automóvel


à vista
ATIVO PASSIVO
Caixa = (disponibiliza-se do montante
existente em caixa a quantia de PL
R$20.000,00)
Automóvel = R$20.000,00
TOTAL DO ATIVO = não altera TOTAL DO P + PL = não altera
CONFIGURAÇÕES DO ESTADO PATRIMONIAL:

Possibilidade nº1 – Ativo > Passivo = PL positivo; ocorre quando o Ativo é maior que o
Passivo, ou seja, os bens e direitos da firma superam as suas obrigações. O PL da entidade,
por conseguinte, é maior que zero. Podemos fazer a seguinte leitura: se a empresa liquidar
todo o seu ativo hoje, ela consegue pagar suas contas de passivo e ainda sobra dinheiro
para os sócios, proprietários ou acionistas. (SITUAÇÃO LÍQUIDA POSITIVA)

Possibilidade nº2 – Ativo = Passivo / PL nulo; ocorre quando o Ativo é igual ao Passivo,
ou seja, o total de bens e direitos da firma é igual ao total de suas obrigações. O PL da
entidade, por conseguinte, é nulo. Podemos fazer a seguinte leitura: se a empresa liquidar
todo o seu ativo hoje, ela consegue pagar suas contas de passivo, mas não sobraria nenhum
valor remanescente para os sócios, proprietários ou acionistas. (SITUAÇÃO LÍQUIDA
NULA)

Possibilidade nº3 – Ativo < Passivo / PL negativo (PASSIVO A DESCOBERTO); ocorre


quando o Ativo é menor que o Passivo, ou seja, os bens e direitos da firma não superam
suas obrigações a pagar. O PL da entidade é menor que zero. Podemos fazer a seguinte
leitura: se a empresa liquidar todo o seu ativo hoje, ela NÃO consegue pagar suas contas
de passivo, isto é, o sócio terá que desembolsar dinheiro para honrar parte das obrigações
da empresa para com o mercado. (SITUAÇÃO LÍQUIDA NEGATIVA)

Atividade de Fixação nº2 – Para cada uma das entidades abaixo apresentadas, defina o seu PL;
classificando a sua situação patrimonial em positiva, nula ou negativa.

Entidade A:

Caixa = R$1.000,00
Duplicatas a receber = R$3.000,00
Estoques = R$6.000,00
Ativo Permanente = R$20.000,00
Fornecedores = R$5.000,00
Impostos a recolher = R$2.000,00
Salários a pagar = R$3.000,00

VALOR DO PL: (____________________________)


SITUAÇÃO LÍQUIDA: (______________________)

Entidade B:

Caixa = R$2.000,00
Duplicatas a receber = R$3.000,00
Estoques = R$5.000,00
Ativo Permanente = R$10.000,00
Fornecedores = R$5.000,00
Impostos a recolher = R$3.000,00
Salários a pagar = R$2.000,00
Financiamentos = R$10.000,00

VALOR DO PL: (__________________________)


SITUAÇÃO LÍQUIDA: (____________________)
Entidade C:

Caixa = R$1.000,00
Duplicatas a receber = R$1.500,00
Estoques = 2.500,00
Ativo Permanente = R$10.000,00
Fornecedores = R$3.000,00
Impostos a recolher = R$4.000,00
Salários a pagar = R$3.000,00
Financiamentos = R$12.000,00

VALOR DO PL: (_________________________)


SITUAÇÃO LÍQUIDA: (___________________)

Exercício de Fixação nº3 – Julgue as afirmativas abaixo em (V) para verdadeiras ou (F)
para falsas.
(_____) A aquisição de estoques à vista no valor de R$10.000,00 por uma entidade irá
aumentar o seu ativo em R$10.000,00 no BP; pois a firma está adquirindo um novo bem.
(_____) A aquisição de estoques à vista no valor de R$10.000,00 por uma entidade não
altera o total do seu ativo no BP.
(_____) A aquisição de um automóvel a prazo no valor de R$20.000,00 por uma
entidade irá aumentar o seu ativo, bem como o total do passivo + PL, em R$20.000,00
no BP.
(_____) A aquisição de um automóvel no valor de R$20.000,00 por uma entidade, sendo
50% à vista e 50% a prazo, irá aumentar o seu ativo, bem como o total do passivo + PL,
em R$10.000,00 no BP.
(_____) A aquisição de um equipamento no valor de R$30.000,00 por uma entidade,
sendo 50% a prazo e 50% à vista (com desconto de 10%), irá aumentar o seu ativo em
R$15.000,00 no BP.

4. AS VARIAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

As causas principais que fazem variar o Patrimônio Líquido são:


 Investimento / desinvestimento em CAPITAL SOCIAL.
 Lucro ou Prejuízo do Exercício (resultante do confronto entre as
CONTAS DE RECEITA E GASTOS dentro do período contábil).

5. DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

A Demonstração de Resultado do Exercício (DRE), elaborada simultaneamente com o


Balanço Patrimonial, constitui-se no relatório sucinto das operações realizadas pela
empresa durante determinado período de tempo; nele sobressai um dos valores mais
importantes às pessoas nela interessadas: o resultado líquido do período, lucro ou
prejuízo.
O lucro (ou prejuízo) é resultante de receitas, custos e despesas incorridos pela empresa
no período e apropriados segundo regime de competência, ou seja, independentemente de
que tenham sido esses valores pagos ou recebidos.
Regime de Competência: Assim como a receita é reconhecida no período contábil em
que é realizada (realização = entregada do produto ao cliente), as despesas devem ser
reconhecidas de acordo com o fato gerador, ou seja, devem ser atribuídas aos períodos
de acordo com as receitas a que se referem; e não quando são pagas em dinheiro.

Da diferença entre receitas (vendas) e gastos (custos e despesas incorridos no período para
realização das receitas) chega-se ao lucro líquido do exercício, o qual é o elo entre a DRE
e o Balanço Patrimonial. O lucro líquido do exercício é transferido para o Patrimônio
Líquido, mais especificamente para a conta Lucros ou Prejuízos Acumulados; passando a
constituir o patrimônio da entidade. Lembre-se: o lucro, de alguma maneira, já está
reinvestido no Ativo da empresa. Por ser de direito do sócio a sua retirada, o lucro é
registrado no PL como sendo um “empréstimo” feito pelo sócio à firma.

DRE (Simplificada)

Receitas do período R$...


(-) Devoluções, abatimentos e impostos incidentes. (R$...)
(-) Custo da Mercadoria (produto ou serviço) Vendida (R$...)
(=) Resultado com Mercadorias ou Lucro Bruto R$...
(-) Despesas Operacionais (R$...)
(=) Lucro Operacional R$...
(+) Receitas não Operacional R$...
(-) Despesas não Operacionais (R$...)
(=) Lucro Antes do Imposto de Renda R$...
(-) IR e Contribuição Social (R$...)
(=) Lucro Líquido R$...

Exemplos de contas que são de RESULTADO:

Evento Aplicação Origem


Caixa ou provisão de
Despesa com Salários pagamento para o mês
Despesa com Salários
(DRE) subseqüente na conta
Salários a Pagar
Caixa ou provisão de
pagamento para o mês
ICMS s/ Vendas ICMS s/ Vendas (DRE)
subseqüente na conta
Impostos a Recolher
Custo da Mercadoria Custo da Mercadoria
Estoque
Vendida Vendida (DRE)
Caixa (se for uma venda à
Receita com Venda de vista) ou Duplicatas a Receita com Venda de
Mercadorias receber (se for uma venda a Mercadorias (DRE)
prazo)
Caixa (se for uma receita à
Receita não Operacional
Receita não Operacional vista) ou Títulos a receber
(DRE)
(se for uma receita à prazo)
Exercício de Fixação nº4 – Classifique as contas abaixo apresentada em (A) para conta de
ativo, (P) para conta de passivo, (PL) para conta de patrimônio líquido e (R) para conta de
resultado.
(_____) Caixa / banco
(_____) Salários a pagar
(_____) Despesa com salários
(_____) Imóveis
(_____) Capital Social
(_____) Impostos a recolher
(_____) ICMS s/ Vendas
(_____) Duplicatas a receber
(_____) Estoques
(_____) Custo da Mercadoria Vendida
(_____) Instalações
(_____) Fornecedores
(_____) Receita com Venda de Mercadorias
(_____) Receita não Operacional
(_____) Lucros Acumulados

Exercício de Fixação nº5 – Através da contas patrimoniais e de resultado da Cia. Jota


abaixo apresentadas, elabore o seu Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do
Exercício.
 Caixa = R$10.000,00
 Duplicatas a receber = R$15.000,00
 Estoques = R$25.000,00
 Ativo Permanente = R$50.000,00
 Fornecedores = R$10.000,00
 Impostos a recolher = R$5.000,00
 Salários a pagar = R$5.000,00
 Capital Social = R$70.000,00
 Vendas do período = R$60.000,00
 Gastos do período = R$50.000,00

7. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SEGUNDO O MÉTODO DAS PARTIDAS


DOBRADAS

Na contabilidade, em geral, as operações ocasionam aumentos e diminuições no Ativo, no


Passivo e no Patrimônio Líquido, como já vimos. Esses aumentos e diminuições são
registrados em contas. Neste momento, vamos nos ater aos registros dessas transações nos
RAZONETES; instrumento importante de escrituração dos eventos contábeis.
FORMA GRÁFICA DE UM RAZONETE

Feche os seus olhos e imagine um Balanço Patrimonial. Dele, extraia as bordas laterais e a
borda inferior. Extraiu? O que restou? Essa é a forma gráfica de um RAZONETE!

