Você está na página 1de 9

CONTABILIDADE I (CONCEITOS BÀSICOS)

UNIDADE V – Contas

1. CONCEITO

Conta é o nome técnico dado aos componentes patrimoniais (Bens, Direitos,


Obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de Resultado (Despesas e Receitas).
Exemplos de contas: (Conta Caixa, Conta Veículos, Conta Móveis e Utensílios,
Conta Duplicatas a Pagar e etc)

2. Para que servem as Contas?

É por meio delas que a Contabilidade consegue desempenhar o seu papel, que
consiste no registro e no controle de todos os acontecimentos responsáveis pela gestão
do Patrimônio. Por isso, as Contas devem ser tratadas com muito carinho pelos
Contabilistas. Imagine a Conta como uma caixinha, uma ficha ou um arquivo em que o
Contabilista armazena os dados correspondentes à movimentação de entradas e saídas
de valores de cada um dos elementos patrimoniais ou de resultado. Haverá uma conta
para cada elemento.
A Conta Caixa, por exemplo, é uma das Contas mais movimentadas no dia-a-dia
das empresas. Constantemente ocorrem entradas e saídas de dinheiro do Caixa. Pois
bem, todos os Fatos correspondentes a essas entradas e saídas de dinheiro ficam
registrados no arquivo (caixinha, ficha) destinado ao controle da Conta Caixa. Assim,
nos registros contábeis haverá uma conta para cada elemento, seja ele do grupo das
Despesas ou das Receitas.
Portanto, todos os acontecimentos que ocorrem na empresa, responsáveis pela
gestão do Patrimônio, como as compras, as vendas, os pagamentos, os recebimentos,
são registrados em livros próprios por meio das contas.

3. Classificação das Contas

As contas podem ser classificadas de acordo com vários critérios. Entretanto,


aquele que nos interessa nesse momento é o que as classifica em dois grupos:

a) Contas Patrimoniais;
b) Contas de Resultados.

3.1 Contas Patrimoniais

As Contas Patrimoniais você já conhece, pois até agora só nos referimos a elas;
representam os Bens, os Direitos, as Obrigações e o Patrimônio Líquido. Dividem-se
em ativas e Passivas e são elas que representam o Patrimônio da empresa num dado
momento, mediante o Balanço Patrimonial.

Temos como o exemplo:

1
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO

Bens Obrigações

Caixa Fornecedores
Veículos Duplicatas a Pagar

Direitos Patrimônio Líquido

Duplicatas a Receber Capital


Promissórias a Receber Lucros Acumulados

3.2 Contas de Resultado

As contas de Resultado você ainda não conhece, Dividem-se em Contas de


despesas e Contas de Receitas. Aparecem durante o exercício social, encerrando-se no
final do mesmo. Não fazem parte do Balanço Patrimonial, mas é por meio delas que
sabemos se a empresa apresentou lucro ou prejuízo em suas atividades.

3.2.1 Despesas

As despesas decorem do consumo de Bens e da utilização de serviço. Por


exemplo: a energia elétrica consumida, os materiais de limpeza consumidos (sabões,
desinfetantes, vassouras, detergentes), o café consumido, os materiais de expediente
consumidos (canetas, papéis, cartuchos de tintas para impressoras, impressos e outros),
a utilização dos serviços telefônicos etc.
As despesas são registradas pela Contabilidade por meio das Contas de
Resultado. Temos a seguir alguns exemplos de Contas de Despesas:

- Água e Esgoto - Fretes e Carretos


- Aluguéis Passivos - Impostos
- Café e Lanches - Juros Passivos
- Contribuições de Previdência - Material de Expediente
- Descontos Concedidos - Material de Limpeza
- Despesas Bancárias - Prêmios de Seguro
- Energia Elétrica - Salários

3.2.1 Receitas

As receitas decorrem da venda de Bens e da prestação de serviços. Existem em


número menor que as Despesa, sendo as mais comuns representadas pelas seguintes

2
contas:

