Você está na página 1de 6

SUCOS – ALQUIMIA NO COPO

NUTRIÇÃO ATUAL

Mais do que um suco exótico para despertar o paladar, a


mistura de frutas e outros vegetais pode ser um bálsamo para
o organismo e ter efeito terapêutico e curativo. Confira os reais
benefícios dessas combinações e aprenda a preparar as
receitas que criamos exclusivamente para você

Por Daniela Talamoni,

A intuição dos antigos deixou o suco de limão


com mel famoso como remédio contra gripes
e resfriados. As receitas ainda funcionam,
mas as combinações de ingredientes e o
conceito de bebida nutritiva tomaram
proporções enormes. Nos laboratórios, a
tecnologia na área de nutrição permite
revelar segredos (e poderes) da natureza e
aumentar a lista de frutas, legumes e folhas
ricos em componentes essenciais ao bom
funcionamento do organismo e à prevenção
de doenças. Na cozinha de casa, basta dar
asas à imaginação — e elaborar misturas
diferentes sem medo e até com o aval
científico.

Uma pesquisa realizada com idosos durante 10 anos e publicada no


The American Journal of Medicine em 2006, por exemplo, mostrou
que o hábito de ingerir bebidas que misturam frutas e verduras em
pelo menos 3 dias da semana reduz em 76% o risco de desenvolver
o mal de Alzheimer. O segredo estaria nos polifenóis, antioxidantes
encontrados nas folhas, cascas e sementes dos vegetais. Mas não
é só. A alquimia de cores, texturas e sabores também é um caminho
fácil para garantir a quantidade ideal de consumo de fibras,
vitaminas e minerais. De acordo com a Organização Mundial de
Saúde (OMS), a ingestão diária dessas fontes deve ser de no
mínimo 400 gramas (o equivalente a um prato de sobremesa, cheio
de opções variadas desses alimentos).
Na prática, esses sucos, somados às saladas e legumes das
refeições principais, garantem a cota recomendada para que o
organismo fique protegido contra inúmeros males, como anemia,
fadiga, alterações de humor, cárie e até depressão, passando por
perda de concentração e memória, diabetes, osteoporose,
hipertensão, síndrome metabólica e câncer. Se você sempre foi fã
de sucos naturais e está mais do que convencida de seus
benefícios, o desafio agora é aprender a extrair o melhor dessas
delícias. Confira algumas dicas preciosas e faça, diariamente, um
brinde à sua saúde e ao seu bem-estar.
Aproveite o melhor da natureza

Só use ingredientes frescos

Frutas e verduras são muito sensíveis. Da colheita até chegar à


nossa geladeira, esses alimentos perdem diversos nutrientes.
Portanto, usar a polpa congelada de uma fruta que sofreu com o
corte das cascas, a retirada das sementes, a temperatura baixa ou
alta demais e do processo de embalagem, já é sinônimo de redução
no teor nutritivo da bebida.

Abuse do visual colorido

Essa preocupação não é puramente estética. “A cor representa um


tipo de efeito no organismo”, explica a nutricionista Josefina
Bressan, do departamento de Nutrição e Saúde da Universidade
Federal de Viçosa (MG), especialista em nutrição clínica.
Por exemplo, o licopeno, que garante o vermelho do tomate e da
melancia, impede o desgaste das células e previne alguns tipos de
câncer. Já o betacaroteno, responsável pelo tom alaranjado das
cenouras e abóboras, preserva os tecidos cutâneos e afasta o
envelhecimento precoce. As folhas verde-escuras indicam que a
fonte é rica em ácido fólico, substância essencial ao bom
desenvolvimento neurológico.

Evite a monotonia de sabores

O suco que você adora pode ser maravilhoso, mas ainda assim não
deve fazer parte do seu cardápio todos os dias. A repetição enjoa e
desestimula o hábito de consumir essas bebidas enriquecidas.
Sendo assim, manter esse costume é tão importante quanto a
escolha dos componentes, por isso é preciso variar
Opte pelos conservantes naturais

Algumas frutas, especialmente banana e maçã, podem reagir com o


próprio oxigênio e ficarem escurecidas depois de cortadas. “Para
evitar essa oxidação, a dica é combinar com alguma fruta cítrica —
pode ser limão ou laranja”, ensina Josefina.

Faça um suco, não um refresco

Procure extrair ao máximo o sumo das frutas e escolher opções


suculentas — acrescentar muita água pode dispersar os nutrientes.
“A recomendação é usar a centrífuga, que é eficiente nessa função
e não precisa de água para funcionar, o que pode não acontecer
com o liquidificador, dependendo dos itens escolhidos”, garante
Jocelem Salgado, presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos
Funcionais.

muito mais saúde

Escolher cada vegetal


cuidadosamente e seguir todas as
recomendações na hora de preparar o
suco não basta. Para que a bebida
realmente possa agir no seu
organismo, saiba como e quando
consumi-la. Confira as
recomendações dos especialistas:

• Depois de batido, evite coar para


preservar o máximo de fibras. Mas atenção: portadores de uma
doença que causa inflamação na região do intestino (a diverticulite)
não devem optar por receitas que utilizem as sementes das frutas.
“Isso pode agravar o quadro”, alerta Josefina.