Conta X

O lado esquerdo de uma conta no razonete é chamado o lado do DÉBITO; o lado direito é
chamado o lado do CRÉDITO. Um lançamento no lado esquerdo de uma conta é
denominado LANÇAMENTO A DÉBITO ou DÉBITO; um lançamento no lado direito de
uma conta é chamado LANÇAMENTO A CRÉDITO ou, simplesmente, CRÉDITO.
Utilizam-se também os verbos creditar e debitar. Quando se faz um lançamento Á
ESQUERDA da conta, dizemos que estamos debitando essa conta. Quando se faz um
lançamento À DIREITA da conta, dizemos que estamos creditando essa conta.

Conta X

DÉBITO CRÉDITO
(LANÇAMENTOS A (LANÇAMENTOS A
DÉBITO) CRÉDITO)

Como já foi dito, as operações ocasionam aumentos e diminuições do Ativo, do Passivo e


do Patrimônio Líquido. As contas, por sua vez, possuem dois lados (esquerdo e direito);
dessa forma, os aumentos podem ser registrados em um lado e as diminuições no outro. A
natureza da conta é que irá determinar o lado a ser utilizado para aumentos e diminuições.
A memorização da tabela a seguir é de fundamental importância para o bom andamento
nos estudos da contabilidade.
RESUMO DO MECANISMO DE DÉBITO E CRÉDITO

Contas de: Natureza: Para aumentar: Para diminuir:


ATIVO DEVEDORA DEBITO CREDITO
PASSIVO CREDORA CREDITO DEBITO
RECEITA CREDORA CREDITO DEBITO
GASTOS DEVEDORA DEBITO CREDITO

Lembre-se: para toda APLICAÇÃO deve existir, simultaneamente, a declaração da sua


ORIGEM. Partindo desta premissa: para todo lançamento a débito, deve-se fazer um
lançamento a crédito. Para todo lançamento a crédito, deve-se fazer um lançamento a
débito.

Exemplo:

Qual a Qual a
Evento Debito em... Credito em...
origem? aplicação?
Integralização de capital Capital Social Caixa Caixa Capital Social
em dinheiro no caixa
Compra de automóvel a Caixa Automóveis Automóveis Caixa
vista
Compra de estoque a Fornecedores Estoques Estoques Fornecedores
prazo a pagar
Empréstimo com depósito Empréstimo a Banco Banco Empréstimos a
integral no banco pagar pagar
Compra de materiais para Caixa Despesa Despesa Caixa
escritório a vista administrativa administrativa
(DRE) (DRE)
Venda a vista de Venda de Caixa Caixa Venda de
mercadorias mercadorias mercadorias
(DRE) (DRE)
Portanto, lembre-se SEMPRE:

 De que lado está o ATIVO no BP? No lado ESQUERDO! Portanto, sempre que
quiser aumentar uma conta “X” do ATIVO, deve-se fazer um lançamento no lado
ESQUERDO do seu razonete, ou seja, deve-se DEBITAR.

 Se para aumentar uma conta “X” do ativo, faz-se um DÉBITO; para diminuir essa
conta do ATIVO deve-se fazer um CRÉDITO, ou seja, fazer um lançamento no lado
DIREITO do seu razonete.

 De que lado está o PASSIVO no BP? No lado DIREITO! Portanto, sempre que
quiser aumentar uma conta “Y” do PASSIVO, deve-se fazer um lançamento do lado
DIREITO do seu razonete, ou seja, deve-se CREDITAR.

 Se para aumentar uma conta “Y” do passivo, faz-se um CRÉDITO; para diminuir
essa conta do PASSIVO deve-se fazer um DÉBITO, ou seja, fazer um lançamento do
lado ESQUERDO do razonete.

 Estando o PATRIMÔNIO LÍQUIDO na mesma condição que o PASSIVO no BP,


aplica-se a mesma regra do passivo para o patrimônio líquido. Ou seja, se a
pretensão é aumentar uma conta “Z” do Patrimônio Líquido, deve-se fazer um
lançamento a CRÉDITO; caso contrário, para diminuir uma conta “Z” do Patrimônio
Líquido, deve-se fazer um lançamento a DÉBITO.