- Aluguéis Ativos - Descontos Obtidos


- Juros Ativos - Receitas de Serviços
- Vendas de Mercadorias

4. Plano Geral de Contas

O administrador financeiro prevê custo e receitas através da elaboração de


orçamentos. As indústrias projetam e testam seus produtos, antes de iniciar sua
fabricação. Os departamentos de marketing e vendas, fazem pesquisas de mercado,
antes de lançarem um produto à venda.
No mundo moderno, caracterizado pela organização e racionalização de todas
as atividades, não se concebe qualquer empreendimento sem plano prévio de ação.
Na direção de uma empresa esse plano é ainda mais útil, havendo necessidade
de se estabelecerem normas de conduta e de se criarem métodos eficazes que
possibilitem informações amplas e exatas. Essas informações emanam dos registros
contábeis e daí a necessidade de uma planificação da Contabilidade, de forma que esta
possa alcançar sua finalidade com eficiência e exatidão.
O plano de contas é um dos aspectos mais importantes da organização contábil,
e destina-se a orientar o registro das operações, oferecendo a vantagem de
uniformização das contas utilizadas em cada registro.
Esse plano consiste de um elenco de todas as contas que se prevê serem
necessárias aos registros contábeis de uma entidade. Compreende-se, contudo, que ele
não pode ser rígido e inflexível, devendo, pelo contrário, permitir alterações que se
mostrarem necessárias por ocasião de sua utilização.
A rápida evolução da economia moderna tem gerado constantes modificações e
aperfeiçoamentos na legislação comercial e fiscal, bem como nas normas e métodos
que regulam a atividade empresarial. Isso exige a criação de novas contas, o
cancelamento de algumas e o desdobramento de outras, de forma que os registros
contábeis acompanham a evolução dos fatos e permitam a constante atualização dos
elementos de informação.
Os planos variam para cada tipo de organização e de acordo com as
circunstâncias. A mesma conta poderá ser classificada de maneiras diferentes, segundo
a natureza da entidade, pois o mesmo bem patrimonial pode constituir ativo
imobilizado em uma empresa e realizável em outra.
A boa organização do plano facilita grandemente a utilização das contas,
porquanto na classificação geral cada conta é identificada por um código que a
distingue das demais. A codificação poderá ser numérica ou alfabética, ou ainda
utilizar a combinação de letras e números. Quando numérica, pode obedecer a critério
decimal ou centesimal, para indicar os grupos de contas e suas subdivisões. Assim, se
as contas do ativo receberem o prefixo 1 e as do passivo o prefixo 2, toda vez que
encontramos uma conta cujo número se inicie por l sabemos que se trata de conta do
ativo e quando iniciada pelo número 2 , trata-se de conta do passivo, e assim por
diante.
Como critério decimal limita a dez o numero de códigos em cada grupo ou
subgrupo, poderemos adotar um critério misto, em que os grupos e subgrupos se

3
identifiquem por classificação decimal ou por letras, e as contas sigam ordem numérica
centesimal, o que permite até 100 contas em cada subgrupo.
Abaixo encontraremos um exemplo de plano geral em que figura um número de
contas adequado a empresas de tamanho médio. O responsável pela Contabilidade
poderá adaptá-lo aos casos concretos que tiver em vista, eliminando as contas
desnecessárias e criando as que forem indispensáveis à entidade cujos fatos objetiva
registrar.

4.1 Elenco de Contas Simplificado

CONTAS PATRIMONIAIS
1 - ATIVO 2 - PASSIVO

1.1 ATIVO CIRCULANTE 2.1 PASSIVO CIRCULANTE


1.1.01 Caixa 2.1.01 Fornecedores
1.1.02 Bancos Conta Movimento 2.1.02 Duplicatas a Pagar
1.1.03 Clientes 2.1.03 Promissórias a Pagar
1.1.04 Duplicatas a Receber 2.1.04 Salários a Pagar
1.1.05 Promissórias a Receber 2.1.05 Impostos e Taxas a Recolher
1.1.06 Estoques de Mercadorias
1.1.07 Estoques de Material de
Expediente

1.2 ATIVO REALIZÁVEL A 2.2 PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO


LONGO PRAZO PRAZO
1.2.01 Duplicatas a Receber 2.2.01 Duplicatas a Pagar
1.2.02 Promissórias a Receber 2.2.02 Promissórias a Pagar

