Você está na página 1de 2

Plataforma Ambiental de oposição à Fusão Valorsul – Resioeste

Que andam o Governo, a Valorsul e a Resioeste a


esconder?
As organizações de defesa do ambiente Quercus – Associação Nacional de
Conservação da Natureza, MPI – Movimento Pró-Informação para a Cidadania e
Ambiente e ADAL – Associação de Defesa do Ambiente de Loures tornam de
novo (ver anterior comunicado de 15 de Junho de 2008) pública a sua posição
sobre a fusão entre a Valorsul e a Resioste:

1. Sucedem-se as notícias sobre a existência de um processo em curso que


visa juntar num só, os sistemas de tratamento de resíduos sólidos urbanos
da Valorsul e Resioeste;
2. Há mais de um ano que ADAL, MPI e Quercus vêem solicitando
informações sobre o processo, com a reiterada recusa por parte da Valorsul
em facultar documentação, que se sabe existir, por ter sido distribuída aos
órgãos autárquicos da zona Oeste;
3. Também o Ministério do Ambiente não confirma o processo de fusão,
embora as notícias saiam nos jornais e não sejam desmentidas por nenhum
responsável político;
4. Os “estudos” apresentados aos municípios da região Oeste, suscitam as
maiores dúvidas e reservas quanto ao rigor dos dados utilizados, ao
equilíbrio das análises e boa fé das conclusões;
5. Tudo parece deliberadamente orientado para escamotear às populações e
às associações de defesa do ambiente, o que está em causa, o que vai ser
feito e como vai ser feito;
6. Todas as questões suscitadas por esta Plataforma em Junho do ano
passado, à medida que o tempo passa sem clarificação, ganham cada vez
maior pertinência;
7. Impõe-se a pergunta: Que andam o Governo, a Valorsul e a Resioeste a
esconder ?

• Escondem o processo porque o que querem obter não são ganhos


ambientais, mas ganhos económicos resultantes da queima intensiva
resíduos e venda da energia produzida ?
• Escondem o negócio, porque já sabem que as tarifas reduzidas que
anunciam não serão verdadeiras e tentam evitar ficar comprometidos
com a divulgação de tais promessas ?
• Escondem o que estão a urdir, porque há um compromisso formal e
ético com as populações do Concelho de Loures em que a origem nos
resíduos estaria limitada aos Municípios accionistas da Valorsul ?
• Escondem as manobras, porque o aumento de capacidade de queima da
Incineradora obriga a uma nova Avaliação de Impacto Ambiental e
querem evitá-la ?
• Escondem a informação porque todos ficariam a saber que a meta de
reciclagem será de apenas 15%, exactamente a taxa que já foi atingida ?
• Escondem das populações envolventes ao Aterro Sanitário do Oeste a
construção de uma segunda fase do aterro, “solução” bastante aliciante
para expandir a deposição de resíduos tendo em conta que a área servida
pela Valorsul é fortemente urbanizada, desrespeitando compromissos
assumidos ?

1. A conduta secretista do Governo, das Câmaras envolvidas e das empresas


de capitais públicos Valorsul e Resioeste, resultam na frontal violação da
Lei n.º 19/2006, de 12 de Junho, cujos objectivos se recordam:

1. 1. Garantir o direito de acesso à informação sobre ambiente detida


pelas autoridades públicas ou em seu nome;
2. 2. Assegurar que a informação sobre ambiente é divulgada e
disponibilizada ao público;
3. 3. (…)

1. A referida violação das leis da República e a fuga a valores éticos e


democráticos, levantam as maiores suspeitas sobre o que pode estar em
causa neste processo. Essas suspeitas e a recusa de prestação das
informações legalmente obrigatórias, após todas as diligências formais
desenvolvidas, impõem que as Associações integrantes da Plataforma
recorram a partir de agora aos mecanismos legais ao seu dispor para
que sejam postas a nu, intenções, objectivos, custos e compromissos.

Loures, 26 de Maio de 2009

Para mais informações

Alexandra Azevedo (MPI): 936 464 658

Rui Berkemeier (Quercus): 934 256 581

António Almeida (ADAL): 918 835 005

Interesses relacionados