 E no que diz respeito a receitas e gastos, que são contas de resultado? É fácil. Basta
seguir o raciocínio: RECEITA contribui para aumentar ou para diminuir o lucro?
Para aumentar! Se receita aumenta lucro, e este é conta do Patrimônio Líquido; o
tratamento dispensado às contas do PL deve ser dispensado também as contas de
receita. Ou seja, para reconhecer uma conta de receita, isto é, reconhecer uma venda;
deve-se fazer um lançamento a CRÉDITO. Por outro lado, os gastos (custos e
despesas) contribuem para aumentar ou para diminuir o lucro? Para diminuir! Se
os GASTOS diminuem o lucro, e este é conta do Patrimônio Líquido, deve-se fazer
o lançamento contrário àquele dispensado para as receitas, ou seja, toda conta de
gasto tem origem devedora, isto é, para reconhecer uma conta de custo ou despesa
faz-se um DÉBITO. Outra linha de raciocínio que pode ajudá-lo a interpretar a
natureza das contas de resultado é avaliá-las sob o ponto de vista das aplicações e
origens. RECEITAS são ORIGENS, portanto devemos CREDITAR. Por outro lado,
GASTOS são APLICAÇÕES, portanto devemos DEBITAR. Sob esta óptica, RECEITA
tem o mesmo tratamento das contas do PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO,
uma vez que são ORIGENS DE RECURSOS; e GASTOS têm o mesmo
tratamento das contas de ATIVO, uma vez que são APLICAÇÕES DE
RECURSOS.

METODO DAS PARTIDAS DOBRADAS

A essência do método, universalmente aceita, é que o registro de qualquer operação


implica em débito numa ou mais conta, e simultaneamente, em crédito
EQUIVALENTE em uma ou mais contas, de forma que a soma dos valores debitados
seja sempre igual à soma dos valores creditados.

“Não há débito (s) sem crédito (s) correspondente, e vice-versa.”


Exemplos:

Transação nº1 - Compra de mercadorias para estoque à vista no valor de R$10.000,00.

Qual a origem? A origem é dinheiro retirado do caixa / banco.


Qual a aplicação? O dinheiro retirado do caixa / banco foi investido em estoque.

Portanto, devem-se abrir dois razonetes: um para caixa, e outro para estoque.

Caixa

Estoque

No que diz respeito à conta caixa, é uma conta de ATIVO que está perdendo valor, ou
seja, está sendo diminuída; portanto deve-se fazer um lançamento a CRÉDITO de
R$10.000,00. Lembre-se: a firma está tirando dinheiro do caixa para adquirir um outro
ativo. O caixa, portanto, é a origem da transação. Uma vez origem, lançamento a
CRÉDITO.

No que diz respeito à conta estoque, é uma conta de ATIVO que está ganhando valor, ou
seja, está sendo aumentada; portanto deve-se fazer um lançamento a DÉBITO de
R$10.000,00. Da mesma forma, lembre-se: a firma está disponibilizando dinheiro do caixa
para adquirir estoques. Os estoques, portanto, são aplicações da transação. Uma vez
aplicação, lançamento a DÉBITO.

Perceba que, uma vez CREDITADOS R$10.000,00 na conta CAIXA e DEBITADOS


R$10.000,00 na conta ESTOQUE; acontece a observância do método de partidas
dobradas. Para um crédito, ocorreu um débito de igual valor.

Caixa

R$10.000,00
Estoque

R$10.000,00

Transação nº2 – Compra de mercadorias para estoque no valor de R$10.000,00 a prazo.

Qual a origem? A origem é fornecedores, uma vez que o ativo está sendo adquirido a
prazo.
Qual a aplicação? A dívida com os fornecedores foi adquirida para investimento em
estoque. Portanto, a aplicação é na conta estoque.

Logo, devem-se abrir dois razonetes: um para fornecedores, e outro para estoque.

Fornecedores

Estoque

No que diz respeito à conta fornecedores, é uma conta de PASSIVO que está ganhando
valor, ou seja, está sendo aumentada pois a entidade está contraindo dívidas; portanto
deve-se fazer um lançamento a CRÉDITO de R$10.000,00. Lembre-se: a firma está sendo
financiada pelo fornecedor para adquirir um ativo. O fornecedor, portanto, é a origem da
transação. Uma vez origem, lançamento a CRÉDITO.

No que diz respeito à conta estoque, é uma conta de ATIVO que está ganhando valor, ou
seja, está sendo aumentada; portanto deve-se fazer um lançamento a DÉBITO de
R$10.000,00. Da mesma forma, lembre-se: a firma está contraindo dívida para adquirir
estoques. Os estoques, portanto, são aplicações da transação. Uma vez aplicação,
lançamento a DÉBITO.

Perceba que, uma vez CREDITADOS R$10.000,00 na conta FORNECEDORES e


DEBITADOS R$10.000,00 na conta ESTOQUE; acontece a observância do método de
partidas dobradas. Para um crédito, ocorreu um débito de igual valor.
Fornecedores

R$10.000,00

Estoque

R$10.000,00

Transação nº3 – Integralização de Capital Social, em dinheiro no caixa, de R$10.000,00.