• Beba imediatamente após o preparo. Caso contrário, o contato


com o ar ou com a temperatura fria na geladeira favorecerá a perda
de propiedades com o passar do tempo.

• “Experimente antes de adoçar”, orienta a nutricionista Patrícia


Davidson, membro do Instituto Americano de Medicina Funcional.
Muitos deles dispensam o uso de açúcar e adoçantes.

• “Para garantir a distribuição equilibrada de nutrientes ao longo do


seu dia, o ideal é que eles sejam ingeridos no café da manhã ou
entre as principais refeições”, ensina Josefina.

poções mágicas na cozinha

A seguir ensinamos 4 receitas, elaboradas pela nutricionista Patrícia


Davidson, para você se inspirar. Nas 3 primeiras mencionamos
apenas os itens, já que o modo de preparo é comum a todos: basta
bater os ingredientes no liquidificador.

Vermelho do bem
Ingredientes
2 pêssegos
1 maçã
Frutas vermelhas (amora preta, framboesa,
mirtilo, cereja, morango, ameixa-preta, uva preta-
bordeaux) a gosto
Por que faz bem
A coloração vermelha, quase roxa, indica que é
um poderoxo antioxidante. Frescas, as frutas
colaboram com as antocianinas — componentes
que contêm o excesso de radicais livres, que
provocam o envelhecimento precoce e favorecem
o surgimento de alguns tumores e doenças
cardiovasculares. “Quanto mais escuras, maior a
quantidade dessa substância”, completa a
nutricionista Patrícia. Segundo Jocelem, essa bebida também
contribui para a saúde do cérebro. “O mirtilo, por exemplo, de
coloração azul, é capaz de proteger o tecido cerebral, melhorando a
memória”, conta. “Já o morango é conhecido por sua ação
antiinflamatória”, complementa Patrícia.
Os minerais do pêssego ajudam a equilibrar os níveis de açúcar e
colesterol. Jocelem Salgado explica que a pectina, fibra encontrada
na casca da maçã, impede que haja picos de glicose no sangue.

Goles contra a glicose


Ingredientes
½ colher (café) de levedura de cerveja
¼ de xícara de flocos de quinua real
¼ de colher (sobremesa) de canela em pó
3 maçãs vermelhas
8 copos de água (ou menos, se for feito na centrífuga)
Por que faz bem
Basicamente todos os ingredientes, especialmente as pectinas das
maçãs, baixam o índice glicêmico na corrente sanguínea, o que
previne a diabetes. Já a levedura de cerveja é a maior fonte de
cromo — mineral importante no metabolismo do açúcar. A canela
não foi acrescentada à toa. “Um estudo recente mostrou que a
ingestão de pelo menos ¼ de colher (chá) dessa especiaria,
diariamente, por 40 dias, reduziu entre 18 e 29% a glicemia”, revela
Patrícia.
Finalmente, a quinua é um cereal rico em magnésio, cobre, zinco,
fibras e proteínas. “O cobre e o zinco, com ação antioxidante,
protegem o sistema vascular, que pode ficar comprometido com o
aumento de glicose constante na circulação”, explica.

Verde digestivo
Ingredientes
1 pires (chá) de couve-manteiga crua e picada
1 colher (sobremesa) de salsa
1 fatia média de abacaxi
350 ml de água-de-coco
3 folhas de hortelã
½ limão levemente descascado (para manter as sementes e a parte
branca que envolve a fruta abaixo da casca)
Por que faz bem
Essa mistura é digestiva e indicada para quem tem intestino preso
ou sofre com inchaço no estômago e formação de gases após as
refeições. “O ideal é ingeri-lo 30 minutos antes do almoço ou do
jantar”, recomenda Patrícia Davidson. O magnésio da couve alivia
sintomas de gastrite. O limoneno, aquela película branca embaixo
da casca do limão, aumenta a capacidade do organismo de
expulsar toxinas que podem atrapalhar o funcionamento intestinal.

Brinde à memória
Ingredientes
1 colher (sobremesa) de farinha de semente de
linhaça dourada
1 colher (sobremesa) de lecitina de soja em grânulos
½ mamão papaia
1 goiaba
1 limão
Água suficiente para diluir
Dicas de preparo
Bata no liquidificador as frutas e a água e coe. Em seguida, bata
novamente com a lecitina de soja e a farinha de linhaça, que você
mesma deve preparar em casa triturando os grãos inteiros.
Atenção: se o grão for ingerido inteiro, o consumo de ômega-3 fica
prejudicado: “A casca da linhaça é formada por uma fibra insolúvel,
que não é digerida. Ou seja, o ômega que está no miolo passa
direto pelo intestino, sem ser absorvido”, explica Josefina. Comprar
a farinha de linhaça pronta também pode ser um desperdício, a não
ser que seja vendida em sachês.

Por que faz bem

Tanto a linhaça quanto a lecitina de soja ajudam a manter o bom


funcionamento de funções como memória, atenção, aprendizado e
raciocínio. Já o mamão, limão e a goiaba entram como fontes de
antioxidantes, necessários para proteger as células neurológicas da
destruição pelos radicais livres, por exemplo.

Fonte:
http://estilonatural.uol.com.br/Edicoes/54/artigo19.asp