1.3 ATIVO PERMANENTE 2.3 RESULTADOS DE


1.3.01 Computadores EXERCÍCIOS FUTUROS
1.3.02 Imóveis 2.3.01 Aluguéis Ativos a Vencer
1.3.03 Instalações 2.3.02 Outras Receitas a Vencer
1.3.04 Móveis e Utensílios 2.3.03 ( - ) Custos ou Perdas
1.3.05 Veículos 2.4 PATRIMÕNIO LÍQUIDO
1.3.06 Benfeitorias em Bens de 2.4.01 Capital
Terceiros 2.4.02 Reservas
1.3.07 Gastos de Organização 2.4.03 (+ou - ) Lucros ou
Prejuízos Acumulados

4
CONTAS DE RESULTADO
3 - DESPESAS 4 - RECEITAS

3.1 DESPESAS OPERACIONAIS 4.1 RECEITAS OPERACIONAIS


3.1.01 Água e Esgoto 4.1.01 Aluguéis Ativos
3.1.02 Aluguéis Passivos 4.1.02 Descontos Obtidos
3.1.03 Café e Lanches 4.1.03 Juros Ativos
3.1.04 Combustíveis 4.1.04 Receitas Eventuais
3.1.05 Descontos Concedidos 4.1.05 Receitas de Serviços
3.1.06 Despesas Bancárias
3.1.07 Energia Elétrica
3.1.08 Fretes e Carretos
3.1.09 Impostos e Taxas
3.1.10 Juros Passivos

5 - CONTAS DE APURAÇÃO DO RESULTADO

5.1 RESULTADO BRUTO


5.1.1 Custo das Mercadorias Vendidas (CMV)
5.1.2 Custo dos Serviços Prestados
5.1.3 Resultado da Conta Mercadorias (RCV)
5.1.4 Lucro sobre Vendas (Lucro Bruto)
5.1.5 ( - ) Prejuízos sobre Vendas

5.2 RESULTADO LÍQUIDO


5.2.1 Resultado do Exercício

4.2 MANUAL DE CONTAS

O manual de Contas fornece ao contabilista informações detalhadas de cada


Conta, orientando-o na padronização dos registros de todos os eventos responsáveis
pela gestão do Patrimônio da empresa.
A consulta ao Manual de Contas poderá ajudá-lo a esclarecer dúvidas quanto ao
código numérico das Contas, bem como intitulação, função, funcionamento, natureza e
critérios da avaliação da cada Conta. No Manual, o contabilista encontra exemplos de
lançamentos para o registro de operações raras, roteiros para conciliações de dados,
informações de dados, informações sobre documentos que dão suporte aos registros
contábeis.
O acesso a todas essas informações é fundamental para o contabilista, que deve
conhecer de cada uma delas, o qual lhe permitirá determinar em que o funcionamento
de cada uma delas, o qual lhe permitirá determinar em que situação a conta será

5
debitada ou creditada, bem como identificar a natureza do saldo da Conta – se
devedora ou credora.

4.3 MECANISMO DE DÉBITO E CRÉDITO DAS CONTAS

As contas ativas representam elementos patrimoniais positivos. São debitadas


quando bens ou direitos entram no patrimônio, e creditadas quando dele saem.
As contas passivas representam elementos patrimoniais negativos. São creditadas
quando o patrimônio assume obrigações, e debitadas quando as liquida. O patrimônio
líquido, como complemento do passivo, ou seja, suas contas são creditadas quando há
aumento de patrimônio líquido, e debitadas quando há redução.