Qual a origem? A origem do ativo (neste caso, dinheiro) é a conta capital social, ou seja,
investimento próprio do sócio na empresa.
Qual a aplicação? O capital social investido foi aplicado em moeda no caixa.

Portanto, devem-se abrir dois razonetes: um para capital social, e outro para caixa.

Capital Social

Caixa

No que diz respeito à conta capital social, é uma conta do PATRIMÔNIO LÍQUIDO que
está ganhando valor, ou seja, está sendo aumentada, pois a entidade está contraindo
dívidas cujo credor é o próprio dono; portanto deve-se fazer um lançamento a CRÉDITO
de R$10.000,00. Lembre-se: a firma está sendo financiada pelo próprio dono para adquirir
um ativo. O capital social, portanto, é a origem da transação. Uma vez origem, lançamento
a CRÉDITO.
No que diz respeito à conta caixa, é uma conta de ATIVO que está ganhando valor, ou
seja, está sendo aumentada; portanto deve-se fazer um lançamento a DÉBITO de
R$10.000,00. Da mesma forma, lembre-se: a firma está contraindo uma dívida com o
próprio dono para aumentar seu caixa. A conta caixa, portanto, é a aplicação da transação.
Uma vez aplicação, lançamento a DÉBITO.

Perceba que, uma vez CREDITADOS R$10.000,00 na conta CAPITAL SOCIAL e


DEBITADOS R$10.000,00 na conta CAIXA; acontece a observância do método de
partidas dobradas. Para um crédito, ocorreu um débito de igual valor.

Capital Social

R$10.000,00

Caixa

R$10.000,00

Transação nº4 – Despesa com salários, no valor de R$10.000,00; com pagamento


provisionado para o dia 10 do mês subseqüente.

Qual a origem? A origem é a conta salários a pagar, uma vez que o pagamento de salários
está sendo provisionado para o mês subseqüente.
Qual a aplicação? A provisão de pagamento feita no passivo da empresa é para honrar
despesa com salários, que é uma conta de resultado. Portanto, a aplicação é despesa com
salários.

Portanto, devem-se abrir dois razonetes: um para salários a pagar, e outro para despesa
com salários.

Salários a pagar
Despesa com salários

No que diz respeito à conta salários a pagar, é uma conta de PASSIVO que está ganhando
valor, ou seja, está sendo aumentada uma vez que a entidade está provisionando o
pagamento de salários para o mês seguinte; portanto deve-se fazer um lançamento a
CRÉDITO de R$10.000,00. Lembre-se: salários a pagar é a origem da transação. Uma vez
origem, lançamento a CRÉDITO.

No que diz respeito à contrapartida despesa com salários, é um GASTO que está sendo
reconhecido dentro do período de ocorrência. Uma vez que a conta é de RESULTADO e
tem natureza DEVEDORA (o mesmo comportamento das contas de ativo), deve-se fazer
um lançamento a DÉBITO de R$10.000,00. Se recursos serão despendidos para honrar
esta despesa, dentro do período ou no período subseqüente, despesa com salários é a
aplicação da transação. Uma vez aplicação, lançamento a DÉBITO.

Perceba que, uma vez CREDITADOS R$10.000,00 na conta SALÁRIOS A PAGAR e


DEBITADOS R$10.000,00 na conta DESPESA COM SALÁRIOS; acontece a
observância do método de partidas dobradas. Para um crédito, ocorreu um débito de igual
valor.

Salários a pagar

R$10.000,00

Despesa com salários

R$10.000,00
Transação nº5 – Venda de mercadorias, à vista, no valor de R$10.000,00.

Qual a origem? A origem é a conta venda de mercadorias uma vez que, através desta
operação, a entidade obtém recursos para o caixa.
Qual a aplicação? A aplicação, em conseqüência da venda, foi um aumento de caixa.

Portanto, devem-se abrir dois razonetes: um para venda de mercadorias, e outro para
caixa.

Venda de Mercadorias

Caixa

No que diz respeito à conta venda de mercadorias, é uma conta de RECEITA


(RESULTADO) que está ganhando valor, portanto deve-se fazer um lançamento a
CRÉDITO de R$10.000,00. Não se esqueça que contas de RECEITA têm natureza
CREDORA (o mesmo comportamento das contas de passivo e patrimônio líquido) uma
vez que são contas de origens. Através da receita, a entidade tem seu ativo aumentado,
seja através de dinheiro no caixa (vendas à vista), seja através de duplicatas a receber
(vendas a prazo).

No que diz respeito à conta caixa, é uma conta de ATIVO que está ganhando valor, ou
seja, está sendo aumentada; portanto deve-se fazer um lançamento a DÉBITO em
R$10.000,00. Da mesma forma, lembre-se: a firma está operando venda de mercadorias
para adquirir recursos para o caixa. A conta caixa, portanto, é a aplicação da transação.
Uma vez aplicação, lançamento a DÉBITO.

Perceba que, uma vez CREDITADOS R$10.000,00 na conta VENDA DE


MERCADORIAS e DEBITADOS R$10.000,00 na conta CAIXA; acontece a observância
do método de partidas dobradas. Para um crédito, ocorreu um débito de igual valor.

Venda de Mercadorias

R$10.000,00
Caixa

R$10.000,00

Para terminar com boa fixação do conteúdo exposto, segue mais alguns exercícios.
Bom trabalho!
Exercício de Fixação nº6 – Para cada transação contábil abaixo apresentada, identifique: a
conta de origem, a conta de aplicação; em seguida a conta credora e a conta devedora. Siga o
exemplo.

Transação Contábil Origem Aplicação Crédito em Débito em


Compra de estoque à vista.
Caixa Estoque Caixa Estoque

Compra de estoque a prazo


via emissão de duplicata para
o fornecedor.
Compra de veículo à vista.

Compra de veículo a prazo


através de financiamento.

Pagamento, através do caixa,


de despesas administrativas
do período.
Venda, à vista, de
mercadorias em estoque.

Venda, à prazo, de
mercadorias em estoque
Exercício de Fixação nº7 – A Cia. Radar apresentou, no primeiro dia do mês de
janeiro de 2006, saldos nas contas patrimoniais abaixo apresentadas:
 Caixa = R$10.000,00
 Duplicatas a receber = R$20.000,00
 Estoques = R$20.000,00
 Ativo Permanente = R$50.000,00
 Fornecedores = R$15.000,00
 Impostos a recolher = R$5.000,00
 Salários a pagar = R$5.000,00
 Financiamento a pagar = R$25.000,00
 Capital Social = R$50.000,00

Durante o mês de janeiro/2006; a empresa transacionou os seguintes fatos contábeis:


1. Pagamento de parte da dívida com fornecedor, na quantia de
R$5.000,00.
2. Venda de mercadoria, à vista, por R$10.000,00. (CMV = 30% da
receita)
3. Pagamento do saldo remanescente da conta salários.
4. Venda de mercadoria, à prazo, por R$15.000,00. (CMV = 30% da
receita)
5. Aquisição de estoque para revenda, à prazo, com custo de R$5.000,00.

Obs. Desprezar a incidência de impostos.

Pede-se:
a. O Balanço Patrimonial da Cia. Radar no dia 01/01/2006.
b. Efetuar os lançamentos contábeis em razonetes das transações ocorridas no
decorrer do mês de janeiro.
c. Apurar o resultado do exercício. Elaborar a DRE da Cia. Radar no dia
31/01/2006.
d. O Balanço Patrimonial da Cia. Radar no dia 31/01/2006.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

EQUIPE DE PROFESSORES FEA/USP. Contabilidade Introdutória. 9.ed. S.P.:


Atlas, 1998.

ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e Análise de Balanços. 8.ed. S.P.: Atlas, 2006.

MARION, José Carlos. Contabilidade Empresarial. 8.ed. S.P.: Atlas, 1998.


REFERENCIAL DE RESPOSTAS – EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Atividade de Fixação nº1 – Para cada conta patrimonial abaixo apresentada, identifique
A para contas do Ativo, P para contas do Passivo e PL para conta do Patrimônio
Líquido.

Caixa = ATIVO
Fornecedores = PASSIVO
Impostos a recolher = PASSIVO
Capital Social = PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Duplicatas a pagar = PASSIVO
Lucros Acumulados = PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Imóveis = ATIVO
Salários a pagar = PASSIVO
Reservas de lucro = PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Estoques = ATIVO
Atividade de Fixação nº2 – Para cada uma das entidades abaixo apresentadas, defina o seu PL;
classificando a sua situação patrimonial em positiva, nula ou negativa.

Entidade A:

Caixa = R$1.000,00
Duplicatas a receber = R$3.000,00
Estoques = R$6.000,00
Ativo Permanente = R$20.000,00
Fornecedores = R$5.000,00
Impostos a recolher = R$2.000,00
Salários a pagar = R$3.000,00

VALOR DO PL: R$20.000,00


SITUAÇÃO LÍQUIDA: Positiva

Entidade B:

Caixa = R$2.000,00
Duplicatas a receber = R$3.000,00
Estoques = R$5.000,00
Ativo Permanente = R$10.000,00
Fornecedores = R$5.000,00
Impostos a recolher = R$3.000,00
Salários a pagar = R$2.000,00
Financiamentos = R$10.000,00