O débito e o crédito produzem, portanto, a seguinte movimentação no


patrimônio:

DÉBITO CRÉDITO
Aumento de ativo Redução de ativo
Redução de passivo Aumento de passivo

As contas de despesa são sempre debitadas, pois representam redução do


patrimônio líquido.
as contas de receita são sempre creditadas, pois correspondem a aumento do
patrimônio líquido.
Embora seu efeito não seja direto (pois os débitos e créditos transitam pelas
contas de despesas e receitas), é a seguinte a variação que eles causam no patrimônio
líquido:

DÉBITO CRÉDITO
(Despesa) (Receita)
Reduz o patrimônio líquido Aumenta o patrimônio líquido

O patrimônio é uma soma algébrica de valores, em que o ativo é a parte


positiva e o passivo a negativa, tendo como diferencial a situação líquida, donde:

( + ) Bens ( - ) Obrigações
( + ) Direitos ( - ) Patrimônio líquido
( + ) Ativo ( - ) Passivo

O débito ( + ) equivale a aumento de ativo ou redução de passivo. O credito ( - )


equivale a redução de ativo ou aumento de passivo.
As despesas, que representam redução de patrimônio líquido, são sempre
debitadas ( + ). As receitas, em oposição, são sempre creditadas ( - ).

Parece realmente estranho dizer que Ativo é igual a débito, não é? Isto ocorre
porque, para nós, débito tem os significados que já comentamos. Na realidade, há

6
muita lógica em chamar de débito o lado do Ativo. Existem até teorias que explicam tal
fato. Preferimos ficar, por enquanto, com a seguinte convenção:

Na Ciência Contábil, em toda representação gráfica em forma de T, o lado


esquerdo será sempre o lado do débito e o direito, o do crédito.
Como no Balanço Patrimonial apresentado no gráfico em forma de T as Contas
do Ativo naturalmente posicionadas do lado esquerdo e as do Passivo do lado direito,
temos que:

a) as Contas do Ativo são de natureza devedora;


b) as Contas do Passivo são de natureza credora.

Da mesma forma, como no gráfico em forma de T utilizado para representar as


Contas de Resultado, as Contas de Despesas foram naturalmente posicionadas do lado
esquerdo e as de Receitas do lado Direito, temos que:

a) as Contas de Despesas são de natureza devedora;


b) as Contas de Receitas são de natureza credora.

ESTUDO DIRIGIDO

1. Que é um plano de contas?

2. Quais as regras para a elaboração de um bom plano de contas?

3. O que é conta do ponto de vista técnico-contábil?

4. No ativo encontramos contas que representam que espécie de elementos?

5. No passivo encontramos contas que representam que espécie de elemento?

6. Para que servem as Contas de Resultado?

7. O que você entende por Despesas? Cite três exemplos.

8. O que você entende por Receitas? Cite três exemplos.

9. Cite três exemplos de Atos Administrativos?

10. Como podemos saber quando as Contas Aluguéis, Juros e Descontos representam
Receitas e Despesas?

7
ATIVIDADES PRÁTICAS

1. Resolva

Indique a natureza das Contas, colocando as seguintes letras de referência:

D = Devedora
C = Credora

( ) Caixa ( ) Duplicatas a Receber


( ) Estoque de Mercadorias ( ) Capital
( ) Fornecedores ( ) Juros Passivos
( ) Veículos ( ) Impostos
( ) Receitas de Serviços ( ) Impostos a Pagar
( ) Bancos Conta Movimento

2. Classifique as Contas constantes do quadro a seguir em:

(A) Patrimonial ou Resultado


(B) Ativo, Passivo, Despesa ou Receita
(C) Devedora ou Credora
(D) Por seus respectivos grupos, conforme o Plano de Contas

Nº CONTAS A B C D
1 Caixa P A D AC
2 Bancos Conta Movimento
3 Duplicatas a Pagar
4 Água e Esgoto
5 Aluguéis Passivos
6 Descontos Obtidos
7 Fornecedores
8 Promissórias a Pagar
9 Clientes
10 Gastos de Organização
11 Imóveis
12 Instalações
13 Café e Lanches
14 Descontos Concedidos
15 Juros Ativos
16 Salários a Pagar
17 Benfeitorias em Bens de Terceiros
18 Duplicatas a Receber
19 Estoque de Material de Expediente
20 Material de Expediente

8
21 Impostos e Taxas a Recolher
22 Móveis e Utensílios
23 Veículos
24 Estoque de Mercadorias
25 Capital
26 Juros Passivos
27 Frete e Carregos
28 Aluguéis Ativos
29 Despesas Bancárias
30 Computadores