VALOR DO PL: R$0,00


SITUAÇÃO LÍQUIDA: Nula
Entidade C:

Caixa = R$1.000,00
Duplicatas a receber = R$1.500,00
Estoques = 2.500,00
Ativo Permanente = R$10.000,00
Fornecedores = R$3.000,00
Impostos a recolher = R$4.000,00
Salários a pagar = R$3.000,00
Financiamentos = R$12.000,00

VALOR DO PL: -R$2.000,00


SITUAÇÃO LÍQUIDA: Negativa (Passivo a Descoberto)

Exercício de Fixação nº3 – Julgue as afirmativas abaixo em (V) para verdadeiras ou (F)
para falsas.
(F) A aquisição de estoques à vista no valor de R$10.000,00 por uma entidade irá
aumentar o seu ativo em R$10.000,00 no BP; pois a firma está adquirindo um novo bem.
(V) A aquisição de estoques à vista no valor de R$10.000,00 por uma entidade não altera
o total do seu ativo no BP.
(V) A aquisição de um automóvel a prazo no valor de R$20.000,00 por uma entidade irá
aumentar o seu ativo, bem como o total do passivo + PL, em R$20.000,00 no BP.
(V) A aquisição de um automóvel no valor de R$20.000,00 por uma entidade, sendo
50% à vista e 50% a prazo, irá aumentar o seu ativo, bem como o total do passivo + PL,
em R$10.000,00 no BP.
(F) A aquisição de um equipamento no valor de R$30.000,00 por uma entidade, sendo
50% a prazo e 50% à vista (com desconto de 10%), irá aumentar o seu ativo em
R$15.000,00 no BP.
Exercício de Fixação nº4 – Classifique as contas abaixo apresentada em (A) para conta de
ativo, (P) para conta de passivo, (PL) para conta de patrimônio líquido e (R) para conta de
resultado.
Caixa / banco = Ativo
Salários a pagar = Passivo
Despesa com salários = Resultado
Imóveis = Ativo
Capital Social = Patrimônio Líquido
Impostos a recolher = Passivo
ICMS s/ Vendas = Resultado
Duplicatas a receber = Ativo
Estoques = Ativo
Custo da Mercadoria Vendida = Resultado
Instalações = Ativo
Fornecedores = Passivo
Receita com Venda de Mercadorias = Resultado
Receita não Operacional = Resultado
Lucros Acumulados = Patrimônio Líquido

Exercício de Fixação nº5 – Através da contas patrimoniais e de resultado da Cia. Jota


abaixo apresentadas, elabore o seu Balanço Patrimonial e a Demonstração de Resultado do
Exercício.
 Caixa = R$10.000,00
 Duplicatas a receber = R$15.000,00
 Estoques = R$25.000,00
 Ativo Permanente = R$50.000,00
 Fornecedores = R$10.000,00
 Impostos a recolher = R$5.000,00
 Salários a pagar = R$5.000,00
 Capital Social = R$70.000,00
 Vendas do período = R$60.000,00
 Gastos do período = R$50.000,00

BALANÇO PATRIMONIAL – CIA. JOTA – 31/12/XX


ATIVO PASSIVO
Caixa = R$10.000,00 Fornecedores = R$10.000,00
Duplicatas a receber = R$15.000,00 Impostos a recolher = R$5.000,00
Estoques = R$25.000,00 Salários a pagar = R$5.000,00
Ativo Permanente = R$50.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social = R$70.000,00
Lucro do período = R$10.000,00
Total do Ativo = R$100.000,00 Total do Passivo = R$100.000,00
DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO – CIA JOTA – 31/12/XX
Vendas do período = R$60.000,00
(-) Gastos do período = (R$50.000,00)
(=) Lucro Líquido do período = R$10.000,00
Exercício de Fixação nº6 – Para cada transação contábil abaixo apresentada, identifique: a
conta de origem, a conta de aplicação; em seguida a conta credora e a conta devedora. Siga o
exemplo.

Transação Contábil Origem Aplicação Crédito em Débito em


Compra de estoque
à vista.
Caixa Estoque Caixa Estoque

Compra de estoque
Fornecedor
a prazo via emissão Fornecedor
a pagar Estoque Estoque
de duplicata para o a pagar
fornecedor.
Compra de veículo
à vista.
Caixa Veículo Caixa Veículo

Compra de veículo
a prazo através de Financiamento Financiamento
Veículo Veículo
financiamento. a pagar a pagar

Pagamento, através
do caixa, de
Despesas Despesas
despesas Caixa Caixa
Administrativas Administrativas
administrativas do
período.
Venda, à vista, de
Venda Venda
mercadorias em
de Caixa de Caixa
estoque.
mercadorias mercadorias
Venda, à prazo, de
Venda Venda
mercadorias em Duplicatas a Duplicatas a
de de
estoque Receber Receber
mercadorias mercadorias
Exercício de Fixação nº7 – A Cia. Radar apresentou, no primeiro dia do mês de janeiro
de 2006, saldos nas contas patrimoniais abaixo apresentadas:
 Caixa = R$10.000,00
 Duplicatas a receber = R$20.000,00
 Estoques = R$20.000,00
 Ativo Permanente = R$50.000,00
 Fornecedores = R$15.000,00
 Impostos a recolher = R$5.000,00
 Salários a pagar = R$5.000,00
 Financiamento a pagar = R$25.000,00
 Capital Social = R$50.000,00

Durante o mês de janeiro/2006; a empresa transacionou os seguintes fatos contábeis:


1. Pagamento de parte da dívida com fornecedor, na quantia de R$5.000,00.
2. Venda de mercadoria, à vista, por R$10.000,00. (CMV = 30% da receita)
3. Pagamento do saldo remanescente da conta salários.
4. Venda de mercadoria, à prazo, por R$15.000,00. (CMV = 30% da receita)
5. Aquisição de estoque para revenda, à prazo, com custo de R$5.000,00.

Obs. Desprezar a incidência de impostos.

Pede-se:
- O Balanço Patrimonial da Cia. Radar no dia 01/01/2006.
- Efetuar os lançamentos contábeis em razonetes das transações ocorridas no decorrer
do mês de janeiro.
- Apurar o resultado do exercício. Elaborar a DRE da Cia. Radar no dia 31/01/2006.
- O Balanço Patrimonial da Cia. Radar no dia 31/01/2006.

BALANÇO PATRIMONIAL – CIA. RADAR – 01/01/2006


ATIVO PASSIVO
Caixa = R$10.000,00 Fornecedores = R$15.000,00
Duplicatas a receber = R$20.000,00 Impostos a recolher = R$5.000,00
Estoques = R$20.000,00 Salários a pagar = R$5.000,00
Ativo Permanente = R$50.000,00 Financiamento a pagar = R$25.000,00
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social = R$50.000,00
Total do Ativo = R$100.000,00 Total do Passivo = R$100.000,00

Lançamentos contábeis – Transações 01/2006

Caixa
(SI) R$10.000,00 R$5.000,00 (1)
(2) R$10.000,00 R$5.000,00 (3)
(Saldo Final)
R$10.000,00
Duplicatas a receber
(SI) R$20.000,00
(4) R$15.000,00
(Saldo Final)
R$35.000,00

Estoques
(SI) R$20.000,00 R$3.000,00 (2)
(5) R$5.000,00 R$4.500,00 (4)
(Saldo Final)
R$17.500,00

Ativo Permanente
(SI) R$50.000,00
(Saldo Final)
R$50.000,00

Fornecedores
(1) R$5.000,00 R$15.000,00 (SI)
R$5.000,00 (5)
R$15.000,00 (Saldo
Final)

Impostos a recolher
R$5.000,00 (SI)
R$5.000,00 (Saldo Final)

Salários a pagar
(3) R$5.000,00 R$5.000,00 (SI)
Financiamentos a pagar
R$25.000,00 (SI)
R$25.000,00 (Saldo
Final)

Capital Social
R$50.000,00 (SI)
R$50.000,00 (Saldo
Final)

Venda de Mercadorias
R$10.000,00 (2)
R$15.000,00 (4)
R$25.000,00 (Saldo
Final)
(a) R$25.000,00

Custo da Mercadoria Vendida


(2) R$3.000,00
(4) R$4.500,00
(Saldo Final)
R$7.500,00
R$7.500,00 (b)

Apuração do Resultado do Exercício

ARE (Apuração do Resultado Do Exercício)


(b) R$7.500,00 R$25.000,00 (a)
R$17.500,00 (Saldo
Final = Lucro Líquido do
Exercício)
(c) R$17.500,00

Lucros Acumulados
R$17.500,00 (c)
R$17.500,00 (Saldo
Final)
DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO – CIA RADAR – 31/01/06
Vendas de mercadorias = R$25.000,00
(-) Custo da mercadoria vendida = (R$7.500,00)
(=) Lucro Líquido do período = R$17.500,00

BALANÇO PATRIMONIAL – CIA. RADAR – 31/01/2006


ATIVO PASSIVO
Caixa = R$10.000,00 Fornecedores = R$15.000,00
Duplicatas a receber = R$35.000,00 Impostos a recolher = R$5.000,00
Estoques = R$17.500,00 Financiamento a pagar = R$25.000,00
Ativo Permanente = R$50.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social = R$50.000,00
Lucros Acumulados = R$17.500,00
Total do Ativo = R$112.500,00 Total do Passivo = R$112.500,00